Templates by BIGtheme NET
Início » Pintura

Pintura

Celorico da Beira- Elaborarem Postais de Natal

O Natal está à porta e, mesmo nos tempos conturbados que ainda atravessamos, é imperioso celebrar a vida e renovar a esperança.

A Câmara Municipal de Celorico da Beira lança o desafio, aos munícipes a elaborarem os Postais de Natal.

Todos podem apresentar até ao próximo dia 15 de dezembro, postais de Natal criativos e originais, resultantes de trabalhos de expressão artística de pintura, desenho, fotografia, recortes etc,,

Todos os participantes serão contemplados com um prémio personalizado eos trabalhos serão expostos numa galeria virtual no site e páginas do facebook do Município e do Centro Cultural.

Alguns trabalhos serão selecionados para serem utilizados como postais de Boas Festas do Município, nesta quadra natalícia.

Consulte as normas de participação em: www.cm-celoricodabeira.pt

Arte urbana pelos participantes do workshop em Gouveia

Já pode ser observada a obra artística levada a cabo pelos participantes do Workshop de Arte Urbana em Gouveia na parede junto ao Jardim de Infância de Gouveia, na Rua das Escolas.
O ambiente e a sustentabilidade foram os temas escolhidos para as pinturas que deram cor, beleza e movimento àquela artéria da cidade, pretendendo também constituir uma chamada de atenção para a adoção de comportamentos responsáveis no combate à poluição e ao consumo moderado e consciente de recursos naturais.
*Esta iniciativa é cofinanciada pelo Centro 2020, Portugal 2020 e União Europeia, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.
Um bom momento aqui representado nestas paredes gouveenses.
fotos:MG

Mangualde – Inscrições abertas para sessões de capacitação de arte

A comunidade mangualdense está a ser desafiada a colorir o Município, entre os dias 23 a 25 de agosto. Nos meses de agosto e setembro estão a ser promovidas sessões de capacitação em arte urbana nos Municípios do Alto Mondego Rede Cultural (Mangualde, Nelas, Fornos de Algodres e Gouveia). As inscrições para as sessões de capacitação de arte são gratuitas e já se encontram abertas. Os interessados deverão contactar a Biblioteca Municipal Dr. Alexandre Alves: 232 619 889.

“As pessoas vão ficar a perceber como funciona a arte urbana, quais as técnicas, qual a história e o porquê desta ser uma das artes deste século”, adianta o artista urbano Desy.

Esta iniciativa faz parte do projeto que desafiou o artista Desy a criar um mural em cada um dos Municípios, e irá culminar na criação de mais 4 murais, onde os participantes das sessões de capacitação poderão testar os seus conhecimentos e dar o seu contributo para embelezar os seus territórios.

As primeiras capacitações decorreram em Fornos de Algodres, de 2 a 4 de agosto, depois serão feitas em Gouveia de 12 a 14 de agosto.  Mangualde é o terceiro Município a acolher a iniciativa. As sessões decorrem entre 23 e 25 de agosto. A ação termina em Nelas com as capacitações de Arte Urbana a decorrerem de 6 a 8 de setembro.

“O envolvimento da comunidade é para mim a grande mais-valia destes projetos. As pessoas vão poder criar algo que é para o Município delas, mas é também delas”. “Os murais vão valorizar o Município, mas também vão valorizar as pessoas, muitas delas podem até perceber que é este o futuro que querem seguir e que é possível seguir este futuro”, sublinha Desy.

Nelas recebe “Sentinelas do Mar”

Através uma parceria instituída entre a Câmara Municipal de Nelas e a Autoridade Marítima Nacional, surge o Projeto “Sentinelas do Mar”, com a finalidade de divulgar o património em torno dos faróis nacionais (continentais e insulares).
Neste sentido o objetivo passa por valorizar um património notável e uma história ligada ao mar que tanto honra os portugueses. Os faróis tiveram sempre um papel importante tanto na orientação como também um sinal de regresso a casa durante os séculos. Por isso desempenham um papel importante na cultura, daí serem a grande maioria classificados como Monumentos Nacionais.

