Templates by BIGtheme NET
Início » Tag Archives: autarquicas 21

Tag Archives: autarquicas 21

Autárquicas 21- Fornos de Algodres- Conversa com Manuel Fonseca(PS)

Nesta campanha, fomos ao encontro dos Candidatos à Câmara Municipal de Fornos de Algodres, Por parte do PS, realizamos a entrevista com Manuel Fonseca que está abaixo, por parte da Coligação PSD/CDS, a candidata Joaquina Domingues preferiu que fosse escrita e assim fizemos, mas não tivemos as respostas até hoje das questões que lhe foram enviadas, face a isso, depois de muitos esforços para que nos fossem enviadas, tal não foi feito logo, temos de publicar o que temos, dado que o tempo urge.

De facto é com pena nossa, que não temos as duas entrevistas , mas neste caso fizemos todos os esforços para tal, mas o prazo esgotou e não podemos obrigar ninguém a responder, assim aqui fica a entrevista do candidato do PS, Manuel Fonseca.

__________________________________________________________________________

“Um trabalho de proximidade”

A campanha eleitoral vai a meio, face a isso, fomos conversar com os candidatos ao Município de Fornos de Algodres, neste caso, conversámos com Manuel Fonseca, atual Presidente da Câmara, que se recandidata pelo Partido Socialista.

Magazine Serrano(MS)- Que balanço faz destes 4 anos de mandato, onde 2 anos teve o obstáculo pandemia e teve de alterar todo o programa?

Manuel Fonseca(MF)-Não há dúvida, que houve dificuldades, dado que tivemos de alterar toda a estratégia, devido ao combate à covid-19. Era um vírus que pouco de nós conhecia a sua forma de atuação, mas no entanto, arranjamos uma estratégia mais virada para a pandemia.

Mas nunca descuramos, muitas das coisas que tínhamos de fazer, apesar do Covid, é um balanço altamente positivo, conseguimos lançar e terminar algumas obras, a Zona Industrial de Juncais, a obra de requalificação do Mercado Municipal, conseguimos lançar a obra da Escola do 1ºCiclo de Figueiró da Granja, que já se encontra em andamento. Conseguimos concluir o Jardim “Quintas da Vila”, ao mesmo tempo, conseguimos um conjunto de outras obras, sobretudo na área do ambiente.

Fizemos para já 2 Etar´s no concelho de Fornos de Algodres, no sentido de melhorar o ambiente deste concelho. O ambiente é uma preocupação que temos de ter, uma vez que em relação às fossas nada tinha sido feito e fomos nós que, iniciamos o caminho, para além destas Etar´s, vamos construir mais Etar´s no próximo mandato de maneira que o Município fique dotado com um leque de Etar´s que melhorem drasticamente a questão ambiental no concelho.

Etar de Vila Ruiva, promessa cumprida

Vila Ruiva era o caso mais preocupante, uma vez que a Etar que existia não estava preparada para que ali fosse construída uma unidade hoteleira, como é o Inatel e verificou-se que a partir de determinada altura, “já rebentava pelas costuras”, e criando graves problemas de saúde e ambientais na localidade. Tinha sido uma promessa nossa e foi cumprida no sentido de resolver os problemas da população e do Inatel que é um ex-libris, de Vila Ruiva e do concelho e como tal, não podiam existir problemas de foro ambiental. Ler Mais »

Autárquicas 21- Candidatos no Concelho de Pinhel

Já com a campanha eleitoral em andamento, que decorre até dia 24 de setembro, deixamos aqui os candidatos no Concelho de Pinhel, onde deste modo, Rui Ventura surge a liderar novamente a lista pelo PSD, onde o atual presidente da Câmara ,está na corrida para mais um mandato de 4 anos, a fim de potenciar mais os territórios pinhelenses, apresenta como slogan de campanha “Manter o Rumo”.
Depois para a Câmara Municipal leva a seu lado, Daniela Capelo, Irene Fortunato, Luís Boto , Elio Pereira entre outros. Por sua vez, na para presidir a Assembleia Municipal, surge Ângela Guerra que se recandidata.

