Templates by BIGtheme NET
Início » Tag Archives: Fornos de algodres

Tag Archives: Fornos de algodres

Diocese de Viseu-Nomeações Diocesanas

Diocese de  Viseu

O Reverendo Padre Carlos Martins Casal, Pároco de Abraveses, Reitor do Seminário Maior de Viseu, Diretor e Assistente Espiritual do Colégio da Via-Sacra e Assistente Espiritual da Fundação de S. José, do Arciprestado de Viseu Urbano, em acumulação com o cargo de Vigário Geral da Diocese.
Agradecemos ao Reverendo Padre António Henrique Ribeiro de Sousa o trabalho pastoral realizado como Pároco de Abraveses, Reitor do Seminário de Viseu, Diretor e Assistente Espiritual do Colégio da Via-Sacra e Assistente Espiritual da Fundação S. José de que o dispensamos.

O Reverendo Padre César Martinho Duarte Catarino, Pároco de Povolide, Arciprestado de Viseu Rural, em acumulação com as paróquias de Pindo, Germil, Lusinde, Mareco e Notário do Tribunal Eclesiástico.
Agradeço a título póstumo, ao Reverendo Padre António Batista Lopes todo o trabalho realizado na paróquia e como Presidente do Centro Social Paroquial com tanto zelo e dedicação.

Agradeço ao Reverendo Padre Manuel Alberto Henriques de Figueiredo todo o trabalho realizado como Vigário Paroquial de Povolide, de que o dispensamos. Agradeço aos Frades Franciscanos Conventuais e outros sacerdotes diocesanos e religiosos todo o trabalho realizado na paróquia.

O Reverendo Padre Ermelindo Cardoso Ramos, Pároco de Ferreira de Aves, do Arciprestado do Dão, em acumulação com as paróquias de Águas Boas e Forles. Fica dispensado do cargo de Vigário Paroquial da mesma paróquia, agradecendo-lhe todo o trabalho realizado.
Agradeço ao Reverendo Padre Nuno da Gama Osório Amador, por todo o trabalho realizado na paróquia de Ferreira de Aves, Arciprestado do Dão, ao longo de mais de cinco décadas de serviço dedicado, com zelo e abnegação ao povo de Deus e às instituições. Foi um grande missionário dedicando a sua vida à construção de novas Igrejas. Fica dispensado da paróquia a seu pedido ao abrigo do cânone 538, parágrafo 3º.

Dispensamos o Reverendo Padre Carlos Miguel Nunes Pereira Monge do cargo de Vigário Paroquial da paróquia de Ferreira de Aves e de Mioma, a quem agradecemos todo o trabalho realizado.

O Reverendo Padre Virgílio Marques Rodrigues, Pároco de Santa Comba Dão, Arciprestado de Besteiros, em acumulação com as paróquias de Nagosela, São Joaninho e Treixedo. Das outras paróquias de que era pároco “In Solidum” com o Padre Carlos Martins Casal fica dispensado.
Agradeço ao Reverendo Padre Carlos Martins Casal o trabalho realizado nas paróquias de Santa Comba Dão, Couto do Mosteiro e Vimieiro de que fica dispensado.

O Reverendo Padre Carlos Manuel de Matos Rodrigues, Pároco das paróquias de Couto de Mosteiro e de Vimieiro, Presidente do Centro Social Paroquial de Couto de Mosteiro e de Vimieiro, Arciprestado de Besteiros, em acumulação com as paróquias de Óvoa, Pinheiro de Ázere e São João de Areias.
Agradeço ao Reverendo Padre Carlos Casal todo o trabalho realizado como pároco na paróquia de Couto de Mosteiro, Santa Comba Dão e Vimieiro e de pároco “in solidum” das paróquias de Nagosela, São Joaninho e Treixedo, Óvoa, Pinheiro de Ázere e São João de Areias como pároco “in solidum” de que fica dispensado.

O Reverendo Padre Jorge Luís Gomes Lopes, Pároco de São João de Lourosa, Arciprestado de Viseu Rural. Continua como Assistente Espiritual do Movimento dos Cursilhos de Cristandade.
Agradeço ao Reverendo Padre José Marcelino Pereira o trabalho realizado como Administrador Paroquial desta paróquia de que fica dispensado.

