Templates by BIGtheme NET
Início » Nelas (Pagina 30)

Nelas

Setor da Saúde: Quase 800 reclamações em janeiro

Janeiro passado, mês em que Portugal voltou a um confinamento geral devido ao agravamento da situação pandémica no país, foi o pior mês de sempre relativamente às queixas apresentadas pelos portugueses na área da Saúde. Um estudo do Portal da Queixa revela que foram registadas quase 800 reclamações, naquela que foi a maior média diária de queixas dirigidas ao setor da Saúde, cerca de 25 por dia. O SNS é o maior foco das reclamações e a impossibilidade de ser atendido por um médico é a principal queixa dos portugueses.

De acordo com o estudo analítico desenvolvido pela equipa do Portal da Queixa, entre os dias 1 e 31 de janeiro de 2021, foram registadas na plataforma 787 reclamações. O pior mês que há registo e um recorde em termos de reclamações diárias dirigidas ao setor da Saúde, uma média de 25 por dia. Comparativamente com o período homólogo (janeiro de 2020) – com 455 queixas registadas -, verificou-se um aumento de 73% do número de reclamações, facto que evidencia todas as dificuldades que o setor enfrenta para dar resposta à pandemia de COVID-19.

Relativamente ao TOP 5 das entidades com o maior número de reclamações recebidas, a análise revela que, em janeiro último, o Serviço Nacional de Saúde (SNS) liderou o foco das queixas (com 186 reclamações registadas no Portal da Queixa). Seguem-se os Hospitais e Centros de Saúde (142), em terceiro os Planos e Seguros de Saúde (135), em quarto os Grupos Privados de Saúde (115) e em quinto, as Farmácias (74).

Entidades foco do maior número de reclamações em janeiro:

Entidades Reclamações
Serviço Nacional de Saúde 186
Hospitais e Centros de Saúde 142
Planos e Seguros de saúde 135
Grupos de Saúde Privados 115
Farmácias 74
Clínicas médicas 29
Laboratórios e analises clínicas 28
Equipamentos e materiais de Saúde 27
Clínicas dentárias 21
Outras 30

Principais motivos de reclamação:

Segundo a análise feita pela maior plataforma de comunicação entre consumidores e marcas do país, as reclamações recebidas espelham, sobretudo, a falta de acompanhamento que os doentes precisam e a preocupação em não conseguir atendimento médico, seja presencial ou por teleconsulta. A “impossibilidade de ser atendido por um médico” é o principal motivo de reclamação, gerando 36% das queixas dirigidas ao setor da Saúde. A “falta de atendimento telefónico” é a segunda causa mais apontada pelos consumidores, perfazendo 34.4% das queixas.

Casos denunciados no Portal da Queixa

A atestar a insatisfação dos portugueses, estão alguns dos casos partilhados no Portal da Queixa em janeiro passado. Carla Amoreira, uma doente que acusou teste positivo para a COVID-19, denunciou na sua reclamação: “ninguém me quis avaliar nos serviços COVID e urgência USLCB”. 

Outra consumidora, Paula Teixeira, reclama ter estado mais de doze horas à espera de uma consulta COVID-19: “Já há 12h30m à espera nas urgências covid-19, tendo vindo a mando da médica da consulta Covid-19 e SNS 24. Não opção própria”. Por seu turno, Inês Almeida, reporta a falta de atendimento telefónico: “Não atendem e chegam a rejeitar chamadas”.

O consumidor e utente António Santos, alerta na sua reclamação para eventuais altas forçadas em doentes com COVID-19: “Alta forçada aos doentes covid apesar de testarem positivos e irem para o lar”.

 

De referir que, em 2020, o total de reclamações dirigidas ao setor da saúde foi de 7.277, um aumento de 80% face a 2019.

 

Covid-19 -Programa Apoiar /Medida Apoiar + Simples para as empresas

Neste tempo de pandemia à necessidade de apoiar financeiramente as empresas afetadas, deste modo, o Governo aprovou ao abrigo do Programa APOIAR, a Medida Apoiar + Simples, tendo em vista preservar a continuidade da atividade económica e do emprego.

Podem candidatar-se à Media Apoiar + Simples, os empresários em nome individual (ENI), sem contabilidade organizada, com trabalhadores a cargo, nos setores abrangidos pelo Programa APOIAR. As candidaturas decorrem de 28 de janeiro de 2021 até ao esgotamento da dotação e o apoio a conceder equivale a 20% do montante da diminuição de faturação da empresa, até ao limite máximo de 4.000€.

Para apresentação de candidaturas, consulte o Aviso n.º 01/SI/2021, de 28 de janeiro.