O Município de Nelas através do seu Vereador da Cultura Aires dos Santos, também ele pintor, convidou para este projeto 10 conceituados pintores ibéricos neste período pós de confinamento, com o intuito de poderem retomar as suas atividades artísticas.
Etimologia e breve historial da palavra Farol:

“O termo farol deriva da palavra grega Faros, nome da ilha próxima à cidade de Alexandria onde, no ano 280 a.C., foi erigido o farol de Alexandria — uma das sete maravilhas do mundo antigo. Faros deu origem a esta denominação em várias línguas românicas; como em francês (phare), em espanhol e em italiano (faro) e em romeno (far).
Os navegadores da Odisseia guiavam-se por fogos acesos nos promontórios. Um dos fogos mais antigos de cuja existência se sabe, é o que existia na ilha de Faro (Pharos), colocado em cima de uma torre de mármore branco de 135 metros de altura, mandado construir por Ptolomeu Filadelfo. Esta ilha, que pelo seu nome deu origem à palavra farol, foi ligada 285 anos a. C. por um molhe, à cidade de Alexandria. A torre, uma das sete maravilhas do Mundo, devido a vários tremores de terra que sofreu, acabou por se desmoronar em 1302.Em Portugal, o primeiro farol foi mandado acender em 1520, na torre do convento de S. Francisco, no Cabo de S. Vicente”

Cabendo à CMN a coordenação do projeto, gestão técnica das obras e organização evento inaugural  no seu Feriado Municipal! A partir das 15:30h no Balneário dos Ingleses na Urgeiriça a Exposição “Sentinelas do Mar” vai estar patente até domingo passando a itinerante inicialmente na Biblioteca Municipal de Nelas até 11 de julho  e posteriormente em Lisboa na AMN, também nas regiões autónomas e finalizando este ciclo de exposições na Associação das Caldas da Felgueira (parceira da iniciativa).
A exposição é composta por 33 obras dos seguintes 11 artistas:
1. Aires dos Santos
2. Alice Piloto
3. António Dias
4. Graça Freitas
5. José Dell Castillo
6. Lena Jorge
7. Luís Duro
8. Mário Costa
9. Nelson Santos
10. Nuno Angélico
11. Ricardo Rodrigues

Além da componente artística das pinturas, a Autoridade Marítima Nacional vem reforçar essa exposição com documentação e espólio alusivos à temática dos faróis, bem como de garantir o guionamento da exposição com a presença de dois faroleiros para toda a comunidade e publico escolar que queira realizar a visita!

Centro de Estudos Ibéricos celebra aniversário de nascimento de Eduardo Lourenço

O Centro de Estudos Ibéricos, associação transfronteiriça sediada na Guarda que resultou da parceria entre a Câmara Municipal da Guarda, as Universidades de Coimbra e de Salamanca e o Instituto Politécnico da Guarda, vai assinalar simbolicamente o aniversário do seu mentor no próximo dia 21 de maio com as seguintes iniciativas:

11h00 – Sessão de Entrega do Prémio Eduardo Lourenço 2020, ao Prof. Ángel Marcos de Dios, na Biblioteca Municipal Eduardo Lourenço, na Guarda (sessão presencial e online)

15h00 – Webinar “Leituras de Eduardo Lourenço”, com apresentação e moderação de Guilherme d´ Oliveira Martins e intervenções de Paulo Filipe Monteiro (Universidade Nova de Lisboa), Francisco Noa (Moçambique) e Nuno Grande (Universidade de Coimbra) (online)

17h00 – Inauguração do Memorial Eduardo Lourenço, na sede do Centro de Estudos Ibéricos, na Guarda – Apresentação da Gravura “Eduardo Lourenço – Heterodoxias” e da Medalha Comemorativa dos 20 anos do CEI (sessão presencial e online)

Sessão de Entrega do Prémio Eduardo Lourenço 2020 ao Prof. Ángel Marcos de Dios, Professor Catedrático jubilado da Universidade de Salamanca.

O Prémio Eduardo Lourenço visa galardoar personalidades ou instituições com intervenção relevante no âmbito da cultura, cidadania e cooperação ibéricas.

Na 16ª edição, o júri reconheceu o mérito académico e científico de Ángel Marcos de Dios na área da Língua e Literatura portuguesas e a sua longa e profícua dedicação ao desenvolvimento e aprofundamento das relações culturais e académicas entre Portugal e Espanha. O Catedrático da Universidade de Salamanca junta-se a um vasto leque de premiados, onde se inclui Maria Helena da Rocha Pereira, Professora da Universidade de Coimbra (2005), Maria João Pires, Pianista (2007), César António Molina, Escritor (2010), Mia Couto, Escritor (2011), Agustina Bessa- Luís, escritora (2015), Luis Sepúlveda, escritor (2016), Fernando Paulouro das Neves (2017), jornalista e escritor e Carlos Reis, professor e investigador (2019), entre outros.

