Templates by BIGtheme NET
Início » Património

Património

Aventura Dacia, uma década na Serra da Estrela

Vai acontecer no fim-de-semana de 22 a 24 de outubro , numa iniciativa do Clube Escape Livre , a Aventura Dacia , com arranque do Hotel Lusitânia na cidade da Guarda .

Um passeio de todo terreno turístico e de lazer que percorre os caminhos e trilhos fantásticos da Serra da Estrela.

São 10 anos de aventura, descoberta e convívio entre os proprietários dos modelos Duster e Sandero Stepway da Dacia que, aproveitando as características fora de estrada dos seus modelos, não perdem a ocasião de descobrir Portugal. Desde a primeira aventura no Douro em 2012 que a adesão não tem parado de crescer e na última edição, em 2020, quase 50 equipas descobriram o centro de Portugal.

Agora, a Serra da Estrela e a suas paisagens recebem a caravana Dacia que no sábado almoça em Folgosinho na bem conhecida Casa Albertino que dará a desfrutar cinco pratos para além de entradas e sobremesas.

No regresso à Guarda passagem na Cabeça do Faraó e paragem na aldeia de Videmonte, antes de um percurso final ao longo dos passadiços do Mondego que em breve abrirão ao público e todos quererão percorrer.

No domingo a etapa avança em direção ao Vale do Mondego e às suas magnificas paisagens.

Mas as celebrações dos 10 anos da Aventura Dacia vão iniciar-se logo na 6ª-feira com uma visita e um flute de espumante da Beira Interior no Solar da Comissão Vitivinícola Regional da Beira Interior, e culminarão com o almoço de domingo com partilha de grandes e boas memórias para a família Dacia.

As inscrições ainda podem ser feitas no site do Clube em www.escapelivre.com e têm o custo de 325€ para 2 pessoas com programa completo.

Coval (Quintela de Azurara) vai ser potenciado

Foram recentemente assinados dois atos , na Câmara Municipal, que potenciam o desenvolvimento da aldeia do Coval (Quintela de Azurara).
– Assinatura de contrato promessa de doação de uma casa rústica e grande laje envolvente destinada, após recuperação, à implantação de equipamentos de utilização coletiva, social, cultural e turística, e à instalação de infraestruturas que devam integrar o domínio público da freguesia na zona do Coval.
A Câmara Municipal e a Junta de Freguesia de Quintela de Azurara agradecem publicamente a Serafim Gomes e à sua Família este generoso ato.
– Assinatura de protocolo entre a Câmara e a Junta de Freguesia para extensão da rede elétrica até ao Coval de forma a potenciar o desenvolvimento da agricultura e do turismo.
Também ao nível da iniciativa privada se têm registado dinâmicas potenciadoras de desenvolvimento nesta localidade .

Apresentação do livro “A História de Lamego em Documentos – A Cidade e o Aro”

A Câmara Municipal de Lamego vai apresentar, em conjunto com o autor, Joaquim Correia Duarte, o livro “A História de Lamego em Documentos – A Cidade e o Aro”.

A obra é uma homenagem à cidade lamecense e dá a conhecer diversos dados históricos de relevo ocorridos nos últimos séculos.

No próximo sábado, 25 de setembro, será apresentado o novo livro “A História de Lamego em Documentos – A Cidade e o Aro” da autoria do Padre Joaquim Correia Duarte e editado com o apoio da Câmara Municipal de Lamego.

 A cerimónia, que decorrerá no Salão Paroquial de Almacave, em Lamego, contará com a presença de Alegria Marques, professora catedrática da Universidade de Coimbra e Académica de Número da Academia Portuguesa da História, e Manuela Mendonça, presidente da Academia Portuguesa de História que afarão a apresentação pública da respetiva obra.

 Numa verdadeira homenagem a Lamego, “A História de Lamego em Documentos – A Cidade e o Aro” nasce como forma de agradecimento e de manifestação de amor por parte do autor que residiu algum tempo da sua vida em Lamego, onde realizou formação intelectual e moral, facto que o levou a manifestar abertamente a sua paixão pela cidade: «amo Lamego como um humilde e piedoso devoto.»

 Lançada também com o objetivo de facilitar o acesso a documentos essenciais para apoio e desenvolvimento de obras de caráter histórico, o livro possibilita ainda uma melhor perceção dos processos históricos, das personalidades e dos acontecimentos que nos últimos séculos moldaram a vivência da população lamecense.

