Templates by BIGtheme NET
Início » Cultura (Pagina 3)

Cultura

XIX OPPIDANA Festival de Tunas Cidade da Guarda em novembro

O OPPIDANA é um Festival de Tunas de carácter competitivo, que se realiza na cidade da Guarda.
Este marcado para os dias 19, 20 e 21 de Março , mas devido à pandemia, passou para 26 a 28 de novembro.
Assim é dado a conhecer aos habitantes da cidade e da região um pouco da cultura “Tunante” é também transmitindo às tunas participantes o calor e o bem receber das gentes da Guarda.
Mais uma vez, este Grande Festival contará com a presença/ participação de algumas das melhores tunas do país.
As tunas a concurso serão reveladas posteriormente, por isso fiquem atentos a este evento e às páginas oficiais Tuna Académica da Guarda – Copituna d’Oppidana e OPPIDANA Festival de Tunas Cidade da Guarda.
Serão noites memoráveis para a comunidade estudantil e familiares.

Artigo:Uma equação universal para a forma de um ovo

Quanta matemática há num ovo?

A forma dos ovos há muito que tem atraído a atenção de matemáticos, engenheiros e biólogos de um ponto de vista analítico. A forma tem sido considerada pela sua evolução como suficientemente grande para incubar um embrião, suficientemente pequeno para sair do corpo da progenitora da forma mais eficiente, não rolar uma vez colocado no chão, ser estruturalmente são o suficiente para suportar peso e ser o início da vida de tantas espécies. O ovo tem sido chamado de “forma perfeita”.

A análise de todas as formas de ovos engloba quatro figuras geométricas: esfera, elipsóide, ovóide e piriforme (cónica ou em forma de pera), com uma fórmula matemática para a piriforme ainda a ser discutida.

Para corrigir esta situação, os investigadores introduziram uma função adicional na fórmula ovóide, desenvolvendo um modelo matemático para encaixar uma forma geométrica completamente nova caracterizada como a última fase na evolução da esférica-elipsóide, que é aplicável a qualquer geometria de ovo.

Esta nova fórmula matemática universal para a forma do ovo baseia-se em quatro parâmetros: comprimento do ovo, largura máxima, deslocamento do eixo vertical, e o diâmetro a um quarto do comprimento do ovo.

Esta há muito aguardada fórmula universal é um passo significativo para compreender não só a própria forma do ovo, mas também como e porque evoluiu, tornando assim possíveis aplicações biológicas e novas tecnologias.

Esta nova fórmula acaba de ser publicada no artigo “Ovo e matemática: introdução de uma fórmula universal para a forma do ovo”, na revista Annals of the New York Academy of Sciences (https://nyaspubs.onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1111/nyas.14680).

As descrições matemáticas de todas as formas básicas de ovos já encontraram aplicações na investigação alimentar, engenharia mecânica, agricultura, biociências, arquitectura e aeronáutica. Como exemplo, esta fórmula pode ser aplicada à engenharia de construção de vasos com paredes finas de uma forma de ovo, que devem ser mais fortes do que as típicas formas esféricas.

Segundo os autores esta nova fórmula é um avanço importante com múltiplas aplicações.

Na descrição científica competente de um objecto biológico. Agora que um ovo pode ser descrito através de uma fórmula matemática, o trabalho nos campos da sistemática biológica, optimização dos parâmetros tecnológicos, incubação de ovos e selecção de aves de capoeira poderá ser grandemente simplificada.

Na determinação exacta e simples das características físicas de um objecto biológico. As propriedades externas de um ovo são vitais para investigadores e engenheiros que desenvolvem tecnologias para incubação, processamento, armazenamento e classificação de ovos. Há necessidade de um processo simples de identificação utilizando o volume do ovo, área de superfície, raio de curvatura e outros indicadores para descrever os contornos do ovo, que esta nova fórmula proporciona.

Na futura engenharia inspirada na biologia. O ovo é um sistema biológico natural estudado para conceber sistemas de engenharia e tecnologias de vanguarda. A figura geométrica em forma de ovo é adoptada na arquitectura, tal como no telhado da Câmara Municipal de Londres e no Gherkin, e na construção, uma vez que pode suportar cargas máximas com um consumo mínimo de materiais, aos quais esta fórmula pode agora ser extremamente útil.

Da próxima vez que tiver um ovo na mão, antes de o partir, comtemple a singularidade complexa da sua forma.