Por seu turno, o PS, leva na corrida o vereador Francisco Fernandes para a Câmara Municipal, que leva consigo João Costa, Anabela Rocha, Sofia Dias e  Paulo Carrasco.

Depois ,Gonçalo Cruz, vai ser o candidato socialista à assembleia Municipal .
Pela CDU surge na corrida à Câmara Municipal,  António Martins,  já na Assembleia Municipal será a candidata Maria Luísa Avelãs Nunes .

Autárquicas 21-Fornos de Algodres- Candidatos às freguesias do concelho

A campanha eleitoral está arrancar e face a isso, as forças políticas estão a preparar todos os esforços para conquistar os diversos eleitores. Já aqui deixámos os candidatos à Câmara e Assembleia Municipal no concelho de Fornos de Algodres , fique a conhecer os candidatos às diversas Juntas de Freguesia:

Algodres-Pelo PS, Delfim Rodrigues lidera, com Cristina Ferreirinha e Júlio Almeida , depois pela Coligação PSD/CDS, avança Nuno Oliveira, com Alexandra Gomes, Ana Tavares e João Nunes.

Casal Vasco – Pelo PS, Jorge Domingues lidera com João Gomes e Manuela Ribeiro , depois pela Coligação PSD/CDS, avança António Fidalgo, com Fernando Reis, Isabel Sarmento e Sónia Cunha.

Fornos de Algodres – Pelo PS, Bruno Costa lidera, com Tiago Andrade , Juliana Cabral e Graça Tomás , depois pela Coligação PSD/CDS, avança Carlos Pais, com Valentim Pacheco, Susana Gomes e Ana Nunes.

União Freg. Juncais, Vila Ruiva e Vila Soeiro-Pelo PS, Augusto Carvalho lidera, com Telma Trindade e Rui Machado, depois pela Coligação PSD/CDS, avança Tânia Ribeiro, Rui Sousa e Ana Cândido.

Matança– Pelo PS, surge Celina Pinto, com Abílio Tenreiro e Adriano Melfe, depois pela Coligação PSD/CDS, segue Maria João Albuquerque, com Fábio Gerardo e Pedro Arrais.

Muxagata- Pelo PS, surge Leandro Abade, com Fátima Andrade e Paulo Rodrigues , depois pela Coligação PSD/CDS, segue José Joaquim, com António Pedro e Diana Martins.

Infias– Aqui apenas avança pelo PS– Daniel Andrade, com Sérgio Jerónimo, Elisabete Antunes e Carla Oliveira.

Queiriz– Aqui apenas avança pela Coligação PSD/CDS– Vítor Hugo Dias, com Filipa Almeida e Paulo Albuquerque.

Maceira– Pelo PS lidera Luís Filipe, com Tiago Andrade e Jéssica Andrade, depois uma candidatura independente liderada por Hugo Macário.

Depois temos algumas candidaturas independentes:

Figueiró da Granja– Neste caso avança, Álvaro Santos, com Sérgio Ferreira, Belmira Santos e Virgínia Candeias

União Freguesias de Sobral Pichorro e Fuinhas– Aqui avança António Fonseca.

União Freguesias de Cortiçô e Vila Chã– Aqui avança Rui Gomes.

 

