Templates by BIGtheme NET
Início » Tag Archives: aguiar da beira

Tag Archives: aguiar da beira

Inauguração de obra de requalificação em Aguiar da Beira

Teve lugar na vila de Aguiar da Beira , a inauguração das obras de requalificação do Largo da Carvalha (centro da vila ), com a presença da Ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa, assim como o Presidente Joaquim Bonifácio e demais entidades convidadas.

Depois aconteceu ainda a visita às obras de requalificação do Dólmen I do Carapito – reconstituir a mamoa (Carapito).

Aguiar da Beira-3ºdia aberto-“Saiba como tratar o solo para ter boas produções e culturas saudáveis “

Vai ter lugar em Aguiar da Beira nesta quarta-feira, 30 de junho, o 3ºdia aberto com o tema “Saiba como tratar o solo para ter boas produções e culturas saudáveis”.

Podem levar pequenas amostras de material vegetal, fruta, hortícolas que apresentem sintomas de doenças ou pragas.

Acontece no pavilhão da Associação da Fontearcadinha, das 10:30h às 11:30h, no âmbito do novo protocolo com a Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro sobre Horticultura e Fruticultura.

Pode fazer  a sua inscrição gratuita no Gabinete Municipal de Apoio ao Agricultor, diretamente, pelo telefone ou e-mail:

Telefone: 232 689 809

e-mail: apoio.agricultor@cm-aguiardabeira.pt

LIGA DE PRATA-Aguiar da Beira saiu vencedora nas grandes penalidades

E.Almeida-Aguiar da Beira-0-0 GP.0-3

Uma noite de verão para a disputa do desporto rei, com a turma do E.Almeida a defrontar o Aguiar da Beira na final da Liga de Prata do Distrital de Seniores, no Municipal de Figueira de Castelo Rodrigo.

Uma partida bem disputada com duas equipas a lutar de igual para igual, ambas a criar oportunidades, Nuno Sena e Sérgio Martins eram treinadores muito ativos e não se cansavam de incentivar os seus jogadores.

Pelo meio, uns momentos mais quentes a resultar em expulsões , mas o nulo se manteve até final do tempo regulamentar. para o desempate vieram as grandes penalidades onde os Cabicancas venceram por três bolas a zero e venceram assim a Liga de Prata.

 

Lar Nossa Senhora dos Verdes em Forninhos vai abrir no início de julho

Uma nova resposta social de Estrutura Residencial Para Pessoas Idosas, vai abrir , no concelho de Aguiar da Beira, trata-se do Lar Nossa Senhora dos Verdes em Forninhos, já a partir do dia 1 de julho.

Deste modo, a direção refere que:” É com enorme satisfação que se concretiza este importante projeto que partiu de um sonho/objetivo inicial dos elementos fundadores da instituição, seguido pelos restantes, pelas colaboradoras, pelos utentes, pelos beneméritos, pelas instituições parceiras, e que foi sendo abraçado pela comunidade ao longo dos 21 anos da história desta instituição.

Deste modo, encontram abertas as inscrições para a ERPI. Caso haja interessados deverão entrar em contacto com a instituição através dos meios existentes: telefone 232599116, E-mail centroforninhos@sapo.pt ou então presencialmente, de forma a obter mais informações e\ou efetuar a inscrição.

“Acreditamos poder proporcionar às pessoas um ambiente familiar e acolhedor, tendo por base infraestruturas de qualidade e contando com uma equipa de trabalho experiente e motivada”, conclui a direção desta nova unidade.

Campanha “Visit Viseu Dão Lafões” lançada para o verão

A Comunidade Intermunicipal Viseu Dão Lafões (CIM Viseu Dão Lafões) apresentou  a sua nova campanha de promoção turística para este verão. Uma bela aposta na promoção do turismo seguro nos 14 Municípios associados, através de uma campanha de âmbito nacional e do lançamento das páginas “Visit Viseu Dão Lafões”.

Com a retoma das várias atividades económicas no processo de desconfinamento, a CIM Viseu Dão Lafões sugere a região como ponto central para as férias de amantes da natureza, apaixonados da gastronomia e vinhos, público familiar e fãs das propostas de saúde e bem-estar das estâncias termais.

Viseu Dão Lafões é a opção segura para viver o interior de Portugal, este verão, fora dos grandes centros”, declara Rogério Mota Abrantes, Presidente CIM Viseu Dão Lafões. “À semelhança de campanhas anteriores, a CIM afirma a marca Viseu Dão Lafões, naquela que é uma nova era de investimento na promoção turística desta região”, acrescenta.

A campanha, sob o mote “O verão começa aqui”, aposta na diferenciação do destino nas suas vertentes mais fortes e identitárias: “Natureza? É aqui.”, “Sabores? É aqui.” e “Férias em família? É aqui.” são algumas das áreas temáticas que vão viver em simultâneo, em meios físicos, online, na rádio e na imprensa escrita.

