Início » Tag Archives: educação

Tag Archives: educação

Congresso Internacional de Animação Sociocultural, Educação, Cidadania, Participação, Turismo e Desenvolvimento Comunitário em Celorico da Beira

Vai ter lugar o Congresso Internacional de Animação Sociocultural, Educação, Cidadania, Participação, Turismo e Desenvolvimento Comunitário,  de 13 a 15 de outubro, promovido pela Associação para a Promoção e Divulgação Cultural (Intervenção), com o apoio da Câmara Municipal de Celorico da Beira.
A iniciativa vai contar com as presenças do sr. Professor Doutor Arlindo Cunha (ex-Ministro da Agricultura e Professor Universitário), e da sra. Secretária de Estado do Desenvolvimento Regional, Professora Doutora Isabel Ferreira, responsáveis pelas conferências de abertura e encerramento, respetivamente, e, com a participação de mais de 20 conferencistas, provenientes de universidades europeias e outras instituições do ensino superior, que fomentarão o debate e a reflexão sobre as temáticas do congresso.
Durante três dias, o Centro Cultural de Celorico da Beira e o auditório da Fundação INATEL em Linhares da Beira, serão os palcos onde decorrerão diversas atividades, entre as quais, 30 conferências, 10 workshops/oficinas, grupos de trabalho, mesas redondas, espetáculos, animação, exposição e venda de livros editados pela Intervenção, com desconto de 50% etc…
O Congresso Internacional de Animação Sociocultural, Educação, Cidadania, Participação, Turismo e Desenvolvimento Comunitário é acreditado pelo Conselho Científico-Pedagógico de Formação Contínua, pelo que, a participação no mesmo conferirá a acreditação de 35 horas de formação para Educadores de Infância e Professores do Ensino Básico, Secundário e de Educação Especial.

A participação no Congresso carece de inscrição online prévia, através dos seguintes meios:

• link: Inscrição – exclusivamente para interessados que residam ou trabalhem no concelho de Celorico da Beira, aos quais a Câmara Municipal irá disponibilizar gratuitamente 100 entradas;

• e–mail da Organização: intervencaodirecao@gmail.com – outros interessados.

• Mais informações em: https://www.associacaointervencao.pt

Não deixe de aproveitar a oportunidade para enriquecer os seus conhecimentos em temáticas, tão pertinentes e atuais, com peritos de referência internacional, mas também, de visitar Celorico da Beira – “Capital do Queijo Serra da Estrela” e o XIV Festival do Borrego Serra da Estrela (DOP), que terá lugar de 15 a 16 de outubro, na freguesia de Carrapichana.
A não perder!

Mais Informações:
Inscrições | Condições
Acreditação do Congresso

Artigo de Sandra Correia—Preparados, para mais um ano?

Com o mês de setembro, regressam as rotinas: para os pais, o emprego, para os filhos, a Escola. O primeiro dia é, sempre, para as crianças e jovens, um dia de emoções: o reencontro com os amigos, o relato das aventuras vividas ao longo das férias, a curiosidade pelo novo horário, pelos novos professores. E os restantes longos dias do ano escolar? A Escola é o lugar para aprender e desenvolver competências, importarão as emoções? A empatia? Os afetos?

Neste contexto, falar de inteligência emocional pareceu-me um tema pertinente. Num mundo em constante movimento, cada vez mais global, as redes sociais dominam o nosso dia-a-dia, as nossas relações e as nossas profissões, o que é valorizado é parecer sempre perfeito, realizado e feliz, mesmo que essa não seja a realidade. Desde tenra idade, os desafios são crescentes. Não interessa quanto uma pessoa é inteligente, se não souber agir quando os obstáculos, as tristezas, as frustrações surgirem no seu caminho. Como diria o pai da inteligência emocional, Daniel Goleman, se não possuirmos competências emocionais e não soubermos gerir as nossas emoções não vamos muito longe, não conseguimos seguir em frente.

