Templates by BIGtheme NET
Início » Tag Archives: ccdrc

Tag Archives: ccdrc

Região Centro reforça projetos municipais com 50 milhões de euros

Foram aprovadas pelo Programa Centro 2020 , 111 candidaturas nas áreas da regeneração urbana, educação, formação e capacitação, saúde, património (natural e cultural) e áreas empresariais, que representam uma comparticipação de fundos europeus de 36,7 milhões de euros, e reforçou o financiamento em 76 candidaturas já anteriormente aprovadas num montante de 13,8 milhões de euros.

Estes projetos, enquadrados na contratualização com as Comunidades Intermunicipais e em avisos de concurso abertos pela autoridade de gestão, são uma resposta do Centro 2020 à necessidade de estimular o investimento público, relevante para a retoma económica e social, tendo em conta o contexto provocado pela pandemia COVID-19.

Isabel Damasceno, Presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDRC), explica que “os apoios concedidos, que se destinam a investimentos em edifícios escolares, centros de saúde, monumentos classificados, formação nas autarquias, intervenção em espaço público, são determinantes para qualificar os territórios, dotando-os de infraestruturas e projetos que melhoram os serviços à disposição das populações. Foram assim alocados mais recursos a áreas prioritárias, como a regeneração urbana com mais 17,7 milhões de euros, a formação e capacitação com mais 9,1 milhões de euros, a educação com mais 7,7 milhões de euros, a saúde com mais 1,4 milhões de euros ou património cultural e natural com mais 7,3 milhões de euros. O reforço de financiamento em projetos aprovados de 13,8 milhões de euros significa um reforço da liquidez dos municípios, uma vez que estamos a criar condições para acelerar a execução dos projetos em curso”.

São beneficiários destes apoios os Municípios (em rede ou parceria), as Comunidades Intermunicipais, e outras entidades previstas na contratualização com as Comunidades Intermunicipais.

Em anexo a lista dos projetos aprovados

Lista Projetos Municípios

 

CCDRC homenageia Empresas Gazela da região Centro

A Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDRC) vai promover, no dia 1 de julho, às 17:00 horas, na Praça do Município, em Aveiro, a cerimónia de homenagem às Empresas Gazela 2020. Esta sessão conta com a presença da Ministra da Coesão Territorial, Ana Abrunhosa.

 Programa

17:00 Sessão de Abertura

Presidente da Câmara Municipal de Aveiro, José Ribau Esteves

Presidente da CCDRC, Isabel Damasceno

17:30 Entrega de Galardão Empresas Gazela 2020

18:15 Momento Cultural

18:30 Entrega de Galardão Empresas Gazela 2020

19:15 Sessão de Encerramento

Ministra da Coesão Territorial​, Ana Abrunhosa

Aplicação inCENTRO vai ser apresentada pela CCDR Centro

A Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDRC) apresenta nesta quinta-feira, dia 8 de outubro, a aplicação inCENTRO, uma ferramenta digital que visa contribuir para a captação de iniciativas de investimento territorial nos municípios que compõem a região Centro.

Esta ferramenta, que pode ser consultada em http://incentro.ccdrc.pt/, reúne a diversidade de oferta relativa às condições para a instalação das empresas e o leque de benefícios fiscais, financeiros, e sociais, disponibilizados pelos municípios para atrair novas famílias e fixar as residentes, sobretudo nos territórios mais desfavorecidos.

De acordo com Isabel Damasceno, presidente da CCDRC, “a aplicação inCENTRO disponibiliza as múltiplas e diversificadas iniciativas, desenvolvidas pelas autarquias, para atrair investimento e população aos seus territórios. O objetivo é não só divulgar estas boas práticas, mas também que as autarquias se inspirem umas nas outras para encontrarem novas formas de incentivos. Procuramos ser um parceiro das autarquias no esforço de disponibilização de informação sobre as suas áreas de acolhimento empresarial”.

A apresentação da inCENTRO será feita num webinar, às 10.30h, que conta com a participação do Secretário de Estado do Desenvolvimento Regional, Carlos Miguel. O webinar é aberto a todos os interessados em https://www.veedeeo.me/veedeeoBroadcast?vn=62704373

A aplicação inCENTRO está estruturada em três grandes áreas:

Incentivos Locais (às empresas e às famílias)

Estão disponíveis os benefícios fiscais e financeiros que cada município concede na área territorial da sua influência. Podem ser consultadas as taxas fiscais municipais aplicadas, as suas reduções, isenções e os benefícios financeiros. Possui ainda uma ferramenta comparativa dos incentivos disponíveis nos vários municípios.

