Templates by BIGtheme NET
Início » Tag Archives: Estrela Geopark

Tag Archives: Estrela Geopark

Fornos de Algodres- Percurso noturno no âmbito aBEIRAr

Vai ter lugar neste próximo sábado, um percurso noturno com início e término no Miradouro de Santa Luzia, em Infias, acompanhados de Rui Agostinho, do Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço, que sob o desígnio do CÉU, proporcionará aos participantes um olhar diferente do Cosmos.
aBEIRAr surge do cruzar de objetivos comuns entre a Rede Intermunicipal das Bibliotecas das Beiras e Serra da Estrela, Plataforma de Ciência Aberta – Município de Figueira de Castelo Rodrigo, o Estrela Geopark e a Universidade da Beira Interior – UBI com a missão potenciar o envolvimento e a participação cívica com a ciência, promover o diálogo entre cientistas e cidadãos e despertar o interesse da comunidade na construção de conhecimento e valorização do território.
As inscrições são gratuitas mas obrigatórias até ao dia 23 de julho através dos seguintes contactos: biblioteca@cm-fornosdealgodres.pt | tlm. 271 708 390
Limitado a 30 inscrições.

Celorico da Beira – Exposição fotográfica “Geossítios do território do Estrela Geopark Mundial da UNESCO”

 Vai estar patente na Biblioteca Municipal de Celorico da Beira, neste mês de julho, uma exposição de fotografias de geossítios do território do Estrela Geopark Mundial da UNESCO, da autoria de Filipe Patrocínio.

Composta por 14 fotografias de locais de interesse geológico da Serra da Estrela, a exposição tem o propósito, não só de revelar a beleza, grandiosidade e singularidade da serra mais alta de Portugal, captadas com arte e mestria, pela objetiva de Filipe Patrocínio mas, acima de tudo, para dar visibilidade e notoriedade aos geossítios, numa ótica de valorização e divulgação do território do Estrela Geopark Mundial da UNESCO.

Celorico da Beira-4º Passeio Interpretativo “aBEIRAr”

Inscrições abertas até 26 de maio

Celorico da Beira vai acolher no âmbito do Projeto aBEIRAr  –  “15 CONCELHOS, 1 MESMO TERRITÓRIO”-   no próximo dia 29 de maio, entre as 09H00 e as 12H30,  o quarto passeio interpretativo dedicado ao tema “Água”,  inspirado pela literatura dos autores Celoricenses, do Fundo Local da Biblioteca Municipal, António Carlos Ferreira, Eusébio dos Santos Almeida e José Albano Ferreira . A iniciativa conta com a presença dos convidados, José Conde e António Rodrigues, do Centro Interpretativo da Serra da Estrela (CISE); Paulo Carvalho, da Universidade da Beira Interior e Cecília Lisboa, Mestre em Gestão do Património Cultural.

 O Projeto aBEIRAr nasceu do cruzamento de objetivos entre a Rede Intermunicipal de Bibliotecas das Beiras e Serra da Estrela (RIBBSE), da CIMBSE, a Plataforma de Ciência Aberta de Figueira de Castelo Rodrigo, o Estrela GEOPARK e a Universidade da Beira Interior, com a missão de potenciar o envolvimento e a participação cívica com a ciência, promover o diálogo entre cientista e cidadãos e despertar o interesse da comunidade na construção de conhecimento e valorização do território.

O ciclo de evento ABEIRAR irá percorrer os 15 concelhos CIMBSE, numa sequência de 3 temporadas, cada uma dedicada a um tema central para o território – água, céu e rocha. As atividades são inspiradas a partir de um livro e nas estórias da terra, mas também nas estórias da ciência, que transformarão cada um de nós em cidadãos/ãs cientistas, embaixadores do território para a monitorização da qualidade e características da água, do céu e da rocha, promovendo o conhecimento e o envolvimento dos cidadãos por um bem comum, por um mesmo território.

