Templates by BIGtheme NET
Início » Região

Região

AF Viseu –Campeonato da Divisão de Honra   6ªjornada

Grupo Norte

Nespereira FC – SC Lamego-3-2

CD Cinfães – Paivense-0-1

Lamelas – GD Resende- 1-0

Moimenta da Beira – GD Parada- 2-0

Classificação:

1º- GD Resende- 15

2º-Lamelas-13

3º-Moimenta da Beira-12

4º-SC Lamego-8

5º-Paivense-6

6º-CD Cinfães-6

7º-GD Parada-4

8º-Nespereira FC-3

 

Centro

Oliv. Frades – SC Penalva do Castelo-1-1

Carvalhais FC – Sátão-2-0

Lusitano Fc Vildemoinhos –  Campia- 5-0

Roriz –  Sampedrense-0-0

Classificação:

1º-Lusitano Fc-12

2º-Oliv.Frades-11

3º-Carvalhais-10

4º-Sátão-10

5º-SC Penalva do Castelo-8

6º-Sampedrense-6

7ºRoriz-4

8º-Campia-3

 

Sul

Canas Senhorim – SL Nelas-1-2

Vale de Açores – GD Mangualde-2-0

Moimenta Dão – Molelos-3-2

Carregal do Sal – Mortágua FC-0-1

Classificação:

1º-Mortágua FC-18

2º-SL Nelas-11

3º-Vale de Açores-10

4º-Canas Senhorim-9

5º-Molelos-7

6º-GD Mangualde-6

7º-Moimenta Dão-5

8º-Carregal do Sal-1

AF Guarda — Campeonato Distrital 1ªDivisão 6ªjornada

Freixo Numão – Casal Cinza-1-0

AD Fornos de Algodres – SC Sabugal-3-1

SC Celoricense – UD Os Pinhelenses-2-1

Soito – Aguiar da Beira-0-2

Vila Cortez – VF Naves-2-1

GD Trancoso – Guarda DFC-0-0

Estrela Almeida – Foz Côa-1-5

 

Douce France conquista Grande Prémio na 27ª Edição do CineEco

O Festival Internacional de Cinema Ambiental da Serra da Estrela acaba de anunciar os vencedores da 27ª edição, num ano em que a produção europeia e nacional provou a sua grande vitalidade na abordagem diversa e crítica sobre as temáticas ambientais. O CineEco em Seia fechou as portas ao grande ecrã este sábado, mas parte em itinerância pelo país já nos próximos meses por associações, teatros, universidades e auditórios. A próxima edição do Festival em Seia tem já data marcada e irá realizar-se entre 8 e 15 de outubro

© Elzévir Films – De Deux Choses Lune, “Douce France

Douce France” arrecadou o “Grande Prémio Ambiente – Câmara Municipal de Seia”. A obra de Geoffrey Couanon retrata a aventura ecológica e social de um grupo de jovens estudantes sobre o polémico projeto de construção de um complexo comercial – EuropaCity – na sua terra-natal. Um filme-documentário revelador, que nos leva a refletir sobre os nossos próprios modelos de consumo, a produção agrícola e as escolhas que tomamos, ou não, na nossa comunidade.

O “Prémio Antropologia Ambiental – Zurich Seguros” coube a “Arica”, de Lars Edman, William Johansson Kalén, um documentário sobre o chamado colonialismo tóxico e que dá a conhecer um inédito julgamento transnacional para apurar a responsabilidade de uma empresa de minério sueca, que chegou a exportar milhares de toneladas de lixo tóxico para a cidade chilena, Arica.

Menção Honrosa Longa-Metragem Internacional foi conquistada por Svetlana Rodina, com “Ostrov – Lost Island”.

Na Competição Internacional de Curtas-Metragens, a viagem de um grupo de crianças de colónias extraplanetárias rumo a uma Terra inabitável, “Flight to Earth” de Ignacio Rodó, conseguiu o “Prémio Curta-Metragem Internacional – Turistrela”. Já o “Prémio Educação Ambiental – Associação Mares Navegados” coube ao filme de animação “#fishingtheplastic”, da autoria de Marina Lobo realizadora do igualmente premiado, “Aquametragem” que integrou a competição da 25ª edição do CineEco . Nesta Competição específica, o júri do CineEco 2021 atribuiu 3 Menções Honrosas, a saber: “Migrants” de Hugo Caby, Antoine Dupriez, Aubin Kubiak, Lucas Lermytte, Zoé Devise; “Acorns” de Bradley Furnish e “Centrifugadora” de Ignacio Rodó.

