Início » Tag Archives: curso

Tag Archives: curso

Universidade de Coimbra organiza 30.ª edição do curso sobre Segurança em Incêndios Florestais

O Centro de Estudos sobre Incêndios Florestais (CEIF) da Associação para do Desenvolvimento da Aerodinâmica Industrial (ADAI), da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC), vai realizar a 30.ª edição do curso sobre Segurança em Incêndios Florestais. A formação decorre no dia 3 de maio, sexta-feira, no Auditório Laginha Serafim, do Departamento de Engenharia
Mecânica, entre as 9h e as 17h.
As inscrições estão a decorrer até ao dia 29 de abril e são limitadas à capacidade da sala, tendo um custo de 75€ (inclui documentação, café e almoço). No final da formação, será emitido um certificado de presença com a carga horária descriminada.
Ao longo dos últimos anos, os aspetos ligados ao comportamento do fogo e à segurança das pessoas têm sido o principal objeto de estudo do CEIF-ADAI. Assim,
este curso procura incorporar alguns dos ensinamentos essenciais obtidos a partir da análise dos principais incêndios da última década, bem como do longo programa de investigação continuada nesta temática.

Neste âmbito, serão abordados temas como “O panorama dos incêndios florestais em Portugal”; “Incêndios florestais e a meteorologia”; “Preparação física no combate a incêndios”; “Princípios fundamentais de segurança”; “Comportamento extremo do fogo”; e ainda, “Estudo de acidentes passados e respetivas lições aprendidas”. As intervenções ficam a cargo da equipa da ADAI, com a coordenação do professor Domingos Xavier Viegas.

Este curso é aberto a todos os interessados na temática segurança em incêndios florestais, mas destina-se essencialmente a bombeiros, técnicos de proteção civil, técnicos autárquicos, técnicos florestais, produtores florestais, sapadores, GNR e cientistas.
As horas de formação serão registadas pela Escola Nacional dos Bombeiros (ENB), entidade com a qual o CEIF tem um protocolo de colaboração ativo, no
Recenseamento Nacional dos Bombeiros Portugueses, na ficha individual de cada bombeiro.

Foto:DR

Politécnico da Guarda abre curso de energias renováveis no Sabugal

O Instituto Politécnico da Guarda – IPG vai abrir no Sabugal um novo Curso Tecnológico Profissional Superior (CTeSP) de Energias Renováveis e Eficiência Energética, a primeira formação de nível superior que vai ser ministrada no concelho. Este CTeSP conta já com 18 inscritos, 12 dos quais provenientes de Cabo Verde. Segundo o presidente da Câmara do Sabugal, decorrem negociações com o Politécnico da Guarda para “trazer outros cursos para o concelho”.

O funcionamento do CTeSP em Energias Renováveis e Eficiência Energética vai contar com o apoio da Câmara Municipal do Sabugal e com o envolvimento do Agrupamento de Escolas do Sabugal, cujos docentes vão ministrar algumas unidades curriculares de base. As restantes unidades curriculares serão da responsabilidade dos docentes da Escola Superior de Tecnologia e Gestão do IPG, boa parte deles professores na licenciatura em Energia e Ambiente no Politécnico da Guarda.

A assinatura do protocolo entre as três entidades decorreu esta quarta- feira, 27 de março, na Câmara Municipal do Sabugal. Participaram o presidente do Município do Sabugal, Vítor Proença, o diretor do Agrupamento de Escolas do Sabugal, João Carlos Vila Flor, e Orlando Delgado, presidente da Câmara de Ribeira Grande, Ilha de Santo Antão, Cabo Verde – de onde virão parte dos alunos do CTeSP –, para além do presidente Politécnico da Guarda, Joaquim Brigas. Com o Sabugal, sobem para seis os concelhos a que o Politécnico da Guarda está a levar o ensino superior através de CTeSP, juntando-se à Guarda, Seia, Vila Nova de Foz Côa, São João da Pesqueira e Mêda.

