Início » Idanha-a-Velha

Idanha-a-Velha

ANAM assinala Dia Internacional da Mulher com debate sobre composição paritária no poder local

Debater a composição paritária nos órgãos municipais e o papel da mulher no poder local, em especial nas Assembleias Municipais, foi o principal objetivo de um debate promovido  pela Associação Nacional de Assembleias Municipais (ANAM), no âmbito do Dia Internacional da Mulher. Este foi um encontro que colocou em discussão a realidade dos Órgãos Municipais e a Composição Paritária, contanto para tal com a participação de Isabel Cruz, Vice-presidente da ANAM, Tânia Ziulkoski, Fundadora do Movimento de Mulheres Municipalistas do Brasil, Clara Marques, Presidente da Assembleia Municipal da Praia, em Cabo Verde e Eva Macedo, investigadora e autora do estudo “A Participação das Mulheres no Poder Local”.

Para Isabel Cruz, Presidente da Assembleia Municipal da Trofa, as questões da paridade nos órgãos municipais têm conhecido, nos últimos tempos, alterações no sentido de tornar efetiva a participação de mulheres ainda que o lugar alcançado por estas seja, muitas vezes, em posições em que não existe um poder efectivo. “Continua a haver falta de igualdade no grau exigência da competência, exigindo-se muito mais a uma mulher para ocupar um cargo de relevo”, acrescenta.

Perante a consciência desta desigualdade são muitos os países que têm vindo a adoptar uma postura mais proativa nas últimas décadas, recorrendo a várias medidas de ação positiva e de participação cívica, em especial nos cargos políticos. Como explica Tânia Ziulkoski “no Brasil a caminhada da mulher na busca por um espaço de atuação na política governamental e partidária é árdua, lenta, sofrida e marcada por descriminação. As mulheres representam 52% do eleitorado, mas governamos apenas com 7% da população. A baixa representatividade feminina na política é um gritante sintoma da desigualdade de género reinante no país”.

Tomando como exemplo a realidade de Cabo Verde, Clara Marques, Presidente da Assembleia Municipal da Praia, considera que “o poder é o factor limitador das mulheres na esfera politica e até económica, uma vez que os detentores desse mesmo poder não estão disposto a abrir mão dele”.

Para Eva Macedo, investigadora e Professora de Direito Constitucional, a constituição de 1976 introduziu a igualdade de género e, na sequência desse desígnio constitucional, é aprovada em 2006 a chamada lei da paridade que vem, a partir dessa altura, estabelecer as chamadas quotas, as quais vêm exigir que nas listas candidatas a determinados órgãos do poder político, houvesse uma representação mínima de 33,3%, de qualquer um dos sexos, uma lei que foi alterada em 2019, elevando esse mínimo de paridade para 40%. Segundo Eva Macedo, importa perceber o que mudou após 17 anos da aprovação destas leis, nomeadamente no que diz respeito à participação política por parte das mulheres, referindo que “a lei da paridade não é aplicável a todos os órgãos do poder nacional, ou seja, é aplicável ao parlamento mas não à eleição do Presidente da República, do primeiro-ministro ou dos membros do governo. A nível local também não é aplicável a todos os órgãos, sendo apenas aplicável aos órgãos colegiais como seja a Câmara Municipal e a Assembleia Municipal. Neste sentido ficam de fora poderes importantes como seja o Presidente da Câmara”.

Sobre a representatividade em órgãos colegiais a ANAM faz contas e revela que, actualmente, avaliando o universo dos 308 Municípios, esta é uma questão que acaba por ser evidente quando avaliados os números de mulheres que se encontram a Presidir as Assembleias Municipais, as quais ascendem a 59 a nível nacional, contando com uma representatividade em todos os distritos. Ainda que o número de Presidentes de Assembleias Municipais seja reduzido, acaba por ser o dobro daquele que representa as mulheres em cargos de Presidentes de Camara que não ultrapassam os 29.

Para Albino Almeida, Presidente da ANAM, a definição de quotas dos partidos e a Lei da Paridade, constituíram um grande passo para a promoção da igualdade de género na política, tendo, sem dúvida, contribuído para aumentar o número de mulheres neste contexto, ainda assim é fundamental que essas mulheres contribuam para a elevação da democracia e fazer o que ainda não foi feito”.

