Templates by BIGtheme NET
Início » Mangualde

Mangualde

Mangualde-Jovens voluntários vão estar no Posto de Vigia na Torre da Igreja da Nossa Senhora Castelo

Sob o lema “A prevenção cabe a cada um de nós! Estás disposto a fazer a vigilância do teu futuro?”, o Município de Mangualde promove, uma vez mais, o Programa Voluntariado Jovem para a Natureza e Florestas para o Posto de Vigia na Torre da Igreja da Nossa Senhora Castelo, que decorrerá de 2 de agosto a 1 de setembro.

O período de inscrições para jovens voluntários no âmbito do Programa Voluntariado Jovem para a Natureza e Florestas para o Posto de Vigia na Torre da Igreja da Nossa Senhora Castelo, decorrerá até dia 31 de julho.

INSCRIÇÕES

Quem pretender participar nestas atividades de voluntariado deverá registar-se na plataforma do Instituto Português do Desporto e dos Jovens: https://programasjuventude.ipdj.gov.pt/. Ao fazer este registo deverá preencher os dados de perfil. Após completar os dois passos, deverá fazer o login, verificar na área pessoal quais os projetos disponíveis e realizar a inscrição.

A Linha da Juventude (800 203 050) ou os Serviços do Gabinete Técnico florestal (232 619 895) estão disponíveis para esclarecer as dúvidas que possam surgir.

As ações de vigilância de espaços rurais têm cada vez mais importância na efetiva redução do número de ocorrências de incêndios florestais. Desta forma, estes projetos visam assegurar a deteção imediata de um foco de ignição, a sua localização e a rápida comunicação da ocorrência às entidades responsáveis pela primeira intervenção.

Turismo Centro de Portugal homenageou Jorge Coelho e outras personalidades

A Turismo Centro de Portugal homenageou recentemente várias personalidades que se destacaram em benefício da atividade turística, numa cerimónia emotiva em que se recordaram pessoas que desapareceram recentemente. A ocasião serviu também para entregar os prémios anuais da Turismo Centro de Portugal.

No início da cerimónia, que decorreu na Quinta das Lágrimas, em Coimbra, o presidente da Câmara Municipal de Coimbra, Manuel Machado, dedicou algumas palavras de otimismo para o retomar da atividade turística, que diz já se sentir nas ruas da sua cidade. “Importa não perder a esperança e confiar na Ciência, acreditando que melhores dias virão e que o Turismo voltará a gerar riqueza nos nossos territórios. Apesar das dificuldades e das restrições, os setores da hotelaria, da restauração e do comércio têm conseguido resistir. Merecem, por isso, o nosso público agradecimento e reconhecimento”, frisou.

Pedro Machado, presidente da Turismo Centro de Portugal, destacou o facto de que as distinções ontem atribuídas “não são apenas prémios de reconhecimento e de mérito”. “O que aqui celebramos é a marca Centro de Portugal. Uma marca com um percurso notável nos últimos anos, que foi capaz de ganhar o seu próprio posicionamento no contexto nacional e internacional, num percurso que nos honra e orgulha a todos”, considerou.

Anualmente, reconhecemos aqueles que se destacaram do ponto de vista do empreendedorismo e académico. Hoje, quisemos também homenagear personalidades que de alguma forma emprestam a sua notoriedade à marca Centro de Portugal. E quisemos também homenagear a memória associada ao arrojo, à coragem e ao trabalho das personalidades que homenageamos a título póstumo. Foram personalidades inesquecíveis e continuamos a contar com o legado que nos deixaram”, acrescentou Pedro Machado.

Igualmente presente na cerimónia, a Secretária de Estado do Turismo, Rita Marques, deixou uma mensagem de ânimo e conforto para todos os presentes. “Celebrámos pouco no ano passado, celebramos ainda muito pouco este ano e precisamos de celebrar mais. O Turismo é um setor de afetos, um setor de pessoas para pessoas.  Deixo uma palavra de ânimo para quem hoje vê o seu trabalho ser reconhecido e para todos nós, que temos de dar o nosso melhor para sairmos destes tempos difíceis”, sublinhou a governante.