“É com grande empenho que o Instituto Politécnico da Guarda está envolvido na abertura deste CTeSP, o qual significa a chegada do ensino superior a este concelho”, afirma Joaquim Brigas, presidente do IPG. “Para toda a comunidade académica do IPG, é um privilégio colaborar, quer na valorização deste território e dos seus recursos humanos, quer em projetos que envolvam parceiros tão fiáveis como a Câmara Municipal do Sabugal e o Agrupamento de Escolas deste concelho.”

“Qualificar os jovens do Sabugal”
Para Vítor Proença, presidente da Câmara Municipal do Sabugal, “ministrar este curso no concelho vai permitir qualificar muitos jovens aqui residentes numa atividade muito importante para o território, como são as energias renováveis”. Sublinhou ainda que “existem as condições, instalações e toda a logística necessárias para formar, nos próximos dois anos, estes 18 jovens que já se inscreveram neste CTeSP”, esperando “que alguns deles possam vir a fixar-se no Sabugal”.

Segundo Joaquim Brigas, “criar CTeSP e ministrá-los de forma desconcentrada pelos concelhos da nossa região faz parte dos serviços especializados que o Politécnico da Guarda presta à comunidade”. Vítor Proença revelou então estar “em conversações com o Politécnico da Guarda, no sentido de trazer outros cursos para o Sabugal em áreas importantes no nosso concelho”.

Este CTeSP confere um Diploma de qualificação de nível 5 do Quadro Nacional de Qualificações, tem 120 créditos e a duração de quatro semestres, sendo este último semestre ministrado em contexto empresarial. Os titulares de um Diploma de Técnico Superior Profissional poderão prosseguir os estudos entrando numa licenciatura através de concurso especial de acesso: parte substancial da formação efetuada no CTeSP será creditada na contagem das unidades dessa licenciatura.

Para todos aqueles que optarem no final do CTeSP por avançar para a licenciatura em Energia e Ambiente no Politécnico da Guarda, vão ter à sua espera, segundo o seu presidente, competências e conhecimentos na área de impactes ambientais, na área de auditorias e de certificação energética e ambiental, na área das tecnologias de controlo da poluição, de projeto e de conceção de sistemas de produção de energia, com especial ênfase na área das energias renováveis.

Foto:IPG

Curso Técnico Superior Profissional – Riscos e Proteção Civil em Fornos de Algodres

Pré-inscrição no período compreendido entre 01 de março e 22 de março de 2024

O Curso Técnico Superior Profissional – Riscos e Proteção Civil decorrerá em horário pós-laboral, com início em abril de 2024, como resultado de uma parceria entre o Município de Fornos de Algodres, o Instituto Politécnico da Guarda e o Agrupamento de Escolas de Fornos de Algodres

O objetivo da criação deste curso passa, essencialmente, por formar técnicos especializados profissionais para agir na prevenção, planeamento de riscos e na proteção de pessoas, bens e estruturas em cenários de crise, emergência e/ou catástrofe.

Os Cursos Técnicos Superiores Profissionais (CTeSP) consistem numa formação de ensino superior, não conferente de grau académico, cuja conclusão, com aproveitamento, conduz à atribuição do diploma de técnico superior profissional. Possuem uma componente de formação geral, técnica e científica, que se desdobra em contexto de trabalho pela inclusão de um estágio profissional com a duração de um semestre.
Oferecem uma experiência prática através de uma ligação direta ao mercado de trabalho e, ainda, deixam em aberto a possibilidade de prosseguir um percurso académico para licenciatura.

O CTeSP corresponde ao nível 5 do quadro nacional das qualificações.

Para formalizar a sua pré-inscrição, deve fazer o download da ficha de inscrição, aqui e entregar o documento na Câmara Municipal de Fornos de Algodres, ou através do email geral@cm-fornosdealgodres.pt.

Curso de escanção / Sommelier na CVRBI

Está a decorrer pela  primeira vez na Beira Interior o curso de escanção / Sommelier ministrado pela Escola de Hotelaria de Portalegre, na CVRBI.
Mais um desafio que a CVR da Beira Interior aceitou e que com muito orgulho conseguimos por em prática ,que será seguramente uma grande  turma”, assim refere a CVRBI.
Hoje começou o módulo de viticultura e enologia com o excelente formador Mário Andrade !