Na Competição de Séries e Reportagens Televisivas, o “Prémio Televisão” rumou para o documentário francês, “Vert de Rage, du charbon dans les poumons (Green Warriors: Coal in the Lugs)” de Martin Boudot que, juntamente com um grupo de cientistas, cidadãos e jornalistas, seguiu na busca pelas provas de contaminação do ar. A Menção Honrosa nesta categoria foi atribuída a “O lado negro do azeite” de Sandra Cóias e Pedro Rego; “Des legumes dans la ville” de Aurelien Francisco Barros e “Migradores de Longa Distância – Entre o Tejo e o Ártico” de Pedro Miguel Ferreira e Joaquim Pedro Ferreira.

Na Competição de filmes e documentários em Língua Portuguesa, o “Prémio Camacho Costa – Lipor” na categoria Longa-Metragem ficou com Márcia Paraíso e Francisco Colombo para o documentário “Sobre Sonhos e liberdade”, filme que aborda o contexto da abolição da escravatura no Brasil, um dos momentos cruciais da história deste país. O “Prémio Curta-Metragem em Língua Portuguesa” foi conquistado por Bruno Lourenço com “Oso”, relato sobre o possível regresso do urso-pardo ao norte de Portugal e os obstáculos criados pelo Homem e pela vontade do urso. As Menções Honrosas ficaram para “A nossa terra, o nosso altar” de André Guiomar e “A Mala” de Diogo Pereira e Angelizabel Freitas, respetivamente nas categorias de Longas-Metragens e Curtas-Metragens.

O jovem senense, Gabriel Ambrósio, conquistou o “Prémio Panorama Regional – Casa da Passarella” com a curta-metragem “Um Quadro de História” sobre a vida das abelhas e do processo de criação de mel. O “Prémio Valor da Água – Águas do Vale do Tejo” seguiu para “Living Water” de Pavel Borecký, um filme que aborda uma bomba-relógio ambiental e a história de luta entre beduínos, engenheiros e agricultores pelo “ouro azul” num dos países mais pobres em termos de recursos de água, a Jordânia.

Júri da Juventude, composto por um painel de 6 jovens, atribuiu os seguintes galardões em todas as competições: Prémio Juventude Longa-Metragem para “Ophir” de Alexandre Berman e Olivier Pollet; Menções Honrosas foram para “Douce France” de Geoffrey Couanon; “Arica” de Lars Edman e William Johansson Kalén. Prémio Juventude Curta-Metragem atribuído a “Flight To Earth” de Ignacio Rodó com as Menções Honrosas para “Acorns” de Bradley Furnish; Prémio Juventude Séries e Reportagens Televisivas para “O lado negro do azeite” de  Sandra Cóias e Pedro Rego com a Menção Honrosa a seguir para “Plástico, o novo continente (episódio 1)” de Catarina Canelas; o Prémio Juventude Longa-Metragem em Língua Portuguesa para “A nossa terra, o nosso altar” de André Guiomar e Prémio para Curtas-Metragens “Para cá do Marão”, José Mazeda, com as Menções Honrosas  para Curtas-Metragens em Língua Portuguesa atribuídas a “O que não se vê” de Paulo Abreu e “Alma” de Mónica Santos; para o Prémio Juventude Panorama Regional, o júri da juventude escolheu premiar “Um Quadro de História” de Gabriel Ambrósio. Nesta categoria, a Menção Honrosa coube a “O Meu Vento é o Norte” de Mariana Silveira.

Portugal, França e Espanha foram os países com maior representação cinematográfica na Competição Oficial da 27ª edição do CineEco que decorreu na Casa Municipal da Cultura de Seia, entre 9 e 16 de outubro. Este ano, o mais antigo festival de cinema ambiental do mundo recebeu 93 filmes de mais de 20 países, uma edição marcada pelo regresso do público às salas de cinema, com todas as sessões praticamente esgotadas ainda que tivessem sido salvaguardadas todas as regras de segurança e higiene recomendadas pela Direção-Geral de Saúde.

