Templates by BIGtheme NET
Início » Lamego

Lamego

Artigo de opinião- Saúde-O privilégio de envelhecer – as dicas de que todos precisamos

Homens e mulheres não lidam de igual forma com os primeiros sinais de envelhecimento, mas são cada vez mais as pessoas que encaram com naturalidade esta nova fase e desfrutam em pleno de tudo aquilo que ainda têm para viver.

Mais do que nunca, o envelhecimento é encarado como um momento cheio de potencial, em que o bem-estar é essencial para que esta fase possa ser vivida em pleno. Homens e mulheres envelhecem de forma distinta e os desafios que enfrentam neste momento da vida são também diferentes, pelo que saber mais sobre esta fase pode ajudar a vivê-la da melhor forma.

Longe de provocar anseios constantes e de significar o fim de uma vida ativa como acontecia no passado, a menopausa é hoje encarada pelas mulheres como uma etapa natural da vida, com a qual se habituaram a conviver sem receios nem pudores. Conscientes de que esta fase pressupõe algumas alterações fisiológicas, as mulheres mantêm-se atentas aos sinais do corpo e munem-se de estratégias para minimizar os impactos da menopausa. No entanto, encarar a menopausa com naturalidade pode constituir a melhor estratégia de sempre.

A menopausa está associada ao fim do período menstrual da mulher e pode ocorrer repentina ou progressivamente. Em algumas mulheres, a menstruação aparece espaçadamente até desaparecer por completo, noutras chega a aparecer 2 vezes no mesmo mês ou simplesmente desaparece de uma só vez para não mais voltar. Com a menopausa, a função ovárica é suprimida e a produção de estrogénios reduzida, subindo a produção de progesterona. Em todos os casos, o procedimento mais adequado pressupõe a consulta do ginecologista, que analisará o historial clínico da mulher e definirá o melhor caminho a seguir tendo em vista a minimização dos sintomas que a mulher poderá sentir na menopausa. Os afrontamentos são o sintoma mais tradicionalmente associado à menopausa e afetam as mulheres sobretudo nos primeiros anos de diminuição do período menstrual. Além dos afrontamentos, muitas mulheres relatam mudanças bruscas de humor, distúrbios do sono e aumento de peso, entre outros sintomas.

Ler Mais »

