Templates by BIGtheme NET
Início » Economia

Economia

Livro “Work From Centro de Portugal”apresentado pelo Turismo Centro de Portugal

A Turismo Centro de Portugal apresentou no Hotel Selina Peniche, o livro “Work From Centro de Portugal”. Esta é mais uma iniciativa inserida num projeto abrangente, que visa promover a região Centro como destino de trabalho remoto para trabalhadores remotos e nómadas digitais, com oferta para todas as pessoas, famílias e equipas que pretendam trabalhar à distância.

Nas páginas do livro contam-se as histórias de pessoas que mostram como é viver e trabalhar em vários pontos do Centro de Portugal. Rostos de quem se move em setores tão diferentes como a cultura, o desporto, a tecnologia, as artes e ofícios tradicionais. O livro disponibiliza igualmente uma listagem extensiva de locais com condições especialmente indicadas para quem escolhe a região para trabalhar de forma remota. Ler Mais »

Rendas quase duplicam em Évora em abril face a 2021. Guarda e Bragança também registam aumentos substanciais

As rendas, que vinham a aumentar progressivamente, mas de forma relativamente estável desde o período homólogo do ano passado, registam em abril um aumento significativo face a março (+19%), subindo cerca de 200€ de 1.070€ para 1.274€. 

Évora é o distrito onde a renda mais aumentou de março para abril (+59,1%) e quase duplicou face a abril do ano passado. Guarda também regista aumentos significativos de +46% face a março e +62% em comparação com o período homólogo do ano passado. Faro e Bragança também registam aumentos significativos.

 Principais conclusões:

ARRENDAMENTO

  • O valor das rendas subiu +19,1% em abril, face ao mês anterior, o que representa um aumento da renda média de 1.070€ para 1.274€. Em comparação com abril do ano passado, quando as rendas médias se fixavam nos 991€, o aumento é de 28,6%.

 

Distritos em destaque:

  • Évora regista o aumento do valor médio de renda mais significativo face a março (+59,1%), passando de 650€ para 1.034€. Guarda também regista um aumento substancial de +46% (passando de 411€ para 600€), bem como Faro, que aumenta 43,8% (passando de 863€ para 1.241€).
  • Beja, que no mês anterior registou o maior aumento, tem agora a maior queda do valor de renda face a março (-20,4%), descendo de 628€ para 500€.
  • Face a abril do ano passado, é também Évora que regista o maior aumento do preço de renda, que quase duplica de 518€ para 1.034€. Registam-se também subidas significativas na Guarda (+62%), que 370€ para 600€, e em Bragança (+59,9%), de 398€ para 636€.
  • O distrito com maior quebra, ainda que ligeira, do preço de renda é Portalegre (-1,8%), descendo de 360€ para 353€. Portalegre é o distrito mais barato em abril para arrendar casa em Portugal.

 

VENDA

  • O preço médio de venda anunciado em abril de 2022 subiu ligeiramente (+2,9%) em relação a março, fixando-se nos 391.465€, em comparação com 380.558€ no mês anterior. O valor tem vindo a aumentar progressivamente desde o início do ano passado.  Comparativamente com o período homólogo do ano anterior, quando o valor médio das casas era de 352.565€, há um aumento de +11% do preço de venda dos imóveis.

 

Distritos em destaque:

  • O distrito com maior aumento do preço de venda, de março para abril, é Lisboa (+6,3%), onde o preço médio passa de 595.860€ para 633.192€. Lisboa mantém-se, assim, como o distrito mais caro. Com subidas de preço menos significativas encontram-se Aveiro (+3,3%), Braga (+3,2%) e Setúbal (+2,8%).
  • Castelo Branco regista o maior decréscimo do preço médio de venda registado em abril (-7,6%), passando de 128.450€ para 118.710€, seguindo-se Portalegre (-6,7%), que baixa para 115.884€, sendo o segundo distrito mais barato, depois da Guarda (109.343€).
  • Em comparação com o período homólogo de 2021, é novamente Évora o distrito com maior aumento do preço médio de venda em abril (+26,2%), que sobe de 201.872€ para 254.814€ este ano. À semelhança do mês anterior, as regiões onde também aumentou o preço médio de forma significativa foram Setúbal (+22,4%) e Região Autónoma da Madeira (+20,3%).
  • Castelo Branco e Guarda, os dois distritos mais baratos para comprar casa, registam a maior quebra do preço médio de venda face a abril do ano passado, descendo respetivamente -5,6% e -4,8%.

