Templates by BIGtheme NET
Início » Tag Archives: ARC Sports

Tag Archives: ARC Sports

ARC Sport é a virtual campeã de equipas no CPR 2018

Independentemente dos resultados alcançados no Rallye Casinos do Algarve, a ARC Sport é a virtual campeã de equipas no CPR 2018. A formação de Aguiar da Beira está orgulhosa na prestação de Ricardo Teodósio e José Teixeira ao longo do campeonato, levando a discussão do título até à derradeira prova do campeonato.

As excelentes participações, em ano de estreia, das duplas Pedro Almeida/Nuno Almeida e também de Miguel Correia/Pedro Alves, são também motivo de satisfação para toda a equipa, que nos troços do Algarve tudo farão para dar continuidade aos bons resultados conquistados.

ESTE É MESMO UM RALI MUITO ESPECIAL PARA RICARDO TEODÓSIO

A equipa algarvia do Skoda Fabia R5 chega ao seu rali com hipóteses de alcançar o título de 2018. Por isso, Ricardo Teodósio e José Teixeira só podem pensar na vitória.

“Vamos fazer o melhor possível, e isso passa por tentar vencer, por diversas razões. Ganhar em casa é muito importante, fazer um bom rali perante o nosso público é essencial e, sendo assim, a vitória é o único resultado possível, independentemente de poder vir, ou não a ser campeão, porque este é sem sombra de dúvidas o nosso rali. Queremos melhorar ainda mais, e estar à altura de responder às expectativas que depositam na nossa equipa”, afirmou Ricardo Teodósio.

PEDRO ALMEIDA QUER ANDAR RÁPIDO E CONTINUAR A EVOLUIR

Não se podia pedir mais a Pedro Almeida em ano de estreia. Acompanhado por Nuno Almeida, o piloto tem mostrado nítidos progressos ao volante do Ford Fiesta R5.

“Foi um ano de aprendizagem e este rali vai servir para avaliar o quanto crescemos. Vamos procurar tirar o máximo partido do carro, num tipo de piso que gosto particularmente. Fizemos um ano de estreia muito positivo, e neste rali vamos andar rápido e, com exigência e ambição, concluir de forma positiva a temporada. O objetivo é somar pontos no nacional e andar rápido ao longo de todo o rali” concluiu Pedro Almeida.

MIGUEL CORREIA QUER TERMINAR A ÉPOCA EM ALTA

Simplesmente surpreendente, tem sido o excelente percurso de Miguel Correia e Pedro Alves ao volante do Renault Clio R3. Também em estreia absoluta no CPR, a equipa quer terminar a temporada com mais um bom resultado.
“Vamos tentar chegar ao título de RC3, categoria que lideramos à chegada ao Algarve. Estamos conscientes da nossa inexperiência, mas queremos acabar a época de uma forma muito positiva, tal como decorreu o campeonato até aqui, em ano de estreia. Independentemente do resultado que conseguir alcançar no Rali do Algarve, sinto-me bastante satisfeito com a época que fizemos, com o apoio imprescindível da ARC Sport”, desabafou Miguel Correia.

ARC SPORT CAMPEÃ DE EQUIPAS POR CULPA DOS PILOTOS
A formação de Aguiar da Beira chega ao Algarve como virtual campeã de equipas, independentemente do resultado que possa alcançar na prova. Um sucesso que só é possível devido à excelente participação dos seus pilotos, como reconhece Augusto Ramiro.
“Parabéns a todos os nossos pilotos, sem qualquer exceção. Sem eles, seria impossível ter chegado a este título. Mas o campeonato ainda não terminou, e queremos realizar um Rallye Casinos do Algarve bastante positivo, onde tudo faremos para chegar à vitória e, se possível, ao título, embora isso não dependa exclusivamente de nós. Tem sido gratificante a prestação do Ricardo, logo no seu primeiro ano ao volante do Skoda, e é compensador chegar ao Algarve ainda com hipóteses de disputar o título. Em relação ao Pedro e ao Miguel, quero agradecer terem feito um campeonato absolutamente fantástico. Os meus parabéns a todos, garantindo-lhes todo o nosso empenho para esta última prova do ano”, afirmou o responsável pela ARC Sport.

ARC Sport abriu temporada a vencer em Fafe

A ARC Sport abriu a temporada de 2018 a ganhar e conquistou importantes conclusões com todos os pilotos que apoiou em Fafe.