Caminho da Geira e dos Arrieiros

O Caminho da Geira e dos Arrieiros “pode alcançar este ano” os três mil peregrinos, no somatório dos
cinco anos que tem de existência, o que significa uma média anual de 600 pessoas a percorrerem este
itinerário jacobeu que liga Braga a Santiago de Compostela.
“Este caminho foi feito por mais de 2.775 peregrinos desde maio de 2017 e pode alcançar agora os três
mil até dezembro”, afirmou o presidente da associação fundadora do projeto (AJCMR) e da Plataforma
Berán no Caminho, Abdón Fernández, durante o 1o Encontro Internacional de Peregrinos do Caminho
da Geira e dos Arrieiros, que decorreu no concelho de Leiró, na Galiza.
Este ano já foi percorrido por 531 peregrinos – no ano passado foram 904 –, considerando apenas os
dados do livro de registo existente em Codeseda. “Basta repetir-se o número de 2021 para se atingirem
os três milhares, e sem considerar os peregrinos que não se registam”, refere Abdón Fernández,
adiantando, no entanto, que “mais do que estes dados, importante é a consciência que se consolida
sobre as potencialidades deste caminho”.
Este foi, aliás, um dos temas centrais do encontro sócio-cultural que decorreu, nos dias 16 e 17 de julho,
no largo do monólito do KM100 do Caminho da Geira e dos Arrieiros, nomeadamente na cerimónia de
“agradecimento” com que a organização distinguiu três portugueses e um galego “pela sua contribuição
e entrega incondicional ao crescimento do projeto do caminho”.
Os distinguidos foram o irmão maior da Arquiconfraria Universal do Apóstolo Santiago, Manuel Rocha; o delegado a Associação Espaço Jacobeus em Braga, António Devesa; o jornalista Carlos Ferreira, e o
secretário geral da associação AJCMR, Dario Angel Rodriguez.
Na cerimónia, Abdón Fernández destacou o facto de Manuel Rocha e António Devesa “estarem
presentes neste caminho desde a primeira hora”. “A humildade de estarem sempre com as pessoas e
trabalhando o caminho é muito importante”, frisou o presidente da Plataforma Berán no Caminho,
também escultor e autor da peça em pedra entregue aos agraciados e que simboliza o Caminho de
Santiago.
O delegado da Associação Espaço Jacobeus em Braga referiu ter-se apercebido, “desde início, que
este seria um caminho difícil, com muitas pedras fictícias, mas quem faz o caminho é o peregrino, não é
a imposição de alguém, podem até fazer autoestradas de setas, mas é o peregrino que faz o caminho”.
O presidente do Conselho Regulador da Denominação de Origem Protegida do Ribeiro e da Associação
Rota do Vinho do Ribeiro, Juan Manuel Gándara, considera que “os caminhos de Santiago são
fundamentais, porque são pontos de chegada de visitantes à região, hoje como ao longo da história”.
“Estes caminhos eram a grandes autoestradas do desenvolvimento em que circulavam os arrieiros com
o vinho do Ribeiro para Santiago de Compostela. Hoje em dia continuam a ser fundamentais, porque se
supõe que os peregrinos que passem pelo território fiquem com um maior conhecimento das nossas
qualidades”, adiantou Juan Manuel Gándara, considerando que o Ribeiro “está a viver uma nova
primavera” e, neste contexto, tem como objetivos “aumentar a sua base territorial e potenciar-se como
destino enoturístico de qualidade durante o ano inteiro”.
O 1o Encontro Internacional de Peregrinos do Caminho da Geira e dos Arrieiros incluiu ainda a bênção
do novo sino da Capela de São Roque, oferecido por um casal recém-chegado a Berán (Fernando e
Lúcia) e uma missa no último dia do evento, além de jogos tradicionais e música ao vivo.
O Caminho da Geira e dos Arrieiros foi apresentado em 2017 em Ribadavia (Galiza) e Braga,
reconhecido pela Igreja em 2019, reconhecido pela associação de municípios transfronteiriços Eixo
Atlântico em 2020 e é um itinerário oficial da Peregrinação Europeia de Jovens do Ano Santo Jacobeu
2021/22.
Este percurso de 240 quilómetros destaca-se por incluir patrimónios únicos no mundo: a Geira Romana,
a via do género mais bem conservada do mundo, e a Reserva da Biosfera Transfronteiriça Gerês-Xurés.
Além disso, o seu traçado é um dos escassos cinco que ligam diretamente à Catedral de Santiago de
Compostela.

Ciclo de “Cinema na Vinha” está de regresso

O Ciclo de “Cinema na Vinha” regressa à Região dos Vinhos Verdes entre 16 de Julho e 19 de Agosto para uma terceira edição em que a Comissão de Viticultura da Região dos Vinhos Verdes (CVRVV) apresenta 11 sessões distribuídas entre a Casa do Vinho Verde, no Porto, e várias quintas de produtores. Em 2022, os filmes escolhidos abordam o poder das imagens e a relação que o cinema, assim como o jornalismo, estabelecem com a noção de verdade e a forma como os meios de comunicação de massa influenciam a forma de interpretar o mundo.

Mais de uma dezena de filmes passa por diferentes locais: no Porto, a Casa do Vinho Verde recebe cinema no jardim, enquanto a Região dos Vinhos Verdes exibe filmes entre vinhas na Quinta da Raza (Celorico de Basto), no Monverde Wine Experience Hotel (Amarante), na Quinta de Santa Cristina (Celorico de Basto), na Adega de Ponte de Lima (Ponte de Lima), na Casa da Tojeira (Cabeceiras de Basto), na Adega Edmun do Val (Valença) e na Quinta de Lourosa (Lousada), desafiando a descobrir que contêm cenas, personagens ou histórias relacionadas com o jornalismo e com a imprensa, evidenciando essa procura pela verdade. Ler Mais »

Estudo: Só uma em cada quatro casas à venda ou para arrendar em Portugal tem ar condicionado

Apesar de estarmos em pleno verão e o país estar a atravessar uma onda de calor, apenas 24% das casas em Portugal têm sistema de ar condicionado, segundo um estudo publicado pelo idealista, o marketplace imobiliário de Portugal. Para obter estes dados, o idealista analisou mais de 300 mil casas à venda e em arrendamento anunciadas na sua base de dados em julho de 2022.

