Templates by BIGtheme NET
Início » Tag Archives: alunos

Tag Archives: alunos

Guarda- Candidaturas à atribuição de bolsas de estudo ao Ensino Superior

Um apoio para os jovens estudantes do ensino superior, residentes no concelho ou naturais da Guarda há pelo menos 4 anos e querem estudar na região da Comunidade Intermunicipal Beiras e Serra da Imagem: Período de Candidaturas à atribuição de bolsas de estudo ao Ensino SuperiorEstrela, veja aqui o regulamento e candidata-te, entre 14  a 31 de outubro.

Esta uma ação da Câmara Municipal da Guarda , que vem no seguimento da estratégia de dinamização económico-social que a autarquia tem seguido no sentido de inverter o ciclo crescente de despovoamento, apostando na inclusão social, e na fixação das populações deve incluir incentivos à formação superior e promoção da qualificação e quadros altamente qualificados.

Município de Mangualde volta atribuir bolsas de estudo aos estudantes do Ensino Superior do concelho

O Município de Mangualde tem vindo a apostar fortemente na atribuição de Bolsas de Estudo de acesso ao Ensino Superior. Nos últimos cinco anos foram atribuídas 144 bolsas, representando um investimento total de 57 500€.

Trata-se de uma ação inserida nas políticas educativas e sociais do município, que visa ajudar os jovens da região em que as condições financeiras do agregado familiar não permitem que frequente o Ensino Superior.

Considerando as dificuldades económicas que afetam algumas famílias do município, a autarquia de Mangualde entende que deve apoiar e motivar a progressão de estudos após a escolaridade obrigatória, através da atribuição de bolsas de estudo a jovens naturais e residentes do concelho, incentivando assim a formação de quadros técnicos superiores na região. Esta medida para além combater o abandono escolar por falta de condições monetárias, é uma iniciativa de promoção à igualdade de oportunidade e coesão social.

As Bolsas de Estudo destinam-se, assim, a estudantes matriculados em cursos conducentes ao grau de licenciatura, com ou sem mestrado integrado, e ao grau de mestrado, sendo atribuídas em função dos rendimentos anuais do agregado familiar.

CANDIDATURAS DE 1 DE OUTUBRO A 15 DE NOVEMBRO

Toda a informação e candidaturas em www.cmmangualde.pt

As candidaturas devem ser apresentadas entre dia 1 de outubro e 15 de novembro, com o preenchimento do boletim de candidatura e dos respetivos documentos obrigatórios e entrega no Gabinete de Ação Social de Mangualde ou no balcão único.

O regulamento pode ser consultado em:

https://www.cmmangualde.pt/wp-content/uploads/2019/09/Regulamento-BolsasdeEstudo_enssup.pdf

Requerimento de candidatura em:

https://www.cmmangualde.pt/wp-content/uploads/2020/09/BOLETIMCANDIDATURABOLSAS_2020.pdf

Jornadas Europeias de Arqueologia foram em Fornos de Algodres

No Município de Fornos de Algodres foram realizadas as Jornadas Europeias de Arqueologia.

Nos dias 18 e 21 , aconteceram palestras e atividades lúdicas sobre a arqueologia e ainda a visualização de “Curtinhas” do Cine Eco de Seia para os alunos do 1º ciclo do Agrupamento de Escolas de Fornos de Algodres.

No dia 19 de junho, no Centro Cultural Dr. António Menano, houve um ciclo de conferências destinado aos agentes turísticos do Concelho, onde estiveram presentes, representando a Câmara Municipal de Fornos de Algodres, o Senhor Presidente, Manuel Fonseca e o Senhor Vereador Bruno Costa.

O tema abordado foi “A Importância da Arqueologia para o Turismo”, que teve como oradores, Jorge Lopes que apresentou as Medidas de Apoio ao Turismo (Invest2030), Bruno Rebelo, Arqueólogo do Município de Fornos de Algodres, Catarina Caetano, Técnica de Turismo / Guia Interprete da Sibana Tours e Pedro Carvalho, Professor Associado do Departamento de História, Estudos Europeus, Arqueologias e Artes, da Faculdade de Letras, da Universidade de Coimbra.