 Para participar neste passeio interpretativo efetue a sua inscrição até dia 26 de Maio. biblioteca@cm-celoricodabeira.pt | 271712270

4 anos de Conferências da Estrela

Tal como já temos partilhado neste espaço, uma das principais missões, mas também um dos mais importantes desafios, é o envolvimento das comunidades no processo de desenvolvimento territorial alavancado pela estratégia decorrente da classificação da Estrela pela UNESCO. Nesta perspetiva, muito antes da tão desejada classificação, o Estrela Geopark iniciou um ciclo de tertúlias, que se viriam a designar de Conferências da Estrela. Estas, resultaram da preocupação em debater, explorar ou refletir sobre questões ou oportunidades transversais aos 9 municípios e a todo o território do Estrela Geopark. Assim, desde 2017 temos vindo a identificar temas centrais, com os quais envolvemos dezenas de personalidades que têm contribuído para uma maior consciência do património da Estrela e do seu valor.

Com o lema “Nove Municípios, Nove Conferências”, entre janeiro e setembro de 2017, decorreu o 1º ciclo, abordando questões desde a Geodiversidade, o Despovoamento, a Cultura ou a Biodiversidade, contando com mais de 30 oradores, de diferentes áreas e quadrantes, que trouxeram à Estrela novos olhares e um pensamento atual sobre estas questões. Este ciclo constituiu uma verdadeira contagem decrescente para a entrega do Dossiê de Candidatura, que viria a ser concretizada em novembro desse ano. Esta coincidência temporal permitiu também que estas conferências fossem veículos para divulgar o conceito de Geopark Mundial da UNESCO e a pertinência da sua criação no território da Serra da Estrela.

Pelo exposto, esta iniciativa viria a demonstrar ser uma oportunidade para envolver as comunidades, e aproximar cada um de nós dos problemas, desafios e oportunidades que o Séc. XXI coloca a este território.

Entre 2018 e 2019 voltámos a percorrer os nove municípios, discutindo tantas outras temáticas, e contando com a participação de centenas de habitantes deste Geopark. Nas 18 Conferências, discutimos e Educação, a Ciência, o Turismo, a Comunicação, e os Recursos endógenos. Trabalhámos a Água, os Recursos Termais, as Tradições e, como não podia deixar de ser, a Geologia, o substrato que nos sustenta e que deu origem a este Geopark.

Em 2020, demos inicio ao 3º ciclo, altura em que somos confrontados com a Pandemia da Covid_19. Tivemos de repensar, reinventar, mas não parámos! Deixámos de percorrer o território e marcámos presença digitalmente. Desta feita, contámos com a participação de diferentes oradores que nos trouxeram novas experiências, desde o Embaixador de Portugal na UNESCO, passando pela Secretária de Estado do Turismo, ou o Investigador Filipe Duarte Santos.

Este ano, 2021, o 4º ciclo, ainda que online, continua a chegar a cada vez mais pessoas, porque cada vez mais, interessa promover o conhecimento, a interpretação, a valorização e a pertença deste território. Dedicado ao tema “Património, Tradições e Modos de Vida”, este ciclo pretende recentrar a discussão no principal ativo deste território, as pessoas e a sua identidade.

De facto, esta é uma das mais relevantes iniciativas do Estrela Geopark, que as promove há quase 5 anos, totalizando 30 conferências, onde a participação de cada um de nós na sua construção foi o lema que se tornou realidade, nunca sendo demais sublinhar que, “um Geopark é feito de e para as suas comunidades, onde todos são parte ativa na sua construção”.

Nos próximos meses e anos, estas conferências vão continuar a reinventar-se, para constituírem uma verdadeira porta de entrada para este território de Ciência Cultura e Educação.

Artigo da equipa técnica do Geopark.

Memórias e Tradições do Estrela Geopark Mundial da UNESCO

 

O Estrela Geopark Mundial da UNESCO é muito mais do que Rochas! É um território onde locais e paisagens de relevância geológica internacional são geridos através de uma abordagem holística de proteção, educação e desenvolvimento sustentável, que utiliza o seu património geológico, associando-o aos restantes elementos do património natural e cultural do território, que lhe conferem identidade e valor. O papel de um Geopark Mundial da UNESCO é muito mais do que preservar e valorizar apenas o património geológico. Pretende integrar estes valores com a sua cultura, as tradições, os produtos endógenos, fomentando o sentido de pertença e reforçando a sua identidade, beneficiando as comunidades locais e atraindo visitantes e novos residentes.