Discussão Pública Plano Ferroviário Nacional – Associação Move Beiras

No seguimento da reunião da passada quinta-feira na Assembleia da República, a Associação Move Beiras avançou, no dia 28 de fevereiro, com a sua participação na discussão pública do Plano Ferroviário Nacional (PFN).

O PFN, na sua versão atual, é um documento pobre em medidas e muito vago nas áreas a atuar em prol da região, no que diz respeito à Linha da Beira Baixa.

Foi submetido um documento-resumo, baseado na apresentação que fizemos aos deputados do PS e PSD na semana passada, e que por sua vez se baseia nos 4 contributos que 3 entidades (Câmara Municipal da Covilhã, Comunidade da Linha da Beira Baixa e Junta de Freguesia do Tortosendo) submeteram na fase de auscultação do PFN.

De ressalvar que nessa fase a Move Beiras ainda não existia, pelo que os pontos que salientámos são obviamente dos autores originais, os quais contactamos previamente, sendo que o nosso objetivo da participação na discussão pública é reforçar a importância de incluir esses pontos de uma ou outra forma na versão final do PFN.

O documento, bem como os contributos originais, foram enviados aos 7 deputados eleitos por Castelo Branco e pela Guarda, ao deputado José Carlos Barbosa, aos secretários de Estado das Infraestruturas, Frederico Francisco, e do Turismo, Nuno Fazenda, e para o email institucional da discussão pública.

Frisámos a necessidade das intervenções na Linha da Beira Baixa não poderem ficar condicionadas por nenhuma construção de vias inseridas no PFN, pois tal como o próprio documento reconhece, o eixo Lisboa – Covilhã não será beneficiado por nenhuma das novas linhas previstas até 2050. É por isso fundamental a adopção duma estratégia que resulte numa Linha da Beira Baixa competitiva, ao serviço da região e que promova a coesão territorial e a descentralização.

Incluímos neste email, em anexo, a apresentação que serviu como base da nossa reunião na AR com os deputados da região e o documento-resumo. No que diz respeito aos contributos, apenas temos conhecimento que um deles (Comunidade da Linha da Beira Baixa) está disponível publicamente, sendo que pode ser consultado aqui: https://pfn.linhadabeirabaixa.com/

Tomada de posição sobre o traçado da linha de alta velocidade ferroviária entre Lisboa e Porto, no troço Carregado – Soure

O traçado da linha de alta velocidade entre Lisboa e Porto, apresentado a 29 de setembro de 2022, no Porto, pelos Exmos. Srs. Primeiro-Ministro e Ministro das Infraestruturas e Habitação, mantém a opção anteriormente selecionada para aquele projeto de alta velocidade, que previa a passagem a poente da Serra d’Aire e Candeeiros.

No novo projeto de alta velocidade prevê-se a aplicação de bitola ibérica, pois esta permite uma interligação com a restante rede ferroviária nacional, contribuindo para a redução de tempos de viagem para outros pontos da rede.

A decisão tomada no início deste século, relativa a um traçado a oeste da Serra d’Aire e Candeeiros, não teve como pressuposto a utilização de bitola ibérica. Com a utilização
desta bitola será possível a integração com as Linhas da Beira Baixa e do Norte, num traçado a nascente da Serra d’Aire e Candeeiros, o que aumentará os impactos positivos
do projeto de alta velocidade.

Nas atuais circunstâncias, a decisão de construir a linha de alta velocidade entre Lisboa e Porto em bitola ibérica, deveria considerar um traçado a nascente da Serra
d’Aire e Candeeiros.

A alteração do traçado da linha Lisboa – Porto para nascente da Serra d’Aire e Candeeiros permitirá gerar poupanças significativas no tempo de viagem para Lisboa, para as
populações das Beiras e Serra da Estrela e da Beira Baixa. Estes benefícios estão em linha com a prioridade apresentada pelo Governo de criar impactos positivos para as regiões do interior do país, com a construção do projeto de alta velocidade entre Lisboa e Porto, e promover a coesão territorial nacional.