«A partir de Seia, cidade pequena do interior de Portugal, continuamos a construir um Festival para todos e a apostar cada vez mais na produção nacional, sem nunca esquecer o que de melhor se faz em todo mundo. O CineEco voltou a trazer à luz do dia algumas das mais prementes temáticas relacionadas com o Ambiente e já é o centro de discussão das problemáticas que assolam as comunidades e que se relacionam com as alterações climáticas; o lixo tóxico, a poluição atmosférica, a falta de água, entre outros temas. Uma palavra para os jovens que regressaram em força e voltaram a marcar a diferença, quer na apresentação de trabalhos em competição, que na forte afluência ao auditório e cineteatro para participarem nas Ecotalks e restantes atividades paralelas», concretiza a Direção do Festival.

PALMARÉS 27ª EDIÇÃO CINEECO

>> COMPETIÇÃO INTERNACIONAL DE LONGAS-METRAGENS

>> GRANDE PRÉMIO AMBIENTE _ Câmara Municipal de Seia

DOUCE FRANCE, Geoffrey Couanon, França, 2020, Documentário (96’)

>> PRÉMIO ANTROPOLOGIA AMBIENTAL _ Zurich Seguros

ARICA, Lars Edman e William Johansson Kalén, Suécia, Chile, Noruega, Bélgica e UK,

2020, Documentário (95’)

>> MENÇÃO HONROSA LONGA-METRAGEM INTERNACIONAL

OSTROV – LOST ISLAND, SVETLANA RODINA, Suíça, 2021, Documentário (93’)

 

>> COMPETIÇÃO INTERNACIONAL DE CURTAS-METRAGENS

>> PRÉMIO CURTA-METRAGEM INTERNACIONAL _ Turistrela

FLIGHT TO EARTH, Ignacio Rodó, Espanha, 2021, Animação (6’)

>> PRÉMIO EDUCAÇÃO AMBIENTAL _ Associação Mares Navegados

#FISHINGTHEPLASTIC, Marina Lobo, Portugal, 2020, Animação (4’)

>> MENÇÃO HONROSA CURTA-METRAGEM INTERNACIONAL

MIGRANTS, Hugo Caby, Antoine Dupriez, Aubin Kubiak, Lucas Lermytte e Zoé Devise,

França, 2020, Animação (8′)

ACORNS, Bradley Furnish, Bradley Furnish, EUA, 2020, Animação (16’)

CENTRIFUGADORA, Ignacio Rodó, Espanha, 2020, Ficção (2’)

 

>> COMPETIÇÃO DE SÉRIES E REPORTAGENS TELEVISIVAS

 

>> PRÉMIO TELEVISÃO

VERT DE RAGE, DU CHARBON DANS LES POUMONS (GREEN WARRIORS: COAL IN

THE LUGS), Martin Boudot, França, 2021, Documentário (49’)

>> MENÇÃO HONROSA TELEVISÃO

O LADO NEGRO DO AZEITE, Sandra Cóias e Pedro Rego, Portugal, 2021,

Documentário (31’)

DES LEGUMES DANS LA VILLE, Aurelien Francisco Barros, França, 2020,

Documentário TV (53’)

MIGRADORES DE LONGA DISTÂNCIA – ENTRE O TEJO E O ÁRTICO, Pedro Miguel

Ferreira e Joaquim Pedro Ferreira, Portugal, 2020, Documentário (52’)

 

 

 

>> COMPETIÇÃO EM LÍNGUA PORTUGUESA

 

>> PRÉMIO CAMACHO COSTA | LONGA-METRAGEM EM LÍNGUA PORTUGUESA _ Lipor

SOBRE SONHOS E LIBERDADE, Márcia Paraíso e Francisco Colombo, Brasil, 2020,

Documentário (70’)

>> MENÇÃO HONROSA LONGA-METRAGEM EM LÍNGUA PORTUGUESA

A NOSSA TERRA, O NOSSO ALTAR, André Guiomar, Portugal, 2020,

Documentário (78’)

>> PRÉMIO CURTA-METRAGEM EM LÍNGUA PORTUGUESA

OSO, Bruno Lourenço, Portugal, 2021, Ficção (29’)

>> MENÇÃO HONROSA CURTA-METRAGEM EM LÍNGUA PORTUGUESA

A MALA, Diogo Pereira e Angelizabel Freitas, Portugal, 2021, Ficção (5’)

>> PRÉMIO PANORAMA REGIONAL _ Casa da Passarella

UM QUADRO DE HISTÓRIA, Gabriel Ambrósio, Seia, Portugal, 2021,

Documentário (16’25’’)

