Início » Marialva

Marialva

Balanço da Campanha “Cinto-me Vivo”

A Campanha de Segurança Rodoviária “Cinto-me vivo”, da responsabilidade da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR), da Guarda Nacional Republicana (GNR) e da Polícia de Segurança Pública (PSP), decorreu entre os dias 5 e 11 abril e teve como objetivo alertar condutores e passageiros para a importância de utilizarem sempre, e de forma correta, os dispositivos de segurança.

Esta campanha contou, uma vez mais, com a participação dos serviços das administrações regionais dos Açores e da Madeira na realização de ações de sensibilização, completando o trabalho de fiscalização que tem sido realizado pelos comandos Regionais da PSP.

Inserida no Plano Nacional de Fiscalização (PNF) de 2024, a campanha foi divulgada nos meios digitais, nos Painéis de Mensagem Variável e através de cinco ações de sensibilização da ANSR, realizadas em simultâneo com as operações de fiscalização levadas a cabo pela GNR e pela PSP, em Albergaria-a-Velha, Leiria, Santarém, Setúbal e Viseu. Idênticas ações ocorreram nas regiões autónomas dos Açores e da Madeira.

Na campanha “Cinto-me vivo” foram sensibilizados 671 condutores e passageiros, a quem foram transmitidas as seguintes mensagens:

  • Utilize sempre uma cadeirinha homologada, devidamente instalada, e adaptada à altura e peso da criança;
  • Utilize sempre o cinto de segurança, em todos os lugares do veículo, e em todos os percursos, mesmo nos de curta distância;
  • Utilize o capacete de modelo aprovado, devidamente ajustado e apertado.

Durante as operações das Forças de Segurança no âmbito desta campanha, realizadas entre os dias 5 e 11 de abril, foram fiscalizados em controlo de velocidade por radar 4,5 milhões de veículos, 4,3 milhões dos quais pelo SINCRO – Sistema Nacional de Controlo de Velocidade, da responsabilidade da ANSR.

Em termos de fiscalização presencial, as Forças de Segurança procederam à fiscalização de 59,6 mil veículos. Do total de 4,5 milhões de veículos fiscalizados durante a campanha, registaram-se 29,5 mil infrações.

Nesta campanha, registou-se um total de 2.543 acidentes, de que resultaram 6 vítimas mortais, 47 feridos graves e 750 feridos leves.

Relativamente ao período homólogo de 2023, verificaram-se menos 44 acidentes, menos 10 vítimas mortais, menos 9 feridos graves e menos 54 feridos leves.

As 6 vítimas mortais, 4 do género masculino e 2 do género feminino, tinham idades compreendidas entre os 46 e os 75 anos.

Os acidentes com vítimas mortais ocorreram nos distritos de Bragança, Porto (2), Castelo Branco e Lisboa.

Estes acidentes consistiram em 2 colisões (envolvendo 2 veículos ligeiros, 1 motociclo e 1 veículo agrícola) e 3 despistes (envolvendo 2 veículos ligeiros e 1 motociclo).

Os acidentes acima descritos ocorreram em 2 arruamentos, 1 autoestrada, 1 estrada nacional e 1 via de outro tipo.

Esta foi a quarta das 12 campanhas de sensibilização e de fiscalização planeadas no âmbito do PNF de 2024. Até ao final do ano serão realizadas mais oito campanhas, uma por mês, com ações de sensibilização e de fiscalização.

As campanhas inseridas nos planos nacionais de fiscalização são realizadas pela ANSR, GNR e PSP, desde 2020, com temáticas definidas com base nas recomendações europeias estabelecidas para cada um dos anos.

O PNF de 2023 consagrou como prioritários os temas: Velocidade, Álcool, Acessórios de segurança e Telemóvel. Relativamente a 2024, para além dos quatro temas acima referidos, foi ainda adicionado um novo capítulo sobre a fiscalização dos veículos de duas rodas a motor.

Das quatro campanhas que decorreram este ano, foram realizadas 16 ações, durante as quais mais de 1.805 pessoas foram sensibilizadas presencialmente. Quanto a ações de fiscalização, o número de condutores fiscalizados presencialmente foi de 211,8 mil, enquanto cerca de 13,0 milhões de veículos foram fiscalizados por radar.

