Templates by BIGtheme NET
Início » Tag Archives: foz coa

Tag Archives: foz coa

AF Guarda-Foz Côa reforça-se para a nova temporada 2021/22

Apesar de não ser conhecido o novo figurino para a nova temporada de 2021/22, o GD Foz Côa começa a preparar-se para competir para os lugares cimeiros, assim renovou com David Faustino, Rafael e Bruno Guedes, Ramon, João Rafael  e já anunciou novos reforços: Valter Luís, um guarda-redes que é reconhecido como um dos melhores do distrito, depois o experiente João Pimenta que dispensa apresentações, pela sua qualidade técnica.

Ainda Daniel Domingues , um jovem promissor com grande qualidade, um homem da casa, recorde-se que o treinador Carlitos renovou com o clube.

 

AF Guarda- Série A- Foz Côa- GD Trancoso-0-1

Uma tarde soalheira, na vila do território do Côa, com o líder Trancoso a arrecadar os três pontos, frente ao Foz Côa, pela margem mínima.

Uma partida bastante animada com duas equipas à procura do triunfo, mas eis que os homens de Bandarra chegam ao golo por intermédio de Dany, aos 15´.

O Foz Côa reagiu de pronto mas ambos os setores defensivos estavam bem atentos e até ao intervalo, manteve-se a vantagem dos visitantes.

Após o reatamento, pouca alterações aconteceram , dado que,  as equipas bem procuraram situações de ataque ,mas o resultado se manteve até ao fim com os pupilos de Zé Carvalho a ficarem mais líderes na série A do distrital de seniores.

 

AF Guarda- Foz Côa- AD Fornos de Algodres -2-1

Uma tarde cinzenta com a  chuva a mostrar-se, o Foz Côa recebeu e venceu o Fornos de Algodres por duas bolas a uma a contar para a 7ª ronda do distrital de seniores da AF Guarda.

Uma primeira parte mais equilibrada com ambas equipas a procurar dar o seu melhor e a tentarem o golo, mas o nulo chegaria ao intervalo.

A segunda parte chega com um golo madrugador da equipa da casa, com Diego Oliveira a emendar certeiro, segue-se uma reação visitante e Daniel Veronez acumula amarelos e recebe ordem de expulsão e a sua equipa passa a jogar com 10.

Mas o Foz Côa tentou o ataque e vai dai consegue fazer o segundo por intermédio de Daniel Ramos aos 63´.

A tarefa dos visitantes era mais complicada , dado que os locais defendiam agora mais, e só aos 80´surge o golo dos visitantes por intermédio de Richard.

O jogo relançou mas o triunfo já não fugiu aos locais que somaram 3 pontos , por sua vez , o Fornos de Algodres atrasou-se na luta pela  frente da tabela, ficando agora três equipas com 9 pontos na segunda posição.

Vai ser uma reta final extremamente interessante, uma vez que na próxima ronda o Fornos de Algodres recebe o líder Trancoso.

GNR Guarda em atividade

Foz Côa – Detido em flagrante por furto

O Comando Territorial da Guarda, através do Posto Territorial de Vila Nova de Foz Côa, deteve em flagrante um homem de 45 anos por furto, em Vila Nova de Foz Côa.

Na sequência de uma ação de patrulhamento, os militares da Guarda detetaram movimentos suspeitos no interior do estaleiro de uma obra, surpreendendo o suspeito quando este se preparava para se introduzir no interior do espaço através da vedação. Após diligências policiais, apurou-se que o indivíduo trabalhava para a empresa responsável pela obra e que este já tinha acedido anteriormente ao local, onde tinha subtraído diverso material, o qual era depositado pelo suspeito a cerca de 100 metros do local do furto e próximo da sua residência. Mantendo a intenção de voltar à obra, o homem deixou propositadamente as grades de acesso posicionadas de forma a facilitar novas incursões.

O detido foi constituído arguido, e os factos foram remetidos ao Tribunal Judicial de Vila Nova de Foz Côa

Seia – Recuperação de material furtado

O  Comando Territorial da Guarda, através do Posto Territorial de Gouveia,  recuperou material furtado e identificou dois homens de 30 e 38 anos por furto qualificado, na localidade de Seia.

