Templates by BIGtheme NET
Início » Nelas

Nelas

BUPi no Município de Nelas visitado pelo Sec.Estado João Catarino

Entrou em funcionamento no Município de Nelas , recentemente o Balcão Único do Prédio (BUPi) que agora foi visitado pelo Secretário de Estado da Conservação da Natureza, das Florestas e do Desenvolvimento Rural, João Catarino, e pelo Diretor Executivo da CIM Viseu Dão Lafões, Nuno Martinho, tendo sido acompanhados nessa visita pelo Presidente da Câmara Municipal de Nelas, José Borges da Silva.

O BUPi no Município de Nelas, é um espaço destinado à realização da Representação Gráfica e Georreferenciada (RGG) dos prédios, com a identificação dos seus titulares, no âmbito do cadastro predial simplificado.
Para esse efeito, a Câmara Municipal de Nelas disponibilizou uma sala no Edifício Multiusos para atendimento ao público, sendo que, devido à pandemia da Covid-19, é dada prioridade ao atendimento por agendamento.

Agende o dia e a hora do seu atendimento, através do número de telefone 232 941 300.

As ruas de Nelas, Mangualde, Gouveia e Fornos de Algodres coloridas pela comunidade


Em Fornos de Algodres a 1ªfase está executada,  mas Nelas, Mangualde e Gouveia vão ter as ruas coloridas, com o tema” Paredes do Alto Mondego vão contar a história e homenagear as gentes da terra”.

Cores e linhas vão preencher as paredes e contar a história e as estórias dos que por cá vivem e dos que por cá passam. Trata-se de uma iniciativa do Alto Mondego’ Rede Cultural que desafiou o artista urbano Desy a criar 4 murais, um em cada município. Mas há mais. A comunidade também vai ser chamada a pegar no spray e a pintar a sua terra e criar o seu próprio mural.
4 murais, 4 histórias para contar, 4 puzzles que se juntam numa única narrativa: o Alto Mondego e aquilo que une e diferencia estes 4 Municípios. Em Fornos de Algodres o trabalho já está concluído e a homenagem é ao fadista António Menano, natural do concelho. Os outros murais vão ser pintados muito em breve. Em Gouveia será pintada a ligação à serra e, os pastores serão os grandes protagonistas; já em Mangualde a personalidade escolhida é Ana de Castro Osório, escritora e ativista feminista.
Procuramos homenagear personalidades locais ligadas à cultura e aos territórios. Cada mural tem uma leitura individual, mas todos têm uma ligação comum”, explica Desy que não tem dúvidas: Este projeto de arte urbana é um instrumento muito importante “para embelezar e enriquecer os Municípios”.
Comunidade vai pegar no spray e  pintar a sua terra
Dos 8 aos 80, a comunidade vai ser desafiada a colorir a sua terra. Nos meses de agosto e setembro serão promovidas sessões de capacitação em todos os Municípios. “As pessoas vão ficar a perceber como funciona a arte urbana, quais as técnicas, qual a história e o porquê desta ser uma das artes deste século”, adianta Desy. Da teoria à prática o projeto culmina com a criação de mais 4 murais. Os participantes poderão testar os seus conhecimentos e dar o seu contributo para embelezar os seus territórios.
“O envolvimento da comunidade é para mim a grande mais-valia destes projetos. As pessoas vão poder criar algo que é para o Município delas, mas é também delas. Os murais vão valorizar o Município, mas também vão valorizar as pessoas, muitas delas podem até perceber que é este o futuro que querem seguir e que é possível seguir este futuro”, sublinha.
As primeiras capacitações decorrem em Fornos de Algodres, de 2 a 4 de agosto, depois serão em Gouveia de 12 a 14 de agosto. Mangualde é o terceiro Município a acolher a iniciativa. As sessões decorrem entre 23 e 25 de agosto. A ação termina em Nelas com as capacitações de Arte Urbana a decorrerem de 6 a 8 de setembro.
As inscrições são gratuitas e já estão abertas.
O projeto “Alto Mondego Rede Cultural” junta os municípios de Nelas, Mangualde, Fornos de Algodres e Gouveia e é cofinanciado pelo Centro 2020, Portugal 2020 e União Europeia, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.