Candidatura “Rede Cultural Viseu Dão Lafões”aprovada

Cultura como um fator diferenciador da atratividade e competitividade do nosso território”

Recentemente a Comunidade Intermunicipal (CIM) Viseu Dão Lafões, viu aprovada a  candidatura “Rede Cultural Viseu Dão Lafões”, submetida ao fundo extraordinário “Programação Cultural em Rede”, no âmbito do PO Centro 2020, com um valor de trezentos mil euros.

Com esta candidatura, a CIM Viseu Dão Lafões pretende dar continuidade ao investimento na cultura que tem preconizado nos últimos anos e cuja atividade tem sido fortemente limitada fruto da pandemia COVID-19.

O projeto “Programação Cultural em Rede” visa articular em todo território, no decurso do ano de 2021, uma programação cultural que permita, não só, a valorização dos recursos patrimoniais e museológicos regionais, mas também, apoiar os agentes culturais e turísticos locais, apostando numa agenda cultural rica e diversificada.

Este projeto pretende dar continuidade à rede cultural de cooperação intermunicipal que a CIM Viseu Dão Lafões tem vindo a dinamizar, em parceria com os catorze municípios do território, e que tem permitido, não só, promover a itinerância de conteúdos artísticos, como tem contribuído para o desenvolvimento de um produto cultural regional de características únicas.

Essas manifestações culturais assentarão, maioritariamente, em propostas culturais apresentadas por agentes culturais e na dinâmica patrimonial e artístico-cultural da região.

De acordo com o Secretário Executivo da CIM Viseu Dão Lafões, Nuno Martinho, “A CIM Viseu Dão Lafões sempre entendeu a cultura como um fator diferenciador da atratividade e competitividade do nosso território. Atendendo à pandemia COVID-19, vimo-nos na contingência de reformular estratégias e a programação com vista a responder às necessidades dos agentes culturais, populações e operadores turísticos, tendo, neste contexto, surgido a candidatura “Rede Cultural Viseu Dão Lafões”. Esta iniciativa é assim, também, uma mensagem de confiança que queremos deixar a todas as Instituições da nossa região e a todos os profissionais que têm sofrido fortemente com esta pandemia”. “No âmbito da CIM foi ainda, possível, concertar uma estratégia intermunicipal que permitiu, através da agregação de agrupamentos de municípios, aprovar candidaturas, com diversas geometrias geográficas, reforçando a oferta e a complementaridade dos eventos no território. No total, este conjunto de ações representam um investimento no território de aproximadamente 1.2M€”, concluiu o Secretário Executivo.

CIM Viseu Dão Lafões Capacita Técnicos de Fogo Controlado e Operacionais de Queima

A Comunidade Intermunicipal (CIM) Viseu Dão Lafões, através da sua Unidade de Proteção Civil Intermunicipal, no âmbito do projeto europeu LIFE Landscape Fire Project, promove a capacitação e credenciação de Técnicos de Fogo Controlado e de Operacionais de Queima.

A decorrer entre os meses de janeiro e abril de 2021, estas ações de capacitação visam dotar os agentes de proteção civil do território de ferramentas que lhes permitam realizar planos de fogo controlado e executar técnicas de ignição para queima prescrita, bem como a posterior avaliação dos impactes da queima.

Estas formações são dirigidas a técnicos e operacionais provenientes de diversas estruturas do território da CIM Viseu Dão Lafões, nomeadamente: Gabinetes Técnicos Florestais, Serviços Municipais de Proteção Civil, Bombeiros Sapadores Municipais, Bombeiros Voluntários, Sapadores Florestais, Organizações de Produtores Florestais e da Unidade de Emergência de Proteção e Socorro da GNR.

Atendendo ao contexto causado pela pandemia COVID-19, numa primeira fase, o ciclo formativo teórico será ministrado via online, sendo que numa segunda fase serão desenvolvidas sessões práticas e teórico-práticas de uso de fogo nos mais diversos níveis de atuação.

As sessões teóricas, para a formação de Técnico de Fogo Controlado e de Operacional de Queima, terão início dia 28 e 29 de janeiro respetivamente, estando prevista a sua conclusão no mês de março.

As sessões práticas e teórico-práticas, apesar da incerteza determinada pela pandemia, deverão ocorrer a partir do mês de fevereiro, prolongando-se até ao mês de abril, estando a sua realização dependente da ocorrência de condições climatéricas favoráveis.

Cada um dos cursos contempla 25 participantes por turma. Assim, o Curso de Técnico de Fogo Controlado é composto por uma turma e o Curso de Operacional de Queima envolve três turmas, para um total de 100 formandos.

Recorde-se que no âmbito da prevenção, o Fogo Controlado consiste no uso planeado do fogo em condições ambientalmente favoráveis, tendo um papel fundamental na gestão dos combustíveis, na redução do risco de incêndio rural, na renovação das pastagens, na fertilização dos solos e no controlo espécies invasoras, constituindo, ainda, uma ferramenta muito eficiente de combate a incêndios rurais.

