Início » Tag Archives: cogumelos

Tag Archives: cogumelos

Aguiar da Beira-Conselhos de Colheita de Cogumelos Silvestres

O Concelho de Aguiar da Beira é um local onde a colheita de cogumelos acontece, logo o Municipio , através do Gabinete de Micologia, em comunicado deixa alguns conselhos para a colheita de cogumelos silvestres:

A colheita deve ser feita sem prejudicar os locais onde aparecem os cogumelos.
Deve conhecer muito bem os cogumelos comestíveis e as espécies tóxicas semelhantes. Em caso de dúvida não colha!
Não misture cogumelos comestíveis com outros que não conheça na mesma cesta.
Não use sachos, enxadas, ancinhos ou outros utensílios que arrastem a caruma ou a folhada para encontrar os cogumelos. Use em alternativa um pau, uma navalha ou outro utensilio que não remova a camada superficial do solo.
Quando arrancar o cogumelo tape imediatamente o local. O terreno deve ficar igual ao que encontrou.
Não colha os cogumelos com o chapéu fechado para que liberte alguns esporos. Nesta fase a possibilidade de confusão também é maior
Nunca use sacos de plástico, baldes, caldeiros ou outros recipientes idênticos. Deve usar cestas ou outros recipientes arejados que tenham aberturas laterais e por baixo.
Os cogumelos comestíveis que têm inicialmente forma de ovo, como a Amanita caesarea, só devem ser colhidos quando o chapéu estiver aberto, nunca em fase de ovo.
Não colha os cogumelos demasiado maduros, pois estão contaminados com outros fungos e bactérias que podem ser tóxicos. Deve deixá-los no local.
Não colha cogumelos em zonas contaminadas, bermas das estradas, terrenos onde foram aplicados pesticidas ou herbicidas, junto de lixeiras ou esgotos, etc.
Não destrua os cogumelos que não conhece, mesmo os venenosos. Deixe-os no local pois são importantes no ambiente.
Não coma o míscaro amarelo (Tricholoma equestre) em grandes quantidades e em dias seguidos.
Consuma os cogumelos de preferência num espaço de 24h após a colheita.
Deve devolver os desperdícios dos cogumelos a locais semelhantes onde foram encontrados ou limpá-los no momento da colheita.

Para qualquer esclarecimento adicional dirija-se ao Gabinete de Micologia da Câmara Municipal no das 9h às 12,30h e das 14h às 17,30h

EM CASO DE INTOXICAÇÃO
Aos primeiros sintomas de indisposição (vómitos, náuseas, diarreia, dor abdominal, tonturas) contacte:

800 250 250 -Centro de Informação Anti-Venenos (CIAV)

https://www.inem.pt/category/servicos/centro-de-informacao-antivenenos/

Se não conseguir contactar o CIAV, ligue:

112 – Número Europeu de Emergência

Ou dirija-se ao hospital mais próximo e procure levar exemplares dos cogumelos suspeitos de terem provocado a intoxicação, para auxiliar no diagnóstico.

Pode ainda consultar:
Manual de Boas Práticas de Colheita e Consumo de Cogumelos Silvestres
https://www.drapc.gov.pt/base/documentos/manual_boas_praticas_colheita_consumo_cogumelos_silvestres.pdf

Guia do coletor de cogumelos:
https://www.dgadr.gov.pt/mediateca?task=download.send&id=394&catid=9&m=0

fonte:MAB

Museu à Noite promove tertúlia sobre Cogumelos em Pinhel

cogNeste mês de  novembro, o Museu à Noite  em Pinhel vai ter como tema central os cogumelos silvestres e a micologia. Do Campo até à Mesa, com os devidos cuidados…

Estamos na época dos cogumelos e, na verdade, são muitas as pessoas que gostam de apanhar e saborear os chamados cogumelos “silvestres”, míscaros, tartulhos, frades, entre outras variedades comestíveis…

É neste contexto que o Museu à Noite de novembro se propõe trazer a debate a problemática dos cogumelos silvestres e as suas particularidades.

“Cogumelos… do Campo até à Mesa” é o título da tertúlia, em que o nosso convidado, Rui Cardoso Ramos, ajudará a identificar os cogumelos silvestres. Ouviremos ainda falar de micogastronomia, mas também da toxicidade que alguns exemplares apresentam, bem como do enquadramento legal dos recursos micológicos.

Em suma: há que conhecer para não estragar e, sobretudo, saborear.

Por:MP

Arrancou já o IV Certame do Míscaro em Aguiar da Beira

IMG_3584 Teve início esta sexta – feira, o Quarto Certame do Míscaro de Aguiar da Beira, no Pavilhão Gimnodesportivo, onde este evento é uma grande homenagem ao míscaro, dado que, o conIMG_3526celho aguiarense é conhecido pelas grandes colheitas destes cogumelos comestíveis.