 Faro e Viseu são as cidades que apresentam mais casas com ar condicionado anunciadas para venda e arrendamento (46% em ambas as cidades), seguindo-se na lista Braga (43%), Aveiro (35%), Castelo Branco (31%), Lisboa (27%), Santarém (24%), Leiria (22%), Porto (22%), Ponta Delgada (21%), Funchal (20%), Coimbra (18%) e Beja (16%).

Em sentido contrário encontram-se Portalegre e Bragança, que são as cidades portuguesas com menos casas anunciadas para venda e arrendamento equipadas com A/C (4% em ambas as cidades). Seguem-se Guarda (6%), Évora (9%), Vila Real (10%), Setúbal (12%) e Viana do Castelo (12%).

Há ainda outras cidades portuguesas em que a oferta de casas equipadas com ar condicionado é escassa: Bragança e Portalegre (4% em ambas as cidades), Guarda (6%), Vila Real (10%), Setúbal (12%) e Viana do Castelo (12%).

 Diferenças entre venda e arrendamento

 No parque habitacional português a diferença entre as casas climatizadas à venda e para arrendar é pouco significativa, ganhando vantagem de 1% a venda. Das casas disponíveis para venda, 24% conta com esta comodidade, enquanto as casas que se encontram para arrendar 23% têm ar condicionado.

Há cidades onde a oferta de casas à venda com ar condicionado supera o número de habitações colocadas no mercado de arrendamento com este sistema. Cerca de 12% das casas para arrendar em Viseu dispõem de ar condicionado, já para comprar são 47%. O mesmo acontece em Faro (arrendamento: 27%; venda: 47%), Braga (arrendamento: 27%; venda: 43%), Coimbra (arrendamento: 9%; venda: 19%) e Ponta Delgada (arrendamento: 14%; venda: 21%).

Por outro lado, 34% das casas para arrendar no Funchal dispõem de sistema de climatização, enquanto à venda apenas 19% contam com esse extra. Em Viana do Castelo a situação é idêntica, existem mais casas para arrendar com ar condicionado (25%) do que para comprar (12%). O mesmo acontece em Vila Real (arrendamento: 20%; venda: 9%), Santarém (arrendamento: 29%; venda: 24%), Setúbal (arrendamento: 16%; venda: 12%), Porto (arrendamento: 24%; venda: 22%) e Lisboa (arrendamento: 28%; venda: 27%).

Em Beja, Bragança, Castelo Branco, Évora, Guarda, Leiria e Portalegre, nenhuma das casas que se encontram para arrendar têm ar condicionado.

Por Idealista

 

A 24 cortada por via das filmagens

A Centro Portugal Film Commission em articulação com a Sagesse Productions, vem encarecidamente solicitar a vossa divulgação do seguinte comunicado.
“Vimos por este meio informar que devido às filmagens de um filme da Universal Pictures, no período compreendido entre o dia 11 de julho e dia 13 de julho entre as 06h e as 22h, a autoestrada A24 estará encerrada entre o Nó de Vila Pouca de Aguiar (entrada nº16) e o Nó de Vilarinho de Samardã/Fortunho (entrada nº15) e entre o dia 14 de julho e dia 16 de julho entre as 06h e as 22h, a autoestrada A24 estará encerrada entre o Nó de Carvalhal (entrada nº5) e o Nó de Castro Daire norte (entrada nº7).

Como forma de compensar os utentes, as portagens não serão cobradas nos seguintes troços da A24 ambos sentidos, e nos períodos:

  • das 0h00 do dia 06-07-2022 às 23h59 do dia 21-07-2022 – Sublanço entre Vila Pouca Aguiar e Vilarinho de Samardã (Fortunho), do Nó nº 16 ao Nó nº15;
  • das 0h00 do dia 13-07-2022 às 23h59 do dia 28-07-2022 – Sublanços entre Vila Real (IP4) e Carvalhal, do Nó nº 14 ao Nó nº5.

Pedimos desculpa pelo incómodo.”

José Oliveira novo vice-presidente do Conselho Nacional de Planeamento Civil de Emergência (CNPCE

O Ministro da Administração Interna, José Luís Carneiro, empossou José António Gil Oliveira como vice-presidente do Conselho Nacional de Planeamento Civil de Emergência (CNPCE).

