Templates by BIGtheme NET
Início » Tag Archives: Fornos de algodres

Tag Archives: Fornos de algodres

Cristina Guerra reconduzida na liderança do CDS/PP Fornos de Algodres

Teve lugar a eleição para a Comissão Política do CDS – PP de Fornos de Algodres, com Cristina Guerra a ser reconduzida na liderança da mesma, face a isso, os membros eleitos : Cristina Guerra, presidente, seguida por Carla Olival e Rui Sérgio Albuquerque.
Recorde-se que as autárquicas de 2021 aproximam-se e poderá vir a sair deste elenco uma nova candidatura à Câmara de Fornos de Algodres e junta de freguesia, ou até mesmo uma coligação com o PSD, mas em breve tudo ficará esclarecido.
Esta nova comissão politica tem o lema de Compromisso, Lealdade e Transparência.

Marcos Paulo é o novo líder da Comissão Política do PSD de Fornos de Algodres

Neste sábado, teve lugar a eleição da nova comissão politica do PSD de Fornos de Algodres, face a isso, apenas uma lista se apresentou a sufrágio e assim foi eleita pelos militantes sociais democratas fornenses.

Deste modo, Marcos Paulo passa a ser o novo líder do PSD do Concelho de Fornos de Algodres, tendo como Vice-presidentes, Fernando Melo e José Nunes , Secretária vai ser Carla Ferreira e Rui Furtado como tesoureiro.

Por sua vez, a Assembleia de Secção é presidida por José Ângelo Andrade, depois Pedro Bidarra é o vice-presidente, Américo Feio e Graça Paulo, como Secretários.

Largada de balões para marcar o regresso na APS de Fornos de Algodres

O ambiente foi de festa no regresso dos clientes do CAC I- Centro de Atividades e Capacitação para a Inclusão da APS , depois de alguns meses de espera devido ao confinamento.

Desta forma, regressaram todos cheios de vontade e esperança de que tudo correrá bem.

Assim sendo, a celebração foi uma singela homenagem a todos os que por esta doença já passaram e estão a passar, com uma simbólica largada de diversos balões.

Nova Rede Itinerante Cultural do Interior une 7 municípios 

Uma nova Rede Cultural do Interior leva dezenas de espetáculos, a partir de junho, a 7 municípios, com a coordenação da  Companhia de Teatro ASTA, rede itinerante de intervenção cultural para levar dezenas de espetáculos a territórios de baixa densidade.

Será entre castelos, anfiteatros ao ar livre, jardins, escadarias, teatros, praças e largos em Belmonte, Covilhã, Fornos de Algodres, Fundão, Gouveia, Manteigas e Seia que a companhia profissional da Covilhã – ASTA, juntamente com estes 7 municípios, leva à cena dezenas de espetáculos de dança, teatro e artes circenses. Paralelamente será ainda criada uma Rede Interior Virtual de visitação itinerante aos espaços patrimoniais dos 7 Municípios através de visitas com recurso à realidade aumentada.

Esta “Rede Interior” tem como objetivo desenvolver uma programação artística e cultural integrada no território constituído pelos Municípios de Belmonte, Covilhã, Fornos de Algodres, Fundão, Gouveia, Manteigas e Seia, com o intuito de promover e valorizar o património histórico-cultural e sensibilizar a comunidade a participar ativamente na afirmação destes territórios.

Com a coordenação da ASTA – Teatro e Outras Artes, as comunidades locais são convidadas a participar nesta Rede Cultural do Interior. As apresentações de teatro, dança e circo contemporâneo terão lugar em dois dias consecutivos por forma a contribuir para a oferta, animação cultural da região, o aumento dos fluxos turísticos e, consequente, tempo de permanência de quem visita os territórios.

Os projetos artísticos vão ao encontro da identidade, a cultura e a história do território “Rede Interior”, demonstrando o que une e o que diferencia os 7 Municípios desta rede cultural. Ao longo de 18 meses, serão apresentados 14 espetáculos, itinerantes e propagadores da identidade, do património natural e cultural do território, catalisadores da participação da comunidade local.