De acordo com o Presidente da CIM Viseu Dão Lafões, Rogerio Mota Abrantes “Esta proposta de capacitação, desenvolvida pela CIM no âmbito do projeto Life Landscape Fire Project, vai permitir capacitar, a nível regional, técnicos especializados no uso de fogo controlado. Este projeto reveste-se de grande importância pois vais dotar a região de um know-how extremamente valioso para o reforço da nossa capacidade de prevenção e combate ao flagelo dos incêndios rurais.”

Ao promover estas formações, a CIM Viseu Dão Lafões, através da sua Unidade de Proteção Civil Intermunicipal, mostra o seu forte compromisso no esforço, que deve ser de todos, para o reforço da resiliência do território.”, concluiu o Presidente da CIM Viseu Dão Lafões.

Investimento de Mangualde na Programação Cultural em Rede

O Município de Mangualde informa que teve a aprovação de  duas candidaturas aprovadas após participação no Concurso de Investimento na Programação Cultural em Rede. “Este concurso tem como objetivo o desenvolvimento de um programa cultural concertado entre municípios que pretendem apoiar os agentes locais, estimulando a dinâmica cultural e económica, a valorização do património e identidade da região, destaca Elísio Oliveira, presidente da Câmara Municipal de Mangualde.

Os projetos Cultura no Dão, juntamente com Nelas e Penalva do Castelo e Alto Mondego Rede Cultural, em conjunto com Nelas, Gouveia e Fornos de Algodres, obtiveram um apoio de 300 mil euros, para cada iniciativa, com comparticipação a 100% no primeiro ano e a 95% no 2º ano.

Estas duas candidaturas “valorizam o património e a identidade da região, traduzindo-se num conjunto de atividades/espetáculos culturais com caraterísticas de itinerância e intercâmbio cultural entre os Municípios envolvidos. Tudo isto, apoiando os agentes locais, que são tão essenciais nas nossas terras e na nossa economia local”, destaca Elísio Oliveira.

 

Piaget solidário oferece livros para minorar efeitos do confinamento

O Instituto Piaget de Viseu vai proceder esta semana à oferta de livros a seis instituições parceiras da região que têm utentes em confinamento, em consequência da atual pandemia de Covid-19.

A iniciativa tem na base a consciência da importância da leitura para a preservação e valorização da saúde mental em tempo de emergência, ajudando a mitigar os efeitos negativos de um período de maior exigência e de maior isolamento social.

Cada instituição receberá 25 livros, todos editados pelas Edições Piaget, e que se encontravam ao serviço do Campus de Viseu. As obras ofertadas cobrem as várias áreas do saber e do conhecimento em que as Edições Piaget se especializaram ao longo da sua existência.

A seleção das seis instituições de solidariedade social teve em conta a relação de proximidade mantida pelo Piaget de Viseu com a comunidade envolvente, seja por serem entidades onde os alunos fazem os seus estágios, onde os professores também colaboram ou onde antigos alunos do Instituto assumem hoje funções de direção. Em aberto está possibilidade de se dar continuidade à iniciativa nas próximas semanas, com a oferta de mais livros com a chancela Piaget.

As instituições contempladas nesta fase são a Santa Casa da Misericórdia de Castro Daire, a Santa Casa da Misericórdia de Vouzela, a IPSS Acredita, o Lar de Silgueiros da ASDCR, o Centro Paroquial de Nelas e o Lar Associação de Solidariedade Social de Farminhão.

Esta atividade do “Piaget Solidário” do Campus de Viseu segue-se a outra, também já realizada em tempo de pandemia, em conjunto com o Banco Alimentar, nomeadamente através da recolha de alimentos entre a comunidade académica. A recolha de bens será repetida em março, desta vez em parceria com a Cáritas de Viseu.

fotos:DR

GNR- Atividade operacional das últimas 12 horas

A Guarda Nacional Republicana, para além da sua atividade operacional diária, levou a efeito um conjunto de ações policiais, em todo o território nacional, entre as 20h00 de sábado e as 08h00 de domingo. Estas ações visaram, não só, a prevenção e o combate à criminalidade, como também a fiscalização de diversas matérias de âmbito contraordenacional, registando-se os seguintes dados operacionais:

  1. Detenções: 12 detidos em flagrante delito, destacando-se:
  • Cinco por condução sob o efeito do álcool;
  • Três por desobediência;
  • Dois por condução sem habilitação legal;
  • Um por condução perigosa;
  • Um por violência doméstica.
  1. Apreensões:
  • Oito doses de cocaína;
  • 3,16 doses de canábis;
  • 1,64 doses de haxixe;
  • 0,2 doses de liamba.

Presidenciais 21- Marcelo Rebelo de Sousa vence em Viseu e Guarda

 Nesta noite eleitoral de Presidenciais 2021, Marcelo Rebelo de Sousa venceu estas eleições e vai ser Presidente da República para os próximos 5 anos.

