Templates by BIGtheme NET
Início » Saúde

Saúde

Artigo:Ansiedade, solidão e stress que a pandemia despertou

Desde que a pandemia de covid-19 deflagrou, muitos têm sido os alertas diários sobre o seu impacto na saúde mental dos portugueses. Em particular, destaca-se o aumento dos casos de ansiedade, solidão e stress e as razões são fáceis de encontrar: vão desde o número de mortes diárias provocadas pela infeção até à crise socioeconómica, passando pelas repercussões que o isolamento provoca a nível relacional, emocional e até profissional.

Num documento produzido sobre o assunto a Ordem dos Psicólogos Portugueses (OPP) chamou a atenção para o assunto, sublinhando que “cerca de metade dos portugueses sentiu impactos psicológicos moderados ou graves e mais de 70% dos que estiveram em situação de isolamento apresentam sofrimento psicológico”. No mesmo relatório constata-se que “a prevalência dos sintomas de ansiedade, depressão e perturbação de stress pós-traumático aumentou consideravelmente”, sendo que também “as crianças e os adolescentes revelam estar mais preocupados, frustrados, ansiosos, agitados e tristes”.

Entre as justificações para este quadro preocupante, a OPP destaca questões como “o luto pela perda de pessoas que amamos, o desespero do desemprego e das perdas económicas, o isolamento físico de familiares e amigos, as exigências de dinâmicas familiares alteradas, a preocupação constante, o medo e a incerteza face ao futuro”, assim como “mudanças nos nossos hábitos diários que também podem configurar riscos para a nossa saúde psicológica e bem-estar, como a diminuição da qualidade do sono e da atividade física, o consumo excessivo de álcool ou a exposição mais prolongada a ecrãs ou à internet”.

Apesar de já ter passado algum tempo desde o início da crise e de até já terem sido desenvolvidas vacinas contra o SARS-CoV-2, a verdade é que “as consequências da covid-19 para a saúde psicológica e o bem-estar estão longe de terminar”, antecipam os autores do documento, que acreditam que “assistiremos ao seu expectável agravamento durante os próximos meses”. A OPP lembra que, “antes da pandemia, sabíamos que mais do que um em cada cinco portugueses tinha sofrido ou sofria de um problema de saúde psicológica”, considerando que “a pandemia veio expor e evidenciar uma necessidade já conhecida: a de cuidarmos de nós e da nossa saúde psicológica e a de serem disponibilizadas respostas acessíveis e contingentes aos problemas e dificuldades da população”.

Atenção aos sintomas

Tendo em conta a situação preocupante que se vive atualmente, importa, pois, que cada pessoa esteja atenta à sua saúde – não só física, mas também psicológica – e faça o que está ao seu alcance para prevenir a ansiedade, o stress e a solidão. Ainda que alguns sintomas sejam comuns e perfeitamente normais como reação a situações motivadoras de ansiedade e stress, como a que se vive atualmente, há, todavia, que procurar aconselhamento profissional no caso de estes sinais persistirem por mais de duas semanas. Eis alguns sintomas a que é preciso prestar atenção:

  • Ansiedade, irrequietude, medo;
  • Insónia ou outras alterações do sono;
  • Cansaço;
  • Pesadelos ou sonhos recorrentes;
  • Pensamentos intrusivos persistentes;
  • Alterações gastrintestinais;
  • Aceleração do batimento cardíaco;
  • Preocupação excessiva e recorrente sobre a pandemia;
  • Tristeza, choro fácil, falta de esperança;
  • Hipervigilância, reatividade;
  • Irritabilidade, zanga, ressentimento, conflitos com amigos e familiares;
  • Excesso de crítica, culpabilização dos outros;
  • Culpa, questionamento;
  • Isolamento social (além do imposto);
  • Aumento do consumo de álcool, medicamentos ou substâncias;
  • Recurso abusivo ao jogo ou apostas online como forma de escape;
  • Dificuldade na tomada de decisão;
  • Dificuldade em estabelecer prioridades;
  • Diminuição da capacidade de concentração
  • Diminuição da resposta imunitária.

fonte:Advancecare

Novo acelerador Linear entra em funcionamento no IPO Coimbra

Após a entrada em funcionamento de um novo acelerador linear em junho passado, inicia-se hoje a atividade no segundo equipamento.

