Templates by BIGtheme NET
Início » Turismo

Turismo

Livro “Work From Centro de Portugal”apresentado pelo Turismo Centro de Portugal

A Turismo Centro de Portugal apresentou no Hotel Selina Peniche, o livro “Work From Centro de Portugal”. Esta é mais uma iniciativa inserida num projeto abrangente, que visa promover a região Centro como destino de trabalho remoto para trabalhadores remotos e nómadas digitais, com oferta para todas as pessoas, famílias e equipas que pretendam trabalhar à distância.

Nas páginas do livro contam-se as histórias de pessoas que mostram como é viver e trabalhar em vários pontos do Centro de Portugal. Rostos de quem se move em setores tão diferentes como a cultura, o desporto, a tecnologia, as artes e ofícios tradicionais. O livro disponibiliza igualmente uma listagem extensiva de locais com condições especialmente indicadas para quem escolhe a região para trabalhar de forma remota. Ler Mais »

Centro de Portugal foi visitado por milhares de turistas no fim de semana da Páscoa

Turismo Centro de Portugal apresentou recursos de Turismo Industrial na região

“O Turismo Industrial é um produto turístico fundamental para a região, uma vez que está disponível 365 dias por ano e promove a coesão territorial”, destacou Pedro Machado, presidente do Turismo Centro de Portugal.

Foi  constituída formalmente a rede de parceiros do Turismo Industrial da região Centro de Portugal. A cerimónia decorreu no Museu Nacional Ferroviário, no Entroncamento, e contou com a presença do Turismo de Portugal.

O momento foi assinalado pela assinatura da Declaração de Compromisso entre a Turismo Centro de Portugal e os Municípios e outros parceiros identificados nesta iniciativa, tendo em vista a futura Rede Portuguesa do Turismo Industrial, desenvolvida a nível nacional.

A cerimónia contou com intervenções de Manuel Cabral, presidente da Fundação do Museu Nacional Ferroviário, Jorge Faria, presidente do Município do Entroncamento, Pedro Machado, presidente do Turismo Centro de Portugal, e Teresa Ferreira, diretora do Departamento de Dinamização da Oferta e dos Recursos do Turismo de Portugal.

Na ocasião, Manuel Cabral sublinhou que “o Museu Nacional Ferroviário tem por missão o estudo e a valorização do património ferroviário, mas não pretende ser apenas um museu. É um museu vivo, de experiências, que liga precisamente a indústria da ferrovia ao turismo. Queremos, cada vez mais, aproximar pessoas através do turismo, criando elementos que os possam trazer cá mais dias e mais noites”. “Por isso”, acrescentou, “este trabalho em rede é para todos absolutamente essencial, porque o turismo é uma pedra fundamental para a economia. A assinatura desta Declaração de Compromisso é, como o próprio nome indica, um compromisso de trabalho conjunto, de braço dado, no sentido de nos posicionarmos melhor”.

Por sua vez, Jorge Faria lembrou que “está em curso um projeto de valorização do património ferroviário do Entroncamento, numa parceria entre a Câmara Municipal do Entroncamento, o Museu Nacional Ferroviário e a CP – Comboios de Portugal. A assinatura desta Declaração de Compromisso em torno do Turismo Industrial é, por isso, para nós, muito importante e damos mais uma vez os parabéns por esta iniciativa”.

Pedro Machado realçou a importância do Turismo Industrial para o Centro de Portugal. “A estruturação do produto turístico Turismo Industrial é uma receita para sermos mais atrativos e mais competitivos, mas também para podermos alavancar o crescimento de uma indústria fundamental na nossa região. Este é um produto turístico com características únicas, já que está disponível 365 dias por ano. Permite, por isso, alavancar estadias mais prolongadas e combater a sazonalidade. Este é ainda um produto que promove a coesão territorial, no sentido em que potencia também destinos de baixa densidade populacional. É um produto turístico que promove todos os territórios, de norte a sul, este a oeste”, destacou.

Teresa Ferreira encerrou a cerimónia, depois da assinatura de todos os parceiros na iniciativa, e recordou que o Turismo Industrial é um produto turístico que está a dar os primeiros passos em Portugal. “O grupo dinamizador do novo produto turístico, que é o Turismo Industrial, junta o Turismo de Portugal, as cinco Entidades Regionais de Turismo, a Madeira e os Açores, alguns municípios e alguns parceiros privados, como é o caso da Vista Alegre e da New Hand Lab. Juntos, temos feito um enorme esforço no trabalho de estruturação de um produto turístico à escala nacional. Agora estamos em modo de celebração, pois começamos a ver os seus frutos”, considerou.