Ricardo Moura e António Costa estiveram imparáveis na prova de abertura do CPR 2018. Num duelo ao segundo, o piloto açoriano conquistou uma das vitórias mais saborosas da sua carreira.

“Foi um rali extremamente disputado. É um orgulho muito grande poder estar aqui, com esta equipa fantástica, a celebrar uma vitória na primeira prova do campeonato, deixando os Açores no comando do CPR. Isso deixa-me feliz e bastante satisfeito pela missão cumprida. Foi uma prova muito disputada, e o Miguel Barbosa está de parabéns, pois fez um excelente rali. Estou feliz por dar à ARC Sport este resultado. Ainda bem que o açoriano apareceu em Fafe, senão o Miguel ficava a gerir a prova sozinho”, gracejou Ricardo Moura.

Não foi apenas o êxito de Ricardo Moura que deixou a casa de Aguiar da Beira a sorrir. Apesar do azar de Joaquim Alves e Sancho Eiró na 8ª especial do rali, o piloto de Cesar mostrou andamentos positivos e uma excelente evolução com o Ford Fiesta R5. “Entrei com ritmo na prova, embora as duas passagens noturnas tenham sido mais difíceis. No segundo dia, acabei por atingir bons andamentos, até ao toque na barreira durante a especial de Gontim. Foi uma pena não ter terminado, pois estava tudo a correr bem”, disse Joaquim Alves.

Longe de um bom resultado, mas muito perto dos andamentos desejados, esteve a dupla algarvia formada por Ricardo Teodósio e José Teixeira, em dia de estreia do Skoda Fabia R5. Um abandono no primeiro dia, devido a um tirante da direção do Skoda partido, não inviabilizou um regresso no segundo dia, com excelentes tempos registados. “Se não fosse o azar do primeiro dia, tínhamos pódio com certeza. O carro e a equipa estiveram cinco estrelas, e agora só quero pensar nos Açores, para tentar fazer lá, o resultado que não fizemos aqui”, afirmou, convicto, Ricardo Teodósio.

Pedro Almeida estreou-se em provas de terra, ao volante de um Skoda Fabia S2000. Acompanhado por Nuno Almeida, a equipa tirou excelentes conclusões desta estreia em Fafe. “O objetivo era terminar o meu primeiro rali em terra e evoluir de especial para especial. Penso que consegui fazer tudo isso, e até alcançar tempos muito simpáticos, embora precise de fazer muitos quilómetros no carro, que se mostrou impecável em termos mecânicos. O rali dos Açores será o meu próximo desafio”, afirmou Pedro Almeida.

Em estreia absoluta em provas nacionais, Miguel Correia mostrou uma boa atitude ao volante do Renault Clio R3. Acompanhado pelo experiente Pedro Alves, o jovem piloto quer evoluir, mas subindo um degrau de cada vez. “Estou a tentar fazer o melhor nesta fase de aprendizagem. Terminar esta prova era essencial, e se não tivéssemos perdido seis minutos num troço, o resultado poderia ter sido ainda melhor. Acho que a estreia foi muito positiva, com a ARC Sport a mostrarem-se como os professores disto tudo”, disse, com boa disposição Miguel Correia.

Para a ARC Sport esta foi uma prova positiva, embora com desfechos bastante diferentes.

“Quero dar os meus sinceros parabéns ao Ricardo pela vitória fantástica que alcançou, mostrando, mais uma vez, que é um excelente piloto. Apesar de resultados menos positivos, os tempos registados pelo Joaquim Aves, enquanto esteve em prova, e pelo Ricardo Teodósio, são uma garantia para o futuro. Bons indicadores para o Pedro Almeida, um jovem piloto sempre a evoluir de troço para troço e também para a estreia muito positiva do Miguel Correia, dois pilotos com um futuro prometedor. A toda a equipa da ARC Sport, os meus sinceros parabéns, por todo o profissionalismo que mais uma vez demonstraram ao longo da prova”, disse Augusto Ramiro.

Por:ARC Sport

ARC Sport tenta o triunfo na Letónia

Bruno Magalhães e Hugo Magalhães tripularam o Skoda Fabia R5 da ARC Sport na totalidade das provas do Campeonato da Europa de Ralis de 2017. Uma época que começou com uma sensacional vitória nos Açores, que impulsionou a equipa para estar presente em todas as provas do calendário europeu.