Com a colaboração da Confraria da Urtiga, os participantes tiveram ainda a oportunidade de conhecer e degustar os produtos de urtiga comercializados na plataforma “O Bom Sabor da Serra”.

Devido às condições climatéricas, foram adiadas as atividades programadas para o dia 20 de junho, para data a definir. As Jornadas Europeias de Arqueologia (JEA) são uma iniciativa organizada por cerca de 47 países europeus, incluindo Portugal.

Na Europa são organizadas pelo Institut National de Recherches Archéologiques Préventives (INRAP) sendo que em Portugal são coordenadas pela Direção-Geral do Património Cultural. No Município de Fornos de Algodres, as jornadas foram organizadas pelo Município de Fornos de Algodres em parceria com o CLDS 4G Servir Fornos de Algodres que tem como entidade coordenadora a Irmandade da Santa Casa da Misericórdia de Fornos de Algodres.

Jornadas Europeias de Arqueologia em Fornos de Algodres

Vão ter lugar no  Município de Fornos de Algodres, de 18 e 21 de junho  atividades para os alunos do 1º ciclo do Agrupamento de Escolas de Fornos de Algodres, com a realização de palestras e atividades lúdicas sobre a arqueologia e ainda a visualização de “Curtinhas” do Cine Eco de Seia.
O Município de Fornos de Algodres associou-se às Jornadas Europeias de Arqueologia (JEA), que este ano se realizam a 18, 19 e 20 de junho de 2021.
Dia 19 de junho haverá um ciclo de conferências destinado aos agentes turísticos do Município, com os temas:
– “A Importância da Arqueologia para o Turismo”, que tem como oradores o Dr. Pedro Carvalho, Professor Associado do Departamento de História, Estudos Europeus, Arqueologias e Artes, da Faculdade de Letras, da Universidade de Coimbra e Catarina Caetano, Técnica de Turismo / Guia Interprete da Sibana Tours;
– Medidas de Apoio ao Turismo (Investe2030).
No dia 20 de junho, realizar-se-á a inauguração do Percurso Pedestre Rota dos Miradouros com uma caminhada – “Dá mais tempo à vida…pelos vestígios históricos” – aberta a toda a comunidade, em parceria com o Grupo de Voluntariado Comunitário de Fornos de Algodres.
As JEA são uma iniciativa organizada por cerca de 47 países europeus, incluindo Portugal. Na Europa são organizadas pelo Institut national de recherches archéologiques préventives (INRAP) sendo que em Portugal são coordenadas pela Direcção-Geral do Património Cultural que lança, assim, o convite à participação de todas as entidades públicas ou privadas, colectivas ou individuais, que pretendam organizar iniciativas, exclusivamente, no âmbito da Arqueologia.

Trancoso- OPEN DAY – Cerca de oito centenas de alunos participaram

A primeira edição do OPEN DAY AET, aconteceu por terras de Bandarra, numa iniciativa do  Agrupamento de Escolas de Trancoso, contou com a presença de autarcas do concelho e outras entidades.
Apesar das circunstâncias particularmente difíceis, foi possível proporcionar a cerca de 750 crianças e jovens de todas as Escolas do Agrupamento e níveis de ensino, uma experiência de aprendizagem diferente e significativa.
Esta conquista não teria sido possível sem a colaboração da Comunidade Educativa, facto pelo qual renovamos o agradecimento, estando certo que os laços de cooperação e a 
parceria agora reforçados irão permitir alcançar objetivos estratégicos comuns” realça o AET.

Fotos:AET

Portáteis e routers distribuídos pelo Município de Celorico da Beira aos alunos

Foi feito um investimento de cerca de 15 mil euros , pelo Município de Celorico da Beira , em portáteis e routers para distribuir pelos alunos do concelho e garantir aos mais carenciados o necessário para acompanhar o programa de ensino à distância definido pelo Governo.

Nesta fase, o Município distribuiu 22 portáteis aos alunos considerados prioritários em função dos critérios da ação social escolar, informação oficial que permite priorizar as famílias e está devidamente validada pela Direção do Agrupamento de Escolas de Celorico da Beira. Nesta medida de apoio são distribuídos, também, 20 routers de acesso à internet.