Esta é uma campanha muito relevante de afirmação da região Centro do país. Valorizar Viseu Dão Lafões enquanto destino multifacetado e seguro é indispensável no âmbito da nossa estratégia de atração turística e recuperação económica, neste pós-desconfinamento.”, refere Pedro Machado, Presidente do Turismo do Centro de Portugal.

A CIM Viseu Dão Lafões apresenta, também, as páginas criadas especificamente para a promoção turística com o naming “Visit Viseu Dão Lafões”, orientada para a divulgação das atrações no portal que passa a adotar esta designação e que está disponível em www.visitviseudaolafoes.pt, a par de páginas novas nas redes sociais Facebook e Instagram (@visitviseudaolafoes).

Simultaneamente, e como pretexto para desfrutar do ar livre, em oposição aos espaços fechados, a Comunidade Intermunicipal lançou a “Rede de Percursos em Natureza”. O guia reúne as várias propostas de percursos pedestres, centros de BTT, ecopistas, espaços de termalismo, culturais e de gastronomia.

A CIM aposta não só numa campanha de promoção da região e dos seus principais atributos, mas também na organização e comunicação de um produto consolidado e que é particularmente valorizado no contexto pandémico: o Guia de Turismo de Natureza. Neste guia condensar num mesmo produto a oferta rica que existe na região neste domínio”, afirma Nuno Martinho, Secretário Executivo da CIM Viseu Dão Lafões.

Esta campanha turística apresenta especial valor numa altura de retoma para os setores relacionados com o turismo, mas a promoção da região será uma aposta que a CIM manterá ao longo de todo o ano, como forma de afirmar o destino no contexto nacional.

Para o período outono/inverno será preparada uma nova campanha com foco nos atributos mais convidativos para esse período do ano.

Aguiar da Beira- 2ºdia aberto sobre ovinos e caprinos

Segundo, informou o Gabinete Municipal de Apoio ao Agricultor  que decorreu recentemente no mercado do queijo, o segundo dia aberto sobre ovinos e caprinos, no âmbito do protocolo de cooperação UTAD/ Município “ Reforço do setor agrícola e agropecuário do concelho de  Aguiar da Beira”.
Marcaram presença os produtores do concelho, representantes das entidades protocoladas com o Município ligadas ao setor designadamente Ancose e Associação de Criadores de Gado da Beira Alta e os oradores, Divanildo Monteiro, Jorge Azevedo e Maria José Gomes, professores do Departamento de Zootecnia da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, transmitindo informações sobre a situação atual e perspetivas futuras do setor dos ovinos e caprinos no concelho de Aguiar da Beira, as melhores práticas de maneio em termos de alimentação e das instalações.
O próximo dia aberto sobre Horticultura será oportunamente divulgado.

Ampliação do Centro de Recolha Oficial Intermunicipal (CROI) no Satão

O Município de Mangualde investiu cerca de 100 mil euros na ampliação do Centro de Recolha Oficial Intermunicipal (CROI), instalado no Sátão e do qual fazem parte também os Concelhos de Sátão, Penalva do Castelo e Aguiar da Beira.

Esta ampliação permitiu aumentar o número de cercas para abrigar os animais, construir uma nova área para gatil, bem como um parque de exercício para cães. Foram ainda plantadas árvores de forma a oferecer sombra e melhorar o bem-estar animal. Toda esta ampliação foi aprovada pela Direção-Geral de Alimentação e Veterinária.

 

Para assinalar o momento estiveram presentes os Presidentes de Câmara Municipal dos quatro Municípios associados neste CROI, bem como a Direção-Geral de Alimentação e Veterinária, vice-presidentes e membros da assembleia do CROI dos respetivos Municípios. A Câmara Municipal de Mangualde está ainda neste tema a trabalhar com a GRUMAPA (Grupo Mangualdense de Apoio e Proteção aos Animais) para nas suas instalações serem criados Parques de Acolhimento de Matilhas e aumentar a capacidade de resposta.

A problemática dos animais errantes tem crescido ao longo do tempo, gerando problemas de segurança e de saúde pública, suscitando assim respostas por parte da autarquia“ destacou Elísio Oliveira, Presidente da Câmara Municipal de Mangualde.