O papel da Escola é formar cidadãos livres, criativos, competentes e autónomos, capazes de enfrentar os desafios da sociedade do século XXI. Um século cada vez mais preocupante. O futuro parece-nos cada vez mais incerto, mais nebuloso para os nossos filhos e netos. A questão tão explorada, há anos, das alterações climáticas, veio provar a necessidade premente de tomar medidas face à escassez de água. A guerra trouxe para o mundo imagens de atrocidade, desespero e morte, mas também o aumento do valor dos bens essenciais, da energia e a diminuição do dinheiro, nas carteiras. Esta é a nossa realidade.

É crucial revelar às nossas crianças e jovens, que vivem num mundo onde mostrar aos outros que estamos sempre felizes, nas redes sociais, é regra, que, afinal, o mundo nem sempre é cor-de-rosa. É essencial encurtar a distância que os envolve. O tempo dos telefonemas, dos encontros deu lugar à falta de tempo, às mensagens por WhatsApp, à falta de comunicação vivida e sentida, aos desabafos e pedidos de ajuda, à solidão no quarto. Quantas vezes, percorro o corredor da Escola e encontro um grupo de jovens, em silêncio, cada um no seu telemóvel. Ainda que a época pandémica que vivemos (e ainda existe), com os vários confinamentos, tenha contribuído para o vício das tecnologias, o levantamento das restrições deveria ter aproximado mais os jovens no que concerne a comunicação presencial. O mês de agosto espelhou, nas festas, uma necessidade real de estar com os amigos, de abraçá-los e aproveitar o momento. Não houve concerto, baile ou outro qualquer evento que não estivesse lotado. No entanto, quantos e quantos jovens continuavam agarrados ao telemóvel.

Sinto que o poder da vida escorre pelos dedos das nossas crianças. É importante aprenderem os variadíssimos currículos das disciplinas, mas mais crucial, ainda, é ensinar-lhes a conciliar a inteligência com as emoções, é permitir-lhes alcançar uma vida mais rica, com menos níveis de ansiedade, maior equilíbrio emocional, maior capacidade de tomar decisões, maior autocontrolo e maior autoestima.
                          Aumento significativo da depressão nos jovens

Faço aqui um parêntese, para chamar a atenção para um aumento significativo da depressão nos jovens, que têm uma vida pela frente, mas vivem presos à ansiedade, ao stress, à pressão. A saúde mental dos adolescentes e jovens adultos vive a reboque da precariedade e da inexistência de um futuro promissor e a fatura já se começa a pagar: quase um quarto dos portugueses entre os 15 e os 34 anos já pensou ou tentou suicidar-se e 26% já tomou medicamentos para a ansiedade – dados da Fundação Francisco Manuel dos Santos, no retrato Os jovens em Portugal, hoje: Quem são, que hábitos têm, o que pensam e o que sentem.

Assim, e apesar de toda a controvérsia que caracteriza a classe docente, o professor tem a maior missão do mundo. Assim, sou, assim acredito. O professor tem a função de mostrar o caminho, aos seus alunos. de fornecer uma mochila repleta de valores, regras, sentimentos, resiliência e persistência para enfrentar as dificuldades que surgirem mais tarde. Na sala de aula, o professor, de mãos dadas com os seus alunos, ensina o currículo, mas também lhe cabe a tarefa de estar atento, de dialogar, de compreender um gesto, uma reação, de ler o olhar, de parar, se preciso for. Ao professor cabe sentir e fazer sentir, cabe gerir emoções e compreendê-las para agir.

Urge fazer da Escola um lugar feliz, um lugar seguro, onde os alunos sintam que estão a crescer para serem bons cidadãos, para que compreendam que o caminho da vida contém pedras, rochedos e dar-lhes as ferramentas para o enfrentar, sem medo de falhar, sem ansiedade, sem frustração, sem pressão, com espírito empreendedor, com a crença de que o sucesso virá.  Aos pais, é urgente ter tempo, consagrar tempo à família, no meio da rotina, do stress imposto pelo relógio, parar, falar com o coração, curar feridas, ouvir, estar atento, encorajar, abraçar.