Agradeço a colaboração que nos foi dada pelos Missionários Combonianos, Frades Franciscanos Conventuais e outros sacerdotes que colaboraram nos serviços da paróquia ao longo deste ano pastoral.

O Reverendo Padre Georgetown Leite Grangeiro, incardinado na Diocese de Santo Amaro, estado de São Paulo, Brasil em missão na Diocese de Viseu, com autorização do seu Bispo, Pároco das paróquias de Algodres, Fornos de Algodres, Casal Vasco, Cortiço, Infias e Vila Chã, Arciprestado da Beira Alta. Capelão da Santa Casa da Misericórdia de Fornos de Algodres.
Agradeço ao Padre Jorge Luís Gomes o trabalho realizado como Pároco “In Solidum” (Moderador) de Algodres, Casal Vasco, Cortiçô, Figueiró da Granja, Fornos de Algodres, Fuinhas, Infias, Maceira, Muxagata, Sobral Pichorro e Vila Chã de que fica dispensado.

O Reverendo Padre Mário Lopes Dias, Administrador Paroquial de Vila Maior e de São Félix, Arciprestado de Lafões, em acumulação com a paróquia de São Pedro do Sul, Várzea de Lafões e Capelão da Santa Casa da Misericórdia de Santo António de São Pedro do Sul.
Agradeço ao Reverendo Padre António Marques Alexandre, todo o trabalho realizado nestas paróquias com zelo apostólico, das qual fica dispensado por motivo de saúde.

O Reverendo Padre António Henrique Ribeiro de Sousa, vai continuar os estudos em Teologia Bíblica na Universidade Gregoriana em Roma, para fazer o curriculum para o Doutoramento em Sagrada Escritura.
É dispensado do trabalho pastoral na paróquia de Abraveses, de Reitor do Seminário Maior, de Diretor e Assistente Espiritual do Colégio da Via-Sacra e de Assistente Espiritual da Fundação S. José, a quem agradecemos todo o trabalho realizado.

O Reverendo Padre João Martins Marques, Vigário Paroquial das Paróquias de Chãs de Tavares, Travanca de Tavares, São João da Fresta, Abrunhosa à Velha, Quintela de Azurara, Cunha Alta, Freixiosa e Várzea de Tavares, Arciprestado da Beira Alta, confiadas ao cuidado pastoral do Reverendo Padre António José Clementino.
Agradeço ao Padre Georgetown Leite Granjeiro o trabalho realizado como Vigário Paroquial nas paróquias de Abrunhosa-a-Velha, Chãs de Tavares, São João da Fresta e Várzea de Tavares, de que fica dispensado.

Direção da ACEGE para o triénio 2022-2025:
Presidente: José Lopes Coelho; Secretário: Rui Filipe Cardoso Carreto; Tesoureiro: Augusto Passos Oliveira; Vogais: Serafim Campos Silva, Carlos Alberto da Siva Santos.; Assistente Espiritual: Padre Manuel Alberto Henriques de Figueiredo.

Direção do Movimento Educadores Católicos para o triénio 2022-2025
Presidente: Maria Alzira de Oliveira Marques Santos; Equipa: Carla Maria da Silva Almeida, Carla Marina Cerdeira Lopes, Carlos Alberto Cartaxo Lopes, Isabel Teresa Rodrigues Coelho Ferreira e Julieta de Jesus Costa; Assistente Espiritual: Padre João Dinis Lopes de Figueiredo

Direção da Associação Católica dos Enfermeiros e Profissionais de Saúde para o triénio 2022-2025:
Presidente: Adelino da Silva Rodrigues; Vice-Presidente: Maria de Deus Queijo Barroco; Secretária: Margarida Maria Lopes Carvalho ; Tesoureira: Maria Rosa Bastos; Vogais: Rosa Maria Lopes Martins, Ana Maria dos Santos Coelho Seixas Silva, Luísa M. Borges Soares, Fernanda F. Santos Coelho Seixas, Maria Idalice T. Ferreira, Susana Marisa L. Pais Batista, Paula Maria Alegria Pinho, Odete de Jesus Ferreira Martins, Felisbela Preciosa Gomes Vaz, Maria Helena Santos Lage Oliveira; Mesa da Assembleia Geral: Presidente: Olivério de Paiva Ribeiro; António Lídio Rodrigues Lemos, Fernando Ferreira Pina, Carlos Manuel de Sousa Albuquerque, Maria Olinda Preto Martins. Conselho Fiscal: Madalena de Jesus Cunha Nunes, Ana Maria Lopes Caseiro, Rosa Fátima P. Lacerda Vasconcelos, Maria Teresa Cunha Santos, José Batista Coelho, Olga Maria de Jesus Coelho Santos; Assistente Espiritual: Padre João Pedro Ferreira Cardoso.

