Templates by BIGtheme NET
Início » Economia

Economia

BUPi de Aguiar da Beira já funciona

O BUPi de Aguiar da Beira já está em funcionamento no edifício da Câmara de Aguiar da Beira.

O BUPi trata-se de uma plataforma onde é possível identificar e representar digitalmente as suas propriedades, de forma simples e gratuita definido os seus limites e garantindo o seu registo de forma a garantir a sua titularidade. Porque a inscrição dos terrenos na caderneta predial das finanças não é suficiente para garantir a proteção dos seus direitos de propriedade e o respetivo registo na Conservatória do Registo Predial é imperativo quando se pretende comprar ou vender terrenos, a disponibilização deste novo serviço é de extrema importância para todos os munícipes e demais interessados assim como para o próprio município que, com a melhor definição das propriedades e do cadastro rústico, poderá ordenar, planear e gerir o seu território de forma mais efetiva.

O BUPi de Aguiar da Beira funciona das 9:00 às 12:30 e das 14:00 às 16:00 de todos os dias úteis em balcão próprio instalado nos serviços de Sistema de Informação Geográfica municipais, com acesso pela lateral do edifício dos Paços do Concelho, ao lado da porta da garagem.

Naquele balcão serão prestados todos os serviços de auxilio à inclusão na plataforma BUPi dos processos de representação gráfica georreferenciada (RGG) dos terrenos rústicos apresentados, a sua validação e submissão automática para registo junto da conservatória do registo predial.

O projeto contempla ainda a contratação de dois técnicos que irão brevemente executar no terreno um contacto de proximidade junto de toda a população, facilitando o registo das suas propriedades rústicas.

Dúvidas e questões podem ser colocadas no endereço eletrónico bupi@cm-aguiardabeira.pt ou por telefone para o n.º 232689142.

BUPi no Município de Nelas visitado pelo Sec.Estado João Catarino

Entrou em funcionamento no Município de Nelas , recentemente o Balcão Único do Prédio (BUPi) que agora foi visitado pelo Secretário de Estado da Conservação da Natureza, das Florestas e do Desenvolvimento Rural, João Catarino, e pelo Diretor Executivo da CIM Viseu Dão Lafões, Nuno Martinho, tendo sido acompanhados nessa visita pelo Presidente da Câmara Municipal de Nelas, José Borges da Silva.

O BUPi no Município de Nelas, é um espaço destinado à realização da Representação Gráfica e Georreferenciada (RGG) dos prédios, com a identificação dos seus titulares, no âmbito do cadastro predial simplificado.
Para esse efeito, a Câmara Municipal de Nelas disponibilizou uma sala no Edifício Multiusos para atendimento ao público, sendo que, devido à pandemia da Covid-19, é dada prioridade ao atendimento por agendamento.

Agende o dia e a hora do seu atendimento, através do número de telefone 232 941 300.

Linhares da Beira capital do Parapente em agosto

Linhares da Beira volta a ser a capital do parapente, no mês de agosto, de 11 a 15 de agosto, os parapentistas voltam a multicolorir o céu da Beira.
Depois do interregno forçado de um ano, em consequência da crise epidemiológica, o Festival Internacional de Parapente regressa à Aldeia
Histórica de Linhares da Beira, de 11 a 15 de agosto de 2021, para cumprir duas provas do calendário desportivo da Federação Portuguesa de Voo Livre.
Promovido pelo município de Celorico da Beira em parceria com o Clube de Voo Livre Vertical e a Junta de Freguesia de Linhares da Beira, o evento vai revitalizar e renascer a “Catedral do Parapente”, aportando colorido, dinamismo, esperança, alegria e festa já a cheirar a normalidade e a liberdade.
A iniciativa tem propósito de promover a competição desportiva e as valências do lazer e do ensino da modalidade de parapente. A prova da
Liga Nacional e a prova de Aterragem de Precisão inserem-se na competição.