A sinistralidade rodoviária não é uma fatalidade e as suas consequências mais graves podem ser evitadas através da adoção de comportamentos seguros na estrada.

Arrendamentos expresso: 17% da oferta fica menos de 24h no mercado

Cerca de 17% das casas arrendadas através do idealista durante o terceiro trimestre do ano estiveram menos de 24 horas no mercado, segundo um estudo publicado pelo idealista, o Marketplace imobiliário do sul da Europa. Ainda assim, os valores variam consoante o intervalo de preço das casas, sendo que, 27% das casas arrendadas em menos de 24 horas custavam menos de 750 euros/mês, 22% entre 750 e 1.000 euros/mês, 12% entre 1.000 e 1.500 euros/mês e 8% custavam mais de 1.500 euros/mês.

Analisando as seis capitais de distrito com mais oferta de casas para arrendar no terceiro trimestre, Faro foi a cidade onde a percentagem de casas arrendadas em menos de 24 horas foi mais alta, alcançando 33% do total de operações. Seguem-se o Funchal (19%), Setúbal (19%) e Porto (18%). Em Lisboa e Aveiro, 14% das casas foram arrendadas em menos de um dia.

Os arrendamentos mais acessíveis, com preços inferiores a 750 euros mensais, concentram grande parte da procura, marcando assim, as taxas de “arrendamentos expresso” mais elevadas. Em Faro, 100% das casas arrendadas no terceiro trimestre por menos de 750 euros/mês esteve menos de um dia na base de dados do idealista. Segue-se o Porto, com uma percentagem de 55%, Setúbal (40%), Lisboa (25%) e Aveiro (8%). Já no Funchal, nenhuma casa por menos de 750 euros por mês foi arrendada em menos de 24 horas.

À medida que os intervalos de preço sobem, a percentagem de “arrendamentos expresso” reduz-se, apesar de que em alguns mercados esse valor continuar a ser relevante. Nas casas com preços compreendidos entre 750 e 1.000 euros, Faro é líder nos “arrendamentos expresso”, sendo que 40% das casas foram arrendadas em menos de um dia. Segue-se Lisboa (39%), Aveiro (33%), Setúbal (25%) e Porto (23%). No Funchal, nenhuma casa saiu do mercado em menos de um dia.

Já no caso das casas com custo mensal compreendido entre 1.000 e 1.500 euros, 40% foram arrendadas em menos de 24 horas no Funchal, 13% em Lisboa e 7% no Porto. Por último, no arrendamento de casas por mais de 1.500 euros/mês, 14% das casas no Funchal estiveram no mercado menos de um dia, 8% em Lisboa e no Porto.

Grande Rota 22 – Aldeias Históricas de Portugal ganha dimensão ibérica

A Aldeias Históricas de Portugal – Associação de Desenvolvimento Turístico (AHP – ADT) anunciou, no recente encontro da ERA (Associação Europeia de Caminhada), que promoveu no território, uma novidade para os amantes de caminhadas e de turismo de natureza: a GR22 passa a ter dimensão ibérica!

A GR22 contava com cerca 600 km de extensão, distribuídos por 20 municípios, num percurso circular que unia as 12 Aldeias Históricas de Portugal, caminhos históricos e natureza em estado puro. Agora, a aventura envolve também o país vizinho: juntam-se a esta rota 13 municípios da Deputação de Cáceres, acrescentando mais de 200 km de território espanhol e inúmeras povoações históricas, que vão surpreender os aventureiros e cerca de 80 km na ligação de Portugal à fronteira. A GR22 totaliza agora aproximadamente 900 km de percurso.

Agora, quem percorrer a GR22 vai passar não só pelas Aldeias Históricas de Portugal, âncoras deste percurso, como também lugares históricos em Espanha, tornando a experiência numa verdadeira vivência ibérica. São, no total, 111 localidades em Portugal e 36 em Espanha.