Esta é uma Rede Cultural diferenciadora não só pelo cariz itinerante dos espetáculos na criação de iniciativas culturais fortemente ligadas ao território, mas também pelo seu cariz social de apoio e capacitação dos agentes de cultura locais, que há muito se debatem com os constrangimentos da crise pandémica.

A dinamização destas iniciativas culturais está intimamente relacionada com os ativos patrimoniais distintivos do território, contribuindo para a formulação e implementação de iniciativas vocacionadas para a conservação e proteção do património, mas também constituem um veículo para a promoção da região e para a diferenciação desta, num contexto de competitividade territorial.

No período de 5 dias que antecede os espetáculos em cada Município, serão dinamizadas sessões teatrais abertas a todos; pessoas com problemas de inclusão social, desempregados, idosos e minorias étnicas. Será incentivada a participação direta da comunidade de forma a alavancar os laços sociais e comunitários que foram afetados com o isolamento social.

Em todos os locais serão aplicados os princípios legais e as diretrizes da Direção-Geral de Saúde (DGS) referentes aos espetáculos de natureza artística nomeadamente, distanciamento físico, higienização das mãos com postos móveis, utilização de máscara e controlo de lotação.

Rede Interior Virtual com realidade aumentada

Além desta Rede de Artes Performativas será ainda criada uma Rede Interior Virtual de visitação itinerante aos espaços patrimoniais dos 7 Municípios através de visitas com recurso à realidade aumentada. O objetivo será acrescentar uma valorização turística dos territórios da rede, oferecendo uma atividade alternativa às tradicionais formas de apresentação das visitas guiadas e encenadas, realizadas de forma presencial,
permitindo ao turista a visita ao território de uma forma autónoma e “fora de horas”, o que torna a ação mais aliciante tendo em conta o atual contexto de pandemia e os aspetos de saúde pública.

O Projeto Rede Interior tem como entidade líder executora a ASTA – Teatro e Outras Artes, e como entidades parceiras não executoras, os Municípios de Belmonte, Covilhã, Fornos de Algodres, Fundão, Gouveia, Manteigas e Seia. Projeto cofinanciado pelo Centro2020, Portugal 2020 e União Europeia, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.

Diocese de Viseu avança com orientações para a Semana Santa

Pregamos Cristo Crucificado

diocese viseu

D.António Luciano, Bispo da Diocese de Viseu, apresenta as diretrizes para a Semana Santa que está a chegar.

