Templates by BIGtheme NET
Início » Tag Archives: empresas

Tag Archives: empresas

“Sessão de apoio empresarial a PME: ferramentas e instrumentos”em Mangualde

O Município de Mangualde acolhe, no próximo dia 20 de junho, uma “Sessão de apoio empresarial a PME: ferramentas e instrumentos” promovida pelo IAPMEI – Agência para a Competitividade e Inovação, IP, em parceria com o Município de Mangualde, através do CIDEM – Centro de Inovação e Dinamização Empresarial de Mangualde. A iniciativa, que carece de inscrição prévia obrigatória, terá lugar no auditório do CIDEM, a partir das 10H00.

Esta sessão pretende fortalecer a proximidade entre as instituições envolvidas e o tecido empresarial local, através de serviços de informação e aconselhamento personalizados.

Os conteúdos apresentados vão englobar: Missão do IAPMEI; Certificação PME; Financiamento para PME; Incentivos e majorações para territórios de baixa densidade; Outros apoios para PME; Investimento e incentivos do PT2020 no concelho de Mangualde; Empresas PME Líder e Excelência no concelho de Mangualde.

Após a equipa técnica do IAPMEI fazer a apresentação da instituição e dos seus produtos e serviços, serão realizados atendimentos individuais, que estarão sujeitos a marcação prévia, para que os participantes possam esclarecer dúvidas.

A participação na iniciativa é gratuita, mas carece de inscrição prévia obrigatória até dia 15 de junho, através do seguinte link: https://forms.office.com/r/RfTjN0z6Gz

Contratos de financiamento da CIMBSE no âmbito do Programa de Apoio à Produção Nacional (PAPN)

Empresas do território das Beiras e Serra da Estrela assinam contratos do
Programa de Apoio à Produção Nacional – PAPN

 Na próxima terça-feira serão assinados numa cerimónia, na cidade da Guarda os contratos de financiamento da Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela no âmbito do Programa de Apoio à Produção Nacional (PAPN).

No Teatro Municipal da Guarda, pelas 15h00, um número significativo de micro e pequenas empresas com candidaturas aprovadas no PAPN assinam os contratos de financiamento com a Autoridade de Gestão do Programa Operacional Centro 2020, para poderem beneficiar de apoio de fundos europeus para projetos de investimento.

Ao aviso de concurso n.º CENTRO-D7-2021-12 publicado em fevereiro de 2021 pela Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela no âmbito do Programa de Apoio à Produção Nacional (PAPN), foram submetidas 122 candidaturas das quais foram aprovadas 61 candidaturas que totalizam um investimento elegível total de 9.074.310,00€ ao qual está associado um financiamento (fundo europeu FEDER) no montante de 5.133.835,00€, distribuído pelas empresas ligadas ao setor do Turismo no montante de 816.796,00€ e o restante pelas empresas ligadas ao setor da Indústria de transformação/extração no montante de 4.317.039,00€.

Estas empresas vão investir, na expansão das suas instalações, aquisição de novos equipamentos, diversificação da produção, redução de custos com energia e modernização de processos e serviços prestados.

Estas empresas operam sobretudo nos setores na CAE REV 3: Indústrias extrativas; Indústrias transformadoras; Turismo: Estabelecimentos hoteleiros, turismo no espaço rural, parques de campismo e de caravanismo, restauração e organização de atividades de animação turística. 

 O Programa de Apoio à Produção Nacional é uma iniciativa da área governativa da Coesão Territorial destinada ao investimento empresarial produtivo e dirigida essencialmente ao setor industrial. O programa foi lançado com uma dotação de 100 milhões de euros, 50% dos quais afetos aos territórios do Interior, e recebeu candidaturas de 4.128 projetos de investimento, que solicitaram investimentos na ordem dos 587 milhões de euros.