 Acolhimento Empresarial

Apresentação geográfica das áreas de acolhimento empresarial, com a informação mais relevante sobre as suas localizações, características e disponibilidades. Constam da aplicação cerca de 365 áreas de acolhimento empresarial, que apresentam cerca de 10 000 lotes, dos quais estão disponíveis cerca de 2 000. A região Centro possui mais de 12.000 hectares de espaços para acolhimento de empresas de grande, média e pequena dimensão.

Caracterização Territorial

Os dados estatísticos são provenientes da plataforma DataCentro, cujo sistema de monitorização e avaliação da situação da região Centro integra mais de 1.000 indicadores estatísticos de diferentes fontes de informação, que podem ser conjugados à medida das necessidades do utilizador.

Plataforma digital de Boas Práticas de Envelhecimento Ativo e Saudável lançada pela CCDR Centro

Uma nova plataforma digital de Boas Práticas de Envelhecimento Ativo e Saudável foi lançada pela Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro ldisponível em http://envelhecimentoaocentro.ccdrc.pt .

Apresenta um catálogo com a compilação de 247 boas práticas promovidas por atores da região, que se candidataram às três edições do “Prémio de Boas Práticas em Envelhecimento Ativo e Saudável na Região Centro”. Tem como principal objetivo promover o conhecimento dos projetos ou iniciativas de boas práticas de envelhecimento ativo e saudável na Região Centro, bem como induzir novos projetos e novas parcerias nesta área.

As 247 boas práticas, que envolvem 238 promotores e 962 parceiros, estão distribuídas por três categorias: Conhecimento+ (23), Saúde+ (79) e Vida+ (145). Por área temática, destacam-se as iniciativas ou projetos multidisciplinares (20%), de atividade física (15%), de estimulação (11%), de inclusão social (9%), de cuidados de saúde (9%) e intergeracionais (8%).

Cada ficha dispõe de informação sobre a descrição da boa prática, metas e resultados, identificação dos promotores e dos parceiros, localização dos promotores e área de abrangência, organizando-se por categoria e área temática.

O catálogo permite as funcionalidades de pesquisa por categoria, área temática, geografia, promotores e parceiros, facilitando a consulta da base de dados. Permite ainda a sua divulgação por Facebook, Twitter e via e-mail, podendo as boas práticas ser exportadas em vários formatos digitais.

TMG recebe IX Jornadas de Enoturismo em dezembro

Teve lugar, no Solar do Vinho da Beira Interior na Guarda, a apresentação das IX Jornadas de Enoturismo da Região Centro que vão decorrer nos dias 4,5 e 6 de dezembro no Teatro Municipal da Guarda.

Rodolfo Queirós referiu ” É um projeto que não é só da Comissão Vitivinícola da Beira Interior, tem também como parceiros as outras quatro CVR’s, nomeadamente a Bairrada, o Dão, o Tejo e Lisboa, tem ainda a CCDRCentro, o Turismo Centro de Portugal e a Escola de Hotelaria e Turismo de Coimbra.”

Este evento é financiado pelo programa: Valorizar o Interior do Turismo de Portugal,com participação gratuita, estas Jornadas destinam-se a todos os interessados, sobretudo aos agentes que de forma direta ou indireta centram a sua atividade no Enoturismo.

“Este projeto das Jornadas do Enoturismo é um projeto que já vai na sua nona edição, aqui na Beira Interior é a segunda vez que nos toca a nós organizar, a última vez creio que em 2013.”salientou  o Presidente da CVR da Beira Interior.

Do programa consta: no dia 4 haverá um jantar de receção para as entidades convidadas para esse efeito.

Nestes três dias vão ser cerca de 28 horas onde se vai debater o Enoturismo , vão estar 2 oradoras internacionais, 10 oradores nacionais e ainda 4 moderadores. Já se encontram inscritos 120 participantes.

Serão debatidos os seguintes temas: a importância das rotas enoturísticas, boas práticas internacionais, a investigação e a tecnologia e ainda o território e a autenticidade como os principais ativos dos territórios.

 

                                                               Abertura da Loja da CVR da Beira Interior

No dia 5, vai ter lugar a Sessão de Abertura, seguido de dois painéis: “Somos mais em união” e “O Mundo também nos inspira”.

Depois do almoço que vai ser no Café Concerto do TMG, terá lugar uma das grandes novidades a inauguração da loja da Rota dos Vinhos da Beira Interior.

Acontecerá nessa hora a assinatura de  protocolos para a criação da  Rota do Vinho da  Beira Interior  com diversos Municípios.

O Projeto vai chamar-se a Rota dos Vinhos da Beira Interior.