A todas as pessoas de boa vontade:
1. Ser sujeito da própria história da fé ou construtor de um mundo novo e melhor é sempre uma profunda aspiração do homem e da sua realização no plano da salvação. Neste contexto o cristão é o homem da confiança e da esperança. Vivemos um tempo das igrejas vazias (Tomás Halík), e agora voltamos de novo à celebração comunitária e presencial da Eucaristia.
Afirmava Tomás Halík no Domingo de Ramos de 2020: “Não consigo afastar a ideia de que as igrejas vazias e fechadas nesta Páscoa são um sinal de alerta profético. Isso poderá acontecer em breve com a Igreja, se não passar por uma transformação profunda, pela morte e ressurreição, se não tiver coragem de deixar morrer muitas coisas, para que o novo possa surgir renovado para a vida” (O Tempo das Igrejas vazias, p. 73,74).
O Cristianismo e a Igreja nasceram da Páscoa de Jesus Cristo, acontecimento central e fundante da fé em Cristo, Crucificado e Ressuscitado.
Cristo entregou-se à morte na Cruz, assumindo no sofrimento e na morte a sua vitória. Esta foi a hora do Crucificado, em que glorificou o Pai e salvou a humanidade. A fé leva-nos sempre a buscar o próprio Deus, que no caminho quaresmal nos convida à conversão interior e à reconciliação com os irmãos. A Igreja, Mãe e Educadora na fé, deseja que todos os batizados façam este caminho pessoal e comunitário “de arrependimento dos seus pecados, pedindo a Deus o dom do perdão, com um coração sincero, e a procurar o dom da reconciliação com Deus e com os irmãos. O sinal da reconciliação faça crescer os cristãos na comunhão e na unidade. Queremos uma Igreja reconciliada e reconciliadora, que anuncia ao mundo de hoje o Evangelho da misericórdia” (Carta do Bispo de Viseu aos Sacerdotes, Diáconos e Consagrados, 19/03/2021).
Jesus, o Crucificado, é o nosso caminho para a Páscoa, a fortaleza da nossa fraqueza e a esperança da nossa ressurreição. Sabemos que “Deus ama o pecador, mas rejeita os seus pecados e acolhe-o, arrependido de braços abertos (cf. Lc 15, 20). Que todos, ao longo desta Quaresma, em tempo de pandemia, experimentemos a grandeza da conversão e da reconciliação, quer através do Sacramento da Reconciliação, quer através de um ato pessoal de arrependimento e de mudança interior para encontrar a vida nova.
2. A Quaresma, na reta final, convida-nos à celebração do Domingo de Ramos, pórtico da entrada triunfal de Jesus em Jerusalém e da celebração do Mistério da Sua Paixão e Morte, dom gratuito da salvação oferecido à humanidade.
O Mistério da Paixão e Morte de Nosso Senhor Jesus Cristo, que celebramos no Domingo de Ramos, é fundamental para a nossa fé cristã. Celebramos a entrada solene de Jesus em Jerusalém, como Rei e Senhor da história e da humanidade, montado numa jumentinha e aclamado pela multidão: “Bendito o que vem em nome do Senhor! Hossana nas alturas!”
A celebração e a bênção dos ramos realizam-se dentro das Igrejas, procurando cada um levar o seu ramo para ser benzido. Não devemos partilhar os ramos, por causa da pandemia. Como cristãos, abramos o nosso coração à contemplação de Jesus na Cruz, o Crucificado, que foi elevado para atrair a todos no caminho para a Páscoa. Como ensina São Paulo, os cristãos “pregamos Cristo Crucificado”, e esta é a missão de todos os batizados.
O peditório desta celebração, a Renúncia Quaresmal, este ano destina-se à Diocese de Pemba, Moçambique e a prover as necessidades da Diocese de Viseu. Em tempos de pobreza e vulnerabilidade sejamos generosos.
Coloque cada família uma cruz à entrada da sua casa.
3. A Semana Santa inicia o mistério da nossa salvação. Por isso os sacerdotes, os diáconos, os consagrados e os leigos celebram a Missa Crismal, presidida pelo Bispo da Diocese, na manhã de Quinta-feira Santa, na qual os sacerdotes se reúnem em presbitério e celebram o jubileu da ordenação os que têm 25, 60 e 70 anos de sacerdócio. Todos juntos, renovam as promessas sacerdotais, e benzem-se os Óleos dos Catecúmenos e dos Enfermos, e faz-se a consagração do Santo Crisma.
