Templates by BIGtheme NET
Início » Tag Archives: chuva

Tag Archives: chuva

Chuva intensa e vento forte provocam cheias

Assim vai a realidade por todo Portugal, com a muita quantidade de chuva e fortes rajadas de chuva têm provocado muitas cheias, rios e ribeiras a transbordar. Alguns acidentes aconteceram, quedas de muros e árvores um pouco por toda a parte.

Nas fotos em anexo, verifica-se o grande caudal de água na Ribeira da Matança e Rio Mondego em Fornos de Algodres.

Desta forma, os próximos dias são idênticos com muita precipitação, ao que se aconselha precaução aos automobilistas e aos agricultores no amanho das terras dados que tudo vai ficando alagado aos poucos.

fotos:DR

ANEPC- Chuvas e ventos fortes para os próximos dias

Na sequência da decisão do Centro de Coordenação Operacional Nacional de elevar o nível do estado de alerta especial para o Dispositivo Integrado de Operações de Proteção e Socorro (o qual representa um maior nível de prontidão e mobilização das estruturas, forças e unidades de proteção e socorro), a ANEPC emitiu um aviso por SMS destinado a informar os cidadãos acerca das condições meteorológicas adversas (em especial chuva e vento forte) que se irão verificar nos próximos dias.

O recurso a este sistema de aviso está previsto no Decreto-Lei nº 2/2019, de 11 de janeiro, o qual instituiu o Sistema Nacional de Monitorização e Comunicação de Risco, de Alerta Especial e de Aviso à População. A mensagem de aviso é emitida com o remetente AvisoPROCIV e inclui a referência a um número de atendimento da ANEPC (800 246 246, acessível até à meia-noite de hoje), através do qual os cidadãos poderão esclarecer as suas dúvidas, caso necessitem.

Depressão Bárbara traz mau tempo a Portugal

Depois de muitos dias de sol, eis que chega a Portugal a depressão Bárbara que segundo a página do IPMA, os distritos de Viseu, Porto, Guarda, Vila Real, Setúbal, Santarém, Viana do Castelo, Lisboa, Leiria, Castelo Branco, Aveiro, Coimbra e Braga estão sob aviso amarelo devido ao vento forte, a partir das 12h e até às 21h.

Vão acontecer períodos de chuva por vezes forte e persistente esperado a partir das 15h na maioria dos distritos portugueses.

Proteção Civil emite alerta de mau tempo

No seguimento do contato com o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) realizado nesta terça-feira, 13 de Março, pelo Comando Nacional de Operações de Socorro (CNOS) da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), prevê-se, para amanhã, 14MAR18, o agravamento das condições meteorológicas, com ocorrência de precipitação, intensificação do vento, queda de neve e agitação marítima (em toda a orla costeira):
  • quarta-feira (14MAR) prevê-se a ocorrência de precipitação, vento forte (ao longo do dia) e queda de neve a partir da cota dos 1800 metros, diminuindo (a partir da tarde) para a cota dos 1000 metros, nas regiões Centro e Norte.
  • A precipitação acumulada poderá atingir 30 mm entre as 00:00 e as 12:00 e 40 mm nas 12 horas seguintes, especialmente a Norte do Tejo.
  • O vento pode atingir rajadas máximas de 100 km/h, podendo ser pontualmente superior nas zonas mais expostas e/ou elevadas.
  • Amanhã (14MAR) espera-se agitação marítima forte, estando previsto que, a partir das 15:00, as ondas sejam de oeste/noroeste e atinjam uma altura de 4 a 5 metros (em toda a costa), situação que se poderá prolongar até à manhã do dia 16MAR (sexta-feira).
Acompanhe as previsões meteorológicas em www.ipma.pt
2. EFEITOS EXPECTÁVEIS
Face à situação descrita, poderão ocorrer os seguintes efeitos:
· Piso rodoviário escorregadio e eventual formação de lençóis de água e gelo;
· Possibilidade de cheias rápidas em meio urbano, devido a acumulação de águas pluviais ou insuficiências dos sistemas de drenagem;
· Possibilidade de inundação por transbordo de linhas de água nas zonas mais vulneráveis;
· Inundações de estruturas urbanas subterrâneas com deficiências de drenagem;
· Danos em estruturas montadas ou suspensas;
· Dificuldades de drenagem em sistemas urbanos, nomeadamente as verificadas em períodos de preia-mar, podendo causar inundações nos locais mais vulneráveis;
· Possibilidade de queda de ramos ou árvores em virtude de vento mais forte;
· Possíveis acidentes na orla costeira;
· Fenómenos geomorfológicos originados por instabilidade de vertentes devido à perda da consistência por saturação dos solos em água;
· Obstrução de vias de circulação por queda de árvores, deslizamento ou desabamento de terras, pedras ou outras estruturas;
3. MEDIDAS PREVENTIVAS
A ANPC recorda a necessidade de serem adotados comportamentos adequados, designadamente nas zonas mais vulneráveis, pelo que se divulgam as principais medidas de autoproteção para estas situações:
· Garantir a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirar inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criarem obstáculos ao livre escoamento das águas;
· Adotar uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a possível acumulação de neve e formação de lençóis de água nas vias;
· Colocar correntes de neve nas viaturas sempre que se circular em áreas cobertas por neve e/ou gelo;
· Evitar atravessar zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas e/ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas;
· Garantir a adequada fixação de estruturas soltas, nomeadamente andaimes, placards e outras estruturas suspensas;
· Ter especial cuidado na circulação e permanência junto a áreas arborizadas, mantendo atenção à possibilidade de queda de ramos e árvores em virtude de vento forte;
· Ter especial cuidado na circulação junto da orla costeira e zonas ribeirinhas mais vulneráveis a galgamentos costeiros, evitando a circulação e permanência nestes locais;
· Não praticar atividades relacionadas com o mar, nomeadamente pesca desportiva, desportos náuticos e passeios à beira-mar, evitando o estacionamento de veículos muito próximos da orla marítima;
· Evitar a circulação e permanência nas terras altas onde as rajadas de vento sejam fortes ou muito fortes;
· Manter-se atento às informações da meteorologia e às indicações da Proteção Civil e Forças de Segurança.
Por:ANPC

Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) alerta para chuva , vento e neve

anpcNo seguimento do contacto com o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA), realizado hoje pelo Comando Nacional de Operações de Socorro (CNOS) da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), de acordo com a informação meteorológica disponibilizada pelo IPMA salienta-se, para os próximos dias, a probabilidade de ocorrência:
  • Aguaceiros pontualmente fortes, podendo ser de granizo, acompanhados de trovoada, que afetarão sobretudo as regiões do Centro e Sul do país, durante o dia de hoje, e o Norte e Centro, durante o dia de amanhã;
  • Vento a soprar forte no litoral e nas terras altas, com rajadas da ordem dos 70 e 90 Km/h, respetivamente. Não são de excluir eventuais fenómenos extremos de vento a acompanharem o agravamento da instabilidade durante o dia de amanhã;
  • Queda de neve acima dos 1000/1400m nas regiões do Norte e Centro.
Para mais informações sobre a evolução da situação meteorológica acompanhe as previsões em: www.ipma.pt
2. EFEITOS EXPECTÁVEIS
Face à situação acima descrita podem ocorrer os seguintes efeitos:
  • Condicionamento e/ou encerramento de vias de circulação devido à queda de neve;
  • Piso rodoviário escorregadio e eventual formação de lençóis de água e de gelo;
  • Danos em estruturas montadas ou suspensas;
  • Possibilidade de queda de ramos ou árvores em virtude de vento mais forte;
  • Possíveis acidentes na orla costeira;
3. MEDIDAS PREVENTIVAS
A ANPC recorda que o eventual impacto destes efeitos pode ser minimizado através da adoção de comportamentos adequados, pelo que, e em particular nas zonas historicamente mais vulneráveis, se recomenda a observação e divulgação das principais medidas de autoproteção para estas situações, nomeadamente:
  • Adotar uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a possível formação de lençóis de água e de gelo nas vias rodoviárias;
  • Transportar e colocar correntes de neve nas viaturas sempre que se circular em áreas atingidas pela queda de neve;
  • Garantir uma adequada fixação de estruturas que possam estar soltas, nomeadamente andaimes, placards e outras estruturas suspensas;
  • Ter especial cuidado na circulação e permanência junto de áreas arborizadas, prestando atenção para a possibilidade de queda de ramos ou árvores em virtude de vento mais forte;
  • Circular com cuidado junto à orla costeira e não praticar atividades relacionadas com o mar, nomeadamente pesca desportiva e desportos náuticos, além de evitar o estacionamento de veículos na orla marítima;
  • Estar atento às informações da meteorologia e às indicações da proteção civil e forças de segurança;
  • Seguir escrupulosamente todas as indicações dadas pelas autoridades policiais, nomeadamente no que concerne ao respeito pelos cortes de estrada, percursos alternativos, sinalização viária e outras informações;
  • Evitar comportamentos de risco que possam originar acidentes.

