Início » Tag Archives: CPT4x4 2023 – Famalicão consagra Campeões

Tag Archives: CPT4x4 2023 – Famalicão consagra Campeões

CPT4x4 2023 – Famalicão consagra Campeões com casa cheia

O Campeão voltou em dia de festa

Depois do vendável veio a bonança, com a consagração dos Campões Nacionais do Campeonato Portugal Trial 4×4, num palco soberbo para a prática do trial, um tempo magnífico depois do diluvio dos últimos dias, perante uma excelente moldura humana e notáveis equipas em competição.

Que mais se poderia esperar desta derradeira prova do CPT4x4, disputada num clima de festa onde foram coroados vencedores e campeões, naquela que foi uma das mais competitivas edições do Campeonato

Portugal Trial 4×4 em pleno território conhecido pela “terra negra”, com a incerteza do vencedor a manter- se ao longo das três horas de provas, foram quatro as equipas que passaram pela liderança, num palco bem conhecido para acolher este tipo de eventos.

Com um programa recheado de muita animação e competição o Clube Trilhos do Norte em parceria com o município de Vila Nova de Famalicão e a Junta de Freguesia de Ribeirão moveu escavações e elevou arranha-céus, proporcionando às mais de duas dezenas de participantes as melhores condições para a prática da modalidade. Foi desta forma que caiu o pano sobre mais uma temporada do CPT4x4, com a cidade de Famalicão a acolher a derradeira ronda da competição. Uma jornada que se revestiu de estreias e confirmações, com grande qualidade organizativa – a cargo do Clube Trilhos do Norte, recheada de uma fantástica moldura humana, com um cenário e condições magníficas para a prática da modalidade. Uma pista dura e técnica, para que os campeões fizessem por merecer o título, num traçado bem desenhado adjacente ao Lago Discount em Ribeirão.

Apesar dos intervenientes atestarem a dureza da prova, participantes e espectadores confirmaram o verdadeiro dia de trial que aconteceu ena Vila do Ribeirão do conselho de Vila Nova de Famalicão, com uma temperatura magnífica. Foram dois dias em que o Campeonato Portugal Trial 4×4 animou a vila de Ribeirão, mas também todo o concelho de Famalicão, não só foi lembrada pelas várias modalidades e atividades ligadas ao desporto motorizado, mas também o melhor trial 4×4.

Dez anos volvidos, Luís Jorge manteve a chama do título bem viva na cidade de Famalicão, depois do último grande título conquistado em 2013 na cidade de Paredes. O piloto do “Café Restaurante A Cuba”, acompanhado por Daniel Esteves, terminou a derradeira jornada na terceira posição, que lhe valeu a conquista do tão ambicionado título Absoluto. Glória para os vencedores… Honra aos vencidos…

Ao cabo de seis jornadas o Campeonato Portugal Trial 4×4 chega ao fim, mas, não fica por aqui! A próxima época já está a ser programada, 2 e 3 de Março é a primeira prova e claro está, será em Valongo, palco da abertura da temporada de 2024.

Classe Absoluto e Super Proto “lado-a-lado”
Em termos Absolutos, a vitória foi conquistada pela dupla Daniel Carapau/Ruben Filipe (G&C Trial Team XS5), que ainda mantinha matematicamente a esperança de poder chegar ao título. No entanto, não dependiam apenas de si, muitas contas teriam de ser feitas. A missão da dupla de Torres Vedras foi cumprida… vencer, mas, teriam de aguardar o que poderia fazer Luís Jorge (Café Restaurante a Curva) e Rui Rocha (Team RJ69). Ainda pairou no ar alguma possibilidade… depois dos contratempos por que passou o campeão em Título ao passar pelas boxes para proceder a reparações na sua viatura: “Foi uma prova à nossa medida. O dia esteve excecional para a prática do Trial,4×4. Uma prova que não exigiu só do piloto, mas também do navegador, mas é uma equipa e a equipa está cá para isto. O carro teve um comportamento espetacular.

Para aquilo que conseguimos fazer ao longo do ano, acho que é bastante proveitoso, terminar a temporada a vencer. Esta é uma vitoria de toda a equipa, mas em especial ao
Francisco Gomes da XS5, o nosso preparador”, disse no final Daniel Carapau.

Mas, as conquistas têm mais sabor com sofrimento e muita luta, argumentos que transbordam na vontade de vencer de Luís e Rocha, dois dos grandes animadores desta jornada, a que se juntaram Nuno Santos (Ediprova) e Paulo Ferreira (Quetal) que ainda passaram pela liderança. No entanto, Daniel Carapau e Ruben Filipe queriam terminar com chave de ouro uma temporada de grande nível, assumindo a liderança à quinta passagem pela linha de meta e não mais de lá saíram, trazendo na sua alçada Rui Rocha e Pedro Campas, segundos classificados, que lhes garantiu a mesma posição em termos Absolutos e a renovação do título nacional da Classe Super Proto: “Com alguns problemas mecânicos, fizemos um segundo lugar, não era o resultado que queríamos, mas, fizemos o que podíamos, depois de tantas adversidades mecânicas.

