Templates by BIGtheme NET
Início » Tag Archives: agua

Tag Archives: agua

aBEIRAR – da ciência cidadã à valorização territorial

Os territórios UNESCO são por excelência lugares de ciência, educação e cultura. Como tal, as iniciativas no âmbito da ciência, da promoção da cultura e do desenvolvimento territorial fazem parte do quotidiano destes territórios. Estas são necessariamente abordagens holísticas ao desenvolvimento sustentável que visam a criação de novos instrumentos e ferramentas de desenvolvimento que reforcem os valores endógenos, capacitem as populações de conhecimento e que promovam uma participação ativa.

Como tal, o Estrela Geopark Mundial da UNESCO, desde a sua criação, tem tido uma preocupação crescente com a sustentabilidade do seu território, a Serra da Estrela e com a valorização do seu potencial endógeno, com destaque particular para o património geológico. Esta abordagem corrobora uma preocupação com a sustentabilidade e com os próprios Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, definidos pela Agenda 2030 da ONU. A abordagem destas temáticas deve ter como princípio, não apenas os 17 objetivos, mas sobretudo a forma como estes se relacionam, com especial destaque para o ODS 17, “Parcerias e Meios de Implementação”. Neste âmbito, o Estrela UGGp tem procurado estabelecer parcerias com diferentes stakeholders do território e fora deste.

Desta visão integradora nasce o projeto aBEIRAr, o qual constitui uma parceria de ciência cidadã que tem como missão potenciar o envolvimento e a participação cívica com a ciência, promover o diálogo entre cientistas e cidadãos e despertar o interesse da comunidade na construção de conhecimento e valorização do território. Esta parceria surge do cruzar de objetivos comuns entre a Rede Intermunicipal de Bibliotecas das Beiras e Serra da Estrela da CIMBSE (RIBBSE), a Plataforma de Ciência Aberta (Município de Figueira de Castelo Rodrigo), o Estrela Geopark Mundial da UNESCO e a Universidade da Beira Interior.

A prossecução deste projeto pretende ser um convite à curiosidade, à exploração e à descoberta dos recursos naturais do território das Beiras e Serra da Estrela, onde se insere grande parte do Estrela Geopark. Esta é uma viagem pelo território, juntando literatura e ciência, um apelo à participação conjunta de cidadãos, artistas e cientistas, pela construção de conhecimento e pela preservação, promoção e valorização do território. Estamos, pois, perante uma ação para caminhar em conjunto, inspirados pela Literatura e pela Ciência, que transformarão cada um de nós em cidadãos cientistas, embaixadores do território e promotores de desenvolvimento. Inspirados por um livro e pelas estórias da história da terra, mas também pelas histórias da ciência, construímos percursos que transformarão cada um/a de nós em investigadores, para a monitorização da qualidade e características da água, do céu e da rocha. Promovendo o conhecimento e o envolvimento dos cidadãos por um bem comum, o nosso território.

A parceria ‘aBEIRAr’ inicia-se no mês de maio com uma sequência de três ciclos, cada um dedicado a um tema central para o território: Água, a acontecer na primavera; Céu, a decorrer no verão; Rocha, a realizar no outono, uma iniciativa que irá percorrer os 15 concelhos da CIMBSE, (Almeida, Celorico da Beira, Figueira de Castelo Rodrigo, Fornos de Algodres, Guarda, Gouveia, Manteigas, Meda, Pinhel, Seia, Sabugal, Trancoso, Belmonte, Covilhã e Fundão). Junte-se a nós e “abeire-se” destes temas.

Colaboração da Equipa Técnica do Estrela Geopark.

