Templates by BIGtheme NET
Início » Tag Archives: Fundão

Tag Archives: Fundão

Bienal Art(e)facts apresenta exposição-roteiro pela Beira Interior

 

A exposição Supernatural Togetherness (“União Sobrenatural”) que percorre seis localidades do Fundão e da Guarda surge na Art(e)facts – Bienal do Conhecimento abre no dia 2 de julho , onde foram criados seis projetos inéditos por artistas, arquitetos e designers, em residências artísticas realizadas com artesãos locais.

Alcongosta, Janeiro de Cima, Telhado, Fundão, Famalicão da Serra e Gonçalo definem o roteiro da exposição coletiva que apresenta os projetos artísticos realizados, durante o mês de maio, no âmbito do programa de residências da edição inaugural de Art(e)facts. Como explica Andreia Garcia, Diretora Artística e Curadora da Bienal, o roteiro da exposição “espelha os vários diálogos e cenários que os acolheram, pelo que o convite à sua visita sugere que se atente aos lugares que detém a memória e à experiência da imersão e da permanência”.

As residências e a criação dos projetos juntaram seis artistas e coletivos, portugueses e estrangeiros, com artesãos que trabalham as artes tradicionais da cestaria de castanho e cestaria de vime, tecelagem e olaria. Além de valorizar o artesanato através da criação contemporânea, a Bienal Art(e)facts propôs aos participantes a aplicação da fabricação digital e dos recursos do FAB LAB Aldeias do Xisto à preservação do conhecimento e “saber fazer” das gentes da Beira Interior. Porque, como destaca a curadora, “com a globalização as áreas rurais tornaram-se periferias das cidades e verificamos agora que, com o envelhecimento da população, o legado dos saberes ancestrais encontra-se em perigo”.

A exposição estará patente até dia 9 setembro e os projetos poderão ser visitados em instalações nas oficinas de artesanato que acolheram as residências, em construções devolutas e espaços públicos nas várias localidades. Desde a Casa das Tecedeiras, na aldeia histórica de Janeiro de Cima, passando pela Casa do Barro do Telhado e oficinas em Famalicão da Serra e Gonçalo, onde se mantêm vivas artes ancestrais, até aos centros da vila de Alcongosta e da cidade do Fundão, a exposição proporciona um roteiro entre o passado e o futuro da região:

To weave a script (“Para tecer um roteiro”), Janeiro de Cima (Fundão)

Andrea Canepa & Vanessa Foster + Casa das Tecedeiras, com as artesãs Sónia Latado e Rosa Pereira

Enxertos Húmidos; Para o fim do conceito de Natureza, Telhado (Fundão)

Nuno Vicente + Casa do Barro, com a artesã Cátia Pires

The Baskets (“As Cestas”), Famalicão da Serra (Guarda)

Studio Lapatsch|Unger + Oficina Joaquim & Irene Venâncio

A união faz a força, Gonçalo (Guarda)

Fernanda Fragateiro + Oficina Alberto Carvalhinho

Construir em Cesta, Alcongosta (Fundão)

Diogo Rodrigues, Fernando Pimenta e João Oliveira + Oficina António & Lurdes Nunes dos Santos

O Octógono, Fundão

Colectivo Warehouse + FAB LAB Aldeias do Xisto, com os técnicos João Milheiro, Edgar Graça, Nuno Alves e Sérgio Forte

“Precisamos de imaginários que instiguem todas as gerações a pensar um planeta hoje mais habitável”, apela Andreia Garcia para enquadrar o tema da Bienal e da exposição – Supernatural Togetherness –, que propõe criar alianças entre espécies e gerações para salvar o futuro. “O imaginário dominante que resulta da poluição atmosférica, das alterações climáticas ou da pandemia COVID-19, imagina e concebe um mundo em que a natureza deve ser protegida da ação humana. No entanto, a condição humana não pode ser separada da natureza porque é uma parte intrínseca do mesmo metabolismo sócio-ecológico”, conclui a curadora.

 

Art(e)facts conjuga arte, artesanato e ecologia para motivar colaborações entre artistas e artesãos e constituir um património contemporâneo de obras artísticas que privilegiam a valorização do território e a reinterpretação dos saberes tradicionais de territórios da Beira Interior. O programa da Bienal, em curso entre fevereiro e setembro de 2021, envolveu uma convocatória internacional para os projetos que foram criados nas residências e são apresentados na exposição coletiva.

Nos dias 9 e 10 de julho realiza-se o Fórum de Ideias, uma conferência internacional online de acesso livre, que convida a refletir sobre o tema e a aprendizagem adquirida durante a Bienal, particularmente nas residências. Além dos testemunhos de alguns dos artistas participantes, serão abordados por um painel de criadores e pensadores convidados outros casos de estudo, conhecimentos e práticas artísticas.