Fomos aguentando para chegar ao título na Classe Super Proto”, disse no final Rui Rocha. Luís Jorge e Daniel Esteves, seguiram-se na terceira posição, suficiente para carimbar o título Absoluto: “Uma vitória arrancada a ferros. Faço trial há mais de 20 anos e nunca tive de parar por falta de gasóleo…

Hoje não sei o que se passou com o carro, faltou gasóleo e água, mas nunca desistimos. Andamos sempre na traseira do Rui a controlar, suficiente para sermos campeões nacionais. Uma pista espetacular, cinco estrelas. Não acusamos a pressão, e dez anos depois reconquisto mais um título absoluto e é uma boa estreia para o Daniel”, afirmou o “veterano” Luís Jorge que acrescentou a segunda posição na Classe Super Proto, ganha pela dupla Rocha/Campas. Daniel Carapau e Ruben Filipe, asseguraram a terceira posição final em ambas as Classes.

Classe Proto à “foto finish”
Com as contas baralhadas, e quatro candidatos matematicamente na posição de chegar ao título, seria Miguel Marques e Renato Machado (MM6018 Parts 4×4/ Americana Papelaria) a conquistarem o título ao terminar na terceira posição: “Conseguimos acabar, não na posição que queríamos, mas serviu para cumprir objetivos, ser campeões. Mesmo com todos os percalços, desde capotanços, apoios de motor partido, alcançamos o que ambicionávamos”, referiu no final Miguel Marques. Antonio Silva e Flávio Gomes (Canelas Pneus) a somarem o maior número de pontos no segundo posto, dado que a dupla vencedora, a jogar em casa: Diogo Mendes/Tiago Alves da Tuff4x4 não pontuavam: “A prova correu bem, ficámos à porta do título e lutamos sempre a dar tudo, infelizmente não foi possível chegar ao título. A pista estava muito boa, espetacular. Apenas um percalço já na parte final na zona das rampas, ficou mais complicado lá passar”, afirmou António Silva. Luís Bacelo e Hugo Martins estavam bem encaminhados, ao conseguirem a “pole position” mas bem cedo cederam devido a problema com o guincho e a bateria. Problemas mecânicos também hipotecaram os lugares mais cimeiros ao até então líder, António Moreira e André Neves (valclima), quedando-se pela quarta posição final (terceiro nos pontuáveis). Com este resultado assegurou o vice-campeonato, em igualdade pontual com a dupla da “Canelas Pneus” e menos um ponto, apenas, dos campeões. Abstraídos desta luta, Diogo Mendes e Tiago Alves, impuseram-se a toda a concorrência dando um “recital” de condução, num regresso esporádico ao CPT4x4: “Não podemos estar mais satisfeitos. Não foi uma prova
fácil, mas, conseguimos chegar ao lugar pretendido. Sem problemas de maior, apenas furámos um pneu, de resto, tudo impecável. A equipa continua firme, estão todos de parabéns, todos os que nos ajudaram, todos os que nos apoiaram. Sem eles nada disto era possível. Vamos ver se é para continuar. Com um passo de cada vez vamos a ver se dá para continuar… Estamos juntos”, salientaram em sintonia, Diogo e Tiago.

Classe Extreme para “cumprir calendário”
Já com tudo resolvido em termos de campeonato, favorável à dupla da Transgatão, Filipe Ribeiro e Alexandre Santos (HelderFil), vingaram o abandono da última ronda em Lordelo e venceram em Famalicão, numa “luta” lado-a-lado com Tiago Alves acompanhado por José Santos da formação da Tuff4x4, terminando ambos com 16 voltas. Os já coroados Campeões, Armando Sousa e Bruno Soares ficaram com o derradeiro lugar do pódio.

Classe Promoção com título “reservado”
A festa estava preparada, com o título praticamente “reservado” para a dupla Jorge Alfaia/Francisco Carvalho que tinha a missão facilitada pela margem pontual que obtinha na classificação geral. Ainda assim a formação da “73 Racing TReam” impôs-se a toda a concorrência e conquistou mais uma vitória: “Foi uma prova em que vínhamos para gerir, mas, não viemos passear, foi sempre a dar-lhe. Tivemos alguns contratempos, mas nada de especial. Foi espetacular e com esta sensação de Campeões Nacionais ainda
melhor. Chegar ao fim, dar um bom espetáculo e ter toda a equipa contente, incluindo os amigos e a família, é gratificante e o mais importante”, salientou Jorge Alfaia. César Marque e César Tadeu (Sonmovingui) foram segundos, na frente da dupla da “Lusimex Off Road Team” Miguel Teixeira/Filipe Tavares.
Classe UTV a solo
O pleno para a dupla Carlos Martins/João Pinto com a “Reciclopeças” a carimbar mais uma vitoria, a sexta em outras tantas provas. Sejam sempre bem-vindos, pelo andamento e espetáculo que proporcionam: “Foi mais uma… Esta, acho que teve mais gosto porque estamos aqui perto de casa e a pista em si acho que é fabulosa para darmos espetáculo, nos divertirmos e o público ficar a gostar. Isto dá-nos um gozo imenso, já estamos à espera do próximo. Temos de estar contentes por chegar sempre ao final de todas as provas e cá estaremos no próximo ano com a mesma energia e vontade. Temos que agradecer a toda a organização”, afirmou a dupla da Reciclopeças.

Foto:CPT