Pelo que antes se afirma, as Comunidades Intermunicipais da Beira Baixa e das Beiras e Serra da Estrela solicitam a reavaliação, no mais curto espaço de tempo, do
traçado da linha de alta velocidade no troço Carregado – Soure, considerando-se os impactos de um traçado a nascente da Serra d’Aire e Candeeiros que preveja a integração com as Linhas do Norte e da Beira Baixa.

[aprovada, por unanimidade, nas reuniões dos Conselhos Intermunicipais da CIMBB (03/11) e CIMBSE (08/11/2022)]

Operação “Todos os Santos” 2022 na estrada

A Guarda Nacional Republicana (GNR), no período de 28 de outubro a 1 de novembro, altura em que é celebrado o “Dia de Todos os Santos” , irá intensificar o patrulhamento nas estradas com maior fluxo de tráfego, com o objetivo de combater a criminalidade e reduzir situações que configurem comportamentos de risco, a sinistralidade rodoviária, para além de garantir o apoio a todos os utentes das vias e a segurança e tranquilidade públicas.

Durante todo o período da operação em que se prevê uma grande intensidade de tráfego rodoviário, a GNR, através de militares dos Comandos Territoriais e da Unidade Nacional de Trânsito (UNT), pretende garantir uma ação coordenada de policiamento geral e combate à criminalidade, de patrulhamento e fiscalização rodoviária, e que as deslocações se façam em segurança, contribuindo assim para uma redução dos números da sinistralidade rodoviária.

Desde o início do ano 2022 houve um registo de 61.313 acidentes de viação, um aumento de 13 % face ao ano de 2021. Particularmente, no período da operação “Todos os Santos” de 2019 a 2021, registaram-se 3 252 acidentes de viação dos quais resultaram 19 vítimas mortais, 81 feridos graves e 1030 feridos leves. Os distritos com maior sinistralidade rodoviária registada, neste período, foram o Porto, Faro, Aveiro, Braga, Lisboa, Setúbal e Santarém.

O combate à sinistralidade rodoviária continua a assumir-se como uma prioridade estratégica para a Guarda Nacional Republicana, e nesse sentido, a Guarda apela a que os condutores efetuem uma condução prudente e que adotem os seguintes comportamentos nas estradas:

  1. Cumprir as regras de trânsito, especialmente no que respeita às manobras de ultrapassagem, mudança de direção, inversão do sentido de marcha, cedência de passagem e posição de marcha;
  2. Utilizar corretamente o cinto de segurança e os sistemas de retenção para crianças;
  3. Não utilizar os telemóveis durante o exercício da condução;
  4. Adequar a velocidade ao tipo de estradas e às condições de circulação;
  5. Não ingerir bebidas alcoólicas, nem consumir substâncias psicotrópicas antes ou durante a condução.

“Mangualde Fashion no Largo Dr.Couto

O “Mangualde Fashion” está de regresso ao Município de Mangualde. A 9.ª edição da iniciativa terá lugar no próximo dia 2 de setembro, pelas 21h00, no Largo Dr. Couto. O evento, onde a moda é o mote principal, é promovido pelo Município de Mangualde e conta com o apoio da Associação Empresarial de Mangualde e do Viseu Now. A entrada no evento é gratuita.

 

Trata-se de um desfile de moda que visa promover e dinamizar o comércio e as marcas locais, bem como dar uma oportunidade no mundo da moda aos jovens que sonham enveredar por esse caminho. A edição de 2022 conta com Ricardo Guedes e Cláudia Belo como protagonistas na passarela.

 

O “Mangualde Fashion” envolve vários representantes de lojas de roupa e acessórios, ourivesarias, sapatarias, cabeleireiros, barbearias, óticas, entre outros.  No desfile estarão representadas as marcas Ergovisão, Soft, Xock, Rodeo Company Sportswear e Rodeo Company Kids, Pereirinha Ouriversarias, Vitó Moda Jovem, Carlinha Pronto a Vestir,   Sapataria Fernandos,  Óptica Beira Alta e Óptica Médica das Beiras, Konsenso, Rossio 77, Espelho Mágico Cabeleireiro, Nova Gente Cabeleireiro, Fátima Abrantes Cabeleireiro, RARI Cabeleireiros, Salão Lenita, Barbearia Viegas, Barbearia Cravo e Canela, Sofia Gomes Make Up, Margarida Pinto, Art & Lã, Filipe Coelho Produções Fotográficas, Somnium – Noivas e Cerimónia, Papelaria Adrião, Pacheco Optivisão e Raf &Tom.