Engenheiro informático de formação, José António Gil Oliveira foi designado pelo Primeiro-Ministro, António Costa, sob proposta conjunta da Ministra da Defesa Nacional, Helena Carreiras, que participou na cerimónia, e do Ministro José Luís Carneiro, com base na sua reconhecida aptidão, competência técnica, experiência profissional e formação académica.

O CNPCE é um órgão de coordenação e apoio ao Governo em matéria de planeamento civil de emergência e com responsabilidades sobre a estratégia de proteção civil preventiva.

Esta nomeação constitui mais um passo na construção do Sistema Nacional de Planeamento Civil de Emergência (SNPCE) – composto pelo CNPCE e pelas comissões de planeamento de emergência – estabelecido em 2020 com o objetivo de garantir a organização e preparação dos setores estratégicos do Estado para enfrentar situações de crise.

Note-se que o Governo definiu, como prioridade estratégica, identificar e proteger as infraestruturas críticas nacionais enquanto elementos nevrálgicos para o regular funcionamento da vida em sociedade, e para a continuidade da ação governativa nas suas diferentes áreas.

O Governo assumiu assim a necessidade de estabelecer um plano anual dirigido à preservação da segurança das infraestruturas críticas do Estado, em articulação com as estruturas homólogas do setor da Defesa Nacional, sob coordenação do Sistema de Segurança Interna e envolvendo o SNPCE.
Implementar o SNPCE nas redes da indústria, energia, transportes e mobilidade, comunicações, agricultura, ambiente, saúde e ciberespaço, assim como nos setores da água e resíduos, agricultura e alimentação, cibersegurança, comunicações, energia, saúde e transportes são outras orientações assumidas pelo Governo.

“De Sol a Sol”para sensibilizar as comunidades

A iniciativa “De Sol a Sol”, em parceria com a Associação Portuguesa de Cancro Cutâneo (APCC), tem como objetivo aumentar o conhecimento sobre os riscos que os trabalhadores que exercem as suas atividades ao ar livre correm e irá estar presente em vários pontos de norte a sul do país, nos meses de julho e agosto.

A sensibilização da população para os riscos do Sol e do Trabalho ao ar livre é importante ao permitir alertar para os riscos da exposição solar excessiva e cumulativa decorrente de atividades profissionais no exterior, bem como informar sobre medidas de prevenção.

O número de casos de cancro da pele está a aumentar a nível mundial e estima-se que em Portugal sejam diagnosticados anualmente mais de 12 mil novos casos, sendo que 11 mil são cancros de pele não melanoma[1].

As profissões que envolvem trabalho ao ar livre (como por ex. agricultura, pesca, construção civil, jardinagem, …)  estão associadas à exposição a doses elevadas de radiação UV durante muitas horas, por vezes nas horas de maior perigo2. Zonas como as orelhas, rosto e antebraços são especialmente afetadas e gestos simples como o uso de chapéu de abas largas e camisolas de manga comprida, aplicação de proteção solar nas partes do corpo expostas ao sol e evitar as horas de maior intensidade dos raios UV poderão ajudar a prevenir um problema oncológico grave e com elevadas consequências físicas e emocionais. Mudando comportamentos simples diários podemos prevenir a ocorrência de número significativo de cancros da pele.3

De acordo com João Maia e Silva, Presidente da APCC, “Queremos alertar para a importância da prevenção e do diagnóstico precoce. É fundamental que as pessoas com profissões onde ocorre uma maior exposição aos raios UV tenham cuidados redobrados em relação à sua pele pois a mesma memoriza as agressões pelo Sol ao longo da vida. O excesso de exposição ao Sol e sobretudo as vermelhidões ou queimaduras solares são fator de risco. Por outro lado, importa também destacar a importância do diagnóstico precoce para o tratamento dos Cancros da Pele, relembrando que a realização do autoexame, e a consulta de um médico dermatologista sempre que existam dúvidas sobre um sinal é importante para uma deteção atempada.”.

A realização do autoexame e a marcação rápida de uma consulta de Dermatologia são determinantes, uma vez que quando diagnosticados precocemente, a maioria dos cancros da pele é curável.