Instituto Piaget cria curso sobre Competências Digitais para Psicólogos

O Instituto Piaget vai arrancar em janeiro com um curso de curta duração sobre Competências Digitais para Psicólogos. O objetivo é permitir aos profissionais da área da Psicologia adquirir conhecimentos e desenvolver competências para o exercício profissional via remota, através do uso eficaz das ferramentas digitais, com segurança, de forma ética e com bons resultados.

O curso será ministrado pelo ISEIT (Instituto Superior de Estudos Interculturais e Transdisciplinares) de Viseu, uma das duas instituições que integram o Campus universitário do Instituto Piaget nesta cidade beirã. Tem a duração de 20 horas, decorrendo em regime b-learning, sendo 6 horas presenciais e 14 horas online.

A ação formativa é acreditada pela Ordem dos Psicólogos Portugueses (OPP). É desenvolvida em parceria com o Centro Medicina Digital P5, ligado à Escola de Medicina da Universidade do Minho, e conta com o apoio do Piaget Online. As aulas decorrem em horário pós-laboral.

Na base da criação do curso está a constatação de que a nova era digital constitui também uma oportunidade e um desafio para a Psicologia. A transformação digital tem-se assumido como um processo de mudança, da mentalidade e das ferramentas, que potencia o desempenho profissional, melhorando a qualidade e ampliando os serviços prestados.

É neste quadro que o coordenador pedagógico do curso, Professor Paulo Alves, afirma que “urge, por isso, a aquisição de competências e qualificações no domínio do digital, que preparem os profissionais para as alterações que a transição digital tem vindo e continuará a provocar em todos os setores de atividade”. O académico é simultaneamente o presidente do Campus de Viseu do Instituto Piaget e também ele psicólogo.

A equipa de formadores é constituída por sete psicólogos e um advogado. Entre os psicólogos, quatro são doutorados e há especialistas de várias áreas. Um dos psicólogos possui também uma licenciatura em Engenharia Informática e doutoramento em Ciências da Informação. Três dos psicólogos integram os quadros do Centro de Medicina Digital P5, parceiro do Instituto Piaget.

Além dos psicólogos que sejam membros efetivos da OPP, podem inscrever-se no curso psicólogos juniores e estudantes do 2º ciclo (mestrado) em Psicologia. As aulas terão início no dia 13 de janeiro, estando as inscrições abertas até 11 de janeiro.

Foto:IP

Curso em Enologia da Católica permite pensar estrategicamente da vinha ao vinho

Portugal tem uma grande tradição como país vitivinícola, centrada nas suas Regiões vínicas, possuindo uma enorme diversidade de castas e de estilos de vinhos que faz com que as opções disponíveis para os enólogos portugueses sejam invejáveis. No entanto, o conhecimento de outros estilos de vinhos do mundo, e de como os vinhos portugueses se integram no contexto internacional, é essencial para poder posicionar corretamente um vinho num mercado particular.

“O enólogo tem de ter uma verdadeira cultura de vinho e perceber a importância da história, geografia e economia na sua produção, comercialização e consumo,” salienta José António Couto, coordenador da Pós-graduação em Enologia da Escola Superior de Biotecnologia da Universidade Católica Portuguesa.

A Pós-Graduação em Enologia é lecionada por cerca de 40 docentes e investigadores da Escola Superior de Biotecnologia e de universidades nacionais e estrangeiras incluindo a Universidad de La Rioja e Universidad de Vigo (Espanha); State Viticulture & Oenology Institute Freiburg (Alemanha); Institute of Wine Biotechnology, Stellenbosch University (África do Sul); Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, Universidade do Minho e Instituto Politécnico de Santarém) e ainda com a Lallemand Iberia SA. Salienta-se, também, a participação ativa de reconhecidos enólogos e profissionais do setor vinícola.

