Templates by BIGtheme NET
Início » Religião » Queiriz em exposição em abril no CIHAFA

Queiriz em exposição em abril no CIHAFA

   O CIHAFA (Centro de Interpretação Histórica e Arqueológica de Fornos
de Algodres), inicia uma serie de exposições intituladas “As Freguesias
vão ao Museu”, de 05 a 30 de Abril de 2015 estará patente a Freguesia de
Queiriz, que poderá ser visitada todos os dias entre as 10h00 – 13h00 e
as 14h00 – 17h00.
   Queiriz é uma Freguesia Portuguesa do Concelho
de Fornos de Algodres, com 9,74 km² de área, situada na parte mais a
Norte do Concelho, Distrito da Guarda, Diocese de Viseu, situa-se
a uma altitude de cerca de 700 metros. Esta freguesia é a mais distante
da sede do concelho, pois fica mais de 22 quilómetros, Inclui os
lugares de Casal do Monte , Aveleiras e Quinta da Barreira.

  Fez parte do Concelho de Pena Verde, e depois disso, foi integrada no Município de Fornos de Algodres.(1836)
Foi uma proba ou aldeia de que era senhor o prior do Convento de
Moreira que lhe deu foral em 1235. Os moradores eram colonos do Mosteiro
e adscritos à terra que cultivam de pais e filhos. Deviam levar ao
convento 1/4 dos frutos.
A rogos do prior os habitantes estavam
debaixo da proteção e defesa, em suas pessoas e bens, de determinada
família nobre (talvez Folgosinho).
  A Igreja Paroquial é muito
antiga, com porta ampla, em arco romano, e tem gravado sobre a porta
lateral a data 1636, data que também está sobre a porta da residência
paroquial.
  Na povoação das Aveleiras existe a Capela do Divino
Espírito Santo a qual foi novamente erecta e dotada pelos moradores em
1724, ano em que foi benzida para nela se dizer missa e administrarem os
sacramentos.
  Das quatro povoações a mais notável sob o ponto vista
histórico é o Casal do Monte, que apesar da estreiteza do lugar e
exiguidade da população que em 1527 não ia além de 21 fogos, constitui
só por si um concelho autónomo e independente, com o seu Pelourinho e
Casa da Câmara ou Cadeia que ainda hoje existem.
  Aos filhos desta terra, talvez por serem mais ou menos turbulentos, ainda hoje se dá o nome de “maltezes”
Fonte:CIHAFA

Publicidade...



 

Enviar Comentário