>> PRÉMIO VALOR DA ÁGUA _ Águas do Vale do Tejo

LIVING WATER, Pavel Borecký, Suíça, República Checa e Jordânia, 2020,

Documentário (77’)

 

>> JÚRI DA JUVENTUDE

 

>> PRÉMIO JUVENTUDE LONGA-METRAGEM INTERNACIONAL

OPHIR, Alexandre Berman e Olivier Pollet, França e UK, 2020, Documentário (97’)’

>> MENÇÃO HONROSAS JUVENTUDE LONGA-METRAGEM INTERNACIONAL

DOUCE FRANCE, Geoffrey Couanon, França, 2020, Documentário (96’)

ARICA, Lars Edman e William Johansson Kalén, Suécia, Chile, Noruega, Bélgica e UK,

2020, Documentário (95’)

>> PRÉMIO JUVENTUDE CURTA-METRAGEM INTERNACIONAL

FLIGHT TO EARTH, Ignacio Rodó, Espanha, 2021, Animação (6’)

>> MENÇÃO HONROSA JUVENTUDE CURTA-METRAGEM INTERNACIONAL

ACORNS, Bradley Furnish, Bradley Furnish, EUA, 2020, Animação (16’)

>> PRÉMIO JUVENTUDE TELEVISÃO

O LADO NEGRO DO AZEITE, Sandra Cóias e Pedro Rego, Portugal, 2021,

Documentário (31’)

>> MENÇÃO HONROSA JUVENTUDE TELEVISÃO

PLÁSTICO, O NOVO CONTINENTE (EPISÓDIO 1), Catarina Canelas, TVI,

Portugal, 2020, Documentário (17’)

>> PRÉMIO JUVENTUDE LONGA-METRAGEM EM LÍNGUA PORTUGUESA

A NOSSA TERRA, O NOSSO ALTAR, André Guiomar, Portugal, 2020,

Documentário (78’)

>> PRÉMIO JUVENTUDE CURTA-METRAGEM EM LÍNGUA PORTUGUESA

PARA CÁ DO MARÃO, José Mazeda, Portugal, 2020, Ficção (22’)

>> MENÇÃO HONROSA JUVENTUDE CURTA-METRAGEM EM LÍNGUA PORTUGUESA

O QUE NÃO SE VÊ, Paulo Abreu, Portugal, 2020, Experimental/Ensaio (24’)

ALMA, Mónica Santos, Portugal, 2020, Experimental (8’)

>> PRÉMIO JUVENTUDE PANORAMA REGIONAL

UM QUADRO DE HISTÓRIA, Gabriel Ambrósio, Seia, Portugal, 2021,

Documentário (16’25’’)

>> MENÇÃO HONROSA JUVENTUDE PANORAMA REGIONAL

O MEU VENTO É O NORTE, Mariana Silveira, UBI, Covilhã, Portugal, 2021,

Ficção (8’37’’)

Sobre o CineEco

O CineEco é membro fundador e faz parte da direção da Green Film Network, uma plataforma de 40 festivais de cinema ambiental. É organizado há 26 anos pelo Município de Seia e conta com o Alto Patrocínio do Presidente da República e do Departamento de Ambiente das Nações Unidas.

O Ciclo “12 em Rede – Aldeias em Festa” 2021em Idanha

Sabores e iguarias de Idanha-a-Velha inspiram um dia pleno de emoções na Aldeia Histórica

Sob o mote “Nas Terras do Rei Wamba… Há Pão!”, o Ciclo “12 em Rede – Aldeias em Festa” 2021 promove, no próximo dia 30 de outubro, um dia dedicado à gastronomia da Aldeia Histórica, com muitas surpresas e atividades para todos os gostos e idades.

Reza a lenda que, no lugar que hoje conhecemos como a Aldeia Histórica de Idanha-a-Velha, um humilde lavrador chamado Wamba tornou-se rei dos Visigodos (um dos vários povos que passou por aquele território). Ancorada numa paisagem de montado e olival, naquele tempo e até hoje, o sustento dos homens andou sempre de mão dada com a terra.

A gastronomia é, por isso, um dos grandes atrativos da Aldeia Histórica de Idanha-a-Velha, sendo o mote para o décimo evento do Ciclo “12 em Rede – Aldeias em Festa” 2021 que, durante todo o ano, leva animação e cultura às 12 Aldeias Históricas de Portugal.