Depois de terem ocupado a liderança do ERC 2017, Bruno e Hugo Magalhães continuam na luta pelo título deste ano, apesar da tarefa na Letónia não se vislumbrar nada fácil.

“Estamos a viver uma ilusão muito grande acerca desta prova, pois existe uma oportunidade, de chegarmos ao título, embora seja difícil. Depois do percurso que fizemos no ERC deste ano, nunca poderíamos deixar de estar presentes no Rali da Letónia. É uma prova muito específica em terra, com troços muito rápidos, que o transformam num rali diferente. Apesar de não o conhecer, poderei mesmo afirmar que não é um rali normal. Os pilotos locais poderão ser inacessíveis, mas vamos fazer o nosso rali e tentar ser eficientes, pois a vontade de lá estar é enorme, uma vez que ainda há possibilidade de chegar ao título. Esta foi uma época fantástica, e seja para festejar o 1º ou o 2º lugar do ERC, queremos fazer um bom rali e assinar um final de época positivo, pois este foi um ano excecional”, disse Bruno Magalhães.

Para a ARC Sport acompanhar Bruno Magalhães na totalidade das provas do ERC tem sido um dos pontos altos para a equipa de Aguiar da Beira. Para Augusto Ramiro, que irá estar na Letónia para fechar a época, esta tem sido uma experiência muito positiva.

“Tem sido na verdade um ano muito rico em experiências, tanto nas diversas provas em que participámos, como na preparação do Skoda para os diferentes ralis em que estivemos presentes. Com uma época em pleno, e com a possibilidade em aberto, que o Bruno e o Hugo ainda contam para as contas finais do título, é obrigatória esta presença na Letónia, tendo total confiança nesta participação. Vamos voltar a fazer o nosso melhor, para que tudo corra bem durante a prova”, afirmou o responsável pela ARC Sport.

O Rali Liepaja 2017 conta com 13 especiais de classificação e estará na estrada nos próximos dias 7 e 8 de outubro.

Por:ARC Sport

 

ARC SPORT e Bruno Magalhães vão defendendo a liderança na Europa

19225479_1459664144072691_3461728707899677244_nCyprus Rally 2017

É a primeira vez na história do Campeonato da Europa de Ralis que uma equipa portuguesa se mantém na liderança, ao fim de três provas disputadas.

Bruno Magalhães e Hugo Magalhães conquistaram três pódios em três ralis e abriram o campeonato a vencer em terras açorianas. Agora há que defender essa posição em Chipre, para que seja possível continuar a acalentar o sonho europeu.

“Tudo é possível! Vamos fazer o que temos feito até aqui e focar o nosso trabalho para que seja possível fazer mais um bom rali. Temos de subir degrau a degrau, e neste momento é mais um rali, onde o objetivo é voltar a ser muito competitivo, tal como aconteceu na Grécia, e com isso sair da primeira metade do campeonato da Europa na liderança. Se conseguir dar continuidade ao projeto e começar a pensar que tudo é mesmo possível, então logo se verá. Para já estamos muito concentrados em fazer uma excelente prova, onde a concorrência volta a ser de alto nível”, afirmou Bruno Magalhães.

A ARC Sport entrou no ERC 2017 a vencer e acredita que este projeto com Bruno Magalhães e Hugo Magalhães, aos comandos do novo Skoda Fabia R5 da equipa de Aguiar da Beira poderá continuar a dar frutos.

“Estamos muito confiantes e entusiasmados com os resultados conquistados até aqui. Vamos voltar a dar o nosso melhor para que a equipa continue tão competitiva como demonstrou ser nos Açores, nas Canárias e na Grécia. O Bruno e o Hugo são excelentes profissionais e depositamos total confiança nesta sua participação no Rali de Chipre”, disse Augusto Ramiro.

O Rali de Chipre vai estar na estrada a 17 e 18 de junho, conta com 14 especiais de classificação e com uma equipa portuguesa que tem a Europa no coração e pretende continuar a liderar o ERC 2017.