O sucesso deste processo só pode ser a formação de cidadãos mais felizes, mais resilientes, mais seguros, mais ativos, mais participativos. Compreender o outro, pôr-se no lugar do outro, intervir para agir são resultados positivos para quem possui inteligência emocional. Aceitar a diferença, lutar a favor da igualdade de género, contra a violência doméstica, proteger o ambiente, compreender o outro e pôr-se no lugar do outro fazem, reconhecer o erro, pedir perdão, cuidar são parte dos objetivos da missão da Escola, do professor, na sua sala de aula, de coração aberto e olhos iluminados. Alunos felizes serão cidadãos felizes que darão voz às suas convicções, às suas ideias, porque é assim que serão proativos, por eles e em prol dos outros.

Acredito que a Escola contribui para o estímulo e o treino da inteligência emocional, junto das nossas crianças e jovens, mas também junto das famílias. Professores motivados cumprem a sua missão, dão de si mais do que o exigido e do que é valorizado. Os professores e as famílias fazem parte de uma adição cujo resultado só pode ser positivo.

A Educação é um dos pilares que sustém a sociedade. Não reconhecer esta premissa é não querer um melhor futuro para os nossos filhos, para nós, pais, para os avós, para quem precisa de ser cuidado, para todos e todas, para Portugal e para o mundo.

Professores felizes, alunos felizes, pais felizes. Juntos com a mesma visão: a promoção do sucesso escolar aliado à promoção de ferramentas que permitam gerir os desafios do mundo, do século XXI.

Um bom regresso para todos!

 

Sandra Correia

sandrampcorreia@gmail.com

 

 

Politécnico de Viseu regista um crescimento acima da média ao nível de novos alunos

O IPV disponibilizou 1356 vagas e foram colocados 936 candidatos, em que destes 668 escolheram o IPV como primeira opção, comparando com o ano anterior, verifica-se um aumento de 8% de alunos colocados. A taxa de ocupação subiu de 64,8% em 2021 para 69,0% este ano. Um crescimento superior à média nacional.
Segundo José Santos Costa, presidente do Instituto Politécnico de Viseu, refere que “O nosso desafio é ter mais estudantes ainda. Temos a segunda e a terceira fase e temos também outras modalidades de acesso, como os regimes especiais, que irão completar muitas vagas que não foram preenchidas.”
Com 936 novos alunos o IPV mantém a posição na lista de números absolutos de candidatos aos politécnicos nacionais, depois do Porto, Lisboa, Leiria, Setúbal e Bragança.
O IPV é uma das instituições localizadas em regiões com menor densidade demográfica que aumenta o número de alunos colocados nesta 1.ª fase do Concurso Nacional de Acesso ao Ensino Superior.
Das 31 licenciaturas disponíveis no Politécnico de Viseu, 13 preencheram todas as vagas disponíveis nesta fase: Comunicação Social, Educação Social, Artes Plásticas e Multimédia, Desporto e Atividade Física, Publicidade e Relações Públicas, Contabilidade, Engenharia Informática, Gestão de Empresas, Turismo, Enfermagem Veterinária, Serviço Social e Enfermagem.

                                                    Avança já a 2ªfase  
Para a 2.ª fase do CNAES, que decorre, entre 12 e 23 de setembro, o Politécnico de Viseu disponibiliza 431 vagas. As vagas ocupadas da 1.ª fase do concurso em que não se concretizou a matrícula e inscrição são divulgadas no dia 22 de setembro. Os resultados desta fase de colocação são divulgados a 30 de setembro.
Cerca de 20 mil estudantes privilegiaram o Ensino Superior Politécnico num reconhecimento da excelência deste Ensino.

Concurso de acesso ao Ensino Superior para diplomados de vias profissionalizantes

O IPV disponibilizou 184 vagas e foram colocados 92 dos 196 candidatos da 1.º fase deste concurso. Pela primeira vez o número de candidatos ultrapassou o número de
vagas disponíveis.
Acrescente-se o elevado número de alunos oriundos da Rede PEPER – Rede Regional para a Promoção do Ensino Profissional em Rede, do qual o IPV é signatário, criada em
novembro de 2019, e reúne instituições de ensino de 19 concelhos e as Comunidades de Viseu Dão Lafões e do Douro.
A 2.ª fase deste concurso decorre entre 30 de setembro e 04 de outubro. Os resultados são publicados a 17 de outubro.

