Início » Música

Música

Artigo de Madalena Fonseca— Concursos musicais

Programas de “talentos” musicais como o “The Voice Portugal”, o “Portugal Got Talent”, os “Ídolos”… acompanham os serões de muitos espectadores. O sensacionalismo e mediatismo destes programas explicam a média de mais de 600 000 espectadores que assistem o “The Voice Portugal”, visto como um sucesso do entretenimento televisivo. É importante perceber as estratégias a que os media recorrem para entreter e fidelizar os seus espectadores, através de vários incentivos, como por exemplo a estimulação dos sentidos e emoções do público. Estas estratégias resultam e tendem a criar expectativas e a ideia de que “qualquer um pode cantar”, não expondo o verdadeiro esforço que é necessário para realmente se ser músico. Esta procura de talentos passa muitas vezes por explorar o valor emocional da história de vida de cada concorrente, e qual destas histórias mais comoverá o público. Não se nega de qualquer modo a participação de concorrentes que demonstram grandes capacidades vocais, mas é importante referir, que um talento necessita de formação, técnica e muito trabalho para retirar o melhor da sua voz e/ou outro instrumento. Com isto não se pretende destruir qualquer esperança daqueles que ambicionam participar neste tipo de concursos, apenas dar nota e valorizar a importância do trabalho de muitos músicos com formação e, claramente com muito talento, do que se faz um verdadeiro artista.

 

Madalena Fonseca

Mercado de Natal regressa a Seia com inscrições abertas

O Município de Seia volta a organizar, na época festiva que se aproxima, um Mercado de Natal na cidade.

À semelhança do ano passado, o espaço destinado ao artesanato será o Mercado Municipal de Seia, e irá funcionar nos três primeiros fins de semana de dezembro e nos feriados (dias 1 e 8 de dezembro), entre as 10h e as 19h.

A participação no Mercado de Natal é gratuita e aberta ao artesanato local, regional, nacional e internacional.

Os expositores interessados em participar têm de se inscrever, para todo o período ou apenas para partes, até ao dia 15 de novembro, através do preenchimento do formulário disponível AQUI.

As celebrações da quadra natalícia em Seia também incluem atividades direcionadas a crianças e adultos, com grande parte da programação a acontecer na sede do município (largo da Câmara, Mercado Municipal e espaço envolvente), mas que se reparte por momentos musicais e animação de rua em diversas freguesias do concelho.

O programa do Natal em Seia será brevemente divulgado.

‘Plexus’ é o primeiro trabalho discográfico do fornense Joaquim Rodrigues

Um fornense de gema, Joaquim Rodrigues , natural da Freguesia de Algodres, apresentou no Carmo’81 o seu primeiro trabalho discográfico em nome próprio, ‘Plexus’, no qual se fez acompanhar de um elenco de luxo numa formação singular: Marcos Cavaleiro e Mário Costa nas baterias, Pedro Santos no baixo eléctrico, Miguel Ângelo Silva no contrabaixo, Luís Ribeiro na guitarra e Xose Miguélez no saxofone tenor.
‘Plexus’ é a expressão (ou interpretação) musical de um tempo e espaço geograficamente delimitado, marcadamente bucólico e cheio de inúmeras complexidades alicerçadas em problemas realmente simples. Reflete a dureza, o rigor climático, a desertificação e a solidão. Mas também os muitos pontos acrescentados ao conto, as suas ramificações e a natureza na sua plenitude e nos seus extremos.O Joaquim Rodrigues já tem participado em inúmeros projetos e edições.
Recentemente esteve ao vivo e em nome próprio a apresentar o seu primeiro álbum – Plexus, no palco do Carmo’81.
Este concerto de apresentação do disco de Joaquim Rodrigues está incluído no ciclo de concertos e residências do Que Jazz É Este?

Artigo de Madalena Fonseca–Estilo musical, um estereótipo?

Normalmente, pelo estilo de música que uma pessoa consome, podemos associá-la a uma personalidade ou estereótipo, rotulando-a sem sabermos mais sobre a mesma.

É curioso como algo tão unificador e universal como a música, pode também conter uma carga tão crítica e rotuladora.

Todos nós, por influência do ambiente em que vivemos, e pela sensibilidade pessoal de cada um, dirigimo-nos mais para um ou outro estilo de música, que, por conseguinte, nos influenciará na forma como vemos o outro e como nos relacionamos com ele.

Apesar de a música poder ser estereotipada, não significa que um indivíduo siga esse modelo, será por isto, errado o julgamento através de uma arte que é apreciada por todos, de maneiras diferentes. Por exemplo, até uma pessoa mais “metaleira” pode também gostar de músicas românticas. Não é necessário apreciar e seguir apenas um estilo de música, podemos ouvir e desfrutar de tudo, pois é para isso que a música existe, para ouvir, partilhar e sentir essa liberdade de escolha e essa liberdade de expressão.