Webinar “Leituras de Eduardo Lourenço”

Honrar o legado de Eduardo Lourenço também passa por manter o Conhecimento, a Cultura e a Cooperação como coordenadas estratégicas duma missão nele inspirada.

O Projeto “Leituras de Eduardo Lourenço” assume a obra do Ensaísta como elemento congregador e pretende, além de gerar um movimento cultural de discussão e (re)leitura critica do seu legado, promover a reflexão dum pensamento vasto e labiríntico através de múltiplas iniciativas, onde se inclui um Ciclo de Seminários que decorrerão durante 2021 e 2022.

O projeto é coordenado por António Pedro Pita (Universidade de Coimbra), Margarida Calafate Ribeiro e Roberto Vecchi (Cátedra Eduardo Lourenço, Universidade de Bolonha) e Rui Jacinto (Centro de Estudos Ibéricos e CEGOT-Universidade de Coimbra).

Apresentação e Moderação:

Guilherme d´ Oliveira Martins – Administrador da Fundação Calouste Gulbenkian e Presidente do Centro Nacional de Cultura

Intervenções: Paulo Filipe Monteiro (Universidade Nova de Lisboa) Francisco Noa (Moçambique); Nuno Grande (Universidade de Coimbra)

Informações e inscrições: https://www.cei.pt/webinar-leituras-de-eduardo-lourenco/

(cartaz em anexo)

Memorial Eduardo Lourenço

A ideia seminal lançada pelo Professor Eduardo Lourenço (1923-2000) num célebre discurso que proferiu em 27 de novembro de 1999, por altura das Comemorações do Oitavo Centenário da Cidade da Guarda, que intitulou “Oito séculos de altiva solidão”, esteve na génese do Centro de Estudos Ibéricos (CEI) e da relação tutelar que acabaria por manter com o Centro criado sob a sua inspiração.

No ano em que se comemoram 20 anos da assinatura do protocolo fundador do CEI entre os Reitores da Universidade de Coimbra, da Universidade de Salamanca e a Presidente da Câmara Municipal da Guarda (27.11.2000), como da formalização da respetiva escritura pública (18.05.2001), o Centro de Estudos Ibéricos presta uma singela e sentida homenagem ao seu mentor, patrono e Diretor Honorífico com a inauguração de um espaço Memorial na sua  sede  onde estão expostos alguns Prémios, Diplomas e Condecorações que o Professor Eduardo Lourenço legou à Guarda.

Para assinalar a data, será apresentada a Gravura “Eduardo Lourenço – Heterodoxias” e a medalha comemorativa dos vinte anos do CEI, ambas da autoria de João Pedro Cochofel.

Museu Municipal de Arte Moderna Abel Manta abre ao público dia 12

Vai ser na  próxima segunda-feira, dia 12 de abril, que o Museu Municipal de Arte Moderna Abel Manta reabre ao público, para tal, é  marcada pela exposição de quatro novas peças. O Município adquiriu uma pintura a óleo de Abel Manta, denominada a “Paisagem”, de 1945; o Dr.º Francisco George doou dois desenhos a tinta da china de João Abel Manta, criados durante a estadia na prisão de Caxias; Carlos Nabais doou o negativo em vidro de uma fotografia de Abel Manta, pelos anos 50.
Estas novas incorporações foram integradas nas áreas de exposição permanente do Museu e vieram enriquecer, em muito, o acervo do Museu Municipal de Arte Moderna Abel Manta.
A abertura do Museu Municipal Abel Manta cumpre as normas de segurança e medidas de higiene e proteção recomendadas pela DGS e enquadra-se no movimento de reabertura dos espaços culturais, de acordo com o plano de desconfinamento.
O Museu Municipal de Arte Moderna Abel Manta está a ser alvo de obras de beneficiação, reabre apenas o primeiro piso, onde pode ser visitada boa parte da exposição permanente do Museu, de 2ª a 6ª feira, entre as 09h30 e as 12h30 e entre as 14h00 e as 18h00.