Pinhel – Abeirar- Passeio Interpretativo inspirado pela água e pela literatura

Teve lugar em terras pinhelenses , a caminhada promovida pela Biblioteca Municipal de Pinhel no âmbito do projeto “Abeirar” abriu portas à retoma de atividades ao ar livre promovidas pela autarquia pinhelense, inspirada na temática da água e na obra do autor pinhelense Pereira da Graça.
Em fase de desconfinamento progressivo, um momento muito interessante, esta caminhada organizada e devidamente documentada, não fosse a presença de Gastão Antunes, professor de Biologia e Geologia do Agrupamento de Escolas de Pinhel, e Thierry Aubry, arqueólogo e geólogo da Fundação Côa Parque, que foram partilhando os seus conhecimentos nas respetivas áreas, ao longo de um percurso inspirador, quer em termos de formações geológicas e de biodiversidade, como no que diz respeito ao estudo da presença humana por terras do Vale do Côa.
Mais uma iniciativa, organizada localmente pelo Município de Pinhel, com a participação da Biblioteca e da Seção de Desporto, contou ainda com as parcerias da Rede Intermunicipal das Bibliotecas das Beiras e Serra da Estrela, da Plataforma de Ciência Aberta associada ao Município de Figueira de Castelo Rodrigo, do Estrela Geopark Mundial da UNESCO e da Universidade da Beira Interior.
Num convite à descoberta e exploração dos recursos do território, o percurso levou os participantes numa agradável caminhada desde o Bogalhal Velho até à beira do rio Côa, pautada por momentos de leitura, a cargo do Movimento Poético de Pinhel, de algumas passagens de obras da autoria de José Pereira da Graça, que também marcou presença na iniciativa.

“𝘖𝘴 𝘤𝘢𝘷𝘢𝘭𝘰𝘴, 𝘮𝘦𝘴𝘮𝘰 𝘤𝘰𝘮 𝘰𝘴 𝘧𝘳𝘦𝘪𝘰𝘴 𝘤𝘰𝘭𝘰𝘤𝘢𝘥𝘰𝘴, 𝘣𝘦𝘣𝘪𝘢𝘮 á𝘨𝘶𝘢 𝘤𝘰𝘳𝘳𝘦𝘯𝘵𝘦 𝘯𝘰𝘴 𝘳𝘪𝘣𝘦𝘪𝘳𝘰𝘴 𝘲𝘶𝘦 𝘥𝘦𝘴𝘤𝘪𝘢𝘮, 𝘵𝘢𝘨𝘢𝘳𝘦𝘭𝘢𝘴 𝘦 𝘴𝘢𝘭𝘱𝘪𝘤𝘢𝘯𝘵𝘦𝘴, 𝘥𝘰𝘴 𝘤ô𝘮𝘰𝘳𝘰𝘴 𝘳𝘦𝘷𝘦𝘴𝘵𝘪𝘥𝘰𝘴 𝘥𝘦 𝘦𝘳𝘷𝘢 𝘮𝘰𝘭𝘩𝘢𝘥𝘢 𝘢 𝘣𝘳𝘪𝘭𝘩𝘢𝘳 𝘢𝘰 𝘴𝘰𝘭. 𝘕𝘰𝘴 𝘭𝘦𝘪𝘵𝘰𝘴 𝘤𝘰𝘮𝘦ç𝘢𝘷𝘢 𝘢 𝘥𝘦𝘴𝘱𝘰𝘯𝘵𝘢𝘳 𝘢 𝘧𝘳𝘦𝘴𝘤𝘶𝘳𝘢 𝘢𝘱𝘦𝘵𝘪𝘵𝘰𝘴𝘢 𝘥𝘢𝘴 𝘮𝘦𝘳𝘶𝘨𝘦𝘴 𝘦 𝘰𝘴 𝘢𝘻𝘦𝘥õ𝘦𝘴 𝘤𝘳𝘦𝘴𝘤𝘪𝘢𝘮 𝘯𝘢𝘴 𝘧𝘪𝘴𝘴𝘶𝘳𝘢𝘴 𝘥𝘢𝘴 𝘱𝘢𝘳𝘦𝘥𝘦𝘴 𝘮𝘶𝘴𝘨𝘰𝘴𝘢𝘴. 𝘖𝘴 𝘤𝘢𝘳𝘷𝘢𝘭𝘩𝘢𝘪𝘴 𝘫á 𝘵𝘪𝘯𝘩𝘢𝘮 𝘢𝘤𝘢𝘣𝘢𝘥𝘰 𝘥𝘦 𝘳𝘦𝘯𝘰𝘷𝘢𝘳 𝘢 𝘧𝘰𝘭𝘩𝘢. 𝘈𝘴 𝘧𝘭𝘰𝘳𝘻𝘪𝘵𝘢𝘴 𝘳𝘢𝘴𝘵𝘦𝘪𝘳𝘢𝘴 𝘦 𝘱𝘳𝘦𝘤𝘰𝘤𝘦𝘴 𝘪𝘢𝘮 𝘴𝘶𝘨𝘦𝘳𝘪𝘯𝘥𝘰 𝘢 𝘱𝘰𝘭𝘪𝘤𝘳𝘰𝘮𝘪𝘢 𝘱𝘳𝘦𝘴𝘵𝘦𝘴 𝘢 𝘦𝘮𝘦𝘳𝘨𝘪𝘳 𝘦 𝘢 𝘨𝘦𝘯𝘦𝘳𝘢𝘭𝘪𝘻𝘢𝘳-𝘴𝘦. 𝘖 𝘤𝘶𝘤𝘰 𝘦 𝘢 𝘱𝘰𝘶𝘱𝘢, 𝘤𝘰𝘮 𝘢𝘴 𝘤𝘢𝘳𝘢𝘤𝘵𝘦𝘳í𝘴𝘵𝘪𝘤𝘢𝘴 𝘱𝘦𝘯𝘢𝘴 𝘯𝘰 𝘢𝘭𝘵𝘰 𝘥𝘰 𝘤𝘰𝘤𝘶𝘳𝘶𝘵𝘰, 𝘫á 𝘯ã𝘰 𝘩𝘢𝘷𝘪𝘢𝘮 𝘥𝘦 𝘥𝘦𝘮𝘰𝘳𝘢𝘳 𝘮𝘶𝘪𝘵𝘰 𝘢 𝘷𝘰𝘭𝘵𝘢𝘳 𝘥𝘰𝘴 𝘴𝘦𝘶𝘴 𝘭𝘰𝘤𝘢𝘪𝘴 𝘥𝘦 𝘮𝘪𝘨𝘳𝘢çã𝘰.