Madalena Fonseca

Universidade Sénior de Gouveia iniciou novo ano letivo

O auditório da Escola Apostólica Cristo-Rei – Seminário de Gouveia foi o local da abertura do novo ano letivo da Universidade Sénior de Gouveia.

A Universidade Sénior de Gouveia foi fundada em 7 de abril de 2015, através do esforço conjunto da Câmara Municipal de Gouveia, do Agrupamento de Escolas de Gouveia e da Escola Apostólica de Cristo Rei – Seminário de Gouveia. Um lugar de encontro e partilha. É formada por um corpo de professores, integralmente, voluntários; por um órgão dirigente constituído por representantes das três instituições fundadoras; um Conselho Pedagógico, onde estão representadas as instituições constituintes da Universidade Sénior, professores e alunos; e um Coordenador Geral como responsável permanente.
A História. o Inglês, a Informática, o Português, o Exercicio Físico, o Património Cultural, a Hidroginástica e a Música representam a oferta temática disponível, à qual se associa a sã convivência entre todos, que é ainda fortalecida nas visitas de estudos e outras atividades desenvolvidas ao longo do ano letivo.
Temos como objetivo a promoção e valorização do envelhecimento ativo da população sénior do Concelho de Gouveia e áreas limítrofes, aceitando-se inscrições de todas as pessoas maiores de cinquenta anos, que não desempenhem atividades profissionais.
As inscrições são feitas mediante o preenchimento de uma ficha que pode ser recolhida na receção do Município de Gouveia e poderá ser entregue na mesma receção.

Memorável a Feira Medieval de Canas de Senhorim que celebrou 30 anos

Foram dias de grande história que, o centro histórico de Canas de Senhorim acolheu,  com milhares de visitantes que por ali passaram para uma experiência inesquecível, com a recriação de momentos históricos datados da época medieval, que os transportou para tempos remotos, numa verdadeira viagem no tempo, para todas as idades. Mais uma edição de sucesso da Feira Medieval, realizada de 30 a setembro a 2 de outubro, que fica na memória, mantendo viva a tradição e contribuindo para a preservação cultural e promoção turística no Concelho de Nelas.
Tambores, falcorias, exposição de animais, vivências cortesãs, animação e teatro de rua, espetáculos de fogo, acampamento militar, danças do ventre, homens de armas ou torneios de cavalos foram apenas algumas das diversas atividades que decorreram na edição deste ano da Feira Medieval, num verdadeiro salto no tempo.
Quem passou por Canas de Senhorim no último fim-de-semana pôde ainda comprar artigos e mercadorias da época no Mercado Medieval, bem como deliciar-se nas tasquinhas com sabores do passado e iguarias gastronómicas confecionadas pelas Associações locais e alunos dos Agrupamento de Escolas de Canas de Senhorim. Realizou-se, ainda, a habitual Ceia Medieval, onde os participantes, vestidos a rigor, vivenciaram de perto os sentimentos e dinâmicas de outros tempos, numa experiência única.
A Feira Medieval de Canas de Senhorim, que contou com organização da Junta de Freguesia de Canas de Senhorim, co-organização da Câmara Municipal de Nelas e apoio das Associações locais, é já um evento de referência não só na Região, mas também panorama nacional, elevando o nome da Vila de Canas de Senhorim e do Município, atraindo cada vez mais visitantes.

Fornos de Algodres-Espetáculo de Marina Mota com solidariedade para com os Bombeiros com casa cheia

GRANDE ONDA SOLIDÁRIA PARA COM SOLDADOS DA PAZ

Foi uma noite muito agradável em Fornos de Algodres, mais concretamente no pavilhão dos Bombeiros de Fornos de Algodres, nada mais nada menos, acolheu o belo espetáculo “E tudo o morto levou” com Marina Mota, uma grande atriz que juntamente com o seu elenco apresentou esta bonita peça de 120 minutos e que animou a grande plateia que ultrapassou as quatro centenas de pessoas. Sabemos que outras mais queriam ver o espetáculo mas os lugares foram reservados através de uma plataforma através do CLDS 4 G Servir Fornos de Algodres e da Freguesia de Fornos de Algodres. Nesse aspeto foi uma aposta ganha, dado que a entrada no pavilhão aconteceu de forma ordeira e muito tranquila. Agora verdade que faltaram algumas pessoas que reservaram, mas nada a organização podia fazer nessa hora.