Apresentação da candidatura de Manuel Fonseca fica para data a designar

Pode ser uma imagem de 2 pessoas e texto que diz "PS AUTARQUICAS f A CREDIBILIDADE Manuel PRESENTE CANGEL GANGELADO antos ANCA NO FUTURO APRESENTAÇÃO ACORGÃOS AUTÁRQUICOS DO CONCELHO FORNOS DEALGODRES 2021 21h00 PRESENÇA DE: De fonseca Pedro CANDIDATOÀ CÂMARA MUNICIPALD FORNOS DIRIGENTE NACIONAL DO PARTIDO SOCIALISTA @ManuelFonseca2"Em comunicado, a candidatura Manuel Fonseca 2021 – Confiança No Futuro informa que devido ao falecimento do antigo encarregado operacional da Câmara Municipal de Fornos de Algodres, José Mário Almeida Fonseca, assim como da Dona Aurora Maria Nunes da Costa Melo.
Em nome da candidatura, o candidato à Câmara Municipal, Manuel Fonseca, e da candidata à Assembleia Municipal, Raquel Batista, endereçam neste momento difícil à família as condolências.
Em face do acontecimento descrito, a Direção de Campanha informou que a apresentação dos candidatos aos Órgãos Autárquicos do Partido Socialista foi 𝐂𝐀𝐍𝐂𝐄𝐋𝐀𝐃𝐀 e agendada oportunamente.

Autárquicas 21- Fornos de Algodres- Coligação PSD/CDS apresenta equipas

Em Fornos de Algodres, a Coligação PSD/CDS “Todos por Fornos, Fornos por Todos”, apresentou já via online a equipa candidata à Assembleia Municipal onde Marcos Paulo lidera, seguido de Rui Furtado,Cristina Baltazar, Gonçalo Bento, Marco Santos,Catarina Tomás , Carlos Ferreira, Vítor Ribeiro entre outros.

Para a equipa da Câmara Municipal, a candidata Maria Joaquina Domingues , tem a seu lado, Cristina Guerra, Fernando Melo, João Carlos Coelho, Aida  Diogo, entre outros.

Aqui a candidata aposta no lema “A competência de tomar decisões decorre da Lei… mas a capacidade de decidir e decidir bem, depende do conhecimento e da sensatez de cada um”.

Autárquicas 21 -PS- José Albano Marques e Vítor Cavaleiro apresentaram equipas

Em Celorico da Beira, foi agora apresentada oficialmente toda a equipa que faz parte da lista do candidato José Albano Marques nas Autárquicas 21.

Por sua vez no Sabugal , também foi apresentada a equipa da lista do candidato Vitor Cavaleiro, nestas apresentações marcou presença Alexandre Lote, por sua vez no Sabugal esteve Ana Mendes Godinho também.

 

Viseu- Iniciativa Liberal Viseu inaugurou sede campanha

Na tarde de 24 de julho, a Iniciativa Liberal Viseu inaugurou a sua sede  da campanha “Viseu Mais Liberal” para as Eleições Autárquicas deste outono, voltando a inovar e quebrar com o que considera ser “política do passado”, apostando numa sede itinerante constituída por um conjunto de
jardim que se moverá com a campanha ao longo das próximas semanas ao longo do concelho de Viseu.
Em linha com o foco nas ideias em detrimento da personalização da campanha eleitoral, da recusa da participação na proliferação de cartazes pela cidade ou o que consideram ser “despesismo e incapacidade de modernizar e fazer mais com menos”, Fernando Figueiredo e Pedro Pereira acreditam que a reaproximação com os cidadãos e o afastamento da habitual “visita a capelinhas a cada 4 anos” é o caminho para quebrar o
divórcio do cidadão comum com a política.
O médico de 25 anos e cabeça-de-lista à Assembleia Municipal, Pedro Pereira afirma que “a candidatura “Viseu Mais Liberal” é, seguirá, naturalmente o mote da Iniciativa Liberal: liberdade em toda a linha. Mais liberdade económica para cidadãos e para empresas, mais liberdade social para que Viseu seja uma cidade inclusiva para todos e mais liberdade política. O esforço de inovação que estamos a fazer com esta candidatura é também uma forma de promover liberdade política, importando esta nova forma de estar na e fazer política para as instituições democráticas, que estão há décadas fechadas em si mesmas e na mesma maneira bafienta e desatualizada de agir”.