Por:IMovirtual

CCDRC acolhe um novo Centro Qualifica da Administração Pública

A Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDRC) tem a partir de agora uma nova competência na área da formação. No âmbito da estratégia definida pelo Governo para a modernização da Administração Pública (AP), a CCDRC vai acolher um novo Centro Qualifica da Administração Pública. Estes Centros são estruturas com vocação territorial que visam prestar formação especializada aos trabalhadores que exercem funções públicas na Administração Central.

 

Com a criação do Centro Qualifica AP da CCDRC pretende-se:

  • Prestar formação especializada aos trabalhadores da AP, dotando-os de qualificações e competências que potenciem o desenvolvimento dos seus percursos profissionais;
  • Valorizar os recursos humanos da Administração Central, proporcionando certificações profissionais e certificações escolares de nível básico (até ao 9.º ano) e nível secundário (12.º ano);
  • Ajustar os percursos de qualifica​ção às especificidades de cada organismo público, respondendo de forma flexível ao Decreto-Lei n.º 86-A/2016, de 29 de dezembro.
  • Formar os trabalhadores da AP a custo zero. Todo este processo é financiado a 100% pelo Plano de Recuperação e Resiliência (PRR)

Estes Centros permitem aos trabalhadores o Reconhecimento, Validação e Certificação de Competências (RVCC), a definição do seu percurso de educação e/ou formação que possibilita uma qualificação ajustada às suas necessidades e o registo no Passaporte Qualifica do respetivo percurso de qualificação e correspondentes créditos, que podem ser usados na obtenção da qualificação desejada ou em futuras qualificações.

 

Mais informação em www.ccdrc.pt, Email: centro.qualifica@ccdrc.pt

Assembleia de Freguesia de Fornos de Algodres aprovou diversos regulamentos de apoio

Recentemente, a  Assembleia de Freguesia de Fornos de Algodres reuniu e aprovou o Regulamento de atribuição de Bolsas de Estudo para os alunos do Ensino Superior, atualização do regulamento de Apoio à Natalidade e Apoio Extraordinário à família fornense que perdeu a sua habitação num incêndio.

A assembleia realizada nesta sexta- feira, 29 de abril, ficou marcada pela aprovação de 14 pontos, que o executivo liderado por Bruno Costa, submeteu à assembleia, entre os quais destacamos:
Regulamento de atribuição de subsídios às coletividades como os Bombeiros e Associações de cariz cultural, social, desportivo, educativo que contribuam efetivamente para a valorização cívica através do movimento associativo.

Regulamento de atribuição de Bolsas de Estudo no valor de 250 euros aos estudantes fornenses do Ensino Superior.

Atualização do regulamento de apoio à natalidade, que prevê a atribuição de 250 euros por cada nascimento na nossa freguesia.

Regulamento de inventário e cadastro de património da freguesia.

Foram assim dados passos importantes para cumprir com critério e responsabilidade todos os compromissos a que este executivo se propôs, sempre, com o objetivo de dignificar e orgulhar a nossa freguesia.

Fotos:FFA

Município de Mangualde cria rede social Telegram

O Município de Mangualde dá mais um passo para se aproximar da comunidade Mangualdense ao criar o canal do Município de Mangualde na rede social Telegram. O canal da autarquia irá divulgar notícias, alertas e a agenda municipal.

O canal de Telegram do Município de Mangualde é mais uma plataforma de ligação a todos os Mangualdenses em todo o mundo, para que possam estar juntos, à distância de um clique. O canal da autarquia pode ser visitado em https://t.me/municipiomangualde

O Telegram, lançado em 2013, conta com cerca de 500 milhões de utilizadores ativos por mês, e posiciona-se como uma das 10 redes sociais mais utilizadas no mundo. Assume-se como um serviço de mensagens instantâneas, onde os utilizadores podem enviar mensagens, fazer chamadas com vídeo, e trocar fotos, vídeos, stickers e arquivos de qualquer tipo, para além de criar grupos para até 200 mil pessoas ou canais para transmissão para públicos ilimitados. A plataforma pode ser usada na versão móvel, por smartphone, tablets, entre outros, na aplicação para computador, e ainda, através dos motores de pesquisa.

O Município de Mangualde convida os Mangualdenses a subscreverem o canal do Telegram para que fiquem a par de todas as novidades divulgadas.

4ª. Edição dos Prémios ANAM

A Associação Nacional de Assembleias Municipais lança a 4ª. Edição dos Prémios ANAM. Esta é uma iniciativa que visa reconhecer, no plano nacional, estudos, artigos, trabalhos de investigação científica e jornalística e trabalhos de âmbito escolar relacionados com matérias que valorizem e dignifiquem as Assembleias Municipais e o seu papel na organização democrática dos municípios.

