Início » Tag Archives: feira do queijo

Tag Archives: feira do queijo

Gouveia presente na Feira do Queijo e Gala do 39 anos dos Serranos(Newark)

O Município de Gouveia esteve presente na Feira do Queijo e na Grande Gala Comemorativa do 39.º Aniversário do Centro Cultural “Os Serranos” em Newark.
O Vereador da Câmara Municipal de Gouveia, José Nuno Santos, deslocou-se aos Estados Unidos da América a fim de representar o Município em diversas festividades e momentos comemorativos promovidos pela comunidade portuguesa ali residente.
Integrado numa comitiva de autarcas da região da Serra da Estrela, o vereador gouveense participou no Festival do Queijo Serra da Estrela, organizado pelo Centro Cultural “Os Serranos” de Newark, NJ, que decorreu, como é habitual, no Grande Salão do Sport Club Português e ofereceu aos visitantes uma oportunidade única de provar e adquirir os deliciosos queijos da nossa região, bem como uma grande variedade de vinhos do concelho de Gouveia.
José Nuno Santos foi, ainda, convidado a participar na Grande Gala Comemorativa do 39.º Aniversário do Centro Cultural “Os Serranos”, onde teve a oportunidade de privar com a comunidade portuguesa ali residente, nomeadamente com os cidadãos gouveenses, enquanto verdadeiros embaixadores do nosso território.

45ª edição da Feira do Queijo de Celorico da Beira em fevereiro

O Município de Celorico da Beira informou que vai levar a efeito, de 16 a 18 de fevereiro de 2024, a 45ª edição da Feira do Queijo.
A Capital do Queijo Serra da Estrela estará em festa depois do carnaval para promover e homenagear o produto endógeno genuíno e singular, ex-líbris e cartão-de-visita de Celorico da Beira – o queijo Serra da Estrela.
À semelhança dos anos anteriores, vai contar com uma vasta e diversificada programação, com destaque para o Programa “Somos Portugal” da TVI, muita animação, música tradicional, concertos, artesanato, gastronomia e, obviamente, muito e bom queijo.

Toy, Cláudia Martins e o Minhotos Marotos, K5, Folclore e Chakall animam o certame

Vão ser três dias de homenagem ao queijo e produtos endógenos, animação, gastronomia diversa e largas centenas de visitantes são esperados nas imediações do Pavilhão Gimnodesportivo de Fornos de Algodres.
Vão ser dezenas de expositores de produtos diversos, onde o queijo serra da Estrela vai estar em destaque, assim como o azeite, mel, enchido, produtos da urtiga e outros produtos endógenos desta região e alguns emblemáticos deste País.
Ainda um vasto cartaz de animação com Toy, Claúdia Martins e o Minhotos Marotos, K5 e o regresso do Rancho Sénior de Fornos de Algodres no Festival de Folclore. Depois diversos grupos locais de animação, a Batuta D´Alegria e diversos grupos de concertinas.
Pelo meio, o cozinheiro Chakall vai apresentar algumas das suas iguarias com os produtos locais.Ainda as diversas provas de queijo e visitas a queijarias.
São muitos ingredientes para visitar Fornos de Algodres neste fim de semana.

Feira do Queijo em Fornos de Algodres vai ser no Pavilhão Gimnodesportivo

A edição da Feira do Queijo Serra da Estrela 2023, à semelhança do ano passado, realizar-se-á no Pavilhão Gimnodesportivo de Fornos de Algodres e área envolvente, uma vez que o mercado Municipal se encontra em obras de remodelação, face a isso, estão abertas as inscrições para stands e expositores, até ao dia 5 março.