Perante os muitos apoiantes que se apresentaram no Rossio, Fernando Figueiredo, o cabeça-de-lista ao Executivo Municipal, atesta que “esta inauguração simbólica marca a estreia duma política séria, de viseenses para viseenses, fora da política da visita às capelinhas.” O candidato avança que “a IL conhece a realidade do concelho, tem o diagnóstico feito relativamente às várias dimensões da cidade da cidade, das suas pessoas e coletividades e tem soluções pensadas para esses mesmos problemas e desafios. Por isso, não precisamos de gastar tempo a ocupar as instituições com visitas estéreis com puro interesse de marketing eleitoral, deixando-as fazer aquilo em que são precisas: servir e ajudar os viseenses em vez de serem manietadas por algumas semanas a cada 4
anos”.

Ao longo das semanas que se seguem até à noite eleitoral de 26 de setembro, a campanha “Viseu mais Liberal” vai-se pautar por um registo digital forte nas ruas redes sociais e em viseumaisliberal.pt, com enfoque na batalha das ideias e promovendo eventos presenciais e remotos dispersos pelo concelho, cobrindo as diversas áreas temáticas do programa eleitoral.

O plano de atividades da campanha autárquica da Iniciativa Liberal em Viseu incluirá eventos já recorrentes como o “Dão Liberal”, um encontro informal de membros e simpatizantes do partido em vários espaços da cidade, apresentação das campanhas às Assembleias de Freguesia, eventos online de discussão temática, convívios em espaços abertos e a primeira Free Walking Tour de Viseu

Conversa com Sérgio Costa -Candidato independente na Guarda

“Tenho o orgulho de ter contribuído para o seu desenvolvimento nestes últimos anos”

Depois do atual vereador da Câmara da Guarda, Sérgio Costa se demitir da concelhia e de militante do PSD, decidiu avançar como independente para a candidatura ao Município egitaniense, face a isso, fomos conversar com o novo candidato que nos traçou as suas novas metas.

Magazine Serrano (MS)Quais as razões que o levaram à demissão da concelhia do PSD e até mesmo sair de militante do partido e desta forma apresentar uma Candidatura à Câmara da Guarda?

Sérgio Costa (SC) – A Concelhia de que fui orgulhosamente Presidente, era formada pelo grupo de militantes com melhor preparação e que mais experiência detinha em organização política desde sempre na Guarda. Daí a esmagadora vitória que conseguimos na eleição. Fomos a votos e ganhamos com a confiança de quase 400 militantes, que representam a sensibilidade de milhares de pessoas de todo o Concelho da Guarda.

A Sociedade Guardense através de cartas abertas, de Empresários e Empreiteiros, de Presidentes de Junta, demonstraram a sua preocupação sobre a forma errática e cada vez mais desorientada com que a Câmara da Guarda está a ser governada.

Toda a minha vida política respeitei e segui os estatutos das organizações por onde passei.

Mas as cúpulas do PSD tinham outros objetivos.

Não respeitar a vontade expressa dos militantes da Guarda e, além disso, não respeitar o único órgão que tinha legitimidade para propor o candidato do PSD. A Concelhia da Guarda.

Algo vai mal na política quando são os dirigentes máximos que não respeitam os seus órgãos e os seus próprios Estatutos.

Os líderes têm a responsabilidade de zelar pelo cumprimento das regras da sua organização política, de estabelecer pontes e consensos. Quando isso não acontece os partidos ficam mais pobres e sem pessoas e apoiantes.

A decisão Distrital e Nacional sobre o candidato do PSD à Câmara da Guarda, não foi tomada por gentes da Guarda, mas sim por quem não conhece a realidade da Guarda.

Um dia estas elites vão ter de assumir as suas responsabilidades.

O processo de ataque ao poder autárquico na Guarda foi pensado há muitos meses. Quando me foram retirados os pelouros e quando vi a forma pouco institucional e pouco civilizada com que a Presidente da Assembleia Municipal era tratada, percebi o ataque despudorado ao poder por parte de alguém que não foi eleito para Presidente da Câmara, mas sim assumiu o cargo por substituição.

Não há nada nem ninguém que nos impeça de apresentar e defender as nossas ideias para a Guarda!!!