Academi@ STEM Mangualde apresentou todo o seu trabalho no Algarve

Destaque para as atividades desenvolvidas para os vários anos de escolaridade e os recursos digitais e tecnológicos inovadores utilizados.

A Academi@ STEM Mangualde esteve presente no evento “ALGARMAT 22 – Inovação e o Digital na Aprendizagem da Matemática”. Esta iniciativa, promovida pelo Núcleo do Algarve da Associação de Professores de Matemática e pelo Agrupamento de Escolas de Silves, decorreu na Escola Básica João de Deus, em São Bartolomeu de Messines, e contou com a dinamização de uma sessão plenária, onde foram apresentadas as atividades implementas pela Academi@.

As professoras Cristina Ligeiro, de Matemática, Filomena Monteiro, de Física-Química e Paula Loureiro, de Ciências Naturais, do Agrupamento de Escolas de Mangualde e o Consultor Externo da Academi@, João Fernandes, dinamizaram uma sessão plenária na qual apresentaram o modelo organizacional e de trabalho da Academi@ STEM Mangualde, bem como alguns exemplos de atividades já implementadas, do pré-escolar ao 9ºano de escolaridade.

Das atividades apresentadas destacou-se com maior pormenor “À descoberta dos fundos oceânicos”.  Uma iniciativa desenvolvida para o 7ºano que recorre a diversas ferramentas digitais como o Google Earth e o Geogebra, desenvolvida em coadjuvação de professores, onde os alunos, em grupos de trabalho colaborativo, se organizam para a resolução do guião proposto. Esta atividade procura atender à aprendizagem centrada no aluno, que se objetivou, também, através do recurso à metodologia de desemprenho de papéis/debate em torno de uma questão-problema. O objetivo é que os alunos adquiram aprendizagens de Matemática, Físico-Química e Ciências Naturais, de forma articulada e desenvolvam competências do PASEO definidas para esta atividade.

Durante o evento, deu-se destaque à forma como a Academi@ desenvolve e planifica estas atividades, aos documentos colaborativos de trabalho utilizados e os recursos digitais e tecnológicos inovadores mobilizados na preparação de contextos de aprendizagem diferenciadores.

As professoras destacaram ainda o apoio que têm por parte da equipa no trabalho de desenvolvimento curricular, para a planificação e implementação de todas as atividades que produzem de forma colaborativa e salientaram, também, a importância da formação e reflexão contínua que têm vindo a realizar no âmbito da Academi@ STEM, com o intuito de melhorar as aprendizagens dos alunos e a sua motivação para a escola.

Numa apresentação de quase duas horas, o feedback da plateia revelou-se bastante positivo. Em vários momentos da exposição, foi notória a forma como os participantes se identificaram com alguns dos problemas sentidos, e também com as soluções que foram encontradas pela Academi@, nomeadamente, ao nível da articulação curricular horizontal e vertical conseguida nas três disciplinas STEM, para todo o 3º ciclo.

No final, o trabalho que a Academi@ tem vindo a desenvolver foi reconhecido e elogiado. Foi ainda dado destaque à forma entusiástica com que as Professoras e Consultor partilharam a sua experiência e como acreditam nesta metodologia de trabalho e de ensino.

Guarda-Investimento de 125 mil euros em livros de fichas e restante material escolar