in O Falcão d’El Rei, de José Pereira da Graça
Foto: MP

Novas árvores foram plantadas em Fornos de Algodres

Uma forma de celebrar o Dia Mundial da Árvore e das Florestas, foi plantar uma nova espécie, foi o que fez o Município de Fornos de Algodres, em colaboração o Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), que plantou  um Carvalho Alvarinho (Quercus robur L.), na atual Zona Industrial da localidade Fornos de Algodres. 

Segundo, o Município, a floresta é um ativo de enorme relevância estratégica para o desenvolvimento económico e para a sustentabilidade ambiental, a plantação de uma árvore, oferecida pelo ICNF, é uma ação simbólica de assinalar a importância da temática: “Florestas saudáveis significam população saudável.” 

Cerca de 1.400 árvores autóctones plantadas em Vila Chã

Deste modo,  neste mesmo fim de semana , foram plantadas pelo Clube Recreativo de Vila-Chã, em parceria com Fundação Galpa Associação Nacional de Empresas Florestais, Agrícolas e do Ambiente (ANEFA), a União de Freguesias de Cortiçô e Vila Chã e a Câmara Municipal de Fornos de Algodres realizaram a plantação de cerca de 1.400 árvores autóctones, na localidade de Vila-Chã.

Recorde-se que em 2019, se tinha realizado uma reflorestação semelhante na encosta de Maceira, com a plantação de 1.000 árvores autóctones. 

Manuel Fonseca, autarca fornense, presente na ação realçou que: “é importante a promoção da resiliência do nosso território e da valorização, de uma forma sustentável, do ativo “floresta”. Estas ações são apenas exemplos que, todos nós, no nosso dia-a-dia, devemos replicar.” 