Estatuto do cuidador informal em destaque na Reunião da ANAFRE

Vai ter lugar a reunião ordinária mensal e estatutária da ANAFRE esta sexta-feira, em Coimbra
Entre outros assuntos, será discutida a articulação entre o Instituto da Segurança Social e a Associação Nacional de Freguesias no âmbito da implementação do Estatuto do Cuidador Informal, assim como as
propostas de cooperação com a Associação Nacional de Assembleias Municipais (ANAM) e a
Associação dos Trabalhadores da Administração Local (ATAM).
Na agenda consta a seguinte ordem de trabalhos para o Conselho Diretivo:
. Apreciação e votação da Ata n.º 02/CD/2022 de 25/03/2022;
. Apreciação e votação da Ata n.º 03/CD/2022 de 22/04/2022;
. Ratificação do Protocolo de Colaboração ISS | ANAFRE no âmbito da implementação do
Estatuto do Cuidador Informal;
. Apreciação e votação da proposta de Protocolo de Cooperação entre a ANAM e a
ANAFRE;
. Apreciação e votação da proposta de Protocolo de Cooperação entre a ATAM e a
ANAFRE.

 

Castelo Branco um ponto de turismo nas férias de verão

  Castelo Branco, onde o sol brilha mais forte. Longe da confusão e incerteza vivida nos aeroportos, Castelo Branco acolhe todos aqueles que querem celebrar o calor e a diversão da época de verão. As longas filas são substituídas por banhos de sol à beira rio ou piscina. As noites são preenchidas pelo convívio ao ar livre com a família ou amigos. Os dias são bem dispostos a conhecer a terra que fica no centro de tudo. Todos os caminhos passam ou vão dar a Castelo Branco, uma cidade onde se alia a boa
gastronomia à animação, a tranquilidade à segurança, as paisagens aos rios, e a história à cultura.

É fácil gostar de Castelo Branco. A pouco mais de duas horas de carro de Lisboa e Porto, Castelo Branco
está, também, a duas horas de Cáceres, Espanha, um pouco mais de Valladolid e a quatro horas de
Madrid. Com tanto para oferecer, será difícil não se cruzar com Castelo Branco, aquando da pesquisa
por locais para férias em grupo, família, ou casal, e em que o calor seja um dado adquirido. São umas
férias com tudo incluído!
Castelo Branco, é fácil de chegar. Difícil é ir embora! E, vale tanto a pena conhecer Castelo Branco,
mesmo para quem pensa que já viu tudo. Do castelo dos templários ao centro cívico – o local de eleição
para animar o fim-de-dia e noite que fica no coração da cidade, uma praça com vida, que reúne cafés e
esplanadas, espaços verdes e um espelho de água, que servem para amenizar o calor que se sente nas
noites albicastrenses – passando pelas ruas pitorescas marcadas pelos portados quinhentistas, a torre do
relógio, o núcleo de museus – do Museu do Cargaleiro ao Centro de Interpretação do Bordado – a Sé
Concatedral e o Jardim do Paço Episcopal. Há muito por descobrir.
Também apelidado de “oásis refrescante de história natural”, com 310 milhões de anos, o Parque do
Barrocal tem um espaço pensado inteiramente para as famílias, com sete mirantes, diversas formações
geológicas de interesse, passadiços e trilhos naturais, um parque infantil para os mais novos e um
observatório de aves, entre outras atrações naturais. As visitas são gratuitas e com possibilidade de
agendar visita guiada.

A piscina-praia pensada para aquelas famílias para quem férias são sempre sinónimo do bom e velho
“dolce far niente”, que é como quem diz, em bom português, não fazer nada, estar apenas deitado ao
sol, com ocasionais banhos para refrescar. Fácil é habituar-se a umas férias em Castelo Branco, difícil é
Para marcar uma visita guiada ao Parque do Barrocal basta enviar um email antecipadamente para:
barrocal.parque@cm-castelobranco.pt

perceber que o paraíso tem os dias contados. Nem é preciso preocupar-se com as refeições, porque o
local é servido de um belo restaurante com esplanada e diversas opções para refeições. Se, ao final do
dia ficar com vontade de fazer uma leve caminhada, mesmo na zona envolvente à piscina há uma zona
de lazer com largos metros de passeio e uma ciclovia, sem que tenha de sair do centro da cidade, uma
vez que fica ali ao lado do Parque do Barrocal e das piscinas de Castelo Branco.