A Bienal Art(e)facts’21 Supernatural Togetherness é promovida pela Câmara Municipal do Fundão e pela Guarda 2027, é financiada por estas entidades, pela ADXTUR- Agência para o Desenvolvimento Turístico das Aldeias do Xisto e iNature (Estratégia de Eficiência Coletiva PROVERE iNature – Turismo Sustentável em Áreas Classificadas), e conta com o apoio das seis Juntas de Freguesia envolvidas no programa de residências.

IPG realiza estudos para criar sistemas de recolha de biorresíduos nos municípios da Cova da Beira

O Instituto Politécnico da Guarda – IPG foi escolhido pela Associação de Municípios da Cova da Beira para realizar estudos municipais que irão permitir o desenvolvimento de sistemas de recolha seletiva de biorresíduos: sobras de refeições, cascas de frutas e legumes, folhas e ervas do jardim. As versões preliminares dos estudos encontram-se disponíveis para consulta pública e para submissão de contributos que visem a melhoria dos documentos até julho. A iniciativa é financiada pelo Fundo Ambiental.

“O projeto visa identificar estratégias e soluções eficazes para que cada município possa assegurar a separação e a reciclagem dos biorresíduos”, afirma Joaquim Brigas, presidente do IPG. “Estamos empenhados em desenvolver projetos de investigação ambiental em parceria com empresas e municípios. Iniciativas como esta permitem melhorar a educação ambiental, sensibilizar para a economia circular e pôr o nosso conhecimento ao serviço da comunidade”.

Os biorresíduos representam 37% dos resíduos urbanos produzidos em Portugal. A diretiva do Parlamento Europeu e do Conselho sobre os resíduos obriga os Estados Membros a fazerem a recolha seletiva de biorresíduos ou a sua separação e reciclagem na origem, a partir de 1 de janeiro de 2024.

“Escolhemos o Politécnico da Guarda para desenvolver este projeto pela reconhecida qualidade científica, pelo mais baixo custo e pela longa relação de confiança que existe entre as duas instituições”, afirma José Manuel Biscaia, secretário-geral da Associação de Municípios da Cova da Beira. “Os estudos elaborados pelo IPG irão trazer grandes vantagens para o planeamento intermunicipal, permitindo uma visão integrada sobre os biorresíduos, bem como a definição de estratégias de atuação – ao nível de equipamentos e transportes – que beneficiem a região”.

A presidência do IPG nomeou Pedro Rodrigues, docente responsável pelo Laboratório de Monitorização e Investigação Ambiental do IPG, para coordenar este projeto. Almeida, Belmonte, Celorico da Beira, Covilhã, Fornos de Algodres, Figueira de Castelo Rodrigo, Fundão, Guarda, Manteigas, Mêda, Penamacor, Pinhel, Sabugal e Trancoso foram os municípios analisados para a elaboração dos estudos que irão permitir implementar eficazes sistemas de recolha de resíduos orgânicos.

“Este projeto faz parte da estratégia europeia para diminuir a deposição de resíduos sólidos em aterros sanitários”, afirma Pedro Rodrigues, docente do IPG. “Em termos ambientais iremos dar um salto qualitativo muito importante: os biorresíduos separados do lixo indiferenciado serão transformados em energia e/ou em composto orgânico para os solos. Para além destas vantagens ambientais, a reciclagem dos resíduos orgânicos irá permitir maior longevidade dos aterros sanitários”.

Projeto Atua teve sucesso

O ATUA! Projeto de Empreendedorismo nas Escolas da Região,  promovido no âmbito do Plano Integrado e Inovador de Combate ao Insucesso Escolar (PIICIE), foi concebido com o objetivo de “inspirar comunidades educativas para a ação enquanto agentes de mudança do seu território, incentivando o  desenvolvimento das competências empreendedoras, fomentando a criação de uma geração de problema solvers”. Para atingir este objetivo foram desenvolvidos dois programas pedagógicos, “A Aventura da Estrela e do Mondego” e “Cria o Teu Futuro”, que viram nas últimas semanas a realização dos eventos finais!

Estes eventos foram momentos de grande entusiasmo e emoção para os quais, alunos e professores trabalharam cerca de 4 meses, encarando todos os desafios como oportunidades para empreender e surpreender. Todos os projetos e ideias desenvolvidas transmitiram os principais valores do Projeto, atingindo com sucesso os objetivos propostos, desde a ligação com o território, a criação de parcerias locais, o desenvolvimento de conceitos e projetos inovadores com preocupações locais e atuais. Foi de facto possível ver florescer competências empreendedoras contribuindo assim, para o crescimento da cultura empreendedora da Região!