Com o tema “Nas Terras do Rei Wamba… Há Pão!”, no próximo dia 30 de outubro, visitantes e habitantes podem participar, por exemplo, em workshops para aprender a fazer pão ou “borrachões” (biscoito típico da Aldeia Histórica de Idanha-a-Velha), visitar a mostra de produtos endógenos, ouvir “Estórias de Pão” (atividade direcionada para o público infanto-juvenil), assistir ao lançamento do Fascículo II de receitas desenvolvidas e confeccionadas nos workshops das edições 2020/2021 do Ciclo de eventos “12 em Rede” ou ao showcooking “Ervas e Aromas” com a chef Maria Caldeira de Sousa.

Como, pelo notável conjunto de ruínas que conserva, a Aldeia Histórica de Idanha-a-Velha é uma das mais importantes estações arqueológicas do país, o evento irá incluir, também, momentos lúdico-educativos sobre o tema. Por exemplo, duas visitas ao atelier “MosaicoLab”, que se irão focar no legado da arte do mosaico pela civilização romana, e que pode ser observado em Idanha-a-Velha, e um percurso orientado pela extraordinária coleção epigráfica da Aldeia Histórica. As visitas atelier “MosaicoLab” repetem-se ainda no dia seguinte, domingo, dia 31 de outubro.

Não faltará também um momento musical, com a acordeonista, cantora e compositora Celina da Piedade, cuja sonoridade folk, inspirada no cancioneiro tradicional alentejano, promete terminar o dia de sábado, em grande, na Aldeia Histórica de Idanha-a-Velha.

Devido à pandemia, a participação no evento será limitada e sujeita a inscrição prévia – mas a festa poderá ser sentida e vivida em todo o mundo, via streaming, no Facebook das Aldeias Históricas de Portugal.

A inscrição, que é gratuita, pode ser feita para a totalidade do evento ou apenas para um momento específico, como um concerto ou uma visita guiada – sendo que o limite de participantes dependerá do espaço e da tipologia de cada atividade. Pode inscrever-se para o evento na Aldeia Histórica de Idanha-a-Velha junto do Gabinete de Turismo da Câmara Municipal de Idanha-a-Nova, de forma presencial ou através do número de telefone 277202900 ou do turismo@cm-idanhanova.pt, ou o Posto de Turismo de Idanha-a-Velha, de forma presencial.

O evento é promovido pela Aldeias Históricas de Portugal – Associação de Desenvolvimento Turístico, numa organização do Município de Idanha-a-Nova, Junta de Freguesia da União de Freguesias de Monsanto e Idanha-a-Velha, Associações e Agentes Económicos locais. Uma iniciativa apoiada pelo Centro 2020, Portugal 2020 e Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional, através do Programa de Valorização Económica de Recursos Endógenos (PROVERE).

Entre nesta festa e viva um dia inesquecível na Aldeia Histórica de Idanha-a-Velha!

Programa do evento e limite de participantes:

30 de outubro
08h – 17h – Vamos ao Forno!
Local: Forno Comunitário
15 pax máx

11h – 12h – Atelier de Borrachões
Local: Forno Comunitário
15 pax máx

10h – 17h – Mostra de Produtos Endógenos
Local: Envolvente da Sé / Lagar de Varas

10h – 12h – Atelier MosaicoLab #1
Local: Largo do Espírito Santo/ Recinto de Festas
10 pax máx

10h – 12h – Estórias de Pão #1
Local: Antiga Casa da Câmara
10 pax máx

10h30 – Receituário Colecionável | Lançamento Fascículo II
Local: Igreja de Sta. Maria /Sé de Idanha-a-Velha
50 pax máx

11h – Visita Orientada| Árvores com História
Início: Porta Norte
12 pax máx

14h – 16h – Visita Atelier MosaicoLab #2
Local: Largo do Espírito Santo/ Recinto de Festas
12 pax máx

14h – 16h – Estórias de Pão #2
Local: Antiga Casa da Câmara
10 pax máx

15h – Showcooking | Ervas e Aromas – entre a História e a Tradição
Local: Palheiros de São Dâmaso
10 pax máx

15h30 – Prova de Bolos de Forno
Local: Forno Comunitário
15 pax máx

16h – Artes de Rua | Rasto – Companhia Erva Daninha
Local: Exterior da Igreja de Sta. Maria /Sé de Idanha-a-Velha

17h15 – Visita Orientada | Valete Vos Viatores
Local: Pavilhão Epigráfico
12 pax máx

21h – Concerto | Celina da Piedade
Local: Igreja de Sta. Maria /Sé de Idanha-a-Velha
Sujeito à lotação do espaço

31 de outubro
Visita Atelier MosaicoLab
Sessão #1 – 10h30
Sessão #2 – 12h30
Local: Largo do Espírito Santo/ Recinto de Festas
12 pax máx

A festa só acaba em novembro!
O Ciclo “12 em rede – Aldeias em Festa” 2021 só termina em novembro! Depois de Idanha-a-Velha, a festa segue para Monsanto, a 6 de novembro.

