Templates by BIGtheme NET
Início » Seia

Seia

Festival de Cinema Ambiental da Serra da Estrela inicia esta semana

A sessão de apresentação oficial do Festival de Cinema Ambiental da Serra da Estrela deste ano, vai acontecer, nesta quinta-feira, dia 9 de setembro, serão reveladas as novidades da 27ª edição do CineEco e conhecidas as personalidades que irão apadrinhar os filmes que fazem parte da Seleção Oficial. Será ainda exibido o filme de Jim Rakete, “Now”, um testemunho vivo da geração de jovens ativistas ambientais liderados por Greta Thunberg, com as participações de Patti Smith, do realizador Wim Wenders e com contributos de 7 ativistas internacionais.

Antes do arranque da 27ª edição do CineEco, que acontece de 9 a 16 de outubro, o Município de Seia, entidade organizadora, dá o mote inicial do certame com a apresentação oficial das novidades deste ano. A partir das 21h30, no Cineteatro da Casa Municipal da Cultura de Seia irá decorrer o sorteio das personalidades que vão apadrinhar os documentários deste ano e que terão como missão promover as 10 longas-metragens internacionais que fazem parte da secção competitiva do CineEco.

Cada longa-metragem internacional será “apadrinhada” por 2 personalidades, responsáveis por desenvolver ações de divulgação e marketing, contribuindo assim para a mobilização de público. “Esta iniciativa pretende valorizar o papel destes agentes promotores do Festival como um todo e, em particular, de cada longa-metragem internacional. São preponderantes na ligação do Festival à sua comunidade. Esta é uma forma de, em cada ano que passa, alargamos a família CineEco”, explica a direção do certame. De relevar que, como já é habitual, o Festival conta com um Padrinho e uma Madrinha nacionais oficiais. Este ano a responsabilidade caberá ao radialista e apresentador Júlio Isidro e à atriz Sofia Alves.

 Na apresentação oficial do CineEco será ainda exibido “Now” do realizador e fotógrafo, Jim Rakete, um documentário sobre justiça climática e a geração dos jovens ativistas ambientais liderados por Greta Thunberg. Na senda da transição verde, este documentário é, acima de tudo, um testemunho de esperança para a melhoria do estado de saúde do planeta, pautado por testemunhos vivos de Wim Wenders, Patti Smith, entre outros.

 Portugal, França e Espanha são os países com maior representação cinematográfica na Competição Oficial da 27ª edição do CineEco. Este ano, o mais antigo festival de cinema ambiental do mundo recebe um número recorde de 93 filmes de mais de 20 países que podem ser vistos entre 9 e 16 de outubro, na Casa Municipal da Cultura de Seia.

 

António Morgado (Bairrada) venceu em Seia e mantém a Amarela

António Morgado (Bairrada) tornou a não dar hipótese aos adversários e conquistou a vitória no contrarrelógio da 15.ª Volta a Portugal de Juniores, que ligou Gouveia a Seia. Os seus colegas de equipa, Gonçalo Tavares e Rúben Rodrigues, alcançaram o segundo e terceiro melhores tempos, respetivamente.
Neste sábado, teve lugar a terceira etapa da Volta a Portugal de Juniores  entre Gouveia e Seia, num contrarrelógio de 14,8 quilómetros. Com um percurso bastante exigente a nível técnico, qualquer distração poderia comprometer o resultado e impedir um tempo vencedor.
Tomás Mineiro (EFAPEL-Escola de Ciclismo de Águeda) fez 17m26s e manteve-se durante algum tempo na liderança, acabando por ser batido pelo seu colega de equipa, Guilherme Mesquita, em 12 segundos.
Estanislao Calabuig (Bathco Cycling Team) estabeleceu o novo melhor tempo em 17m09s, antes de chegar a equipa da Bairrada para baixar ainda mais os tempos. Depois de terem preenchido o pódio do Campeonato Nacional de contrarrelógio no fim de semana passado, a formação tornou a repetir o feito.
O melhor tempo seria alcançado pelo atual campeão nacional e líder da Volta a Portugal de Juniores, António Morgado, com uma marca de 16m09s. Gonçalo Tavares conseguiu o segundo melhor tempo, a 14 segundos do colega de equipa, e Rúben Rodrigues, campeão nacional de fundo, fechou o pódio em terceiro, a 32 segundos do vencedor.
“O contrarrelógio correu bem, foi sempre a gerir e nunca arrisquei muito. Não queria comprometer o dia de amanhã nem corridas futuras. Amanhã vai ser uma etapa muito dura. A minha equipa e eu vamos ter de nos esforçar ao máximo e todos querem o que nós temos. Vai ser uma etapa muito atacada e vamos tentar manter a camisola. Seria muito bom vencer esta corrida amanhã, pelo trabalho que toda a equipa tem feito”, revelou António Morgado, camisola amarela e líder da classificação de melhor júnior de primeiro ano.
Com este resultado, António Morgado segue para a última etapa com 1m39s, para o segundo classificado na geral, Gonçalo Tavares, líder da montanha. Lucas Lopes (Póvoa de Varzim/CDC Navais) é terceiro, a 2m08s do líder. Abel Rosado (Teika Team-GSport) lidera a classificação por pontos.
A última etapa vai ligar Celorico da Beira à Guarda, num percurso de 110,9 quilómetros. A partida será dada às 12h00, sendo que a chegada está prevista para as 15h15.
Fonte:FPC