Artigo-Como poupar água e energia na cozinha

A cozinha é um dos espaços da casa que mais consome água e energia. Neste artigo elaborado pela Selectra em parceria com O Magazine Serrano, descubra as melhores dicas para poupar, cuidar do meio ambiente e ainda do seu bolso.

A poluição ambiental é um problema atual que nos preocupa a todos.. No entanto, para melhorar a situação atual (ou pelo menos que não piore) é necessário agir sobre o assunto, e isso pode começar em casa. Desta forma, mostraremos algumas dicas para poupar água e energia na cozinha.

Dados recentes publicados pela Organização Mundial da Saúde (OMS) descrevem que 9 em cada 10 pessoas no mundo respiram ar contaminado. Por outro lado, a UNESCO alertou que, a menos que sejam tomadas medidas, espera-se que até 2030 o mundo tenha que enfrentar um déficit global de água de 40%.

Se cuidarmos do nosso consumo energético, contribuiremos para reduzir a produção de energia necessária e, portanto, a poluição ambiental. O mesmo acontece com a água, um recurso escasso e sem o qual não podemos viver. Reduzir o seu consumo significa proteger o nosso futuro e das próximas gerações.

Poupar água e energia na cozinha

A cozinha é o local onde mais utilizamos água e energia de toda a casa. Por isso, é importante estar atento e modificar os nossos hábitos. Saiba como reduzir os consumos na cozinha, reduzindo a conta da água e da energia.

Conselhos para poupar água na cozinha

A água é um dos recursos mais importantes do nosso planeta e, infelizmente, todos os dias milhares de litros são desperdiçados no mundo inteiro. Se mudarmos alguns hábitos, podemos reduzir o consumo de água em casa.

  1. Lave os legumes e frutas num recipiente

Quantos de nós lavamos as frutas e legumes em água a correr da torneira? De certeza que a maioria. Para poupar água, pode encher uma tigela ou um pequeno alguidar e mergulhar as frutas e vegetais na água e lavá-los. Depois, pode reutilizar essa água para regar as plantas.

  1. Encha o lava-loiça para lavar à mão

Novamente o erro de deixar a torneira aberta enquanto lavamos alguma coisa. O primeiro passo é remover todos os restos para evitar o entupimento lava-loiça. Depois disso, coloque os pratos e louças em ordem: primeiro os copos, xícaras, pratos e talheres e, finalmente, panelas e frigideiras. Ensaboe-os e encha o lava-loiça com água para enxaguar.

  1. Use a lava-louças

Acredite ou não, a máquina de lavar louça usa menos água do que você precisa para lavar a mesma quantidade de pratos e panelas à mão. Se você tem um em casa, use! Claro, ligue-o quando estiver cheio: colocá-lo para funcionar quando estiver meio cheio é um desperdício de água e energia.

  1. Verifique as torneiras

É importante que as torneiras da sua cozinha estejam em bom estado, sem fugas e, sobretudo, que as feche adequadamente após cada utilização. Pense que uma torneira a pingar pode perder mais de 20 litros por dia.

  1. Cozinhe a vapor

Sabia que os vegetais retém melhor os seus valores nutricionais quando são cozidos a vapor? Além disso, você reduzirá seu consumo de água. Experimente cozinhar espinafres, brócolos, abóbora, feijão verde ou cenouras.

  1. Não descongele nada com a torneira aberta

Quando nos esquecemos de descongelar os alimentos a tempo, acabamos por recorrer à água quente da torneira para acelerar o processo. Desta forma, desperdiçamos água potável.

  1. Se ferver legumes, reutilize a água

O caldo que se obtém depois de ferver os legumes é uma base perfeita para preparar sopas, ensopados e até massas. Não o desperdice deitando essa água fora, use-a para dar sabor aos seus pratos.

Conselhos para poupar energia

Poupar água e energia na cozinha é essencial para cuidar dos nossos bolsos e lutar por um mundo mais sustentável. Agora que já ficou com algumas ideias para cuidar do consumo de água, vamos mostrar outras para minimizar o consumo de energia.

É óbvio que mudar hábitos vai ajudar tanto a reduzir consumos como as contas de energia. No entanto, e embora aplique ações para poupar energia, é sempre importante que esteja atento ao preço da luz, já que existem várias empresas no mercado, e por mínimas que sejam, existem diferenças que podem ajudar a poupar ainda mais dinheiro. Por isso, compare preços, analise os vários fornecedores e contrate a energia mais barata. Associar bons hábitos de poupança, a tarifas de luz mais em conta, só lhe dará vantagens.