O Tríduo Pascal inicia-se com a Eucaristia vespertina da Ceia do Senhor, de acordo com o ritual, e, este ano, sem a realização do gesto do lava-pés. Esta celebração evoca a Instituição da Eucaristia, onde Jesus no banquete se dá em alimento: “Ó Sagrado Banquete em que se recebe Cristo e se comemora a Sua Paixão, em que alma se enche de Cristo e nos é dado o penhor da futura glória”.
Jesus celebra a última ceia com os seus discípulos e entrega-lhes o Pão e o Vinho como alimento para fazerem sempre isto em sua memória. “A liberdade que Jesus nos dá, o mundo não a pode dar. Jesus é o caminho rumo à liberdade, a verdade que nos torna livres e a vida que liberta do medo, do pecado e da morte. Quando, juntos, celebramos a Eucaristia, a Ceia do Senhor, abrimo-nos nós mesmos, as nossa vidas, as nossa comunidades e todo o mundo a Cristo libertador” (Tomás Halík, Via Crucis, Paulinas, p. 6). A partilha desta Eucaristia é para ajudar os pobres, porque celebramos o Dia do Mandamento Novo do Amor.
A celebração de Sexta-Feira Santa faz memória da Paixão e Morte de Jesus. “No rito da adoração da Cruz, apenas o sacerdote fará o gesto habitual de adoração”.
Façamos em nossas casas um altar com Jesus Crucificado, diante do qual dediquemos um tempo de oração pessoal e familiar. Meditemos no mistério da cruz e do crucificado e escutemos a oração de Jesus: “Meu Deus, porque me abandonastes”. No abandono, na dor, no sofrimento, “Jesus entrega o seu espírito” ao Pai e experimenta o mistério da morte. “Mas Deus não está morto, não dorme. Nas noites escuras da ocultação de Deus, é preciso viver uma tríplice paciência: na fé, na esperança e no amor” (Tomás Halík, p. 10 e 11).
O peditório deste dia é para os Lugares Santos; sejamos generosos com os cristãos da Terra Santa.
O Sábado Santo é um dia de silêncio, de luto, de oração, de solidão e de repouso. Transformemos as perguntas e dúvidas em oração. “Deus não deixa que a pergunta do seu Filho fique sem resposta: a sua resposta é a luz da manhã de Páscoa” (Tomás Halík, p. 24).
A Vigília Pascal é a “Mãe de todas as Vigílias”. Realiza-se no interior da Igreja, e nela celebramos a vida nova, que em Cristo Ressuscitado foi oferecida à humanidade, vencendo o pecado e a morte. A bênção do lume novo, o cântico do Precónio Pascal, a escuta da Palavra de Deus, o cântico solene do Aleluia, o Evangelho da ressurreição, a oração, a bênção da água e a renovação solene das promessas do Batismo são momentos para celebrarmos o anúncio solene de Cristo Ressuscitado.
O Domingo da Ressurreição, Páscoa do Senhor, centro da espiritualidade cristã, celebra-se dentro da Igreja. Não se realiza a procissão da Ressurreição com Jesus na Eucaristia. Viva-se festivamente a Páscoa, tocando solenemente os sinos. Convido todos os cristãos a colocar uma cruz enfeitada na porta das suas casas ou janelas e a dar destaque ao estandarte de Cristo Ressuscitado.
Vivamos este dia no cumprimento das normas da DGS e das orientações da CEP, que proíbe “as procissões e outras expressões da piedade popular, como as “visitas pascais” e a “saída simbólica de cruzes, de modo a evitar riscos para a saúde pública” (CEP, 11 de março de 2021).
É preciso saber obedecer às orientações. Faço um apelo a todo o povo de Deus para que saiba ser responsável, evitando aglomerações de pessoas nos exteriores das igrejas.
Saibamos todos contribuir para as necessidades da Igreja e para a sustentação do clero, quer seja pela partilha da côngrua, quer pela oferta do folar. Que todos experimentem a Vida Nova em Cristo. Caminhemos juntos, com Cristo Ressuscitado, pelas estradas de Emaús, ao encontro dos irmãos.
Que a Senhora da Alegria e São José encham de gozo espiritual as nossas vidas, enfeitadas com a beleza das flores brancas da Páscoa.
“Desejo a todos Santas Festas de Páscoa em Cristo Ressuscitado. Aleluia! Aleluia!!