Seia-Novo executivo municipal reuniu para distribuição de competências

Realizou-se  a primeira reunião de Câmara do novo executivo municipal, presidido por Luciano Ribeiro, sessão ordinária que passará a ter lugar quinzenalmente, às sextas-feiras, pelas 09h30.

A reunião iniciou com cumprimentos entre os novos elementos que compõem a vereação, onde de parte a parte foi manifestada a intenção de colaboração e congregação de esforços pelo desenvolvimento do concelho.

O novo Presidente da Câmara Municipal, Luciano Ribeiro, reiterou na ocasião o congregar de energias, sendo que se manterá fiel ao projeto político que recolheu o apoio maioritário dos eleitores, num percurso que define como “caminho de continuidade”, com outras opções e visão dos problemas.

Identificou como assuntos prioritários, os setores da saúde e da educação, como o já havia feito na sessão de tomada de posse que decorreu no domingo passado, na necessidade de ação imediata no lançamento das obras de requalificação do Centro de Saúde de Seia e da Escola Secundária de Seia. Ainda no que concerne à educação, mostrou-se disponível para, em conjunto com a Escola Superior de Turismo e Hotelaria – IPG, encontrar novas abordagens de valorização deste ciclo de ensino, de enorme relevância para o concelho e para a região.

Em matéria de intervenção no edificado, frisou a intenção de encontrar soluções para a uma nova residência de estudantes da ESTH, prevista para o edifício da Estamo, mas também de ver terminada a obra do Centro Interpretativo da República e Afonso Costa, e de concluir o projeto de ampliação do quartel da GNR, para que se possa avançar para a obra física.

Na área do investimento económico, referiu-se às intervenções a ser efetuadas no CACE, para a implementação em definitivo de uma incubadora de empresas em Seia, obras de pequena envergadura, que referiu como “suficientes, num percurso para o ótimo”.

No domínio do espaço público, elencou um conjunto de intervenções, com especial relevância na empreitada “Porta da Estrela”, que se encontra a decorrer no centro da cidade no âmbito do PEDU (Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano), mas também em Santiago e em São Romão e nos projetos a desenvolver em Seia – Quintela e nos bairros da Raposeira e Santa Cruz.

Já no período da ordem de trabalhos, foram objeto de deliberação o regimento da Câmara Municipal e a periodicidade das reuniões de Câmara, que terão lugar quinzenalmente, às sextas-feiras (09h30), na sala de Sessões do edifício dos Paços do Concelho, sendo abertas ao público e com carácter participativo.

Da ordem de trabalhos constaram, igualmente, a delegação de competências no Presidente da Câmara, a integração de Mário Azevedo como vereador a tempo inteiro e a distribuição de pelouros entre os elementos do executivo que acompanham o presidente Luciano Ribeiro, nos próximos quatro anos na gestão do município.

O autarca senense terá a seu cargo a coordenação geral e as áreas da Coordenação Geral; Planeamento Estratégico e Ordenamento do Território; Desenvolvimento Económico; Empresas e Inovação; Fundos Comunitários; Segurança e Proteção Civil; Desenvolvimento Rural; Participação Externa, Geminações e Diáspora; Apoio aos Órgãos Autárquicos; e Apoio às Freguesias.

A nova vice-presidente do executivo é Célia Barbosa, a quem foram entregues os pelouros de Recursos Humanos; Educação e Cultura; Desporto e Juventude; Assuntos Sociais e Cidadania; Urbanismo e Regeneração Urbana; Habitação; Saúde e Qualidade de Vida.

Por seu turno, Cláudio Figueiredo será vereador responsável pela Administração Geral; Modernização Administrativa; Finanças; Património e Aprovisionamento; Atividades Económicas e Empreendedorismo; Turismo; Taxas e Licenças; Mercados e Feiras; e Contraordenações.