Em suma, cada vez mais é preciso reflorestar esta nossa floresta que ano após ano fica mais pobre com os incêndios, por isso, seja hoje ou qualquer dia do ano é bom para realizar uma reflorestação na sua área de residência.

Guarda-Dia Internacional da Árvore e o Dia Mundial da Água vai ser assinalado

Vai ser assinalada nos próximos dias 21 e 22 de março, o Dia Internacional da Árvore e o Dia Mundial da Água. De salientar que as datas são assinaladas de forma simbólica na Guarda, atendendo ao atual Estado de Emergência. Assim, a Câmara da Guarda associa-se às Comemorações Nacionais, em parceria com o Instituto de Conservação da Natureza e Florestas (ICNF), que disponibiliza ao Município 200 árvores de espécies autóctones, produzidas nos seus viveiros. Os exemplares atribuídos serão distribuídos pelas 43 freguesias do concelho da Guarda e deverão ser plantadas entre os dias 21 e 22 de março pelas autarquias locais no seu território.

Na cidade da Guarda, a plantação das árvores decorrerá no Parque Urbano do Rio Diz na manhã de 22 de março, às 10h00 e contará com a participação do Executivo da Câmara, do presidente da Junta de Freguesia da Guarda, e de um representante do ICNF.

IPG realiza Webinar sobre a prevenção nos sistemas de água

No âmbito das celebrações do Dia Mundial da Água, a 22 de março, o Instituto Politécnico da Guarda (IPG) irá realizar um webinar sobre a prevenção, o controlo e a legislação da bactéria legionella nos sistemas de água. A conferência online irá decorrer às 16 horas e terá como oradora Cristina Pizarra, a responsável técnica do Laboratório de Microbiologia da Unidade de Água e Solo do Departamento de Saúde Ambiental do Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge, no Porto.

“A pandemia da Covid-19 provocou o encerramento de milhares de estabelecimentos que prestavam diariamente serviços ao público. O efeito da água parada nas suas canalizações, piscinas ou sistemas de refrigeração requer particular atenção à bactéria Legionella, nomeadamente no que concerne à necessidade de delinear planos de prevenção”, afirma Carla Castro, responsável pelo webinar e docente do IPG. “A Leogionella tem causado alguns surtos em Portugal e, por isso, a sua presença nos sistemas de água é um assunto que deve ser debatido em prol da saúde pública. Precisamente por essa razão é que convidámos a especialista Cristina Pizarra, do Instituto Ricardo Jorge, para explicar os avanços já realizados no controlo de qualidade dos sistemas de água e realizar uma abordagem às mais recentes atualizações na legislação”.

O Dia Mundial da Água foi instituído pela Organização das Nações Unidas, em 1993, como forma de reflexão e discussão sobre a importância da água, mas também como alerta e sensibilização para alguns dos problemas relacionados com a sua utilização.

O webinar irá decorrer no âmbito das unidades curriculares de Análises Hidrológicas e Bromatológicas e de Físico Química dos Alimentos – lecionadas por Carla Castro na Escola Superior de Saúde e na Escola Superior de Turismo e Hotelaria do IPG, respetivamente. Os interessados podem assistir à conferência online, na segunda-feira às 16h, via plataforma Zoom, através do link: http://shorturl.at/hqHZ0

Pagamentos por multibanco e débito direto da Fatura da Água aumenta em Fornos de Algodres

Em janeiro de 2020 a Câmara Municipal de Fornos de Algodres modernizou a fatura da água. Esta modernização garantiu organizar a fatura da água com novos elementos, tornando a informação mais clara, mais completa, mais detalhada, com uma nova imagem, permitindo uma consulta mais fácil e mais transparente por parte do Munícipe. 

Um dos novos serviços que a fatura da água contemplou, foi a modalidade de pagamento da fatura através de referências multibanco. Os meios eletrónicos – multibanco e débito direto – a 31 de dezembro de 2020, representavam 82% dos pagamentos da fatura da água (aumento de 27%).