O programa “Cria o teu futuro”, destinado ao Ensino Secundário (Regular/Profissional) culminou com o Concurso Supramunicipal de Ideias de Negócio “The Future Is You”, no passado dia 28 de maio. A grande Final Supramunicipal contou com o envolvimento de 48 alunos, orientados por 15 professores, que com igual determinação e afinco representaram os seus Municípios (Covilhã, Fundão, Gouveia, Guarda, Manteigas, Mêda, Sabugal, Seia e Trancoso), apresentando 20 incríveis ideias de negócio em formato vídeo-pitch. Estes vídeo-pitch foram avaliados por um Júri composto por Maria José Aguilar Madeira, (UBI-Universidade da Beira Interior), João Marques Gonçalves (Maken Project), e Sandra Maria Alvim (IAPMEI – Agência para a Competitividade e Inovação, I.P.).

O evento ficou marcado pelo reconhecimento da CIMBSE, das Direções de Escolas e respetivos 9 Municípios ali presentes, de todo o trabalho desenvolvido por alunos e professores, trabalhos que mostraram ser uma grande mais-valia para o futuro da Região! Foi também o momento da revelação dos vencedores do Concurso “The Future Is You”,  a ideia de negócio Liojic, promovido pelas alunas Margarida Carvalho, Mariana Justino e Beatriz Isidro do Agrupamento de Escolas do Fundão, orientadas pela Professora Maria João Baptista, atingiu o 1º lugar do pódio, seguindo-se “BikeParkEstrela”, ideia de negócio dos alunos Guilherme Marques, António Marques e André Almeida, orientada pela professora Ana Cristina Martins, da Instituto de Gouveia-Escola Profissional. Em 3º lugar ficou a ideia de negócio CFMR Moving Theatre, promovido pelas alunas Francisca Rodrigues, Marta Pereira e Rita Custóias, do Agrupamento de Escolas da Mêda, tendo sido orientadas pela professora Rosário Duarte. Também a todas as outras ideias, ficou também um claro reconhecimento de excelência pela qualidade e empenho demonstrado nas suas apresentações!

Segundo a professora Delfina Leal, do Sabugal “O envolvimento no Projeto ATUA!  criou novas perspetivas, novas aprendizagens e abriu novos horizontes numa área que não é muito abordada a nível curricular pelo que não poderia estar mais satisfeita com a participação dos alunos, pelo seu entusiasmo, motivação e vontade de fazer acontecer”.

O programa destinado ao 1º Ciclo “A Aventura da Estrela e do Mondego” também viu entre o dia 8 e o dia 14 de junho os eventos finais municipais. Estes também foram eventos online, transmitidos em direto na página do Projeto e partilhados por todos os Municípios, permitindo assim que a comunidade escolar e a comunidade local tivesse acesso às magnificas apresentações das 15 turmas envolvidas, as quais representam 291 alunos e 32 professores. Os alunos de Almeida, Covilhã, Fundão, Mêda e Seia mostram com grande entusiamos os vídeos que produziram para partilhar os seus projetos, peças de teatro ou jogos empreendedores que espelharam a sua descoberta pela Região e o verdadeiro espírito empreendedor desenvolvido.  

Ao longo de 5 dias de eventos, a Estrela e o Mondego, também marcaram presença e ficaram extremamente surpreendidos pela qualidade de todos os projetos apresentados! Todas as turmas agarram o desafio com tanta dedicação que foi possível envolver toda a comunidade educativa, desde os Professores titulares, professores das AEC’s, professores de apoio, pessoal não docente, pais e encarregados de educação, direções das escolas, o próprio Município e mais uns quantos parceiros que tornaram possível a concretização de projetos que foram muito mais além dos objetivos estabelecidos. Em todos os eventos, foi possível também contar com a presença de vários elementos das comunidades educativas, bem como, elementos dos Municípios, os quais partilharam palavras de grande apresso e reconhecimento pelo Projeto e pelo trabalho desenvolvido pelas escolas!

