Templates by BIGtheme NET
Início » Lisboa

Lisboa

Peditório anual da Liga Portuguesa Contra o Cancro de 29 de out./1nov

Inscreva-se como voluntário do Peditório e “jogue em equipa com o melhor do mundo”.

A Liga Portuguesa Contra o Cancro vai levar a efeito de 29 de outubro a 1 de novembro, o peditório anual , face a isso, precisa de voluntários para colaborar. As inscrições estão abertas na sua região

O peditório de rua da Liga Portuguesa Contra o Cancro representa, não só, a principal fonte de financiamento da Instituição mas, sobretudo, o garante da sustentabilidade das atividades que promove no âmbito do apoio ao doente oncológico e cuidadores, promoção da saúde, prevenção do cancro e estímulo à formação e investigação em oncologia.

XX Torneio Internacional de Basquetebol em Cadeira de Rodas

Realiza-se nos dias 09 e 10 de outubro, das 08,15 h às 18,30 e das 08,30 h às 14,00 h, respetivamente, no Pavilhão Municipal Casal Vistoso, situado na R. João da Silva, 20, em Lisboa, o XX Torneio Internacional de Basquetebol em Cadeira de Rodas, em que participam a equipa organizadora- APD-Lisboa, o Campeão Nacional – APD-Braga e mais duas equipas nacionais. Contamos com a participação especial da Equipa do Odivelas BC- SIMECQ.

 É intenção da APD que este Torneio, venha mais uma vez a constituir um acontecimento desportivo e uma forma de sensibilizar a população para as potencialidades do desporto praticado pelas pessoas com deficiência.

 O Torneio contará com a presença de várias entidades oficiais.

Vai avançar a 3ªfase de desconfinamento

Em conferência , o Primeiro Ministro António Costa  referiu que “Estamos agora em condições de avançar para a terceira fase de desconfinamento”, estamos muito perto do ponto em que estávamos em março do ano passado”, ao nível da incidência e R(t). De acordo com o líder do executivo, temos hoje uma taxa de incidência de 140 infeções por 100 mil habitantes e um Rt de 0,81″.

Assim as medidas vão ser mais moderadas a partir de 1 de outubro, aliás, Portugal  passa a estar em Situação de Alerta;
-Abertura de bares e discotecas para pessoas com certificado digital ou teste negativo;
-Fim dos limites de horários;
-Restaurantes sem limite máximo de pessoas por grupo;
-Fim da exigência de certificado digital em restaurantes, estabelecimentos turísticos e alojamento local;
-Fim do limite de lotação no comércio, casamentos e batizados e espetáculos culturais;
-Certificado digital ou teste negativo necessário para viagens marítimas e aéreas, em visitas a lares e estabelecimentos de saúde. O mesmo é verificado para acesso a grandes eventos culturais, desportivos ou corporativos;
-Máscara continua a ser obrigatória em transportes públicos, lares, hospitais, salas de espetáculo e eventos, grandes superfícies e locais interiores de permanência prolongada;
-Máscaras deixam de ser obrigatórias nos recreios das escolas. A DGS irá também atualizar as normas sobre confinamento nos próximos dias;
-A máscara também deixa de ser obrigatória no comércio local;
-Eliminação da testagem em locais de trabalho com mais de 150 trabalhadores;
-Fim da limitação à venda e consumo de álcool;
-Fim da necessidade de certificado ou teste nas aulas de grupo em ginásios.

Fonte:GP

Casas de luxo em Portugal:Lisboa e Faro são distritos mais procurados

Grandes fortunas, um pouco por todo o planeta, têm os olhos postos no mercado imobiliário português, mais especificamente, nas casas de luxo. Mas existem alguns países com especial interesse nas propriedades de luxo do nosso país: os espanhóis (11,7%) são os que mais pesquisas de imóveis deste tipo realizam, seguidos pelos ingleses (11,6%), norte-americanos (9,7%), franceses (9,5%) e alemães (8,9%). Os dados são revelados num estudo realizado pelo idealista, que analisa a procedência internacional das pesquisas de imóveis à venda em Portugal por mais de 1 milhão de euros.