Declaração de Compromisso assinada por Municípios e parceiros

A Declaração de Compromisso foi assinada entre a Turismo Centro de Portugal e os Municípios e parceiros do Turismo Industrial na região.

Entre vários pontos, esta Declaração confirma o empenho das partes na implementação das boas práticas e critérios de conformidade associados aos serviços de Turismo Industrial, de acordo com o Guia de Boas Práticas desenvolvido pelo Grupo Dinamizador da Rede Portuguesa de Turismo Industrial. Estipula ainda a participação conjunta em iniciativas para a promoção do Turismo Industrial e confirma que a Turismo Centro de Portugal, os parceiros e os Municípios disponibilizarão informação clara e atualizada sobre a oferta de Turismo Industrial nos respetivos websites.

Assinaram a Declaração de Compromisso os Municípios de Abrantes, Cantanhede, Entroncamento, Marinha Grande, Porto de Mós, Seia, Sever do Vouga e Tomar, além dos seguintes parceiros já identificados:

Abrantes – Museu Metalúrgica Duarte Ferreira; Cantanhede – Museu da Pedra; Centro de Interpretação da Arte Xávega (CIAX); Museu LOAD ZX Spectrum; Coimbra – Praxis Cervejas de Coimbra; Covilhã – New Hand Lab; Museu de Lanifícios da Universidade da Beira Interior; Entroncamento – Museu Nacional Ferroviário; Ílhavo – Museu e Fábrica da Vista Alegre; Manteigas – Ecolã Portugal; Burel Factory; Marinha Grande – Museu do Vidro; Crisal; Moldoeste; CENCAL; Porto de Mós – Museu Industrial e Artesanal do Têxtil (MIAT); Airemármores; Casa Féteira; Seia – Museu Natural da Eletricidade; Sever do Vouga – Minas do Braçal / Museu Municipal; Tomar – Núcleo Museológico da Central Elétrica de Tomar; Núcleo Museológico da Fundição Tomarense.

Fotos:TCP

Região Centro de Portugal em destaque nos prémios Guia Boa Cama Boa Mesa

O Centro de Portugal esteve de novo em evidência nos prémios do “Guia Boa Cama Boa Mesa”, que distinguiram sete hotéis e dois restaurantes situados no território. Os galardões, revelados recentemente pelo guia do jornal “Expresso”, comprovam a excelência da oferta da região nas áreas da hotelaria e restauração.

O Centro de Portugal recebeu 4 Chaves de Prata, 3 Chaves de Ouro, 1 Garfo de Ouro e 1 Garfo de Platina.

Na hotelaria, a Chave de Ouro foi atribuída ao Areias do Seixo (Mexilhoeira, Torres Vedras),às Casas do Côro (Marialva, Mêda) e ao Rio do Prado (Arelho, Óbidos).

 

 

 

 

 

Com a Chave de Prata, foram premiados a Casa de São Lourenço (Manteigas),

H2otel Congress & Medical SPA (Unhais da Serra, Covilhã),

Luz Charming Houses (Fátima, Ourém)

 

 

 

e o Sapientia Boutique Hotel (Coimbra).
 

 

 

Na restauração, foram premiados dois projetos do Centro de Portugal: o “Boa Cama Boa Mesa” distinguiu o Mesa de Lemos (Silgueiros, Viseu), com Garfo de Ouro, e o Rei dos Leitões (Mealhada), com Garfo de Platina.

 


 

O Centro de Portugal é, cada vez mais, um destino que se distingue também pela gastronomia e pela hotelaria de qualidade superior. Estão de parabéns os empresários do setor que, mesmo em tempos difíceis, se esmeraram com o objetivo de proporcionar experiências únicas a quem visita a região. Estes prémios do ‘Guia Boa Cama Boa Mesa’ são uma homenagem merecida a quem tanto faz pelo Turismo no território, num trabalho que é reconhecido todos os dias por quem nos visita”, destaca Pedro Machado, presidente da Turismo Centro de Portugal.
Os prémios “Boa Cama Boa Mesa” são dos mais prestigiados no setor da restauração e hotelaria em Portugal, reconhecendo, desde 2013, unidades que se destacam no nosso país.