No âmbito de uma investigação que decorria há seis meses, os militares da Guarda deram cumprimento a dois mandados de busca domiciliária, tendo apurado que os suspeitos detinham na sua posse duas mesas de som que haviam sido furtadas de um estabelecimento de restauração e bebidas. O material foi apreendido e será entregue ao legítimo proprietário.

Os factos foram remetidos ao Tribunal Judicial de Seia.

Esta ação contou com o reforço do Núcleo de Investigação Criminal (NIC) de Gouveia e do Posto Territorial de Paranhos da Beira.

GNR- Foz Côa – Prisão preventiva por violência doméstica

O Comando Territorial da Guarda, através do Posto Territorial de Vila Nova de Foz Côa, deteve em flagrante delito um homem de 71 anos por violência doméstica, em Vila Nova de Foz Côa.
Na sequência de uma denúncia, os militares da Guarda deslocaram-se ao local onde verificaram que a vítima, a ex-mulher de 62 anos, tinha sido injuriada e ameaçada de morte, enquanto o agressor forçava a entrada na sua habitação, com recurso a um paralelo da calçada e uma barra de ferro, tendo destruído parcialmente a porta de entrada.
O suspeito foi presente hoje, dia 20 de novembro, ao Tribunal Judicial de Foz Côa, ficando sujeito à medida de coação de prisão preventiva, para cumprimento no Estabelecimento Prisional da Guarda.

Pinhel pela sétima vez consecutiva designada Autarquia Familiarmente Responsável

Gouveia, Seia, Nelas e Foz côa também receberam o galardão

Anualmente, o Observatório de Autarquias Familiarmente Responsáveis atribui o galardão aos Municípios e  Pinhel vai no sétimo ano consecutivo , a ser designado, fruto do trabalho desenvolvido em prol das famílias.

Num ano particularmente difícil como está a ser este de 2020, o Município de Pinhel está atento às necessidades que possam vir a surgir no seio das famílias, consequência da pandemia e dos muitos problemas de cariz socioeconómico inerentes a esta situação.

Por sua vez, Rui Ventura, Presidente da Câmara Municipal de Pinhel, congratula-se com esta distinção, confirmando que “é intenção da autarquia continuar a trabalhar no sentido de ser merecedora do título de Autarquia + Familiarmente Responsável”.

O Município da Cidade Falcão tem sido exemplo de boas práticas consolidadas ao longo dos últimos anos, são os apoios na área da Educação, entre os quais a gratuitidade dos transportes escolares para todos os alunos do concelho, apenas a título de exemplo.

Mas os apoios não se limitam à Educação, abrangendo áreas como a Cultura e o Desporto e também o alívio da carga fiscal, traduzido, por exemplo, na opção pela aplicação das taxas mínimas de IMI – Imposto Municipal sobre Imóveis e também pela adoção do desconto familiar permitido neste imposto.
De realçar que , Gouveia, Seia, Nelas e Foz côa também voltaram a receber o galardão.
Consulte a lista completa em http://www.observatorioafr.org/autarquias.asp

Marco Sobral novo Presidente do Núcleo de Árbitros de Foz Côa

Teve lugar o ato eleitoral para o Núcleo de Árbitros de Foz Côa com Marco Sobral a ser o eleito novo presidente, mas agora agora o presidente da assembleia Geral do Núcleo, deu posse aos novos membros dos Corpos Sociais para o triénio 2020/2023.
Assembleia Geral
Presidente: Victor Manuel Pereira Guindeira
1º Secretário: José António Monteiro Moutinho
2º Secretário: Carlos Duarte Almeida Pedro
Direção
Presidente: Marco Daniel Costa Sobral
Vice-Presidente: Tiago Neto Cadete
Secretário: Valter Daniel Gabriel Pino
Tesoureiro: Joni Moutinho Esteves
Vogal: José Augusto Fonseca
Conselho Fiscal
Presidente: João dos Santos Ferreira
Vice-Presidente: Manuel Faustino
Secretário: Pedro Miguel Soeiro Lourenço

GNR- Detenção por violência doméstica em Vila Nova de Foz Côa

O Comando Territorial da Guarda, através do Núcleo de Investigação e Apoio a Vítimas Específicas (NIAVE),  deteve um homem de 45 anos, por violência doméstica, no concelho de Vila Nova de Foz Côa.