 

Rota Turística Literária “Caminho de Salomão” apresentada em Lisboa

O Município de Pinhel foi um dos que participou  na apresentação da Rota Turística Literária “Caminho de Salomão”, projeto a cargo da Associação Territórios do Côa com o objetivo de atrair novos públicos e novos fluxos turísticos ao Interior.
A apresentação teve lugar em Lisboa, na Casa dos Bicos, onde está sedeada a Fundação Saramago, legado do Nobel da Literatura, autor do livro que está na génese da criação desta Rota Turística Literária.
Tendo início em Lisboa e terminando em Castelo Rodrigo, a Rota baseada no percurso inspirado no “Caminho de Salomão” passa pelos concelhos de Fundão, Belmonte, Guarda, Sabugal, Almeida e Pinhel, onde José Saramago esteve mais do que uma vez, tendo criado uma ligação especial à aldeia de Cidadelhe.
Nesta apresentação à Comunicação Social, a associação Territórios do Côa, promotora do projeto, esteve representada pelo seu Presidente, António Machado, Presidente da Câmara Municipal de Almeida, e também pela sua Coordenadora, Dulcineia Moura. Com eles, e em apoio ao desafio, esteve a Diretora Regional da Cultura do Centro, Suzana Menezes, e o Presidente do Clube Escape Livre, Luís Celínio, que deu a conhecer o novo passeio de todo o terreno turístico “Caminho de Salomão”.
Finalmente, os municípios parceiros também estiveram representados e o Presidente da Câmara Municipal de Pinhel, Rui Ventura, brindou os presentes com um “Pinhel de Honra” que deu a conhecer os Vinhos e as Cavacas de Pinhel, dois ex-libris que certamente irão fazer as delícias dos turistas que, daqui em diante, aceitarem o desafio de percorrer o “Caminho de Salomão” e conhecer os vários concelhos que o próprio Saramago percorreu, precisamente um ano antes da sua morte.
À margem da apresentação, o Presidente da Câmara Municipal de Pinhel teve ainda oportunidade de oferecer a Pilar del Rio, Presidente do Conselho de Administração da Fundação Saramago, uma garrafa de vinho comemorativo dos 250 anos da Cidade, convidando-a a voltar a Pinhel onde também já esteve na companhia do companheiro e Nobel da Literatura.
Foto: Mun.Pinhel

Nova Geração da Centros Europe Direct chegou a em Portugal

Decorreu no Casino Fundanense, a apresentação pública da Nova Geração da Rede EUROPE DIRECT. Esta iniciativa, coordenada pelo Gestor do Centro, Luís Oliveira, contou com a presença do Vice Presidente do Município do Fundão, do Presidente da Direção da EPF e ainda de representantes de outras redes europeias com intervenção no território. A sessão contou ainda com os testemunhos, por vídeo, da Comissária Europeia da Coesão e Reformas Dra Elisa Ferreira  e da Chefe da Representação da Comissão Europeia em Portugal, Dra Sofia Colares Alves.
A nova geração da rede Europe Direct – uma das principais ferramentas da Comissão Europeia de contacto com o público a nível local e regional entrou em funções em toda a UE no passado dia 1 maio. Em Portugal, a nova rede conta com 15 centros que cobrem todo o território nacional, com uma distribuição geográfica abrangente, de Norte a Sul, do litoral ao interior, e incluindo as Regiões Autónomas. Estes centros fazem parte de uma rede constituída por cerca de 420 centros em toda a União Europeia.
Sofia Colares Alves, representante da Comissão Europeia em Portugal, afirma: «Os Europe Direct são a porta certa à qual bater para navegar no que pode ser um labirinto de informação sobre as oportunidades, direitos e propostas da União Europeia. E fazem um trabalho extraordinariamente importante junto das escolas, da imprensa regional e das entidades locais para que realmente possamos, juntos, saber mais e participar mais neste projeto que tem de ser de todos: a União Europeia. Só tenho a agradecer e felicitar os centros da geração anterior e a saudar a entrada em funcionamento de uma nova geração de centros, com um papel reforçado. Convido-vos a todos a procurar o Europe Direct mais próximo com qualquer questão e sugestão que tenham sobre a União Europeia.»
Com um mandato até ao final de 2025, os centros da rede Europe Direct têm como missão fundamental promover um diálogo proativo e contínuo com os cidadãos e tornar a União Europeia mais acessível às pessoas aos níveis local e regional. Com base na experiência das gerações anteriores, o papel e mandato dos centros Europe Direct foram atualizados e serão essenciais para organizar eventos participatórios, por exemplo no âmbito da Conferência sobre o Futuro da Europa, e para contribuir para o desenvolvimento de um Espaço Público Europeu. Os centros Europe Direct organizam atividades para envolver os cidadãos no debate sobre o estado atual e o futuro do projeto europeu, estabelecem relações de proximidade com diferentes entidades, empresas, sociedade civil e meios de comunicação social locais, e ajudam as instituições europeias a entender melhor as sensibilidades, preocupações e opinião pública nas suas áreas geográficas. Uma das áreas de trabalho centrais é no campo da promoção de educação para uma cidadania ativa, com colaborações desenvolvidas com escolas, a divulgação de material didático como o disponibilizado no Espaço de Aprendizagem e a cooperação com a Comissão Europeia e o Parlamento Europeu em Portugal em iniciativas como «A Europa na Escola – Formação para Professores», «Eu sou europeu», ou «Euroescola-Portugal Europeu» e sessões de debate sobre temas como a desinformação. Os centros têm um serviço de atendimento presencial, online e telefónico para informar os cidadãos sobre a União Europeia e as suas competências, políticas e oportunidades.
Este centro encontra-se sediado nas instalações da Escola Profissional do Fundão.

