Templates by BIGtheme NET
Início » Tag Archives: escolas (Pagina 3)

Tag Archives: escolas

Aulas à distância regressam dia 8 de fevereiro

As aulas à distancia arrancam novamente na próxima segunda -feira, com muito alunos a terem algumas dificuldades por falta de computadores , segundo o Governo espera ainda a chegada de mais 335 mil portáteis, cuja entrega foi atrasada por problemas de abastecimento dos fabricantes.

Mas também regressa o “Estudo em Casa”, na RTP Memória com os diversos horários de disciplinas para todos. As aulas online iniciam às 9h da manhã e terminam às 16h30.

agora saliente-se que e toda a região as escolas de apoio (referência), mantêm o seu trabalho de dar acolhimento aos alunos que a situação seja pertinente.

Vamos quando poderá voltar o ensino presencial , mas nunca antes de março.

 

Ensino fecha durante 15 dias terá compensação no Carnaval e Páscoa

Depois de ter sido anunciado pelo primeiro- ministro António Costa, o encerramento do ensino durante 15 dias, sem recorrer a aulas online, foi explicado depois pelo Ministro da Educação, Tiago Rodrigues que esta aulas que não acontecem agora terão de ser compensadas nas Férias do Carnaval, Páscoa e verão.

Deste modo, regressam os alunos novamente aos estabelecimentos de ensino a 8 de fevereiro.

Já os pais de crianças até 12 anos terão direito a faltas justificadas ao trabalho e a um apoio idêntico ao que foi dado na primeira fase do confinamento, em março.

Os pais “terão faltas justificadas ao trabalho, se não estiverem em teletrabalho, e um apoio idêntico ao que foi dado na primeira fase do confinamento”, que corresponde a 66% da remuneração, adiantou o primeiro-ministro.

Rui Ventura solicitou a suspensão das aulas presenciais, em todos os ciclos de ensino, no concelho de Pinhel.

Rui Ventura, Presidente do Município de Pinhel,solicitou nesta quarta-feira, a suspensão das aulas presenciais, em todos os ciclos de ensino, no concelho de Pinhel.
Deste modo, o pedido foi feito num ofício remetido pelo autarca pinhelense, ao final da tarde desta quarta-feira, à Delegada de Saúde do Concelho de Pinhel, Dra. Benilde Mendes, com conhecimento ao Primeiro-Ministro, à Ministra da Saúde, ao Ministro da Educação, à Delegada Regional de Educação do Centro e à Delegada de Saúde Coordenadora da ULS da Guarda, Dra. Ana Isabel Viseu.

Confrontado com os últimos dados publicados pela Unidade Local de Saúde da Guarda, ao final do dia de ontem, de acordo com os quais se torna evidente que “o vírus circula, descontroladamente, pelo concelho de Pinhel”, o autarca considera ser esta a forma mais eficaz de tentar travar uma situação já por si muito grave.

“No concelho de Pinhel, autorizar a realização das aulas em regime não presencial, desde o Pré-Escolar ao Secundário, determina o confinamento obrigatório de 731 alunos, 129 professores e 65 assistentes operacionais do Agrupamento de Escolas de Pinhel, números a que acrescem mais 99 crianças e 21 funcionários do ensino Pré-Escolar da Santa Casa da Misericórdia de Pinhel”, explica o autarca, concluindo que “esta é uma tomada de posição, clara e inequívoca, por parte da Autarquia e da Proteção Civil Municipal”.

E porque “não estamos em tempo de meias palavras, nem tão pouco de meias atitudes”, o Presidente da Câmara Municipal de Pinhel termina a sua missiva pedindo uma resposta célere ao pedido apresentado.

O ofício remetido à Delegada de Saúde do Concelho de Pinhel pode ser consultado aqui: https://cm-pinhel.pt/presidente-da-camara-municipal-de-pinhel-pede-suspensao-das-aulas-presenciais-em-todos-os-ciclos-de-ensino-no-concelho-de-pinhel/.