Os meios de pagamento por multibanco, por parte dos Munícipes, representaram 22%, o débito direto cerca de 60% e os pagamentos em dinheiro, ainda, representam 18%. 

 Esta modernização administrativa nos diferentes serviços da Câmara Municipal é uma aposta deste Executivo Municipal. 

 

Aquisição de kit florestal de intervenção rápida pelo Município de Fornos de Algodres

Foi recentemente adquirido pelo Município de Fornos de Algodres, um kit florestal de intervenção rápida com capacidade para 500L de água . Desta forma , tem o objetivo de  reforçar a operacionalidade do Serviço Municipal de Proteção Civil .

Este Kit vem equipado com os seguintes materiais: MOTOBOMBA (Bomba de pistões/membrana | Pressão máx.40 bar | Motor Kohler CH440- 14cv); ROLLBAR TRASEIRO VIATURA; ESTRADO EM GRADE (FIXA EM CIMA);
ARMÁRIO COM PERSIANAS e DEPOSITO AÇO INOX AISI 316.

Assim, segundo refere o Município Fornense, “a Proteção Civil Municipal é tida como um eixo prioritário para o desenvolvimento do concelho, pelo que, o reforço da capacidade operacional dos diferentes agentes de proteção civil, onde se inclui, obviamente, o Serviço Municipal de Proteção Civil, foi, é e será sempre, uma forte aposta da Câmara Municipal de Fornos de Algodres“.

Fornos de Algodres apresenta um baixo valor de desperdício de água

Depois de a Entidade Reguladora dos Serviços de Águas e Resíduos (ERSAR) ter publicado recentemente os documentos finais de caraterização e evolução do setor, referenciada a 31 de dezembro de 2019, incluindo a avaliação da qualidade do serviço prestado aos utilizadores, benchmarking do desempenho das entidades gestoras, monitorização legal e contratual e enquadramento económico-financeiro do setor. 

Um dos indicadores relevantes deste estudo anual é a “Água não faturada (%)”. Este destina-se a avaliar o nível de sustentabilidade da gestão do serviço em termos económico-financeiros, no que respeita às perdas económicas correspondentes à água que, apesar de ser captada, tratada, transportada, armazenada e distribuída, não chega a ser faturada. 

Analisado o documento, pode concluir-se que o Município de Fornos de Algodres apresenta o valor de água não faturada mais baixo de sempreComparado com os restantes Municípios da Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela (CIMBSE), o Município de Fornos de Algodres apresenta-se destacado (sob gestão municipal), como o Município com melhor indicador. 

Em 2019 a água não faturada do Município de Fornos de Algodres foi de 42,5%. Apesar se ser ainda um valor a melhorar, este indicador reflete as políticas ambientais, nomeadamente as campanhas do uso eficiente da água, a deteção de fugas na rede pública, célere resposta a ruturas de água, a deteção de ligações fraudulentas ou, por exemplo, a monitorização e faturação de toda a água que é consumida nas infraestruturas de responsabilidade do Município de Fornos de Algodres. 

Conclui-se que, em Fornos de Algodres, o valor do indicador apresenta uma variação positiva ao longo dos anos, tendo, em 2019, atingido o valor mais baixo. 

Comparando este indicador com o ano de referência, 2017, conclui-se que houve uma redução de 9,6% de água não faturada. Ou seja, 77.069 mde água recuperados perfazendo uma recuperação de, aproximadamente, 43.205€em perdas económicas. 

Este resultado demonstra o trabalho realizado pelo Município de Fornos de Algodres no uso eficiente da água e, reflete, as políticas estratégicas no setor ambiental. 

Esta ação está inserida nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Município da Guarda prolonga o prazo do pagamento da água e assegura alimentos e medicamentos a cidadãos vulneráveis

Face a todas as excecionais medidas de contingência que têm vindo a ser aplicadas nos últimos dias para combater a pandemia do COVID-19, a Câmara Municipal da Guarda vai assegurar o acesso de todos os cidadãos pertencentes a grupos vulneráveis e sem apoio familiar (doentes crónicos, pessoas isoladas ou com problemas de saúde/mobilidade) a medicamentos e a bens alimentares.