Aguiar da Beira vai reciclar no Planalto Beirão

Teve lugar em Aguiar da Beira, a oficialização do ato , no Auditório Municipal, isto é, Aguiar da Beira vai reciclar com o Planalto Beirão.
Para facilitar a reciclagem, o Planalto Beirão vai oferecer miniecopontos domésticos que passarão a fazer parte do seu dia a dia e a tornar a separação de resíduos de papel/cartão, plástico/metal e vidro ainda mais simples. Sempre que depositar os resíduos separados no ecoponto, estará a preservar recursos naturais e a contribuir para um Planalto Beirão mais sustentável e solidário pois, por cada tonelada de resíduos separada, será atribuído um valor financeiro que reverterá a favor de uma Instituição de Solidariedade Social.
Foto: MAB

Diocese de Viseu avança com orientações para a Semana Santa

Pregamos Cristo Crucificado

diocese viseu

D.António Luciano, Bispo da Diocese de Viseu, apresenta as diretrizes para a Semana Santa que está a chegar.

A todas as pessoas de boa vontade:
1. Ser sujeito da própria história da fé ou construtor de um mundo novo e melhor é sempre uma profunda aspiração do homem e da sua realização no plano da salvação. Neste contexto o cristão é o homem da confiança e da esperança. Vivemos um tempo das igrejas vazias (Tomás Halík), e agora voltamos de novo à celebração comunitária e presencial da Eucaristia.
Afirmava Tomás Halík no Domingo de Ramos de 2020: “Não consigo afastar a ideia de que as igrejas vazias e fechadas nesta Páscoa são um sinal de alerta profético. Isso poderá acontecer em breve com a Igreja, se não passar por uma transformação profunda, pela morte e ressurreição, se não tiver coragem de deixar morrer muitas coisas, para que o novo possa surgir renovado para a vida” (O Tempo das Igrejas vazias, p. 73,74).
O Cristianismo e a Igreja nasceram da Páscoa de Jesus Cristo, acontecimento central e fundante da fé em Cristo, Crucificado e Ressuscitado.
Cristo entregou-se à morte na Cruz, assumindo no sofrimento e na morte a sua vitória. Esta foi a hora do Crucificado, em que glorificou o Pai e salvou a humanidade. A fé leva-nos sempre a buscar o próprio Deus, que no caminho quaresmal nos convida à conversão interior e à reconciliação com os irmãos. A Igreja, Mãe e Educadora na fé, deseja que todos os batizados façam este caminho pessoal e comunitário “de arrependimento dos seus pecados, pedindo a Deus o dom do perdão, com um coração sincero, e a procurar o dom da reconciliação com Deus e com os irmãos. O sinal da reconciliação faça crescer os cristãos na comunhão e na unidade. Queremos uma Igreja reconciliada e reconciliadora, que anuncia ao mundo de hoje o Evangelho da misericórdia” (Carta do Bispo de Viseu aos Sacerdotes, Diáconos e Consagrados, 19/03/2021).
Jesus, o Crucificado, é o nosso caminho para a Páscoa, a fortaleza da nossa fraqueza e a esperança da nossa ressurreição. Sabemos que “Deus ama o pecador, mas rejeita os seus pecados e acolhe-o, arrependido de braços abertos (cf. Lc 15, 20). Que todos, ao longo desta Quaresma, em tempo de pandemia, experimentemos a grandeza da conversão e da reconciliação, quer através do Sacramento da Reconciliação, quer através de um ato pessoal de arrependimento e de mudança interior para encontrar a vida nova.
2. A Quaresma, na reta final, convida-nos à celebração do Domingo de Ramos, pórtico da entrada triunfal de Jesus em Jerusalém e da celebração do Mistério da Sua Paixão e Morte, dom gratuito da salvação oferecido à humanidade.
O Mistério da Paixão e Morte de Nosso Senhor Jesus Cristo, que celebramos no Domingo de Ramos, é fundamental para a nossa fé cristã. Celebramos a entrada solene de Jesus em Jerusalém, como Rei e Senhor da história e da humanidade, montado numa jumentinha e aclamado pela multidão: “Bendito o que vem em nome do Senhor! Hossana nas alturas!”
A celebração e a bênção dos ramos realizam-se dentro das Igrejas, procurando cada um levar o seu ramo para ser benzido. Não devemos partilhar os ramos, por causa da pandemia. Como cristãos, abramos o nosso coração à contemplação de Jesus na Cruz, o Crucificado, que foi elevado para atrair a todos no caminho para a Páscoa. Como ensina São Paulo, os cristãos “pregamos Cristo Crucificado”, e esta é a missão de todos os batizados.
O peditório desta celebração, a Renúncia Quaresmal, este ano destina-se à Diocese de Pemba, Moçambique e a prover as necessidades da Diocese de Viseu. Em tempos de pobreza e vulnerabilidade sejamos generosos.