Faça aqui a sua inscrição: https://forms.gle/SLiaCyPgQyX6DeP16

Regulamento:https://www.cm-fornosdealgodres.pt/wp-content/uploads/2023/02/Reg.CMFA_.29.06-Regulamento-Feira-do-Queijo-.pdf

Ficha de inscrição: nhttps://www.cm-fornosdealgodres.pt/wp-content/uploads/2020/02/FICHA-DE-INSCRICAO_FQSE.pdf

Seia recebe Feira de Queijo serra da Estrela de 18 a 21 de fevereiro

O Queijo Serra da Estrela assume maior protagonismo, mas de que são indissociáveis produtos como o pão, o vinho do Dão, os enchidos, o azeite e o mel.

Num ambiente de festa e muita animação, a recriação da Quinta do Pastor, as mostras do Cão Serra da Estrela, as demonstrações culinárias, o concurso da ovelha bordaleira, as tradicionais tasquinhas, a mostra de artesanato, e de produtos da terra, também são importantes fatores de atração.

As produções ao vivo do Maior Queijo de Ovelha de Seia e do Enchido de Seia são outras das sugestões do programa delineado para os quatro dias.

PROGRAMA

18 DE FEVEREIRO – sábado

10h00 Abertura da Feira

Banda Torroselense Estrela D´Alva

Cerimónia de Abertura pelas Entidades Oficiais

11h00 Rancho Folclórico de Seia

14h00 Sociedade Recreativa e Musical Loriguense

16h00 Cozinha ao Vivo | Requeijão com Doce de Abóbora acompanhado com Broa e Bolo Negro I Confraria do Requeijão com Doce de Abóbora e a Confraria da Broa e do Bolo Negro de Loriga Ler Mais »

44ª Feira do Queijo de Celorico da Beira de 10 a 12 de fevereiro

 
Aí está ele, o rei da festa, de forma cilíndrica, cor amarelo palha e pasta untuosa: o queijo, verdadeiro manjar dos deuses, uma das Sete Maravilhas da Gastronomia Portuguesa, capaz de conquistar e derreter os palatos mais exigentes. De 10 a 12 de fevereiro, o queijo é mais uma vez, o mote para Celorico da Beira Capital do Queijo Serra da Estrela defender, valorizar, promover e divulgar o território e as enormes potencialidades e, em especial, a excelência deste produto endógeno, embaixador da Serra da Estrela no país e no mundo, verdadeiro cartãodevisita do concelho e pedra basilar da economia local, bem como, para homenagear os artífices destas obras de arte da gastronomia serrana.
Com a presença do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, e outras individualidades, nomeadamente do Governo, a 44ª Feira do Queijo irá decorrer num espaço, maior e melhorado, no mercado municipal e na sua área envolvente, e contará com a participação de cerca de 150 expositores com uma vasta gama de produtos, que primam pela excelência da qualidade, em especial o queijo, o produto rei da festa. Evento maior do cartaz turístico de Celorico da Beira, a Feira/Festa do Queijo acarreta movimento, animação, dinamismo e visibilidade ao concelho e à região da Serra da Estrela. Com este propósito a Autarquia aposta numa vasta e diversificada programação, que agradará a pequenos e graúdos com Quim Barreiros e The Gift, como cabeças de cartaz, a saber: animação de rua, música de estilos e ritmos variados, mostras de artesanato, produtos artesanais locais, vários apontamentos de showcookings, degustações de queijo e vinho, oficinas de sabores ligadas à temática da laboração do queijo e seus derivados, atividades lúdicodesportivas, o tradicional almoço convívio e encerra no domingo com chave de ouro, com a habitual transmissão em direto do Programa da TVI “Somos Portugal”.
À semelhança do ano anterior, na manhã de domingo terá lugar a II Rota do Queijo Uma aventura Gastronómica”, atividades lúdicas desportivas para realizar a pé ou de bicicleta. Os percursos são entrecortados com pequenas degustações, do que melhor se produz no concelho, que permitirão, simultaneamente, promover território e as suas riquezas patrimoniais e aos desportistas regalaremse com os tesouros da gastronomia celoricense e desfrutarem da beleza das paisagens de montanha.
Sabendose que um queijo Serra da Estrela é muito mais que um simples queijo de leite de ovelha, porque encerra a alma das gentes serranas, história, tradição, cultura, arte e técnicas milenares das queijeiras, transmitidas de geração em geração, saberes, sabores e cheiros da Serra da Estrela, o certame oferece a oportunidade aos celoricenses e visitantes, de se regalarem com o genuíno queijo, made in Celorico da Beira, ou de o levarem para casa a preços competitivos, bem como, outros produtos endógenos da região.
 