Páscoa Digital com produtos Serra da Estrela

Municípios da CIM-BSE apostam em eventos e tradições do sagrado online

 A Páscoa 2021 será ainda ‘confinada’, diferente, mas original. Algumas das tradições pascais no Território e os sabores associados ao melhor da gastronomia desta época do ano rumam para o digital. A Quadragésima, os festivais de sabores, as feiras e mercados digitais de produtos identitários são as propostas de um roteiro digital pelo Território das tradições pascais das Beiras e Serra da Estrela.

 A Páscoa é tempo de renovação, esperança e partilha. Nunca antes estas três palavras foram tão simbólicas para os novos tempos em que vivemos. E apesar de, para já, o tão esperado regresso ao território das Beiras e Serra da Estrela estar em compasso de espera, há tradições do sagrado que não se perdem.

Toda a Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela (CIM-BSE) têm de tal forma arreigadas as tradições do sagrado e religiosidade das suas gentes neste período da Quaresma, que este ano os municípios de Belmonte, Covilhã, Fundão, Guarda e Sabugal optaram por levar a Quadragésima ao meio digital. A Via Sacra, Procissão dos Passos, encomendação das almas, canto dos martírios, alvíssaras, procissão dos penitentes são algumas das manifestações que irão ter expressão única e exclusivamente online (Quadragésima). Este sentir coletivo está presente em inúmeras aldeias espalhadas um pouco pelos 5 municípios, e enquanto não é possível seguirmos no encalço destas gentes e dos locais das manifestações da Fé, a Quadragésima deste ano é uma proposta para também seguirmos num roteiro espiritual e virtual pelas tradições mais emblemáticas da Região.

Também o Município de Pinhel tem agendados eventos digitais alusivos à quadra pascal no Facebook da Cidade Falcão. A 2 de abril, pelas 21 horas, o município convida a percorrer online o caminho da renovação da esperança – a Via Sacra. Durante toda a Semana Santa será recriado o percurso da Via Sacra – Caminho de Esperança com imagens em grande formato nos locais que identificam as diversas estações, permitindo que cada pessoa, no estrito cumprimento das diretrizes emanadas pela Direção-Geral de Saúde, percorra o caminho em reflexão individual. A 4 de abril, às 12 horas, será também transmitida a Eucaristia do Domingo de Páscoa.

A Páscoa é também sinónimo de gastronomia típica, sabores e produtos tradicionais

Município do Fundão leva os Sabores da Páscoa ao Festival Gastronómico “Fundão aqui come-se bem”. Quer seja via take away ou entrega em casa, os sabores tradicionais da época da Páscoa vão continuar a ser degustados, em segurança, na casa dos fundanenses. Restaurantes e pastelarias são desafiados a criar e reinventar receitas elaboradas com base nos produtos tradicionais da gastronomia da Beira Baixa, enquadrados na época Pascal.

De 22 de março a 21 de abril, o Município do Sabugal disponibiliza o Mercado da terra online na plataforma Smartfarmer para promoção e divulgação de atividades associadas ao mundo rural e ao artesanato da região e venda de produtos “made in Sabugal”.

Município de Gouveia disponibiliza até 21 de agosto o mercado virtual na DOTT de Queijos da Serra da Estrela, a Exposerra – Feira de Atividades Económicas da Serra da Estrela.

Município de Seia prolongou a sua já tradicional Feira do Queijo da Serra da Estrela para 13 de abril na plataforma DOTT, onde também estão disponíveis, além dos queijos de ovelha e Queijo Serra da Estrela DOP, os sabores inconfundíveis dos enchidos serranos, o vinho sub-região da serra da Estrela, o mel de urze, os licores, a broa ou o Bolo Negro de Loriga.

Até 28 de março, o Município de Celorico da Beira tem a decorrer a Feira do Queijo Digital com promoção da loja online de promoção de queijos e outros produtos endógenos. Esta Feira Digital conta com uma programação diversificada com vários eventos digitais de showcooking, workshops, conversas online com chefs, entre outras iniciativas.

Ao longo de todo o mês de março, o Município de Fornos de Algodres tem a decorrer a sua Feira do Queijo Serra da Estrela na plataforma de venda online de produtos endógenos, O Bom Sabor da Serra.