Todos os portáteis e routers são disponibilizados em regime de empréstimo pelo que se apela a todos os alunos e famílias para o dever de conservação dos equipamentos. Esta medida de apoio suportada pela Autarquia responde a uma necessidade que a Direção do Agrupamento identificou, e de modo imediato tenta suprimir o atraso da distribuição dos prometidos computadores que o Ministério da Educação anunciou em abril de 2020, ajuda 

governamental que está prevista para alunos carenciados de todos os níveis de ensino do concelho” – explicou Carlos Ascensão.

De acordo com o autarca, “o E@D pode gerar injustiças baseadas na condição socioeconómica, são as famílias mais carenciadas que sentem maiores dificuldades para investir em equipamentos para os filhos acompanharem o ensino em casa, portanto, é por estes agregados que devemos começar a distribuir a ajuda e combater os fatores de exclusão e desigualdade no acesso universal ao serviço educativo” .

Mais de uma centena de alunos recebem tablets e internet do Município de Gouveia

A Câmara de Gouveia  está a apoiar cerca de 120 alunos do concelho disponibilizando tablets e router para acesso à internet. O apoio da autarquia de Gouveia visa ajudar os agregados familiares, enquanto as escolas permanecerem encerradas, permitindo aos alunos a frequência do ensino à distância.

A entrega dos equipamentos pela autarquia seguiu a indicação do Agrupamento de Escolas de Gouveia, que sinalizou os alunos do 2º e 3º ciclo com carência de equipamentos tecnológicos. O Município de Gouveia efetuou um investimento de 20.000 euros na aquisição de tablets e cartões de banda larga com conetividade móvel à internet para esta segunda fase do ensino à distância.

Os equipamentos são cedidos pela autarquia a título de empréstimo (comodato) regressando à posse da Câmara Municipal logo que seja reposto o ensino presencial nas escolas.

Com o investimento em equipamentos tecnológicos, a Câmara Municipal de Gouveia criou uma bolsa de recurso que estará disponível para os alunos e para as escolas reforçando a capacidade dos estabelecimentos de ensino e dos professores, na aplicação de novas práticas educativas apoiadas pela tecnologia.

A Câmara Municipal de Gouveia investiu mais de 35 mil euros em equipamentos tecnológicos e internet durante a 1ª fase (março e abril 2020) e a 2ª fase (atual) de aplicação do ensino à distância nas escolas, provocado pela interrupção das aulas presenciais no âmbito das medidas de mitigação da pandemia COVID-19.

Com estas medidas, a autarquia de Gouveia pretende garantir o acesso de todos os alunos ao ensino à distância, de forma a assegurar a igualdade de oportunidades no acesso à educação.

 

Professores exaustos e sem condições refere o Sindicato Professores da Zona Centro

Em comunicado , o Sindicato Professores da Zona Centro refere que: no âmbito das reuniões que têm decorrido com o Ministério da Educação, o Sindicato Professores da Zona Centro reivindicou e conseguiu que toda a formação realizada até 31 de julho de 2022 no âmbito da educação inclusiva, da flexibilidade curricular, da cidadania, da capacitação digital, dos temas que contribuam para o sucesso escolar, da liderança e coordenação pedagógica, entre outras tenha peso na dimensão científico-pedagógica de cada um dos grupos de docência.

Também outra velha reivindicação do SPZC foi aceite pela tutela, ao dilatar o prazo do reconhecimento da profissionalização em serviço desenvolvida pela Universidade Aberta e outras instituições. Para já, foi estabelecido o final do ano letivo 2020/2021, mas continuamos a defender que se deve ir mais além.

O SPZC dá nota positiva na abertura do ME para o diálogo e alguma negociação que tem ocorrido neste último par de meses. No mais, em particular na não resposta à falta de condições e de recursos para fazer face ao ensino remoto em substituição do presencial, o SPZC é profundamente crítico e aponta como únicos responsáveis pela situação negativa que se vive a tutela e o Governo. Os docentes, os alunos, as famílias, as escolas deveriam estar, neste momento, a trabalhar verdadeiramente no ensino à distância e não num ensino de emergência.