“Alto” chega a Gouveia e a Fornos de Algodres

Depois de enchentes em Nelas e Mangualde

Depois de duas enchentes em Nelas e Mangualde, “Alto” continua em digressão pelo Alto Mondego. Em Gouveia, “Alto” chega no dia 11 de agosto, às 22h00, no Parque da Ex. Bellino & Bellino e a Fornos de Algodres no dia 18 de agosto, às 22h00, no Largo da Estação de Camionagem. O musical, criado pela Contracanto- Associação Cultural e que tem feito as delícias de quem assiste, surge no âmbito do projeto Alto Mondego’ Rede Cultural e conta com 35 elementos da comunidade de Nelas, Mangualde, Gouveia e Fornos de Algodres.

“Alto” conta as histórias do quotidiano e do que une os 4 concelhos. Uma homenagem às tradições, costumes e ao que de mais autêntico têm em comum. Quem passar pelo Alto Mondego neste verão tem, assim, uma experiência única para viver.

O adro da Igreja vai ser o lugar de todos os encontros. Por lá vão trocar-se histórias, experiências cochichos e memórias. Pelo meio haverá desentendimentos e picardias, mas, no fim de contas, haverá algo que falará sempre mais alto: O sentimento comum que é o orgulho em pertencer ao Alto Mondego. Este é o mote para uma história que traz recordações e memórias e que traz a palco a identidade comum do território. “Criámos um espetáculo muito próximo da população que relata vários momentos do quotidiano. Vamos resgatar memórias, recordações e vivências dos nossos avós e fazer uma homenagem à terra que todos partilham”, explica Sandra Leal.

A comunidade vai fazer dela própria. Serão as pessoas da aldeia e vão participar ativamente na trama. “Terão um papel muito ativo do início ao fim, só assim faz sentido. É muito bom ver o seu empenho, a sua evolução e entrega, mas também os laços que críamos, juntos. Todos sentem-se parte de algo maior e isso é muito gratificante”, destaca Sandra Leal.

A criação teve também a preocupação de trazer para palco o melhor e o mais distintivo do território. Assim, o Queijo Serra da Estrela, o Vinho do Dão, a Lã, o Azeite e outros produtos endógenos do território também vão estar em destaque. Como explica a dramaturga, “estes produtos fazem parte do cartão de identidade comum, são uma referência nacional e projetam o território além-fronteiras”.

O projeto “Alto Mondego’ Rede Cultural” junta os municípios de Nelas, Mangualde, Fornos de Algodres e Gouveia e é cofinanciado pelo Centro 2020, Portugal 2020 e União Europeia, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.

Uma dezena de espetáculos da Rede de Artes Performativas

Rede de Artes Performativas desafia pessoas a saírem à rua e celebrarem cultura
10 espetáculos gratuitos a não perder na Beira Interior este verão

O desafio é simples: este verão, sair à rua e celebrar a vida e a arte com 10 espetáculos gratuitos. Trata-se da segunda edição da Rede de Artes Performativas, promovida pela ASTA nos concelhos de Belmonte, Covilhã, Fornos de Algodres, Fundão, Gouveia, Manteigas e Seia. Com a participação de companhias nacionais e internacionais esta iniciativa quer contribuir para criar uma forte dinâmica cultural no Interior do país, aproximando a cultura das pessoas e dando a conhecer o património histórico destes territórios a que os visita.

O festival arrancou em junho, mas há ainda muito para ver e sentir: 5 propostas culturais, num total de 10 espetáculos. Sempre ao ar livre, sempre gratuitos.

