Início » Tag Archives: ASTA

Tag Archives: ASTA

ASTA- Jogo-Performance Green ETHICS

Vai ter lugar a apresentação do Jogo-Performance Green ETHICS,  no dia 19 de junho, às 11 horas, na escola EB nº2 do Teixoso.

O espetáculo, que convida o público a fazer zapping pelas temáticas ambientais, estreia no dia 29 de junho e repete no dia seguinte, no Jardim das Artes, na Covilhã.

O espetáculo é uma das vertentes mais visíveis do projeto europeu Green ETHICS – Green Experience Through Theatre Inspiring Communities, apoiado pelo programa Europa Criativa, que junta 18 parceiros de 12 países, com o propósito de despertar a consciência para a problemática das alterações climáticas, promovendo e incentivando comportamentos e ações mais sustentáveis.

A performance inspira-se no tradicional “Jogo da Glória”: cada casa do jogo aborda, de forma performativa, diferentes aspetos relacionados com as alterações climáticas e com o Pacto Ecológico Europeu, passando o comando ao público, ao espetador, que assim poderá intervir no espetáculo e a favor do futuro da espécie humana no planeta. A interatividade com o público será fomentada também através da presença de bicicletas elétricas, que fornecerão energia ao espetáculo, podendo os espectadores pedalar para diminuir a pegada ecológica do evento.

ensinARTE –Mostra de Teatro Escolar de 3 a 11 de junho de 2024

A ensinARTE – Mostra de Teatro Escolar, organizada pela ASTA e pelo Agrupamento de Escolas do Teixoso está de volta. A 12ª edição decorre de 3 a 11 de junho na sede do Agrupamento, no Teixoso (Covilhã).

A única mostra do género, na região, tem nesta edição 8 espetáculos. Três de companhias profissionais e os restantes de várias escolas da região.

Destacamos este ano os espetáculos das companhias profissionais, assim a abril a mostra, no dia 3, às 11h, A Maior Flor do Mundo e as Pequenas Memórias, pela companhia Leirena Teatro, de Leiria. O espetáculo tem como base o texto de José Saramago e conta com a música ao vivo de Surma. A 5 de junho, às 11h, apresenta-se a Cia de Teatro Avatar, que nos chega da Bhaia, Brasil, para apresentar o espetáculo A Travessia do Grão Profundo. O espetáculo conta-nos a história de uma criança vê o seu pai partir em busca de melhores condições de vida. A encerrar a ensinARTE recebemos a companhia Teatro Estúdio Fontenova, no dia 11, às 11h, que nos apresenta uma adaptação livre a partir do conto “Os Barrigas e os Magriços”, de Álvaro Cunhal. Ler Mais »

Rede Interior lança APP que quer ser o braço direito dos turistas na descoberta do território

Trata-se da Rede Interior e promete fazer de cada visita ao território uma experiência única. Com propostas turísticas e culturais em Belmonte, Covilhã, Fornos de Algodres, Fundão, Gouveia, Manteigas e Seia, a APP é mais uma iniciativa do projeto com o mesmo nome: Rede Interior – Arte e Cultura em Rede, promovido pela ASTA, em parceria com os 7 municípios que, nos últimos anos, foram palco por excelência de uma mão cheia de espetáculos.

 

 

 

 

 

 

Como explica a ASTA, a criação desta APP visa a “criação de conteúdos digitais universais acessíveis a todos os que visitam o território, proporcionando, assim, experiências marcantes e diferenciadoras”.

O Centro Interpretativo do Vale Galaciar do Zézere, em Manteigas, o Museu da Covilhã, o Museu dos Descobrimentos, em Belmonte, o Centro Interpretativo, em Fornos de Algodres, a Casa da Vivência Judaica, em Gouveia e o Museu do Brinquedo em Seia… a APP “Rede Interior” leva os turistas a 7 monumentos e desafia-os a vê-los com outros olhos. Os visitantes podem, assim, ficar a saber tudo sobre cada uma destas atrações turísticas identitárias, mas também mais sobre cada um destes concelhos, encontrando, ainda, uma mão cheia de outras curiosidades. Para tudo isto basta, apenas, um clique.

Mas há mais. Para uma experiência única, quando visitar cada um dos locais, os turistas vão encontrar um QRcode que lhes permitirá, através da APP, aceder a um vídeo sobre os 7 monumentos e os 7 concelhos.