CIMBSE divulga o melhor do Verão das Beiras e Serra da Estrela

A Comunidade Intermunicipal das Beiras e da Serra da Estrela (CIM-BSE) foi ‘a banhos’ na praia fluvial de Vale do Rossim, em Gouveia, com a vasta equipa do Aqui Portugal, da RTP. Tratou-se de uma produção de peso da estação pública no território, com dezenas de profissionais, corpo logístico e repórteres que percorreram os 15 municípios de lés-a-lés, com o único intuito de levar até ao público nacional e audiência internacional, a campanha de Verão da CIM-BSE. Esta iniciativa faz parte de uma campanha mais ampla que visa promover as praias fluviais e os espaços de natureza em todo o território e assim chamar de novo os portugueses e restantes turistas a visitarem e descobrirem a região, pós-confinamento. Esta é a primeira de muitas iniciativas que estão a ser desenvolvidas. Press Trips, visita de bloggers e influencers… o verão promete aquecer na Serra da Estrela.

Foto: ©RTP, Aqui Portugal

Hélder Reis e Vanessa Oliveira foram os apresentadores ‘de serviço’ de um programa memorável em plena praia fluvial de Vale do Rossim, paredes-meias com os municípios de Gouveia, Manteigas e Seia. O Aqui Portugal da RTP contou com uma megaprodução levada a cabo pela estação pública com o contributo da CIM-BSE. Dados os constrangimentos provocados pela crise pandémica, todos os participantes e staff foram devidamente testados e acauteladas todas as regras de segurança e distanciamento emanadas da Direção-Geral de Saúde.

Além do enfoque nas praias fluviais e zonas balneares, o programa abordou o melhor do seu território e dos seus 15 municípios. De Mêda ao Fundão, passando por Trancoso, Fornos de Algodres, Gouveia, Manteigas, Seia, Covilhã, Belmonte, Sabugal, Guarda, Celorico da Beira, Pinhel, Almeida e Figueira de Castelo Rodrigo falou-se do melhor da região – projetos inovadores como as iniciativas Cultura em Rede, a Rede Intermunicipal de Bibliotecas das Beiras e Serra da Estrela, a candidatura da Guarda a Capital Europeia da Cultura 2027, o Estrela Geopark Mundial da UNESCO, entre outras iniciativas.  Os ex-libris da gastronomia também estiveram em destaque como o Queijo Serra da Estrela, os azeites de montanha, os vinhos da beira Interior, Douro e Dão e todos os produtos característicos de cada município, mas também os ícones da cultura identitária como os têxteis em burel e o artesanato. Reveja aqui o programa na íntegra.

Ponto mais alto das férias de Verão vai ser nas Beiras e Serra da Estrela

 Este programa é só uma das muitas iniciativas previstas nesta campanha há de comunicação turística. Até setembro, a CIM-BSE leva a cabo uma série de propostas com vista a dar a conhecer a serra no verão. A campanha de verão da CIM-BSE tem como intuito dar a conhecer o destino, assim como as rotas alternativas de curta a média duração para o verão no pós-confinamento, que vão ao encontro de programas de férias saudáveis, essencialmente em espaço natureza para famílias e pessoas de várias faixas etárias. O objetivo passa por promover todo o potencial e recursos naturais e paisagísticos, ao mesmo tempo que se divulgam a identidade e oferta turística, a cultural, a histórica, a gastronómica, o património das suas gentes, dos seus saberes e sabores tão identitários deste território. Para tal irá organizar uma press trip com jornalistas nacionais e internacionais e várias road trip com bloggers e influencers de aventura e família para viverem e experienciarem o que é ter um verão na serra.

Esta ação enquadra-se no Projeto Produtos Turísticos Integrados de Base intermunicipal, desenvolvido pela Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela, em parceria com o Turismo Centro de Portugal, cofinanciado pelo Portugal 2020, Centro 2020 e União Europeia através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.

 

A Estrela visitou vários Municípios da CIMBSE

No âmbito da 2ª Edição do ATUA! – Projeto de Empreendedorismo nas Escolas da CIMBSE, os alunos do 1º Ciclo conheceram a Estrela, mascote do Programa “A Aventura da Estrela e do Mondego”, nos dias 20, 21 e 22 de abril.

