Início » Tag Archives: aldeias de montanha

Tag Archives: aldeias de montanha

Festival da Água está a chegar às Aldeias (Gouveia)

Nos dias 5 e 6 de julho, há uma Aldeia de Montanha que irá celebrar a água e a biodiversidade num festival voltado para a sustentabilidade, com várias propostas culturais e de lazer para os visitantes participarem. Em Aldeias, no concelho de Gouveia, a rua principal terá uma instalação artística em crochê realizada pela comunidade ao longo de vários meses. Este será o ponto alto da celebração, unindo a comunidade em torno da importância deste elemento vital para a vida.As águas fluem e os fios entrelaçam-se criando uma sinfonia de cores e significados no Festival da Água 2024 que se realiza nos dias 5 e 6 de julho em Aldeias (assim mesmo, em nome próprio e plural), no concelho de Gouveia. O mote está lançado para um vasto programa cultural e educativo que tem como objetivo principal a preservação deste importante recurso natural. Ler Mais »

Aldeias (Gouveia) acolhe Festival da Água

O Festival da Água irá decorrer nos dias 05 e 06 de julho,na Aldeia de Montanha de Aldeias, no concelho de Gouveia, e a instalação artística em crochê constituirá uma oportunidade para celebrar a comunidade das Aldeias e a importância da água.

As águas fluem e os fios entrelaçam-se criando uma sinfonia de cores e significados no Festival da Água 2024. Uma instalação artística comunitária feita em crochê, dedicada à água, este será o ponto alto da celebração, unindo a comunidade em torno da importância deste elemento vital para a vida.

No âmbito do Festival irá também decorrer uma saída de campo em torno das linhas de água, através da qual será possível observar e registar várias espécies de insetos, tais como libélulas e libelinhas.

Este evento é organizado pela Liga Humanitária Social e Cultural de Aldeias, em parceria com a União de Freguesias de Aldeias e Mangualde da Serra, Associação Cultural e Desportiva Aldeense, Clube Desportivo Aldeense, Comunidade Local dos Baldios de Aldeias, Restaurante a Sandra; GAF, com o apoio do Município de Gouveia e da rede de Aldeias de Montanha, no âmbito do Programa Transformar Turismo.

Aldeias de Montanha: Homenagem às queijeiras

As Queijeiras da Serra da Estrela são responsáveis por um dos produtos mais genuínos e tradicionais da região, o Queijo Serra da Estrela, um queijo reconhecido nacional e internacionalmente pela sua excelência. Chegou o momento de homenagear estas Mulheres, com a criação de uma capa exclusiva noutro dos materiais nobres do território, o burel. O lançamento e apresentação do Projeto será feito num evento em live streaming a partir de uma Aldeia de Montanha da Serra da Estrela via Redes Sociais das Aldeias de Montanha, sábado dia 27 de março, às 16.30h, e contará com a presença de todas as Mulheres que lideram este projeto.

Este projeto, promovido pela ADIRAM – Associação de Desenvolvimento Integrado da Rede de Aldeias de Montanha, tem o propósito muito claro de ser um fator transformador nas vidas das Queijeiras. Empoderar, dar presença e voz a mulheres que, como tantas outras, por vezes são as heroínas “invisíveis” da nossa sociedade e da nossa cultura. Este sábado, dia 27 de março, via redes sociais das Aldeias de Montanha será apresentada uma peça de design único em burel, de produção local, que irá celebrar o saber ancestral destas mulheres. Tradição e modernidade tomam assim forma numa capa cujos lucros das vendas revertem para a capacitação das Queijeiras, dotando-as de ferramentas para a gestão da sua vida pessoal e profissional. O projeto tem como objetivo impactar numa primeira fase, 40 Queijeiras dos 9 concelhos da Serra da Estrela, mas o intuito é escalar para um universo mais abrangente. Aderiram já ao Projeto 22 Queijeiras dos Concelhos de Seia, Oliveira do Hospital, Gouveia, Guarda, Celorico da Beira e Fornos de Algodres.

A simplicidade serve de mote para todo o conceito criativo, para o corte, os acabamentos e para o nome. Esta capa icónica e única na sua essência chama-se simplesmente “Queijeira” e foi criada pela designer Sandra Pinho da Fauna Creative Labs. A inspiração partiu da forma simples do queijo e é produzida na Burel Factory, em Manteigas, empresa liderada por uma mulher, Isabel Costa. A beleza natural do burel fica em evidência, em três versões diferentes: uma capa mais curta e prática, uma capa mais comprida que é um statement de estilo e uma Queijeirinha para as crianças.

storytelling é um componente muito forte desta capa, já que paralelamente foi criada uma narrativa que nos liga sempre ao propósito de enaltecer e capacitar estas Mulheres, construindo um universo onde o saber-fazer das Queijeiras e a nobreza das matérias-primas naturais tão identitárias do território da Serra da Estrela e das Aldeias de Montanha – do burel, das ovelhas, do leite, do cardo – estão em permanente destaque.

Da consciência à capacitação – um projeto de e para Mulheres!