Fácil é levar a família toda ou os amigos. Difícil é convencer-se que vai ter de voltar para o dia-a-dia dos
dias normais, sem as temperaturas altas a que Castelo Branco o habitua. Se é daquelas pessoas que nas
férias procura estar mais perto da natureza, Castelo Branco oferece duas praias fluviais. A praia fluvial
do Sesmo, no extremo Oeste do concelho, em proximidade à antiga vila condal – Aldeia do Xisto de
Sarzedas, esta praia é rodeada por montes e vales característicos da zona do pinhal interior. Aqui pode
refrescar-se, sem que lhe falte nada, já que o espaço é servido de um bar, instalações sanitárias, rampas
de acesso p/ pessoas com mobilidade reduzida, parque de merendas e ainda um parque infantil. E, a
praia fluvial de Almaceda, conhecida também por “Poço do Lagar”, um espaço que conquista qualquer
um, num abrir e fechar de olhos, já que ao chegar é-se presenteado com uma bela ponte que atravessa
a ribeira desde a zona de chegada até ao relvado, ao campo de futebol, ao bar ou à zona de churrasco.
Com o calor que se faz sentir, fácil é ficar estendido a aproveitar o bom tempo, difícil será resistir a ir a
banhos.
Fácil é pensar que lá fora é que é. Ainda mais fácil é perceber que em Castelo Branco tem tudo… até
duas Aldeias do Xisto – Sarzedas e Martim Branco. Sarzedas distingue-se pelos traços de cor que lhe
marcam as fachadas das casas rebocadas a caminho da Fonte da Vila. Antiga Vila e sede de Concelho, o
seu Pelourinho, o Largo, as Igrejas e Capelas, sobressaem numa malha urbana com casas de belo
traçado e volumes grandiosos, que atestam a presença marcante da História. Já, Martim Branco ficou
ali, ao lado da ribeira, a ver as pessoas a partir, esqueceu-se do mundo. E assim ficou durante muito
tempo, até que, há alguns anos, despertou dessa dormência. Por detrás das casas da última rua, a
ribeira de Almaceda faz cantar as águas e os rouxinóis. Lá fora, o forno comunitário ainda exala o cheiro
do pão acabado de cozer. Os fornos são os elementos mais interessantes em Martim Branco. Basta
provar o pão para perceber porquê.
Fácil e difícil, ao mesmo tempo, é escolher o que comer entre toda a gastronomia, porque toda a gente
sabe que as calorias das férias não contam. Seja o cabrito, borrego assado ou chanfana, uma sopa da
Beira, o azeite, o queijo, o mel e os enchidos, o vinho, uma sobremesa como a tigelada, há um pouco de
tudo para todos os gostos. É fácil gostar de Castelo Branco!

Por:César Nóbrega

Em abril, experiências mil nas Aldeias do Xisto

O mês de abril chegou e com ele traz a Páscoa, a celebração da Liberdade, férias escolares, fins de semana prolongados. Já pensou como pode aproveitar da melhor forma estes dias? Espreite as experiências que temos disponíveis no Bookinxisto e encontre o programa certo para si.

Em abril, experiências mil. É este o mote e a promessa que as Aldeias do Xisto adotam para o mês que agora se inicia. Há fins de semana prolongados, Páscoa, Dia da Liberdade e férias escolares. Os dias já são mais longos e clamam para ser preenchidos com experiências inesquecíveis, como as que estão à sua espera no Bookinxisto.

Se está a pensar numa Páscoa tranquila e envolvida em natureza, as Casas de Campo Aldeia de Camelo, no concelho de Castanheira de Pera, têm uma proposta imperdível: três noites pelo preço de duas. A campanha está em vigor de 14 a 18 e 22 a 25 de abril.