Este interesse internacional por imóveis de luxo em Portugal concentra-se na sua maioria em seis distritos, que acumulam 88,8% das visitas para procura de casas de luxo à venda no país.

Os dados, segmentados por distritos, revelam que Lisboa é a zona preferida dos investidores estrangeiros, visto que 40% das pesquisas internacionais de propriedades de gama alta se concentra neste distrito. Os principais interessados neste produto de luxo são os espanhóis (13,0%), norte-americanos (11,1%), ingleses (10,8%), brasileiros (10,4%) e franceses (7,1%).

No ranking dos seis distritos com mais interesse para os compradores de alto standing surge depois o distrito de Faro, com 28% das pesquisas de luxo realizadas por estrangeiros. As nacionalidades que mais procuram casas de luxo no Algarve são a inglesa (12,9%), holandesa (11,5%), francesa (10,5%), alemã e espanhola (10,0% em ambos os casos).

A terceira posição do ranking vai para Setúbal com 8% das pesquisas. Os países que revelaram mais interesse neste distrito foram a Alemanha (15,1%), Espanha (14,1%), Reino Unido (11,7%), França (10,5%) e Estados Unidos (7,6%).

O distrito do Porto ocupa a quarta posição com 6% das pesquisas de luxo realizadas por estrangeiros. Os espanhóis foram os que mais interesse mostraram com 13,6% das visitas. Seguem-se os brasileiros (12,5%), franceses (11,9%), norte-americanos (11,2%) e ingleses (7,5%).

O quinto lugar vai para a Ilha da Madeira, concentrando 4% das pesquisas de luxo que se realizam em Portugal por parte dos estrangeiros. Os ingleses (21,1%) e os alemães (20,9%) são os mais ativos na procura, seguidos pelos norte-americanos (5,4%), suíços (4,6%) e os franceses com 4,3% das pesquisas.

Por último, no sexto lugar do ranking, surge o distrito de Braga com 2% das pesquisas. A nacionalidade que mais revelou interesse por este distrito foi a francesa (25,7%), seguida pelos brasileiros (12,0%), suíços (10,5%), espanhóis (10,0%) e ingleses (8,3%).

Por:Idealista

GNR inicia campanha do regresso às aulas

A Guarda Nacional Republicana (GNR), para assinalar o regresso às aulas, vai realizar um conjunto de ações de sensibilização dirigidas aos diversos intervenientes no ambiente escolar, desde professores, alunos e encarregados de educação, em todos os estabelecimentos escolares na sua área de responsabilidade, com o objetivo de transmitir conselhos de segurança.

Neste alinhamento, as Secções de Prevenção Criminal e Policiamento Comunitário (SPC) e os militares dos Postos Territoriais irão promover ações de sensibilização no âmbito da segurança na rua, em casa e ainda segurança rodoviária, uma vez que o fluxo de trânsito aumenta devido ao transporte dos alunos para a escola, sendo importante alertar os condutores para a utilização dos cintos de segurança e dos sistemas de retenção para crianças.

A GNR, para além da transmissão de conselhos de segurança aos encarregados de educação, irá ainda divulgar o Programa Escola Segura e dar a conhecer os militares responsáveis pelo programa na respetiva escola, com a distribuição do número de contacto das SPC, contribuindo desse modo para uma maior consciencialização dos encarregados de educação para a importância da segurança escolar dos jovens alunos e para uma melhor preparação das crianças e jovens, para os desafios que irão encontrar no regresso às aulas, aumentando o sentimento de segurança da comunidade escolar.

A GNR tem à sua responsabilidade cerca de 5 mil estabelecimentos de ensino, onde os militares irão promover estas ações e transmitir alguns conselhos de segurança, designadamente:

  • Aos jovens estudantes:
    • No deslocamento de e para a escola circula sempre que possível acompanhado ou em grupo e evita passar em locais isolados ou com pouca luz;
    • Nem sempre o caminho mais perto é o caminho mais seguro;
    • Memoriza no telemóvel o número do Posto da GNR local, num dos números de marcação rápida;
    • Espera pelos teus pais, por algum familiar ou amigo, dentro da escola;
    • Na internet:
      • Escolhe bem os conteúdos que publicas;
      • Palavras-passe: não as deixes acessíveis, não as mostres a amigos, altera-as e usa diferentes para vários serviços;
      • Se te sentires ameaçado na internet, pede ajuda a outra pessoa;
      • Qualquer pessoa pode estar online. Não acredites em tudo o que te dizem ou mostram;
      • Não te isoles. Se te acontecer algo perturbador online, denuncia.
    • Sempre que tiveres um problema, informa os teus pais ou encarregados de educação ou pede ajuda a um professor ou a um auxiliar da escola.