 

António Piedade

no âmbito do programa “Cultura, Ciência e Tecnologia na Imprensa”

 

António Piedade é Bioquímico e Comunicador de Ciência. Publicou mais 700 artigos e crónicas de divulgação científica na imprensa portuguesa e 20 artigos em revistas científicas internacionais. É autor de nove livros de divulgação de ciência, entre os quais se destacam “Íris Científica” (Mar da Palavra, 2005 – Plano Nacional de Leitura),”Caminhos de Ciência” com prefácio de Carlos Fiolhais (Imprensa Universidade de Coimbra, 2011) e “Diálogos com Ciência” (Ed. Trinta por um Linha, 2019 – Plano Nacional de Leitura) prefaciado por Carlos Fiolhais. Organiza regularmente ciclos de palestras de divulgação científica, entre os quais, o já muito popular “Ciência às Seis”, no Rómulo Centro Ciência Viva da Universidade de Coimbra. Profere regularmente palestras de divulgação científica em escolas e outras instituições.

Fornos de Algodres acolheu Convívio anual do 100º Curso Paraquedismo

Depois do interregno devido à pandemia, foi retomado em Fornos de Algodres, o Convívio anual do 100º Curso Paraquedismo, com a participação de cerca  de 70 pessoas.

Assim a receção teve lugar na Central de Camionagem de Fornos de Algodres , onde todos regularizaram a respetiva inscrição, seguiu-se a visita em dois grupos ao Centro Interpretativo de Fornos de Algodres, onde todos os participantes ficaram a conhecer um pouco melhor o concelho fornense e as suas tradições.

A meio  da manhã teve lugar a Eucaristia  por todos os paraquedistas falecidos deste grupo, seguindo-se o almoço no Restaurante Quinta do Cochel em Fornos Gare, onde todos saborearam um bom repasto e conviveram bastante. Em suma, um bom momento para todos que se voltaram a reencontrar dois anos depois.

 

 

Boaventura de Sousa Santos é o próximo convidado da BMEL

A Biblioteca Municipal Eduardo Lourenço promove no próximo dia 8 de outubro (sexta), às 18h00, uma conferência intitulada de “Ciência, poesia e política: uma improvável auto-biografia”, por Boaventura de Sousa Santos. Esta conferência, transmitida via Streaming, integra o Ciclo de Conferências Internacionais “A Europa dos Escritores”, que a BMEL tem vindo a organizar em parceria com o CLEPUL – Universidade de Lisboa, nos dois últimos anos.

Boaventura de Sousa Santos escreveu as seguintes considerações sobre as temáticas e interpelações que se propõe desenvolver durante a conferência: “A poesia e a ciência são dois mundos incomunicáveis? Na minha trajectória pessoal e profissional sempre estiveram juntas. E sempre foram acompanhadas pela intervenção política cidadã, não partidária. Mantiveram as suas respectivas identidades, mas sempre se enriqueceram mutuamente. Como? Acabei por ser sobretudo conhecido como sociólogo apesar de continuar a escrever e a publicar poesia (durante anos apenas no Brasil). Porque é que a poesia não conseguiu ser mais conhecida? Porque é má poesia? Porque nas nossas sociedades somos distribuídos por caixas e a de sociólogo foi a que me foi destinada? Devo reconhecer que ultimamente a minha poesia tem vindo a ser mais conhecida. Isso me leva a reflectir”.

Doutorado pela Universidade de Yale, Boaventura de Sousa Santos, é Professor Catedrático Jubilado da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra, Distinguished Legal Scholar da Universidade de Wisconsin-Madison (EUA) e Diretor Emérito do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra. Autor reconhecido e premiado em diversas partes do mundo, tem escrito e publicado extensivamente nas áreas de sociologia do direito, sociologia política, epistemologia e estudos pós-coloniais, sobre movimentos sociais, globalização, democracia participativa. De sua vasta obra, destacamos os últimos: “O fim do império cognitivo” (Almedina, 2018); “O futuro começa agora. Da pandemia à utopia” (Edições 70, 2020). É também poeta. Publicou, entre outros: “Têmpera” (1980), “Madison e outros lugares” (1989), “Pitaia e açaí. Poemas de amor e várias canções talvez desesperadas” (2021).

O Ciclo de Conferências Internacionais “A Europa dos Escritores” tem a coordenação científica de Jorge Maximino.