Por: ANPC

Vanda Ribeiro e Leandro Moura vencem 1ªedição da Corrida Noturna do Noticias de Gouveia/ABPG

0corrida A noite desta sexta-feira foi de muita chuva, mas a 1ªedição da Corrida Noturna do Noticias de Gouveia/ABPG, saiu para a estrada, com cerca de duas centenas e meia de inscritos, o mau mau tempo afastou alguns , mas ainda assim estiveram presentes cerca de centena e meia de participantes de diversas idades.

A caminhada foi a primeira investida, onde os caminheiros percorreram 3kms, dentro da cidade, o ponto alto seguiu-se,  com a corrida a ter inicio, frente aos Paços do Município de Gouveia, com todos os atletas a mostrar vontade de levar a prova até final.

Foram assim seis kms interessantes, com todos a impor um ritmo aceitável.

Face às condições adversas , a população pouco saiu à rua , tirando os mais destemidos.

A vitória viria a ser construida e realizada pela Vanda Ribeiro no setor feminino, uma atleta muito experiente e gouveense, Leandro Moura venceu no setor Masculino.

Apesar de ser a 1ªedição, o balanço foi positivo,  com Liliana Carona, a mostrar-se satisfeita com a grande adesão, mas também pelo esforço de todos que tornaram possível a prova , assim como a todos atletas que foram uns lutadores.

Pode dizer-se que este o foi o inicio da realização de grandes eventos por parte da parceria, Notícias de Gouveia e ABPJ.

Mas de salientar também o belo trabalho realizado pela equipa escalada da Associação de Atletismo da Guarda, que cronometrou toda a prova.

Agora esta foi uma foi homenagem a todos quantos contribuem  para o desenvolvimento do atletismo nas regiões serranas.

Por:António Pacheco

Proteção Civil alerta para mau tempo neste fim de semana

AVISO À POPULAÇÃO

proteção civil

PRECIPITAÇÃO E VENTO FORTE – MEDIDAS PREVENTIVAS

1. SITUAÇÃO

No seguimento do contacto com o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) realizado hoje, dia 16 de outubro, no Comando Nacional de Operações de Socorro (CNOS) da Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC), salienta-se para o período entre sábado (17 outubro1

5) e segunda-feira (19 outubro15):

  • Precipitação pontualmente intensa com acumulados que poderão chegar os 60mm/12h, incidindo inicialmente nas regiões Litoral Centro e Sul e gradualmente estendendo-se a todo o território;
  • Vento moderado a forte de quadrante Sul (30-50km/h) com rajadas que poderão chegar aos 70km/h, Nas terras altas soprará com intensidade a variar entre os 50-70km/h, possibilidade de ocorrência de rajadas que poderão atingir os 120km/h;

 

Acompanhe as previsões meteorológicas em www.ipma.pt

 

2. EFEITOS EXPECTÁVEIS

 

Face à situação acima descrita, poderão ocorrer os seguintes efeitos:

  • Piso rodoviário escorregadio e eventual formação de lençóis de água;
  • Possibilidade de cheias rápidas em meio urbano, por acumulação de águas pluviais ou insuficiências dos sistemas de drenagem;
  • Possibilidade de inundação por transbordo de linhas de água nas zonas historicamente mais vulneráveis;
  • Inundações de estruturas urbanas subterrâneas com deficiências de drenagem;
  • Danos em estruturas montadas ou suspensas;
  • Possibilidade de queda de ramos ou árvores em virtude de vento mais forte;

3. MEDIDAS PREVENTIVAS

 

A ANPC recorda que o eventual impacto destes efeitos pode ser minimizado, sobretudo através da adoção de comportamentos adequados, pelo que, e em particular nas zonas historicamente mais vulneráveis, se recomenda a observação e divulgação das principais medidas de autoproteção para estas situações, nomeadamente:

 

  • Garantir a desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos ao livre escoamento das águas;
  • Adotar uma condução defensiva, reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a possível acumulação de neve e formação de lençóis de água nas vias;
  • Não atravessar zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas;
  • Garantir uma adequada fixação de estruturas soltas, nomeadamente, andaimes, placards e outras estruturas suspensas;
  • Ter especial cuidado na circulação e permanência junto de áreas arborizadas, estando atento para a possibilidade de queda de ramos e árvores, em virtude de vento mais forte;
  • Ter especial cuidado na circulação junto da orla costeira e zonas ribeirinhas historicamente mais vulneráveis a galgamentos costeiros, evitando se possível a circulação e permanência nestes locais;
  • Não praticar atividades relacionadas com o mar, nomeadamente pesca desportiva, desportos náuticos e passeios à beira-mar, evitando ainda o estacionamento de veículos na orla marítima;
  • Estar atento às informações da meteorologia e às indicações da Proteção Civil e Forças de Segurança.