Fotos: TCP

 Fórum “Vê Portugal” em Tomar

A cidade de Tomar vai receber, de 6 a 9 de junho, o Fórum “Vê Portugal”, encontro anual em que a Turismo Centro de Portugal junta especialistas nacionais e internacionais. Faça a sua inscrição gratuita em https://bit.ly/3wwqoZm e participe neste grande evento nacional de turismo!

Tomar sucede a Viseu, Aveiro, Coimbra, Leiria, Guarda, Castelo Branco e Caldas da Rainha, as cidades do Centro de Portugal que acolheram as edições anteriores. Este ano, o tema central do maior fórum nacional de turismo interno é “A Era Pós-Covid-19 e o Turismo: Olhos Postos no Futuro!”.

Turismo Centro de Portugal conheceu novos projetos turísticos em S. Pedro do Sul

Uma comitiva multidisciplinar da Turismo Centro de Portugal (TCP) realizou uma visita ao concelho de São Pedro do Sul, onde ficou a conhecer alguns dos novos investimentos turísticos do território.

A comitiva foi liderada por Pedro Machado, presidente da TCP, que se fez acompanhar de Jorge Loureiro, vogal da Comissão Executiva, Gonçalo Gomes, chefe do Núcleo de Apoio ao Investimento Turístico, Sílvia Ribau, chefe do Núcleo de Estruturação, Planeamento e Promoção, e Adriana Rodrigues, chefe do Núcleo de Comunicação, Imagem e Relações Públicas. A visita foi acompanhada por Pedro Mouro, vice-presidente da autarquia de São Pedro do Sul, pela vereadora Teresa Sobrinho e pelo presidente da Assembleia Municipal, Vítor Barros, entre outras individualidades locais.

Esta visita insere-se numa estratégia de reconhecimento do território por parte da Turismo Centro de Portugal, com o objetivo de termos contacto com novos projetos turísticos em curso ou que estão prestes a arrancar. É muito importante sairmos dos gabinetes e observarmos in loco a realidade de um território tão vasto como o da maior região do país. Nesta visita, em particular, ficamos a conhecer ‘o outro lado de São Pedro do Sul’, com projetos muito estimulantes e diferentes do habitual. Foi uma visita muito enriquecedora”, considerou Pedro Machado.

A visita começou nas Termas de São Pedro do Sul, nomeadamente no “Grande Hotel Thermas” e no respetivo spa, um projeto diferenciador, de grande envergadura, que irá atrair muitos visitantes ao território. Seguiu-se uma pequena caminhada no Circuito Lúdico do Vouga, que terminou na “Casa dos Remendos”, um empreendimento destinado ao segmento LGBT.

Ainda de manhã, a comitiva foi conhecer a “Quinta das Fontes”, na localidade de Vila Maior, um empreendimento onde o verde das árvores e o azul da água são predominantes. Depois de uma passagem pelo miradouro das Covas do Monte, o almoço teve lugar na “Casa Margou”, um projeto vocacionado para o turismo espiritual e de natureza, na aldeia abandonada de Gourim.

Após uma paragem no Baloiço da Serra da Arada, a visita continuou no “Lago da Garça Guesthouse”, um empreendimento que também prima pela sustentabilidade e pelo respeito pelo ambiente, situado na Fraguinha. Aqui, o projeto “Goat Community” apresentou um festival de música eletrónica, que vai acontecer no aqui dia 7 de maio, em plenas Montanhas Mágicas. Ainda na Fraguinha, a comitiva conheceu o tranquilo Parque de Campismo do Retiro da Fraguinha.

O dia terminou no auditório do Balneário Rainha D. Amélia, nas Termas de São Pedro do Sul, com uma reunião com hoteleiros. Nesta, Gonçalo Gomes informou sobre as possibilidades de financiamento existentes e José Mendes, da IDTOUR, apresentou o “Plano Estratégico do Turismo de São Pedro do Sul 2030″.

Celoricense José Miguel Figueiredo é o Chefe do Gabinete da Secretária de Estado do Turismo, Comércio e Serviços

Assim um celoricense José Miguel Figueiredo, passa a ser o Chefe do Gabinete da Secretária de Estado do Turismo, Comércio e Serviços.