Mangualde acolhe apresentação de livro de António Tavares

Vai ser apresentado no Município de Mangualde , no dia 8 de outubro, o livro “MANGUALDE, O NOSSO PATRIMÓNIO”, no Salão Nobre da Câmara Municipal, pelas 17 horas. A iniciativa contará com a presença de António Tavares, autor do livro, e de Elísio Oliveira, Presidente da Câmara Municipal de Mangualde.

Trata-se de uma obra que compila todos os bens patrimoniais do concelho de Mangualde trabalhados na campanha de promoção “Mangualde, o nosso Património”. O livro visa dar a conhecer o património herdado e as criações contemporâneas, mas também promover a sua preservação.

O autor, com formação superior em História e Arqueologia, mestre em Gestão e Programação do Património Cultural pela Universidade de Coimbra, é arqueólogo e gestor do património cultural na Câmara Municipal de Mangualde. Acrescenta ainda ao seu currículo: Investigador do Centro de Estudos Interdisciplinares do Século XX, da Universidade de Coimbra; tem realizado e coordenado trabalhos de arqueologia de salvaguarda e prevenção em obras públicas; responsável por projetos de valorização de sítios e monumentos arqueológicos; tem investigação e publicação de artigos de Arqueologia, História e Património Cultural, em revistas da especialidade e é autor e coordenador  de livros, com destaque para “Património Cultural: Gestão e Programação à escala municipal” e “Mangualde desde o Pós-Segunda Guerra Mundial (1953-2015); desenvolveu intensa atividade artístico-cultural, tudo no âmbito das políticas culturais da Câmara Municipal de Mangualde.

Acordo de colaboração que visa a promoção turística do concelho de Mangualde

Foi recentemente assinado um protocolo, entre a Câmara Municipal de Mangualde, a Santa Casa da Misericórdia de Mangualde (SCM) e o Palácio dos Condes de Anadia, que aposta no desenvolvimento turístico de Mangualde. Após conversações, que decorreram ao longos dos últimos meses, as três entidades estabeleceram agora um acordo de colaboração que visa a promoção turística do concelho.

Assim, o Palácio dos Condes de Anadia passa a integrar, nos seus roteiros turísticos, a visita à Igreja da Misericórdia de Mangualde e à Ermida da Nossa Senhora do Castelo. As visitas serão acompanhadas por um guia turístico, que o Palácio dos Condes de Anadia colocará à disposição dos turistas.

Por outro lado, a SCM garante a abertura da Ermida da Nossa Senhora do Castelo aos turistas e visitantes procedentes do Palácio dos Condes de Anadia, e o Município de Mangualde compromete-se a gerir o espaço de acolhimento de turistas e visitantes situado no rés-do-chão do edifício contiguo à Igreja, divulgando os produtos endógenos e o património histórico e arquitetónico da região, e abrindo a Igreja da Misericórdia de Mangualde aos visitantes.

O Turismo é uma atividade em grande expansão, que atrai pessoas ao território e gera dinâmicas económicas e sociais, sendo por isso do interesse do Município que o turismo seja desenvolvido e que os turistas permaneçam o máximo de tempo no concelho e dinamizem a economia local, nomeadamente a hotelaria, restauração e o comércio tradicional”, destaca Elísio Oliveira, Presidente da Câmara Municipal de Mangualde. “O Palácio dos Condes de Anadia, conjuntamente com os seus jardins, mata e vinhos, representa hoje o maior polo de atração turística em Mangualde, nomeadamente de estrangeiros. Por outro lado, a Santa Casa da Misericórdia de Mangualde é detentora de dois imóveis, de grande valor histórico e arquitetónico, designadamente a Igreja da Misericórdia e a Ermida da Nossa Senhora do Castelo, que também têm uma relação histórica com os Condes de Anadia. Com este acordo conseguimos criar sinergia para melhorar a oferta turística do nosso concelho.”, conclui o presidente.

Fornos de Algodres-Alunos caminharam no Dia Europeu do Desporto

  Integrada no Dia Europeu do Desporto na Escola, realizou-se uma caminhada pelas artérias da vila de Fornos de Algodres.
Os professores de Educação Física, em colaboração com os docentes de diferentes disciplinas, aliaram a prática de atividade física à lecionação dos conteúdos das suas disciplinas, os quais puderam ser ministrados nesta saída de campo, dando oportunidade aos alunos de aprender em contexto, fora da sala de aula.
A maioria das turmas aceitaram o desafio e os alunos saíram da escola tendo efetuado um percurso de 6 km, passando por vários locais de referência na vila.