Este certame decorre até domingo, com muitas oportunidades de os visitantes poderem saborear para além do Míscaro, diversos produtos endógenos, produzidos neste concelho, ainda pode encontrar nos stands das freguesias e das associações todos esses produtos.

Neste dia inicial, a abertura efetuada pelo presidente da autarquia, Prof.Joaquim Bonifácio, que deu as boas vindas a todos e salientou o papel do míscaro e dos produtos endógenos na economia local, salientou o trabalho realizado pelo Gabinete de Micologia local, único no País e as diversas parcerias que foram feitas para o certame.

Deu ênfase ao slogan “Juntos Somos Aguiar da Beira”, salientou ainda que a apanha e confeção deste produto são importantes.

Seguiu-se o Vice -Presidente da CCDR Centro, Luís Caetano, que se mostrou agradado com o certame e que já a Feira do queijo tinha sido um evento de grande valia, frisou que a CCDR Centro vai apoiando na medida do pIMG_3623ossível.

Estiveram presentes alguns autarcas vizinhos, o presidente da Câmara de Penalva do Castelo  o vereador do Município de Trancoso, entre outras entidades locais.

Seguiu-se a visita ao stands, a hora de almoço estava a chegar e o Agrupamento de Escolas P. José Augusto da Fonseca, levou a efeito com a parceria dos restaurantes locais e algumas entidades,  um festival de sopas com uma variedade de 11 sopas , onde estiveram cerca de três centenas de pessoas.

Após o almoço, uma sessão dedicada às boas práticas na apanha dos cogumelos , pelo gabinete de micologia, com apoio dos alunos do agrupamento.

Ainda a apresentação de um livro infantil, pelo Prof. Fernando Pereira, ” O Menino de Vento”.

Ao final da tarde decorreu umIMG_3548 Live cooking com dois cozinheiros de renome, Chef Telmo Frias e Chef Nuno Seixas a trabalhar em Lisboa em restaurantes de grande qualidade, mais à noite a música a preencher a noite.

Um certame que de ano para ano tem vindo a crescer e vai ter mais dois dias com muita atividade e animação.

Por:António Pacheco

 

XII Passeio Micológico em Fornos de Algodres

pmAproveitando a presença de alguns iminentes micólogos europeus em Fornos de Algodres por ocasião das XXIII Jornadas Micológicas da Confederação Europeia Micológica Europeia (CEMM), A União de Freguesias de Juncais, Vila Ruiva e Vila Soeiro do Chão e a Confraria da Urtiga irão promover o XII Passeio Micológico em Fornos de Algodres, os participantes neste evento têm a oportunidade de ver o trabalho desenvolvido por cães trufeiros treinados por especialistas em cogumelos Hipogeos, este tipo de cogumelos cujo a vida decorre de forma subterrânea só podem ser recolhidos com recurso a cães especificamente treinados para o efeito. Neste grupo encontram-se alguns dos mais apreciados e economicamente valorizados cogumelos do Mundo, como é o caso das Trufas…

Cogumelos venenosos trairam especialista

O inesperado

Correio da Manhã
Joaquim Costa era considerado “perito” em distinguir cogumelos bons dos venenosos.

Joaquim Costa, 71 anos,
considerado um dos maiores conhecedores de cogumelos comestíveis na
aldeia de Mizarela, na Guarda, morreu anteontem, dois dias depois de ter
comido uma espécie venenosa com arroz de entrecosto.

A vítima foi transportada domingo para os Hospitais da Universidade
de Coimbra, na esperança de conseguir um transplante de fígado, mas com a
avançada falência dos órgãos vitais, os médicos já nada puderam fazer.

“Com a experiência e a vida de campo que tinha não compreendo este
descuido”, diz em lágrimas Henrique Costa, um dos quatro filhos da
vítima. Recorda que o pai “tinha o hábito de chamar a família e preparar
o petisco”.

A morte por ingestão de cogumelos venenosos deixou a aldeia
assustada. “Agora nem os posso ver. Na minha casa, nunca mais”, garante o
amigo Jorge Almeida.

A seguir às primeiras chuvas do outono, é habitual ver residentes à
procura de cogumelos para comer, guisados ou na brasa, temperados com
sal. Armindo Fernandes, presidente da junta, recorda Joaquim Costa como
“um dos homens mais experientes a colher e preparar cogumelos. Os
vizinhos até lhe pediam conselhos”, lembra, emocionado. O autarca
acredita que, “enquanto se lembrarem desta tragédia, as pessoas não
voltam à floresta para os colher”.
fonte: Correio da Manhã