O Estrela Geopark compreende a Serra da Estrela e as áreas adjacentes, com o propósito de incluir na sua estratégia de desenvolvimento regional as populações que vivem no sopé da montanha e que têm nos seus modos de vida uma identidade comum com a Estrela. Tendo em consideração que a sua identidade está muito associada às práticas pastoris, à transumância e aos produtos que foram emergindo em torno destas atividades tradicionais, que têm vindo a diminuir progressivamente ao longo do tempo, correndo o risco de se perderem. Com o envelhecimento notório da população, outra questão que se levanta está relacionada com o idadismo, contribuindo para que não se valorizem os saberes tradicionais. Neste contexto, revela-se da maior importância desenvolver iniciativas que permitam a preservação destas memórias coletivas, contribuindo para a valorização de práticas ancestrais e do conhecimento “guardado” pela população mais idosa da região.

Assim, o recém aprovado projeto “Memórias e Tradições do Estrela Geopark Mundial da UNESCO” que vai ao encontro dos objetivos do Programa Tradições 2021-2022, financiado pela EDP Portugal, prevê o desenvolvimento de várias iniciativas que promovem a preservação e valorização das memórias e das tradições que contribuem para a identidade da Serra da Estrela, contribuindo para a recuperação de práticas ancestrais em declínio e para a sua divulgação não só no território do Estrela Geopark, junto das populações locais, mas também junto de quem visita ou pretende conhecer a Serra da Estrela através dos meios de comunicação digitais. O projeto será desenvolvido no território da Estrela, trabalhado com algumas das tradições associadas a este território de Montanha, como o Burel, o cobertor de Papa e a Cestaria de Gonçalo, pretendendo dinamizar várias ações pedagógicas e de divulgação deste património cultural, tais como workshops e sessões de partilha da sabedoria popular, direcionados para diferentes públicos.

A implementação deste Projeto no território da Estrela constitui um verdadeiro instrumento para a preservação, valorização e transmissão do património, contribuindo para a promoção deste sistema montanhoso e para o seu desenvolvimento sustentável. A partir desta iniciativa pretende-se promover a educação intergeracional, numa abordagem pedagógica não-formal e informal que fará interagir diferentes gerações em redor de temas, que visam, por um lado facilitar a transferência e intercâmbio de conhecimento, competências, habilidades e recursos, assim como a convivência e a colaboração entre gerações, as quais podem ser de grande benefício para os participantes, de todas as faixas etárias, para a comunidade residente e em última instância para identidade do nosso país.

Artigo da equipa técnica do Geopark  Estrela

Projeto do Estrela Geopark foi um dos 10 vencedores no Programa Tradições da EDP

O Programa Tradições é uma iniciativa, financiada pela EDP, que apoia e acompanha projetos que tenham como objetivo valorizar tradições, regionais ou locais, dos municípios onde a EDP possui centros produtores. Atualmente abrange 81 municípios, que correspondem às áreas em que intervêm os seis centros de produção elétrica da EDP Produção: Cávado Lima, Douro, Lares, Ribatejo, Tejo Mondego e Sines. Este programa pretende valorizar e afirmar a identidade das comunidades, através do apoio às tradições mais genuínas da cultura popular, financiando projetos que visem a recuperarão de costumes em vias de desaparecimento e a transmissão de conhecimentos sobre as tradições de geração em geração, promovendo a valorização da autoestima das populações e a preservação deste património cultural.

No biénio 20/21 realizou-se a 4ª Edição deste programa, à qual se candidataram 68 projetos nas mais diversas áreas, desde o artesanato à gastronomia, passando por cantares, crenças, folclore, entre outros. Destes foram selecionados 10 projetos, não só pela sua relevância histórica e social para as comunidades, mas também pelo impacto que podem ter na criação de emprego, na dinamização da economia local e na própria sustentabilidade das regiões. O projeto Memórias e Tradições do Estrela Geopark Mundial da UNESCO”, promovido pelo Estrela Geopark, foi um dos 10 vencedores da 4ªEdição do Programa Tradições e tem como objetivo promover a preservação e valorização das memórias e das tradições que fazem parte da identidade da Serra da Estrela, contribuindo para a recuperação de práticas ancestrais em desaparecimento e para a sua divulgação não só no território do Estrela Geopark, junto das populações locais, mas também junto de quem visita a Serra da Estrela.