Conversa com Carlos Ascensão, Presidente do Município de Celorico da Beira

                                                                           “Em 2021, foram comercializadas cerca de 70 toneladas de queijo”

Em vésperas do certame que homenageia os pastores e as queijeiras e promove o ex-libris da região, o Queijo da Serra, fomos conversar com o autarca celoricense, Carlos Ascensão que nos deixou uma perspetiva animadora, que vai ser um grande sucesso esta feira.

 

Magazine Serrano (MS) -Depois da pandemia, eis que regressa a Feira de Queijo de forma presencial, como espera que seja?

Carlos Ascensão (CA) -Foi um tempo longo de paragem, até mais que estávamos à espera, agora é de grande importância o regresso da feira em formato físico de forma presencial.

  Depois do confinamento, as pessoas estão motivadas para participar nestes eventos, neste caso da Feira de Celorico e também nas outras, com as devidas precauções que ainda devemos ter, como o uso de máscara , entre outras, o problema não está totalmente erradicado, mas temos a expetativa que o certame vai ser um sucesso, venha muita gente visitar-nos e decorra dentro da normalidade anterior.

 

MS-Celorico é a capital do Queijo Serra da Estrela, muitas toneladas são comercializadas? Quantas queijarias existem licenciadas?

CA-Houve aqui uma fase da pandemia, onde todas as barreiras se colocaram, existiram algumas dificuldades, pelo desconhecimento e o medo que geralmente traz, mas as coisas foram normalizando e como todos precisamos de comer, a vida não para, criamos outros mecanismos de resposta às dificuldades inerentes provocadas pela pandemia, nomeadamente a comercialização digital, tivemos uma plataforma celoricocomgosto.pt e na verdade, os produtores verificaram que o queijo teve saída , aliás a produção até foi pouca para as encomendas, ora em 2021, foram comercializadas cerca de 70 toneladas de queijo, isto através das queijarias DOP e das do queijo curado.

Neste momento, temos 6 queijarias ativas DOP, tem havido uma diminuição do que pretendemos e desejamos, a nível de queijo curado temos 19, que fazem parte do protocolo com o Município, através do Solar do Queijo, ao nível de escoamento e comercialização.

 

MS- A pastorícia é uma atividade que requer muito empenho, como vê os jovens, apesar de ter alguns jovens na atividade como o caso da queijeira Célia Silva?

CA-É um fenómeno transversal a nível da região, mas creio que é a nível do País, até por algum estigma, que existe ao conceito de ser pastor, é verdadeiramente uma atividade digna, mas efetivamente de muito trabalho, lavor, muito esforço e grandes sacrifícios.

  A tendência não tem sido de grande renovação, mas tem havido alguma e acaba por ser um sinal de esperança, como falou no caso de uma jovem queijeira, até com uma formação superior, ligada a esta atividade de produzir o queijo da serra, caso da Célia Silva, mas também temos aqui uma exploração que é das maiores, de ovelhas bordaleiras que tem cerca de 1000 ovelhas, o filho do senhor Júlio Ambrósio que tem o nome do Pai e está seguir as pegadas da família, depois o Paulo Belo, um jovem que tem entre 300 a 400 ovelhas.

  São alguns exemplos de esperança, renovação, não tanto quanto desejaríamos, mas acreditamos que no futuro possa haver renovação, com novos processos, sem perder a característica do produto, agora a renovação pode acontecer se houver reconhecimento e retorno financeiro, social e outros aspetos.