A medida, dirigida às micro e pequenas empresas criadas há pelo menos um ano que assumam o compromisso de não reduzir o número de postos de trabalho, apoia o investimento em máquinas, equipamentos, serviços tecnológicos/digitais, bem como sistemas de qualidade e de certificação que permitam alterar os processos produtivos das empresas. É um importante apoio à transição digital e energética, à introdução de processos de produção ambientalmente mais amigáveis servindo, simultaneamente, de estímulo à produção nacional. Garante ainda a melhoria da produtividade das empresas em contexto de novos modelos de negócios e apoia a expansão e modernização da produção em projetos de base local.

 

Município da Guarda celebra contratos de incentivo ao investimento com empresas

Nos Paços do Concelho da Guarda, foram assinados Contratos de Incentivo ao Investimento entre Município da Guarda e as empresas Sodecia Powertrain Guarda, SA, com sede no Parque Industrial, e a Prosperpadrão, Lda, com sede na Quinta da Portela, na freguesia da Faia. Os contratos são realizados no âmbito do Regulamento de Projetos de Investimento de Interesse Municipal do Concelho da Guarda, que define a concessão de incentivos à atividade empresarial no concelho. Os documentos foram assinados pelo presidente da Câmara da Guarda, Sérgio Costa, e pelos representantes das respetivas empresas, José Carlos Rodrigues Teixeira e Julieta Veneranda Paredes Madeira, vogais do Conselho de Administração da Sodecia, e Jasper Jurriaan Groenewegen, gerente da Prosperpadrão, Lda,.

Estes incentivos concretizam-se na concessão de benefícios fiscais, isenção ou redução de taxas Municipais e apoio financeiro à criação de emprego, aos quais se podem candidatar a generalidade das empresas instaladas ou que se queiram instalar no nosso concelho.

Fonte:MG

IPG capacita quadros para acelerar a digitalização das PME e da Administração Pública

O Instituto Politécnico da Guarda (IPG) vai passar a capacitar quadros de pequenas e médias empresas (PME) e da Administração Pública para a transformação digital, através da sua inclusão no consórcio do polo de inovação digital PTCentroDiH. O objetivo é tornar os tecidos governamental, humano e empresarial da Região Centro mais inovadores e mais competitivos no mercado global.

Docentes do IPG irão responder às necessidades das empresas e dos serviços da Administração Pública que procuram o PTCentroDiH para atualizar os seus conhecimentos digitais, em conjunto com outras entidades parceiras deste polo de inovação digital. O objetivo é tornar os tecidos governamental, humano e empresarial da Região Centro mais competitivos no mercado global.

“O Politécnico da Guarda destacou uma equipa qualificada na área das Tecnologias de Informação e Comunicação para integrar o PTCentroDiH”, afirma Joaquim Brigas, Presidente do IPG. “A capacitação digital, quer ao nível profissional, quer ao nível pessoal, é essencial para acelerar o crescimento social e económico do país”.

Segundo Pedro Arrifano Tadeu, docente e coordenador do projeto pelo IPG, “os docentes do IPG irão responder às necessidades das empresas e dos serviços da Administração Pública que procuram o PTCentroDiH para atualizar os seus conhecimentos digitais, em conjunto com outras entidades parceiras deste polo de inovação digital. Vamos ajudar a formar recursos humanos em áreas ligadas à programação e à utilização de elementos multimédia, como por exemplo o LEGO MindStorm EV3 ou  o Thinglink”.

O PTCentroDiH é um consórcio alargado de entidades da Região Centro que, em junho deste ano, foi reconhecido como polo de inovação digital e irá integrar a rede nacional. O PTCentroDiH funciona como um balcão único para promover a competitividade, a inovação e a coesão territorial da Região Centro.

É constituído por 21 entidades: Cluster Engineering & Tooling, Cluster Habitat Sustentável, InovCluster, TICE.PT, AEMITEQ, AIBILI, BLC3, CENTIMFE, Itecons, CTCV, Instituto de Telecomunicações, Instituto Pedro Nunes, Institutos Politécnicos da Guarda, de Castelo Branco, de Coimbra, de Leiria, de Tomar, de Viseu, e ainda, pelas Universidades da Beira Interior, de Aveiro e de Coimbra.