O IPO de Coimbra fica, assim, capacitado com dois novos aceleradores lineares, correspondentes a um investimento superior a 5,8 milhões de euros.

Desde o dia da sua receção, no passado dia 11 de setembro, este equipamento esteve em processo de testes de aceitação e controlo de qualidade (commissioning), com o objetivo de o disponibilizar para o tratamento clínico, cumprindo todos os requisitos de qualidade e segurança.

Trata-se de um acelerador linear dotado de características tecnológicas e especificidades que permitirão realizar tratamentos com recurso a técnicas avançadas de radioterapia, sempre guiadas por imagem (IGRT), tais como radioterapia de intensidade modulada (IMRT), arcoterapia volumétrica, também, com intensidade modulada (VMAT), radioterapia estereotáxica de fração única (também designada por radiocirurgia) e com hipofracionamento (SBRT). Por último, este equipamento permite, ainda, a realização de radioterapia com técnicas de sincronização respiratória (gating).

A maioria destas técnicas são já realizadas no IPO de Coimbra nos equipamentos que têm vindo a ser instalados desde 2016, primeiro a Tomoterapia e, mais recentemente com o acelerador linear que entrou em funcionamento em 2021.

Estes novos equipamentos permitem aumentar a capacidade de resposta às necessidades dos doentes de toda a Região Centro, particularmente no que diz respeito à complexidade das técnicas de tratamento, com tradução quer na precisão, quer na segurança da radioterapia prescrita, garantindo a capacidade de tratamento de forma eficiente, clinicamente efetiva e de acordo com os mais elevados padrões de qualidade técnica e científica.

Reforça-se, assim, o posicionamento do IPO de Coimbra, como instituição de referência, nos tratamentos de radioterapia, fortalecendo e consubstanciando a rede assistencial em radioncologia.

Guarda-Obra para requalificação do Pavilhão 5 do HSM foi adjudicada

  Foi adjudicada, esta semana, a empreitada de Requalificação do edifício 5 do Hospital Sousa Martins , na Guarda, para instalação do Departamento da Criança e da Mulher (DCM), com um valor de 7 milhões 877mil euros, acrescido de IVA.

Recorde-se que o anúncio do concurso público internacional, foi publicado no mês de agosto em Diário da República (DR), sendo o valor do preço base do procedimento de 8.024.078,17 euros e o prazo de execução do contrato de 18 meses. A requalificação do edifício hospitalar para instalação do DCM (com os serviços de Pediatria, Obstetrícia, Urgência Pediátrica e Obstétrica, Neonatologia e Ginecologia) tem sido um dos objetivos prioritários do atual Conselho de Administração da ULS da Guarda. As obras de requalificação devem começar em breve e prevê-se que estejam concluídas no verão de 2023.

Artigo de Ana Carolina Marques—Qual a relação que existe entre o aleitamento materno com a Terapia da Fala? 

O aleitamento materno tem sido mais abordado nos últimos tempos devido aos aspetos relacionados com o crescimento e desenvolvimento da criança, nomeadamente os nutricionais, imunológicos e psicoafectivos. Os benefícios para a criança e para a mãe são múltiplos e já bastante conhecidos.

A amamentação tem uma grande importância no crescimento e desenvolvimento harmonioso das estruturas da face (o sistema estomatognático) e respetivas funções (sucção, respiração, mastigação, deglutição e fala). Uma amamentação adequada promove uma sensação de bem-estar e conforto mas também aprimora a mobilidade, postura e tonicidade dos músculos envolvidos, contribuindo para uma respiração nasal e um crescimento harmonioso da face, além de prevenir hábitos orais (chupeta ou dedo) e más oclusões dentárias.

Atualmente, o aleitamento materno é visto como um ato natural no entanto, pode não ser simples visto que depende de vários fatores clínicos e anatómicos da mãe e do recém-nascido. É comum a mãe não ter leite ou a componente nutricional/energética do mesmo sendo inferior à necessária. Por outro lado, existem mães, que apesar do desejo e condições não o fazem, porque o seu bebé pode apresentar cansaço extremo (bebés prematuros), lesões orgânicas (fendas lábiopalatinas), alterações na força de sucção ou descoordenação na respiração-sucção-deglutição.