 Com três categorias distintas, os Prémios ANAM incluem o Prémio “boas práticas” nas Assembleias Municipais que reconhece o trabalho das Assembleias Municipais, na promoção das boas práticas no seu funcionamento e seu impacto local na relação com os munícipes; o Prémio trabalhos de âmbito escolar que destaca trabalhos ou atitudes originais que contenham um contributo relevante para o desenvolvimento e promoção da cidadania e participação democrática no seio da comunidade escolar e local; e o Prémio Dr. José́ Manuel Pavão dirigido a pessoas e entidades, autoras de estudos e trabalhos de investigação académica e jornalística que promovam a difusão dos direitos e liberdades fundamentais, reforço dos valores democráticos e valorização do poder local, nomeadamente da Assembleia Municipal.

Para Albino Almeida, Presidente da ANAM, a atribuição destes prémios “representa o reconhecimento do esforço que tem vindo a ser feito no âmbito da divulgação da valorização das Assembleias Municipais em prol dos cidadãos. Esta é uma iniciativa que visa contribuir para uma maior difusão das AM como órgãos fundamentais do poder local e essenciais no estado democrático”.

Para a ANAM é importante promover junto da sociedade um maior envolvimento naquelas que são as questões estruturantes do poder local. Sobre o envolvimento da comunidade estudantil na promoção do poder local,  Albino Almeida considera que “a participação dos jovens nos processos de tomada de decisão que afetem a sua vida é essencial para o seu desenvolvimento enquanto cidadão ativos e conscientes dos seus direitos e deveres. As escolas devem desempenhar um papel fundamental, como espaços de prática onde os jovens e demais elementos da comunidade escolar possam adquirir e reforçar conhecimentos e experiências de cidadania”.

No que a “boas práticas” diz respeito, Albino Almeida espera que as Assembleias Municipais partilhem o que de melhor se faz em Portugal a nível da elevação e dignificação do poder local e da proximidade com as populações: “nos últimos anos temos a assistido a uma aproximação das populações aos órgãos de poder local. Há de facto um reconhecimento da crescente importância do papel de relevo alcançado por órgãos deliberativos como as AM. Acredito que muita desta proximidade seja fomentada por um crescimento da Democracia local e, sobretudo, pelo trabalho desenvolvido pelas AM que estão cada vez mais presentes na vida dos seus munícipes, como voz ativa dos interesses coletivos”.

 Os trabalhos deverão ser enviados até ao dia 30 de junho através do endereço eletrónico geral@anam.pt ou por correio registado com aviso de receção para a sede da ANAM. O regulamento está disponível em www.anam.pt.

 

Jovens Autarcas Socialistas do Distrito da Guarda reuniram em Seia

Fornense Leandro Abade é o Coordenador Distrital

Teve lugar em Seia, uma reunião dos Jovens Autarcas Socialistas do Distrito da Guarda , onde pelo meio, aproveitaram para visitar  a Feira do Queijo, que decorreu naquela cidade serrana.

Assim nesta reunião estiveram presentes também autarcas jovens do distrito como Carlos Santos, presidente da junta de freguesia de Sazes da Beira e Jorge Rafael Abreu, presidente de junta da União de Freguesias de Santa Marinha e São Martinho, ambos do concelho de Seia, recorde.se que o coordenador Nacional do JAS é Diogo Cunha e o coordenador federativo distrital é Leandro Abade.
os jovens autarcas  têm demonstrado  todo o empenho no desenvolvimento do seu território e toda a dedicação que têm para com a estrutura e para com os seus concidadãos, assim adianta o JAS.

Sérgio Costa vai estar no La Vie na rubrica Centro das Conversas

O Presidente da Câmara Municipal da Guarda, Sérgio Costa, é o próximo convidado do Centro das Conversas, no La Vie Guarda.
Com data marcada para o próximo dia 28 de fevereiro, às 17h00, a primeira sessão da edição de 2022 do Centro das Conversas, que será conduzida pelo jornalista Pedro Paula, da Rádio F, decorrerá no Piso 2. Esta sessão é aberta a todos os visitantes do Centro Comercial.
O Centro das Conversas é um evento original La Vie que, a cada sessão, recebe uma personalidade guardense que se tem distinguido pelo seu percurso profissional. Através de uma conversa descontraída, o intuito é conhecer não só a sua carreira, mas também descobrir um pouco mais sobre as suas dimensões menos públicas, as suas histórias e experiências pessoais.
Cada um dos convidados tem a oportunidade de selecionar uma entidade de mérito reconhecido e atividade em curso para ser agraciado com um donativo patrocinado pelo Centro Comercial.
Para quem não possa estar presente no La Vie para assistir ao vivo ao Centro das Conversas, o
Centro Comercial fará a transmissão em direto a partir das suas redes sociais.