Por:ARC Sport

ARC Sport presente em força na Marinha Grande

arc O acumular de êxitos no Campeonato da Europa de Ralis não move a ARC Sport das suas responsabilidades nacionais. Depois da excelente participação nacional no Vodafone Rally de Portugal, o regresso aos trabalhos do Campeonato Nacional de Ralis estão agora centralizados na Marinha Grande para a edição de 2017 do Rali Vidreiro. Três pilotos com diferentes objetivos, são agora a grande preocupação da equipa de Aguiar da Beira que terá toda a sua estrutura empenhada neste desafio que terá lugar no Centro de Portugal. Ler Mais »

ARC Sport vai estar no Rally de Castelo Branco

Paulo Caldeira e Aloísio Monteiro entram em cena

A equipa de Aguiar da Beira vai estar presente no Rali de Castelo Branco, o primeiro duelo em asfalto do Campeonato Nacional de Ralis de 2017, com o apoio ao 1arcRenault Clio R3 T de Aloísio Monteiro/Sancho Eiró e ao Mitsubishi Lancer Evo IX de Paulo Caldeira/Ana Gonçalves. Para a ARC Sport este é mais um desafio importante.

Tem tudo para dar certo”, afirma Aloísio Monteiro antes da sua estreia no Campeonato Nacional de Ralis de 2017 e no Troféu Renault Clio R3 T. Depois de um excelente ano de rodagem ao volante do novo carro, o piloto, acompanhado pelo açoriano Sancho Eiró, aposta numa época muito positiva.

O nosso objetivo é fazer todas as provas do CNR e do Troféu até ao Rali Vidreiro. Conforme os resultados obtidos, iremos decidir nessa altura se faremos as restantes provas do calendário nacional, ou se ficaremos apenas a disputar o Troféu. Depois do excelente resultado alcançado em Madrid no final da época passada, temos vindo a evoluir o carro e estamos muito confiantes para o Rali de Castelo Branco, pois temos a certeza de ter um carro competitivo para lutar não só pelo Troféu, mas também por um bom resultado nas duas rodas motrizes. Este é um rali de que gosto bastante e conheço bem, portanto só podemos estar bastante confiantes”, disse Aloísio Monteiro.

Depois da estreia no CNR na época passada no Rali Vidreiro, Paulo Caldeira quer estar presente na primeira prova de asfalto de 2017. Com a sua mulher Ana Gonçalves como navegadora, o piloto pretende continuar a ganhar experiência no CNR ao volante do seu Mitsubishi Lancer Evo IX.

O carro está praticamente igual ao ano passado e esta é apenas a nossa segarc2unda participação numa prova do CNR. O principal objetivo é rolar e ganhar experiência, pois este ano o Grupo N está mais competitivo que o ano passado, contando com uma concorrência bastante forte. Para além desta prova de Castelo Branco, penso ainda fazer mais alguns ralis de asfalto em 2017”, afirmou Paulo Caldeira.

Na estrutura da ARC Sport está tudo pronto para contribuir para o sucesso das duas equipas que vão disputar o Rali de Castelo Branco a 11 e 12 de março. Para Augusto Ramiro esta é uma prova bastante importante.

Espero sinceramente que este rali tenha um desfecho diferente que a primeira prova do ano, fazendo mais uma vez o nosso melhor para que corra bem ao Aloísio Monteiro e ao Paulo Caldeira, que podem contar com todo o nosso empenho e entusiasmo”.

Rali de Castelo Branco 2017

Sábado, 11 de Março de 2017

1ª PEC – SARZEDAS – 16h58

2ª PEC – VIDIGAL – 17h26

3ª PEC – SUPER ESPECIAL “Jornal Reconquista” – 21h00

Domingo, 12 de Março de 2017

4ª PEC – S.DOMINGOS 1 – 10h46

5ª PEC FONTE LONGA 1 – 11h04

6ª PEC ALVITO 1 – 11h37

7ª PEC S.DOMINGOS 2 – 14h36

8ª PEC FONTE LONGA 2 -14h54

9ª PEC ALVITO 2 – 15h27

Por:ARC Sport

 

 

 

 

 

 

ARC Sport iniciou Nacional de Ralis da forma mais indesejada

0arcAvaria origina desistência

Ricardo Moura e António Costa conferiram um ritmo espantoso ao Ford Fiesta R5 na prova de abertura do Campeonato Nacional de Ralis. Nos carismáticos troços de Fafe, Ricardo Moura não deu qualquer hipótese à concorrência, mantendo uma vantagem assinalável até ao momento em que foi obrigado a abandonar antes de entrar para a 10ª especial de classificação, a segunda passagem por Luílhas, devido a uma rótula partida na suspensão direita do Ford Fiesta.