Agora a maior parte dos pastores e queijeiras andam na casa dos 60, 70 anos, são pessoas que gostam do que fazem, com paixão, agora existe o cansaço e o desgaste do tempo.

 

MS-A receção do Presidente da República às queijeiras no dia da Mulher foi importante?

CA-Sempre importante, sobretudo vindo do senhor Presidente da República, uma pessoa muito importante no País, logo à partida foi uma mensagem de motivação para as nossas queijeiras da Serra da Estrela, as Guardiãs da Montanha, veio dar-lhe um alento para continuarem, no fundo, um reconhecimento e uma homenagem justa a toda esta vida de trabalho.

 Depois a visibilidade, reconhecimento, a importância de um produto que é uma iguaria nacional, trata-se de uma referência nacional e faz parte da nossa cultura e tradição.

 Ficamos todos gratos, pelo Presidente da República, neste dia ter tido este gesto e este reconhecimento mais que merecido para com as nossas queijeiras.

 

MS-Que mensagem deixa a todos que possam visitar o certame?

CA- Vale a pena vir, a Celorico, apesar de haver problemas que se acumulam , como foi da pandemia, a seca, uma questão que queria deixar presente, dado que é, uma situação que afeta os nossos produtores, traz dificuldades para a produção do queijo e implica a nossa atenção, aos apoios para quem trabalha e estamos atentos e vamos dar essa resposta, agora para agravar a situação este clima internacional  de guerra , mas como vivemos num Mundo global, também nos diz respeito, dado que pagamos também a fatura, são tudo dificuldades acrescidas para os pastores e produtores, mas neste tempo, para tentar ultrapassar as dificuldades a parte lúdica ajuda, a festa e daí esta feira ser importante para aqueles que são homenageados, mas também para toda a nossa comunidade local, regional.

  As pessoas que venham, vai valer a pena estarmos presentes, é importante o contacto a nível presencial, assim como nas redes sociais, mas nada como a presença, a festa, convívio, a animação para mantermos algum equilíbrio também de vida saudável que se faz a nível de corpo , mas também da mente. São todos bem-vindos, são três dias de grande animação, seja um pouco o retomar da normalidade, vai valer a pena, porque temos ingredientes que vão agradar a todos.

 

Sons do Minho e Fernando Daniel animam 43ª edição da Feira do Queijo em Celorico

Das voltas que a queijeira dá à coalhada (leite, sal e flor do cardo) no acincho, misturada com a sua arte e as técnicas milenares legadas dos antepassados, sai das suas mãos uma obra prima, uma das 7 maravilhas da gastronomia nacional – o queijo Serra da Estrela.

Com o propósito de homenagear os artífices do queijo (pastores e queijeiras) e promover, valorizar e comercializar este produto nobre da pastorícia e outros produtos locais de qualidade superior, a Feira/Festa do Queijo conta com um recheado e atrativo Programa de Atividades com destaque para o cantor Fernando Daniel, os Sons do Minho e o Programa “Somos Portugal” da TVI, como cabeças de cartaz.

Durante os três dias a animação está garantida em Celorico da Beira: animação de rua, animação infantil, gastronomia, showcookings, artesanato, caminhada “Rota do Pastor” e muita música de diversas sonoridades e ritmos, trazidas pelos grupos de cantares, grupos de concertinas, rancho folclórico e os concertos ao vivo.