15.ª Volta a Portugal de Juniores arranca hoje em Almeida

A 15.ª Volta a Portugal de Juniores terá quatro etapas, que se vão disputar entre os dias 26 e 29 de agosto. Os corredores vão ter de percorrer um total 347,7 quilómetros até ao final da prova que, além das equipas portuguesas, contará ainda com algumas formações estrangeiras.
As primeiras pedaladas dos atletas sub-19 serão dadas na tarde de 26 de agosto. A etapa inaugural tem início de final em Almeida, estendendo-se por um percurso de 92,6 quilómetros. A fase final da etapa poderá permitir logo algumas diferenças, até porque a meta coincide com uma contagem de montanha de terceira categoria. A partida será dada pelas 13h30 e a chegada está prevista para as 16h00.
A segunda etapa é a mais longa da competição, ligando Sabugal a Penamacor, num traçado de 129,4 quilómetros, a partir das 12h00. Sem subidas pontuáveis para a classificação da montanha, será a distância e, provavelmente, o calor a fazer a seleção dos melhores. A chegada está marcada para as 15h30.
A terceira tirada poderá decidir a classificação geral, altura em que os corredores vão enfrentar um contrarrelógio individual de 14,8 quilómetros, entre Gouveia e Seia, a partir das 13h30.
As diferenças marcadas no contrarrelógio poderão ser corrigidas ou acentuadas na quarta e última etapa, quando o pelotão terá de percorrer 110,9 quilómetros, entre Celorico da Beira e a Guarda. Esta é etapa-rainha da competição, visto que os jovens ciclistas terão de ultrapassar a exigente subida das Penhas Douradas, contagem de montanha de primeira categoria, antes da subida para a meta, via Santa Cruz, um prémio de montanha de segunda categoria. A partida será dada pelas 12h00, com chegada prevista pelas 14h55.

Prolongamento da Declaração da Situação de Alerta contra incêndios

Face à previsão de continuação das condições meteorológicas que se traduzem num significativo risco de incêndio rural, os Ministros da Defesa Nacional, da Administração Interna, do Ambiente e da Ação Climática e da Agricultura determinaram esta quarta-feira o prolongamento da Declaração da Situação de Alerta em 14 distritos do Continente.

Esta Declaração da Situação de Alerta abrange o período compreendido entre as 00h00 e as 23h59 do dia 19 de agosto, prolongando a Declaração da Situação de Alerta que fora determinada para o período entre as 00h00 de 17 de agosto e as 23h59 de hoje, 18 de agosto.

Os distritos abrangidos são: Beja, Bragança, Castelo Branco, Coimbra, Évora, Faro, Guarda, Leiria, Lisboa, Portalegre, Santarém, Setúbal, Vila Real e Viseu.