É a terceira vez que Ricardo Moura abandona em Fafe na condição de líder da prova (2014; 2016 e 2017), depois da vitória em 2015. Desta vez o piloto açoriano era líder desde o primeiro troço, tendo registado sete vitórias em especiais de classificação, numa altura em que faltavam apenas três troços para terminar o rali e contava com 42,3 segundos de vantagem. Mais um azar por terras minhotas.

Ricardo Moura apesar de não vencer, salientou boa prestação até à desistência.

Fomos sempre muito rápidos e competitivos e aumentámos constantemente a nossa distância para os principais adversários. Provámos que estamos cada vez melhor preparados, fruto de um trabalho constante com a ARC Sport. Evoluímos muito desde o ano passado, tendo efetuado em Fafe todo o traçado sem hesitações, com saltos impecáveis, enfim, tudo limpinho… Uma coisa é certa, o carro está excelente. Não vencemos, mas penso que conseguimos dar um ótimo retorno aos Açores e aos nossos patrocinadores. Liderámos de forma inquestionável desde o primeiro troço”, disse Ricardo Moura.

Por:ARC Sport  Fotos: PressXL| Albano Loureiro

Ricardo Moura e Joaquim Alves da ARC Sport regressam ao Nacional de Ralis

A ARC Sport vai estar presente no início do Campeonato Nacional de Ralis de 2017 com dois Ford Fiesta R5 entregues a Ricardo Moura/António Costa e a Joaquim Alves/Luís Ramalho. Os carismáticos troços de terra da região de Fafe serão o palco perfeito para a primeira prova do ano que se espera bastante competitiva.

Ricardo Moura, que não irá efetuar a totalidade das provas do CNR, faz no entanto questão em estar presente no rali de abertura da época, uma prova disputada numa região consagrada, com troços espetaculares de que gosta especialmente.

Por seu lado, Joaquim Alves deixou-se conquistar pelo prazer de conduzir um Ford Fiesta R5. A evolução constante é um dos desejos do piloto de Cesar. “Estou bastante confiante em relação a este rali que conta com troços que me dão um especial prazer. O carro está praticamente igual à época passada, e se tudo correr bem, aponto para um resultado entre os cinco primeiros classificados” afirmou com boa disposição Joaquim Alves, que este ano conta fazer a totalidade das provas em terra e apenas duas em asfalto.

Em Fafe arranca mais uma temporada de emoções para a ARC Sport. A equipa de Aguiar da Beira reafirma o habitual grau de profissionalismo e entusiasmo de todos os seus elementos, em torno do sucesso dos seus pilotos.

O figurino do CNR 2017 é atípico, sendo estranho poder atingir-se o título com cinco participações em provas de asfalto e apenas em duas de terra. Um campeonato misto, deveria ter todas as provas de terra seguidas, e as de asfalto também, em vez de serem realizadas de forma intercalada. Para além disso, estamos presentes com o mesmo ânimo de sempre, desejando a melhor sorte ao Ricardo Moura e ao Joaquim Alves, que sabem poder contar com todo o apoio da nossa equipa”, disse Augusto Ramiro, responsável pela ARC Sport.

Por:ARC Sport

Joaquim Alves e António Costa (ARC Sport) confiantes no asfalto

arc1 O Campeonato Nacional de Ralis sobe mais a norte para disputar a penúltima prova do calendário de 2016. Depois da terra de Mortágua chega o asfalto das regiões de Santa Maria da Feira e Vale de Cambra, um desafio diferente para Joaquim Alves/Luís Ramalho e António Costa/Nuno Rodrigues da Silva.

Depois do contratempo da prova anterior, Joaquim Alves vai tentar equilibrar andamentos ao volante do Ford Fiesta R5 preparado pela ARC Sport.

No asfalto ainda não estamos a andar como desejamos. Este é um rali perto de Oliveira de Azeméis, e portanto estamos próximo de casa, o que nos dá um ânimo especial. As afinações para asfalto são mais difíceis, mas vamos tentar encontrar soluções que se adaptem à minha forma de conduzir. Nos ralis de terra ainda posso tentar fazer previsões, mas no asfalto não. De qualquer forma, estamos confiantes que desta vez tudo irá correr bem”, concluiu Joaquim Alves.arc2

Com muito entusiasmo, o tricampeão nacional de navegadores volta a pegar no volante. António Costa que esteve quase a triunfar nas duas rodas motrizes em Mortágua, regressa aos comandos do Renault Clio R3 da ARC Sport para o Rallye Casino de Espinho.