Devido ao contexto da actual pandemia a participação na cerimónia será de acesso reservado e condicionado

 Quem é Joaquim Correia Duarte

Nascido a 17 de maio de 1949, Joaquim Correia Duarte é oriundo de S. Pedro de Paus (Resende), tendo vivido a sua juventude em Primeirol (Resende). Frequentou o curso de Humanidades, Filosofia e Teologia nos Seminários de Lamego e licenciou-se em Ciências Históricas na Universidade do Porto. Ordenado sacerdote em 1963, exerce, desde então, funções paroquiais ao serviço de diversas comunidades cristãs, localizadas no concelho de Resende. Distinguido com a “Medalha de Honra Municipal” (grau ouro) pelo município de Resende, tem dedicado a sua vida no serviço pastoral e no ensino, aproveitando os momentos livres na investigação e na escrita. De entre as várias obras publicadas, destaque para a “História da Igreja de Lamego”, publicada (2013) e premiada pela Academia Portuguesa da História.

O Plataforma O Bom Sabor da Serra  já vendeu mais de  2 toneladas de Queijo Serra da Estrela DOP

 “O Bom Sabor da Serra”, a plataforma online que vende produtos endógenos de Fornos de Algodres e onde é sempre possível encontrar aquele que é, para muitos, o melhor queijo do mundo, o Queijo Serra da Estrela, surgiu em março de 2019 e tem sido uma aposta ganha para todos os produtores que aderiram a este projeto.

Desde o lançamento, os clientes multiplicaram-se, as encomendas sucederam-se e o sucesso tem sido notório. Em 2 anos e meio foram vendidas mais de 2 toneladas de Queijo Serra da Estrela DOP, para todo o país, iniciando-se, assim, uma distribuição mais frequente e com uma abrangência nacional.

Mas o sucesso d‘O Bom Sabor da Serra não se restringe apenas ao Queijo Serra da Estrela DOP. São inúmeros os produtos comercializados na plataforma e que são expedidos diariamente para o país inteiro. Além disso, o formato “loja online” revelou-se fundamental para a sobrevivência de muitos produtores da região que, devido à pandemia, viram os seus stocks aumentar, sem capacidade de escoamento.

Este é um projeto com futuro, que contribui ativamente para a prosperidade da produção nacional, para a manutenção dos empregos e crescimento da região, e que se orgulha de ter o Queijo Serra da Estrela DOP como embaixador.A loja pode ser visitada em http://www.obomsabordaserra.pt, e a gestão das encomendas na plataforma é da responsabilidade de cada produtor, pelo que, todos os valores transacionados revertem nesse sentido.

4ºPrémio CEI-IIT – Investigação, Inovação e Território

Imagem: Prémio CEI - IIT 2021, candidaturas até 8 de outubro Já estão disponíveis,  as candidaturas à quarta edição do Prémio CEI-IIT – Investigação, Inovação e Território, iniciativa do Centro de Estudos Ibéricos , até 8 de outubro, que visa distinguir trabalhos, projetos de investigação e outras iniciativas que revistam uma dimensão inovadora, contribuam para divulgar estudos, experiências e boas práticas que concorram para reforçar a coesão, a cooperação e a competitividade dos territórios fronteiriços e de baixa densidade.

O Prémio CEI-IIT contempla duas modalidades:

Modalidade I – Apoio a trabalhos e projetos de investigação nas seguintes áreas: Dinâmicas territoriais e iniciativas de desenvolvimento local; Património, recursos do território e riscos naturais; Coesão social: educação, saúde, envelhecimento e inclusão social;

Modalidade II – Apoio a projetos e iniciativas inovadoras que contribuam para a dinamização das economias, das sociedades e para a coesão dos territórios de baixa densidade e que apostem nos seguintes domínios: Valorização e uso eficiente dos recursos endógenos; Tecnologias ao serviço da qualidade de vida e Inovação territorial.

Nesta edição serão apoiadas duas (2) candidaturas no montante financeiro de 1.750,00€ cada.

Em edições anteriores foram contemplados os seguintes projetos:

Modalidade 1 (Investigação): “Iniciativas de ‘ageing in place’ – Valorizar e Divulgar”, de António Manuel Godinho da Fonseca (2017) e “Ligações entre a agricultura e turismo em territórios luso-espanhóis: análise da sustentabilidade e potencialidades do agroecoturismo como produto turístico”, de Dora Isabel Rodrigues Ferreira (2019); “Migrações de Estudantes para as Regiões Periféricas: Fluxos de talento e motores de inovação”, de Maria Madalena Saraiva Pires da Fonseca (2020)

Modalidade 2 (Projetos e iniciativas inovadoras): “Pontes entre agricultura familiar e agricultura biológica” de Cristina Amaro da Costa (2017) e “Instituto Internacional de Investigación e Innovación del Envejecimiento (4IE)”, de Juan Manuel Murillo Rodríguez (2019), “Impact”, de Inês Alves e Lara Plácido, Arquitetas.

Novos dados sobre pegadas de dinossauros carnívoros do Jurássico no Cabo Mondego

Um estudo que acaba de ser publicado na revista científica Palaeoworld reporta a descoberta de novas pegadas de dinossauros carnívoros do Jurássico no Cabo Mondego e revela ambientes e modos de vida destes animais.