O Município da Guarda vai entregar vales às famílias para aquisição de livros de fichas para os alunos que frequentam o 1.º Ciclo do Ensino Básico no Concelho da Guarda.
No entanto, o atual Executivo Municipal considera fundamental a autarquia promover a igualdade no acesso ao ensino e minimizar os encargos financeiros das famílias com a Educação, contribuindo para o princípio do elevador social.
Estas ajudas refletem-se em duas vertentes: – na aquisição dos livros suplementares (fichas), abrangendo todos os alunos do 1.º Ciclo matriculados nas escolas do Concelho do Ensino Público e Particular e todos os alunos que frequentam os restantes ciclos (do 5.º ao 12.º ano) que sejam identificados pelos Agrupamentos de Escolas como incluídos nos Escalões A e B do Abono de Família.
Para este efeito, não é necessário fazer qualquer inscrição na Câmara; e no apoio para a aquisição de materiais escolares aos alunos dos escalões A e B da ação social escolar que efetuaram candidatura atempadamente (através da Câmara ou nos Agrupamentos de Escolas) e que correspondem, respetivamente, ao posicionamento nos 1º e 2º escalões do abono de família.
Com estas medidas, a Câmara Municipal da Guarda pretende contribuir para atenuar o peso da despesa escolar no orçamento das famílias do Concelho.
Os vales serão entregues no início de setembro em datas e locais oportunamente divulgados e poderão ser trocados nas papelarias e livrarias da cidade.
Um investimento de 125 mil euros, três vezes superior aos anos anteriores, colocando o Concelho da Guarda como um dos municípios da região que mais aposta na educação das suas crianças e jovens.

Licenciatura de Gestão do Instituto Piaget recebe acreditação máxima

A licenciatura em Gestão do Instituto Piaget acaba de receber a acreditação máxima, pelo período de 6 anos, pela Agência de Avaliação e Acreditação do Ensino Superior (A3ES).

Segundo João Geraldes, docente e coordenador da licenciatura lecionada no ISEIT de Almada, “a acreditação pelo período máximo concedido é uma forma de reconhecimento do trabalho que toda a equipa docente e estrutura do Instituto Piaget tem realizado nestes últimos cinco anos”.

E o responsável acrescenta: “Este reconhecimento é um reforço e estímulo para continuarmos a trabalhar em prol dos nossos alunos e da comunidade envolvente, procurando formar futuros profissionais que dignifiquem os seus próprios nomes, o nome institucional do Instituto Piaget e das empresas onde venham a exercer profissionalmente”.

A licenciatura tem atualmente uma taxa de empregabilidade de 100% e o objetivo passa por ampliar a investigação e cimentar o prestígio do curso com o reforço da oferta formativa no 2.º ciclo e novas pós-graduações. Tudo isto em articulação com instituições internacionais, permitindo a mobilidade de estudantes e do staff associado à licenciatura.

Entre as mais-valias do curso destacam-se ainda a possibilidade de funcionamento em horário pós-laboral, os estágios extracurriculares em empresas da região e a excelente localização do Campus universitário.

Artigo de Ana Carolina Marques—Dúvidas mais comuns na área da Terapia da Fala Não custa nada ficar informado!

·         Como inicia o acompanhamento na terapia da fala?

O trabalho do terapeuta da fala divide-se em três fases: entrevista (anamnese), avaliação e tratamento. Na entrevista é feita uma recolha dos dados do paciente e do historial clínico, e em seguida é feita a avaliação de acordo com a queixa apresentada. Com base nos resultados obtidos, traça-se o plano terapêutico a ser implementado nas consultas seguintes e estabelece-se a periodicidade das mesmas.

·         O terapeuta da fala intervém com crianças?

A atuação do terapeuta da fala é muito abrangente, estendendo-se a todas as faixas etárias, desde o bebé recém-nascido ao adulto idoso.

·         Quando devo procurar o terapeuta da fala?

A procura de um terapeuta da fala deve obedecer à deteção de alguns sinais de alerta: atraso ou dificuldades no desenvolvimento da linguagem (comparativamente a outras crianças), gaguez, trocas e/ou omissões de sons, rouquidão, alterações no desenvolvimento motor (começou a segurar a cabeça, a andar ou a falar tardiamente), uso de chupeta, biberão, sucção do dedo, respiração oral, alteração na mastigação, na deglutição, dificuldades na leitura/escrita, dificuldades de compreensão, entre outros.

 

·         O uso da chupeta até idades tardias atrasa a fala?