A destacar que este espetáculo foi de muita qualidade que foi aproveitado para ajudar a fomentar a grande onda solidária em torno dos bombeiros, ao qual Fernando Rodrigues , presidente da instituição agradeceu mais este gesto e apoio e frisou que com todo este apoio que têm recebido, o carro vai ser adquirido em 2023.

Manuel Fonseca, Presidente do Município fornense, também agradeceu a todos que mais uma vez vieram apoiar e ajudar nesta causa que são os bombeiros. A onda solidária está cada vez maior e outros eventos hão de surgir para apoiar e que o novo carro seja uma realidade.

Também a atriz Marina Mota, se mostrou sensibilizada no final e estava muito feliz pelo grande calor e alegria que este público transmitiu durante todo o espetáculo e agradeceu o gesto às gentes de Fornos de Algodres.

Feira Anual de Sta. Eufémia em Celorico da Beira de 15 a 18 de setembro

O culto religioso e a romaria a Santa Eufémia, expressão da profunda religiosidade dos celoricenses, e a atividade mercantil coexistem nesta festividade desde o ano de 1766 (Séc. XVIII), aquando da instituição da Feira Anual de Sta. Eufémia, por determinação régia, na sequência de uma petição dirigida ao monarca com vista a facilitar o escoamento dos produtos agrícolas, muito abundantes nesta região.
A tradição ainda é o que era. A Festa começa na noite da véspera (dia 15), com cultos religiosos (vigília e terço), na capela de Sta. Eufémia e a degustação da afamada sopa de grão, nos restaurantes da vila. No dia seguinte, dia de Sta. Eufémia (16), realiza-se a feira anual, com a abertura agendada para as 08H00. A celebração da eucaristia na Capela, sita junto ao recinto da feira, pelas 09h00, põe termo às atividades religiosas desta edição.
Mas, o evento prossegue até ao próximo dia 18 de setembro, na sua vertente mais profana, apresentando um vasto programa de animação sociocultural onde a música, o teatro, a dança e o cinema são presenças fortes, a saber:
Dia 16 de setembro – Largo do Tribunal
21H00 – Hermínio (cinema)
21H30 – Somos Filhos do Luar e da Poesia (música – Guitardeão)
O grupo celoricense apresenta o espetáculo concebido no âmbito do Festival Cultural da Serra da Estrela.
Dia 17 de setembro – Centro Cultural
21H30 – Toda a Noite Até Ser Dia / E Depois da Dança – (espetáculos de dança: Lugar Presente)
Dia 18 de setembro – Castelo de Celorico da Beira
18H00 – Lugares Legados (teatro)

Fornos de Algodres -Comédia “E Tudo o Morto Levou” de Marina Mota em palco dia 29 setembro

A digressão da comédia “E Tudo o Morto Levou” de Marina Mota vai terminar em Fornos de Algodres, dia 29 de setembro, isto é vai estar em palco , no Feriado Municipal desta vila serrana.

Deste modo, a atriz e fadista de 59 anos, que recentemente completou 50 anos de carreira tem festejado o sucesso do seu espetáculo, onde recupera algumas das personagens que protagonizou nos seus programas de TV, como a desbocada Matilde ou o irreverente Bisnaga.Esta comédia de Roberto Pereira , vai contracenar em palco com Rui Sá , Marisa Carvalho e Nuno Pires.

Assim Fornos de Algodres vai ter o privilégio de receber este espetáculos que tanto sucesso tem feito por este País fora.

Regresso em alta da Feira Farta

Teve lugar na manhã de sãbado,10 de setembro, a abertura da Feira Farta na Guarda com a presença do Presidente do Município da Guarda, Sérgio Costa , o Executivo Municipal e demais entidades.

Estão presentes as 43 freguesias com os seus produtos endógenos e artesanato,  a zona de restauração e o Espaço Criança, onde
estão a ser dinamizadas ações lúdico pedagógicas com o apoio do La Vie. no Largo do Mercado Municipal na Guarda.

Sérgio Costa referiu no seu discurso que:”Esta é talvez a feira mais genuína da Guarda e dos Guardenses, a Feira Farta, que é também a nossa Feira Franca.”

Salientou ainda “ser bom o regresso à normalidade e depois da pandemia voltar a ver esta tenda cheia de gente e de produtos, o Município  da Guarda lança o desafio às pastelarias, aos pasteleiros locais e às pessoas a título individual ou em grupo para criarem o bolo tradicional da região, a Bola Parda da Guarda, queremos incentivar a inovação, a criatividade e o sentido empreendedor para o reavivar deste nosso saboroso produto gastronómico.”

Vai surgir nos dois pisos superiores do Mercado Municipal uma Nova Área Empresarial da Guarda.

Depois seguiu-se a visita à Feira e Mercado Municipal.