Professores do IPGuarda em França incentivam internacionalização

Recentemente os docentes do Instituto Politécnico da Guarda (IPG) António Pissarra, Fátima Gonçalves, Florbela Rodrigues e Jorge Gonçalves estiveram a lecionar em cursos técnicos superiores profissionais, na cidade francesa de Montpellier, no âmbito do programa de mobilidade ERASMUS+. Uma boa forma de internacionalizar o IP Guarda.

Depois de um período de interrupção devido à pandemia COVID-19, em que somente foi possível realizar intercâmbio online, os docentes envolvidos realizaram diversas atividades presenciais, com destaque para a lecionação de cursos técnicos superiores profissionais na área do Turismo a estudantes do Lycée Hôtelier Georges-Frêche.

Para além da lecionação de cursos – que permitiu incentivar estudantes e docentes franceses a frequentarem o IPG, em contexto de ERASMUS – foram também estabelecidos contactos com outras instituições tendo em vista o aumento da internacionalização do Politécnico da Guarda, através da receção e envio de docentes, estudantes e pessoal administrativo.

Foto:IPG

3º Ciclo aBEIRAR

Mais uma vez, escritores e cientistas percorrem a região e, sob o desígnio da Rocha, proporcionarão aos participantes um olhar diferente da paisagem e da história geológica do nosso território, com mais de 650 Milhões de anos.

O ciclo de eventos que teve início em maio com tema Água e a seguir com o tema Céu, já percorreu 10 concelhos, envolveu 26 investigadores cientistas, 10 autores na área da literatura e 31 entidades locais, proporcionou, aos mais de 300 participantes, momentos únicos de contemplação do património natural sob a lupa da curiosidade e do questionamento.

A partir do próximo dia 2 de outubro, e durante 5 fins de semana consecutivos, irão decorrer mais 5 percursos interpretativos para a valorização do nosso património natural:

– 2 outubro | Fundão
– 10 outubro | Mêda
– 16 outubro | Guarda
– 24 outubro | Trancoso
– 30 outubro | Manteigas

aBEIRAr é uma parceria de ciência cidadã que tem como missão potenciar o envolvimento e a participação cívica com a ciência, promover o diálogo entre cientistas e cidadãos/ãs e despertar o interesse da comunidade na construção de conhecimento e valorização do território. Nasce do cruzar de objetivos comuns entre a Rede Intermunicipal de Bibliotecas das Beiras e Serra da Estrela da CIMBSE, a Plataforma de Ciência Aberta – Município de Figueira de Castelo Rodrigo, o Estrela Geopark Mundial da UNESCO e a Universidade da Beira Interior.

Aventura Dacia, uma década na Serra da Estrela

Vai acontecer no fim-de-semana de 22 a 24 de outubro , numa iniciativa do Clube Escape Livre , a Aventura Dacia , com arranque do Hotel Lusitânia na cidade da Guarda .

Um passeio de todo terreno turístico e de lazer que percorre os caminhos e trilhos fantásticos da Serra da Estrela.

São 10 anos de aventura, descoberta e convívio entre os proprietários dos modelos Duster e Sandero Stepway da Dacia que, aproveitando as características fora de estrada dos seus modelos, não perdem a ocasião de descobrir Portugal. Desde a primeira aventura no Douro em 2012 que a adesão não tem parado de crescer e na última edição, em 2020, quase 50 equipas descobriram o centro de Portugal.

Agora, a Serra da Estrela e a suas paisagens recebem a caravana Dacia que no sábado almoça em Folgosinho na bem conhecida Casa Albertino que dará a desfrutar cinco pratos para além de entradas e sobremesas.

No regresso à Guarda passagem na Cabeça do Faraó e paragem na aldeia de Videmonte, antes de um percurso final ao longo dos passadiços do Mondego que em breve abrirão ao público e todos quererão percorrer.

No domingo a etapa avança em direção ao Vale do Mondego e às suas magnificas paisagens.

Mas as celebrações dos 10 anos da Aventura Dacia vão iniciar-se logo na 6ª-feira com uma visita e um flute de espumante da Beira Interior no Solar da Comissão Vitivinícola Regional da Beira Interior, e culminarão com o almoço de domingo com partilha de grandes e boas memórias para a família Dacia.

As inscrições ainda podem ser feitas no site do Clube em www.escapelivre.com e têm o custo de 325€ para 2 pessoas com programa completo.