Nunca escondi que servir a Guarda foi sempre o meu anseio e será a Guarda que nos continuará a dar força na nossa ação política e de participação cívica.

Durante a minha vida pública e o exercício de cargos de eleição, sempre coloquei o meu Concelho e as suas Pessoas acima de quaisquer outros interesses. A Guarda foi sempre o principal desígnio e a razão primordial do nosso trabalho.

A política não é um jogo de partidos, nem uma questão que só a eles diz respeito.

Se temos uma ideia de desenvolvimento para o Concelho e projetos que possam melhorar a vida dos nossos conterrâneos, temos a obrigação moral e política de a colocar à discussão na praça pública e posterior votação pelos nossos Conterrâneos.

 

 MS – A Guarda é um grande desafio interessante para o futuro?

SC – Eu não diria apenas interessante, mas sim desafiante e muito promissor.

A Guarda é um território que tem todas as potencialidades para vingar no contexto Nacional e Ibérico. Basta dar condições aos Guardenses e criar condições aos que aqui querem investir para que o desenvolvimento floresça.

Tenho o orgulho de ter contribuído para o seu desenvolvimento nestes últimos anos.

A Guarda está numa encruzilhada! Num momento crítico da sua história!

A “bazuca” europeia será a derradeira oportunidade para salvar a Guarda do destino do despovoamento e da atrofia económica a que o interior foi sujeito nestes últimos anos.

Nos últimos anos conseguiram-se projetar, candidatar e realizar obras que trouxeram à Guarda dezenas de milhões de euros.

O Plano de Recuperação e Resiliência trará em média o dobro dos recursos financeiros provenientes da União Europeia que Portugal usufruiu no presente Quadro de Apoio Financeiro Plurianual.

Esta “bazuca” ou “vitamina” é o derradeiro instrumento que pode alavancar o desenvolvimento da Guarda. Serão cerca de 15 mil milhões de euros em resiliência e transição climática e digital para Portugal. O desafio que teremos forçosamente de vencer será a capacidade de os utilizar, ou seja, a capacidade de concretização de projetos e investimentos.

Mas não podemos ser redutores. A capacidade de fazer obra não se pode reduzir apenas ao betão, o mais importante é sermos capazes de realizar obra na educação, na área social, na economia, na área da saúde, na área da cultura, na área desportiva.

Mobilizando os Guardenses, as nossas Instituições e todas as Associações que estão presentes diariamente no terreno e conhecem a nossa realidade.

 

 

MS – Hoje todo o Concelho desenvolveu e muito potencial tem para o futuro?

Aumentar o emprego e fixar a juventude é uma das prioridades

 

SC – O desenvolvimento da Guarda ainda não é suficiente. A Guarda tem potencial para conseguir muito mais na sua afirmação Regional e Nacional.

Os Guardenses são gente com ambição e desejam muito mais para o seu Concelho.

A nossa fronteira é a única região da Comunidade Europeia que não é um local de maior desenvolvimento, pelo contrário, tem sido sinónimo de empobrecimento e despovoamento.

É fundamental criar e implementar uma estratégia comum de desenvolvimento de toda a Raia Ibérica.

A Guarda poderá ser o laboratório desta nova estratégia, porque temos mercado.

A Guarda tem de se afirmar cada vez mais no Mapa Ibérico e Europeu da Distribuição e Logística.

A Cidade da Guarda conta hoje com uma forte presença de grandes unidades industriais e de logística/ distribuição, vocacionadas para a exportação, sendo dos maiores empregadores privados da Região.

Se aproveitarmos a localização estratégica da Guarda em relação ao País, 200 km ao Porto, Leixões e Valladolid, 150 km a Aveiro e Salamanca, 350 km a Lisboa, Madrid e Vigo e 600 km a Valência, bem como a proximidade à A23, A25 e IP2 a Norte, tal como as Linhas Férreas da Beira Alta e da Beira Baixa e as ligações rodoferroviárias a Espanha, teremos dado um enorme passo.