No âmbito de uma investigação relacionada com o crime de violência doméstica, que decorria à algum tempo, foi possível apurar que o suspeito exercia violência física e psicológica sobre as vítimas, a companheira de 34 anos, dois filhos menores, com idades entre os 7 e os 15 anos e a mãe da companheira. Assim, foi dado cumprimento a um mandado de busca domiciliária, que resultou na detenção do agressor e na apreensão de duas caçadeiras calibre 12, três armas de ar comprimido e uma arma de caça calibre 9.

O detido foi presente ao Tribunal Judicial de Vila Nova de Foz Côa, tendo ficado sujeito às seguintes medidas de coação de proibição de contacto com as vitimas por qualquer meio, proibição de aproximação a menos de 10 km das vítimas controlado através de dispositivo eletrónico, obrigatoriedade de frequentar programa de recuperação de dependência de álcool e obrigatoriedade de frequentar um programa para agressores no âmbito da violência doméstica.

Esta ação contou com o reforço do Posto Territorial de Vila Nova de Foz Côa.

AF Guarda- Taça de Honra- Nespereira- Foz Côa-2-1

Uma tarde de sol, mas com o vento a comandar as operações, dificultava em muito a manobra das equipas que entraram determinadas a marcar, mas foi a turma da casa a conseguir transformar em golo uma situação de ataque para o Nespereira.

A reação fez-se sentir por parte dos visitantes , mas a vantagem era dos locais até ao intervalo.

Após o reatamento, o Foz Côa entra determinado a dar a volta ao rumo dos acontecimentos e chega ao golo da igualdade, aos 51´, por Pedro Leitão, num lance de ataque.

Os locais foram mexendo , com os pupilos de Fernando Santos a aumentar a velocidade e a usarem mais as faixas laterais e vai daí, chegam ao segundo golo aos 76´por Vasco.

Era a festa dos adeptos locais que puxavam pela sua equipa e geriram bem até final e alcançaram um belo triunfo, carimbando a passagem aos quartos finais da prova.

Côa Summer Fest chega à décima edição

O Côa Summer Fest é um festival com grande nomeada e em 2020 vai entrar na 10ªedição, face a isso, fomos conversar com  Rui Pedro Pimenta, organização do Côa Summer Fest.

Que balanço faz destes 10 anos de festival Côa Summer Fest?

De uma forma geral, é um balanço muito positivo. Sabíamos que criar um festival no Interior do país e sem uma grande marca por trás, que o pudesse catapultar só por si, seria um grande desafio, mas quisemos ir em frente, abraçar o projeto e fazê-lo crescer, passo a passo, ano após anos e, sem dúvida, conseguimos. É com grande orgulho que chegamos, no próximo ano, à décima edição. É reflexo da força dos jovens da região, sobretudo os jovens que fazem parte da Associação Juvenil Gustavo Filipe, que organiza o festival. Não desistimos mesmo quando as portas se fechavam, não desistimos quanto tivemos menos adesão do que esperávamos, simplesmente nunca desistimos porque sempre quisemos fazer mais e melhor e será sempre assim.

Todos os anos desdobramo-nos para conseguir conciliar os nossos trabalhos com a organização do Côa Summer Fest e oferecer aos festivaleiros o melhor festival possível. Tem sido assim e o público crescente é prova disso. Todos os anos esperam mais e nós fazemos tudo para que seja mesmo assim, cada edição melhor.

Conseguir mostrar às marcas que apostar no interior e nos pequenos eventos é vantajoso, porque acabam por conseguir um contacto mais próximo com o público do que num qualquer festival de grandes dimensões ou numa metrópole, tem sido o principal desafio, mas, felizmente, temos tido parceiros que entendem esta nossa vontade de promover a região, que entendem que o Côa Summer Fest é muito mais do que um festival de música e que se juntam a nós.

Hoje, felizmente, o nosso festival já é uma referência a nível nacional, já faz parte das listas de eventos anuais, já é reconhecido. E se já sentíamos isso, agora sentimos ainda mais, com o Côa Summer Fest a ser nomeado em quatro categorias nos Iberian Festival Awards, nomeadamente na de melhor foto, com uma imagem da Sara Franco, melhor performance, com o concerto de Murta da última edição, melhor festival de pequena dimensão e melhor programa cultural, já que o festival promove uma série de atividades para envolver a comunidade e dar a conhecer a sua riqueza a quem vem de fora. Estas nomeações, cuja votação está a decorrer online, expressão o valor do nosso trabalho e do festival e são, sem dúvida, um grande presente para os jovens envolvidos, para os nossos parceiros e até mesmo para os nossos festivaleiros.