Além de se tornar uma aventura transfronteiriça, a GR22 ganha também em condições para os aventureiros, pois passa a dispor de um leque mais alargado de oferta e enriquecido pela sua diversidade.

A ampliação da GR22 para Espanha foi realizada ao abrigo do projeto POCTEP – Cooperação Transfronteiriça, graças ao qual foi possível a internacionalização de uma marca portuguesa para Espanha no domínio da mobilidade suave, nas modalidades de caminhada (walking) e bicicleta (cycling) da GR22. Tornando-se um projeto transfronteiriço, foi necessário adequar também o nome da marca: em vez de “GR22 – Grande Rota das Aldeias Históricas de Portugal”, passa a “GR22 – Aldeias Históricas”.

Sendo a GR22 – Aldeias Históricas um dos grandes ativos da AHP – ADT, foi assinado um protocolo com a Deputação de Cáceres que passa a legitimar este organismo no usufruto de uma marca das Aldeias Históricas de Portugal. A AHP – ADT também já avançou com os registos da marca em Espanha.

Por outro lado, o sistema de monitorização já existente na GR22 – Aldeias Históricas também foi melhorado, passando a estar mais alinhado com o racional estratégico da Rede dedicado à sustentabilidade, nomeadamente por via da introdução de painéis fotovoltaicos para alimentar os contadores que viabilizam a contagem do número de passagens de aventureiros a pé ou de bicicleta.

De recordar que a GR22 é a maior rota europeia para caminhadas com selo Leading Quality Trails – Best of Europe (LQT): a certificação foi entregue pela primeira vez às Aldeias Históricas de Portugal pela European Ramblers Association (Associação Europeia de Caminhada) em 2019 e agora, no encontro que se realizou no início do mês, o selo foi renovado até 2025.

A European Ramblers Association é uma associação que certifica os melhores destinos de caminhada na Europa, segundo critérios como a sustentabilidade, o nível de experiência proporcionado ao utilizador, a qualidade do seu traçado, e a sua riqueza cultural e natural. Trata-se, assim, de um projeto que está em linha com o compromisso de sustentabilidade e locomoção suave das Aldeias Históricas de Portugal.

Campanha de vacinação sazonal outono-inverno 2023-2024 arranca a 29 de setembro

A campanha de vacinação sazonal outono-inverno 2023-2024 terá início a 29 de setembro. Decorre em simultâneo nas farmácias comunitárias, para as pessoas com 60 ou mais anos, e nos estabelecimentos de saúde do SNS, para as pessoas com menos de 60 anos e com doenças de risco.
Conheça os grupos elegíveis, as vacinas a utilizar, os esquemas vacinais e os procedimentos técnicos associados à vacinação na Norma 005/2023, que foi publicada no site da DGS.
A DGS apela a que todas as pessoas que sejam elegíveis se vacinem, de forma a garantir a máxima proteção contra doença grave e morte por estas duas doenças.
Consulte toda a informação : https://www.dgs.pt/…/dgs-publica-norma-para-vacinacao….

Aforista Reserva branco 2021é o grande vencedor do 16º Concurso de Vinhos da Beira Interior

 

Teve lugar recentemente, a Entrega de Prémios do 16º Concurso de Vinhos da Beira Interior , em Marialva e consagrou o vinho Aforista Reserva branco 2021 como o Melhor Vinho da Beira Interior.

Para além do melhor vinho da Beira Interior, o júri do Concurso realizado na Guarda, nos dias 19 e 20 de junho, atribuiu ainda o prémio do Melhor Vinho no Feminino, o Prémio de Melhor Imagem, o Prémio de Melhor Imagem no Feminino, 17 medalhas de ouro e 11 medalhas de prata, num total de 92 vinhos a concurso, em representação de 34 associados da região.

O Presidente da CVR da Beira Interior, Rodolfo Queirós, parabenizou todos os associados pelo enorme sucesso que a Beira Interior tem vindo a ganhar ao longo dos últimos anos. Salientou ainda a importância deste tipo de eventos para a dinamização da Rota dos Vinhos da Beira Interior, referindo que a escolha da aldeia Histórica de Marialva vai ao encontro da promoção de todo o território da Beira Interior. O Presidente do Município de Mêda, João Mourato congratulou-se com a realização da Gala pela primeira vez no seu município, salientando a parceria profícua entre a CVR da Beira Interior e o Município Medense.