Estamos numa posição privilegiada que nos coloca numa proximidade ímpar ao mercado Espanhol.

A Comunidade de Castilha e Leon e a sua Capital Salamanca representam um mercado potencial de 2,5 milhões de pessoas segundo os censos de 2014.

E não falando da Comunidade de Madrid que são mais de 6,5 milhões de pessoas a apenas 350 Km da Guarda. Um verdadeiro Mar de Gente à beira da Guarda.

É aqui que tem de haver a concretização e desenvolvimento de um plano nacional de Plataformas Logísticas/ Portos Secos, a começar pela cidade da Guarda. E já tivemos boas notícias sobre o Porto Seco da Guarda. Mas a Guarda merece mais.

No Turismo é fundamental criar um novo acesso à Serra da Estrela a partir de Videmonte, a estrada de acesso ao maciço central, passando a Guarda a ser uma nova porta para a Serra, ajudando a fortalecer o nosso tecido empresarial, potencializando mais investimento no nosso Mundo Rural, aproveitando todas as infraestruturas já existentes ou em construção como os Passadiços do Mondego, a Ecovia do Noéme e outras a construir no futuro, os percursos pedestres, as Praias Fluviais, a boa Gastronomia, o Património Cultural e Religioso, as belas Paisagens e Miradouros, entre outros.

A ampliação da Plataforma Logística e do Parque Industrial da Guarda, bem como a criação de Áreas de Localização Empresarial no nosso Mundo Rural, primordiais para a fixação de pessoas nas nossas Aldeias e Vila, combatendo desta forma o despovoamento a que temos vindo a assistir continuamente nos últimos 20 anos.

Criando muito mais emprego e mais qualificado.

A Concretização da 3ª fase da VICEG, investimento tão desejado há décadas, muito importante nas acessibilidades à Cidade, encurtando a distância entre vários pontos do Concelho, a A25 e a A23, tal como no processo de descarbonização da Cidade da Guarda.

 

MS – A nível de emprego e fixar a juventude são pontos que devem ser prioridade para o futuro?

SC – Aumentar o emprego e fixar a Juventude serão sempre pontos fundamentais da nossa ação e estarão sempre nas nossas prioridades. Mas a Guarda, as suas Empresas e Instituições, começam a sentir a necessidade de atrair mais jovens qualificados para preencher as suas necessidades de oferta de emprego.

Isso só se consegue tornando o nosso Concelho atrativo, criando condições para que a nossa qualidade de vida seja uma mais-valia na possível escolha que uma família faça na decisão de escolher o nosso Concelho para aqui se fixar.

Temos de conseguir inverter a sangria de pessoas das últimas décadas. O despovoamento que a Guarda tem sofrido, tal como outros Concelhos do Interior de Portugal é o nosso derradeiro combate e objetivo fundamental dos próximos anos.

Temos de analisar com atenção e cuidado os próximos Censos e atuar em conformidade.

MS – Esta candidatura pela Guarda de forma Independente terá uma equipa forte para mobilizar a comunidade?

SC – A Guarda conhece-nos! Sabe que a nossa voz esteve sempre presente na defesa intransigente das reais necessidades dos Guardenses.

Na nossa intervenção política sempre afirmámos que a Guarda estaria sempre em primeiro lugar!

Os nossos Concidadãos sabem que continuaremos a defender a Guarda até que a voz nos doa, colocando sempre as Pessoas em primeiro lugar. Trabalharemos com todos e para todos.

Temos uma equipa motivada que já deu provas que Pela Guarda não desiste por muitas dificuldades ou tentativas de calar a nossa voz!

A nossa equipa conhece a Guarda e saberá aproveitar os nossos recursos e irá potenciar ainda mais as nossas virtualidades.

As milhares de mensagens de apoio que recebemos quando anunciámos a criação da Plataforma de Cidadãos Independentes assim o comprovam.

 

MS – Que mensagem deixa a toda a Comunidade Egitaniense nesta altura?