Parlamento dos Jovens – Ensino Secundário-AEFA vai estar na Assembleia da República

Recentemente teve lugar a sessão distrital da Guarda do programa “Parlamento dos Jovens – Ensino Secundário”, referente ao ano letivo 2020/2021, que tem habitualmente a participação dos alunos do Agrupamento de Escolas de Fornos de Algodres (AEFA).

Deste modo, como vice-presidente da mesa,  interveio Henrique Quelhas Bonifácio (10ºA) e como deputados Margarida Rodrigues (12ºA), Diana Pina (12ºA) e Rodrigo Sousa (11ºB). A iniciativa decorreu, este ano, por videoconferência, devido à situação pandémica atual.

Neste evento distrital, o AEFA destacou-se como a escola mais votada de entre as três, neste caso Trancoso e Foz Côa, que irão representar o distrito da Guarda na Sessão Nacional de junho, na Assembleia da República. Além disso, o aluno Rodrigo Sousa foi eleito porta-voz do distrito.

Esteve a acompanhar a sessão e respondeu a algumas questões o Deputado Santinho Pacheco.

Para junho, da AEFA  vão estar presentes na Assembleia da República, os deputados Margarida Rodrigues, Diana Pina e Rodrigo Sousa e o jornalista que acompanha a delegação é Henrique Quelhas, que toda a reportagem efetuada virá a ser publicada aqui no nosso jornal.

Confinamento em Portugal–Medidas e excepções aplicadas

O novo confinamento chegou com António Costa , primeiro.ministro de Portugal, a anunciar as medidas que entram em vigor às 00horas desta sexta-feira. Estas medidas serão revistas de 15 em 15 dias. “Seria iludir os portugueses dizer que tenho a esperança que em 15 dias possamos estar a aliviar estas medidas”, realçou o lider governamental.

  • Dever de recolhimento domiciliário semelhante ao de “março e abril” do ano passado.
  • Governo mantém em pleno funcionamento dos todos os estabelecimentos educativos (creches, escolas e universidades).
  • Teletralho obrigatório, com coimas agravadas em caso de incumprimento.
  • Coimas previstas para a violação das normas relativas à pandemia
  • A não sujeição a teste à chegada ao aeroporto será alvo de contraordenação (com coima a variar entre os 300 e os 800 euros);
  • Apoios vão ser alargados e as atividades forçadas a encerrar voltam a ter acesso ao ‘lay-off’ simplificado. O reforço das medidas de apoio vai também abranger o setor social. Os detalhes sobre o reforço dos apoios às empresas serão apresentados quinta-feira pelo ministro da Economia;
  • Princípio da continuidade territorial assegurado. Voos entre o Continente e os Açores e Madeira permanecem sem restrições;
  • Onde pode ir / o que pode fazer
    • Eleitores podem sair para votar nos dias 17 e 24 de janeiro;
    •  Mantêm-se abertos supermercados, mercearias, farmácias e dentistas e outros serviços de bens essenciais;
    • Restaurantes e cafés só poderão funcionar em take-away ou entrega ao domicílio. Mercearias e supermercados abertos, mas com lotação limitada a 5 pessoas por 100 m2;
    • É permitido o funcionamento de feiras e mercados, nos casos de venda de produtos alimentares;
    • Serviços públicos disponíveis mediante marcação prévia;
    • Tribunais mantêm-se abertos;
    • Funerais condicionados mas permitido. A fixação de um limite máximo de presenças será determinada pela autarquia local que exerce os poderes de gestão do respetivo cemitério;
    • Será possível fazer exercício ao ar livre;
  • Onde não pode ir / o que não pode fazer:
    • Cabeleireiros e barbearias vão ter de encerrar;
    • Todos os eventos  públicos proibidos, com excepção as ações de campanha eleitoral e celebrações religiosas (de acordo com as normas da DGS);
    • Ginásios, pavilhões e outros recintos desportivos estarão encerrados. Os jogos das seleções nacionais e da 1ª divisão sénior não terão público;
    • É proibido o consumo de bebidas alcoólicas em espaços ao ar livre de acesso ao público e vias públicas;
    • Equipamentos culturais voltam a ter de encerrar.