 

  • Aos pais:
    • Acompanhe o desenvolvimento escolar e as suas rotinas do seu filho;
    • Ensine o seu filho a colocar o número do Posto da GNR local, num número de marcação rápida;
    • Sempre que tiver conhecimento ou suspeita de que o seu filho ou colegas estejam a ser vítimas de ameaças, agressões ou outro tipo de crime, informe de imediato a GNR. A nossa ajuda poderá ser decisiva!

Feminino BB-Carlos Sacadura convoca Marta Ferreira e Beatriz Fonseca

A Seleção B Feminina de Portugal, orientada por Carlos Sacadura divulgou, esta quarta-feira, a convocatória para o Estágio de Preparação que vai decorrer de 13 a 17 de setembro.

Destaca-se a presença da egitaniense Beatriz Fonseca e a jovem com raízes fornenses Marta Ferreira.

A comitiva concentra-se na segunda-feira, prevendo-se a realização de seis treinos.

Eis lista das convocadas:

Amora FC – Ana Rita Oliveira; Nicole Nunes
Apollon Ladies – Beatriz Fonseca
FC Famalicão – Daniela Silva; Mariana Campino
FF Yzeure Allier Auvergne – Clara Moreira; Léa Cassagne Ler Mais »

Confrade da Urtiga Fernanda Botelho lança livro “Ervas que se comem – silvestres e saborosas”

Vai acontecer em Lisboa, no auditório nascente da Feira do Livro, a apresentação do livro “Ervas que se comem – silvestres e saborosas”, neste sábado, dia 11 de setembro.

A autora tem assim ligações a Fornos de Algodres, uma vez que é confrade da Confraria da Urtiga e participante assídua nas diversas atividades da Confraria com sede no concelho de Fornos de Algodres .

Prolongamento da Declaração da Situação de Alerta contra incêndios

Face à previsão de continuação das condições meteorológicas que se traduzem num significativo risco de incêndio rural, os Ministros da Defesa Nacional, da Administração Interna, do Ambiente e da Ação Climática e da Agricultura determinaram esta quarta-feira o prolongamento da Declaração da Situação de Alerta em 14 distritos do Continente.

Esta Declaração da Situação de Alerta abrange o período compreendido entre as 00h00 e as 23h59 do dia 19 de agosto, prolongando a Declaração da Situação de Alerta que fora determinada para o período entre as 00h00 de 17 de agosto e as 23h59 de hoje, 18 de agosto.

Os distritos abrangidos são: Beja, Bragança, Castelo Branco, Coimbra, Évora, Faro, Guarda, Leiria, Lisboa, Portalegre, Santarém, Setúbal, Vila Real e Viseu.

No âmbito da Declaração da Situação de Alerta, prevista na Lei de Bases de Proteção Civil e que decorre da necessidade de adotar medidas preventivas e especiais de reação face ao risco de incêndio previsto pelo IPMA em muitos concelhos do continente nos próximos dias, serão implementadas as seguintes medidas de caráter excecional:

1) Proibição do acesso, circulação e permanência no interior dos espaços florestais previamente definidos nos Planos Municipais de Defesa da Floresta Contra Incêndios, bem como nos caminhos florestais, caminhos rurais e outras vias que os atravessem;

2) Proibição da realização de queimadas e queimas de sobrantes de exploração;

3) Proibição de realização de trabalhos nos espaços florestais com recurso a qualquer tipo de maquinaria, com exceção dos associados a situações de combate a incêndios rurais;

4) Proibição de realização de trabalhos nos demais espaços rurais com recurso a motorroçadoras de lâminas ou discos metálicos, corta-matos, destroçadores e máquinas com lâminas ou pá frontal.