AF Viseu- António Jorge renova pelo GDR Canas de Senhorim

Com o quadro competitivo definido, na AF Viseu, o Canas de Senhorim vai organizando o seu esquema para competir na Divisão de Honra.

Assim os treinadores António Jorge e Paulo Deus renovam, continuando a liderar a equipa sénior masculina do clube, na próxima época. Depois no que toca a renovações de plantel, Manu, Fernando Pedro,  Malas e Renato.

Desta maneira aos poucos, o plantel vai ganhando forma, numa temporada que se antevê muito competitiva.

Programa de Capacitação “Enoturismo no Dão – Qualificar a Oferta”em marcha

No âmbito da conclusão do Programa de Capacitação “Enoturismo no Dão – Qualificar a Oferta”, promovido pela Comunidade Intermunicipal (CIM) Viseu Dão Lafões, , os agentes de enoturismo da região recebem nos seus espaços os mentores, especialistas nas diversas temáticas abordadas durante o programa.

Neste programa, iniciado em abril, estão a participar mais de 20 operadores do setor do enoturismo (quintas, adegas, solares), tendo-se realizado sessões de capacitação conjuntas em regime online, nas quais se abordaram temáticas como Comunicação, Marketing e Vendas, Acolhimento e Hospitalidade Turística, Inovação e Desenvolvimento de Novos Produtos/Serviços e Turismo, Segurança e Acessibilidade.

Aos operadores durante o processo de capacitação, foram disponibilizado acessos livres e gratuitos a um vasto leque de conteúdos de interesse para desenvolverem as suas atividades e, ainda, a oportunidade de realizar mentorias individuais e personalizadas de acordo com as suas necessidades.

Desenvolvido no âmbito do Programa Valorizar, Turismo de Portugal, o projeto “Enoturismo na Região Demarcada dos Vinhos do Dão” prevê a dinamização da Rota do Vinho do Dão, com propostas diferenciadoras, tirando partido de outras iniciativas com potencial turístico já em curso no território, nomeadamente ao nível da gastronomia, da ativação do património histórico, das tradições culturais e da vertente natureza, com particular incidência no inegável valor histórico e patrimonial vitivinícola existente na região do Dão.

De acordo com o Presidente da CIM Viseu Dão Lafões, Rogério Mota Abrantes, “Com este projeto, muito focado na capacitação e qualificação dos diversos agentes locais ligados ao enoturismo, a CIM e os seus parceiros, pretendem dar mais um passo na dinamização de todo o património vínico associado à marca Dão, enquanto fator diferenciador e de atratividade turística ao serviço do desenvolvimento regional“.

Alexandre Borges não teve sorte e foi forçado a desistir

Alexandre Borges, líder do Campeonato de Portugal de Kartcross, chegou a Sever do Vouga, decidido em amealhar mais um bom resultado, mais viu goradas as suas aspirações, depois um toque na Final, que danificou irremediavelmente o seu Semog e forçou a sua desistência.

Nesta que foi a terceira prova pontuável para o Campeonato, o piloto da NelaSport, apresentou-se novamente com um bom ritmo, rodando sempre no grupo dos mais rápidos e vencendo duas, das quatro corridas de qualificação, da sua série. No somatório das quatro qualificações, fechou a manhã de domingo, na terceira posição.  Com um segundo lugar na Meia-Final A, assegurou uma posição na primeira linha da grelha de partida para a Final, a qual, viria a ser madrasta para as aspirações da equipa, em resultado dos toques da primeira curva.

“As corridas, por vezes, têm estes dissabores. Foram alguns toques que acabaram da pior forma para mim e com danos significativos no Kartcross.  Desta vez, infelizmente, fui eu o “contemplado”. Como foi visível ao longo de todo o fim de semana, o ritmo competitivo está muito alto, deixando a indefinição do resultado final, até ao cair da bandeira de xadrez. O lote dos mais rápidos é muito vasto e felizmente, não se resume apenas a três ou quatro pilotos. Até agora, três provas, três vencedores diferentes, o que demonstra bem a competitividade do nosso Campeonato. Agora é tempo de reparar os estragos e começar já a preparar a próxima prova, agendada para o fim de semana de 24 e 25 de julho, no Circuito Internacional de Montalegre”, refere Alexandre Borges.