A APP quer também desafiar os turistas a circularem pelos 7 municípios da Rede Interior. Assim em cada monumento, o turista vai ficar a saber qual o monumento mais perto do local em que se encontra para visitar.

“A aplicação assume um caráter itinerante de visitação aos sete monumentos de cada Município, o que incentiva o turista (sobretudo famílias e grupos que realizam short-breaks) a permanecer no território mais do que um dia contribuindo para a aumento do número de dormidas na região”, resume a ASTA.

Gratuita e compatível com formatos Android e IOS, a APP descarrega-se em poucos minutos e é muito intuitiva. O aplicativo está preparado para turistas internacionais, tendo, assim, versão em inglês e espanhol. Realça-se, ainda, que os conteúdos multimédia têm legendas disponíveis, conseguindo-se, assim, uma linguagem plural e inclusiva. A APP contém, ainda, informação sobre o projeto e sobre a ASTA, mentora deste projeto.

Recorde-se que o projeto Rede Interior é cofinanciado pelo Centro2020, Portugal 2020 e União Europeia, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional, tendo como entidade líder executora a ASTA – Teatro e Outras Artes, e como entidades parceiras os municípios de Belmonte, Covilhã, Fornos de Algodres, Fundão, Gouveia, Manteigas e Seia.

Rede de Artes Performativas – REDE INTERIOR

Arranca hoje, 30 de junho, na Covilhã, a segunda edição da Rede de Artes Performativas – REDE INTERIOR – um Programa de Cultura em Rede desenvolvido pela ASTA. Ao ar livre, entre espaços que são memória e contam histórias, 14 espetáculos vão partir em itinerância, por 7 municípios. Com companhias profissionais nacionais e internacionais o verão promete trazer mais emoção e vida e dar a conhecer a alma e a identidade dos territórios.

A arte vai sair às ruas e dar um brilho especial ao património histórico e cultural dos municípios de Belmonte, Covilhã, Fornos de Algodres, Fundão, Gouveia, Manteigas e Seia que, no total, vão receber 14 espetáculos de elevada qualidade.

Com esta Rede de Artes Performativas, a ASTA – Associação de Teatro e Outras Artes quer, assim, promover o território acrescentando valor pela via das artes às ofertas turísticas dos territórios neste verão, ao mesmo tempo que aproxima a cultura das comunidades, criando momentos de fruição cultural ao ar livre, em locais improváveis e mais próximos do público.

A estreia é hoje, 30 de junho, na Covilhã, com o espetáculo Raíz, pelo Circo Caótico. O espetáculo está marcado para as 21h, na Praça do Município. No dia seguinte, 1 de julho, às 19h00, no mesmo local, será apresentado o espetáculo da companhia Edu Manazas Circo denominado Fuera de Stock.

O festival continua em Gouveia, com apresentação de dois espetáculos no Anfiteatro da Cerca. Marilelas, da companhia CIA. Marioli e Raíz, sobem ao palco, no dia 23 de junho, às 21h30 e 24 de junho, às 18h00, respetivamente.

A próxima paragem será no Fundão que recebe no dia 5 agosto, no Largo do Calvário, às 22h30, o espetáculo “Por um Fio”, pelo grupo Erva Daninha. A 6 de agosto, o palco transfere-se para o Largo da Igreja que recebe, às 23h00, o espetáculo Raíz.

Manteigas recebe os espetáculos Por um Fio e Raíz, nos dias 12 e 13 de agosto, respetivamente. Ambos acontecem no Parque da Várzea, às 21h30.

Máquina de Encarnar, no dia 3 de setembro e Raíz no dia 4 de setembro, são as propostas culturais para Belmonte. As duas apresentações vão ocorrer no Castelo, a primeira às 21h30, e a segunda às 17h00.

Fornos de Algodres recebe o espetáculo Raíz no dia 16 de setembro, às 21h30, na Câmara Municipal e no dia seguinte, 17 de setembro, é apresentado Máquina de Encarnar, no Largo da Misericórdia, também, às 21h30.

O festival encerra em Seia, a 26 de setembro, com dois espetáculos: Erva Daninha apresenta E-NXada, às 14h30, na Escola Abranches Ferrão e La Gata Japonesa apresenta Los Viajes de Bowa, no Centro Escolar de São Romão.