5) Proibição total da utilização de fogo-de-artifício ou outros artefactos pirotécnicos, independentemente da sua forma de combustão, bem como a suspensão das autorizações que tenham sido emitidas nos distritos onde tenha sido declarado o Estado de Alerta Especial de Nível Laranja pela ANEPC.

A proibição não abrange:

1) Os trabalhos associados à alimentação e abeberamento de animais, ao tratamento fitossanitário ou de fertilização, regas, podas, colheita e transporte de culturas agrícolas, desde que as mesmas sejam de carácter essencial e inadiável e se desenvolvam em zonas de regadio ou desprovidas de florestas, matas ou materiais inflamáveis, e das quais não decorra perigo de ignição;

2) A extração de cortiça por métodos manuais e a extração (cresta) de mel, desde que realizada sem recurso a métodos de fumigação obtidos por material incandescente ou gerador de temperatura;

3) Os trabalhos de construção civil, desde que inadiáveis e que sejam adotadas as adequadas medidas de mitigação de risco de incêndio rural.

A Declaração da Situação de Alerta implica, entre outros aspetos:

A) A elevação do grau de prontidão e resposta operacional por parte da Guarda Nacional Republicana (GNR) e da Polícia de Segurança Pública (PSP), com reforço de meios para operações de vigilância, fiscalização, patrulhamentos dissuasores de comportamentos e de apoio geral às operações de proteção e socorro que possam vir a ser desencadeadas, considerando-se para o efeito autorizada a interrupção da licença de férias e a suspensão de folgas e períodos de descanso;

B) O aumento do grau de prontidão e mobilização de equipas de emergência médica, saúde pública e apoio psicossocial, pelas entidades competentes das áreas da saúde e da segurança social, através da respetiva tutela;

C) A mobilização em permanência das equipas de Sapadores Florestais;

D) A mobilização em permanência do Corpo Nacional de Agentes Florestais e dos Vigilantes da Natureza que integram o dispositivo de prevenção e combate a incêndios, pelo Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, I. P., através da respetiva tutela;

E) A realização pela GNR de ações de patrulhamento (vigilância) e fiscalização aérea através de meios das Forças Armadas, nos distritos em estado de alerta especial do SIOPS, para o DECIR, incidindo nos locais sinalizados com um risco de incêndio muito elevado e máximo;

F) A dispensa de serviço ou a justificação das faltas dos trabalhadores, do setor público ou privado, que desempenhem cumulativamente as funções de bombeiro voluntário, salvo aqueles que desempenhem funções em serviço público de prestação de cuidados de saúde em situações de emergência, nomeadamente técnicos de emergência pré-hospitalar e enfermeiros do Instituto Nacional de Emergência Médica, I. P., nas forças de segurança e na ANEPC.

A par da emissão de avisos à população pela Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil sobre o perigo de incêndio rural, as Forças Armadas – através do Ministério da Defesa Nacional – devem disponibilizar os meios aéreos para, em caso de necessidade, estarem operacionais nos locais a determinar pela ANEPC.

Séculos depois, a neve da Serra da Estrela voltou a chegar a Lisboa

Ao sexto dia do mês de agosto do ano da graça de 2021, o Clube Escape Livre, a Marinha do Tejo e a Toyota, cumpriram a secular tradição de “Dar Neve a Lisboa”, para que, nos antigos armazéns de gelo do Martinho da Arcada, se voltasse a tomar neve da Serra da Estrela e sorvetes como antigamente.

Pouco passava das oito horas da manhã da passada quinta-feira, quando o grupo de aventureiros e jornalistas deixou o Vila Galé Serra da Estrela, em Manteigas, e subiu até antigos neveiros do Covão da Ametade, na Serra da Estrela, a bordo de duas Toyota Hilux 4×4 para se encontrar com o Neveiro-Mor, Pedro Fernandes Castello Branco, e os seus ajudantes, ali caracterizados pelo grupo de teatro Hereditas.

Assinado o contrato de transporte de neve, como outrora se fazia, tempo de carregar “as carroças” com alguns quilos de gelo prensado envolto em serapilheira, e seguir caminho rumo ao destino final, o Terreiro do Paço, em Lisboa. Pela frente, estavam trilhos fora-de-estrada para descer a Serra e as antigas estradas-reais que desciam até ao rio.