 

Escolas têm de ter um sério reforço da segurança sanitária refere o Sindicato de Professores da Z.Centro

Em comunicado, o Sindicato dos Professores da Zona Centro, referem:” Os efeitos da pandemia exigem dos responsáveis do Ministério da Educação ação e não apenas palavras. Nestes tempos difíceis, professores e educadores continuam sobrecarregados nas suas funções e sem as necessárias condições. E não entendem o porquê de, estando na linha da frente, não fazerem parte do grupo prioritário de vacinação.
O SPZC considera que se vive um momento particularmente sensível e de preocupação a nível da saúde pública, agravado neste mês de janeiro, que exigirá um esforço acrescido de todos neste contexto de novo confinamento.
Os educadores e professores estão claramente na primeira linha de resposta a dar às solicitações de alunos e comunidade neste tempo de pandemia.
Mas uma coisa é certa, o Ministério da Educação não fez o trabalho de casa no que diz respeito à criação de condições para o bom funcionamento das escolas. Faltam recursos que permitam aos docentes fazer face à sobrecarga de trabalho com que desde o início deste ano escolar estão confrontados. Falta a inclusão dos docentes nos grupos prioritários na vacinação. Falta uma resposta eficaz para os professores e educadores de grupos de risco. Falta a necessária redução do número de alunos por turma, de forma a ser respeitado o distanciamento físico de segurança.
Este confinamento, no que diz respeito às medidas anunciadas e agora em vigor, tem pouco de confinamento. São inúmeras as exceções ao mesmo.
O SPZC está preocupado com os cerca de três milhões de alunos, pais e encarregados de educação em circulação diária. A mobilidade deste elevado número de pessoas, muitas delas utilizando o transporte público, são um enorme risco a nível de cadeias de transmissão da covid-19. Perante as inúmeras interrogações que se levantam, e não pondo de parte a importância inigualável do ensino presencial, o eventual recurso ao ensino misto não deverá ser descartado. De forma particular os alunos pertencentes aos sectores de ensino mais avançados.
Apesar desta situação difícil e complexa, o SPZC continua inteiramente ao serviço dos docentes. O apoio sindical, a formação e as áreas social e cultural serão as pedras de toque da atuação, com uma proximidade permanente e constante e estamos disponíveis para o ajudar.
Porque se está no início de mais um ano civil, o SPZC não poderá deixar de transmitir uma nota de descontentamento pelos resultados havidos nas negociações no âmbito da Administração Pública. Lamentavelmente, os aumentos para este ano, uma vez mais, não incluirão os docentes. Já lá vai mais de uma década com desvalorização salarial e perda do poder de compra. Não é desta forma que se atraem os desejáveis e necessários novos professores para o sistema educativo.

Escolas receberam instruções sobre entrega dos computadores

Os serviços do Ministério da Educação enviaram instruções às escolas sobre o acesso a computadores e a respetiva ligação à internet, no âmbito do programa Escola Digital.
A partir do corrente ano letivo, serão aplicadas medidas que permitirão concretizar este objetivo de forma faseada. Entre elas destaca-se o fornecimento de computadores, auscultadores e hotspots de ligação à internet, bem como a capacitação dos professores e a criação de recursos pedagógicos digitais.
Os alunos abrangidos pelo escalão A da Ação Social Escolar, que frequentam o ensino secundário, e que não têm computador em casa, são os primeiros a receber o material.
Cada aluno receberá um computador portátil, auscultadores com microfone, uma mochila, um hotspot e um cartão SIM, que garante a conetividade a partir de qualquer ponto do País (pressupondo uma utilização responsável de dados móveis).
Foram definidos três tipos de computador: para o 1.º ciclo do ensino básico; para os 2.º e 3.º ciclos do ensino básico; e para o ensino secundário.
A identificação dos equipamentos entregues será registada numa plataforma que centraliza a informação sobre os computadores atribuídos a cada agrupamento de escolas/escola não agrupada.

Escola de Gouveia realizou exercício “A Terra Treme”

Decorrer na Escola Básica de Gouveia, na manhã desta quinta-feira, o exercício de âmbito nacional “A Terra Treme”, com a colaboração dos alunos que executaram os três gestos básicos de proteção em caso de sismo: “Baixar-Proteger-Aguardar”.

Esta iniciativa procura chamar a atenção para o risco sísmico e para a importância de comportamentos simples que devem ser adotados em caso de sismo, e que podem salvar vidas.