José António Couto realça que “no final da Pós-Graduação em Enologia, os participantes estarão habilitados a conhecer a diversidade, complexidade e importância do mundo vitivinícola, assim como os fatores de produção que influenciam a qualidade final do vinho; a dominar temas relativos à viticultura, enologia e análise sensorial necessários para a produção de vinhos de qualidade; provar vinhos, abrangendo vários estilos e proveniências, fazendo a relação da prova com parâmetros vitícolas e enológicos e ainda a comunicar, de forma eficaz, com profissionais de marketing e do ramo comercial.”

A Pós-Graduação em Enologia da Escola Superior de Biotecnologia decorre durante um ano e meio e é constituído por 4 módulos organizados em Unidades Curriculares. Estas incluem Master Classes e um projeto de elaboração e apresentação de um vinho

CEI promove online 21ª edição do Curso de Verão

Vai ser promovido pelo  Centro de Estudos Ibéricos (CEI) entre 6 e 9 de julho,  a 21ª edição do Curso de Verão subordinada ao tema ‘Novas fronteiras, outros diálogos: cooperação e desenvolvimento’, em formato online, devido à conjuntura de crise sanitária.

A iniciativa engloba Conferências, Comunicações, Painéis de Debate e Trabalhos de Campo, estruturados em torno dos seguintes temas:

Paisagens, patrimónios e desenvolvimento local: recursos do território e sustentabilidade
Dinâmicas socioeconómicas em diferentes contextos territoriais
Cooperação e desenvolvimento: políticas públicas e coesão territorial
A edição deste ano contempla mais de 80 comunicações de investigadores e professores oriundos de 45 universidades e instituições dos seguintes países: Brasil, Portugal, Espanha, Moçambique, Cabo Verde e Angola, assegurando-se desta forma o intercâmbio científico, debate e difusão de conhecimentos sobre os territórios ibéricos, tanto de Portugal e de Espanha como dos que se encontram dispersos pela América Latina ou pelo continente Africano. Coordenado por Rui Jacinto (Univ. Coimbra) e María Isabel Martín Jiménez (Univ. Salamanca) o Curso, que conta até ao momento com 375 participantes inscritos, é creditado pela Universidade de Salamanca e faz parte da oferta de Cursos de Verão daquela Universidade sendo emitido certificado se comprovada a assistência a mais de 85% do programa. O curso será transmitido online na página de Facebook do CEI e do canal do CEI no Youtube. O programa detalhado e resumos das comunicações estão disponíveis aqui.

Pós-graduação em cibersegurança lançada pelo Piaget

Foi lançado recentemente pelo Instituto Piaget  uma nova pós-graduação inovadora em Cibersegurança e Proteção de Dados na Administração Pública.

O curso, a lecionar em regime de e-learning (100% online), em horário pós-laboral, terá a duração de seis meses, sendo promovido pela Escola Superior de Tecnologia e Gestão do Piaget de Almada, em colaboração com o ISEIT de Viseu.

O curso surge numa altura em que as questões relacionadas com a proteção de sistemas, programas e infraestruturas de redes contra eventuais ataques cibernéticos entraram na ordem do dia e assumiram o estatuto de prioridade. Um bom exemplo é o facto de o Estado português se preparar para usar, pelo menos, 130 milhões de euros dos fundos europeus para reforçar a cibersegurança nos seus serviços nucleares, de acordo com o Plano de Recuperação e Resiliência a apresentar à Comissão Europeia.

Mas não basta reforçar com meios tecnológicos para se assegurar a proteção das infraestruturas críticas nos serviços públicos. São igualmente necessários os meios humanos, devidamente preparados. É neste contexto que o Instituto Piaget abriu as candidaturas para a sua nova pós-graduação que prevê a formação específica no âmbito da liderança e gestão da cibersegurança e proteção de dados, de acordo com os principais standards e boas-práticas.