O Projeto Rede Interior tem como entidade líder executora a ASTA – Teatro e Outras Artes, e como entidades parceiras não executoras, os Municípios de Belmonte, Covilhã, Fornos de Algodres, Fundão, Gouveia, Manteigas e Seia. Projeto cofinanciado pelo Centro2020, Portugal 2020 e União Europeia, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.

ASTA-Debate – O QUE SIGNIFICA PROGRAMAR?

A ASTA – Associação de Teatro e Outras Artes, juntou-se à Acesso Cultura, com a qual estabeleceu uma parceria, no sentido de organizar na Covilhã um conjunto de debates tendo como foco central a cultura e as suas especificidades. Sempre consideramos importante o debate em torno das questões da cultura, e este tipo de iniciativas assume um caráter amplamente importante, porque põem em contacto direto fazedores, pensadores e consumidores de cultura.
O próximo debate acontece já no dia 21 de junho, na Casa dos Magistrados – Galeria Prof. António Lopes (R. das Portas do Sol 122 – zona histórica da Covilhã), com início às 18h30 e término às 20h. Com esta iniciativa promovida pela ASTA, a Covilhã passa a integrar o conjunto das 11 cidades portuguesas, que se juntam, no mesmo dia e à mesma hora para conversar sobre cultura. As cidades são: Angra do Heroísmo, Castelo Branco, Évora, Faro, Funchal, Lisboa, Ponta Delgada, Porto, Torres Novas e Vila Nova de Famalicão.

Ler Mais »

Ouvir Hoje (espetáculo comunitário integrado no Festival Cultural da Raia Histórica)

Vai estrear o espetáculo “Ouvir Hoje”, no dia 9 de junho (quinta-feira), às 21.30h, em Pinhel .

Trata-se de um espetáculo comunitário produzido pelos Serviços Sociais da Câmara Municipal de Pinhel no âmbito do Festival Cultural da Raia Histórica, promovido pela CIM-BSE.

Inspirado no projeto “Ouvir Ontem” (levantamento do património imaterial do concelho de Pinhel realizado em 2014), o espetáculo “Ouvir Hoje” apresenta canções de roda, romances, canções de romaria, canções de trabalho e modas executadas pelos tocadores de ouvido recolhidas em Azevo, Bouça Cova, Carvalhal, Freixedas, Lamegal, Manigoto, Pinhel e Santa Eufémia.

Em palco apresentam-se individualmente e em conjunto um grupo de jovens cantores da Associação Socioterapêutica de Almeida (ASTA), o grupo de música tradicional Trovas da Beira, a Banda Filarmónica de Pinhel e o Grupo de Bombos São Bernardo, num total de cerca de 50 artistas.

A ideia, a conceção, os arranjos e a direção musical do espetáculo são de Ângelo Lemos Marques (professor de Educação Musical, co-coordenador da Academia de Música de Pinhel e membro do Trovas da Beira).

O projeto foi apresentado e coordenado pelos Serviços Sociais da Câmara Municipal de Pinhel, associação que atualmente tutela a Banda Filarmónica de Pinhel.

Depois de Pinhel, “Ouvir Hoje” vai ser apresentado em Figueira de Castelo Rodrigo (25 de junho), Trancoso (8 de julho), Almeida (9 de julho) e Mêda (em data a definir), no âmbito do projeto Cultura em Rede 21/22 que contempla 15 projetos artísticos num total de 75 espetáculos a apresentar nos 15 concelhos que integram a Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela.

Projeto reciclARTE continua na região em ações de Teatro e Música

A equipa artística da ASTA, no âmbito do projeto reciclARTE,  está a trabalhar diretamente com os alunos das escolas dos Municípios de Covilhã, Fornos de Algodres e Gouveia, em ações de dinamização de fruição cultural e expressão artística, nomeadamente em ações de Teatro e Música.