Depois de ter tomado posse o XXIII Governo Constitucional da República Portuguesa, o jovem celoricense assumiu funções, como Chefe do Gabinete da Secretária de Estado do Turismo, Comércio e Serviços, do Ministério da Economia e do Mar, um jovem Celoricense, José Miguel Figueiredo.

Licenciado em Direito, exerceu funções como Adjunto do Secretário de Estado do Comércio, Serviços e Defesa do Consumidor, João Torres, no Ministério da Economia e da Transição Digital, do XXII Governo Constitucional, vendo, assim, agora, valorizado o seu profissionalismo e reconhecido mérito, ao ser nomeado para chefiar o Gabinete da Secretaria de Estado do Turismo, Comércio e Serviços.

Atualmente, ocupa o lugar de líder da bancada do Partido Socialista na Assembleia Municipal de Celorico da Beira. O jovem José Miguel Figueiredo é um orgulho para todos os Celoricenses e Amigos.

Crédito Educação: Obter Uma Especialização Nunca Foi Tão Fácil

Os custos para concluir os seus estudos, ou para quem simplesmente especializar-se numa área diferente são elevados. Mas existe uma solução!

Vivemos num período onde é cada vez mais importante obter uma maior diferenciação e valorização a nível profissional, já que no mundo do trabalho existe mais procura do que oferta, principalmente em áreas onde é fundamental ter algum tipo de especialização.

Até mesmo num momento de maior incerteza, um profissional mais especializado numa determinada área ou setor, irá assegurar sempre uma maior vantagem em relação a outros candidatos.

A verdade é que, ainda que existam vários cursos e formações em regime pós-laboral que pode escolher. Quer pretenda uma licenciatura, uma pós-graduação ou até mesmo um mestrado, a flexibilidade que existe ao nível do ensino permite que consiga conjugar o seu trabalho atual com a sua formação.

Ainda assim, não há como contornar o facto deste tipo de especializações necessitarem de um investimento que é para muitas famílias incomportável, já que este tipo de formação pode facilmente ascender aos milhares de euros.

Este é um esforço que vale a pena considerar, já que estará a investir no seu futuro, ou até mesmo no dos seus filhos e, por norma, aprofundar os seus conhecimentos e obter uma especialização pode proporcionar-lhe resultados muito positivos, facilitando a progressão na sua carreira profissional.

Felizmente já existem entidades financeiras que apresentam soluções que permitem a qualquer pessoa avançar com este tipo de projetos pessoais, sendo que a solução mais requisitada é o crédito pessoal com finalidade de educação.

Ao contrário de um crédito dito tradicional, esta modalidade específica permite-lhe financiar o seu plano de estudos de forma simples e descomplicada, já que nos dias de hoje já é possível fazer o seu pedido de forma totalmente online.

Uma das principais entidades que disponibiliza esta solução no nosso país é a Credibom, através do crédito com finalidade de educação, que lhe permite ter acesso a taxas bem mais reduzidas, para além de poder usufruir de outras vantagens disponíveis.

Por norma, este é um tipo de crédito que lhe permite obter condições bastante competitivas, já que as taxas contratadas (TAN e TAEG) chegam a ser menos de metade das taxas utilizadas num crédito pessoal tradicional. No que diz respeito aos prazos de pagamento, estes também são bastante alargados, podendo mesmo chegar aos 7 anos e originando uma prestação significativamente reduzida.

Se estes não são motivos suficientes para o levar a planear a sua formação, saiba que existe ainda um período de carência de capital com uma duração de 12 meses, sendo esta uma vantagem muito comum neste tipo de finalidade.

Isto significa que poderá amortizar o seu crédito apenas após concluir a sua formação, ficando apenas responsável pelo pagamento dos juros, encargo este que acaba por ser residual e ao alcance de todos.

Desta forma, poderá focar-se totalmente no seu curso e no seu trabalho, se decidir conjugar estas duas responsabilidades durante a sua formação.

Em determinados casos, pode até vir a obter uma bonificação extra nas suas taxas, caso venha a demonstrar um bom desempenho durante a sua formação.

Se está a pensar em desenvolver-se enquanto profissional, saiba que para requerer um crédito com finalidade de educação, basta garantir que se encontra numa situação financeira estável, através de rendimentos regulares e um histórico financeiro saudável.