Em todo este processo, o ME tem sempre de sacudir a água do capote e afirmar que a resposta e o encontrar de soluções cabe inteiramente a cada escola. Inadmissível e inaceitável. Com este novo confinamento, que levou ao encerramento das escolas, o Governo e o ME atiraram os alunos e os professores para o ensino remoto de emergência porque não prepararam atempada e convenientemente o processo. A promessa do primeiro-ministro, em abril de 2020, de que todas as escolas e alunos teriam em setembro computadores e meios informáticos redundou em palavra não honrada. Ou seja, os responsáveis políticos não fizeram o trabalho de casa e, de forma irresponsável, continuam atrás do prejuízo.

Mais uma vez têm de ser os docentes a disponibilizar os seus equipamentos e as suas ligações digitais, para minimizar toda esta clamorosa situação.

Acresce a tudo isto um problema que o SPZC quer ver resolvido e que se prende com os docentes que têm filhos menores de 12 anos. No atual contexto, com a necessidade do cumprimento de horários rígidos, não têm a possibilidade de dar apoio aos seus próprios educandos. A situação é ainda mais grave nos casos dos filhos com deficiência. O ME tem, também neste crucial e urgente problema, de dar resposta cabal.

Estes tempos conturbados têm provocado, a nível sindical, um volume inusitado e sem paralelo de tarefas. São inúmeras as dúvidas e esclarecimentos suscitados, quer pela situação extraordinária sanitária, quer em relação a reclamações dos resultados de avaliação do desempenho. O Gabinete Jurídico do SPZC está empenhado e, neste contexto, não regateia esforços no apoio a cada educador e professor.

foto arquivo

Alunos da AEFA recolheram alimentos

 

As duas primeiras semanas do mês de dezembro, serviram para os  alunos do 9ºC do Agrupamento de Escolas de Fornos de Algodres promoverem uma campanha cujo objetivo foi arrecadar o maior número possível de géneros alimentícios para ajudar as famílias mais carenciadas do concelho.
Foram alcançados alguns desígnios, particularmente os de promover atitudes e valores de entreajuda estimulados por ações que façam a diferença e participação em atividades que adotem comportamentos positivos, responsáveis e solidários.
Desta forma os jovens agradecem  ao Minimercado Paula, Minimercado Pegue & Pague e Supermercado Código Poupança, locais que possibilitaram desenvolver esta atividade.

Computadores para alunos entregues pelo Município de Fornos de Algodres

Teve lugar a entrega de computadores e acessos à internet aos alunos, identificados pelo Agrupamento de Escolas de Fornos de Algodres, que não possuem meios informáticos que lhes permita o acesso aos conteúdos digitais do atual ensino à distância, pela Autarquia de Fornos de Algodres.
Desta forma , nesta primeira fase foram distribuídos equipamentos informáticos aos alunos do 1.º ciclo, garantindo assim, que não haverá alunos do 1º ciclo do ensino básico, no concelho, sem computador ou acesso à internet.
No decorrer da próxima semana iniciar-se-á a segunda fase, com distribuição dos mesmos equipamentos, aos restantes alunos do Agrupamento de Escolas de Fornos de Algodres, privados destes meios, conforme listagem recebida do Agrupamento de Escolas de Fornos de Algodres.
Os alunos irão receber os equipamentos, a título de empréstimo, para utilização durante o tempo necessário à conclusão do ano escolar.
Terminado este período, parte destes equipamentos poderão ser utilizados pelo Município para reforçar e melhorar a aposta no Ensino da Programação e Robótica no 1º ciclo, ou em alternativa, serem disponibilizados para dar resposta a eventuais dificuldades no acesso ao Ensino à Distância, uma vez que os equipamentos estão alinhados com as especificações requeridas pelo Ministério da Educação.
Paralelamente, no âmbito das medidas excecionais como resposta ao COVID-19, o Município de Fornos de Algodres garantiu, já esta semana, a entrega de fichas e recursos educativos aos alunos sem condições para imprimir os mesmos.
O Município de Fornos de Algodres agradece publicamente à Direção do Agrupamento de Escolas de Fornos de Algodres o contributo dado para o desenho destas soluções, a todos os Professores do Agrupamento pela forma incrivelmente rápida como se estão a adaptar a estas novas metodologias, aos assistentes técnicos e operacionais que continuam a dar suporte para que a rede educativa funcione, à Associação de Pais pela partilha das preocupações dos Pais e Encarregados de Educação e a todas as famílias do concelho, pela forma empenhada e responsável como têm apoiado as  crianças.