Entre os pontos fortes desta pós-graduação está a experiência do seu corpo docente, que integra vários profissionais e quadros superiores há muito ligados aos temas da segurança digital. É o caso, por exemplo, do coordenador do curso, Paulo Moniz, diretor de Cibersegurança da EDP; e dos docentes Wilson Lucas, coordenador da área de Cibersegurança no Instituto de Informática do Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social; e Filipe Frasquilho, diretor de operações da IP Telecom.

Com início previsto para maio, a pós-graduação mantém candidaturas abertas até 28 de abril. Toda a informação pode ser consultada em https://ipiaget.org/ciberseguranca-e-protecao-de-dados-na-administracao-publica/.

Este curso, a que se juntará em breve uma oferta formativa mais alargada na área tecnológica, representa mais um passo na “orientação do Instituto Piaget para a componente digital”, afirma Ricardo Simões Santos, diretor da Escola Superior de Tecnologia e Gestão (ESTG) do Piaget de Almada. E o docente acrescenta: “Queremos construir um ecossistema digital nos nossos vários polos universitários, trazendo o melhor da tecnologia para áreas geográficas tradicionalmente menos favorecidas”.

O Piaget tem já atualmente a funcionar um curso técnico superior profissional (CTeSP) em Cibersegurança, Redes e Sistemas Informáticos, coordenado pelo professor Miguel Frasquilho. Este curso, com a duração de dois anos letivos e que conta com as parcerias da Microsoft e Huawei, é igualmente lecionado pela ESTG de Almada.

Abertas candidaturas para Curso de Formação de Agentes da PSP

Foi publicado  em Diário da República o Despacho do Ministro da Administração Interna que autoriza o recrutamento de 803 candidatos para frequência do Curso de Formação de Agentes da PSP de 2020.

O mesmo despacho determina à Polícia de Segurança Pública (PSP) a imediata abertura de uma nova reserva de recrutamento visando a admissão de até 1.200 candidatos/as para cursos a iniciar em 2021.

As 1.200 novas vagas vão permitir, não só, colmatar o não preenchimento do total das vagas abertas em 2020, mas também cumprir o desígnio de rejuvenescimento, de manutenção de elevados graus de prontidão e de eficácia operacional dos efetivos da PSP. Recorde-se que é intenção do Governo proceder à admissão, na PSP, de 1.000 novos elementos por ano entre 2020 e 2023.

Na nova reserva de recrutamento para 2021, a PSP deverá procurar reforçar as atuais estratégias de comunicação, quer as regulares, mas sobretudo as específicas no contexto da abertura de concursos, no sentido de promover a participação de candidatas. Atualmente, 8% do efetivo na categoria de agente é constituído por mulheres.

No recrutamento de 2020 a taxa de feminização foi de cerca de 14% e deve ser objetivo da PSP atingir, a este nível, os 20% nas admissões a efetuar em 2021.

A PSP deve ainda reforçar as atuais estratégias de comunicação, quer as regulares, mas sobretudo as específicas no contexto da abertura de concursos, no sentido de promover a participação de candidatos/as oriundos/as de áreas da sua jurisdição territorial e que sejam adequadamente representativos/as da diversidade de contextos sociais e culturais em que atua esta Força de Segurança.

Curso Certified Passive House Tradesperson em Pinhel

Curso Passive Houve - maio - Pinhel
Na sequência do seminário realizado no dia 19 de abril, sobre “Edifícios Saudáveis, Cidades Sustentáveis”, a Associação Passivhaus Portugal vai levar a efeito, em Pinhel, o Curso Certified Passive House Tradesperson.

Trata-se de uma formação de três dias (14, 21 e 28 de maio) destinada a profissionais ligados ao sector da construção e gestão de edifícios (técnicos, instaladores, comerciais, arquitetos, engenheiros e engenheiros técnicos civis, engenheiros mecânicos, docentes).

Inerentes a este curso estão os seguintes objetivos: implementar soluções Passive House; compreender a importância do desempenho da envolvente do edifício; compreender a importância da ventilação e de sistemas eficientes.

Para mais informações e inscrições, os interessados devem contactar a Associação Passivhaus Portugal através dos seguintes contactos: 234 096 309 / geral@passivhaus.pt / www.passivhaus.pt