O Troféu Linhares da Beira, dirigidos aos pilotos sem experiência em competição, bem como, os voos de iniciação em asas bilugar, vulgarmente apelidados de batismos de voo, destinados à população em geral, enquadram-se na vertente ensino. Os pilotos autónomos, que pretendam efetuar voos de lazer para desfrutar descontraidamente da beleza da paisagem de montanha, têm à sua disposição um cartão de subidas, que podem adquirir no Centro de Operações ou junto do oficial de aterragem.
Inscrições e informações adicionais em:clubevertical.org/festivallinhares/www.cm-celoricodabeira.pt www.facebook.com/municipiocelorico.dabeira/

Altice Portugal associa-se à 10ª edição das 7 Maravilhas de Portugal®

É através da aliança aos conceitos de Portugalidade, Proximidade e Tecnologia que a Altice Portugal se associa, pelo segundo ano consecutivo, como patrocinadora e parceira tecnológica das 7 Maravilhas de Portugal®, um projeto que ao longo destes últimos 10 anos tem vindo a contribuir para a dinamização do património cultural do País.

Portugal é hoje uma referência pela dimensão da sua multiculturalidade e pela sua diversidade gastronómica, social e cultural. A associação da Altice Portugal a este projeto que tem como missão valorizar o que o País tem de melhor para oferecer, vem reiterar a determinação e vontade da Empresa em promover a cultura e a portugalidade como um todo.

Para Alexandre Fonseca, Presidente Executivo da Altice Portugal, «é com grande satisfação que a Altice Portugal se associa, pelo segundo ano consecutivo, a este projeto que tanto tem contribuído para a cultura portuguesa. Num ano marcadamente difícil para o setor da restauração, não podíamos deixar de nos associar a esta edição e de ajudar na promoção e divulgação da Nova Gastronomia portuguesa. A nossa missão passa por apostar no orgulho em ser português e nas nossas raízes. A Altice Portugal,
através das suas diversas marcas, tem como propósito “ligar Portugal” e para esta 10ª edição queremos ligar os cozinheiros deste País em prol de um objetivo comum: promover o que é nosso

O tema deste ano é a Nova Gastronomia e as categorias a concurso são: Petiscos, Vegetariana, Vegana, Peixe e Marisco, Carne, Cozinha Molecular e Doçaria. Naquele que é o período mais difícil de sempre para a restauração e turismo, a competição tem como objetivo dar alento à produção nacional, valorizar todo o setor da restauração, promovendo as criações mais recentes e incentivando à criação de novos pratos, e dinamizar o ensino na área da gastronomia.

Para Luís Segadães, Presidente das 7 Maravilhas®, «pela primeira vez na história das 7 Maravilhas, o concurso de 2021 não é sobre o nosso património conhecido, mas sobre inovação. Inovação num setor em que Portugal dá cartas e onde a nossa gastronomia é reconhecida a nível mundial. É um ano atípico em que queremos dar a mão a um dos setores mais afetados com a pandemia e um daqueles, onde todos os portugueses mais se revêm nos seus momentos de prazer do dia a dia. As 7 Maravilhas da Nova
Gastronomia serão uma oportunidade para nos reencontrarmos com o prazer de estar à mesa com os amigos e familiares, e para abraçarmos um mundo novo de inovação proporcionado pelos nossos talentosos chefs, um mundo de hábitos alimentares mais saudáveis e sustentáveis. A ligação com a Altice Portugal ajuda-nos a fomentar estes valores de inovação ao mesmo tempo que continuamos a abraçar os grandes valores da nossa identidade nacional.»

Guarda vai ter um Centro de Arte e Natureza

Foi aprovado pela Câmara da Guarda por unanimidade, a criação de um Centro de Arte e Natureza – CAN, no âmbito da parceria/protocolo de cooperação com a Associação Luzlinar e a Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa, no âmbito do projeto ARS- Estrutura de investigação em Arte e Ciência.

No quadro da visão estratégica de desenvolvimento que a Guarda 2027 preconiza, designadamente o surgimento de projetos de longo prazo, este Centro nasce da necessidade de compreender as múltiplas relações entre o individuo e a natureza, integrando diferentes áreas do conhecimento, de valorizar as ligações da Cultura-Património com a criatividade, no seu entrosamento com as práticas contemporâneas e para promover as diferentes responsabilidades culturais, sociais e humanas face às novas questões colocadas pela complexidade do mundo contemporâneo, especialmente a emergência ecológica.