A Terapia da Fala pode ter um papel fundamental na adequação do processo da amamentação e consequentemente na promoção de um bom desenvolvimento das estruturas orofaciais e suas funções. O Terapeuta da Fala pode ser um facilitador neste processo, intervindo na vertente muscular com o intuito de facilitar a sucção, coordenando os períodos de pausa, aumentando a oxigenação durante e após as mamadas, auxiliando na transição alimentar por sonda para via oral, entre outros objetivos.

 

 

Vantagens para o bebé:

  • Reduz o risco de otites médias comparativamente ao uso do biberão;
  • Reduz o risco de se tornar um respirador oral e de desenvolver problemas de fala;
  • Proporciona um desenvolvimento cranio-facial harmonioso ;
  • O leite materno tem os nutrientes necessários, não sendo necessário recorrer a suplementos;
  • Reduz o risco de infeções bacterianas.

Vantagens para a mãe:

  • Aumenta do vínculo afetivo mãe-bebé;
  • Reduz o risco de anemia pós-parto;
  • Evita hemorragias pós-parto;
  • Reduz o volume do útero de forma mais rápida.

 

Ana Carolina Melo Marques C-046322175

Terapeuta da Fala na APSCDFA, na Clínica Nossa Srª da Graça e na CliViseu

Saúde Mental em debate na Universidade Católica no Porto

UNUS Católica – Saúde Mental em tempos de pandemia é o tema do Encontro Anual das dioceses do Porto, Coimbra e Vila Real

Dioceses de Coimbra, Porto e Vila Real e Universidade Católica no Porto 

 Saúde Mental em tempos de pandemia é o tema do Encontro Anual de três Dioceses com a Universidade Católica no Porto​. UNUS Católica no Porto é o nome do encontro anual que se realiza há 4 anos com a participação dos padres da Diocese do Porto, tendo-se estendido em 2021 aos padres da Diocese de Vila Real e em 2022 contará também com os padres da Diocese de Coimbra. O encontro realiza-se a 20 de janeiro e este ano tem como tema “Saúde Mental em tempos de pandemia”. 

Durante uma manhã, académicos e párocos irão debater temas como a “Prestação de cuidados a idosos: Avaliação de necessidades de saúde mental no contexto da pandemia por Covid-19”; a “Saúde Mental em Crianças e Jovens Portugueses em Acolhimento Residencial”; a Hospitalidade para todos, a “CUP: Clínica Universitária de Psicologia da Católica no Porto”. De realçar que a 10 de outubro de 2021 o Papa Francisco assinalou o “Dia Mundial da Saúde Mental” de forma a lembrar o sofrimento das famílias e de todas as pessoas que sofrem com este problema.

Isabel Braga da Cruz, presidente da Católica no Porto, explica que “o encontro pretende contribuir com o conhecimento e atividades das suas diferentes Faculdades para fortalecer a reflexão e partilha sobre temáticas atuais que poderão auxiliar à atividade pastoral desenvolvida pela Igreja”. É um Encontro que permitirá “a representação da unidade que a Universidade quer ter com a mesma Igreja que todos servimos. Todos somos UM(A),” conclui.

UNUS | Católica no Porto ao encontro dos Padres das Dioceses de Coimbra, Porto e Vila Real realiza-se a 20 de janeiro, a partir das 10h30, em modelo híbrido. Na abertura estará Isabel Braga da Cruz, presidente da Católica no Porto, e o encerramento estará a cargo dos Bispos das Dioceses de Coimbra, Porto e Vila Real.