No âmbito da Declaração da Situação de Alerta, prevista na Lei de Bases de Proteção Civil e que decorre da necessidade de adotar medidas preventivas e especiais de reação face ao risco de incêndio previsto pelo IPMA em muitos concelhos do continente nos próximos dias, serão implementadas as seguintes medidas de caráter excecional:

1) Proibição do acesso, circulação e permanência no interior dos espaços florestais previamente definidos nos Planos Municipais de Defesa da Floresta Contra Incêndios, bem como nos caminhos florestais, caminhos rurais e outras vias que os atravessem;

2) Proibição da realização de queimadas e queimas de sobrantes de exploração;

3) Proibição de realização de trabalhos nos espaços florestais com recurso a qualquer tipo de maquinaria, com exceção dos associados a situações de combate a incêndios rurais;

4) Proibição de realização de trabalhos nos demais espaços rurais com recurso a motorroçadoras de lâminas ou discos metálicos, corta-matos, destroçadores e máquinas com lâminas ou pá frontal.

5) Proibição total da utilização de fogo-de-artifício ou outros artefactos pirotécnicos, independentemente da sua forma de combustão, bem como a suspensão das autorizações que tenham sido emitidas nos distritos onde tenha sido declarado o Estado de Alerta Especial de Nível Laranja pela ANEPC.

A proibição não abrange:

1) Os trabalhos associados à alimentação e abeberamento de animais, ao tratamento fitossanitário ou de fertilização, regas, podas, colheita e transporte de culturas agrícolas, desde que as mesmas sejam de carácter essencial e inadiável e se desenvolvam em zonas de regadio ou desprovidas de florestas, matas ou materiais inflamáveis, e das quais não decorra perigo de ignição;

2) A extração de cortiça por métodos manuais e a extração (cresta) de mel, desde que realizada sem recurso a métodos de fumigação obtidos por material incandescente ou gerador de temperatura;

3) Os trabalhos de construção civil, desde que inadiáveis e que sejam adotadas as adequadas medidas de mitigação de risco de incêndio rural.

A Declaração da Situação de Alerta implica, entre outros aspetos:

A) A elevação do grau de prontidão e resposta operacional por parte da Guarda Nacional Republicana (GNR) e da Polícia de Segurança Pública (PSP), com reforço de meios para operações de vigilância, fiscalização, patrulhamentos dissuasores de comportamentos e de apoio geral às operações de proteção e socorro que possam vir a ser desencadeadas, considerando-se para o efeito autorizada a interrupção da licença de férias e a suspensão de folgas e períodos de descanso;

B) O aumento do grau de prontidão e mobilização de equipas de emergência médica, saúde pública e apoio psicossocial, pelas entidades competentes das áreas da saúde e da segurança social, através da respetiva tutela;

C) A mobilização em permanência das equipas de Sapadores Florestais;

D) A mobilização em permanência do Corpo Nacional de Agentes Florestais e dos Vigilantes da Natureza que integram o dispositivo de prevenção e combate a incêndios, pelo Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, I. P., através da respetiva tutela;

E) A realização pela GNR de ações de patrulhamento (vigilância) e fiscalização aérea através de meios das Forças Armadas, nos distritos em estado de alerta especial do SIOPS, para o DECIR, incidindo nos locais sinalizados com um risco de incêndio muito elevado e máximo;

F) A dispensa de serviço ou a justificação das faltas dos trabalhadores, do setor público ou privado, que desempenhem cumulativamente as funções de bombeiro voluntário, salvo aqueles que desempenhem funções em serviço público de prestação de cuidados de saúde em situações de emergência, nomeadamente técnicos de emergência pré-hospitalar e enfermeiros do Instituto Nacional de Emergência Médica, I. P., nas forças de segurança e na ANEPC.

A par da emissão de avisos à população pela Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil sobre o perigo de incêndio rural, as Forças Armadas – através do Ministério da Defesa Nacional – devem disponibilizar os meios aéreos para, em caso de necessidade, estarem operacionais nos locais a determinar pela ANEPC.