Esta iniciativa pressupõe a realização de um curso de formação em soft skills e partilha de conhecimento para o empoderamento pessoal e profissional destas mulheres, através de uma parceria com a Rita Pelica Chief Energy Officer & Founder ONYOU , de forma a capacitar este grupo com uma série de ferramentas atuais, passando pela criação de modelos de negócio, construção de uma rede de networking, desenvolver uma personal brand ou trabalhar a comunicação dentro e fora das redes sociais – num módulo apresentado pela jornalista Fernanda Freitas.

Ainda no âmbito do projeto e numa colaboração com a jornalista Ana Rita Ramos, da Have a Nice Day, serão reunidas num livro as histórias, as tradições, os testemunhos e os saberes das Queijeiras. Pretende-se a valorização de uma arte, tão bem preservada ao longo dos séculos, mas também de valorização do capital humano. Quem são estas mulheres? Que ligação têm a esta arte ancestral? É o que propomos descobrir ao folhear as páginas de um livro que terá tanto de simples como de belo, e cuja apresentação terá lugar no início do outono.

A nível da comunicação o projeto conta com o apoio de mais uma mulher, a designer de comunicação Ana Melo, doutoranda da Faculdade de Arquitetura da Universidade de Lisboa com uma investigação sobre o papel do design na valorização e reinvenção dos territórios do interior.

O website Queijeiras, que vai estar disponível a 27 de março, dará a conhecer todas as Queijeiras envolvidas no projeto e será um dos locais de venda da capa. A qual também estará disponível na loja online da Burel Factory e outros locais que, entretanto, venham a ser selecionados. Ainda neste portal constará o repositório e todo o storytelling do projeto, dando destaque aos parceiros e personalidades que o divulguem, notícias publicadas e resultados alcançados

Foto: créditos: ©KITATO

Castanha traz animação às gentes das Aldeias de Montanha

O mês de novembro é festivo por excelência, não fosse a castanha um fruto nobre dos concelhos vizinhos da Serra da Estrela. A colheita da castanha é, por esta altura, um argumento de celebração e ponto de encontro das populações locais e turistas, como atestam as diversas festas alusivas ao fruto. Os castanheiros ocupam um papel preponderante na economia local, são uma reserva natural que, nos últimos 2 mil anos, constituiu um eixo fundamental da vida serrana.

As Festas da Castanha que integram o Plano de Animação da Rede de Aldeias de Montanha são, per si, eventos que reinventam os Magustos tradicionais e proporcionam a comunhão com a economia local, a paisagem natural, o património cultural e etnográfico das gentes genuínas e sabedorias ancestrais.

A Festa da Castanha e da Jeropiga em FAMALICÃO DA SERRA, no concelho da GUARDA é um exemplo. Além do tradicional Magusto Comunitário com a castanha que prospera numa das mais extensas áreas protegidas da Serra da Estrela, não vai faltar a jeropiga, feita nas pequenas adegas caseiras da aldeia e que merecerá uma prova orientada por enólogos. Estão ainda garantidas as demonstrações das práticas tradicionais e artefactos, como a cestaria em madeira de castanho, tão viva nas gentes da aldeia; os concertos e atuações de grupos de cantares e concertinas; os showcookings; ou o teatro de Robertos.

As arruadas e animações de rua vão aquecer dia e noite e os espaços da aldeia de Famalicão da Serra, conhecida pela sua vocação na agricultura e no artesanato. A destacar a residência artística de Volker Schnüttgen, intitulada “Escutando a história de um castanheiro”, inspirada nas características do tronco de árvore encontrado e com o qual o artista alemão irá manter um diálogo mental e físico, face à matéria viva e natural com a qual trabalha.

Haverá ainda espaço para a Feira Gastronómica e das Artes, o Mercado da Castanha, uma tertúlia sobre “A Importância da Castanha na Economia Local”, a apresentação da Classificação da Estrela como Geopark Mundial da UNESCO e a apresentação do Projeto da Rede de Aldeias de Montanha à comunidade Local. De 8 a 10 de novembro em Famalicão da Serra.

FOLGOSINHO, em GOUVEIA, de 1 a 3 de novembro a Castanha fará igualmente as honras da aldeia com o grande Magusto Comunitário, sem esquecer as iniciativas que irão aguçar os palatos mais sensíveis como são exemplo, o workshop de cogumelos selvagens, showcooking de castanha e concurso de doçaria tendo como base este fruto. No dia 3, a população e interessados vão ser convidados a plantar castanheiros, uma iniciativa com o intuito de contrariar os efeitos nocivos dos incêndios que afetaram a região em 2017.

A 3 de novembro, a aldeia da LAPA DOS DINHEIROS, SEIA, volta a ser a anfitriã de mais uma Festa da Castanha. Habitantes e visitantes vão ser convidados a participar no Magusto tradicional com caruma. O Mercado de Sabores dá o mote para um dia dedicado à degustação de iguarias que, em muito, estão relacionadas com a castanha, os seus saberes e sabores. Um dos pontos altos será a degustação da sopa da aldeia; a castanha com perdiz, shitakee e legumes da horta.