O uso de chupeta, como também outros hábitos orais nocivos, tais como o uso do biberão, sugar o dedo, roer as unhas, morder os lábios, língua, bochechas e outros objetos (lápis, brinquedos, etc.), apertar e ranger os dentes, respiração oral, posição de repouso da língua alterada, entre outros, irão alterar a musculatura da boca e da face, imprescindível à produção dos sons da fala e às funções de mastigação e de deglutição, logo pode causar impactos significativos.

 

·         Qual é a diferença entre respirar pelo nariz e pela boca?

Na respiração nasal, o ar é humedecido, aquecido e filtrado de impurezas, enquanto o ar respirado pela boca chega ao organismo como se encontra no ambiente, ou seja, seco, frio e com impurezas, podendo causar problemas respiratórios. Além disso, sendo esta função responsável pelo desenvolvimento craniofacial, o padrão respiratório oral pode causar alterações no desenvolvimento dos dentes (oclusão dentária) e da musculatura da face (lábios, língua, bochechas, etc.), podendo gerar alterações na articulação, na voz, na mastigação e na deglutição, bem como alterações de sono e dificuldades de atenção e de concentração.

 

·          É possível “curar” a gaguez, mesmo em idade adulta?

Existem muitas abordagens, tanto em crianças, como em adultos, e todas elas visam minimizar os efeitos da disfluência (gaguez) e melhorar a experiência comunicacional da pessoa com os seus vários interlocutores, nos diferentes contextos, pois, uma vez que se trata de um problema de etiologia multifatorial e com diversos níveis de gravidade, não se pode falar em “reverter o processo” mas sim modificá-lo.

·         Comecei a usar aparelho ortodôntico e o meu médico dentista encaminhou-me para a terapia da fala. O que vou fazer à terapia?

As alterações dentárias e ósseas podem interferir nas funções de mastigar, deglutir, falar e respirar, assim como estas mesmas funções, quando realizadas de forma inadequada, podem causar ou contribuir para o surgimento ou reaparecimento de alterações dentárias. Assim, para além de corrigir estruturas dentárias e ósseas, é necessário avaliar e adequar as estruturas estomatognáticas (lábios, língua, bochechas, palato mole) e respetivas funções que as mantêm, a fim de proporcionar o equilíbrio, estabilidade e harmonia orofaciais.

 

Ana Carolina Melo Marques C-046322175

Terapeuta da Fala na APSCDFA, na Clínica Nossa Srª da Graça e na CliViseu

 

Cientistas da Universidade de Coimbra criam material altamente promissor para nova geração de dispositivos eletrónicos

No âmbito do programa “Cultura, Ciência e Tecnologia na Imprensa”, promovido pela Associação Portuguesa de Imprensa.Pela primeira vez, uma equipa de investigadores da Universidade de Coimbra (UC), liderada por Mahmoud Tavakoli, desenvolveu um nanocompósito de metal líquido revestido de grafeno, que pode ser usado como condutor transparente, com aplicações na próxima geração de dispositivos eletrónicos e painéis solares.

A investigação, desenvolvida no âmbito do projeto WoW, do Programa Carnegie Mellon Portugal, e do projeto MATIS-Materiais e Tecnologias Industriais Sustentáveis, através do Programa Portugal 2020, é o tema de capa da última edição da revista Advanced Materials Technologies.

Os investigadores demonstraram, através deste estudo, que nanopartículas de metal líquido revestidas de óxido de grafeno podem ser transformadas em elétrodos semitransparentes e condutores, através de uma técnica de processamento a laser rápida, de baixo custo e escalável, o que poderá ter um grande impacto em áreas como: ecrãs flexíveis, painéis solares flexíveis e até biossensores vestíveis (wearable).

«Os metais líquidos são interessantes porque proporcionam elasticidade e autorregeneração, além de serem excelentes na dissipação térmica. Portanto, este é um passo importante para a aplicação e desenvolvimento de ecrãs muito flexíveis e resistentes», explica Mahmoud Tavakoli, diretor do Laboratório de “Soft and Printed Microelectronic” do Instituto de Sistemas e Robótica (ISR) da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra (FCTUC).