GNR reforça o patrulhamento para prevenir incêndios rurais

A Guarda Nacional Republicana, face à previsão de continuação das condições meteorológicas que se traduzem num significativo risco de incêndio rural, e ao prolongamento da Declaração Conjunta da Situação de Alerta em 13 distritos do continente (Beja, Bragança, Castelo Branco, Coimbra, Évora, Faro, Guarda, Leiria, Lisboa, Portalegre, Santarém, Vila Real e Viseu), irá continuar a reforçar o patrulhamento e o esforço de vigilância terrestre em todo o Território Nacional, em coordenação com as demais entidades, no intuito de prevenir a ocorrência de ignições.

Esta Declaração de Situação de Alerta abrange o período compreendido entre as 00h00 do dia 17 de agosto e as 23h59 do dia 18 de agosto, e prolonga a Declaração de Situação de Alerta que foi determinada para o período entre as 12h00 de 13 de agosto e as 23h59 de 16 de agosto.

Nesta senda, a GNR recorda as medidas de caráter excecional:

1.    Proibição do acesso, circulação e permanência no interior dos espaços florestais previamente definidos nos Planos Municipais de Defesa da Floresta Contra Incêndios, bem como nos caminhos florestais, caminhos rurais e outras vias que os atravessem;

2.    Proibição da realização de queimadas e queimas de sobrantes de exploração;

3.    Proibição de realização de trabalhos nos espaços florestais com recurso a qualquer tipo de maquinaria, com exceção dos associados a situações de combate a incêndios rurais;  

4.    Proibição de realização de trabalhos nos demais espaços rurais com recurso a motorroçadoras de lâminas ou discos metálicos, corta-matos, destroçadores e máquinas com lâminas ou pá frontal.

5.    Proibição total da utilização de fogo-de-artifício ou outros artefactos pirotécnicos, independentemente da sua forma de combustão, bem como a suspensão das autorizações que tenham sido emitidas nos distritos onde tenha sido declarado o Estado de Alerta Especial de Nível Laranja pela ANEPC.

De referir que a proibição não abrange:

1.    Os trabalhos associados à alimentação e abeberamento de animais, ao tratamento fitossanitário ou de fertilização, regas, podas, colheita e transporte de culturas agrícolas, desde que as mesmas sejam de carácter essencial e inadiável e se desenvolvam em zonas de regadio ou desprovidas de florestas, matas ou materiais inflamáveis, e das quais não decorra perigo de ignição;

2.    A extração de cortiça por métodos manuais e a extração (cresta) de mel, desde que realizada sem recurso a métodos de fumigação obtidos por material incandescente ou gerador de temperatura;

3.    Os trabalhos de construção civil, desde que inadiáveis e que sejam adotadas as adequadas medidas de mitigação de risco de incêndio rural.

 

Nos espaços florestais e agrícolas, a GNR reforça os seguintes conselhos à população:

·         Evite fumar ou fazer lume;

·         Evite fumigar ou desinfestar apiários, a não ser com uso de fumigadores equipados com dispositivos de retenção de faúlhas;

·         Utilize tratores, máquinas e veículos pesados de transporte que possuam extintor, sistema de retenção de faúlhas ou faíscas e tapa-chamas nos tubos de escape ou chaminés;

·         Em caso de incêndio, ligue de imediato para o 112, transmitindo de forma sucinta e precisa a localização, a dimensão estimada  do incêndio e a forma de acesso mais rápida ao local.

 

Se notar a presença de pessoas com comportamentos de risco, contacte de imediato as autoridades.

A proteção da nossa floresta e de todo o meio ambiente depende de todos nós! Colabore para um Portugal sem fogos.

Volta a Portugal de Juniores com passagem na região

Vai decorrer, a 15.ª Edição da Volta a Portugal de Junioresde 26 a 29 de agosto, com a realização da 3.ª etapa entre Gouveia e Seia. A Volta a Portugal de Juniores é uma corrida disputada pelo pelotão sub-19, que contempla quatro etapas e um total de 347,7 quilómetros. A etapa inaugural terá lugar a 26 de agosto, com partida e chegada em Almeida, estendendo-se por um percurso de 92,6 quilómetros.