Coloque cada família uma cruz à entrada da sua casa.
3. A Semana Santa inicia o mistério da nossa salvação. Por isso os sacerdotes, os diáconos, os consagrados e os leigos celebram a Missa Crismal, presidida pelo Bispo da Diocese, na manhã de Quinta-feira Santa, na qual os sacerdotes se reúnem em presbitério e celebram o jubileu da ordenação os que têm 25, 60 e 70 anos de sacerdócio. Todos juntos, renovam as promessas sacerdotais, e benzem-se os Óleos dos Catecúmenos e dos Enfermos, e faz-se a consagração do Santo Crisma.
O Tríduo Pascal inicia-se com a Eucaristia vespertina da Ceia do Senhor, de acordo com o ritual, e, este ano, sem a realização do gesto do lava-pés. Esta celebração evoca a Instituição da Eucaristia, onde Jesus no banquete se dá em alimento: “Ó Sagrado Banquete em que se recebe Cristo e se comemora a Sua Paixão, em que alma se enche de Cristo e nos é dado o penhor da futura glória”.
Jesus celebra a última ceia com os seus discípulos e entrega-lhes o Pão e o Vinho como alimento para fazerem sempre isto em sua memória. “A liberdade que Jesus nos dá, o mundo não a pode dar. Jesus é o caminho rumo à liberdade, a verdade que nos torna livres e a vida que liberta do medo, do pecado e da morte. Quando, juntos, celebramos a Eucaristia, a Ceia do Senhor, abrimo-nos nós mesmos, as nossa vidas, as nossa comunidades e todo o mundo a Cristo libertador” (Tomás Halík, Via Crucis, Paulinas, p. 6). A partilha desta Eucaristia é para ajudar os pobres, porque celebramos o Dia do Mandamento Novo do Amor.
A celebração de Sexta-Feira Santa faz memória da Paixão e Morte de Jesus. “No rito da adoração da Cruz, apenas o sacerdote fará o gesto habitual de adoração”.
Façamos em nossas casas um altar com Jesus Crucificado, diante do qual dediquemos um tempo de oração pessoal e familiar. Meditemos no mistério da cruz e do crucificado e escutemos a oração de Jesus: “Meu Deus, porque me abandonastes”. No abandono, na dor, no sofrimento, “Jesus entrega o seu espírito” ao Pai e experimenta o mistério da morte. “Mas Deus não está morto, não dorme. Nas noites escuras da ocultação de Deus, é preciso viver uma tríplice paciência: na fé, na esperança e no amor” (Tomás Halík, p. 10 e 11).
O peditório deste dia é para os Lugares Santos; sejamos generosos com os cristãos da Terra Santa.
O Sábado Santo é um dia de silêncio, de luto, de oração, de solidão e de repouso. Transformemos as perguntas e dúvidas em oração. “Deus não deixa que a pergunta do seu Filho fique sem resposta: a sua resposta é a luz da manhã de Páscoa” (Tomás Halík, p. 24).
A Vigília Pascal é a “Mãe de todas as Vigílias”. Realiza-se no interior da Igreja, e nela celebramos a vida nova, que em Cristo Ressuscitado foi oferecida à humanidade, vencendo o pecado e a morte. A bênção do lume novo, o cântico do Precónio Pascal, a escuta da Palavra de Deus, o cântico solene do Aleluia, o Evangelho da ressurreição, a oração, a bênção da água e a renovação solene das promessas do Batismo são momentos para celebrarmos o anúncio solene de Cristo Ressuscitado.
O Domingo da Ressurreição, Páscoa do Senhor, centro da espiritualidade cristã, celebra-se dentro da Igreja. Não se realiza a procissão da Ressurreição com Jesus na Eucaristia. Viva-se festivamente a Páscoa, tocando solenemente os sinos. Convido todos os cristãos a colocar uma cruz enfeitada na porta das suas casas ou janelas e a dar destaque ao estandarte de Cristo Ressuscitado.
Vivamos este dia no cumprimento das normas da DGS e das orientações da CEP, que proíbe “as procissões e outras expressões da piedade popular, como as “visitas pascais” e a “saída simbólica de cruzes, de modo a evitar riscos para a saúde pública” (CEP, 11 de março de 2021).
É preciso saber obedecer às orientações. Faço um apelo a todo o povo de Deus para que saiba ser responsável, evitando aglomerações de pessoas nos exteriores das igrejas.
Saibamos todos contribuir para as necessidades da Igreja e para a sustentação do clero, quer seja pela partilha da côngrua, quer pela oferta do folar. Que todos experimentem a Vida Nova em Cristo. Caminhemos juntos, com Cristo Ressuscitado, pelas estradas de Emaús, ao encontro dos irmãos.
Que a Senhora da Alegria e São José encham de gozo espiritual as nossas vidas, enfeitadas com a beleza das flores brancas da Páscoa.
“Desejo a todos Santas Festas de Páscoa em Cristo Ressuscitado. Aleluia! Aleluia!!