Nesta investigação, que envolveu cientistas da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Brasil, da Universidade de Coimbra (UC) e do Instituto Politécnico de Tomar (IPT), foram encontradas dezenas de pegadas.

Há mais de um século, na Figueira da Foz, «foram descobertas as primeiras pegadas de dinossauros em Portugal. Assim, o nosso país entrou na rota dos estudiosos dos dinossauros. Através de novos estudos pormenorizados das rochas sedimentares com cerca de 156 milhões de anos, que ocorrem no Cabo Mondego, descobriu-se um registo que amplia o conhecimento acerca destes répteis do Mesozoico», explicam os autores do artigo científico, Ismar de Sousa Carvalho (UFRJ), Pedro Proença Cunha (UC) e Silvério Figueiredo (IPT).

O estudo agora publicado na revista Palaeoworld, prosseguem, apresenta a «caracterização dos aspetos morfológicos das pegadas e a sua relação com as superfícies arenosas por onde caminhavam. Os resultados obtidos evidenciam condições de humidade variadas associadas à génese das pegadas e uma grande diversidade de dinossauros».

Além disto, salientam os cientistas, «reconheceu-se que no decorrer do intervalo de 160 a 156 milhões de anos atrás existiu uma modificação nos grupos de dinossauros produtores de pegadas: predomínio inicial por herbívoros e carnívoros de grande porte e, ulteriormente, predomínio dos carnívoros de menor tamanho».

Com estas descobertas ampliou-se o número de camadas com pegadas de dinossauro caracterizadas no Monumento Natural do Cabo Mondego, transformando-o «num dos mais importantes marcos do registo fóssil ibérico, valorizando ainda mais o Geoparque do Atlântico», concluem.

O artigo científico, intitulado “Dinoturbation in Upper Jurassic siliciclastic levels at Cabo Mondego (Lusitanian Basin, Portugal): evidences in a fluvial-dominated deltaic succession”, está disponível em: https://doi.org/10.1016/j.palwor.2021.09.001.

Cristina Pinto – Assessoria de Imprensa – Universidade de Coimbra – Comunicação de Ciênciano âmbito do programa “Cultura, Ciência e Tecnologia na Imprensa”, promovido pela Associação Portuguesa de Imprensa.

Visitas Teste pelo Roteiro da Rede Patrimonial Viseu Dão Lafões

Municípios da Rede Patrimonial Viseu Dão Lafões realizam visitas-teste aos seus recursos culturais e patrimoniais

A Comunidade Intermunicipal (CIM) Viseu Dão Lafões, no âmbito da sua candidatura “Produtos Turísticos Integrados da Região – Ativação da Rede Patrimonial Intermunicipal”, financiada ao abrigo do Programa Centro 2020, tem vindo a promover um conjunto de iniciativas para a criação e ativação da Rede Patrimonial Intermunicipal.

Assim, com o envolvimento direto dos técnicos municipais de turismo e responsáveis pelos recursos culturais e patrimoniais dos seus 14 municípios, o processo de capacitação iniciado em novembro de 2020, culmina agora com a realização de um conjunto de visitas-teste. Estas visitas integram-se no processo de estruturação da Rede Patrimonial Viseu Dão Lafões, permitindo a realização de momentos de trabalho entre os municípios, através do conhecimento e descoberta dos recursos culturais e patrimoniais.

As visitas-teste são tidas como um formato prático e dinâmico, que permite aos técnicos das áreas da cultura, património e turismo, conhecer os recursos e produtos turísticos da região, no âmbito das suas competências e atividades de visitação, com o objetivo de promover a qualificação da oferta do segmento de Turismo Cultural.

 

As visitas-teste encontram-se a decorrer até ao dia 1 de outubro, com programas preparados ao pormenor pelos próprios municípios, atendendo aos recursos visados no Roteiro da Rede Patrimonial Viseu Dão Lafões. Esta ação permitirá intensificar as redes de colaboração e cooperação intermunicipais e qualificar a oferta turística da região.

Segundo o Secretário Executivo da CIM Viseu Dão Lafões, Nuno Martinho,  “A CIM tem vindo a trabalhar o posicionamento de Viseu Dão Lafões enquanto destino de excelência no âmbito do turismo cultural e patrimonial, nesse sentido temos focado o  nosso “know-how”, não só, na ativação e valorização dos inúmeros recursos patrimoniais do território, mas também, na qualificação dos técnicos e agentes de turismo, cultura e património espalhados pelo território“.

Neste esforço de valorização do património e de qualificação de recursos humanos, as visitas-teste, que a CIM se encontra a promover, afiguram-se como uma ferramenta essencial para o desenvolvimento de um conhecimento mais profundo da vasta riqueza arquitetónica, arqueológica e patrimonial que compõe todo o território de Viseu Dão Lafões, ficando os agentes turísticos mais qualificados para dar resposta às necessidades e questões dos turistas a uma escala intermunicipal“, concluiu.