Focado no binómio relacional entre arte e ecologia, o CAN terá como domínios de ação a Investigação, a Cultura e Aprendizagem, desenvolvendo e acolhendo pós-graduações, mestrados, doutoramentos, bem como projetos transdisciplinares de pesquisa e seminários de investigação, apresentações públicas, exposições, performances, projeções cinematográficas, residências de investigação artística, simpósios, seminários e conferências. Trata-se de uma plataforma de promoção e aprendizagem da arte e ciência para a cultura contemporânea, como polo de investigação agregador de sinergias científicas, polarizador de novas linhas de trabalho cruzando com os conhecimentos empíricos e métodos de investigação de proximidade no terreno.

Tendo como âmbito territorial inicial as Beiras e Serra da Estrela, este Centro, com sede na cidade da Guarda – em espaço a anunciar em breve – integrará a Estrutura de Investigação Arte e Ciência – ARS, com cinco Unidades de investigação instaladas ao longo da faixa oriental da Serra da Estrela, nos concelhos do Fundão, Belmonte, Guarda, Celorico da Beira e Trancoso, e a intenção de promover a sua extensão à Raia Espanhola, em especial às comunidades autónomas de Castilla y León e Extremadura, e às cidades que vão integrar a candidatura “Guarda 2027” a Capital Europeia da Cultura.

A rede de investigação do CAN visa incorporar, de forma cooperativa e gradual, diversas instituições de ensino superior, associações congéneres e ONG nacionais e internacionais. Inicialmente, esta rede integra um conjunto de entidades parceiras que manifestaram interesse em aderir ao projeto, a saber: FBAUL, Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa – CIEBA, Centro de Estudos e de investigação em Belas-Artes; UTAD, Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro – CITAB, Centro de Investigação e Tecnologias Agroambientais e Biológicas; UBI, Universidade da Beira Interior – LabCom, Comunicação e Artes; FBAUL, Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa / FCTUNL, Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa – Unidade de Investigação VICARTE – Vidro e Cerâmica para as Artes; ISA, lnstituto Superior de Agronomia da Universidade de Lisboa; IPG – lnstituto Politécnico da Guarda / Unidade de Investigação para o Desenvolvimento do Interior; UP, University of Plymouth – Transtechnology Research (RU); USAL, Universidad de Salamanca (ES); DTK, Det Tverrfaglige Kunstinstitutt Kunstfagskolen i Bcerum (NOR) e EPLEFPA, Lycee Jean Monnet – Dep. Hautes Pyrenees(FR).

Semifinalistas da 11.ª edição do Concurso de Empreendedorismo Banco Montepio Acredita Portugal

Projetos vão agora integrar Programa de Aceleração

 Já são conhecidos os 21 semifinalistas da 11.ª edição do Concurso de Empreendedorismo Banco Montepio Acredita Portugal, de entre um total de 10.620 projetos inscritos na iniciativa promovida pela associação Acredita Portugal e pelo Banco Montepio. As ideias submetidas integram domínios de empreendedorismo social (Prémio Empreendedorismo Social, apoiado pelo Banco Montepio), tecnologia (Prémio K.Tech), inovação ligada à água (Prémio H2O Inovação by Águas de Gaia), mobilidade (Prémio Brisa Mobilidade 2021) e criação de smart cities (Prémio Gaia 3C: Construção Circular da Cidade), para além de uma categoria geral do Concurso Banco Montepio Acredita Portugal.