Foto:DR

AF Viseu- Divisão de Honra em 3 séries em 21/22

Depois de uma temporada a duas velocidades, a AF Viseu reuniu com os clubes e chegaram a consenso, sobre o novo figurino da nova divisão de Honra com 24 clubes assim foram divididos em em 3 Zonas:

Zona Norte – Cinfães, Resende, Moimenta da Beira, Lamego, Nespereira, Lamelas, Parada e Paivense;

Zona Centro – Lusitano FC , Penalva, Sátão, Roriz, Carvalhais, Sampedrense, Campia e Oliveira de Frades;

Zona Sul – G.D.M., Nelas, Mortágua, Molelos, Vale Açores, Moimenta do Dão, Carregal do Sal e Canas Senhorim.

Na 1.ª fase, o campeonato será disputado a duas voltas, transitando para a 2.ª fase de subida, os 2 primeiros de cada série e os 2 melhores terceiros.

O pior terceiro classificado e todos os clubes do quarto ao oitavo lugar de cada série transitam para a fase de manutenção / descidas. Nesta fase serão colocadas as 16 equipas distribuídas em duas séries em função do ranking na tabela classificativa da 1.ª fase.

Na verdade vai ser um campeonato muito competitivo e a luta pela subida e manutenção vai ser elevada em todas as séries.

CIM Viseu Dão Lafões entregou Equipamentos para Técnicos de Fogo Controlado 

No Edifício Multiusos de Nelas, a Comunidade Intermunicipal (CIM) Viseu Dão Lafões promoveu a entrega de equipamentos para Técnicos de Fogo Controlado.

Teve como objetivo dotar os Técnicos de Fogo Controlado, dos municípios do território da CIM Viseu Dão Lafões, de equipamentos de proteção individual (EPI´S) e das ferramentas necessárias para desenvolverem ações de fogo controlado.

Além da presença do Presidente da CIM Viseu Dão Lafões e autarcas do território, o evento contou com a participação do Secretário de Estado da Conservação da Natureza, das Florestas e do Ordenamento do Território, João Paulo Catarino.

Entre os equipamentos entregues destacam-se: estações meteorológicas portáteis, rádios, mochilas táticas, computadores portáteis, pinga-lumes, bem como todos os EPI´s indispensáveis para a prossecução das ações de fogo controlado.

Nesta cerimónia foi ainda celebrado, entre a CIM Viseu Dã​o Lafões e a GNR , um protocolo de capacitação de recursos humanos no âmbito do uso do fogo controlado.

Recorde-se que, ao longo dos últimos meses, a CIM Viseu Dão Lafões, ao abrigo do projeto LIFE Landscape Fire – Novas Metodologias para Prevenção de Incêndios Florestais, tem desenvolvido ações de capacitação de 25 Técnicos de Fogo Controlado e de 75 Operacionais de Queima, provenientes de diversas estruturas da região Viseu Dão Lafões.

Indo ao encontro das medidas estabelecidas no Plano Intermunicipal de Adaptação às Alterações Climáticas, e da Estratégia Intermunicipal de Proteção Civil e de Proteção da Floresta, o projeto LIFE Landscape Fire permite alavancar novas abordagens à prevenção dos incêndios florestais, fomentando a cooperação territorial.

Segundo o Presidente da Câmara Municipal de Nelas, José Borges da Silva, “Esta região foi profundamente afetada pelos acontecimentos de 2017, como comunidade estamos empenhados em desenvolver ações que visem a capacitação de técnicos para uma defesa efetiva da floresta e das populações do nosso território”. 

“Felicito, ainda, todos os municípios pelo trabalho que têm vindo a desenvolver no domínio da proteção civil e da defesa da floresta”, prosseguiu o Presidente do Município de Nelas.

De acordo com o Presidente da CIM Viseu Dão Lafões, Rogério Mota Abrantes “A CIM no âmbito do projeto Life Landscape Fire Project, procura dotar a região de um “know-how”, no domínio do fogo controlado, extremamente valioso para o reforço da nossa capacidade de prevenção e combate aos incêndios rurais”.

“Ao capacitar e equipar técnicos no uso de fogo controlado, a CIM Viseu Dão Lafões mostra, não só, o seu compromisso no esforço, que deve ser de todos, para a defesa da floresta; mas também, a sua forte aposta no desenvolvimento económico e social dos espaços rurais e no reforço da resiliência do território”, concluiu o Presidente da CIM Viseu Dão Lafões.