Os investigadores acreditam que, no futuro, estas nanopartículas com propriedades especiais poderão ser impressas em grandes superfícies condutoras, a baixo custo. «As partículas de metal líquido encapsuladas de grafeno são uma classe nova e promissora de compósito bifásico, com aplicação na próxima geração de dispositivos eletrónicos. Nós demonstrámos que é possível fabricar de forma rápida (em poucos segundos), a baixo custo e em larga escala, estes novos elétrodos. Esta solução é primeiro depositada sobre o substrato por meio de revestimento por pulverização e, em seguida, processada através de um laser de baixo custo. Isso permite simultaneamente a redução, afinamento, extração e padronização com alta resolução dos filmes depositados», afirma o investigador do ISR da FCTUC.

A composição do novo material e o método de fabrico apresentado neste estudo representam assim um passo importante para a produção em larga escala e a baixo custo de grandes elétrodos baseados em grafeno. O próximo passo da investigação será, de acordo com Mahmoud Tavakoli, «explorar o uso de outros tipos de lasers para melhorar a condutividade ou transparência dos elétrodos, bem como estudar aplicações desta técnica nas áreas de eletrónica de filmes finos, sensores de gás e humidade e dispositivos de armazenamento de energia».

O artigo científico pode ser consultado em: Laser Writing of Eutectic Gallium–Indium Alloy Graphene‐Oxide Electrodes and Semitransparent Conductors – Chambel – 2022 – Advanced Materials Technologies – Wiley Online Library.

 

Workshop “Pais confiantes, famílias felizes”em Mangualde

 Vai acontecer o workshop “Pais confiantes, famílias felizes”, juntamente com a “Family Coaching”, no âmbito do mês da família, celebrado em maio, numa parceria da CPCJ de Mangualde, o Município de Mangualde e o CLDS 4G. Será no próximo dia 19 de maio, pelas 18h30, no auditório da Câmara Municipal de Mangualde.
O workshop “Pais confiantes, famílias felizes” possibilitará aos pais que participam no evento ter um primeiro contacto com o coaching parental, abordagem inovadora na área da parentalidade.
A participação no workshop é gratuita, mas de inscrição obrigatória até ao dia 18 de maio, através do cpcj.mangualde@cnpdpcj.pt.

“As escolas devem ser laboratórios de democracia e oficinas de paz” refere João Costa, ministro da Educação

O Ministro da Educação, João Costa, destacou a forma como as crianças ucranianas estão a ser recebidas nas nossas escolas, à chegada ao Conselho da União Europeia da Educação, Juventude, Cultura e Desporto (EJCD), no Luxemburgo.Ministro da Educação, João Costa, à entrada para o Conselho de Ministros da Educação, Juventude, Cultura e Desporto da União Europeia, Bruxelas, 5 abril 2022

A reunião foi dominada pela guerra na Ucrânia, tendo o Ministro afirmado que esta «é uma excelente oportunidade para uma reflexão conjunta sobre a forma como os sistemas educativos respondem a crises».

«Queremos que as escolas sejam laboratórios de democracia, oficinas de paz para que todos os alunos possam crescer num ambiente saudável e num ambiente que os protege», sublinhou João Costa, explicando que «em Portugal, estamos a receber crianças ucranianas integrando-as nas nossas escolas, apostando sobretudo no desenvolvimento de competências linguísticas e do seu bem-estar social e emocional».

Escola inclusiva e aberta para todos

O momento vivido atualmente na Europa coloca novos desafios, nomeadamente à Educação, como referiu o Ministro João Costa, que espera que se evidencie o que de melhor pode ser feito em termos de inclusão.

«Vivemos a pandemia, não esperávamos esta guerra terrível, bruta e injustificada na Ucrânia. Isto põe os nossos sistemas educativos à prova, mas também nos leva para a tomada de consciência da verdadeira missão dos sistemas educativos: promover inclusão, a mobilidade social, o acolhimento e a integração», disse o Ministro, salientando que é o momento para «mobilizarmos os nossos melhores recursos humanos e financeiros para estes desígnios, conquistando também a capacidade de monitorizar a eficácia e a eficiência dos recursos alocados.»

fonte:GP