CIMBSE propõe apoios para as empresas do têxtil e vestuário

Com as exportações de têxteis e vestuário das empresas da região a registar uma quebra de quase 30%, a CIM BSE apela ao Governo para reforçar os apoios e evitar o aumento desemprego e dos problemas sociais no futuro próximo.

De acordo com a análise aos dados do INE, a região das Beiras e Serra da Estrela registou uma quebra de cerca de 30% nas exportações de têxteis e vestuário em 2020, sendo uma região particularmente atingida pelos efeitos económicos causados pela pandemia de COVID-19. No subsector do vestuário de tecido, essa redução foi ainda superior.

A quebra nos negócios nestes sectores pode ter implicações sociais graves no futuro a curto prazo, sobretudo porque a indústria têxtil e vestuário é muito representativa no total de trabalhadores da indústria transformadora da região.

No contacto com as empresas dos sectores, a Comunidade Intermunicipal percebeu que não existem perspetivas de retoma nos principais mercados europeus – que representam 75% das exportações de têxteis e vestuário da região – nos próximos meses, temendo, por isso, pelos efeitos devastadores que isso possa ter nas empresas e no emprego na região.

“É por isso, fundamental, que o Governo reforce os apoios a estas empresas, permitindo o acesso ao regime de layoff simplificado e aumente as subvenções previstas para a formação para que seja possível suspender parcial e temporariamente a atividade industrial, sem perda de postos de trabalho, o que é fundamental para o equilíbrio
económico e social da região”, refere fonte da CIMBSE.

Município de Pinhel quer apoiar empresas que encerraram devido ao confinamento

Em reunião extraordinária, do Executivo Municipal Pinhelense, o Presidente da Câmara Municipal de Pinhel, Rui Ventura propôs ao Executivo a aprovação de um apoio financeiro às empresas com sede no concelho que tiveram de encerrar devido à situação de confinamento.
Um apoio no valor de 500 euros por empresa, para “reforço da tesouraria das empresas”, não acumulável com outros apoios para o mesmo efeito.
Feito o levantamento das empresas que poderão vir a beneficiar deste apoio, estima-se que sejam cerca de 135 pequenas ou médias empresas, o que deve representar um investimento do Município na ordem dos 70.000€.
Não sendo o valor desejado, todos gostariam que fosse mais, é um valor que poderá ajudar e que está ao alcance do Orçamento Municipal definido para 2021″,refere o autarca.
Da ordem de trabalhos desta reunião extraordinária, importa ainda referir a aprovação de quatro propostas de atribuição de apoios financeiros a outras tantas Freguesias do concelho, sendo todos eles destinados ao melhoramento de caminhos rurais, competência das Juntas de Freguesia que, contudo, precisam do apoio do Município para levar a efeito estes investimentos que, no total, somam cerca de 212 mil euros.
Agora estas medidas precisam de ser aprovadas na Assembleia Municipal de 26 de fevereiro.

Covid-19 -Programa Apoiar /Medida Apoiar + Simples para as empresas

Neste tempo de pandemia à necessidade de apoiar financeiramente as empresas afetadas, deste modo, o Governo aprovou ao abrigo do Programa APOIAR, a Medida Apoiar + Simples, tendo em vista preservar a continuidade da atividade económica e do emprego.

Podem candidatar-se à Media Apoiar + Simples, os empresários em nome individual (ENI), sem contabilidade organizada, com trabalhadores a cargo, nos setores abrangidos pelo Programa APOIAR. As candidaturas decorrem de 28 de janeiro de 2021 até ao esgotamento da dotação e o apoio a conceder equivale a 20% do montante da diminuição de faturação da empresa, até ao limite máximo de 4.000€.

Para apresentação de candidaturas, consulte o Aviso n.º 01/SI/2021, de 28 de janeiro.

Empresas da região Centro são contempladas com 52,7 milhões de euros de fundos europeus

No âmbito da Iniciativa de Investimento em Resposta ao Coronavírus, em maio e junho de 2020, foram aprovados, no PORTUGAL 2020, 52,7 milhões de euros de fundos europeus para as empresas da região Centro, correspondendo a um investimento elegível de 64,6 milhões de euros.