Assim deixamos os resultados da região:

No distrito da Guarda, venceu Marcelo R.Sousa com 64%, seguido de André Ventura com 14,3%, em terceiro ficou Ana Gomes com 10,4%, depois vem Marisa Matias com 3,5%.

No distrito de Viseu, venceu Marcelo R.Sousa com 65%, seguido de André Ventura com 13,2%, em terceiro ficou Ana Gomes com 10,4%, depois vem Marisa Matias com 3,3%.

  M.R.S A.G. A.V M.M T.M J.F V.S ABST
Fornos 62,4 9,6 16,3 4,3 1,2 2,1 4,1 64,3
Celorico 62,6 10,8 16,3 2,3 2,2 2,0 3,9 65,6
A.Beira 68,1 6,2 15,8 2,4 2,2 1,0 4,3 71,2
Mangualde 61,0 11,4 15,9 3,2 1,5 2,6 4,4 66,5
Penalva 69,5 9,0 11,6 2,2 1,6 2,3 3,8 65,9
Trancoso 64,4 10,2 15,6 2,7 1,7 2,0 3,5 65,1
Pinhel 66,7 8,5 12,7 3,9 2,1 2,3 3,8 66,0
Gouveia 66,6 12,1 11,0 3,4 1,4 2,5 2,9 63,8
Nelas 65,3 10,3 13.5 3,3 1,7 2,8 3,1 62,3
Guarda 61,3 11,7 15,3 4,0 2,3 2,4 3,0 56,1
Dist.Guarda 64,0 10,4 14,3 3,5 1,9 2,5 3,4 62,6
Dist.Viseu 65,3 10,4 13,2 3,3 2,0 2,2 3,6 62,7

Novo Lar (ERPI – Estrutura Residencial Para Idosos), Centro de Dia e Apoio Domiciliário nasce no Folhadal.

Foram assinados os protocolos entre o Município de Nelas e a Associação do Folhadal que permitiram a candidatura da construção do novo Lar (ERPI – Estrutura Residencial Para Idosos), Centro de Dia e Apoio Domiciliário da Associação do Folhadal. O Lar, Centro de Dia e Apoio Domiciliário estão previstos para 30 utentes cada.

O investimento total previsto é de 1.515.750€, sendo elegível desse valor pela Segurança Social o montante de 1.073.880€ e assegurando a Associação do Folhadal um autofinanciamento de 441.870€, estando garantido já pela Câmara Municipal um apoio financeiro para o efeito.

A candidatura foi apresentada recentemente, contando com o apoio especializado da empresa de consultadoria “Ruris”, sendo o custo de 5.553€ também apoiado integralmente pela Câmara, que havia já apoiado também através dos Serviços Técnicos os projetos.

O PARES 3.0 é um “Programa de Alargamento da Rede de Equipamentos Sociais da Segurança Social” dotado de um montante total de 110 milhões de euros provenientes das verbas dos jogos sociais, estando a decisão sobre as candidaturas previsto para os próximos meses.

O Presidente da Câmara Borges da Silva e atual executivo municipal, a Direção da Associação do Folhadal desde sempre acarinharam este projeto.

A construção desta infraestrutura social será realizada no Folhadal será realizado num terreno contíguo à Associação, entretanto adquirido pela mesma para este efeito.

Esta infraestrutura social, para além de constituir uma nova resposta do Lar, melhorará muito a oferta de Centro de Dia e Apoio Domiciliário e será incluída na rede pública apoiada pela Segurança Social, garantindo acesso a qualquer utente qualquer que seja a sua condição económica ou social, sendo essencial para melhoria da rede social concelhia no fortalecimento do apoio aos idosos e suas famílias.

 

Obras de Requalificação da Praça Central de Vila Ruiva, em Senhorim já iniciaram

Já iniciaram as obras de requalificação da Praça Central de Vila Ruiva, num investimento não inferior a 110.000€, constituído pela aquisição de imóveis (65.000€), de demolição dos mesmos e limpeza do espaço (15.000€) e requalificação (30.000€), aqui com a colaboração da Junta de Freguesia de Senhorim.
Este é um projeto no âmbito da requalificação urbana e construção das futuras acessibilidades ao Centro de Dia, Apoio Domiciliário e Centro Comunitário da Freguesia de Senhorim.

Trata-se de um investimento importante para esta localidade tão carecida de apoio social, requalificação de espaços e acessibilidades, que foi flagelada pelos incêndios florestais de 2017.
Investimentos que a somar aos realizados na rede viária, aos caminhos agrícolas e florestais, no cemitério da Freguesia, assim têm recuperado a esperança e o orgulho de pertencer à territorialmente maior Freguesia do Concelho de Nelas.