 

Para o Secretário de Estado da Conservação da Natureza, das Florestas e do Ordenamento do Território, João Paulo Catarino “Há um País que precisa de ser olhado de uma perspetiva dos incêndios rurais, é isso que estamos a fazer. A CIM Viseu Dão Lafões tem sido das comunidades intermunicipais mais interventivas na área dos incêndios rurais e na defesa da floresta, a aprovação do Projeto Life é um reconhecimento, por parte das entidades europeias, do bom trabalho que tem sido desenvolvido neste território“.

EDIÇÃO EM PAPEL Nº52 NAS BANCAS

É com grande satisfação que apresentamos a nossa edição papel nº 52 sem quaisquer interrupções, o nosso lema continua cada vez mais forte ” Somos a Voz serrana para o Mundo”
Bem haja aos nossos leitores, anunciantes e comunidade em geral.
Nesta edição temos surpresas.

GD Trancoso campeão Distrital

Pinhel recebe etapa TMBI em BTT- pág.3

-50 anos de ADFA- Conversa com Alexandre Lote—pág.6

-Gouveia vai ter um Verão 5 estrelas—-pág.4

-Estrela Geopark em atividade ———pág.5

-Conversa com José Carvalho (GD Trancoso)- pag.7

-Forninhos com nova resposta social—-pág.9

Slackline marca arranque da Rede Cultural do Alto Mondego

“Andorinhas” estreia sábado em Nelas e conta com 22 elementos da comunidade

Tudo a postos  para o pontapé de saída da 2ª edição da Rede Cultural do Alto Mondego. O primeiro espetáculo é já no sábado, 3 de julho, em Nelas e os grandes protagonistas são as associações culturais e a comunidade. No total, sobem ao palco 22 nelenses e mangualdenses. “Andorinhas” é o nome desta criação artística que teve como ponto de partida a realidade do território. Os espectadores podem contar com uma performance completamente fora de caixa e muito inovadora. Será “um teatro em cima de fitas” em que os participantes terão muitas histórias para contar, numa homenagem ao Mondego e num apelo às memórias.  O espetáculo, marcado para as 21h30, é ao ar livre, junto à Praça do Município, assegurando-se todas as medidas de segurança indicadas pelas DGS. Este é o primeiro de 7 espetáculos de slackline previstos, nos concelhos de Nelas, Mangualde, Fornos de Algodres e Gouveia.

Fica a promessa: Nunca viu nada assim. O palco são as fitas e é aí que serão revelados todos os segredos do Mondego: o maior dos rios portugueses. O ponto de partida para esta construção artística resulta da realidade do território das Beiras, fortemente marcado pela migração. Muitos partiram à procura de melhores condições de vida, mas, tal como as andorinhas, regressam todos os verões. “Andorinhas” fala assim de despedidas e de reencontros, das festas e das romarias, mas também dos costumes e das vivências, das lendas e dos mitos, do real e do imaginário. “O espetáculo remete para a memória e cada espectador será convidado a criar a sua própria história”, explica Rui Mimoso, capacitador de slackline.

O espetáculo original resulta das aulas de capacitação de slackline. Previsto estão, nesta primeira fase, sessões de capacitação em todos os municípios da rede que irão originar novos espetáculos. Em Nelas e Mangualde as sessões já estão a decorrer. No início do próximo mês arrancam também em Fornos de Algodres e Gouveia. Depois, o objetivo é promover a itinerância dos espetáculos por esta rede cultural. No total serão realizados 7 espetáculos, o próximo é já no dia 3 de julho em Nelas

Participantes das capacitações deram um grande pulo

Das sessões de capacitação, que juntam associações culturais do território e elemento da comunidade, Rui Mimoso faz um balanço muito positivo. Caso para dizer que os participantes deram um grande pulo. “Estão a evoluir muito rápido e a consolidar o que aprenderam”. Das capacitações que já arrancaram o mais novo tem 7 anos e o mais velho 49, mas a grande maioria são jovens. “Para além dos benefícios que esta prática desportiva pode trazer para todos eles, o envolvimento neste espetáculo tem contribuído para estimular o sentimento de pertença. Percebem o que é que a sua terra tem de diferente e todo o potencial que tem. Aprendem a valorizar o seu território”, sublinha.