  1. Compre eletrodomésticos eficientes

Da próxima vez que tiver que comprar um novo aparelho, verifique a classe energética! Aqueles com a classificação A irão ajudá-lo a poupar dinheiro através do baixo consumo de energia, enquanto cuida do meio ambiente.

  1. Regule a temperatura do seu frigorífico de acordo com a época do ano

No inverno, o frigorífico não precisa funcionar em temperaturas tão baixas como no verão, portanto, se regular o termostato, poderá diminuir o consumo de energia. A temperatura deve estar entre 3 e 5 graus: 5 no inverno e 3 no verão. A diferença parece mínima, mas garantimos que notará a diferença.

  1. Coloque no frigorífico os alimentos quando estiverem frios

Evite manter alimentos quentes no frigorífico. Quando coloca um prato quente no frigorífico, vai forçá-lo a trabalhar mais para poder arrefecer a comida, aumentando assim o gasto de energia.

  1.  Verifique a localização do frigorífico

Este deve estar afastado de fontes de calor como o forno e, ao mesmo tempo, deve ter um espaço entre a parede para que o ar possa circular livremente, evitando o sobreaquecimento.

  1. Desligue o forno e a placa vitrocerâmica antes de terminar a cozedura

O forno e a placa vitrocerâmica permanecem quentes durante algum tempo depois de os desligar, pelo que é aconselhável terminar a cozedura com os mesmos desligados.Verá que os alimentos cozinham da mesma forma, mas com menos gasto de energia!

  1. Não abra o forno a meio da cozedura

Abrir o forno ao cozinhar significa perder 20% do calor que o aparelho deve recuperar quando a porta for fechada novamente. Calcule bem os tempos de cozimento e evite o desperdício de energia. Outra ideia? Cozinhe vários pratos ao mesmo tempo para aproveitar o forno pré-aquecido.

  1. Desligue os aparelhos que não usa

 

Pense, por exemplo, na máquina de café em cápsula. Já reparou que se não desligar, consome energia mesmo que não a use? O mesmo vale para o micro-ondas ou muitos outros aparelhos.

Poupar água e energia na cozinha envolve uma série de mudanças de hábitos. Comece a trabalhar e lute por um mundo mais saudável. Seguindo estas dicas, cuidará do seu bolso e do futuro dos seus filhos.

 

Situação de alerta mantém-se e Máscaras deixam de ser usadas em grande parte das situações

Foi aprovado em Conselho de Ministros  a declaração de situação de alerta em todo o território nacional continental e introduziu alterações às normas que vigoram atualmente, entre as quais o uso de máscara, que passa a ser obrigatório, apenas, em duas situações.

Na conferência de imprensa após o Conselho de Ministros, a Ministra da Saúde, Marta Temido, afirmou que as máscaras passam a ser obrigatórias, apenas, em «locais frequentados por pessoas especialmente vulneráveis», designadamente, «estabelecimentos de saúde, estruturas residenciais para idosos, unidades da rede nacional de cuidados continuados e integrados e outras estruturas desta tipologia»; e em «locais caracterizados pela elevada intensidade de utilização, pelo difícil arejamento e pela inexistência de alternativas à sua utilização em momentos de grande frequência, como são os transportes coletivos de passageiros».

A Ministra frisou, contudo, que o levantamento desta obrigatoriedade não invalida a utilização recomendada de máscaras nalgumas situações como quando, por exemplo, exista algum infetado com Covid-19 em casa.

Marta Temido referiu também que o Governo decidiu revogar a obrigatoriedade do formulário de localização de passageiros de voos com destino ou escala em Portugal continental ou de navios-cruzeiro, quando atraquem em Portugal continental.