Este é um  evento que tem como objetivo felicitar os alunos e professores pela sua participação no projeto até ao momento e motiva-los para continuarem a trabalhar nos projeto empreendedores que estão a preparar.

A Estrela visitou os municípios do Fundão, Covilhã, Seia, Almeida e Mêda conhecendo mais de 290 crianças e 30 docentes! Neste momento tão especial, a mascote entregou um jogo lúdico-pedagógico a cada aluno(a), que consiste num Puzzle do mapa da Região das Beiras e Serra da Estrela, promovendo assim curiosidade e interesse pelo seu território. Em todas as visitas as turmas, não só receberam a Estrela, como também acolheram representantes municipais, que aproveitaram o momento para agradecer a participação de todos e parabenizar as crianças e seus professores pelos fantásticos projeto que estão a desenvolver.

O ambiente foi de muita alegria, criatividade e entusiasmo por parte dos alunos e professores durante as visitas. Foi um momento memorável para todos os nossos pequenos grandes empreendedores!

Este programa de Educação em Empreendedorismo visa potenciar o desenvolvimento de capacidades e aptidões, pessoais e sociais, inerentes ao perfil empreendedor. Tem uma forte componente interdisciplinar e atividades que se cruzam com o currículo, desafiando os alunos a acompanharem a História da Estrela e do Mondego pelos 15 municípios da Região das Beiras e Serra da Estrela, uma aventura contada através de atividades storytelling, permitindo aos alunos descobrir o território e desenvolver competência com recurso a jogos e atividades pedagógicas.

Bootcamp Empreendedorismo Social vai arrancar em breve

i3Social – Incubadora Itinerante para a Inovação Social é uma iniciativa da Associação Aldeia dos Girassóis, da Universidade da Beira Interior, do Instituto Politécnico da Guarda e da Make it Better – Associação para a Inovação e Economia Social, tendo a Comunidade Intermunicipal Beiras e Serra
da Estrela (CIM BSE) no papel de investidor social, e sendo cofinanciado pelo Programa Operacional Inovação Social e Emprego – Parcerias para o Impacto.
A iniciativa visa promover a capacitação de pessoas e organizações, reforçando competências e cultura colaborativa como meios para de fomentar o empreendedorismo social, dando assim resposta a problemas sociais prementes da região. O território alvo das intervenções e ações previstas no âmbito da iniciativa abrange os 15 municípios que integram a Comunidade Intermunicipal
(CIM BSE).
O Bootcamp Empreendedorismo Social, a iniciar já no próximo dia 30 de abril, online, é então um programa de curta duração da i3social, apostado em gerar e acelerar iniciativas locais que visem resolver as questões sociais mais prementes da região, facilitando recursos, aumentando o seu impacto e garantindo maior sustentabilidade. Entre outros, o “despovoamento” na região e as
problemáticas sociais agravadas pela pandemia COVID19 serão temas focados no Bootcamp.
Consistindo numa jornada de trabalho dinâmica, diferentes atores sociais serão colocados num
ambiente colaborativo e acompanhados por especialistas e empreendedores sociais experientes,
que os guiarão através de tudo o que precisam saber, desde testar uma ideia de negócio em função
das necessidades do território, passando pela estruturação de um plano para a sua implementação,
até navegar num cenário de financiamento, e muito mais.
O Bootcamp Empreendedorismo Social é então para todos e todas, sem exceção, que queiram
transformar ideias em ações concretas para a melhoria das condições de vida, para a
empregabilidade, para a fixação de população e para a resolução das emergências sociais detetadas.
“A i3Social acredita que na região das Beiras e Serra da Estrela, homens e mulheres, jovens ou menos
jovens, todos podem ser empreendedores, e que têm o talento, as ideias inovadoras e a vontade de
liderar ou de participar na mudança. E por isso queremos apoiar boas ideias de negócio, mais social
e responsável, que contribuam para uma região mais coesa, inclusiva e atrativa para todos.”

INFORMAÇÃO COMPLEMENTAR
TERRITÓRIO DE INTERVENÇÃO DA INICIATIVA
O território alvo das intervenções e ações previstas pela iniciativa i3Social abrange o conjunto dos
15 municípios que integram a Comunidade Intermunicipal Beiras e Serra da Estrela (CIM BSE). São
eles: Almeida, Belmonte, Celorico da Beira, Covilhã, Figueira de Castelo Rodrigo, Fornos de Algodres,
Fundão, Gouveia, Guarda, Manteigas, Mêda, Pinhel, Sabugal, Seia e Trancoso.