Uma homenagem aos que já partiram…

A entrega de prémios começou com um momento particularmente tocante quando, na presença dos familiares, foram homenageadas personalidades que já não estão entre nós e que muito fizeram pela região Centro de Portugal. Foram elas Jorge Coelho (político, gestor e empresário), Carlos Bernardes (presidente da Câmara Municipal de Torres Vedras), João Ataíde das Neves (deputado, secretário de Estado e presidente da Câmara Municipal da Figueira da Foz) e António Almeida Henriques (secretário de Estado e presidente da Câmara Municipal de Viseu).

… uma homenagem aos que dão o seu melhor pela região

Foram igualmente distinguidas pessoas e instituições que levam mais longe a marca Centro de Portugal a nível turístico. Este ano, os prémios foram atribuídos à Federação Portuguesa das Confrarias Gastronómicas, na figura da sua presidente, Olga Cavaleiro; à Associação da Rota da Bairrada, com Jorge Sampaio a receber a distinção; ao chef Diogo Rocha, do restaurante premiado Mesa de Lemos; e ao músico, compositor e intérprete José Cid, que celebra 60 anos de carreira e que presenteou a audiência com a interpretação de dois temas, ao piano.

… e aos empreendedores e académicos

Finalmente, foram entregues os prémios anuais da Turismo Centro de Portugal: o Prémio José Manuel Alves – Concurso de Empreendedorismo Turístico e o Concurso de Teses Académicas, que premeia as melhores teses de doutoramento e mestrado no âmbito do Turismo.

O júri final da 6.ª edição dos Prémios José Manuel Alves agraciou três candidatos. O projeto “Contigo, Há Descoberta”, de Maria José Fonseca, presidente da ASTA – Associação Sócio Terapêutica de Almeida, foi o grande vencedor. Esta é uma iniciativa desenvolvida na Aldeia Histórica de Almeida, em que pessoas com deficiência trabalham ativamente num projeto de turismo social e de natureza.

Na segunda posição ficou o projeto “Escape Out”, de Hélder Duarte, que  leva para o exterior o conceito de “Escape Rooms”, fomentando os passeios e caminhadas pelas cidades e dando a conhecer as zonas históricas dos espaços urbanos apenas com o telemóvel e em família ou com o grupo de amigos.

O terceiro lugar foi para o projeto “GUIA – Guia de Utilização Interativa Aplicado ao Turístico do Estrela Geopark”, da Associação Geopark Estrela. Este projeto visa uniformizar a informação da oferta turística de todo o território do Estrela Geopark numa só plataforma, permitindo aos visitantes a construção de itinerários de acordo com os seus interesses.

O júri do 5.º Concurso de Teses Académicas premiou, como autora da melhor Tese de Mestrado, Ana Martins Maia, com a tese “Fatores Críticos de Sucesso em Estabelecimentos Hoteleiros: o Caso das Pestana Pousadas de Portugal”. A melhor Tese de Doutoramento foi para “Sistemas de Gestão de Destinos Turísticos: Contribuições para a sua Adoção e Implementação”, da autoria de João Pedro Estêvão.

AF Viseu- GD Mangualde inicia trabalho a 16 de agosto

O Grupo Desportivo de Mangualde vai formando o seu plantel que vai ser orientado por João Bento, onde para já tem alguns reforços: Diogo Matos, Francisco Milheiro, Marylson e outros já renovaram casos  de Rafinha, Cláudio Duarte, Tiago Gomes, Pedro Amaral , Sarmento entre outros.

A Juvan continua a ser a marca dos equipamento do clube.