A próxima paragem será no Fundão que recebe no dia 5 agosto, no Largo do Calvário, às 22h30, o espetáculo “Por um Fio”, pelo grupo Erva Daninha. A 6 de agosto, o palco transfere-se para o Largo da Igreja que recebe, às 23h00, o espetáculo Raíz.

Manteigas recebe os espetáculos Por um Fio e Raíz, nos dias 12 e 13 de agosto, respetivamente. Ambos acontecem no Parque da Várzea, às 21h30.

Máquina de Encarnar, no dia 3 de setembro e Raíz no dia 4 de setembro, são as propostas culturais para Belmonte. As duas apresentações vão ocorrer no Castelo, a primeira às 21h30, e a segunda às 17h00.

Fornos de Algodres recebe o espetáculo Raíz no dia 16 de setembro, às 21h30, na Câmara Municipal e no dia seguinte, 17 de setembro, é apresentado Máquina de Encarnar, no Largo da Misericórdia, também, às 21h30.

O festival encerra em Seia, a 26 de setembro, com dois espetáculos: Erva Daninha apresenta E-NXada, às 14h30, na Escola Abranches Ferrão e La Gata Japonesa apresenta Los Viajes de Bowa, no Centro Escolar de São Romão.

Recorde-se que na segunda edição da Rede de Artes Performativas já passou pelos municípios da Covilhã e de Gouveia com os espetáculos Raíz e Fuera de Stock e Marilelas.

Recorde-se que, no total, o cartaz desta segunda edição contempla 14 espetáculos.

O Projeto Rede Interior tem como entidade líder executora a ASTA – Teatro e Outras Artes, e como entidades parceiras não executoras, os Municípios de Belmonte, Covilhã, Fornos de Algodres, Fundão, Gouveia, Manteigas e Seia. Projeto cofinanciado pelo Centro2020, Portugal 2020 e União Europeia, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.

GNR Guarda – Gouveia, Fornos de Algodres e Aguiar da Beira – Apreensão de 198 artigos contrafeitos

O Comando Territorial da Guarda, através do Destacamento Territorial de Gouveia, entre os dias 23 de julho e 1 de agosto, apreendeu 198 artigos contrafeitos no decorrer de diversas ações aleatórias de fiscalização que decorreram em feiras dos concelhos de Gouveia, Fornos de Algodres e Aguiar da Beira.

No decorrer de diversas ações de fiscalização que tiveram lugar naqueles concelhos, os militares da Guarda fiscalizaram diversas bancadas que tinham para venda artigos contrafeitos de diversas marcas sem qualquer tipo de documento de transporte ou de aquisição, culminando na apreensão de 198 artigos, no valor estimado de 6 965 euros.

Desta ação resultou a identificação de três homens, de 41, 55 e 57 anos e duas mulheres ambas de 34 anos, tendo sido elaborados os respetivos autos por contrafação.

Os factos foram comunicados aos Tribunais Judiciais de Trancoso, Celorico da Beira e Gouveia.

A Guarda Nacional Republicana relembra que o objetivo principal deste tipo de ações é garantir o cumprimento dos direitos de propriedade industrial, visando essencialmente o combate à contrafação, ao uso ilegal de marca e à venda de artigos contrafeitos.

Selo “Boas Práticas de Saúde Psicológica, Bem-Estar, Sucesso Educativo e Inclusão” para AE FA

Recentemente, a Ordem dos Psicólogos Portugueses atribuiu o Selo “Boas Práticas de Saúde Psicológica, Bem-Estar, Sucesso Educativo e Inclusão” 2022-2024 ao AE de Fornos de Algodres.

A promoção da Saúde Psicológica e do Sucesso Educativo é absolutamente crucial para o desenvolvimento das crianças e jovens.

Festival Cultural da Serra da Estrela-Os Sons da Estrela arrancam em Celorico da Beira

O espetáculo “Os Sons da Estrela” integra o Festival Cultural da Serra da Estrela e estreia no próximo dia 16 de julho, pelas 21h30, no Largo do Tribunal, em Celorico da Beira. Apresentando-se, no dia seguinte, 17 de julho, pelas 21h30, em Gouveia, no Anfiteatro da Cerca.