“Projeto que é ambicioso, estamos um bocadinho expectantes como vai ser o feedback dos nossos visitantes à nossa loja, a loja vai ser ponto de partida para a Rota, portanto a partir da loja, terá uma loja física de provas e de vinhos para o público mas será também um local de informação onde o turista, neste caso, o Enoturista possa dizer assim: eu gostava de ir visitar uma adega, ir dormir a um determinado hotel, e ir comer a um determinado restaurante e nós termos circuitos feitos digamos assim à medida de cada um. “acrescentou Rodolfo Queirós.

Segue-se a Visita Técnica à Adega 23  (Vila Velha de Ródão).

No 2º dia, seguem-se os painéis no período da manhã, com o tema: “O Futuro no Presente” e “A riqueza está no Interior”, neste último tema vão marcar presença alguns artesãos da região.

Depois do almoço, terá lugar a Visita Técnica, à Adega Beyra, à aldeia de Castelo Rodrigo e Adega Cooperativa de Figueira de Castelo Rodrigo.

Programa IX Jornadas de Enoturismo

A CCDR Centro assinou um protocolo com 14 entidades regionais

Foi assinado pela CCDR Centro , um protocolo com 14 entidades regionais para um projeto piloto que visa incrementar a circularidade nas compras públicas. As compras públicas circulares apresentam-se como um processo que permite às entidades públicas adquirir produtos, bens e serviços que tenham um impacto ambiental reduzido, procurando a diminuição de consumos de energia e materiais, evitando os impactos negativos e a produção de resíduos ao longo de todo o ciclo de vida.

Trata-se de um projeto inspirado nos Green Deals desenvolvidos na Holanda e que se inscreve na Agenda Regional de Economia Circular do Centro. O projeto conta com o apoio de uma equipa de peritos em compras públicas circulares pertencentes ao Ministério das Infraestruturas e Gestão da Água do Governo Holandês e será objeto de atenção por parte de consultores da OCDE, no contexto de uma ação piloto de Compras Públicas Estratégicas promovido pela Comissão Europeia.

Obras para a requalificação urbana vão ser feitas em Nelas

0nelas1A Câmara Municipal de Nelas contratualizou com a CCDRC a possibilidade de realização de obras de reabilitação urbana da sua zona histórica, obras essas que terão um orçamento total de 3,3 milhões de euros no período 2016-2021, sendo que até maio de 2017 terão que ser apresentados os projetos concretos para obras no valor de 1,5 milhões de euros, sendo 1,2 milhões de euros de fundos comunitários.

Estas operações de reabilitação urbana, que por decisão exclusiva da CCDRC só podem ter lugar nas sedes de concelho, foram aprovadas em reunião de Câmara em termos de projeto global, sendo que as intervenções terão lugar na requalificação das 4 Esquinas (com um custo previsto aproximado de 100 mil euros), na requalificação do Largo da Estação (70 mil euros), na requalificação da Av. António Joaquim Henriques (150 mil euros), na requalificação do Largo dos Bombeiros Voluntários (70 mil euros), na requalificação da Praça do Município e espaço envolvente (640 mil euros) e na reabilitação e modernização da Praça da Igreja Matriz (com 540 mil euros).

Numa segunda fase, em termos de reprogramação e reforço de verbas, está contratada a requalificação do Cine-Teatro para Casa das Artes, num investimento de 1, 4 milhões de euros e a requalificação do espaço envolvente ao mesmo Cine-Teatro no valor de 360 mil euros.

O projeto da obra de requalificação das 4 Esquinas, em Nelas, foi hoje aprovado em reunião de Câmara, permitindo o arranque da obra ainda durante o ano de 2016 como acelerador de investimento de montante equivalente a 10%, ou seja, mais de 120 mil euros, e será concretizado nos próximos 3 meses, particularmente com a requalificação ao nível do pavimento, da mobilidade, da iluminação, da arborização, entre outras alterações, melhoramentos que visam constituir motivo de atração dos munícipes para o centro histórico de Nelas e na perspectiva da construção de uma praça que seja um elo de ligação entre a Câmara Municipal, a Rua Gago Coutinho, a futura Loja do Cidadão (a edificar nas instalações da antiga Conservatória, junto ao Tribunal) e a Av. Abel Pais Cabral, o Largo dos Bombeiros Voluntários e a intersecção entre o Largo da Estação, a Av. António Joaquim Henriques e a sua ligação à Quinta do Pomar.

Estas intervenções serão acompanhadas por contentores de lixo seletivo e corrente enterrados, processos também financiados por fundos europeus.

Além destas intervenções, estão ainda em análise por via da Comunidade Intermunicipal Viseu Dão-Lafões para investimentos ao nível da mobilidade, sinalização, percursos pedestres e cicláveis, bem como investimentos ao nível da inclusão social, estando no pacto celebrado naquela CIM verbas superiores a 500 mil euros para matérias desta natureza.