Para além do corpo de Bombeiros Voluntários de Gouveia, foram também parceiros/promotores desta iniciativa a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) via Comando Distrital de Operações de Socorro da Guarda (CDOS), Agrupamento de Escolas de Gouveia, Câmara Municipal de Gouveia pelo Gabinete de Proteção Civil e também o Gabinete de Proteção Civil da Mêda.

foto:BVG

Escolas recebem 50 a 75 euros por tonelada na campanha “Escola Electrão”

Electrão – Associação de Gestão de Resíduos – quer aumentar a quantidade de pilhas, baterias e equipamentos eléctricos usados recolhidos nos estabelecimentos de ensino durante este ano lectivo de 2020-2021, que coincide com a 10º edição da campanha “Escola Electrão”.

“O ano lectivo será marcado pela incerteza, devido à Covid-19, mas mais do que nunca o Electrão quer ver crescer os resultados desta acção, não só em relação ao número de escolas envolvidas, mas também no que diz respeito a alunos participantes e, claro, à quantidade de resíduos recolhida. A pandemia que nos assolou veio mostrar que é urgente mudar os comportamentos”, sublinha o director-geral do Electrão – Recolha e Reutilização, Ricardo Furtado.

Para cumprir esta missão o Electrão conta com o envolvimento da comunidade escolar, a começar nos alunos e nas suas famílias, passando pelos professores, sem esquecer todos os funcionários dos estabelecimentos de ensino aderentes.

Por cada tonelada de equipamentos eléctricos recolhidos cada escola recebe 50 euros. Cada tonelada de pilhas e baterias vale 75 euros. As quantidades recolhidas dão também direito a pontos que podem ser convertidos em prémios, atribuídos com o apoio dos parceiros da campanha.

O Electrão disponibiliza meios para o acondicionamento dos equipamentos nas escolas, nomeadamente caixas para recolha de pilhas, de lâmpadas, tubulares e outras, e cubas para pequenos equipamentos.

Para aderirem a esta campanha as escolas podem preencher o formulário que está disponível no site do Electrão.

Aprender com a “Escola Electrão”

Mas nem só para distribuir prémios existe a “Escola Electrão”. A campanha tem também como objectivo a sensibilização para a necessidade de reencaminhar correctamente os resíduos. Para essa missão conta com o apoio dos professores.

A “Escola Electrão” disponibiliza por isso aos docentes recursos educativos e conteúdos ajustados a cada ciclo para que a temática possa ser explorada durante as aulas.

No ano passado foi distribuído, em papel, o livro “Electrão? Conheço bem, muito obrigado!” e lançado o “Quiz Escola Electrão”, um desafio para todos, criado para motivar os alunos para o desígnio da reciclagem, que habilita as escolas a ganhar prémios.

Neste novo lectivo o Quizz irá manter-se activo e está a ser preparada uma nova coleção intitulada “Mini-Aventuras Electrão”, que as escolas poderão consultar em versão digital no site electrao.pt. “Onde começa tudo?” é o primeiro livro desta série.

Outra das novidades deste ano será o desafio “Repórter Electrão”, a lançar às escolas, para que incentivem os seus alunos a criar conteúdos criativos que ajudem a criar hábitos de reciclagem.

Alunos do 1º ciclo receberam livros de exercícios do Município de Celorico da Beira

A Câmara Municipal de Celorico da Beira ofereceu aos alunos do 1º Ciclo do Ensino Básico do concelho, cerca de 200 livros de exercícios para as disciplinas de português, matemática, estudo do meio e inglês. A autarquia investiu 5800€ para ajudar 154 crianças que frequentam o 1.º ciclo. O apoio concretiza-se não só nos cadernos de exercícios, como também em forma de vouchers a utilizar nas livrarias/papelarias do concelho (aderentes), que devem ser levantados pelos encarregados de educação.

O presidente da Câmara Municipal, Carlos Ascensão, deslocou-se,  às 5 escolas do 1º ciclo de ensino básico (Lajeosa do Mondego, Baraçal, Fornotelheiro, Santa Luzia e São Pedro), para oferecer a todos os alunos estes cadernos de exercícios, uma iniciativa que visa aliviar a carga financeira das famílias no início do ano letivo.

Os vouchers e os livros de exercícios para as quatro disciplinas e para os quatro anos do 1º Ciclo do Ensino Básico, fazem parte do programa municipal de ação social escolar, implementado para o ano letivo de 2020/2021 que contribui para que todos os alunos tenham acesso gratuito a este material necessário para o ano escolar.