Artigo de Sara Morais—- ANO NOVO, NOVO “EU” E A HIPNOSE CLÍNICA

A comemoração do Ano Novo é um evento socio cultural mas, também, um íntimo despertar consciente para novas oportunidades e conquistas. Neste período, em que os dias frios nos remetem para o aconchego do lar, o leitor é convidado a refletir sobre os seus desafios, concretizações e, sobretudo, sobre as suas emoções. O ano que terminou foi desafiante, ensinou-o não só a não tomar nada como garantido, como também, a valorizar um gesto de afeto, a ser persistente, tornando-o mais consciente dos seus limites e potenciais e, certamente, mais fraterno para com o seu semelhante. Em contrapartida, e já perto das 12 badaladas, novos sonhos, desejos e objetivos ganham vida através do pensamento e motivação que os projeta e expressa pelas emoções e pelos demais rituais, superstições, cor e fogos-de-artifício, que dão corpo aos próximos 365 dias de um novo ciclo de experiências. É, exatamente, neste ponto de viragem que se inicia um novo sentido consciente.

Neste despertar, ou renovação, para uma nova vida a Hipnose Clínica oferece duas colunas de sustentação para o seu novo caminho: a prevenção e a resolução. Inicialmente, a terapêutica assenta no desenvolvimento pessoal através da compreensão das crenças limitadoras que lhe causam o depauperamento das potencialidades. O leitor adquire a compreensão e as ferramentas necessárias para controlar a expressão dos impulsos da sua mente primitiva. Seguidamente, a terapêutica trabalha o processo dedutivo e a resignificação sobre os vários eventos negativos experienciados. Após a aprendizagem da gestão emocional, são trabalhados os sonhos, a clarificação das preferências, os objetivos, a auto imagem e auto conceito. Contudo, e dado abrangência interventiva da Hipnose Clínica, o leitor terá a possibilidade de recorrer a esta terapêutica se sofrer de perturbações nervosas e emocionais, desde depressão, Borderline, TADH, Síndrome de Pânico, perdas emocionais / Luto, perturbação do sono, controlo do peso, emagrecimento, TOC, ou até mesmo, para melhorar a memória e concentração. Este tratamento permite ajustar, alterar, modificar e resignificar sentimentos, emoções, hábitos e comportamentos que estão guardados no subconsciente.

Assim, a Hipnose Clínica oferece a possibilidade de construir um novo “eu” mais consciente, ajustado e emocionalmente equilibrado para usufruir das 365 novas oportunidades.

Contudo, é importante sublinhar a sabedoria do Provérbio Chinês:“ Senão mudar a direção, terminará exatamente onde partiu”

No próximo boletim de saúde poderá verificar TOC, Hipertensão e psoríase e o respetivo papel da Hipnose Clínica.

Sara Morais

Hipnoterapeuta

Candidatos do Bloco de Esquerda visitaram Hospital Nossa Senhora da Assunção em Seia

Os candidatos do Bloco de Esquerda às Legislativas ao círculo eleitoral da Guarda, Pedro Cardoso, o cabeça de lista do BE fez-se acompanhar pela Eurodeputada, Marisa Matias, para visitar o Hospital Nossa Senhora da Assunção, em Seia, onde foram recebidos pelo Conselho de Administração da ULS da Guarda, presidido por João Baganha.
Durante a reunião, a administração da ULS da Guarda deu a conhecer os projetos em curso e os investimentos da instituição, aos candidatos do BE.

Projeto de transporte “Porta-a-Porta”avança na Freguesia de Tavares

O projeto de transporte “Porta-a-Porta” é uma iniciativa da União de Freguesia de Tavares que vai agora ser posta em prática com mais facilidade, uma vez que , já receberam a nova viatura devidamente equipada para este projeto avançar, com a criação do cartão “Porta-a-Porta” vai ser mais fácil ter este serviço.

Assim trata-se de uma resposta social para melhorar as condições de transporte a serviços públicos como o hospital, centro de saúde, farmácia, correios, bancos, câmara, dos cidadãos com mobilidade reduzida.
A prioridade será para pessoas em cadeiras de rodas, pessoas incapazes de andar ou que não conseguem percorrer grandes distâncias, pessoas com dificuldades sensoriais, tais como as pessoas cegas ou surdas, e as que se apresentam transitoriamente condicionadas, como grávidas, crianças e idosos.
Para ter acesso ao cartão “Porta-a-Porta” os candidatos devem enviar para o email :freguesiadetavares@gmail.com ou entregar na sede freguesia, os seguintes documentos:
➡️ Ficha de inscrição do candidato preenchida
➡️ Documento comprovativo de residência na freguesia
➡️ Fotocópia do Bilhete de Identidade ou Cartão do Cidadão
➡️ Se aplicável, declaração médica comprovativa da mobilidade condicionada do utente.
➡️ Uma fotografia (tipo passe)
A viatura pode transportar até 8 passageiros, incluindo uma cadeira de rodas.
O transporte pode ser ocasional ou regular e funciona nos dias úteis no horário: 7h30–12h/13h30–17h. Contacte-nos para mais informações.