Neste ano de 2016 e no ano de 2017, sem prejuízo de outras intervenções de reabilitação urbana serão realizadas nas freguesias com outras verbas de fundos comunitários e com verbas do orçamento municipal, bem com obras decorrentes das compensações da não construção da Barragem de Girabolhos, ao nível da reabilitação urbana Nelas vai certamente tornar-se uma vila urbana, atrativa e que corresponda à excelência da sua componente empresarial – industrial, comercial, turística e agrícola-, bem como à excelência do seu tecido social.

Por:Mun.Nelas

 

Autarquias do centro reuniram com Ministra Maria Manuel Leitão Marques

A Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (ccd) reuniu o Conselho Regional na passada sexta-feira (dia 08 de julho), na Batalha. A reunião, presidida por João Azevedo, Presidente do Conselho Regional da CCDRC e Presidente da Câmara Municipal de Mangualde, contou com a presença da Ministra da Presidência e da Modernização Administrativa, Maria Manuel Leitão Marques.

 No Conselho Regional foram abordados o ponto de situação do Programa Operacional Regional Centro 2020, as medidas de aceleração do investimento autárquico e o Programa Simplex + 2016.

Por:Mun.Mangualde

Programa operacional Centro 2020 foi apresentado em Mangualde

    O novo programa operacional Centro 2020 foi apresentado na Biblioteca Municipal Dr. Alexandre Alves de Mangualde, perante uma plateia que compareceu em grande numero.

   Para dar as boas vindas aos presentes, o presidente do Município de Mangualde, João Azevedo, que estava satisfeito, por um numero tão elevado de pessoas terem comparecido.
Seguiu-se a palestra de Ana Abrunhosa, presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro, que explicou de forma clara, como todo este processo vai decorrer e os prós e contras de tudo isto.
(Em atualização)

Região Centro aposta na eficiência energética e na descarbonização

Região Centro aposta na eficiência energética e na descarbonização
Fotografia © Filipe Pinto / Global Imagens

  A
presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do
Centro (CCDRC), Ana Abrunhosa, defendeu esta quarta-feira a necessidade
de promover a eficiência energética e a descarbonização na região nos
próximos anos.

“A eficiência
energética, a descarbonização e a utilização de fontes renováveis de
energia são prioridades regionais, alinhadas com prioridades nacionais e
europeias”
, afirmou Ana Abrunhosa no lançamento da Rede de
Inovação e Tecnologia em Energia (RITE), cerimónia que teve lugar no
auditório da CCDRC, em Coimbra.

  A Região Centro “é muito bem
dotada em recursos energéticos, nomeadamente relacionados com as
energias renováveis”, nas áreas hídrica, eólica e solar, bem como ao
nível dos oceanos, geotermia, biomassa, biogás e biocombustíveis,
salientou.
Na sua opinião, a administração pública deve liderar o
processo com vista a aumentar a eficiência energética e “dar o exemplo
através do reforço da otimização dos consumos” de energia.
“A
eficiência energética deve ser encarada, no futuro, com maior vigor em
todos os contextos: doméstico, industrial, transportes, edifícios e
espaços públicos”
, acrescentou.
   Em declarações à agência
Lusa, a economista e docente universitária realçou a importância dos
fundos europeus da programação financeira Portugal 2020 para impulsionar
soluções e projetos “que transformem os comportamentos” de cidadãos,
empresas, outras entidades privadas e públicas no sentido de conseguir
uma melhor eficiência no uso da energia.

  Aliás, segundo Ana Abrunhosa, cabe às comissões de Coordenação e Desenvolvimento Regional a realização de iniciativas que visem “a sensibilização ambiental” da população, incluindo através das escolas.
“O
estímulo à criação de redes colaborativas e inovadoras entre agentes
relevantes da região Centro corresponde a uma prioridade da CCDRC”,
sublinhou.
   Na sessão de apresentação da RITE, usaram também da
palavra Borges Gouveia e Teresa Bertrand, presidente da Associação das
Agências de Energia e Ambiente (RNAE) e do EnergyIn – Polo de
Competitividade e Tecnologia da Energia, respetivamente, seguindo-se
várias comunicações ao longo da tarde.
  Organizadoras do encontro, a
RNAE e o EnergyIn promovem a RITE, enquanto rede colaborativa na área
da energia em Portugal, para “potenciar sinergias entre empresas e
entidades de investigação e desenvolver o setor, estimulando a
competitividade empresarial, das regiões e do país”.
  A rede prevê
criar projetos inovadores e de base tecnológica, promover a
descarbonização dos territórios e o crescimento económico nos planos
local, regional e nacional.
Fonte:DN