Mário Silva terá a seu cargo os pelouros das Infraestruturas Municipais; Ambiente e Sustentabilidade; Energia; Espaços Verdes; Cemitérios; Obras Municipais; Mobilidade; Fiscalização Municipal; e Bem-Estar Animal.

Os três vereadores da oposição, Luís Caetano e Susana Ferreira, do PSD/PP, e Tenreiro Patrocínio, do movimento independente Juntos Pela Nossa Terra (JPNT), não têm pelouros atribuídos.

Por:MS

Ler Mais »

FPF-Feminino- Ana Borges marca no triunfo frente à Sérvia

A Seleção das Quinas Feminina venceu no Bonfim a turma da Sérvia, por duas bolas a uma, com as gouveenses Sílvia Rebelo e Ana borges no onze luso. a nota de destaque para Ana Borges que abriu o ativo para a turma lusa.

Esta partida foi relativa ao Grupo H da fase de apuramento para o Mundial de 2023, que decorrerá na Austrália e Nova Zelândia.

Para já , lidera a Alemanha com 9 pontos seguida da Seleção Portuguesa com 7.

PORTUGAL: Patrícia Morais, Catarina Amado, Sílvia Rebelo, Carole Costa, Joana Marchão, Dolores Silva, Andreia Jacinto (Fátima Pinto, 82), Andreia Norton (Tatiana Pinto, 66), Ana Borges (Jéssica Silva, 67), Diana Silva e Francisca Nazareth (Carolina Mendes, 82).
Treinador: Francisco Neto
Disciplina: cartão amarelo a Catarina Amado (69′) e Dolores Silva (71′)

SÉRVIA: Sara Cetinja, Vajda Orsoja (Marija Ilic, 77′), Andjela Frajtovic, Violeta Slovic – Cap., Nevena Damjnovic (Bradic, 89′), Vesna Milivojevic (Djordjevic, 1′), Sara Pavlovic, Nina Matejc e Dejana Stefanovic.
Treinadora: Pedrag Grozdanovic
Golos: 1-0 Ana Borges (28′)1-1 Nina Matejic (45’+2),2-1 Dolores Silva (52′ g.p.)
Disciplina: Cartão amarelo para Pavlovic (9) e ao treinador Pedrag Grosdanovic (54)

Fonte:FPF

Nova Plataforma online de promoção da maçã Bravo de Esmolfe

Este novo projeto de valorização e promoção da maçã Bravo de Esmolfe tem assinatura do CEIT – Centro Estratégico de Inovação Territorial.

No dia em que se assinalou o Dia Internacional da Maçã, o CEIT – Centro Estratégico de Inovação Territorial anuncia uma nova plataforma online de promoção da maçã Bravo de Esmolfe, produto único no mundo, originário da freguesia de Esmolfe em Penalva do Castelo.

Segundo Cristóvão Monteiro, presidente executivo do CEIT – Centro Estratégico de Inovação Territorial, este projeto nasce da necessidade de afirmar uma marca territorial
forte que permita relançar o produto, bem como os atores que gravitam ao seu redor.

Esta maçã é uma verdadeira “vitamina” e um fruto cada vez mais procurado, nomeadamente pelos segmentos de saúde e bem-estar. As suas propriedades benéficas
são únicas e estão demonstradas em estudos científicos de diferentes áreas da medicina, explica.

O objetivo passa por criar uma autêntica plataforma de cooperação que alavanque a economia local e regional através da promoção dos produtores, comerciantes e restantes
elementos da cadeia de valor da maçã Bravo de Esmolfe.

Este projeto pretende não só ajudar a promover o produto, mas também alavancar a atividade turística por via da valorização do território, da sua cultura e das suas gentes. A
nova marca e respetiva plataforma online já estão em desenvolvimento e devem ser apresentadas em 2022, depois de um processo de auscultação e envolvimento de todos
os stakeholders.

Para além do impacto que será gerado na economia, este projeto pretende ainda produzir conhecimento científico e fomentar a investigação sobre a origem e as características do produto.