FEVIP e APEC criticam falta de solidariedade com a cultura

Assim em comunicado FEVIP e a APEC referem que até 9 de janeiro, à entrada das salas de cinema, vai ser obrigatório apresentar certificado de recuperação ou comprovativo laboratorial de teste negativo à covid-19, excluindo a possibilidade de autoteste. Última orientação da Direção-Geral da Saúde não esclarece sobre o tema.

Previsões atualizadas esta semana apontam para perda de 700 mil espetadores, contrariando a expectativa inicial de 600 mil, o que representa um prejuízo de 4,1 milhões de euros.

A FEVIP – Associação Portuguesa de Defesa de Obras Audiovisuais e a APEC – Associação Portuguesa de Empresas Cinematográficas não compreendem a falta de comunicação e coordenação com o setor, que já de si se encontra fragilizado, fruto do impacto da pandemia covid-19 em geral e, em particular, das restrições aplicadas entre 26 de dezembro e 2 de janeiro.

António Paulo Santos, diretor-geral da FEVIP considera que “para além do desajuste das medidas, é incompreensível a falta de solidariedade das entidades oficiais para com o setor da cultura, uma vez que não auscultam, previamente, quem todos os dias trabalha nesta área”, acrescentando ainda que “muitas vezes estas medidas são dadas em cima da hora, atualizadas durante a noite ou até aplicáveis a datas que já passaram, lançando uma confusão tremenda a todos os níveis.” 

Já a Direção da APEC refere que“nunca houve uma comunicação oficial atempada, por parte do Governo ou Direção-Geral da Saúde, sobre o tipo de regras a aplicar, impossibilitando a preparação eficaz das equipas, que comportam milhares de trabalhadores. Para mais torna-se impossível informar claramente o público, daquele que é um dos setores mais rentáveis da cultura portuguesa. Só em 2019, os cinemas receberam 15 milhões de espetadores.”

Recorde-se que na passada semana a DGS atualizou (na mesma noite) as orientações relativas aos cinemas que, numa primeira instância, não obrigava à apresentação de teste, apenas prova de certificado digital. Num segundo momento, quando muitos cinemas já tinham tornado público junto dos clientes as novas medidas, surge novo documento a tornar obrigatória a apresentação de teste negativo à covid-19.

Uma outra reivindicação tem sido a assimetria na aplicação de medidas de saúde pública, no comparativo com outros setores, como os casinos, os bingos e a restauração. Ora isto traz má imagem para os cinemas, onde não há um único relato de transmissão da doença, segundo António Paulo Santos.

Isto porque o agravamento de medidas na restauração e estabelecimentos de jogos de sorte ou azar foram aplicadas apenas dias 24, 25, 30, 31 de dezembro e 1 de janeiro, enquanto para os cinemas se estendem até 9 de janeiro, passando por diferentes regimes de exceção. O primeiro vigorou entre 25 de dezembro e 2 de janeiro, onde foi obrigatória a apresentação de certificado de recuperação ou teste negativo, nas modalidades antigénio, PCR ou autoteste. O segundo começou dia 3 e é expetável que vá até dia 9, período em que fica excluída a possibilidade de apresentação de autoteste.

Cerca de meia centena de voluntários doaram sangue na Guarda

A Escola Superior de Educação, Comunicação e Desporto do Instituto Politécnico da Guarda acolheu  uma ação para doar sangue onde inscreveram-se 50 dadores e efetuaram dádiva 47 voluntários.

A próxima colheita está agendada para dia 17 de janeiro 2022. A recolha será efetuada, como habitualmente por uma equipa de profissionais do Instituto Português do Sangue e Transplantação, decorrerá entre as 10h e as 19h com intervalo para almoço das 13h às 14:30h.