Conta a história de Rosa, uma menina criança, que desde sempre fora fascinada pela paisagem da sua aldeia. Apesar deste fascínio, Rosa conhece uma senhora que a faz admirar ainda mais toda a natureza ensinando-lhe que, para a viver inteiramente, precisa de tempo e, claro, amor.

Numa aventura que enaltece lendas, costumes, cultura e gentes da região, este espetáculo musical procura envolver o público não só numa vertente de espetador, mas, também, participante, deixando-se levar pelas músicas bem conhecidas de todos.

Espetáculo “Desadormecer” passou por Fornos de Algodres

No âmbito do Festival Cultural da Serra da Estrela, o Município de Fornos de Algodres recebeu neste sábado, 2 de julho, na Residência de Estudantes/Largo da Igreja da Misericórdia o espetáculo “Desadormecer”. É uma criação de Produção D’Fusão em colaboração com Centro Social Paroquial de Sazes da Beira, Concertinistas da Folgosa da Madalena e CERVAS de Gouveia.
Desadormecer é uma instalação performance em forma de percurso guiado, através de um espaço exterior natural e um espaço interior mais expositivo. O espetáculo recorre a objetos e elementos multimédia de forma a imergir o espectador num universo que traça pontes entre o passado, o presente e as hipóteses de futuro, de uma população idosa e a região serrana que habitam. O trabalho debruça-se especificamente sobre as dicotomias isolamento / comunidade, e confinamento / liberdade, tocando também temas como memória, proteção, cura e autonomia.
Festival Cultural da Serra da Estrela é um projeto em rede de itinerância e intercâmbio cultural, cofinanciado pelo Centro 2020, Portugal 2020 e Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional, que foi desenhado para e com as populações do território da CIMBSE, nomeadamente a Raia Histórica, as Beiras e a região da Serra da Estrela, da qual faz parte o município de Fornos de Algodres. É composto por 75 espetáculos culturais como teatro, música, novo circo, dança contemporânea e performances multimédia, que estarão em movimento, entre junho e outubro do ano em curso, pelos 15 municípios da área de abrangência da CIMBSE.

Queiriz inaugurou Salão Cultural / Desportivo, espaço Internet e recinto de festas

Este domingo, foi de grande festa na Freguesia de Queiriz, assim a tarde iniciou com a inauguração da requalificação do Salão cultural/desportivo e espaço internet (situado na Casa do Povo), trata-se de um local que agora fica mais atrativo para toda a comunidade em geral.

Depois o Rancho Folclórico de Figueiró da Granja animou a tarde antes do lanche convívio para todos os presentes.

Mais para a noite, foi inaugurada a requalificação dos arranjos exteriores da casa do Povo e recinto de festas, que recebeu o baile com bastante animação pelo grupo K5.

Assim , um obra muito útil para toda a comunidade e vem assim dar uma nova imagem á localidade, realizada pelo executivo da Freguesia de Queiriz liderada por Vítor Hugo.

Contracanto estreou musical nos municípios do Alto Mondego

No “Alto” há uma história para contar pela voz dos que cá moram

“Alto” é a nova proposta comunitária do Alto Mondego’ Rede Cultural. Um musical criado pela Contracanto Associação Cultural com um elenco de luxo que junta 35 elementos da comunidade de Nelas, Mangualde, Gouveia e Fornos de Algodres. “Alto” conta as histórias do quotidiano e do que une os 4 concelhos. Uma homenagem às tradições, costumes e ao que de mais autêntico têm em comum. Quem passar pelo Alto Mondego neste verão tem, assim, uma experiência única para viver. A estreia foi na passada sexta-feira, 24 de junho. No total são 4 apresentações, uma em cada município. Ler Mais »

Dezenas de Antónios conviveram em Fornos de Algodres

Recentemente, teve lugar mais uma edição do Encontro/convívio dos Antónios do concelho de Fornos de Algodres, com a participação de algumas dezenas de Antónios.

Este ano, a localidade do Ramirão foi o local onde foi celebrada a Eucaristia em memória dos membros já falecidos, para depois rumarem a Fornos de Algodres, ao restaurante para o repasto alusivo a este dia. No final a distribuição das lembranças, assinatura da ata e um momento musical, para todos conviver. Para o ano será noutra localidade deste concelho fornense.

Fotos:AC