A segunda etapa, a 27 de agosto, irá ligar Sabugal a Penamacor através de um traçado de 129,4 quilómetros. A 28 de agosto, a cidade de Gouveia será palco do início da 3.ª etapa, com um contrarrelógio individual de 14,8 quilómetros com final na cidade de Seia. A partida será dada pelas 16h00, na Rua Dr. Mário Gomes Figueira (junto ao Centro de Saúde de Gouveia), com passagem pelas freguesias de Moimenta da Serra, Paços da Serra, Santa Marinha e S.Martinho. A chegada à Avenida Luís Vaz de Camões, em Seia, irá ter lugar cerca das 16h20.

A finalizar a Volta, no dia 29 de agosto, irá ter lugar a 4.ª e última etapa, uma viagem de 110,9 quilómetros, entre Celorico da Beira e a cidade da Guarda, naquela que faz desta a etapa-rainha da competição, já que os jovens ciclistas terão de ultrapassar a exigente subida das Penhas da Saúde, contagem de montanha de primeira categoria. Será na capital de distrito que se irá conhecer o vencedor desta 15.ª Volta a Portugal de Juniores.

GNR reforça o patrulhamento para prevenir incêndios rurais

Face ao agravamento do risco de ocorrência de incêndios rurais previsto para os próximos dias, e à Declaração Conjunta da Situação de Alerta para os 14 Distritos (Beja, Bragança, Castelo Branco, Coimbra, Évora, Faro, Guarda, Leiria, Lisboa, Portalegre, Santarém, Setúbal, Vila Real e Viseu), a Guarda Nacional Republicana, vai reforçar o patrulhamento e o esforço de vigilância terrestre em todo o Território Nacional, em coordenação com as demais entidades, no intuito de prevenir a ocorrência de ignições.

Face às previsões meteorológicas para os próximos dias, a Situação de Alerta e as medidas de carácter excecional terão início às 12h00 de hoje, dia 13 de agosto, e irão prolongar-se até às 23h59 de dia 16 de agosto, para os 14 distritos.

Nesta senda, a GNR recorda as medidas de caráter excecional:

1. Proibição do acesso, circulação e permanência no interior dos espaços florestais previamente definidos nos Planos Municipais de Defesa da Floresta Contra Incêndios, bem como nos caminhos florestais, caminhos rurais e outras vias que os atravessem;

2. Proibição da realização de queimadas e queimas de sobrantes de exploração;

3. Proibição de realização de trabalhos nos espaços florestais com recurso a qualquer tipo de maquinaria, com exceção dos associados a situações de combate a incêndios rurais;

4. Proibição de realização de trabalhos nos demais espaços rurais com recurso a motorroçadoras de lâminas ou discos metálicos, corta-matos, destroçadores e máquinas com lâminas ou pá frontal.

5. Proibição total da utilização de fogo-de-artifício ou outros artefactos pirotécnicos, independentemente da sua forma de combustão, bem como a suspensão das autorizações que tenham sido emitidas nos distritos onde tenha sido declarado o Estado de Alerta Especial de Nível Laranja pela ANEPC.

De referir que a proibição não abrange:

1. Os trabalhos associados à alimentação e abeberamento de animais, ao tratamento fitossanitário ou de fertilização, regas, podas, colheita e transporte de culturas agrícolas, desde que as mesmas sejam de carácter essencial e inadiável e se desenvolvam em zonas de regadio ou desprovidas de florestas, matas ou materiais inflamáveis, e das quais não decorra perigo de ignição;

2. A extração de cortiça por métodos manuais e a extração (cresta) de mel, desde que realizada sem recurso a métodos de fumigação obtidos por material incandescente ou gerador de temperatura;

3. Os trabalhos de construção civil, desde que inadiáveis e que sejam adotadas as adequadas medidas de mitigação de risco de incêndio rural.