 

Feira do Queijo Serra da Estrela – Seia de 23 de Abril a 25 de Abril

A Feira do Queijo Serra da Estrela, que há 44 anos acontece em Seia, no fim de semana de Carnaval, irá realizar-se em abril, em virtude da incerteza das regras de gestão da pandemia.
O certame dedicado ao afamado queijo de ovelha, o Queijo Serra da Estrela DOP, a que se acoplam outros produtos endógenos (enchidos serranos, pão, mel, vinho…), e que iria decorrer entre os dias 26 de fevereiro e 1 de março, irá realizar-se nos dias 23, 24 e 25 de abril.
A decisão do adiamento da feira foi tomada esta quinta-feira pela Câmara Municipal, após reunião mantida com os produtores do concelho e as associações parceiras.
Analisadas as contrapartidas financeiras, sociais e económicas, face à evolução da situação pandémica e as contingências de segurança que teriam de ser implementadas, foi entendimento geral não estarem reunidas as condições favoráveis para a realização da feira, na data tradicional.
O Presidente da Câmara Municipal, Luciano Ribeiro, considera esta decisão assertiva e mais prudente, “pelos riscos acrescidos que nesta fase um evento desta dimensão e natureza poderá implicar, na propagação do vírus, e contrapondo o investimento associado a esta iniciativa para um número reduzido de pessoas.”

“Ajudar a economia familiar”-Manuel Fonseca – Presidente da  Câmara Municipal de Fornos de Algodres

Em conversa com o Presidente do Município de Fornos de Algodres, Manuel Fonseca, sobre a atualidade, com destaque para o Queijo Serra da Estrela que é rei nesta época do ano.

“Posso afirmar que somos o único Município, da área de intervenção da ESTRELACOOP, que aumentou os produtores certificados (DOP) nos últimos anos. Estamos completamente em contraciclo com os restantes Municípios. Este indicador é demonstrativo que estamos a trabalhar no bom sentido.”

[Magazine Serrano – MS] Neste tempo de pandemia, os eventos físicos/locais estão cancelados, mas a nova edição da Feira do Queijo Serra da Estrela aconteceu online em março?
[Presidente Manuel Fonseca- MF]  Gostaria de começar esta entrevista por agradecer o convite e, dar os parabéns pelo trabalho que estão a desenvolver no nosso Concelho, à semelhança da restante comunicação social local.
Sim é verdade. Infelizmente vamos ter mais um ano sem a verdadeira Feira do Queijo Serra da Estrela. Vai faltar o calor humano, os grupos musicais, as tradições locais, a prova de Queijos, os abraços, os cheiros, as ovelhas, os cães Serra da Estrela … enfim, um conjunto de sensações que, por mais que os Municípios se reinventem, nada irá substituir a verdadeira Feira do Queijo Serra da Estrela.
No entanto e à semelhança do que aconteceu no ano transato, realizamos a nossa Feira do Queijo Serra da Estrela no formato online, com maior ênfase no mês de março.
Estando já familiarizados com o modelo existente, quer os produtores, quer os nossos técnicos, tenho plena consciência que iremos, desta forma, ajudar os nossos produtores a escoar o produto. Recordo que a existência destes novos mecanismos de venda, devem ter um só objetivo: ajudar a economia familiar.

MS-Tempos complicados, mas ainda existem muitos pastores a resistir em Fornos de Algodres. Como tem acompanhado esta atividade no nosso concelho?
MF-Tenho acompanhado de muito perto a atividade e, obviamente, os nossos pastores.
Por exemplo, a plataforma “O Bom Sabor da Serra”, felizmente, deu um novo ânimo aos nossos pastores e à sua economia. Esta minha afirmação está assente em dois princípios relevantes: por um lado, pelas conversas que tenho tido com os nossos produtores e, por outro lado, com o aumento do número de produtores, desde 2018 até à presente data. Crescemos 250% em produtores certificados!
Posso afirmar que somos o único Município, da área de intervenção da ESTRELACOOP, que aumentou os produtores certificados (DOP) nos últimos anos. Estamos completamente em contraciclo com os restantes Municípios. Este indicador é demonstrativo que estamos a trabalhar no bom sentido.
Gostaria de destacar o papel fundamental e importante que a ESTRELACOOP tem neste setor. São eles e os nossos técnicos da Câmara Municipal que orientam, ajudam e estruturam os nossos produtores.