Calendário:

· 23 e 24 de setembro: Aguiar da Beira, Mangualde, Penalva do Castelo, Sátão e Vila Nova de Paiva

· 30 de setembro e 1 de outubro: Castro Daire, São Pedro do Sul, Oliveira de Frades e Viseu

 

Busto de Homenagem à Nossa Senhora de Bom Sucesso em Chãs de Tavares

A União de Freguesias de Tavares como forma de homenagear as festividades no Monte da Nossa Senhora do Bom Sucesso, colocou uma imagem a dar as boas vinda aos visitantes que anualmente visitam o local.

Deste modo na impossibilidade de a festa não acontecer com normalidade este ano, onde apenas foi celebrada a Santa Missa, como forma de assinalar a data. Ficando a promessa de em 2022 acontecer a festividade completa.

XI Perícia da Guarda – Capital Europeia da Cultura

Vai realizar-se a XI Perícia da Guarda – Capital Europeia da Cultura, neste domingo, dia 19 de setembro, uma prova que se inclui no Campeonato de Portugal de Perícias e na terceira edição do Troféu Raiano de Perícia/Slalom 2021.
Naquela que será provavelmente a última prova do Campeonato de Portugal de Perícias vai decorrer, no Largo do Mercado Municipal da Guarda, a XI Perícia da Guarda.
Depois de uma luta intensa pelos primeiros lugares, tendo como vencedores nas provas anteriores Jorge Almeida, António Alexandre e António Borges, prevê-se que a Guarda assista a uma disputa igualmente empolgante pelo pódio da classificação geral e pelas diversas classes.
Na corrida da Guarda podem participar os pilotos inscritos no CPP e pilotos extracampeonato,
contando a organização com a presença de algumas dezenas de pilotos, vindos da região e de diferentes pontos do País.

Portugal City Brand Ranking© 2021_CENTRO Guarda está em nono

Desde a primeira edição do Bloom Consulting Portugal City Brand Ranking©, lançado em 2014, que Coimbra se destaca pela imunidade aos altos e baixos das posições, quer a nível nacional, quer a nível regional. Coimbra volta a assumir o 5º lugar nacional e o 1º lugar na região Centro. Apesar de não conseguir o pleno nas 3 dimensões este ano alcança o melhor “score” de Coimbra desde a primeira edição do Portugal City Brand Ranking©.

Desde a ascensão de Aveiro à segunda posição regional na edição de 2016 do Bloom Consulting Portugal City Brand Ranking© que não se assiste a qualquer alteração no Top 5 do ranking regional do Centro. Assim, o topo da tabela mantem-se inalterado com Coimbra, Aveiro, Leiria, Viseu e Torres Vedras entre os 5 primeiros classificados. Registam-se, no entanto, algumas mexidas nos rankings por dimensão desta região.

Aveiro perde o segundo lugar em Viver para Viseu e Torres Vedras a ganhar uma posição no ranking de Visitar. Figueira da Foz mantém a sua posição e no 7º lugar aparece Caldas da Rainha, aquém é atribuída a Marca Estrela da Região Centro. O Top 10 é fechado com Guarda, que sobe duas posições, Nazaré e Covilhã, a perder uma e duas posições respetivamente. O Top 15 tem ainda alguns destaques importantes como a subida de duas posições de Castelo Branco, com os albicastrenses a terem um desempenho de grande destaque na dimensão de Viver que lhes permite assegurar o 11º lugar. Peniche  volta ao Top 15 e volta a ganhar espaço entre os melhores desempenhos do centro subindo 5 pontos.

“Apesar das alterações verificadas na tabela regional do Centro, esta é uma região que nunca deixa de surpreender”, diz Filipe Roquette, Diretor Geral da Bloom Consulting Portugal, afirmando que “os excelentes desempenhos de Coimbra, Aveiro, Leiria, Viseu e Torres Vedras têm sido uma constante ao longo das últimas edições, mas os destaques não se ficam pelo topo da tabela. No Top 25 do ranking da região centro encontramos duas marcas estrelas: as Caldas da Rainha, Marca Estrela para a região centro, o que se deve à subida do seu “score” em todas as dimensões, muito graças a variação de novas empresas e estatísticas ligadas à saúde e ao ensino e Viseu que, não só mantém o seu lugar no topo do ranking da região centro, como é destacado como Marca Estrela no ranking Viver”.

A 7ª edição do Portugal City Brand Ranking© analisa o desempenho das marcas dos 308 municípios portugueses nas áreas do Turismo, Negócios e Talento, ao longo dos últimos anos, gerando rankings não só por categoria, mas também por região. Consulte o Ranking completo aqui.