 

Nos espaços florestais e agrícolas, a GNR reforça os seguintes conselhos à população:

· Evite fumar ou fazer lume;

· Evite fumigar ou desinfestar apiários, a não ser com uso de fumigadores equipados com dispositivos de retenção de faúlhas;

· Utilize tratores, máquinas e veículos pesados de transporte que possuam extintor, sistema de retenção de faúlhas ou faíscas e tapa-chamas nos tubos de escape ou chaminés;

· Em caso de incêndio, ligue de imediato para o 112, transmitindo de forma sucinta e precisa a localização, a dimensão estimada do incêndio e a forma de acesso mais rápida ao local.

 

FPF- Sub-17-Seia FC e o Tondela conhecem calendário

Teve lugar na cidade do futebol, mais um sorteio do nacional de sub-17, com o Seia FC e o Tondela inseridos.

SÉRIE B

  1. Régua
  2. Académico Viseu
  3. Boavista
  4. Espinho
  5. Feirense
  6. FC Porto
  7. Padroense
  8. Lusitânia Lourosa
  9. Salgueiros
  10. Anadia
  11. Seia
  12. Tondela

Na ronda inaugural o Seia FC desloca-se a Espinho e o Tondela recebe o Ac.Viseu

27ª edição do Festival Internacional de Cinema Ambiental da Serra da Estrela – CineEco

Portugal, França e Espanha são os países com maior representação cinematográfica na Competição Oficial da 27ª edição do Festival Internacional de Cinema Ambiental da Serra da Estrela – CineEco. Este ano, o mais antigo festival de cinema ambiental do mundo recebe um número recorde de 93 filmes de mais de 20 países que podem ser vistos entre 9 e 16 de outubro, na Casa Municipal da Cultura de Seia.

Os documentários em competição versam sobre temáticas multidisciplinares como a atual situação climática, colonialismo tóxico, pandemia e outras doenças, a luta de comunidades pela defesa dos ecossistemas regionais, futuro sustentável, poluição marítima, justiça ambiental, entre outras abordagens. “O CineEco regressa este ano com uma Seleção Oficial pautada pela crescente qualidade dos filmes a concurso, alguns dos quais verdadeiras odes poéticas e visões dramáticas e cortantes da realidade, sempre com uma forte componente de consciencialização e de necessidade da busca por novas soluções e ativismos, que possam garantir a perpetuação da nossa própria existência no futuro próximo”, enfatiza a direção do CineEco Seia.

Na Competição Internacional de Longas-Metragens, uma das mais relevantes do CineEco, entram a concurso 11 documentários. Em “Une fois que tu sais” de Emmanuel Cappellin, o realizador francês lança-nos uma pergunta inquietante: Como podemos seguir a nossa vida sabendo o que nos espera? Este documentário leva-nos a ‘bordo’ de uma odisseia transformadora que toca no mais íntimo do nosso ser face à “inevitabilidade do nosso próprio declínio”. Da Suíça chega “Ostrov – Lost Island” de Svetlana Rodina, uma visão empática e comovente de uma família da ilha de Ostrov, no mar Cáspio, conhecido como o maior lago de água salgada do mundo, que sobrevive da caça ilegal. Com expectativa é também aguardada a exibição do mais recente documentário do reconhecido fotógrafo, realizador e ativista ambiental, Yann Arthus-Bertrand. Depois do aclamado “Home” e do ensaio fotográfico, “Earth From Above”, o realizador francês mostra no CineEco o seu filme mais pessoal em “Legacy, notre héritage”, um retrato vívido sobre as mudanças climáticas, o desenvolvimento sustentável e a preservação da biodiversidade. “Living Water” do realizador e antropólogo Pavel Borecký, fala-nos de uma bomba-relógio ambiental e da história de luta entre beduínos, engenheiros e agricultores pelo “ouro azul”, num dos países mais pobres em termos de recursos de água, a Jordânia. “Douce France” de Geoffrey Couanon, acompanha-nos na investigação inesperada de um grupo de jovens estudantes sobre um polémico parque de lazer que ameaça as quintas perto das suas casas. Um relato apaixonado e vivo de jovens que ousam questionar. A realizadora Venice de Castro Atienza traz ao CineEco “Last Days at SeaReyboy, um menino de 12 anos que mora numa pequena vila isolada de pescadores nas Filipinas. Um documentário sobre o tempo suspenso, no mar, aos olhos de uma criança que tem de ir viver para a cidade. “The Last Hillbilly”, dos realizadores Diane Sara Bouzgarrou e Thomas Jenkoe, transporta-nos pelas vivências de uma família que vive no coração dos montes Apalaches. Com o encerramento das minas de carvão ficam presos ao passado mítico de um mundo que desapareceu. “Ophir”, de Alexandre Berman e Olivier Pollet, conta a história da revolução indígena em Bougainville pela defesa da sua cultura, vida e terra numa das nações mais jovens do mundo, na Papua Nova Guiné. Da realizadora russa Shasha Voronov chega “Mom, I Befriended Ghosts”, documentário sobre uma pequena cidade na Sibéria presa há meses numa quarentena, fruto de uma doença misteriosa provocada pela água que os habitantes bebem. Neste filme, a realizadora imagina a mudança das relações entre as pessoas e a natureza; algum paralelismo com o que temos vivenciado no último ano e meio de pandemia poderá ser, ou não, pura coincidência. Do Canadá chega “Hell or Clean Water” de Cody Westman, um filme sobre um ‘fazedor de mudança’, sobre a poluição marítima e uma luta desigual de um herói-mergulhador pouco provável de Newfoundland e Labrador. “Arica” de Lars Edman e William Johansson Kalén aborda um escândalo em grande escala sobre o ‘colonialismo tóxico’ de um gigante mineiro sueco que chegou a despejar 20 mil toneladas de resíduos perigosos na cidade de Arica, no Norte do Chile, prejudicando a saúde dos seus habitantes. Este documentário relata a história dos sobreviventes que procuraram justiça ao longo de mais de 15 anos.