Como as entidades financeiras irão verificar o seu Mapa de Responsabilidades de Crédito, deve garantir que não se encontra numa situação de incumprimento e possui margem na sua taxa de esforço para fazer o seu pedido de crédito.

Esta é uma solução que irá requerer da sua parte um nível de responsabilidade  mais elevado, já que a mesma implica que seja feito um financiamento em seu nome. Ainda assim, deve considerar esta solução como uma oportunidade única de dar o próximo passo na sua carreira profissional, caso não tenha fundos para tal, ou não queira recorrer às suas poupanças pessoais.

Afinal, este é um investimento que irá pagar-se a si próprio, já que ao aumentar a sua formação, estará também a aumentar as probabilidades de avançar mais facilmente na sua carreira profissional, garantindo por sua vez rendimentos mais avultados.

Por: “Redação”

 

8.º Fórum Vê Portugal  vai ser em Tomar

A cidade de Tomar vai receber, de 6 a 9 de junho, a 8.ª edição do Fórum de Turismo Interno “Vê Portugal”, uma iniciativa emblemática do Turismo Centro de Portugal, que todos os anos junta especialistas nacionais e internacionais para uma discussão alargada sobre os desafios colocados ao turismo interno.

Tomar sucede a Viseu, Aveiro, Coimbra, Leiria, Guarda, Castelo Branco e Caldas da Rainha, as cidades do Centro de Portugal que acolheram as edições anteriores. Este ano, o tema central do evento é “A Era Pós-Covid-19 e o Turismo: Olhos Postos no Futuro!”.

A apresentação do evento aconteceu hoje, no Salão Nobre da Câmara Municipal de Tomar, com a participação de Pedro Machado, presidente do Turismo Centro de Portugal, de Anabela Freitas, presidente da Câmara Municipal tomarense, de João Freitas Coroado, presidente do Instituto Politécnico de Tomar, e de Adriana Rodrigues, chefe do Núcleo de Comunicação, Imagem e Relações Públicas do Turismo Centro de Portugal. Ler Mais »

Vão surgir 100 novas Equipas de Intervenção Permanente no País

A Secretária de Estado da Administração Interna, Patrícia Gaspar, autorizou na passada sexta-feira, a celebração de protocolos para criar 100 novas Equipas de Intervenção Permanente (EIP).

A decisão consolida a aposta no reforço do modelo de resposta profissional permanente a riscos de proteção civil, que, entre outros elementos, integra as EIP.

As 100 novas EIP serão criadas em 73 municípios do continente, correspondendo a 13 primeiras equipas, 77 segundas equipas – criadas em Corpos de Bombeiros (CB) onde já existia uma EIP – e 10 terceiras equipas em CV com duas EIP e que dispõem de secções ou postos deslocalizados.

Todos os distritos do continente contarão com novas Equipas, destacando-se os distritos de Lisboa (16 novas EIP), Viseu (11), Leiria (9) e Coimbra, Setúbal e Viana do Castelo (8).

A seleção destas EIP foi baseada em critérios objetivos e verificáveis, estabelecidos pela Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil e apresentados à Liga dos Bombeiros Portugueses.

Com a criação destas 100 novas EIP, compostas por um total de 500 operacionais, elevar-se-á o total de equipas autorizadas para 662, quase quadruplicando o número de EIP criadas até 2016 (169).

Os protocolos, a celebrar entre a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), as Câmaras Municipais e as Associações Humanitárias de Bombeiros, visam melhorar a eficiência da Proteção Civil e as condições de prevenção e socorro face a acidentes e catástrofes, como inscrito no Programa do XXII Governo Constitucional.

As EIP são equipas formadas por cinco bombeiros profissionais, que se destinam ao cumprimento de missões no âmbito da Proteção Civil. Os bombeiros que integram estas equipas são caracterizados pela elevada especialização, com competências em valências diferenciadas para atuarem em diferentes cenários.

Com a entrada em vigor da Portaria n.º 322/2021, de 29 de dezembro, que regula a composição e o funcionamento das EIP, o Governo promove a diversidade de género, pelo que a constituição destas equipas deve prever, no mínimo, uma proporção de elementos de cada sexo não inferior a 20 %.

Até ao momento foram autorizadas 662 EIP (mais de 3.300 operacionais), das quais 491 desde 2017, permitindo a cobertura de todo o território nacional continental por equipas permanentes (à exceção de um município) e estando prevista a constituição de novas equipas no segundo semestre de 2022.