São três os semifinalistas em cada categoria da iniciativa, seis no Prémio Montepio Acredita Portugal:

  • Empreendedorismo Social – IRIS Lab, Techtale, Sim Somos Capazes
  • Tech – Inu Health, Kendir Studio, Job Coach
  • Brisa Mobilidade 2021 – We can Charge, Safety Car, Smart Parking
  • H2O Inovação – PWTECH, SWRS, SurfREc
  • Gaia 3C – Upper Traffic, Do lixo ao luxo, i’m Ok App
  • Prémio Montepio Acredita Portugal – Galerias de São Rafael, Mum’s Cooking, Oursland, Slow Vanity, Build Together, Mesque

Estes 21 projetos vão agora passar por um Programa de Aceleração, com duração de dois meses e meio, coorganizado por Diogo Bhovan, CEO da Cron.Studio; uma parceira estratégica e operacional da Acredita Portugal que trabalha com startups e empresas em rápido crescimento, na criação e desenvolvimento dos seus produtos de base tecnológica. Estas sessões de mentoria, masterclasses e workshops têm como objetivo acelerar o seu crescimento, dotando os empreendedores de capacidades essenciais para continuarem os seus projetos de forma autónoma e eficiente – captar a atenção de um investidor, desenvolver o modelo de negócio, enquadramento jurídico, contabilidade, marketing digital, entre outros – através do contacto com especialistas de diferentes áreas.

Para Fernando Fraga, Diretor de Inovação da Acredita Portugal, “o entusiasmo que sentimos da parte dos projetos inscritos nesta edição do Concurso, com mais de 10.000 novas ideias apresentadas, é a constatação da relevância de uma iniciativa como esta e da sua recetividade entre a comunidade empreendedora. O propósito de capacitar estas pessoas para desenvolverem o seu projeto ganha neste momento da iniciativa uma maior expressão, colocando-as em contacto com empreendedores e especialistas de áreas diversificadas, que lhes podem aportar um conhecimento e experiência de valor incalculável para ultrapassarem os seus próximos desafios. Temos a certeza que estes 21 semifinalistas vão sair do Concurso ainda mais capazes de tornarem os seus projetos num sucesso”.

 

Para Fernando Amaro, diretor da área da Economia Social e do Setor Público do Banco Montepio, “é com muito orgulho que, enquanto Parceiro do Empreendedorismo, o Banco Montepio ajuda a manter, concretizar e, ainda, fazer evoluir a iniciativa que mais estimula o empreendedorismo em Portugal. Ao longo dos últimos cinco anos de parceria, participámos nas várias dinâmicas da iniciativa e nesta edição do Concurso não será diferente. Nesta próxima fase de aceleração do Concurso, os 21 semifinalistas poderão contar com uma sessão de formação, dinamizada pelo Banco Montepio, sobre financiamento e soluções desenhadas para quem necessita de financiamento para uma ideia e um negócio próprio. Este Concurso permite promover a igualdade de oportunidades e uma sociedade mais inclusiva e próxima e em tempos de pandemia o nosso principal objetivo é contribuir e fazer crescer pessoas e ideias, gerar emprego e, acima de tudo, criar valor para a sociedade”.

Este é o maior concurso de empreendedorismo de Portugal e o segundo maior a nível mundial – tendo apoiado mais de 100.000 projetos nos seus 10 anos de atividade – e tem como objetivos identificar, desenvolver, premiar e potenciar o lançamento de ideias inovadoras. Nascida para ser uma plataforma de incentivo ao Empreendedorismo, a associação Acredita Portugal junta experiência, know-how e uma rede estabelecida ao longo de mais de uma década para ajudar a encontrar novos rumos num clima de incerteza, em que se tornam fundamentais o compromisso e o contributo de todos.

Os vencedores da 11ª edição do Concurso Banco Montepio Acredita Portugal serão conhecidos numa Gala de Entrega de Prémios, agendada para 9 de outubro de 2021.

 

Sérgio Costa apresentou a sua equipa e o seu projeto

A tarde deste sábado foi de apresentação da equipa de Sérgio Costa e da sua equipa à Câmara Municipal da Guarda,assim José Valbom, é o seu Mandatário.

Desta forma, José Rodrigues é o Mandatário da Juventude, Luísa Santos, Mandatária Financeira. José António é o Diretor de Campanha.Depois, António Júlio Aguiar, é o candidato a Presidente da Junta de Freguesia da Guarda.