Mangualde recebeu a I Jornada Anual da CPCJ Mangualde

Uma iniciativa, que aconteceu no Auditório da Biblioteca Municipal Dr. Alexandre Alves, foi organizada pela Comissão de Proteção de Crianças e Jovens de Mangualde (CPCJ), em colaboração com o Município. Foi a “I Jornada Anual da Cpcj Mangualde” , com as intervenções de Marco Almeida, Presidente da Câmara Municipal de Mangualde, e de Fernando Espinha, Presidente da CPCJ de Mangualde, na sessão de abertura.
O segundo momento contou com a intervenção de Ana Gomes, Psicóloga Clínica e co-Fundadora do Projeto “Pais a Bordo”, que abordou o tema “Burnout Parental e os Direitos das Crianças”. Seguindo-se o painel “O direito ao brincar num mundo em mudança, com o orador Carlos Neto, Investigador da Faculdade de Motricidade Humana da Universidade Técnica de Lisboa, e moderação de Tatiana Louro, Psicóloga Clínica. A iniciativa contou, ainda, com um debate.
Durante a tarde, teve lugar uma Mesa Redonda sobre “O Sistema Educacional – a situação de Mangualde”, que contou com diversos intervenientes: Vereador da Educação da Câmara Municipal de Mangualde, Diretor Agrupamento de Escolas de Mangualde, Presidente da Associação de Pais de Mangualde e o Presidente da Associação de Estudantes da Escola Secundária Drª Felismina Alcântara, com moderação de José Miguel Sousa, Diretor do Centro de Formação Edufor Mangualde. Seguindo-se o painel “A Responsabilidade da Comunidade na Promoção dos Direitos da Criança”, com o orador Hélio Bento Ferreira, Coordenador da Equipa Técnica Regional do Centro. Terminando com a realização de um debate.
A sessão de encerramento esteve a cargo de Carlos Peixoto, coordenador do Projeto “Adélia” da CNPDPCJ. Esta ação está inserida na operacionalização do Plano Local de Promoção e Proteção das Crianças e Jovens de Mangualde.

Tomada de Posse dos novos Órgãos Autárquicos na Mêda

O Salão Nobre dos Paços do Concelho de Mêda acolheu a cerimónia de Tomada de Posse dos novos Órgãos Autárquicos.
Perante uma vasta plateia, os eleitos fizeram o juramento público de cumprir com lealdade as funções que lhes foram confiadas, para o quadriénio de 2021/2025.
Na sua intervenção o Presidente da Câmara Municipal de Mêda , João Mourato, reiterou o propósito de lutar pelo desenvolvimento do concelho e de forma clara assumiu o bem-estar e a felicidade de todos os medenses, como a sua principal missão.
O novo Presidente do Município de Mêda, saudou todos os eleitos para os órgãos autárquicos e perante estes assumiu o compromisso de disponibilidade total, deixando também uma mensagem de esperança, confiança e determinação para, em conjunto, ultrapassarem os próximos desafios.
Na sua intervenção sublinhou também a importância da presença do Executivo Municipal de Cantanhede, concelho com o qual o Município de Mêda está geminado há vários anos, mas nos últimos anos esteve, infelizmente, esquecida.
Este dia representa também, para esta geminação, um novo começo, garantiu.
O novo Presidente do Município de Mêda agradeceu a presença e apoio dos seu conterrâneos e amigos de Miranda do Corvo que fizeram questão de estar presentes.
Terminou a sua intervenção sublinhando que a sua missão para os próximos quatros anos é servir a Mêda e os medenses, a todos por igual.
Por:MM

Operação “ECR Veículos Pesados” – Balanço

Entre os dias 11 e 17 de outubro, a Guarda Nacional Republicana (GNR) intensificou a fiscalização aos veículos pesados, orientando as ações para as vias mais críticas à sua responsabilidade, e onde se verifica um maior volume de tráfego deste tipo de veículos, de modo a promover a segurança rodoviária e a diminuição do risco de ocorrência de acidentes de viação.

Desta forma, os militares dos Comandos Territoriais e da Unidade Nacional de Trânsito que diariamente estiveram empenhados no patrulhamento rodoviário fiscalizaram 2 563 condutores de veículos pesados, registando 2 009 contraordenações, destacando-se as seguintes:

·         855 relacionadas com tacógrafos;

·         304 por excesso de peso;

·         241 por anomalias nos sistemas de iluminação e sinalização;

·         85 por irregularidades nos pneus;

·         62 por falta de inspeção periódica obrigatória;

·         19 no âmbito do acordo ADR (mercadorias perigosas);

·         14 por uso indevido do telemóvel no exercício da condução.

 

Registaram-se ainda dois crimes no âmbito rodoviário e relacionados com veículos pesados.