Por sua vez  a apresentação e início dos trabalhos está marcada para dia 16 de agosto no Municipla de Mangualde. depois tem já traçado um mapa de jogos de preparação:

22 agosto – Ol. Frades X GD Mangualde

28 agosto – GD Mangualde X Ol. Frades

29 agosto – GD Mangualde X Sampedrense

04 setembro – GD M X Vouzelenses

05 setembro – GD Mangualde X Carvalhais

11 setembro – Vouzelenses X GD Mangualde

12 setembro – Sampedrense X GD Mangualde

Depois recorde-se que o novo campeonato da Divisão de honra onde o clube está inserido numa das series, arranca a 19 setembro  com a  1ª Jornada , cujo sorteio será em breve.

As ruas de Nelas, Mangualde, Gouveia e Fornos de Algodres coloridas pela comunidade


Em Fornos de Algodres a 1ªfase está executada,  mas Nelas, Mangualde e Gouveia vão ter as ruas coloridas, com o tema” Paredes do Alto Mondego vão contar a história e homenagear as gentes da terra”.

Cores e linhas vão preencher as paredes e contar a história e as estórias dos que por cá vivem e dos que por cá passam. Trata-se de uma iniciativa do Alto Mondego’ Rede Cultural que desafiou o artista urbano Desy a criar 4 murais, um em cada município. Mas há mais. A comunidade também vai ser chamada a pegar no spray e a pintar a sua terra e criar o seu próprio mural.
4 murais, 4 histórias para contar, 4 puzzles que se juntam numa única narrativa: o Alto Mondego e aquilo que une e diferencia estes 4 Municípios. Em Fornos de Algodres o trabalho já está concluído e a homenagem é ao fadista António Menano, natural do concelho. Os outros murais vão ser pintados muito em breve. Em Gouveia será pintada a ligação à serra e, os pastores serão os grandes protagonistas; já em Mangualde a personalidade escolhida é Ana de Castro Osório, escritora e ativista feminista.
Procuramos homenagear personalidades locais ligadas à cultura e aos territórios. Cada mural tem uma leitura individual, mas todos têm uma ligação comum”, explica Desy que não tem dúvidas: Este projeto de arte urbana é um instrumento muito importante “para embelezar e enriquecer os Municípios”.
Comunidade vai pegar no spray e  pintar a sua terra
Dos 8 aos 80, a comunidade vai ser desafiada a colorir a sua terra. Nos meses de agosto e setembro serão promovidas sessões de capacitação em todos os Municípios. “As pessoas vão ficar a perceber como funciona a arte urbana, quais as técnicas, qual a história e o porquê desta ser uma das artes deste século”, adianta Desy. Da teoria à prática o projeto culmina com a criação de mais 4 murais. Os participantes poderão testar os seus conhecimentos e dar o seu contributo para embelezar os seus territórios.
“O envolvimento da comunidade é para mim a grande mais-valia destes projetos. As pessoas vão poder criar algo que é para o Município delas, mas é também delas. Os murais vão valorizar o Município, mas também vão valorizar as pessoas, muitas delas podem até perceber que é este o futuro que querem seguir e que é possível seguir este futuro”, sublinha.
As primeiras capacitações decorrem em Fornos de Algodres, de 2 a 4 de agosto, depois serão em Gouveia de 12 a 14 de agosto. Mangualde é o terceiro Município a acolher a iniciativa. As sessões decorrem entre 23 e 25 de agosto. A ação termina em Nelas com as capacitações de Arte Urbana a decorrerem de 6 a 8 de setembro.
As inscrições são gratuitas e já estão abertas.
O projeto “Alto Mondego Rede Cultural” junta os municípios de Nelas, Mangualde, Fornos de Algodres e Gouveia e é cofinanciado pelo Centro 2020, Portugal 2020 e União Europeia, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.

José dos Santos Pinto foi homenageado em Mangualde

O músico José dos Santos Pinto foi homenageado durante a tertúlia-concerto comentado que teve lugar na Igreja Matriz de Lobelhe do Mato, pelo Município de Mangualde, com a presença do Presidente da Câmara Municipal, Elísio Oliveira, e do Vereador da Cultura, João Lopes.