Centro de Portugal foi visitado por milhares de turistas no fim de semana da Páscoa

Apresentação da proposta de Orçamento do Estado para 2022

Ministros das Finanças, Fernando Lima, e Adjunta e dos Assuntos Parlamentares, Ana Catarina Mendes, a entrega da proposta de Orçamento do Estado, Assembleia da República, 13 abril 2022 (fot: João Bica)O Orçamento do Estado para 2022 tem como objetivos prosseguir a consolidação orçamental, mitigar o choque geopolítico, reforçar os rendimentos das famílias, apoiar a recuperação das empresas, investir na transição climática e digital e recuperar os serviços públicos, disse o Ministro das Finanças, Fernando Medina, na apresentação da proposta, que já fora entregue à Assembleia da República, em Lisboa.

Fernando Medina afirmou que este «é um Orçamento de urgência e ambição em dotar o País dos instrumentos para fazer face aos desafios exigentes que a conjuntura coloca, aos desafios de reforma estrutural e para prosseguir uma política de contas certas que é a que melhor protege os interesses dos portugueses».

O Ministro disse que o «contexto de forte volatilidade e incerteza», criando pela agressão russa à Ucrânia, e a «perturbação das cadeias de distribuição gerada pela pandemia» criam riscos, mas que «o País tem elementos de resiliência», apontando «a taxa de vacinação muito elevada», «o andamento positivo da economia nos primeiros meses do ano», «as perspetivas de bom ano turístico», «a muito baixa taxa de desemprego» e «a boa execução orçamental» de 2021.

Dívida e inflação

A propósito dos juros da dívida pública, Fernando Medina sublinhou que «Portugal mantém custos de financiamento inferiores à generalidade dos países do sul da Europa» e que «a variação dos juros não afastou Portugal do diferencial relativamente à Alemanha».

Quanto à inflação, referiu que o Banco de Portugal e o Banco Central Europeu «apontam que será sobretudo de natureza conjuntural e marcadamente definida pelo aumento dos preços dos produtos energéticos e alimentares», devendo «recuperar para valores inferiores em 2023 e 2024».

«O orçamento organiza-se para a contenção da inflação e dos seus efeitos, o compromisso com os rendimentos e o investimento e as contas certas», disse, apontando as grandes linhas do cenário macroeconómico, adaptado à nova situação: o Produto interno Bruto crescerá 4,9%, a inflação será de 4,0%, o défice orçamental descerá para 1,9% do PIB, a dívida pública descerá para 120,7% do PIB, e o desemprego descerá para 6,0%

Seis prioridades

O orçamento tem 6 prioridades: prosseguir a consolidação orçamental, mitigar o choque geopolítico (1800 milhões de euros), reforçar os rendimentos das famílias (475 milhões),
apoiar a recuperação das empresas (2615 milhões), investir na transição climática e digital (1159 milhões) e recuperar os serviços públicos (1600 milhões).

Na consolidação orçamental, o Ministro destacou a importância de ter um défice inferior a 3% do PIB, o que dá um sinal importante aos mercados de dívida, e de retomar os saldos primários positivos, o que permitirá reduzir a dívida pública. A receita crescerá 6% e a despesa crescerá 4,1%, abaixo do crescimento do PIB, apesar do crescimento de 38,1% do investimento público.

Na mitigação do choque geopolítico, referiu que a redução dos impostos sobre os combustíveis compensa mais de metade do aumento dos preços desde outubro.

No reforço dos rendimentos das famílias, sublinhou o desdobramento dos escalões de IRS, que passam de 7 para 9, permitindo «uma redução fiscal para famílias das classes médias e médias baixas», o aumento extraordinário de todas as pensões até 1108 euros, a contar de janeiro, para 1,9 milhões de pensionistas, e a gratuitidade das creches, que será aplicada progressivamente.

Para recuperar as empresas, referiu a recapitalização de empresas afetadas pela pandemia, os incentivos e subsídios à inovação, digitalização, qualificação e descarbonização, e o incentivo fiscal à recuperação através da dedução à coleta de 25% do investimento realizado.

No investimento na transição climática e digital, destacou que o Estado compensará as entidades que façam investimentos do PRR pelo montante do IVA.

Na recuperação dos serviços públicos, apontou o aumento de700 milhões de euros nas transferências para o Serviço Nacional de Saúde e o investimento de 900 milhões de euros na recuperação de aprendizagens escolares afetadas pela pandemia.

O Ministro concluiu afirmando que «o País e a Administração Pública precisam de voltar a funcionar em condições de normalidade» e com contas certas, «que são um instrumento vital para um país inserido na economia e na moeda europeia e com uma elevada dívida pública».

por:GP