A cerimónia foi presidida pela Ministra da Coesão Territorial Dra. Ana Abrunhosa, com raízes no concelho da Mêda, salientando a enorme importância do setor vitivinícola para a coesão dos territórios assim como para a captação de novos investimentos e para a fixação de pessoas. A Ministra enalteceu ainda o papel que a CVR da Beira Interior tem desempenhado como elo de ligação entre este território composto por 20 concelhos.

 

“Operação  Páscoa 2023″- Balanço Final com 15 vítimas mortais, 45 feridos graves

A Guarda Nacional Republicana, entre os dias 03 e 11 de abril, realizou uma operação de intensificação de patrulhamento, ações de sensibilização e fiscalização em todo o Território Nacional, com o objetivo de combater a criminalidade, contribuir para a redução da sinistralidade rodoviária, regularizar o trânsito e apoiar todos os cidadãos, proporcionando-lhes as festividades da Páscoa e as respetivas deslocações, em segurança.

Durante esta operação, foram fiscalizados 58 808 condutores tendo sido detetados 517 condutores com excesso de álcool, dos quais 349 foram detidos por possuírem uma taxa de álcool no sangue igual ou superior a 1,2 g/l. Foram ainda detidas 208 pessoas por conduzirem sem habilitação legal;

No mesmo período, destacam-se ainda as seguintes infrações:

·         4 724 autos de contraordenação por excesso de velocidade.

·         1 152 por falta de inspeção periódica;

·         502 por anomalias nos sistemas de iluminação e sinalização;

·         551 por falta ou incorreta utilização do cinto de segurança e/ou sistema de retenção para crianças;

·         414 por falta de seguro de responsabilidade civil obrigatório;

·         395 por utilização indevida do telemóvel durante a condução.

 

No que diz respeito à sinistralidade rodoviária, a GNR, na sua área de responsabilidade, registou 1816 acidentes, dos quais resultaram em 15 vítimas mortais, 45 feridos graves e 560 feridos leves.

A segurança rodoviária e a redução do número de vítimas mortais na estrada é uma prioridade estratégica para a Guarda, razão pela qual continuará a desenvolver ações de sensibilização e fiscalização diariamente em todo o território nacional com o intuito de prevenir ações que coloquem em causa a segurança rodoviária de todos quantos utilizam a via pública.

Comprar casa e colocá-la a arrendar rendeu 6,6% no primeiro trimestre

A rentabilidade bruta da compra de uma casa em Portugal para colocá-la no mercado de arrendamento foi de 6,6% no primeiro trimestre de 2023, um ponto percentual (p.p) superior à calculada para o mesmo período de 2022 (5,6%). Hoje, a rentabilidade na habitação é inferior em 0,9 p.p em relação à observada no primeiro trimestre de 2019, de 7,5%.

Analisando por capitais de distrito, é em Santarém onde é mais rentável a compra de uma casa para investimento, sendo o seu retorno na ordem dos 7,6%. Seguem-se as cidades de Viana do Castelo (7,2%), Leiria (6%), Coimbra (5,9%), Braga (5,6%), Funchal (5,2%), Setúbal (5,1%), Viseu (5,1%) e Porto (4,7%).

A rentabilidade habitacional mais baixa é obtida pelos proprietários das casas arrendadas em Lisboa (3,8%), Aveiro (4,3%) e Faro (4,5%)

Rentabilidade de escritórios, lojas e garagens

Este estudo permitiu ainda analisar a rentabilidade de outros produtos imobiliários a nível nacional. Os escritórios permitem uma rentabilidade de 8,8%, as lojas de 8,5% e as garagens de 6,1%.