A diversidade gastronómica é um dos elementos que mais diferencia as Aldeias do Xisto. Por isso, o Convento da Sertã Hotel e a Casa Ti’Augusta, localizada na Aldeia do Xisto da Figueira, juntam esforços para lhe dar a conhecer algumas das iguarias mais ricas e tradicionais desta região. Aprenda a fazer a deliciosa e tradicional Tigelada das Beiras em forno a lenha e, enquanto coze, faça uma visita guiada à aldeia. Esta experiência gastronómica inclui alojamento e almoço e está disponível de 22 a 24 de abril e de 29 de abril a 1 de maio.

Ainda no campo gastronómico, pode também aprender a fazer queijo fresco e compotas, a cozer pão em forno a lenha e até mesmo a confecionar a tradicional chanfana.

Se procura explorar e desfrutar da natureza, não faltam opções: há passeios que o levam a conhecer cascatas, ribeiras e fragas, bem como a flora, a fauna e a geologia que caracterizam a envolvente dos rios Zêzere e Ocreza. Estão ainda disponíveis programas completos, com alojamento, para fazer a pé ou de bicicleta, que atravessam o território e, além do património natural, lhe permitem conhecer e vivenciar a cultura tão particular das Aldeias do Xisto.

Para os amantes de artes e trabalhos manuais, temos workshops onde pode aprender a construir uma mini casa de xisto, conhecer as técnicas da talha em madeira, dominar a roda de oleiro ou aprender como fazer figurado em cerâmica.

É adrenalina e aventura que procura? Então, pode optar por percorrer, a pé ou de bicicleta, a Grande Rota do Zêzere ou praticar paintball, canoagem, rapel e tiro com arco junto à barragem de Santa Luzia, em Pampilhosa da Serra.

 

Se, por algum motivo, abril não for a melhor altura para si, saiba que há sempre algo a acontecer e é possível reservar alojamentos e experiências sem marcar data. No Bookinxisto, tem à sua disposição vouchers no valor de 100€, 200€ e 500€ que pode adquirir agora e usar quando lhe for mais conveniente, ao longo de todo o ano.

Por aqui, há sempre muito para ver, ouvir e sentir. Consulte o nosso calendário de animação, explore o Bookinxisto, reserve alojamentos e experiências, faça as malas e venha ter connosco.

Fotos:AX

O Ciclo “12 em Rede – Aldeias em Festa” 2021em Idanha

Sabores e iguarias de Idanha-a-Velha inspiram um dia pleno de emoções na Aldeia Histórica

Sob o mote “Nas Terras do Rei Wamba… Há Pão!”, o Ciclo “12 em Rede – Aldeias em Festa” 2021 promove, no próximo dia 30 de outubro, um dia dedicado à gastronomia da Aldeia Histórica, com muitas surpresas e atividades para todos os gostos e idades.

Reza a lenda que, no lugar que hoje conhecemos como a Aldeia Histórica de Idanha-a-Velha, um humilde lavrador chamado Wamba tornou-se rei dos Visigodos (um dos vários povos que passou por aquele território). Ancorada numa paisagem de montado e olival, naquele tempo e até hoje, o sustento dos homens andou sempre de mão dada com a terra.

A gastronomia é, por isso, um dos grandes atrativos da Aldeia Histórica de Idanha-a-Velha, sendo o mote para o décimo evento do Ciclo “12 em Rede – Aldeias em Festa” 2021 que, durante todo o ano, leva animação e cultura às 12 Aldeias Históricas de Portugal.

Com o tema “Nas Terras do Rei Wamba… Há Pão!”, no próximo dia 30 de outubro, visitantes e habitantes podem participar, por exemplo, em workshops para aprender a fazer pão ou “borrachões” (biscoito típico da Aldeia Histórica de Idanha-a-Velha), visitar a mostra de produtos endógenos, ouvir “Estórias de Pão” (atividade direcionada para o público infanto-juvenil), assistir ao lançamento do Fascículo II de receitas desenvolvidas e confeccionadas nos workshops das edições 2020/2021 do Ciclo de eventos “12 em Rede” ou ao showcooking “Ervas e Aromas” com a chef Maria Caldeira de Sousa.