Vamos ver o que se pode fazer no asfalto. Não tenho qualquer preferência por pisos de terra ou asfalto, e por isso o entusiasmo é sempre o mesmo. Vou tentar perceber o nosso comportamento nos primeiros troços, para saber se posso andar ao nível dos primeiros. Vamos efetuar um teste antes da prova, que será fundamental para o nosso desempenho no rali. Vamos tentar tirar o melhor partido do carro, sabendo que existem outros pilotos com armas superiores. Quero tentar fazer um bom rali, mas terminar a prova é essencial”, afirmou António Costa.

Para Augusto Ramiro esta é mais uma experiência importante, desejando o melhor sucesso aos seus pilotos.

Trabalhamos sempre para que tudo corra da melhor forma. Acreditamos nas potencialidades do Joaquim Alves e do António Costa, esperando que o regresso aos pisos de asfalto seja positivo em termos de resultados. Como sempre, a equipa está muito empenhada para mais um importante desafio”, disse o responsável pela ARC Sport.

Por:ARC Sport  fotos:PressXL Foto/Albano Loureiro

 

ARC Sport na Madeira com Ricardo Moura e João Silva

arc O regresso da ARC Sport à ilha da Madeira acaba sempre por estar carregado de fortes emoções. Para a edição deste ano, a equipa de Aguiar da Beira acompanha dois pilotos com fortes ligações à ilha e uma paixão especial pelo Rali Vinho Madeira, uma das provas mais importantes do calendário nacional.

Depois de uma vitória inesquecível nos Açores, Ricardo Moura e António Costa, apesar de não estarem este ano a lutar pelo título por uma questão de opção, não resistiram aos encantos da prova e levam o Ford Fiesta R5 até aos troços madeirenses para enriquecer o naipe de pilotos nacionais que vai abrilhantar o rali. Para Ricardo Moura este não deixa de ser um rali indispensável.

Esta é uma prova que nos correu mal nos dois últimos anos. O meu único objetivo é terminar o rali. Gosto muito da Madeira e espero sinceramente que este ano o rali corra bem. Um agradecimento muito especial à Socicorreia por possibilitar a nossa presença nesta espetacular prova”, afirmou Ricardo Moura.

Também sem qualquer tipo de pressões, o piloto madeirense João Silva regressa à competição precisamente dois anos depois de ter disputado a sua última prova. Este ano terá a seu lado o navegador Rui Rodrigues, com vasta experiência nas provas da Madeira, e estará aos comandos do seu Renault Clio R3, que conta com um novo motor.

Quero apenas viver o dia de hoje e festejar os meus 10 anos de participação no dearc amsporto automóvel. As saudades já são muitas, e como já não remo contra a maré, esta é uma participação à margem de qualquer campeonato, apenas para relembrar velhos tempos. Já é um prazer regressar dois anos depois, com um novo motor no meu carro e voltar a estar na companhia da ARC Sport”, disse João Silva.

A ARC Sport volta a marcar presença no Rali Vinho Madeira ao lado de dois pilotos que conhece muito bem. Para o responsável pela equipa de Aguiar da Beira, esta é mais uma etapa para encarar com o elevado grau de profissionalismo de sempre.

Quero assinalar o regresso de Ricardo Moura à Madeira, depois de dois anos que foram atribulados. Temos a total convicção que este ano irá correr tudo bem. Apesar da paragem, saúdo também o regresso do João Silva aos comandos do Renault Clio R3, um carro que continua a ser espetacular dentro da sua categoria. Estamos confiantes que os nossos pilotos poderão efetuar um bom Rali Vinho Madeira”, afirmou, com entusiasmo, Augusto Ramiro.

A edição de 2016 do Rali Vinho Madeira arranca na cidade do Funchal, na próxima 5ª feira, 4 de agosto, ao final da tarde, com a discussão da Super Especial da Avenida do Mar. Nos dois dias seguintes mais 18 classificativas irão contribuir com fortes emoções para uma das provas mais apetecíveis do Campeonato Nacional de Ralis.

Por:ARC Sports