Para a realização deste estudo, o idealista dividiu o preço de venda pelo custo de arrendamento solicitado pelos proprietários nos diferentes mercados no primeiro trimestre de 2023. O resultado obtido é a percentagem bruta da rentabilidade que proporciona o arrendamento de uma casa ao seu proprietário. Estes dados permitem a análise do estado atual do mercado e são um ponto de partida básico para todos os investidores que pretendam comprar ativos imobiliários para obter rendimento.

Por:Idealista

 

Hora de verão chega na madrugada de domingo

Os ponteiros dos relógios vão adiantar-se 60 minutos na madrugada do próximo domingo em Portugal para dar início ao horário de verão, segundo o Observatório Astronómico de Lisboa. O atual regime de mudança da hora é regulado por uma diretiva (lei comunitária) de 2000, que prevê que todos os anos os relógios sejam, respetivamente, adiantados e atrasados uma hora no último domingo de março e no último domingo de outubro, marcando o início e o fim da hora de verão.

Atividade operacional diária da GNR

A Guarda Nacional Republicana, para além da sua atividade operacional diária, levou a efeito um conjunto de operações, em todo o território nacional, entre os dias 16 a 22 de setembro, que visaram, não só, a prevenção e o combate à criminalidade e à sinistralidade rodoviária, como também a fiscalização de diversas matérias de âmbito contraordenacional, registando-se os seguintes dados operacionais provisórios:

 

  1. Detenções: 444 detidos em flagrante delito, destacando-se:
  • 232 por condução sob o efeito do álcool;
  • 94 por condução sem habilitação legal;
  • 22 por tráfico de estupefacientes;
  • 17 por posse ilegal de armas e arma proibida;
  • 11 por furto e roubo;
  • Sete por violência doméstica.

 

  1. Apreensões:
  • 2 147 doses de liamba;
  • 535 doses de haxixe;
  • 258 doses de heroína;
  • 207 doses de cocaína;
  • Quatro doses de MDMA;
  • 174 pés de canábis;
  • 24 armas de fogo;
  • 39 armas brancas ou proibidas;
  • 215 munições;
  • Dez viaturas;
  • 2 680 euros em numerário.

 

  1. Trânsito:

Fiscalização: 8 308 infrações detetadas, destacando-se:

  • 1 972 excessos de velocidade;
  • 569  por falta de inspeção periódica obrigatória;
  • 533 por falta ou incorreta utilização do cinto de segurança e/ou sistema de retenção para crianças;
  • 397 por condução com taxa de álcool no sangue superior ao permitido por lei;
  • 298 por uso indevido do telemóvel no exercício da condução;
  • 286 relacionadas com tacógrafos;
  • 248 relacionadas com anomalias nos sistemas de iluminação e sinalização;
  • 208 por falta de seguro de responsabilidade civil.

LPCC apela à colaboração como voluntários no peditório nacional

A Liga Portuguesa Contra o Cancro (LPCC) vai voltar para a rua com o Peditório Nacional, principal fonte de financiamento da Instituição e importante elo na sua relação com a comunidade. A LPCC apela à inscrição de voluntários que deem um pouco do seu tempo para apoiar a realização desta iniciativa.

A campanha de recrutamento conta, uma vez mais, com a participação de Cristiano Ronaldo como embaixador da iniciativa e é desenvolvida sobre o mote: “Faça parte desta equipa”.

O peditório nacional, que decorre entre os dias 28 de outubro e 1 de novembro, é o garante da sustentabilidade financeira das atividades que esta Instituição promove no âmbito dos seus 4 eixos de missão: o apoio ao doente oncológico e cuidadores, a promoção da saúde, a prevenção do cancro e o estímulo à formação e investigação em oncologia.

A participação como voluntário no Peditório Nacional pode ser feita mediante a disponibilidade de cada um, na localidade onde lhe for mais prático, podendo ocorrer durante os cinco dias ou apenas num período de algumas horas. O voluntário pode participar nesta iniciativa sozinho, em família ou com amigos ou colegas de trabalho.

As candidaturas devem ser realizadas através do site da Liga Portuguesa Contra o Cancro (em www.ligacontracancro.pt/peditorio) e os interessados serão contactados pelo respetivo Núcleo Regional da LPCC, que lhe prestará todas as informações e orientação.