Já José Relva, é o candidato a Presidente da Assembleia Municipal. depois na lista à Câmara existem Mulheres e aos Homens que o acompanham na lista:

7º- Rosária Santos – Dirigente do Sector Social

6º- António Pereira – Estudante Universitário

5 º- Diana Cruz e Sousa – Médica

4º- Rui Melo – Engenheiro

3 – Amélia Fernandes – Professora – Educação e Ação Social

2 – Diana Monteiro – Gestora Bancária – Economia e Finanças

Depois Sérgio Costa, deixou assim o seu projeto se for eleito com a sua equipa:

Saúde

Muitas têm sido as notícias negativas ao longo da última semana em

torno do nosso Hospital, com acusações entre partidos políticos, entre

Gestores Hospitalares, com promessas e mais promessas, mas até agora

nada.

Na Saúde estamos cansados de ver fugir os serviços e os seus

profissionais quer para o litoral, quer emigrando para a europa.

De ver continuamente o Estado Central a retirar os serviços públicos do

nosso Concelho e até mesmo algumas competências deixando-nos,

Cidadãos Portugueses, entregues a nós próprios.

De sentir na pele a sensação de abandono que o Estado Português nos

provoca todos os dias.

De ver por um “canudo” a tão propalada coesão territorial.

Esse Estado que devia tratar todos por igual e que progressivamente

nos deixa desamparados perante a fatalidade de ser da Guarda e estar

longe de Lisboa ou do litoral.

Vivemos num país cada vez mais desigual! Vivemos cada vez mais num

país injusto! Ler Mais »

BUPi já esta a funcionar em Penalva do Castelo

O BUPi (Balcão Único do Prédio) já é uma realidade em Penalva do Castelo, trata-se de uma plataforma dirigida aos proprietários de prédios rústicos e mistos, que permite mapear, entender e valorizar o território português, de forma simples e gratuita. Começou em 2017 como um projeto piloto em 10 Municípios. Após o seu sucesso, está agora a ser expandido a todo o país.

Porque a inscrição dos terrenos nas finanças não é suficiente para garantir a proteção dos seus direitos de propriedade e o respetivo registo na Conservatória do Registo Predial é imperativo quando se pretende comprar ou vender terrenos, a disponibilização deste novo serviço é de extrema importância para todos os munícipes e para o próprio Município que, doravante, pode planear e gerir o seu território de forma mais sustentável.

O BUPi está a funcionar em balcão próprio no edifício dos Paços do Concelho. O procedimento de RGG é gratuito durante 4 anos a partir desta data. O funcionamento está assente na articulação com as demais entidades envolvidas no projeto (IFAP, AT, IRN, etc.).

O projeto contempla a contratação de dois técnicos que irão executar no terreno um contacto de proximidade junto de toda a população, facilitando o registo das propriedades. Os equipamentos informáticos e viatura estão igualmente comtemplados na operação financiada no âmbito de uma candidatura supramunicipal apresentada pela CIM Viseu Dão Lafões no âmbito do Aviso N.º CENTRO 62-2020-10 – Sistema de apoio à transformação digital a Administração Pública e é comparticipada pelos fundos FEDER, que abrange os 14 municípios da CIMVDL.

Quaisquer dúvidas e questões podem ser colocadas para o endereço bupi@cm-penalvadocastelo.pt ou por telefone para 232 640 020.

Carlos Chaves Monteiro apresentou as suas ideias na inauguração da sede de candidatura