Estes fundos foram mobilizados através do sistema de incentivos às empresas, onde, de forma célere, foram abertos avisos de concurso para apoiar, por um lado, as empresas, entidades e laboratórios nacionais na produção de equipamentos e dispositivos médicos, testes e equipamentos de proteção individual associados ao combate à Covid-19 e, por outro, as micro empresas e as pequenas e médias empresas (PME) no esforço de adaptação às normas e regras estabelecidas pelas autoridades competentes na sequência do surto pandémico. Os montantes aprovados foram direcionados sobretudo para a inovação produtiva (90%) e, em menor escala, para a qualificação de PME (6%) e para a investigação e desenvolvimento empresarial (4%), tendo sido co-financiados, sobretudo, pelo Programa Operacional Regional CENTRO 2020 (63%), mas também pelo Programa Operacional Competitividade e Internacionalização, COMPETE 2020 (37%).

Mais especificamente, o CENTRO 2020 financiou, na região, projetos que ascendiam a 40,5 milhões de euros de investimento elegível e a 33,0 milhões de euros de fundo europeu aprovado, tendo este montante de apoio sido direcionado sobretudo para a inovação produtiva (90%) e, em menor escala, para a qualificação de PME (6%) e para a investigação e desenvolvimento empresarial (4%).

Já o COMPETE 2020 aprovou 19,6 milhões de euros de fundos europeus para a região Centro, correspondendo a 24,0 milhões de investimento elegível. Também neste programa operacional, os incentivos foram sobretudo para a inovação produtiva (89%) e, em menor escala, para a investigação e desenvolvimento empresarial (10%) e para a qualificação de PME (1%).

A Iniciativa de Investimento em Resposta ao Coronavírus (CRII, do inglês Coronavirus Response Investment Initiative), lançada pela Comissão Europeia, entrou em vigor no dia 1 abril de 2020, visando a mobilização de reservas de tesouraria disponíveis nos Fundos Europeus Estruturais e de Investimento (fundos de coesão) para responder de modo flexível às necessidades emergentes dos setores mais expostos à crise provocada pelo surto de Covid-19. Aos Estados Membros era, assim, permitido que gastassem fundos ainda não utilizados para mitigar o impacto da pandemia, em vez de devolvê-los ao orçamento da União Europeia. Esta iniciativa traduziu-se num primeiro pacote de medidas, que totalizou 37 mil milhões de euros de investimento público europeu para fortalecer os sistemas de saúde, apoiar as PME, os mercados de trabalho e os serviços básicos comunitários dos diversos Estados-Membros, beneficiando Portugal de 1,8 mil milhões de euros.

Foram ainda lançadas uma série de medidas excecionais de resposta à Covid-19 no âmbito do PORTUGAL 2020, como sejam a flexibilização de regras de reembolso, elegibilidade e avaliação de objetivos ou a redução dos prazos de pagamento, entre outras.

Esta informação integra a oitava edição da publicação “PORTUGAL 2020 na Região Centro”, com referência a 30 de junho de 2020, documento que permite um conhecimento aprofundado sobre a aplicação dos Fundos Europeus.

Fonte:CCDRC

Foto:DR

Distrital do PSD Guarda visitou empresas e reuniu em Pinhel

A nova unidade industrial da COFICAB e a empresa de transportes e logística OLANO, duas empresas de referência que muito contribuem para o desenvolvimento económico da região tiveram a visita da Distrital do PSD Guarda (liderada por Carlos Condesso), juntamente com Carlos Peixoto, deputado da AR e Carlos Chaves Monteiro,presidente da Câmara da Guarda.

Esta iniciativa, tem como outros objetivos, auscultar as preocupações sentidas pelos empresários e as suas reivindicações neste período tão complexo em que se vive devido ao atual estado de pandemia.

Recorde-se que ainda neste mês de outubro, tinha estado numa visita ao concelho de Pinhel para mais uma das reuniões descentralizadas pelo Distrito.