SC – Que dizemos SIM à Guarda. Que necessitamos da ajuda de todos os Guardenses para elevar a Guarda ao patamar que merece. Queremos que os Guardenses participem neste projeto e o considerem como seu. Queremos agregar! Queremos somar!

Todos são importantes! Todos fazem falta à Guarda!

Sérgio Costa apresentou a sua equipa e o seu projeto

A tarde deste sábado foi de apresentação da equipa de Sérgio Costa e da sua equipa à Câmara Municipal da Guarda,assim José Valbom, é o seu Mandatário.

Desta forma, José Rodrigues é o Mandatário da Juventude, Luísa Santos, Mandatária Financeira. José António é o Diretor de Campanha.Depois, António Júlio Aguiar, é o candidato a Presidente da Junta de Freguesia da Guarda.

Já José Relva, é o candidato a Presidente da Assembleia Municipal. depois na lista à Câmara existem Mulheres e aos Homens que o acompanham na lista:

7º- Rosária Santos – Dirigente do Sector Social

6º- António Pereira – Estudante Universitário

5 º- Diana Cruz e Sousa – Médica

4º- Rui Melo – Engenheiro

3 – Amélia Fernandes – Professora – Educação e Ação Social

2 – Diana Monteiro – Gestora Bancária – Economia e Finanças

Depois Sérgio Costa, deixou assim o seu projeto se for eleito com a sua equipa:

Saúde

Muitas têm sido as notícias negativas ao longo da última semana em

torno do nosso Hospital, com acusações entre partidos políticos, entre

Gestores Hospitalares, com promessas e mais promessas, mas até agora

nada.

Na Saúde estamos cansados de ver fugir os serviços e os seus

profissionais quer para o litoral, quer emigrando para a europa.

De ver continuamente o Estado Central a retirar os serviços públicos do

nosso Concelho e até mesmo algumas competências deixando-nos,

Cidadãos Portugueses, entregues a nós próprios.

De sentir na pele a sensação de abandono que o Estado Português nos

provoca todos os dias.

De ver por um “canudo” a tão propalada coesão territorial.

Esse Estado que devia tratar todos por igual e que progressivamente

nos deixa desamparados perante a fatalidade de ser da Guarda e estar

longe de Lisboa ou do litoral.

Vivemos num país cada vez mais desigual! Vivemos cada vez mais num

país injusto! Ler Mais »

Carlos Chaves Monteiro apresentou as suas ideias na inauguração da sede de candidatura