De referir que o Município de Almeida deverá manter entre os dias 2 e 3 de abril, o Mercado da Páscoa de produtos locais, endógenos, artes, colecionismo e antiguidades, no centro histórico, mediante a evolução da situação epidémica no país.

E enquanto não pode visitar a Serra e as saudades apertarem, pode sempre ‘chamar’ até si “A Serra à sua Porta”. Numa iniciativa da CIM-BSE, em estreita articulação com os Municípios que a compõem, “A Serra à sua Porta” reúne numa página única as várias plataformas de venda online de produtos do território, como Azeites de Montanha, Vinhos do Douro, Dão e Beira Interior, fumeiro e enchidos assim como mel, compotas e doces.

A Páscoa este ano convida assim a …ficar. E num período de esperança de um dia regressarmos à Serra da Estrela, resta a promessa na renovação do tão esperado reencontro com as mil e uma histórias e saberes ancestrais, com os sabores e os produtos característicos, com a cultura e o vasto património natural e edificado.

Pagamentos por multibanco e débito direto da Fatura da Água aumenta em Fornos de Algodres

Em janeiro de 2020 a Câmara Municipal de Fornos de Algodres modernizou a fatura da água. Esta modernização garantiu organizar a fatura da água com novos elementos, tornando a informação mais clara, mais completa, mais detalhada, com uma nova imagem, permitindo uma consulta mais fácil e mais transparente por parte do Munícipe. 

Um dos novos serviços que a fatura da água contemplou, foi a modalidade de pagamento da fatura através de referências multibanco. Os meios eletrónicos – multibanco e débito direto – a 31 de dezembro de 2020, representavam 82% dos pagamentos da fatura da água (aumento de 27%).

Os meios de pagamento por multibanco, por parte dos Munícipes, representaram 22%, o débito direto cerca de 60% e os pagamentos em dinheiro, ainda, representam 18%. 

 Esta modernização administrativa nos diferentes serviços da Câmara Municipal é uma aposta deste Executivo Municipal. 

 

Inauguração da requalificação da entrada da localidade de Sobral Pichorro

Teve lugar neste domingo, a inauguração das obras de requalificação da entrada  da localidade de Sobral Pichorro. Foi uma cerimónia discreta com a presença apenas do executivo da UF Sobral/Fuinhas e do Presidente da Câmara de Fornos de Algodres, Manuel Fonseca.

Desta forma, o executivo da UF Sobral /Fuinhas, António Fonseca, agradeceu a contribuição por parte do Município de Fornos de Algodres, na ajuda técnica e logística.

Os visitantes vão poder observar esta remodelação ao passarem pela localidade que tem entre outros pontos, a Capela de Monte Cristo e depois nas Fuinhas , a igreja e agora no recente Miradouro.

Uma Rede De Colaboração Para O Empreendedorismo Social pode nascer em Fornos de Algodres

O Município de Fornos de Algodres associou-se ao projeto I3Social – Incubadora Itinerante para a Inovação Social que está a ser dinamizado no território Beiras e Serra da Estrela (BSE).

Esta iniciativa tem o propósito de ajudar a ligar todo o saber e saber-fazer espalhado pelo território e servir de alavanca para impulsionar o trabalho em rede e de, juntos, nos reinventarmos enquanto sociedade para alcançar um futuro melhor.Pese  embora as adversidades locais, existe no concelho gente persistente e cheia de fibra que,
de forma inovadora, já está a dar resposta a problemas do território, sendo responsável pelo aparecimento de vários projectos, nas mais diferentes áreas:
– produtos genuínos e singulares;
– plataforma/loja online para comercializar produtos exclusivamente locais.
– métodos de produção inovadores, que têm contribuído para a diversificação de atividades;
– projetos, com conceitos inovadores de desenvolvimento;
– unidades de alojamento turístico diferenciadas;
– projetos e ações de qualificação de agentes e guias turísticos;
– respostas e serviços de apoio social inovadoras;

Face a isso lançam o desafio”Gostaríamos muito de ouvir todos aqueles que, de modo destemido e criativo, se têm dedicado a criar soluções para os enormes desafios sociais que vivemos. São estas pessoas que têm um conhecimento mais profundo e uma vivência mais real das dificuldades e das potencialidades do território”salienta fonte do Municipio fornense.