Exceções à regra:

Agora em relação ao comercio existe um agrande leque de estabelecimentos que podem estar abertos:

1- Mercearias, minimercados, supermercados, hipermercados;

2- Frutarias, talhos, peixarias, padarias;

3- Feiras e mercados;

4- Produção e distribuição agroalimentar;

5- Lotas;

6- Restauração e bebidas para efeitos de entrega ao domicílio, diretamente ou através de intermediário, bem como para disponibilização de refeições ou produtos embalados à porta do estabelecimento ou ao postigo (take-away);

7- Atividades de comércio eletrónico, bem como as atividades de prestação de serviços que sejam prestados à distância, sem contacto com o público, ou que desenvolvam a sua atividade através de plataforma eletrónica;

8- Serviços médicos ou outros serviços de saúde e apoio social;

9- Farmácias e locais de venda de medicamentos não sujeitos a receita médica;

10- Estabelecimentos de produtos médicos e ortopédicos;

11- Oculistas;

12- Estabelecimentos de produtos cosméticos e de higiene;

13- Estabelecimentos de produtos naturais e dietéticos;

14- Serviços públicos essenciais e respetiva reparação e manutenção (água, energia elétrica, gás natural e gases de petróleo liquefeitos canalizados, comunicações eletrónicas, serviços postais, serviço de recolha e tratamento de águas residuais, serviços de recolha e tratamento de efluentes, serviços de gestão de resíduos sólidos urbanos e de higiene urbana e serviço de transporte de passageiros);

15- Serviços habilitados para o fornecimento de água, a recolha e tratamento de águas residuais e ou de resíduos gerados no âmbito das atividades ou nos estabelecimentos referidos no presente anexo;

16- Papelarias e tabacarias (jornais, tabaco);

17- Jogos sociais;

18- Centros de atendimento médico-veterinário;

19- Estabelecimentos de venda de animais de companhia e de alimentos e rações;

20- Estabelecimentos de venda de flores, plantas, sementes e fertilizantes e produtos fitossanitários químicos e biológicos;

21- Estabelecimentos de lavagem e limpeza a seco de têxteis e peles;

22- Drogarias;

23- Lojas de ferragens e estabelecimentos de venda de material de bricolage;

24- Postos de abastecimento de combustível e postos de carregamento de veículos elétricos;

25- Estabelecimentos de venda de combustíveis para uso doméstico;

26- Estabelecimentos de comércio, manutenção e reparação de velocípedes, veículos automóveis e motociclos, tratores e máquinas agrícolas e industriais, navios e embarcações, bem como venda de peças e acessórios e serviços de reboque;

27- Estabelecimentos de venda e reparação de eletrodomésticos, equipamento informático e de comunicações;

28- Serviços bancários, financeiros e seguros;

29- Atividades funerárias e conexas;

30- Serviços de manutenção e reparações ao domicílio;

31- Serviços de segurança ou de vigilância ao domicílio;

32- Atividades de limpeza, desinfeção, desratização e similares;

33- Serviços de entrega ao domicílio;

34- Máquinas de vending;

35- Atividade por vendedores itinerantes, para disponibilização de bens de primeira necessidade ou de outros bens considerados essenciais na presente conjuntura, nas localidades onde essa atividade seja necessária para garantir o acesso a bens essenciais pela população;

36- Atividade de aluguer de veículos de mercadorias sem condutor (rent-a-cargo);

37- Atividade de aluguer de veículos de passageiros sem condutor (rent-a-car);

38- Prestação de serviços de execução ou beneficiação das Redes de Faixas de Gestão de Combustível;

39- Estabelecimentos de venda de material e equipamento de rega, assim como produtos relacionados com a vinificação, assim como material de acomodação de frutas e legumes;

40- Estabelecimentos de venda de produtos fitofarmacêuticos e biocidas;

41- Estabelecimentos de venda de medicamentos veterinários;

42- Estabelecimentos onde se prestem serviços médicos ou outros serviços de saúde e apoio social, designadamente hospitais, consultórios e clínicas, clínicas dentárias e centros de atendimento médico-veterinário com urgência, bem como aos serviços de suporte integrados nestes locais;

43- Estabelecimentos educativos, de ensino e de formação profissional, creches, centros de atividades ocupacionais e espaços onde funcionem respostas no âmbito da escola a tempo inteiro, onde se incluem atividades de animação e de apoio à família, da componente de apoio à família e de enriquecimento curricular, bem como escolas de línguas e centros de explicações;
44- Escolas de condução e centros de inspeção técnica de veículos;

45- Hotéis, estabelecimentos turísticos e estabelecimentos de alojamento local, bem como estabelecimentos que garantam alojamento estudantil;

46- Atividades de prestação de serviços que integrem autoestradas, designadamente áreas de serviço e postos de abastecimento de combustíveis;

47- Postos de abastecimento de combustíveis não abrangidos pelo número anterior e postos de carregamento de veículos elétricos;

48- Estabelecimentos situados no interior de aeroportos situados em território continental, após o controlo de segurança dos passageiros.