Nova Rede Itinerante Cultural do Interior une 7 municípios 

Uma nova Rede Cultural do Interior leva dezenas de espetáculos, a partir de junho, a 7 municípios, com a coordenação da  Companhia de Teatro ASTA, rede itinerante de intervenção cultural para levar dezenas de espetáculos a territórios de baixa densidade.

Será entre castelos, anfiteatros ao ar livre, jardins, escadarias, teatros, praças e largos em Belmonte, Covilhã, Fornos de Algodres, Fundão, Gouveia, Manteigas e Seia que a companhia profissional da Covilhã – ASTA, juntamente com estes 7 municípios, leva à cena dezenas de espetáculos de dança, teatro e artes circenses. Paralelamente será ainda criada uma Rede Interior Virtual de visitação itinerante aos espaços patrimoniais dos 7 Municípios através de visitas com recurso à realidade aumentada.

Esta “Rede Interior” tem como objetivo desenvolver uma programação artística e cultural integrada no território constituído pelos Municípios de Belmonte, Covilhã, Fornos de Algodres, Fundão, Gouveia, Manteigas e Seia, com o intuito de promover e valorizar o património histórico-cultural e sensibilizar a comunidade a participar ativamente na afirmação destes territórios.

Com a coordenação da ASTA – Teatro e Outras Artes, as comunidades locais são convidadas a participar nesta Rede Cultural do Interior. As apresentações de teatro, dança e circo contemporâneo terão lugar em dois dias consecutivos por forma a contribuir para a oferta, animação cultural da região, o aumento dos fluxos turísticos e, consequente, tempo de permanência de quem visita os territórios.

Os projetos artísticos vão ao encontro da identidade, a cultura e a história do território “Rede Interior”, demonstrando o que une e o que diferencia os 7 Municípios desta rede cultural. Ao longo de 18 meses, serão apresentados 14 espetáculos, itinerantes e propagadores da identidade, do património natural e cultural do território, catalisadores da participação da comunidade local.

Esta é uma Rede Cultural diferenciadora não só pelo cariz itinerante dos espetáculos na criação de iniciativas culturais fortemente ligadas ao território, mas também pelo seu cariz social de apoio e capacitação dos agentes de cultura locais, que há muito se debatem com os constrangimentos da crise pandémica.

A dinamização destas iniciativas culturais está intimamente relacionada com os ativos patrimoniais distintivos do território, contribuindo para a formulação e implementação de iniciativas vocacionadas para a conservação e proteção do património, mas também constituem um veículo para a promoção da região e para a diferenciação desta, num contexto de competitividade territorial.

No período de 5 dias que antecede os espetáculos em cada Município, serão dinamizadas sessões teatrais abertas a todos; pessoas com problemas de inclusão social, desempregados, idosos e minorias étnicas. Será incentivada a participação direta da comunidade de forma a alavancar os laços sociais e comunitários que foram afetados com o isolamento social.

Em todos os locais serão aplicados os princípios legais e as diretrizes da Direção-Geral de Saúde (DGS) referentes aos espetáculos de natureza artística nomeadamente, distanciamento físico, higienização das mãos com postos móveis, utilização de máscara e controlo de lotação.

Rede Interior Virtual com realidade aumentada

Além desta Rede de Artes Performativas será ainda criada uma Rede Interior Virtual de visitação itinerante aos espaços patrimoniais dos 7 Municípios através de visitas com recurso à realidade aumentada. O objetivo será acrescentar uma valorização turística dos territórios da rede, oferecendo uma atividade alternativa às tradicionais formas de apresentação das visitas guiadas e encenadas, realizadas de forma presencial,
permitindo ao turista a visita ao território de uma forma autónoma e “fora de horas”, o que torna a ação mais aliciante tendo em conta o atual contexto de pandemia e os aspetos de saúde pública.

O Projeto Rede Interior tem como entidade líder executora a ASTA – Teatro e Outras Artes, e como entidades parceiras não executoras, os Municípios de Belmonte, Covilhã, Fornos de Algodres, Fundão, Gouveia, Manteigas e Seia. Projeto cofinanciado pelo Centro2020, Portugal 2020 e União Europeia, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.

Páscoa Digital com produtos Serra da Estrela

Municípios da CIM-BSE apostam em eventos e tradições do sagrado online

 A Páscoa 2021 será ainda ‘confinada’, diferente, mas original. Algumas das tradições pascais no Território e os sabores associados ao melhor da gastronomia desta época do ano rumam para o digital. A Quadragésima, os festivais de sabores, as feiras e mercados digitais de produtos identitários são as propostas de um roteiro digital pelo Território das tradições pascais das Beiras e Serra da Estrela.