Escolas de Fornos e Trancoso que participam com hinos nos Heróis da Fruta

Fornos de Algodres Associação de Promoção Social, Cultural e Desportiva de Fornos de Algodres Sala Laranja (2 Anos) https://www.heroisdafruta.com/2020/01/associacao-promocao-social-cultural-desportiva-fornos-algodres.html 760457255 0 0
131
Guarda Fornos de Algodres JI de Figueiró da Granja Todas https://www.heroisdafruta.com/2020/01/ji-figueiro-da-granja.html 760457317 0 0
132
Guarda Fornos de Algodres JI de Muxagata Todas https://www.heroisdafruta.com/2020/01/ji-de-muxagata.html 760457318 0 0
133
Guarda Fornos de Algodres JI de Algodres Todas https://www.heroisdafruta.com/2020/01/ji-de-algodres.html 760457319 0 0
134
Guarda Fornos de Algodres EB de Fornos de Algodres Todas https://www.heroisdafruta.com/2020/01/eb-fornos-de-algodres.html 760457320 0 0
135
Guarda Fornos de Algodres EB de Figueiró da Granja Todas https://www.heroisdafruta.com/2020/01/eb-figueiro-da-granja.html 760457321 0 0
136
Guarda Fornos de Algodres JI Fornos de Algodres Todas https://www.heroisdafruta.com/2020/01/ji-fornos-de-algodres.html 760457322 0 0
137
Guarda Guarda Escola Regional Dr. José Dinis da Fonseca Sala da Pré https://www.heroisdafruta.com/2020/01/escola-regional-dr-jose-dinis-fonseca.html 760457380 0 0
138
Guarda Trancoso JI de Trancoso Sala 1 https://www.heroisdafruta.com/2020/01/sala1-ji-trancoso.html 760457367 0 0
139
Guarda Trancoso JI de Trancoso Sala 2 https://www.heroisdafruta.com/2020/01/sala2-ji-trancoso.html 760457368 0 0

150 Carvalhos plantados em Mangualde

 

Uma centena e meia de carvalhos foram plantados em Mangualde, pelos alunos das escolas numa iniciativa da Associação Lousitânea – Liga de Amigos da Serra da Lousã e a Fundação Benfica, em parceria com a Câmara Municipal de Mangualde,criaram uma ação de educação ambiental intitulada “Faz da tua Escola um Viveiro”, inserida num projeto de prevenção e sensibilização para riscos em vários ambientes.

Desta forma , na manhã de quinta -feira,  dia 21 de novembro, com a ajuda dos 150 alunos do 3.º ano da Escola Ana de Castro Osório e da EB1 de Mesquitela do Agrupamento de Escolas de Mangualde, foram plantados cerca de 150 Carvalhos na Serra de St. António dos Cabaços, na União de Freguesias Mangualde, Mesquitela e Cunha Alta. A ação contou, por isso, com o apoio desta União de Freguesias.

 Estiveram presentes o Presidente da Câmara Municipal de Mangualde, Elísio Oliveira, e o Presidente da União de Freguesias de Mangualde, Mesquitela e Cunha Alta, Marco Almeida, assim como também o Agrupamento de Escolas de Mangualde e a Associação Lousitânea – Liga de Amigos da Serra da Lousã. A plantação das árvores germinadas nos restantes estabelecimentos de ensino do Agrupamento de Escolas de Mangualde será realizada nas próximas semanas.

Espaço de Viveiro com espécies autóctones vai ser criado

Este projeto foi apresentado ao Agrupamento de Escolas de Mangualde e consistiu na criação de um espaço de viveiro com espécies autóctones, o carvalho-negral (Quercus pyrenaica) e o carvalho-alvarinho (Quercus robur), nas escolas e alargado também às famílias das crianças. Recorde-se que a primeira fase do projeto consistiu numa pequena abordagem teórica e na realização de sementeiras e apadrinhamento com os alunos e decorreu nos dias 4, 5 e 6 de fevereiro de 2019, com todos os estabelecimentos do 1.º Ciclo do Ensino Básico de Mangualde. A segunda fase consistiu na plantação das árvores germinadas na primeira fase, após processo de crescimento, e decorreu no âmbito do Dia da Floresta Autóctone.