Aumentar o rendimento “per capita”
Aconteceu a inauguração da sede  da candidatura de Carlos Chaves Monteiro, ao Município da Guarda, situada em frente ao Jardim Municipal José de Lemos, na esquina da Rua Dr. Vasco Borges com a
Rua Alves Roçadas. “Aumentar o rendimento “per capita” dos guardenses é o objetivo do próximo mandato”
Foi com o arranque da semana temática “Mais e Melhor Investimento e Emprego” que Carlos Chaves Monteiro inaugurou a sua sede de candidatura no centro da Guarda. Manter a Guarda como o concelho do país com maior subida de rendimento dos trabalhadores é o objetivo. A conquista da nova unidade da SODECIA foi dada como exemplo da competência e da rapidez dos serviços camarários.
O principal objetivo de Carlos Chaves Monteiro para o próximo mandato na presidência da Câmara da Guarda é aumentar o rendimento “per capita” dos habitantes do concelho. O anúncio do candidato do PSD foi feito esta manhã na abertura da sede de campanha para as próximas eleições autárquicas, marcadas para 26 de setembro: a sede está localizada em frente ao Jardim Municipal José de Lemos, na esquina da Rua Dr. Vasco Borges com a Rua Alves Roçadas.
“Atrair investimento e criar novos empregos qualificados, como temos feitos nos últimos anos, corresponde à nova geração de políticas autárquicas que inauguramos
na Guarda em 2013”, afirma Carlos Chaves Monteiro. “Em todos os rankings nacionais a Guarda tem aparecido como um dos concelhos do país onde os rendimentos dos seus habitantes mais cresceu: segundo os dados do Pordata, entre 2010 e 2018 os trabalhadores por conta de outrem da Guarda foram os que registaram maior subida nos ganhos mensais, em primeiro lugar ex-aequo com Oliveira de Azeméis”.
A abertura da sede de campanha inaugurou a semana temática “Mais e Melhor Investimento e Emprego” da candidatura, ao longo da qual Carlos Chaves Monteiro
e os demais candidatos aos órgãos autárquicos do município da Guarda anunciarão as suas propostas para acelerar a economia do concelho e da cidade e criar novos
empregos. A semana contará com uma visita a empresas na Plataforma Logística, geral@maisemelhorguarda.pt | www.maisemelhorguarda.ptdurante a qual serão anunciadas medidas de apoio social aos trabalhadores e às suas famílias.
Será também realizada, na próxima quinta-feira 8 de julho, uma sessão dedicada aos fundos europeus e ao Plano de Recuperação e Resiliência – PRR, a chamada “bazuca europeia”. Nessa sessão irão intervir Joaquim Miranda Sarmento, Presidente do Conselho Estratégico Nacional do PSD, e o ex-deputado social-democrata António Leitão Amaro, antigo secretário de Estado da Administração Local.
“Não se pode perder a confiança que os investidores têm em nós!”
“Vamos multiplicar exemplos como o da SODECIA, cujo novo investimento para fornecer a Volkswagen em toda a Europa foi ganho pela Guarda em concorrência com outra cidade na República Checa, onde a SODECIA também tem uma fábrica”, afirma Carlos Chaves Monteiro. “Garantimos a esta multinacional 34 mil metros quadrados de terreno para colocarem na Guarda a sua nova unidade: vamos ceder esses terrenos através da celebração de uma escritura de direito de superfície”. Segundo o presidente, “foi a rapidez e a competência com que os serviços camarários trataram este dossier que permitirá a vinda para a Guarda, só em 2021, de 300 novos postos de trabalho altamente qualificados”.
Durante a sua intervenção na abertura da sede de campanha, o candidato a presidente da Câmara Municipal da Guarda e atual detentor do cargo recordou que, só nos últimos dois anos, a autarquia atraiu para a Guarda mais de 100 milhões de euros de investimento, os quais criaram mais de 500 novos empregos diretos.
“Agora – só neste ano de 2021 – conseguimos trazer para a Guarda investimentos que vão representar até ao final do ano mais de 900 postos de trabalho diretos, muito qualificados, em indústrias de tecnologias inovadoras”, afirma Carlos Chaves Monteiro. “O Porto Seco que vamos montar na Guarda também terá uma importância central neste aumento de competitividade empresarial da Guarda, uma vez que nele poderão passar a ser despachadas ou levantadas mercadorias com as mesmas facilidades logísticas, alfandegárias e fiscais oferecidas pelos portos do litoral”.
As novas fábricas do “cluster” da mobilidade elétrica que estão a ser montadas ao lado das multinacionais da indústria automóvel sediadas na Guarda foram também referidas pelo autarca, assim como a preparação pela Câmara da Guarda de uma Zona Económica Especial para atrair investimento. O candidato reiterou ainda o
apoio que será dado às novas gerações de agricultores no concelho para que transformem a atual agricultura nas freguesias numa agricultura empresarial, competitiva e lucrativa.
“É todo este movimento – é toda esta confiança que conseguimos gerar à volta do Município da Guarda – que não pode perder-se!”, afirma Carlos Chaves Monteiro, garantindo que a confiança que a atual liderança na Câmara da Guarda inspira nos investidores, nos empresários e nos jovens empreendedores se perderá com outros
partidos. “Se acaso não estivéssemos à frente da autarquia, todo este investimento, todo este emprego, toda esta dinâmica económica e social se perderia! Não haveria nem ‘cluster automóvel’, nem Porto Seco, nem fábricas de mobilidade elétrica, nem 3ª fase da Plataforma Logística”, afirma o candidato.