MS- Com a pandemia, muitas foram as medidas para apoiar a economia local, estão em prática neste momento as da 2ª fase. Que resenha faz da situação atual neste concelho?
MF- Considerando a situação pandémica vivida no nosso Concelho em virtude do Covid-19 e aos seus impactos negativos na economia local, o Executivo Municipal de Fornos de Algodres aprovou, por unanimidade, em reunião de câmara ordinária de 12/02/2021 o ”Programa “Fornos – Por Todos Nós [2.ª Fase]”.
Este programa estruturado em 28 medidas de apoio, já em execução, e com um pacote financeiro estimado de 360 mil euros, tem por base o apoio às entidades do Concelho, às Juntas de Freguesia, à proteção dos rendimentos das famílias, à educação e ao setor da Solidariedade.
Agora é importante que todas as empresas submetam a candidatura. Simplificámos os procedimentos para uma celeridade de transferências de verbas. Se existirem dúvidas, liguem para a Câmara Municipal que os nossos técnicos iram ajudar de imediato.

MS- A nível ambiental, Fornos de Algodres tem conquistado imensos feitos a nível da água, reciclagem, fruto de um bom trabalho da autarquia, que novidades podemos ter no futuro?
MF- Portugal tem um grande objetivo que será atingir a neutralidade carbónica em 2050. Logo, para o nosso País atingir essa meta, é necessário que cada Município, independentemente da sua dimensão, trabalhe as políticas ambientais. Nós, aqui em Fornos de Algodres, temos tido um trabalho muito focado em diferentes temáticas do setor ambiental, como é reconhecido em diferentes fóruns.
Os resultados já publicados, evidenciam o caminho que estamos a trilhar. Por exemplo: no setor da água em 2020, face a 2017, conseguimos reduzir as perdas de água em 9,6%. Isto equivale a uma elevada poupança financeira para o Município. Aliás, considerando a gestão em baixa, o Município de Fornos de Algodres destacou-se de todos os Municípios da Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela (CIM-BSE), como o Município com perdas mais baixas. Este indicador da entidade reguladora do setor, na minha opinião, é um dos indicadores que revelam bem o caminho que estamos a trilhar.
Relativamente ao futuro, para além das temáticas que mencionou na sua questão, iremos focar-nos na temática dos biorresíduos – em articulação com o setor escolar – e na mobilidade sustentável.

MS-Este ano de 2021, vai ser ano de Eleições, mas também com novos projetos podem surgir e conclusão de outros já lançados?
MF-Relativamente às eleições teremos oportunidade, certamente, para abordar esse tema com maior detalhe.
No que diz respeito a obras para Fornos de Algodres queremos concluir a empreitada de “Requalificação da Escola de Figueiró da Granja”, uma aposta forte no setor na Educação e conforto para as nossas crianças, queremos ainda melhorar as condições do nosso Mercado Municipal, com “a requalificação do Mercado Municipal de Fornos de Algodres”, que se encontra em análise pelo Tribunal de Contas e, requalificar a Rua Dr. Fernando Menano que terá ligação ao Centro Escolar de Fornos de Algodres.
No setor económico queremos iniciar a construção da área de acolhimento empresarial de Juncais, uma obra extremamente estruturante para o nosso Concelho.
Como é habitual, iremos apoiar os Presidentes de Junta em necessidades levantadas por eles. Felizmente, existe uma grande articulação do executivo com os Presidentes de Junta, o que, é um sinal de união pelo bem-estar das nossas populações.

MS- Que mensagem deixa nesta fase do ano a todos os fornenses e comunidade em geral?
MF- Quero transmitir uma palavra amiga e cheia de solidariedade a todos os Fornenses, nesta fase menos positiva. Eu e a minha equipa estaremos sempre ao vosso lado pois, só unidos, faremos a verdadeira diferença.