Cumprindo todas as regras de segurança emanadas pela Direção Geral da Saúde – DGS, cerca de 25 pessoas marcaram presença na iniciativa e assistiram à tertúlia–concerto moderada por Ana Margarida Cardoso.O momento cultural contou ainda com a presença do oboísta Luís Francisco Vieira, antigo aluno de Santos Pinto, que partilhou com o público algumas das memórias com o músico.

Tiago Coimbra no oboé e Joana Moreira no piano, protagonizaram o momento musical composto pelo seguinte repertório: José S. Pinto – Sonate dans l’Spirit Classique, para oboé e piano; Tomás Borba – Rosas Bravas: Melodia do Pastor (para oboé); Marcello/Bach – Adagio em Ré menor; José S. Pinto – Segunda Sonata, para oboé e piano.

A ação aconteceu no âmbito do projeto Reviver José Santos Pinto, cujo intuito é recordar o trabalho do músico e homenageá-lo. Constava ainda na programação deste projeto um Concerto Sinfónico com a Orquestra Poema, mas que acabou por ser cancelado.

PROJETO REVIVER SANTOS PINTO

O projeto Reviver Santos Pinto é da autoria de Ana Margarida Cardoso, que escreveu o livro “José dos Santos Pinto: retrato de um músico profissional durante o Estado Novo”, e do oboísta Tiago Coimbra. Através desta parceria pretendem recuperar duas sonatas para oboé compostas pelo próprio José dos Santos Pinto, apresentando-as ao público com o oboé que o músico utilizou durante toda a sua carreira. Este instrumento faz parte do espólio constante na Sociedade Filarmónica Lobelhense, foi restaurado e é único no mundo, uma vez que a sua dedilhação foi patenteada pelo músico.

“VOLTAS DA LUA animam Mangualde de 17 a 19 de julho

As noite de Mangualde vão ficar mais animadas no fim de semana de 17 a 19 de julho, numa iniciativa do Município de Mangualde, com animação e cultura ao luar, com o evento “VOLTAS DA LUA”: um conjunto de espetáculos intimistas, que terão  no jardim da Biblioteca Municipal Dr. Alexandre Alves.O evento terá início no dia 17 de julho, com o concerto de Fátima Fonseca. Já o segundo dia, 18 de julho, contará com o espetáculo “Mentira a Quanto Obrigas”, do Teatro de Montemuro.

UZHOMS vão animar a última noite do evento, 19 de julho. Os espetáculos começam todos os dias pelas 21h30. O evento poderá ser acompanhado em direto na página do Facebook do Município de Mangualde ou no YouTube da Biblioteca Municipal.

A lotação é limitada e os lugares são marcados, de forma a respeitar as normas emanadas pela DGS. A entrada é gratuita, mas com aquisição obrigatória de bilhetes na Biblioteca Municipal e/ou na Papelaria Adrião.

 FÁTIMA FONSECA

Fátima Fonseca é uma cantora e compositora luso-brasileira natural de São Paulo, Brasil, mas com raízes de Portugal, nomeadamente de Sátão, Viseu. A inspiração musical foi a sua mãe, à qual muitos chamavam de Amália Rodrigues, pelo fantástico talento, tal como a fadista portuguesa.

Dos seus trabalhos destacam-se o fado canção Rio de Moinhos, uma homenagem a todos os imigrantes portugueses.

A cantora e compositora tem realizado espetáculos na Europa e no Brasil. Hoje, reúne uma variedade de ritmos musicais: do seu repertório destaca-se o Fado e a Bossa Nova, mas também o Samba, o Jazz e o Blues, são êxitos de Fátima Fonseca.

Em abril de 2018 foi selecionada para o prémio internacional da música portuguesa IPMA Award 2018, na categoria World Music, nos Estados Unidos, com a música “A Bossa e o Fado”, mas foi com a “Samba Português” que foi galardoada, no IPMA Award 2020, na categoria World Music.