49- Cantinas ou refeitórios que se encontrem em regular funcionamento;

50- Outras unidades de restauração coletiva cujos serviços de restauração sejam praticados ao abrigo de um contrato de execução continuada;

51- Notários;

52-Atividades e estabelecimentos enunciados nos números anteriores, ainda que integrados em centros comerciais.

A regra é simples: cada um de nós deve ficar em casa”ressalva António Costa

“Não há cansaço que nos permita assumir esta dor coletiva de continuarmos a ter mais de uma centena de mortes por dia. Não é aceitável e temos de parar isto”, disse António Costa após o Conselho de Ministros de hoje.

Por isso, “a mensagem fundamental” é, segundo o primeiro-ministro, “regressar ao dever de recolhimento domiciliário”, tal como em março e em abril, quando foi possível travar com sucesso a primeira vaga.

Na perspetiva do primeiro-ministro, Portugal está a viver “um momento que é simultaneamente mais perigoso, mas também um momento de maior esperança”.

“Quando hoje vimos uma senhora de 111 anos, num Lar em Gouveia, a ser vacinada, isso acalenta-nos a esperança de saber que será possível vencer esta pandemia”, exemplificou.

No entanto, para Costa, quando hoje em Portugal morreram mais 156 pessoas por covid-19, na terça-feira mais 155, “um total de 535 pessoas que morreram vítimas da covid desde o passado domingo”, percebe-se que Portugal está “num momento mais perigoso”.

“Pior. O que torna este momento particularmente difícil é que a mesma esperança que a vacina nos dá de que podemos vencer a pandemia é a mesma esperança que alimenta o relaxamento que torna mais perigosa esta pandemia”, avisou.

Este é um dos aqueles momentos, apelou o chefe do executivo, em que mais uma vez é preciso mobilização “com sentido de comunidade”, sabendo que “o salvamento de cada um de nós depende do salvamento de todos nós”.

“Temos de novo, tal como fizemos no início desta pandemia, tal como tivemos de fazer em junho, tal como tivemos que fazer em outubro, de nos unir com o firme propósito de travar o crescimento da pandemia, esmagar esta curva, salvar vidas, proteger o SNS, apoiarmos os profissionais da saúde e tratar de nos ajudarmos uns aos outros a proteger a nossa saúde em conjunto”, explicou.

 

9.ª edição do concurso “Postal de Natal Ecológico” promovido em Gouveia

Decorre até ao dia 15 de dezembro, a 9.ª edição do concurso “Postal de Natal Ecológico”, destinado aos alunos das escolas do concelho, numa iniciativa do Município de Gouveia.

O objetivo deste concurso passa por “desafiar as crianças a conceber um postal de Natal feito à base de materiais recicláveis, promovendo a sua criatividade e imaginação” e sensibilizar os participantes para a proteção do meio ambiente, através da redução na produção de resíduos, integrado no programa “Eco Escolas”.

A autarquia de Gouveia organiza a iniciativa com a colaboração da Associação de Municípios do Planalto Beirão, do Núcleo Regional da Quercus – Guarda e da empresa H. Sarah Trading.

Uso de Máscara obrigatório nas vias públicas

Foi assim promulgada pelo Presidente da República e entra em vigor, esta madrugada, o uso obrigatório de máscaras nas vias públicas.

A Lei n.º 62-A/2020 de 27 de outubro veio estabelecer a imposição transitória da obrigatoriedade do uso de máscara em espaços públicos.
Artigo 3.º
Uso de máscara
1 – É obrigatório o uso de máscara por pessoas com idade a partir dos 10 anos para o acesso, circulação ou permanência nos espaços e vias públicas sempre que o distanciamento físico recomendado pelas autoridades de saúde se mostre impraticável.