Mais de 1000 empresas de atividade turística do Centro de Portugal já são “Clean and Safe”

Mais de 1000 empresas de atividade turística do Centro de Portugal já conquistaram o direito de exibir o selo “Clean and Safe”. Este selo, recorde-se, resulta de um processo de certificação do Turismo de Portugal que visa transmitir maior confiança aos turistas.

Na região Centro de Portugal, exibem já o selo, ao dia de hoje, 418 empreendimentos turísticos, 224 unidades de alojamento local, 214 agentes de animação turística, 149 agências de viagens e operadores turísticos e ainda 86 restaurantes (estes ao dia de ontem). Para a restauração, assinale-se, o processo começou mais tarde, a 15 de maio. Os números têm crescido diariamente, assim como o interesse manifestado pelas empresas em aderir ao processo, através da colocação de questões práticas sobre o processo formal de obtenção do selo e quanto aos procedimentos a adotar, uma vez que cada tipo de atividade tem associado um conjunto de requisitos específicos.
Turismo Centro de Portugal (TCP) associou-se desde a primeira hora a esta iniciativa, através da divulgação do selo “Clean & Safe” junto das empresas elegíveis e da disponibilização de apoio técnico a todos os interessados. Paralelamente, o TCP tem em curso um conjunto de videoconferências, em parceria com o Turismo de Portugal e com representantes das associações do setor, com o intuito de reforçar a formação dos empresários sobre todos os aspetos deste selo.

Registe-se que o Gabinete de Apoio ao Investimento Turístico do TCP recebeu, desde 10 de março, mais de 550 atendimentos a empresários, com dúvidas relacionadas com o período de pandemia e também sobre novos projetos de investimento. Só em maio, registaram-se já 225 atendimentos, o que prenuncia que este vai ser o mês com mais atendimentos de sempre.

Os empresários da atividade turística do Centro de Portugal estão de parabéns. Assim que o Covid-19 os obrigou a suspender as operações, arregaçaram as mangas e dedicaram-se a preparar o dia em que poderiam reabrir”, sublinha Pedro Machado, presidente do Turismo Centro de Portugal. “Hotéis, alojamentos, restaurantes e todas as empresas do setor não se pouparam a esforços para dotar os seus estabelecimentos e os seus negócios de todas as condições exigidas por esta nova realidade, pelo que não surpreende que sejam já mais de 1000 as empresas da região com o selo ‘Clean & Safe’. Este selo é a melhor garantia que podemos dar aos turistas de que podem visitar o Centro de Portugal em total segurança”, acrescenta.

Mais de um terço dos empreendimentos turísticos da região de portas abertas

O Gabinete de Apoio ao Investimento Turístico do TCP calcula que mais de um terço dos empreendimentos turísticos da região Centro de Portugal estão a funcionar, de acordo com um levantamento feito pela entidade. Os números, que resultam de uma amostra representativa das unidades da região (à exceção de parques de campismo), demonstram que 39,8% dos empreendimentos estão abertos, 33,7% vão reabrir até 15 de junho e 26,3% só o farão depois de 15 de junho.

Postos de informação turística a caminho da normalidade

Dois dos postos de informação turística do Turismo Centro de Portugal já reabriram as portas, após o período de confinamento obrigatório, e estão disponíveis para prestar todo o auxílio a quem os procura. São eles os postos de Aveiro e Fátima, que estão abertos desde dia 18 de maio, funcionando das 10h00 às 13h00 e das 14h00 às 16h00. A partir de 1 de junho, funcionarão no horário regular.

Os postos de informação turística de Leiria, Coimbra, Covilhã e Viseu vão reabrir a 25 de maio, funcionando das 10h00 às 13h00 e das 14h00 às 16h00. A partir de 1 de junho, funcionarão no horário regular. A 1 de junho, abrirão também os postos de informação turística de Manteigas, Belmonte e Vilar Formoso (estes dois de forma condicionada), no horário regular.

Todos os colaboradores receberam formação específica para poderem prestar esclarecimentos aos visitantes no contexto da pandemia de COVID-19, estando igualmente disponíveis para disponibilizar equipamento de proteção individual e dispensadores de solução à base de álcool. Os espaços são, naturalmente, higienizados e limpos várias vezes ao dia.