Em 2020, em conjunto com David Pasqua, iniciou o projeto musical BRASIL E PORTUGAL – UM SÓ CORAÇÃO, através do qual tem realizado lives com cantores portugueses e brasileiros, com o apoio de rádios e casas portuguesas.

“O TEU CHAMEGO FAZ BEM” é o seu mais recente single, que conta com a participação do cantor português Paulo Paradela.

“MENTIRA A QUANTO OBRIGAS”, DO TEATRO DE MONTEMURO

“Mentira a Quanto Obrigas” é um espetáculo de rua do Teatro do Montemuro, integrado na Rede Cultural da CIM Viseu Dão Lafões.

SINOPSE:

Dois irmãos vivem na casa de seu pai. Já quarentões, os dois irmãos estão com dificuldades financeiras. Decidem alugar parte da sua imensa casa. O pai ainda vivo, conservador e rígido, não vê com bons olhos a partilha de sua casa com estranhos. Muito menos com mulheres. “É que nem pensar no assunto!!!!” Os irmãos matreiros, convencidos de uma sabedoria única optam em segredo seguir em frente com o aluguer e convencem -se que fizeram um excelente negócio, que tudo corre às mil maravilhas. Claramente esqueceram-se do velho ditado, “apanha-se mais depressa um mentiroso que um coxo”. Uma história cómica, frenética, mas também pautada por momentos de afeto.

 Equipa Artística e Técnica

Texto de José Carretas

Encenação de Paulo Duarte

Direção Musical de Ana Bento

Cenografia e Adereços de Ana Limpinho

Construção dos Cenários Carlos Cal

Assistência à construção de cenários e Adereços Maria Da Conceição Almeida

Costureiras Capuchinhas CRL e Maria do Carmo Félix

Interpretação de Abel Duarte, Carlos Adolfo, Eduardo Correia, Maria Teresa Barbosa, Paulo Duarte e Sandra Barreto

Operação Técnica de Carlos Cal

Direção de Produção e Comunicação Paula Teixeira

Assistência à Produção e comunicação Marta de Baptista

Direção de Cena Abel Duarte

UZHOMS

Uma banda açoriana que une o rock ao humor. A banda nasceu em 2018, com o objetivo de participar no concurso Angra Sound Bay.

«Dois mil e dezoito anos depois de ter anunciado o nascimento de Jesus à virgem Maria, o anjo Gabriel visitou Diogo Dias e Patrício Vieira, anunciando que teriam um projeto musical chamado UZOHMS. Entusiasmados com a ideia, decidiram avançar. Diogo seria o baterista porque já tinha alguma experiência de outros projetos musicais e Patrício, que tinha mil ideias para fazer músicas, seria guitarrista e vocalista, escrevendo também os temas. Faltava-lhes um baixista para poderem ter uma banda, ou conjunto, como gostam de dizer. Lançaram o desafio ao Rúben Sousa (Caneco) que, sendo o homem dos 7 instrumentos (literalmente) aceitou tocar baixo, pois tinha lido no horóscopo da revista Maria que esta era uma boa altura para novos projetos.

Compuseram 4 temas e entraram no concurso Angra Sound Bay 2018 onde, a 17 de maio desse ano, na primeira audição, deram o seu primeiro concerto. Conseguiram um lugar na final onde tocaram o mesmo repertório. O ano de 2018 teve mais 4 concertos e mais 7 temas originais e a banda sentiu a necessidade de um guitarrista mais experiente. O escolhido foi Rui Pires (Stevie Rui Vaughan) que aceitou fazer parte d´UZOHMS porque, depois de 7 anos a praticar kung fu com monges no Tibete, precisava de uma mudança de ares.

O ano de 2019 foi cheio de concertos e voltando a participar no Angra Sound Bay, arrecadaram o prémio de melhor projeto.