O público alvo é sempre o mais jovem, mas a participação é de todas as idades?

O Côa Summer Fest nasceu para ser um festival de jovens para jovens, mas, de facto, as faixas etárias têm-se alargado, tanto quanto aos festivaleiros como na organização. A comunidade de Foz Côa envolve-se no festival e quer ajudar. Hoje, embora maioritariamente jovens, a equipa conta com pessoas dos 13 aos 60 anos.

Por outro lado, também os participantes se têm alargado. O festival continua a responder aos gostos musicais dos mais jovens, mas, a par dos concertos, fazemos questão de, no primeiro dia de evento, ter uma atividade – por norma desportiva – para toda a família, envolvendo as mais diversas idades. Na edição anterior, contámos também com uma ação de sensibilização para a poupança de água dirigida a crianças que não são, de todo, o nosso público, mas que serão os jovens do futuro, o nosso público do futuro, um público que nós desejamos cada vez mais educado e responsável para as questões ambientais, que sempre foram um foco do Côa Summer Fest. No fundo, não queremos ser apenas mais um festival de música, queremos deixar uma pegada positiva para todos na região.

 Abrindo um pouco o véu, como será a edição de 2020?

Ainda é cedo para avançar com muitos pormenores, mas já temos muitas coisas pensadas para este ano. Sendo a décima edição, só poderá ser especial. Queremos renovar e modernizar a imagem do festival, mostrando que, aos dez anos, continua vivo, vibrante, fresco e melhor do que nunca.

Em termos musicais, continuaremos a oferecer o que os jovens mais gostam e a apostar nos novos talentos, fazendo brilhar a prata nacional. Este é um papel que nós gostamos de ter e do qual nos orgulhamos, porque se hoje estamos prestes a celebrar uma década de festival também foi porque um dia alguém nos estendeu a mão e deu uma oportunidade. Acreditamos que os festivais também podem – e devem – ter este papel de dar espaço aos novos nomes, dando-lhes oportunidade de crescerem.

A par da música, continuaremos a ter atividades desportivas e culturais e, garantidamente, continuaremos a ser um festival gratuito, para termos a certeza que todos poderão juntar-se a nós. No início de agosto, voltamos a abrir as portas.


Esta é uma região onde o turismo está a crescer aos poucos e tem muito para visitar de futuro prevê se um crescimento de mais visitantes?

Ano após ano, o Côa Summer Fest tem crescido em número de participantes, quer em pessoas no recinto, como no campismo e nas piscinas municipais, que centram também algumas atividades. Temos algumas limitações no recinto, que começa a ser pequeno para tantos festivaleiros, mas temos ainda espaço para crescer no campismo e nas zonas limítrofes ao recinto, com as restantes atividades e acreditamos que os números continuarão a subir.

Que mensagem se pode deixar para 2020 para toda a comunidade em geral?

Antes de mais, gostaria de apelar a todos os que acreditam neste projeto para votarem em nós, online, no site do Talk Fest, que é o promotor dos Iberian Festival Awards. As votações decorrem até dia 7 de janeiro e, sem dúvida, o apoio de todos seria uma grande forma de arrancar o novo ano e acredito que seria também um grande orgulho para toda a região se ficássemos bem posicionados na competição, até porque somos o único festival do distrito a concurso.

Gostaria ainda de agradecer todo o apoio que a comunidade e os nossos parceiros nos têm dados nestes dez anos, pois só com esse apoio foi possível chegar a este patamar. Para 2020, espero que todos continuemos com esperança, com muita garra e que a comunidade seja cada vez mais unida, pela região, pelos seus. Que possa apoiar cada vez mais, que possa deixar os jovens sonharem alto e estar lá para os ver vencer, mas também para os amparar em caso de queda, sem julgar, porque sabemos que nenhum percurso se faz sem alguns percalços. São os jovens que podem levar a nossa região mais longe, mas sempre com o apoio e sabedoria dos mais velhos.

Foz Côa tem ainda muito para crescer, pelos nossos vinhos, pelas nossas paisagens, pela nossa gastronomia, mas cabe a nós, fozcoenses, mostrar ao mundo que somos muito mais do que as gravuras rupestres – que só por si têm já um valor incalculável.