As inscrições para a capacitação de slackline ainda estão abertas em Fornos de Algodres e Gouveia os interessados devem contactar os municípios: Fornos de Algodres: André Pereira – andrepereira@cm-fornosdealgodres.pt – 967 377 759 |Gouveia: Rui da Eufrázia – reufrazia@cm-gouveia.pt – 961 730 876).

Recorde-se que as sessões de slackline estão a ser orientadas pelo profissional Rui Mimoso, campeão nacional de slackline. O slackline é um desporto que consiste prática de equilíbrio sobre uma linha dinâmica, esticada entre dois pontos fixos. O praticante pode caminhar sobre ela ou fazer manobras e truques, dinâmicos ou estáticos. O principal objetivo desta capacitação é dar conhecimentos técnicos para a prática da modalidade como ferramenta artística. Capacitar os participantes com um know-how que lhes permita montar, usar e praticar slackline com todos os equipamentos de forma segura e variada.

Dança, música, arte urbana há muitas capacitações previstas

 Envolver as associações culturais e a comunidade é uma das máximas desta rede cultural. Neste sentido estão previstas capacitações nas áreas da dança, música e arte urbana.

Na arte urbana, já em agosto, as associações e a comunidade vão juntar-se ao artista plástico Desy para criar 4 murais, representativos desta rede cultural e que representarão a identidade destes 4 territórios.

Para 2022 os desafios são nas áreas da música e da dança. Pretende-se envolver as associações culturais e criar, em cada área, um espetáculo original que partirá em itinerância pelos 4 municípios num total de 8 espetáculos cada.  O primeiro será dirigido por Bitocas e Artur Fernandes e o segundo por Marta Silva.

Acompanhe em primeira mão todas as novidades na página do facebook da Rede Cultural do Alto Mondego.

O projeto “Alto Mondego Rede Cultural” junta os municípios de Nelas, Mangualde, Fornos de Algodres e Gouveia e é cofinanciado pelo Centro 2020, Portugal 2020 e União Europeia, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.

Alexandre Borges quer subir ao pódio em Sever do Vouga

A Capital do Mirtilo, recebe já no próximo fim de semana de 3 e 4 de julho, a terceira prova pontuável para o Campeonato de Portugal de Kartcross.

Com uma lista a rondar novamente as três dezenas, num dos Campeonatos mais concorridos dos últimos anos e com vários candidatos ao pódio, estão mais do que garantidos, os condimentos necessários, para mais um fim de semana de muita emoção, até ao cair da bandeira de xadrez.

Uma das presenças confirmadas, é Alexandre Borges, o piloto da NelaSport e líder do Campeonato. Até agora, o único a bisar a presença no pódio, nesta edição de 2021.

O Campeonato este ano, está muito forte, com um lote muito vasto de pilotos a lutar pelos lugares cimeiros. Os cronos em Lousada e Montalegre, foram prova disso, estamos com andamentos muito semelhantes e com diferenças mínimas, muitas vezes, na casa das milésimas de segundo. A margem de erro, tem que ser reduzida praticamente a zero, pelo que o nível de concentração em cada corrida, tem que ser muito elevado. O nosso objetivo, mantém-se inalterável, por isso vamos para Sever do Vouga, determinados em lutar por um lugar do pódio”, refere Alexandre Borges.

Face às medidas de contenção da pandemia COVID-19, não será autorizada a entrada de público, contudo, a transmissão das várias corridas do fim de semana, em live streaming, encontra-se assegura.

Para a presente época, a equipa conta com os apoios de: A Oficina – Borgesport; Qbeiras Energia; JC Automóveis; Câmara Municipal de Nelas; Officelan; Junta de Freguesia de Nelas; Valvoline; Maciça; Opção Atual – Consultores de Gestão; Quinta da Fata; Planus; Grafinelas; Movsil; Ana Mendes – Mediação Imobiliária; Auto Mecânica Ideal de Nelas – Posto GALP; Movsteel; Transportes Penacovense; Tinita; Avencar; News Motor Sports; Semog; Maxi Shocks; Artes & Letras, Papelaria.