O tema John Damérica é o mais conhecido, mas o público vai cantando muitas das outras canções que misturam o rock com o humor. O objetivo deste conjunto é transmitir energia e boa disposição através do rock. O nome UZOHMS é a forma como na ilha Terceira se diz “os homens” e surgiu porque as músicas têm sempre referências às raízes locais. Ohm é também a unidade de medida da resistência elétrica que, neste caso, simboliza a energia que a banda quer passar aos seus ouvintes.» – UZOHMS

 A organização solicita a todos que respeitem sempre as regras da DGS e as indicações/sinalética no local, mantendo sempre o distanciamento social de segurança e as regras de etiqueta respiratória.

Programa de Capacitação “Enoturismo no Dão – Qualificar a Oferta”em marcha

No âmbito da conclusão do Programa de Capacitação “Enoturismo no Dão – Qualificar a Oferta”, promovido pela Comunidade Intermunicipal (CIM) Viseu Dão Lafões, , os agentes de enoturismo da região recebem nos seus espaços os mentores, especialistas nas diversas temáticas abordadas durante o programa.

Neste programa, iniciado em abril, estão a participar mais de 20 operadores do setor do enoturismo (quintas, adegas, solares), tendo-se realizado sessões de capacitação conjuntas em regime online, nas quais se abordaram temáticas como Comunicação, Marketing e Vendas, Acolhimento e Hospitalidade Turística, Inovação e Desenvolvimento de Novos Produtos/Serviços e Turismo, Segurança e Acessibilidade.

Aos operadores durante o processo de capacitação, foram disponibilizado acessos livres e gratuitos a um vasto leque de conteúdos de interesse para desenvolverem as suas atividades e, ainda, a oportunidade de realizar mentorias individuais e personalizadas de acordo com as suas necessidades.

Desenvolvido no âmbito do Programa Valorizar, Turismo de Portugal, o projeto “Enoturismo na Região Demarcada dos Vinhos do Dão” prevê a dinamização da Rota do Vinho do Dão, com propostas diferenciadoras, tirando partido de outras iniciativas com potencial turístico já em curso no território, nomeadamente ao nível da gastronomia, da ativação do património histórico, das tradições culturais e da vertente natureza, com particular incidência no inegável valor histórico e patrimonial vitivinícola existente na região do Dão.

De acordo com o Presidente da CIM Viseu Dão Lafões, Rogério Mota Abrantes, “Com este projeto, muito focado na capacitação e qualificação dos diversos agentes locais ligados ao enoturismo, a CIM e os seus parceiros, pretendem dar mais um passo na dinamização de todo o património vínico associado à marca Dão, enquanto fator diferenciador e de atratividade turística ao serviço do desenvolvimento regional“.

AF Viseu- Divisão de Honra em 3 séries em 21/22

Depois de uma temporada a duas velocidades, a AF Viseu reuniu com os clubes e chegaram a consenso, sobre o novo figurino da nova divisão de Honra com 24 clubes assim foram divididos em em 3 Zonas:

Zona Norte – Cinfães, Resende, Moimenta da Beira, Lamego, Nespereira, Lamelas, Parada e Paivense;

Zona Centro – Lusitano FC , Penalva, Sátão, Roriz, Carvalhais, Sampedrense, Campia e Oliveira de Frades;

Zona Sul – G.D.M., Nelas, Mortágua, Molelos, Vale Açores, Moimenta do Dão, Carregal do Sal e Canas Senhorim.

Na 1.ª fase, o campeonato será disputado a duas voltas, transitando para a 2.ª fase de subida, os 2 primeiros de cada série e os 2 melhores terceiros.

O pior terceiro classificado e todos os clubes do quarto ao oitavo lugar de cada série transitam para a fase de manutenção / descidas. Nesta fase serão colocadas as 16 equipas distribuídas em duas séries em função do ranking na tabela classificativa da 1.ª fase.

Na verdade vai ser um campeonato muito competitivo e a luta pela subida e manutenção vai ser elevada em todas as séries.

CIM Viseu Dão Lafões entregou Equipamentos para Técnicos de Fogo Controlado 

No Edifício Multiusos de Nelas, a Comunidade Intermunicipal (CIM) Viseu Dão Lafões promoveu a entrega de equipamentos para Técnicos de Fogo Controlado.