Aumentar o rendimento “per capita”
Aconteceu a inauguração da sede  da candidatura de Carlos Chaves Monteiro, ao Município da Guarda, situada em frente ao Jardim Municipal José de Lemos, na esquina da Rua Dr. Vasco Borges com a
Rua Alves Roçadas. “Aumentar o rendimento “per capita” dos guardenses é o objetivo do próximo mandato”
Foi com o arranque da semana temática “Mais e Melhor Investimento e Emprego” que Carlos Chaves Monteiro inaugurou a sua sede de candidatura no centro da Guarda. Manter a Guarda como o concelho do país com maior subida de rendimento dos trabalhadores é o objetivo. A conquista da nova unidade da SODECIA foi dada como exemplo da competência e da rapidez dos serviços camarários.
O principal objetivo de Carlos Chaves Monteiro para o próximo mandato na presidência da Câmara da Guarda é aumentar o rendimento “per capita” dos habitantes do concelho. O anúncio do candidato do PSD foi feito esta manhã na abertura da sede de campanha para as próximas eleições autárquicas, marcadas para 26 de setembro: a sede está localizada em frente ao Jardim Municipal José de Lemos, na esquina da Rua Dr. Vasco Borges com a Rua Alves Roçadas.
“Atrair investimento e criar novos empregos qualificados, como temos feitos nos últimos anos, corresponde à nova geração de políticas autárquicas que inauguramos
na Guarda em 2013”, afirma Carlos Chaves Monteiro. “Em todos os rankings nacionais a Guarda tem aparecido como um dos concelhos do país onde os rendimentos dos seus habitantes mais cresceu: segundo os dados do Pordata, entre 2010 e 2018 os trabalhadores por conta de outrem da Guarda foram os que registaram maior subida nos ganhos mensais, em primeiro lugar ex-aequo com Oliveira de Azeméis”.
A abertura da sede de campanha inaugurou a semana temática “Mais e Melhor Investimento e Emprego” da candidatura, ao longo da qual Carlos Chaves Monteiro
e os demais candidatos aos órgãos autárquicos do município da Guarda anunciarão as suas propostas para acelerar a economia do concelho e da cidade e criar novos
empregos. A semana contará com uma visita a empresas na Plataforma Logística, geral@maisemelhorguarda.pt | www.maisemelhorguarda.ptdurante a qual serão anunciadas medidas de apoio social aos trabalhadores e às suas famílias.
Será também realizada, na próxima quinta-feira 8 de julho, uma sessão dedicada aos fundos europeus e ao Plano de Recuperação e Resiliência – PRR, a chamada “bazuca europeia”. Nessa sessão irão intervir Joaquim Miranda Sarmento, Presidente do Conselho Estratégico Nacional do PSD, e o ex-deputado social-democrata António Leitão Amaro, antigo secretário de Estado da Administração Local.
“Não se pode perder a confiança que os investidores têm em nós!”
“Vamos multiplicar exemplos como o da SODECIA, cujo novo investimento para fornecer a Volkswagen em toda a Europa foi ganho pela Guarda em concorrência com outra cidade na República Checa, onde a SODECIA também tem uma fábrica”, afirma Carlos Chaves Monteiro. “Garantimos a esta multinacional 34 mil metros quadrados de terreno para colocarem na Guarda a sua nova unidade: vamos ceder esses terrenos através da celebração de uma escritura de direito de superfície”. Segundo o presidente, “foi a rapidez e a competência com que os serviços camarários trataram este dossier que permitirá a vinda para a Guarda, só em 2021, de 300 novos postos de trabalho altamente qualificados”.
Durante a sua intervenção na abertura da sede de campanha, o candidato a presidente da Câmara Municipal da Guarda e atual detentor do cargo recordou que, só nos últimos dois anos, a autarquia atraiu para a Guarda mais de 100 milhões de euros de investimento, os quais criaram mais de 500 novos empregos diretos.
“Agora – só neste ano de 2021 – conseguimos trazer para a Guarda investimentos que vão representar até ao final do ano mais de 900 postos de trabalho diretos, muito qualificados, em indústrias de tecnologias inovadoras”, afirma Carlos Chaves Monteiro. “O Porto Seco que vamos montar na Guarda também terá uma importância central neste aumento de competitividade empresarial da Guarda, uma vez que nele poderão passar a ser despachadas ou levantadas mercadorias com as mesmas facilidades logísticas, alfandegárias e fiscais oferecidas pelos portos do litoral”.
As novas fábricas do “cluster” da mobilidade elétrica que estão a ser montadas ao lado das multinacionais da indústria automóvel sediadas na Guarda foram também referidas pelo autarca, assim como a preparação pela Câmara da Guarda de uma Zona Económica Especial para atrair investimento. O candidato reiterou ainda o
apoio que será dado às novas gerações de agricultores no concelho para que transformem a atual agricultura nas freguesias numa agricultura empresarial, competitiva e lucrativa.
“É todo este movimento – é toda esta confiança que conseguimos gerar à volta do Município da Guarda – que não pode perder-se!”, afirma Carlos Chaves Monteiro, garantindo que a confiança que a atual liderança na Câmara da Guarda inspira nos investidores, nos empresários e nos jovens empreendedores se perderá com outros
partidos. “Se acaso não estivéssemos à frente da autarquia, todo este investimento, todo este emprego, toda esta dinâmica económica e social se perderia! Não haveria nem ‘cluster automóvel’, nem Porto Seco, nem fábricas de mobilidade elétrica, nem 3ª fase da Plataforma Logística”, afirma o candidato.