A reciclARTE junta o Teatro, a Música, as Artes Plásticas e Lixo para criar arte, combater o insucesso escolar e educar para a reciclagem, reutilização e reaproveitamento de resíduos. Um projeto no âmbito do Programa Parcerias Para o Impacto desenvolvido pela Estrutura de Missão Portugal Inovação Social, é uma iniciativa de Inovação e Empreendedorismo Social direcionada para a resolução de dois problemas sociais: a ausência de motivação e valorização da escola por parte dos adolescentes, e a falta de uma cidadania ativa para a consciência social, em particular nas questões ligadas ao meio ambiente. Como forma de encontrar soluções para estes problemas sociais, o projeto reciclARTE prevê o desenvolvimento de um espaço dedicado à criação artística e ao desenvolvimento do potencial criativo, onde os jovens são convidados a usar as artes como meio para desenvolver o seu interesse pela escola e uma maior consciência social sobre os problemas que os rodeiam, nomeadamente o problema da degradação do meio ambiente.

Rede de artes performativas com espetáculos ao ar livre

A Rede Interior leva a cena em dezenas de espetáculos itinerantes ao ar livre onde a poesia visual está em destaque com o novo circo e a dança contemporânea . No cruzamento da palavra, da ligação do novo circo com a dança contemporânea e as novas linguagens artísticas existe um projeto que unifica todo o conceito de itinerância e descentralização cultural em espaços de elevado valor patrimonial e histórico, no interior de Portugal. Os 14 espetáculos que integram a Rede Interior começam a entrar em cena no início de julho.

 A identidade com o território no âmbito do qual cada espetáculo é levado a cena, reflete o objetivo central da Rede Interior – desenvolver uma programação artística e cultural perfeitamente integrada num território abrangente constituído pelos Municípios de Belmonte, Covilhã, Fornos de Algodres, Fundão, Gouveia, Manteigas e Seia. O intuito é claro – promover e valorizar o património histórico-cultural e sensibilizar a comunidade a participar ativamente na afirmação destes territórios através da Cultura.

 Será entre castelos, anfiteatros ao ar livre, jardins, praças, largos e mercados que a companhia profissional da Covilhã – ASTA, numa coprodução com a Erva Daninha, companhia portuguesa, e mais 3 companhias de Espanha e uma de Itália, leva a cena e ao ar livre vários espetáculos itinerantes de novo circo, dança contemporânea, teatro, acrobacia, ilusionismo e equilibrismo. Entre os meses de julho e agosto será possível assistir a um vasto corpo artístico pautado por espetáculos verdadeiramente identificativos da cultura e tradições de cada local, por forma a que o público e as gentes da terra se sintam representados.

 O primeiro espetáculo integrado na Rede Interior, “Cântico Negro”, acontece já a 1 de julho (quinta-feira) no mercado municipal da Covilhã, pelas 21h30. Trata-se de uma coprodução da ASTA com o TeatrUBI, que se inscreve na linha de cruzamentos artísticos entre a dança contemporânea e o teatro numa dramaturgia que nos inquieta. Fala-nos do amor e das relações, do que se (não) sente. A mesma peça segue em itinerância pela cobertura da praça municipal de Manteigas (17 de julho, às 22h); pelo largo da Câmara de Seia (24 de julho às 22h), pelo largo da Misericórdia de Fornos de Algodres (31 de julho às 21h30) e pelo Castelo de Belmonte (20 de agosto às 22h).

 

“Dolce Salto” da companhia italiana Circo Carpa Diem apresenta-se com uma linguagem de clown misturada com acrobacias aéreas em mastro chinês e monociclo e, tem como pano de fundo uma tradição há muito arreigada no território – o fabrico tradicional do pão tão identitário das aldeias e das populações que se reúnem em torno dos fornos comunitários. “Dolce Salto” segue em itinerância pela Praça do Município da Covilhã (3 de julho às 21h) e pelo Parque Verde do Fundão (13 agosto às 22h).

 A 10 de Julho, é em plena ambiência mágica e intimista do anfiteatro da Cerca em Gouveia que acontece o espetáculo “Los Viajes de Bowa” da companhia espanhola La Gata Japonesa. Magia, equilibrismo, dança aérea, humor e poesia é assim que se pode definir a natureza deste espetáculo que nos remete para o imaginário infantil e nos leva pela obsessão de uma menina-mulher nómada que teima em descobrir o que afinal existe por trás das mensagens encerradas nas garrafas que são atiradas ao mar. Esta peça ruma para Manteigas (16 de julho às 22h) e Fornos de Algodres (30 de julho, às 21h30).