A Ministra justificou esta medida com «a evolução positiva da pandemia no nosso País» e a «estabilidade do número de internamentos e de mortes», cujo número é considerado normal para esta altura do ano.

fonte:GP

Team RJ69 em grande no CPT 4×4 2022

A passagem do Campeonato Portugal de Trial 4×4 por Oliveira de Frades reforça a aposta do Município nos eventos de aventura e de contacto com a Natureza, aproveitando as potencialidades e cenários únicos da região de Lafões. O evento insere-se numa estratégia de longo prazo desta autarquia que pretende criar um polo nacional de eventos de aventura e descoberta do território. Eventos, que no fundo, projetam o concelho e beneficiam todos os seus agentes económicos. E por isso a 2ª etapa do CPT4x4 foi muito mais do que uma prova de trial. O fim de semana incluiu atividades para os mais novos, como insufláveis e um circuito de prevenção rodoviária, ações de sensibilização para a separação de resíduos e ainda a plantação de 40 árvores no local da prova, com vista à redução da pegada ambiental.

 Team RJ69 segue invicta

Dentro de pista a dupla Rui Rocha e Pedro Campas (Team Rj69) voltou a dominar. Levam já duas vitórias em duas provas… tanto na classe Super Proto como em termos Absolutos. E se em Lordelo muito do sucesso tinha estado no Toyota e atrás do volante, em Oliveira de Frades muito do mérito foi do espírito aguerrido de Pedro Campas, que não se deixou dominar pelas duras subidas do circuito de Oliveira de Frades. São os líderes, isolados, do CPT4x4 2022.

A dupla António Henriques e Miguel Costa (Lucrofusão) bem se esforçou, mas não conseguiu ultrapassar o Toyota. Mas o piloto de Mangualde não deixou de reforçar como o seu navegador correspondeu às expectativas: “o Miguel esteve à altura dele. Esteve no seu melhor”.

A terceira posição, tanto em Absoluto como em Super Proto, foi para Daniel Carapau e Ruben Filipe (G&C Trial TEam XS5), uma das equipas mais inexperientes em competição, que finalmente começa a ganhar ritmo e entendimento com o Proto XS5.

Depois de 2 jornadas Rui Rocha domina a classificação absoluta com 50 pontos, seguido por Daniel Carapau com 29 e António Henriques com 28 pontos. São também os 3 pilotos, na mesma ordem, que lideram a classe Super Proto.

 

Classe Proto muito competitiva

Na classe Proto Luís Bacelo (Oficina Bacelo) voltou a subir ao pódio depois de um longo jejum. A adaptação ao Proto Oficina Bacelo tem levado o seu tempo, mas tudo parece agora no ritmo certo. Em Oliveira de Frades venceu com 1 volta de vantagem e sai desta etapa na liderança da classe.

António Silva e Tiago Santos (Canelas Pneus), campeões em classe desta categoria, continuam sem conseguir vencer em 2022. Depois dos problemas mecânicos em Lordelo, aqui em Oliveira de Frades o navegador Tiago Santos acusou as dificuldades da pista, num dia duríssimos para os homens do guincho..

Depois de uma primeira jornada livre de avarias, em Oliveira de Frades Rui Nunes e Sandro Almeida (Veículo Longo) tiveram muitas adversidades. Ficaram privados do bloqueio à frente, partiram a corda do guincho 3 vezes e ainda romperam o filtro do gasóleo

 

Extreme disputada a  dois

António Moreira e André Neves (Valclima), depois da ausência na primeira jornada, regressaram às vitórias. Foram, inclusive, os recordistas de voltas à pista: 21 voltas em 2 horas 31 minutos e 21 segundos. Uma grande margem para os segundo classificado, Armando Sousa (Transgatão), que se ficou pelas 14 voltas.

 

Promoção muito disputada

Paulo Silva (Team Sequeiros) trocou o Suzuki Samurai por um Jeep e batizou o novo carro com uma vitória em Oliveira de Frades. Com 6 equipas em pista venceu com uma volta de vantagem para o segundo classificado. Sai de Oliveira de Frades na liderança do Campeonato de Promoção.

Carlos Teixeira (RC Automóveis) ficou na segunda posição, com 14 voltas.

A encerrar o pódio Pedro Pereira (Clean TT) com 12 voltas ao circuito.

 

Destaque ainda para as vitórias de Miguel Teixeira (Trepa Team) em FUN e Carlos Martins (Reciclopeças) em UTV.

 

O CPT4x4 está de regresso no fim de semana de 7 e 8 de Maio para mais uma estreia no calendário desportivo. Depois de a prova ter sido cancelada em 2020 devido à pandemia, finalmente Mangualde recebe uma jornada do Campeonato Portugal de Trial 4×4.

Foto:CPT