 A Páscoa é tempo de renovação, esperança e partilha. Nunca antes estas três palavras foram tão simbólicas para os novos tempos em que vivemos. E apesar de, para já, o tão esperado regresso ao território das Beiras e Serra da Estrela estar em compasso de espera, há tradições do sagrado que não se perdem.

Toda a Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela (CIM-BSE) têm de tal forma arreigadas as tradições do sagrado e religiosidade das suas gentes neste período da Quaresma, que este ano os municípios de Belmonte, Covilhã, Fundão, Guarda e Sabugal optaram por levar a Quadragésima ao meio digital. A Via Sacra, Procissão dos Passos, encomendação das almas, canto dos martírios, alvíssaras, procissão dos penitentes são algumas das manifestações que irão ter expressão única e exclusivamente online (Quadragésima). Este sentir coletivo está presente em inúmeras aldeias espalhadas um pouco pelos 5 municípios, e enquanto não é possível seguirmos no encalço destas gentes e dos locais das manifestações da Fé, a Quadragésima deste ano é uma proposta para também seguirmos num roteiro espiritual e virtual pelas tradições mais emblemáticas da Região.

Também o Município de Pinhel tem agendados eventos digitais alusivos à quadra pascal no Facebook da Cidade Falcão. A 2 de abril, pelas 21 horas, o município convida a percorrer online o caminho da renovação da esperança – a Via Sacra. Durante toda a Semana Santa será recriado o percurso da Via Sacra – Caminho de Esperança com imagens em grande formato nos locais que identificam as diversas estações, permitindo que cada pessoa, no estrito cumprimento das diretrizes emanadas pela Direção-Geral de Saúde, percorra o caminho em reflexão individual. A 4 de abril, às 12 horas, será também transmitida a Eucaristia do Domingo de Páscoa.

A Páscoa é também sinónimo de gastronomia típica, sabores e produtos tradicionais

Município do Fundão leva os Sabores da Páscoa ao Festival Gastronómico “Fundão aqui come-se bem”. Quer seja via take away ou entrega em casa, os sabores tradicionais da época da Páscoa vão continuar a ser degustados, em segurança, na casa dos fundanenses. Restaurantes e pastelarias são desafiados a criar e reinventar receitas elaboradas com base nos produtos tradicionais da gastronomia da Beira Baixa, enquadrados na época Pascal.

De 22 de março a 21 de abril, o Município do Sabugal disponibiliza o Mercado da terra online na plataforma Smartfarmer para promoção e divulgação de atividades associadas ao mundo rural e ao artesanato da região e venda de produtos “made in Sabugal”.

Município de Gouveia disponibiliza até 21 de agosto o mercado virtual na DOTT de Queijos da Serra da Estrela, a Exposerra – Feira de Atividades Económicas da Serra da Estrela.

Município de Seia prolongou a sua já tradicional Feira do Queijo da Serra da Estrela para 13 de abril na plataforma DOTT, onde também estão disponíveis, além dos queijos de ovelha e Queijo Serra da Estrela DOP, os sabores inconfundíveis dos enchidos serranos, o vinho sub-região da serra da Estrela, o mel de urze, os licores, a broa ou o Bolo Negro de Loriga.

Até 28 de março, o Município de Celorico da Beira tem a decorrer a Feira do Queijo Digital com promoção da loja online de promoção de queijos e outros produtos endógenos. Esta Feira Digital conta com uma programação diversificada com vários eventos digitais de showcooking, workshops, conversas online com chefs, entre outras iniciativas.

Ao longo de todo o mês de março, o Município de Fornos de Algodres tem a decorrer a sua Feira do Queijo Serra da Estrela na plataforma de venda online de produtos endógenos, O Bom Sabor da Serra.

De referir que o Município de Almeida deverá manter entre os dias 2 e 3 de abril, o Mercado da Páscoa de produtos locais, endógenos, artes, colecionismo e antiguidades, no centro histórico, mediante a evolução da situação epidémica no país.

E enquanto não pode visitar a Serra e as saudades apertarem, pode sempre ‘chamar’ até si “A Serra à sua Porta”. Numa iniciativa da CIM-BSE, em estreita articulação com os Municípios que a compõem, “A Serra à sua Porta” reúne numa página única as várias plataformas de venda online de produtos do território, como Azeites de Montanha, Vinhos do Douro, Dão e Beira Interior, fumeiro e enchidos assim como mel, compotas e doces.

A Páscoa este ano convida assim a …ficar. E num período de esperança de um dia regressarmos à Serra da Estrela, resta a promessa na renovação do tão esperado reencontro com as mil e uma histórias e saberes ancestrais, com os sabores e os produtos característicos, com a cultura e o vasto património natural e edificado.