Garante também o acesso a transportes desses mesmos cidadãos, desde que a necessidade assim o justifique.

Para o efeito a Câmara Municipal da Guarda disponibiliza os contactos:

271220737/968703086

educacao@mun-guarda.pt

alfredo.madeira@mun-guarda.pt

CIDADÃOS DO CONCELHO DA GUARDA COM PRAZO ALARGADO PARA PAGAMENTO DE ÁGUA

Dada a situação epidémica provocada pelo COVID-19 e tendo em conta a perigosidade de contaminação com as saídas à rua dos cidadãos e o perigo de contágio com o manuseamento de terminais de pagamento automático, os consumidores de água e utentes de saneamento e resíduos sólidos do concelho da Guarda vão ter um prazo mais alargado para o pagamento das suas faturas.

Desta forma, as faturas emitidas, cuja data de pagamento deveria ocorrer até 24 de março de 2020, o prazo será alargado até ao dia 31 de maio do presente ano. Também as faturas a emitir durante o período de contingência, passam a ter um prazo de pagamento de 90 dias, conforme constará na respetiva fatura.

Campanhas ambientais sensibilizaram a comunidade de Fornos de Algodres

O Município de Fornos de Algodres faz um balanço das Campanhas que tem colocado em prática desde agosto de 2018 até ao corrente ano, onde referem que as Famílias, comércio/indústria e IPSS do Concelho de Fornos de Algodres pagaram menos água em 2019.

Face a isso, apresenta o balanço excelente das campanhas levadas a cabo desde agosto de 2018 a dezembro de 2020.

No dia 15 de agosto de 2018, a Câmara Municipal de Fornos de Algodres iniciou uma campanha de

sensibilização para um uso eficiente de água, denominada “A Água Não Dura Sempre. POUPE-A.” com o objetivo de sensibilizar a população para mudanças de comportamentos e de hábitos, na boa gestão da água.

Com o apoio do Fundo Ambiental e inserido na Estratégia Nacional de Educação Ambiental 2020, a Câmara Municipal de Fornos de Algodres levou a cabo diversas atividades, entre as quais campanhas de sensibilização nos meios de comunicação (televisão, rádio, jornais), em outdoors, em “flyers”, em mensagens exclusivas na rede multibanco e por SMS. Mas também em ações porta-a-porta, pelos estabelecimentos do concelho, ou direcionadas ao Agrupamento de Escolas de Fornos de Algodres.

Recolhidos os dados e devidamente trabalhados, julgamos ser hora, agora, de fazer um balanço aos

principais indicadores da poupança de água.

Considerando a água comprada à entidade gestora em Alta – Águas do Vale Tejo, SA – constatou-se uma redução de 22%, face ao ano de 2017 (ano de referência), o que equivale a uma redução de 86.582 m3 (86.582.000 litros) de água. Este volume de água economizado, constitui a quantidade de litros que dariam para abastecer o Concelho de Fornos de Algodres nos meses de maior consumo – julho a setembro.

A sensibilização e as boas práticas que os munícipes de Fornos de Algodres praticaram nos últimos meses (agosto de 2018 a 31 de dezembro de 2019), tiveram irrefutavelmente repercussões diretas na economia doméstica, uma vez que se refletiram nos montantes pagos nas faturas da água. De facto, em 2019, face ,a 2017, as famílias, o comércio/industria e as Instituições Particulares de Solidariedade Social (IPSS) viram a fatura da água reduzir-se, em média, 17,47 €/ano, 69,06 €/ano e 245,41 €/ano, respetivamente.

Apesar dos excelentes resultados alcançados, é intenção do Executivo Municipal continuar na vanguarda, no que a políticas ambientais diz respeito, pois temos plena consciência de que ainda temos muito a fazer, nesta luta – que nos diz respeito a todas e todos, independentemente de onde vivamos – pelas alterações climáticas e por um mundo melhor para os nossos filhos.