Como havia explicado na noite anterior em Manteigas o Prof. Carvalho Rodrigues, esta tradição secular de transportar neve da Serra até Lisboa começou em 1619, há mais de 400 anos, quando o Rei de Portugal fazia chegar à corte neve fresca da Serra da Estrela, entre os meses de maio e setembro, para que a corte pudesse tomar bebidas frescas e fazer sorvetes. Anos mais tarde, o excedente de neve da corte era distribuído pelos comerciantes do Terreiro do Paço, como o antigo Martinho das Neves, hoje Martinho da Arcada, para que o vendessem à população.

A expedição que partiu da Serra da Estrela, passou ainda por Constância, onde almoçou perto do sítio onde o Zêzere se funde com o Tejo, onde era muitas vezes feito o embarque da neve nos barcos com destino a Lisboa.

Paulo Andrade, Presidente da Marinha do Tejo, aproveitou a ocasião para referir que num levantamento feito em 1820, existiriam 3600 embarcações entre a foz do Tejo e Vila Velha de Rodão, que asseguravam todo o transporte de pessoas e bens, como a neve, até ao aparecimento da ponte 25 de Abril.

A paragem seguinte fez-se na Casa Cadaval, onde a expedição foi recebida pela Condessa Teresa Schönborn, Marquesa de Cadaval, e já com a Prof. Ana Abrunhosa, Ministra da Coesão Territorial, que se havia juntado à caravana na população de Raposa, ao volante de uma das carrinhas que transportavam a neve.

Ana Abrunhosa, aproveitou o momento para referir que “a valorização da nossa história permite construir futuro. A estruturação de novas ofertas turísticas une os diferentes territórios, tanto por estradas de terra batida, estradas de asfalto ou estradas do mar. Preservando a nossa história e a tradição, construímos também modernidade e futuro.”

Antes de um merecido descanso no Resort Praia do Sal, em Alcochete, a caravana jantou no Clube Náutico Moitense, na companhia do Vice-Presidente da Câmara da Moita, antecipando o embarque naquele cais no dia seguinte.

A neve embarcou no varino “O Boa Viagem”, da Câmara Municipal da Moita e da Marinha do Tejo, pelas 12h de sexta-feira com destino ao Cais das Colunas, em Lisboa. Durante a viagem, o mestre fragateiro João Gregório e o Eng. Paulo Andrade, Presidente da Marinha do Tejo que acompanhou toda a expedição, falaram da história destes barcos e da sua importância ao longo da história náutica portuguesa.

Ao longe, já se avistava Lisboa, e na margem do Terreiro do Paço, já esperavam a neve os bombos e fanfarras dos arautos do reino. Foi assim, num desfile escoltado pela Polícia Municipal de Lisboa do Cais da Colunas até às arcadas do Terreiro Paço, que seguiu a neve até ao Martinho da Arcada, onde foi recebida por António Marcos Sousa, atual proprietário.

A neve que viajou da Serra da Estrela até Lisboa, foi entregue, simbolicamente, aos diversos representantes do poder local, de hoje e de antigamente. Primeiro à Prof. Ana Abrunhosa, Ministra da Coesão Territorial, em plena Praça do Comércio, depois ao Vereador Miguel Gaspar, do átrio da Câmara Municipal de Lisboa, e, como há séculos se fazia, à Casa Real Portuguesa, na pessoa do Duque de Bragança, o Senhor Dom Duarte, que fez questão de vir “tomar neve” com todos os aventureiros ao Martinho da Arcada.

Luís Celínio, Presidente do Clube Escape Livre, comentou que “foi um prazer dar vida a esta ideia do Prof. Carvalho Rodrigues, aplicando todo o conhecimento de expedições fora de estrada do Escape Livre, juntando a modernidade dos veículos 4×4 Toyota com a tradição dos barcos da Marinha do Tejo.”

O sucesso desta recriação histórica promete voltar a repetir-se no futuro, e a neve da Serra da Estrela promete continuar a refrescar a capital, pela mão do Clube Escape Livre e da Marinha do Tejo, mesmo nos meses mais quentes do ano.