Tendo em consideração que a identidade da Estrela está muito associada às práticas pastoris, à transumância e aos produtos que foram emergindo em torno destas atividades tradicionais, que têm vindo a diminuir progressivamente ao longo do tempo, todas as memórias e tradições que lhes estão associadas correm o risco de se perderem. Neste contexto, no âmbito do projeto Memórias e Tradições do Estrela Geopark Mundial da UNESCO”, serão dinamizadas várias ações pedagógicas e de divulgação deste património cultural, tais como workshops e sessões intergeracionais de partilha da sabedoria popular, direcionados para diferentes públicos, colocando em contacto diferentes gerações, nos quais se dará particular destaque a três importantes tradições do território: a Transumância, a produção do Cobertor de Papa e a produção do Burel. Estas iniciativas contribuirão para perpetuar o saber pelas gerações mais novas, valorizando produtos e tradições singulares, promovendo sentimentos de pertença e de identificação quer com os costumes da cultura popular, quer com a identidade deste território. Será também desenvolvida uma exposição itinerante, que circulará pelas escolas dos diferentes municípios, de modo a divulgar as tradições do Estrela Geopark junto dos grupos mais jovens da população residente. Futuramente, para dar continuidade a este projeto, a Associação Geopark Estrela pretende desenvolver uma plataforma Open Science digital, intitulada “Portal da Memória do Estrela Geopark”. Esta plataforma permitirá a recolha e partilha de tradições e memórias, constituindo um importante projeto de “ciência cidadã” e de “Ciência Aberta”, e funcionará como um grande acervo de informação sobre a Serra da Estrela, que ao ser divulgado contribuirá para salvaguarda ativa deste património.

Estrela Geopark é um dos 10 vencedores da 4ªEdição do Programa Tradições da EDP

O Programa Tradições é uma iniciativa, financiada pela EDP, que apoia e acompanha projetos que tenham como objetivo valorizar tradições, regionais ou locais, dos municípios onde a EDP possui centros produtores. Atualmente abrange 81 municípios, que correspondem às áreas em que intervêm os seis centros de produção elétrica da EDP Produção: Cávado Lima, Douro, Lares, Ribatejo, Tejo Mondego e Sines. Este programa pretende valorizar e afirmar a identidade das comunidades, através do apoio às tradições mais genuínas da cultura popular, financiando projetos que visem a recuperarão de costumes em vias de desaparecimento e a transmissão de conhecimentos sobre as tradições de geração em geração, promovendo a valorização da autoestima das populações e a preservação deste património cultural.

No biénio 20/21 realizou-se a 4ª Edição deste programa, à qual se candidataram 68 projetos nas mais diversas áreas, desde o artesanato à gastronomia, passando por cantares, crenças, folclore, entre outros. Destes foram selecionados 10 projetos, não só pela sua relevância histórica e social para as comunidades, mas também pelo impacto que podem ter na criação de emprego, na dinamização da economia local e na própria sustentabilidade das regiões. O projeto Memórias e Tradições do Estrela Geopark Mundial da UNESCO”, promovido pelo Estrela Geopark, foi um dos 10 vencedores da 4ªEdição do Programa Tradições e tem como objetivo promover a preservação e valorização das memórias e das tradições que fazem parte da identidade da Serra da Estrela, contribuindo para a recuperação de práticas ancestrais em desaparecimento e para a sua divulgação não só no território do Estrela Geopark, junto das populações locais, mas também junto de quem visita a Serra da Estrela.

Tendo em consideração que a identidade da Estrela está muito associada às práticas pastoris, à transumância e aos produtos que foram emergindo em torno destas atividades tradicionais, que têm vindo a diminuir progressivamente ao longo do tempo, todas as memórias e tradições que lhes estão associadas correm o risco de se perderem. Neste contexto, no âmbito do projeto Memórias e Tradições do Estrela Geopark Mundial da UNESCO”, serão dinamizadas várias ações pedagógicas e de divulgação deste património cultural, tais como workshops e sessões intergeracionais de partilha da sabedoria popular, direcionados para diferentes públicos, colocando em contacto diferentes gerações, nos quais se dará particular destaque a três importantes tradições do território: a Transumância, a produção do Cobertor de Papa e a produção do Burel. Estas iniciativas contribuirão para perpetuar o saber pelas gerações mais novas, valorizando produtos e tradições singulares, promovendo sentimentos de pertença e de identificação quer com os costumes da cultura popular, quer com a identidade deste território. Será também desenvolvida uma exposição itinerante, que circulará pelas escolas dos diferentes municípios, de modo a divulgar as tradições do Estrela Geopark junto dos grupos mais jovens da população residente. Futuramente, para dar continuidade a este projeto, a Associação Geopark Estrela pretende desenvolver uma plataforma Open Science digital, intitulada “Portal da Memória do Estrela Geopark”. Esta plataforma permitirá a recolha e partilha de tradições e memórias, constituindo um importante projeto de “ciência cidadã” e de “Ciência Aberta”, e funcionará como um grande acervo de informação sobre a Serra da Estrela, que ao ser divulgado contribuirá para salvaguarda ativa deste património.