Daí a importância de se juntar  no próximo dia 19 de março, pelas 14h00, através deste link: https://us02web.zoom.us/j/88945723990?pwd=ZWtZQ2FVcVBxcWVvQ2ttd0NtMHFzZz09 (inscrição prévia).

 

Municípios receberam Unidades Móveis de Saúde (UMS) por parte da CIMBSE

Teve lugar no Grande Auditório do Teatro Municipal da Guarda,  a entrega das chaves das Renault Kangoo Maxi Z.E. (elétricas) aos 15 presidentes dos municípios Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela (CIM-BSE), municípios de Almeida, Belmonte, Celorico da Beira, Covilhã, Figueira de Castelo Rodrigo, Fornos de Algodres, Fundão, Gouveia, Guarda, Manteigas, Mêda, Pinhel, Sabugal, Seia e Trancoso.

Já  a respetiva cerimónia, decorreu em cumprimento  das recomendações previstas no âmbito da Covid-19, contou com a presença de Ana Abrunhosa, Ministra da Coesão Territorial, de António Lacerda Sales, Secretário de Estado Adjunto da Saúde e de João Paulo Rebelo, Secretário de Estado da Juventude e Desporto, enquanto coordenador regional de combate ao novo coronavírus na zona Centro.

Esta ação resultou de uma candidatura financiada pelo Programa Operacional CENTRO 2020, designada “Unidades Móveis de Saúde para o território CIMBSE”, com um investimento total 612.079 € comparticipados em 85% pelo FEDER.

Tem o objetivo de contribuir para o reforço da rede de infraestruturas de saúde, nomeadamente na prestação de cuidados de saúde domiciliários primários, cuidados paliativos e doença mental.
Numa ótica de prevenção, as UMS poderão ainda ser utilizadas em ações educativas nas áreas da toxicodependência, comportamentos de risco, saúde alimentar, diabetes, doenças cardiovasculares, entre outras, de acordo com as necessidades identificadas.

É pretendido implementar e reforçar o acompanhamento de proximidade, permitindo o acesso a serviços de saúde e de apoio social com qualidade a utentes com acesso mais limitado, e contribuindo para minimizar as diferentes fragilidades e assimetrias existentes.

As viaturas estão devidamente identificadas e encontram-se equipadas com nebulizador ultrassónico portátil, aspirador de secreções, monitor ambulatório de pressão arterial e oxímetro, aparelho de electroestimulação portátil, andarilho, pedaleira e mala térmica. Conta ainda com instalação elétrica na bagageira e quatro portas USB, espaços de arrumos, recipiente fechado para colocação dos resíduos hospitalares de grupo de risco III e Grupo IV, recipiente para colocação dos dispositivos médicos reutilizáveis e suporte para antissético líquido das mãos e papel de limpeza.

De referir ainda que, se tratam de viaturas elétricas, refletindo a preocupação desta

Comunidade Intermunicipal em contribuir para a descarbonização do meio ambiente.

A utilização das UMS ficará a cargo de cada município e respetivo centro de saúde, mediante dois protocolos assinados, (um com vista à colaboração para implementação do projeto das UMS e um protocolo operacional de utilização destas unidades), entre a CIM-BSE, a Administração Regional de Saúde do Centro I.P. (ARS Centro), a Unidade Local de Saúde da Guarda E.P.E (ULS Guarda) e os 15 municípios.

 

Refira-se que a CIM-BSE é composta pelos municípios de Almeida, Belmonte, Celorico da Beira, Covilhã, Figueira de Castelo Rodrigo, Fornos de Algodres, Fundão, Gouveia, Guarda, Manteigas, Mêda, Pinhel, Sabugal, Seia e Trancoso.