Como, pelo notável conjunto de ruínas que conserva, a Aldeia Histórica de Idanha-a-Velha é uma das mais importantes estações arqueológicas do país, o evento irá incluir, também, momentos lúdico-educativos sobre o tema. Por exemplo, duas visitas ao atelier “MosaicoLab”, que se irão focar no legado da arte do mosaico pela civilização romana, e que pode ser observado em Idanha-a-Velha, e um percurso orientado pela extraordinária coleção epigráfica da Aldeia Histórica. As visitas atelier “MosaicoLab” repetem-se ainda no dia seguinte, domingo, dia 31 de outubro.

Não faltará também um momento musical, com a acordeonista, cantora e compositora Celina da Piedade, cuja sonoridade folk, inspirada no cancioneiro tradicional alentejano, promete terminar o dia de sábado, em grande, na Aldeia Histórica de Idanha-a-Velha.

Devido à pandemia, a participação no evento será limitada e sujeita a inscrição prévia – mas a festa poderá ser sentida e vivida em todo o mundo, via streaming, no Facebook das Aldeias Históricas de Portugal.

A inscrição, que é gratuita, pode ser feita para a totalidade do evento ou apenas para um momento específico, como um concerto ou uma visita guiada – sendo que o limite de participantes dependerá do espaço e da tipologia de cada atividade. Pode inscrever-se para o evento na Aldeia Histórica de Idanha-a-Velha junto do Gabinete de Turismo da Câmara Municipal de Idanha-a-Nova, de forma presencial ou através do número de telefone 277202900 ou do turismo@cm-idanhanova.pt, ou o Posto de Turismo de Idanha-a-Velha, de forma presencial.

O evento é promovido pela Aldeias Históricas de Portugal – Associação de Desenvolvimento Turístico, numa organização do Município de Idanha-a-Nova, Junta de Freguesia da União de Freguesias de Monsanto e Idanha-a-Velha, Associações e Agentes Económicos locais. Uma iniciativa apoiada pelo Centro 2020, Portugal 2020 e Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional, através do Programa de Valorização Económica de Recursos Endógenos (PROVERE).

Entre nesta festa e viva um dia inesquecível na Aldeia Histórica de Idanha-a-Velha!

Programa do evento e limite de participantes:

30 de outubro
08h – 17h – Vamos ao Forno!
Local: Forno Comunitário
15 pax máx

11h – 12h – Atelier de Borrachões
Local: Forno Comunitário
15 pax máx

10h – 17h – Mostra de Produtos Endógenos
Local: Envolvente da Sé / Lagar de Varas

10h – 12h – Atelier MosaicoLab #1
Local: Largo do Espírito Santo/ Recinto de Festas
10 pax máx

10h – 12h – Estórias de Pão #1
Local: Antiga Casa da Câmara
10 pax máx

10h30 – Receituário Colecionável | Lançamento Fascículo II
Local: Igreja de Sta. Maria /Sé de Idanha-a-Velha
50 pax máx

11h – Visita Orientada| Árvores com História
Início: Porta Norte
12 pax máx

14h – 16h – Visita Atelier MosaicoLab #2
Local: Largo do Espírito Santo/ Recinto de Festas
12 pax máx

14h – 16h – Estórias de Pão #2
Local: Antiga Casa da Câmara
10 pax máx

15h – Showcooking | Ervas e Aromas – entre a História e a Tradição
Local: Palheiros de São Dâmaso
10 pax máx

15h30 – Prova de Bolos de Forno
Local: Forno Comunitário
15 pax máx

16h – Artes de Rua | Rasto – Companhia Erva Daninha
Local: Exterior da Igreja de Sta. Maria /Sé de Idanha-a-Velha

17h15 – Visita Orientada | Valete Vos Viatores
Local: Pavilhão Epigráfico
12 pax máx

21h – Concerto | Celina da Piedade
Local: Igreja de Sta. Maria /Sé de Idanha-a-Velha
Sujeito à lotação do espaço

31 de outubro
Visita Atelier MosaicoLab
Sessão #1 – 10h30
Sessão #2 – 12h30
Local: Largo do Espírito Santo/ Recinto de Festas
12 pax máx

A festa só acaba em novembro!
O Ciclo “12 em rede – Aldeias em Festa” 2021 só termina em novembro! Depois de Idanha-a-Velha, a festa segue para Monsanto, a 6 de novembro.