5º Webinar Highlands.3 na Plataforma Zoom

No âmbito do projeto Highlands.3, cujo objetivo reside na identificação de estratégias de desenvolvimento sustentável para territórios de montanha, no qual participam 42 instituições de todo o mundo, estamos a dinamizar o Ciclo de Webinars dedicado ao tema geral deste projeto com financiamento europeu. O quinto decorre no próximo dia 24 de fevereiro e aborda a temática “Climate Change”, desta vez com a presença do Coordenador Científico do Estrela Geopark Mundial da UNESCO, Prof. Doutor Gonçalo Vieira.

Este Webinar será realizado online, exclusivamente em inglês, através da Plataforma Zoom. Neste contexto, convidamo-lo(a) a participar nesta webinar e, caso considere oportuno, solicitamos a divulgação do mesmo junto da sua rede de contactos, convidando todos a assistir, a partir das 12h através do seguinte link: https://tinyurl.com/1iknt62i.

 

Geopark Estrela distinguido Geopark Mundial da UNESCO

Uma boa nova da para o interior, isto é, a Estrela passou a ser oficialmente, Geopark Mundial da UNESCO, integrando a lista dos 162 Geoparks Mundiais distribuídos pelos 44 países em todo o Mundo, distinguida pelo Conselho Executivo da UNESCO – Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura.

Depois de uma longa caminhada, que iniciou em novembro de 2017, assim desta vez, o Geopark Estrela, foi designado pela UNESCO e também juntamente com os Geoparks Cliffs of Fundi e Discovery (Canadá), Xiangxi e Zhangye (China), Lauhanvuori-Hämeenkangas (Finlândia), Toba Caldera (Indonésia), Rio Coco (Nicarágua), Hantangang (República da Coreia), Yangan-Tau (Rússia), Djerdap (Sérvia), Granada e Maestrazgo (Espanha), The Black Country (Reino Unido), Dak Nong (Vietname) e Kula-Salihli (Turquia).

Por sua vez, em Portugal, o Geopark Estrela junta-se ao Açores UNESCO Global Geopark, ao Arouca UNESCO Global Geopark, ao Naturtejo da Meseta Meridional UNESCO Global Geopark e ao Terras de Cavaleiros UNESCO Global Geopark.

Por sua vez, Emanuel Castro, coordenador da candidatura referiu à Lusa:” Mas este é também o reconhecimento de um trabalho que tem sido desenvolvido nas áreas da ciência, da educação, da geoconservação, do turismo, da sustentabilidade e da comunicação, em prol do território e das suas comunidades, afirmando a Estrela com um espaço de sustentabilidade e de resiliência. Esta classificação vem, por isso, dar maior valor acrescentado a todo este trabalho e uma enorme responsabilidade para todos”, refere.

A oficialização do Geopark constitui também “uma das maiores estratégias deste século para a Serra da Estrela e para os mais de 150 mil habitantes” do território.

“Nos próximos quatro anos muito há para fazer, no reforço do conhecimento científico, na promoção da educação, na valorização turística, na geoconservação e na sua sustentabilidade e na forma como este território passa a ser comunicado e se posiciona no plano nacional e internacional”, sublinha.

Foto:Wiki

 

 

 

 

“A importância da UNESCO para o desenvolvimento”numa iniciativa do Estrela Geopark

Vai ter lugar  a terceira Conferência da Estrela, com o tema “A importância da UNESCO para o desenvolvimento”, com o Professor Doutor António Sampaio da Nóvoa, Embaixador de Portugal na UNESCO, numa iniciativa do Estrela Geopark , acontece no próximo dia 13 de julho, pelas 17h30.

 Esta conferência será realizada online na Plataforma Zoom, através do seguinte link: https://bit.ly/317ViYe.