Por:ANPC

Proteção Civil alerta o País para o mau tempo para domingo e segunda-feira

AVISO À POPULAÇÃO – PRECIPITAÇÃO E VENTO FORTE
1. SITUAÇÃO

No
seguimento do contacto com o Instituto Português do Mar e da Atmosfera
(IPMA) realizado dia 2 de outubro, no Comando Nacional de
Operações de Socorro (CNOS) da Autoridade Nacional de Proteção Civil
(ANPC), salienta-se para o período entre domingo (04OUT15) e
segunda-feira (05OUT15):

  • Precipitação
    pontualmente intensa com acumulados que poderão chegar os 30mm/12h,
    incidindo inicialmente nas regiões Norte e Centro e estendendo-se a todo
    o território durante o restante período;
  • Vento forte de
    Sudoeste (40-60km/h) na generalidade do território, podendo chegar aos
    100km/h, nas terras altas. Possibilidade de ocorrência de rajadas que
    poderão atingir os 120km/h;
  • Condições para a ocorrência de fenómenos extremos de vento e precipitação durante este período.

Acompanhe as previsões meteorológicas em www.ipma.pt

2. EFEITOS EXPECTÁVEIS

Face à situação acima descrita, poderão ocorrer os seguintes efeitos:

  • Piso rodoviário escorregadio e eventual formação de lençóis de água;
  • Possibilidade de cheias rápidas em meio urbano, por acumulação de águas pluviais ou insuficiências dos sistemas de drenagem;
  • Possibilidade de inundação por transbordo de linhas de água nas zonas historicamente mais vulneráveis;
  • Inundações de estruturas urbanas subterrâneas com deficiências de drenagem;
  • Danos em estruturas montadas ou suspensas,
  • Possibilidade de queda de ramos ou árvores em virtude de vento mais forte.

3. MEDIDAS PREVENTIVAS

A
ANPC recorda que o eventual impacto destes efeitos pode ser minimizado,
sobretudo através da adoção de comportamentos adequados, pelo que, e em
particular nas zonas historicamente mais vulneráveis, se recomenda a
observação e divulgação das principais medidas de autoproteção para
estas situações, nomeadamente:

  • Garantir a
    desobstrução dos sistemas de escoamento das águas pluviais e retirada de
    inertes e outros objetos que possam ser arrastados ou criem obstáculos
    ao livre escoamento das águas;
  • Adotar uma condução defensiva,
    reduzindo a velocidade e tendo especial cuidado com a possível
    acumulação de neve e formação de lençóis de água nas vias;
  • Não
    atravessar zonas inundadas, de modo a precaver o arrastamento de pessoas
    ou viaturas para buracos no pavimento ou caixas de esgoto abertas;
  • Garantir uma adequada fixação de estruturas soltas, nomeadamente, andaimes, placards e outras estruturas suspensas;
  • Ter
    especial cuidado na circulação e permanência junto de áreas
    arborizadas, estando atento para a possibilidade de queda de ramos e
    árvores, em virtude de vento mais forte;
  • Ter especial cuidado na
    circulação junto da orla costeira e zonas ribeirinhas historicamente
    mais vulneráveis a galgamentos costeiros, evitando se possível a
    circulação e permanência nestes locais;
  • Não praticar atividades
    relacionadas com o mar, nomeadamente pesca desportiva, desportos
    náuticos e passeios à beira-mar, evitando ainda o estacionamento de
    veículos na orla marítima,
  • Estar atento às informações da meteorologia e às indicações da Proteção Civil e Forças de Segurança.

Por: ANPC

Chegou o Outono

Numa manhã de sol chegou o outono a Portugal,
O outono é a estação do ano que sucede ao Verão e antecede o Inverno. É caracterizado por queda na temperatura, e pelo amarelar e início da queda das folhas das árvores, que indica a passagem de estações (excepto nas regiões próximas ao equador).

O Outono do hemisfério norte é chamado de “Outono boreal”, e o do hemisfério sul é chamado de “Outono austral”. O “Outono boreal” tem início, no hemisfério norte, a 22 ou 23 de Setembro e termina a 21 ou 22 de Dezembro. O “Outono austral” tem início, no hemisfério sul, a 20 de Março e termina a 20 ou 21 de Junho.

Por:Wikipédia