Termas Centro concluem instalação da rede de geocaching na região

O consórcio Termas Centro concluiu a instalação de 50 geocaches no território das estâncias termais que compõem a rede. Um total de 50 geocaches foram “escondidas” em toda a região por uma equipa do Centro de Estudos de Geografia e Ordenamento do Território da Universidade de Coimbra, coordenada pelo Doutor Paulo Carvalho, Diretor do Mestrado em Turismo, Território e Patrimónios.

geocaching é uma atividade recreativa ao ar livre, feita em família ou individualmente, que atrai cada vez mais entusiastas. O objetivo é encontrar objetos georreferenciados (geocaches), escondidos em locais públicos, numa estimulante “caça ao tesouro”.

Para localizarem os “tesouros” escondidos nas estâncias termais da região, os participantes devem aceder ao perfil TermasCentro, no site www.geocaching.com, onde podem verificar as coordenadas das geocaches disponíveis, assim como pistas para as encontrarem. Depois, só precisam de utilizar um dispositivo com GPS, como um simples telemóvel. No final, podem registar e partilhar as suas experiências com a comunidade geocacher e nas redes sociais.

A equipa responsável pela iniciativa – com o Doutor Paulo Carvalho (Professor Associado do Departamento de Geografia e Turismo da Universidade de Coimbra; Investigador do CEGOT/Universidades de Coimbra e Porto) e o Mestre Luiz Alves (Doutorando em Turismo, Património e Território da Universidade de Coimbra;  Investigador do CEGOT/Universidades de Coimbra e Porto) – começou por fazer o levantamento da oferta de geocaching nos territórios termais, seguindo-se o trabalho de campo de reconhecimento e georreferenciação dos pontos de interesse para a localização das geocaches. O passo seguinte foi a elaboração de conteúdos para cada uma delas e a criação dos suportes digitais nas páginas da plataforma geocaching.com, nomeadamente textos, fotografias e grafismos, em português e inglês. Finalmente, as geocaches foram instaladas no território.

Com esta rede de geocaching Termas Centro, queremos atrair um novo segmento de visitantes às estâncias termais da região Centro. Normalmente, as termas estão inseridas em territórios magníficos, que merecem visitas prolongadas e que reúnem as características ideais para atividades como o geocaching ou as caminhadas. Desta forma, as termas cumprem a sua função natural de promover a saúde e bem-estar, ao mesmo tempo que dão a conhecer o património natural e cultural envolvente”, destaca Adriano Barreto Ramos, coordenador da rede Termas Centro.

Ciclo “Viva Termas Centro” conjuga descobertas com experiências

A criação da rede de geocaching está inserida no ciclo de animação em rede “Viva Termas Centro”, promovido pela rede Termas Centro nas suas 20 estâncias termais.

O ciclo desenvolve-se a partir de três eixos, que levam os participantes a descobrir a rede cultural que envolve as Termas, a explorar o seu território e património e a desfrutar de novas experiências. A iniciativa de geocaching está integrada no eixo “Explore – O Nosso Território e Património”, que assume dois propósitos: a sensibilização para o conhecimento dos recursos aquíferos e espaços termais que compõem a rede e dos recursos naturais e paisagísticos da sua envolvente. Pretende‐se que os turistas que procuram a região descubram as termas e que, em paralelo, os aquistas que vão às termas descubram a região.