Na Competição Internacional Curtas-Metragens do CineEco concorrem 45 documentários de vários países, sendo 7 destes filmes produções nacionais, a saber: “Hope”, de Paulo Ferreira; “Mulher como árvore” (coprodução com Galiza, Espanha) de Alejandro Vázquez San Miguel, Carmen Tortosa, Daniela Cajías, Flávio Ferreira e Helder Faria; “#fishingtheplastic” de Marina Lobo; “Estrelinha do Geopark”, de Luís Augusto Fonseca de Araújo; “A última gota – Algarve”, da Almargem – Associação de Defesa do Património Ambiental e Cultural do Algarve; “Entre as abelhas e o pregado”, de Ana Linnea Lidegran Correia; e “Vale do Aurotni”, de Graça Gomes.

Este ano, o cinema ambiental em língua portuguesa volta também a estar em grande destaque na Competição Séries e Reportagens Televisivas que, à semelhança da edição passada, representa mais de metade das obras em competição nesta categoria específica.  No total dos filmes em Competição na 27ª edição do CineEco, 39 são documentários portugueses produzidos em 2020 e 2021.

Os programadores deste ano voltam a ser Bruno Manique, ex-Presidente do Centro Portugal Film Commission, Rúben Sevivas, realizador, produtor, formador, ator e programador cultural, e Tiago Alves, jornalista, realizador e locutor de rádio e programador de cinema, apresentador do programa Cinemax na Antena 1 e RTP2. De ressalvar que o CineEco 2021 tem como padrinho oficial o apresentador Júlio Isidro e, como madrinha, a atriz Sofia Alves.

ULS Guarda inicia Programa de Rastreio do Cancro do Cólon e Reto

A Unidade Local de Saúde da Guarda vai dar início ao Programa de Rastreio do Cancro do Cólon e Reto.
Os exames vão começar por ser efetuados em cinco Unidades de Cuidados de Saúde Personalizados: Guarda, USF a Ribeirinha, Sabugal, Seia e Gouveia. O objetivo é que, em muito breve, esteja abrangida toda a área dos Cuidados de Saúde Primários da ULS da Guarda.
O Laboratório de Saúde Pública tem, no entanto, capacidade de resposta para as solicitações que possam vir a surgir no âmbito deste rastreio nos distritos vizinhos.
É mais um passo em frente na dinâmica e pro atividade do Laboratório de Saúde Pública da ULS da Guarda.