 “Oyun” (jogo, em turco) estreia no Anfiteatro da Cerca em Gouveia dia 11 de julho. O espetáculo de circo contemporâneo da autoria do argentino Federico Menini (Companhia espanhola, El Fedito) acontece num espaço cénico único em que é montada uma cozinha tradicional. Malabarismo de tachos, panelas, canecas e outros utensílios facilmente identificativos de uma cozinha beirã, há um encontro e uma busca pela perfeição num espetáculo inovador, humorado, que consegue cruzar disciplinas artísticas tão diversas como a escultura, o desenho, a poesia visual, a música, o circo e o teatro.

 “Por Um Fio” chega ao largo da Câmara Municipal de Seia a 23 de julho, às 22h00, e a 21 de agosto ruma à Praça das Descobertas em Belmonte, às 19h00. Trata-se de um espetáculo de novo circo da companhia Erva Daninha, em que dois intérpretes utilizam a acrobacia aérea como técnica para procurarem continuamente o equilíbrio entre dois corpos, num jogo constante de encontros e desencontros.

 A 14 de agosto, será a vez do Parque Verde no Fundão receber pelas 22h o espetáculo de equilibrismo “La Madeja” de Irene de Paz, com forte reminiscência na narrativa da lã e da herança têxtil tão identitária do território das Beiras e Serra da Estrela.

PORTAS DO SOL – Festival de Artes de Rua 1, 2 e 3 de julho – 2ª edição

RecilARTE é o novo projeto da ASTA

O novo projeto da ASTA dá pelo nome de recilARTE e vai juntar o Teatro, a Música, as Artes Plásticas e Lixo para criar arte, combater o insucesso escolar e educar para a reciclagem, reutilização e reaproveitamento de resíduos.

 O recilARTE é um projeto no âmbito do Programa Parcerias Para o Impacto desenvolvido pela Estrutura de Missão Portugal Inovação Social, é uma iniciativa de inovação e empreendedorismo social direcionada para a resolução de dois problemas sociais, a ausência de motivação e valorização da escola por parte dos adolescentes e a falta de uma cidadania ativa para a consciência social, em particular nas questões ligadas ao meio ambiente. O reciclARTE será desenvolvido alunos das escolas dos municípios da Covilhã (Agrupamento de Escolas do Teixoso), Fornos de Algodres (Agrupamento de Escolas de Fornos de Algodres) e Gouveia (Instituto de Gouveia).

Como forma de encontrar soluções para estes problemas sociais, o projeto reciclARTE prevê o desenvolvimento de um espaço dedicado à criação artística e ao desenvolvimento do potencial criativo, onde os jovens são convidados a usar as artes (o teatro, a música e as artes plásticas) como meio para desenvolver o seu interesse pela escola e uma maior consciência social sobre os problemas que os rodeiam, nomeadamente o problema da degradação do meio ambiente.  As ações previstas no projeto estimulam os jovens adolescentes que mais sofrem as consequências destes problemas sociais, para serem os principais agentes de mudança, tornando-os elementos ativos num processo de alteração de atitudes e de consciência social.

A equipa artística afeta ao projeto trabalhará diretamente com os na dinamização de um programa de fruição cultural e expressão artística. Começando com a realização de pequenas experiências de iniciação às artes, representando um complemento à oferta curricular das escolas.

O reciclARTE concretiza-se na conceção e desenvolvimento de vários resultados artísticos no âmbito das Artes Plásticas, Teatro e Música ao longo de dois anos. Com a temática do projeto sempre presente, são criados três espetáculos de teatro, três grupos de música que utilizam o lixo como instrumentos, 15 quadros, de grandes dimensões, utilizando resíduos e três vídeos documentais, um por área artística.

Promovido pela ASTA, o projeto tem como investidores sociais os municípios da Covilhã, Fornos de Algodres e Gouveia e a empresa INCIPIT – produção de conteúdos, lda como investidor privado. São ainda parceiros do projeto a Resiestrela – Valorização e Tratamento de Resíduos Sólidos, S.A., o Cine Eco – Festival Internacional de Cinema Ambiental da Serra da Estrela, a Câmara Municipal de Seia, o Agrupamento de Escolas do Teixoso, o Agrupamento de Escolas de Fornos de Algodres, o Instituto de Gouveia – Escola Profissional, projeto EcoCidadania do Grupo Aprender em Festa, e a Escola Superior de Artes Aplicadas do Instituto Politécnico de Castelo Branco.

Foto:DR