Teve como objetivo dotar os Técnicos de Fogo Controlado, dos municípios do território da CIM Viseu Dão Lafões, de equipamentos de proteção individual (EPI´S) e das ferramentas necessárias para desenvolverem ações de fogo controlado.

Além da presença do Presidente da CIM Viseu Dão Lafões e autarcas do território, o evento contou com a participação do Secretário de Estado da Conservação da Natureza, das Florestas e do Ordenamento do Território, João Paulo Catarino.

Entre os equipamentos entregues destacam-se: estações meteorológicas portáteis, rádios, mochilas táticas, computadores portáteis, pinga-lumes, bem como todos os EPI´s indispensáveis para a prossecução das ações de fogo controlado.

Nesta cerimónia foi ainda celebrado, entre a CIM Viseu Dã​o Lafões e a GNR , um protocolo de capacitação de recursos humanos no âmbito do uso do fogo controlado.

Recorde-se que, ao longo dos últimos meses, a CIM Viseu Dão Lafões, ao abrigo do projeto LIFE Landscape Fire – Novas Metodologias para Prevenção de Incêndios Florestais, tem desenvolvido ações de capacitação de 25 Técnicos de Fogo Controlado e de 75 Operacionais de Queima, provenientes de diversas estruturas da região Viseu Dão Lafões.

Indo ao encontro das medidas estabelecidas no Plano Intermunicipal de Adaptação às Alterações Climáticas, e da Estratégia Intermunicipal de Proteção Civil e de Proteção da Floresta, o projeto LIFE Landscape Fire permite alavancar novas abordagens à prevenção dos incêndios florestais, fomentando a cooperação territorial.

Segundo o Presidente da Câmara Municipal de Nelas, José Borges da Silva, “Esta região foi profundamente afetada pelos acontecimentos de 2017, como comunidade estamos empenhados em desenvolver ações que visem a capacitação de técnicos para uma defesa efetiva da floresta e das populações do nosso território”. 

“Felicito, ainda, todos os municípios pelo trabalho que têm vindo a desenvolver no domínio da proteção civil e da defesa da floresta”, prosseguiu o Presidente do Município de Nelas.

De acordo com o Presidente da CIM Viseu Dão Lafões, Rogério Mota Abrantes “A CIM no âmbito do projeto Life Landscape Fire Project, procura dotar a região de um “know-how”, no domínio do fogo controlado, extremamente valioso para o reforço da nossa capacidade de prevenção e combate aos incêndios rurais”.

“Ao capacitar e equipar técnicos no uso de fogo controlado, a CIM Viseu Dão Lafões mostra, não só, o seu compromisso no esforço, que deve ser de todos, para a defesa da floresta; mas também, a sua forte aposta no desenvolvimento económico e social dos espaços rurais e no reforço da resiliência do território”, concluiu o Presidente da CIM Viseu Dão Lafões.

 

Para o Secretário de Estado da Conservação da Natureza, das Florestas e do Ordenamento do Território, João Paulo Catarino “Há um País que precisa de ser olhado de uma perspetiva dos incêndios rurais, é isso que estamos a fazer. A CIM Viseu Dão Lafões tem sido das comunidades intermunicipais mais interventivas na área dos incêndios rurais e na defesa da floresta, a aprovação do Projeto Life é um reconhecimento, por parte das entidades europeias, do bom trabalho que tem sido desenvolvido neste território“.

Livro “Mangualde, Patrimónios Municipais” apresentado

A apresentação de “Mangualde, Patrimónios Municipais” , reuniu na Biblioteca Municipal um grupo de convidados, interessados e amigos de António Fortes. A obra foi apresentada por Jorge Sobrado, contando também com as palavras do Presidente da Câmara Municipal e do Vereador da Cultura de Mangualde.
A obra é sobre Mangualde, o seu património, usos e costumes, e está disponível na Biblioteca Municipal para consulta e empréstimo domiciliário por parte dos seus leitores.