Início » Tag Archives: Fundão

Tag Archives: Fundão

Formalização da segunda edição do Pacto Institucional para a Valorização da Economia Circular na região Centro

​A Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro, I.P. (CCDR Centro) realiza,
hoje, dia 30 de novembro, no Fundão, a cerimónia de formalização da segunda edição do Pacto
Institucional para a Valorização da Economia Circular na Região Centro, com a subscrição de 101
entidades, que se traduzem em mais de 230 propostas de ação para implementar até 2025.
O Pacto Institucional para a Valorização da Economia Circular na Região Centro é uma iniciativa
enquadrada no âmbito da Agenda de Economia Circular do Centro e pretende valorizar práticas de
economia circular, dando visibilidade às ações desenvolvidas na região com o objetivo de estimular a
adoção de estratégias de circularidade.
De acordo com a Presidente da CCDR Centro, Isabel Damasceno, “os impactos das ações propostas
permitirão, certamente, gerar práticas inspiradoras e exemplos inovadores, contribuindo para uma
maior disseminação dos princípios de circularidade e acelerando, de forma decisiva, o processo de
transição da região e do país para uma economia mais circular”.
O Pacto pode ser subscrito por entidades da região Centro ou que operem na região, desde que se
comprometam com a realização de pelo menos uma ação que contribua para a promoção de uma
economia mais circular. O máximo de ações previstas são três e o acordo tem a duração de dois anos.
A primeira edição do Pacto, terminada em 2022, foi subscrita por 86 entidades. Do conjunto de 237
ações propostas, foi possível cumprir ou superar 61% das metas, 21% foram parcialmente cumpridas e
apenas 18% não foram executadas o que se deveu, em grande medida, aos efeitos da pandemia.
Programa:
10h00 – Sessão de Abertura
Presidente da Câmara Municipal do Fundão – Paulo Fernandes
Vice-Presidente da CCDR Centro- Eduardo Anselmo Castro
10h30 – Apresentação da 2ª edição do Pacto Institucional para a Valorização da Economia Circular da
Região Centro
10h45 – Conferência “A Economia Circular como ferramenta de valorização do território”
Inês Costa – Associate Partner da Deloitte
11h15 – Mesa Redonda sobre Boas Práticas de Economia Circular na Região Centro
Moderador: Nuno Francisco -Diretor do Jornal do Fundão
• Paulo Fernandes – Presidente da Câmara Municipal do Fundão
• Nuno Lopes – Partner  COO da ID Tour – Unique Solutions
• José Mendes – Presidente da Associação Rota da Bairrada
• Mário Raposo – Reitor da Universidade da Beira Interior
• Pedro Baila Antunes – Presidente da Direção da Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão
Deficiente Mental, Viseu
12h30 – Cerimónia de formalização do Pacto

Local: A Moagem – Fundão

Deputados da Assembleia da República visitam Território da CIMBSE

A Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela (CIMBSE) recebe na próxima segunda-feira, dia 25 de setembro de 2023 os Deputados(as) da Assembleia da República que integram a Comissão de Administração Pública, Ordenamento do Território e Poder Local.
A receção aos Deputados será feita na Biblioteca Municipal Eduardo Lourenço, pelas 9h 30m.
Durante o dia, os Deputados(as) da Assembleia da República irão percorrer o território da CIMBSE e visitar os seguintes locais:
11h45-12h45 – Visita ao Hospital Sousa Martins e Obras do Pavilhão 5 “Saúde Criança e Mulher”.
15h10-16h30 – Visita ao Vale de Amoreira, Manteigas (receção na Junta
de freguesia de Vale de Amoreira).
17h10-18h30 – Visita ao Centro para as Migrações do Fundão.

Muita chuva no Circuito das Beiras by Bridgestone / First Stop mas fez-se história

O Clube Escape Livre recuperou uma prova com 120 anos e, depois de três dias intensos com muitas
peripécias e aventuras, o balanço final desta edição do Circuito das Beiras by Bridgestone / First Stop é,
claramente, positivo. E nem a muita chuva que acompanhou os dois últimos dias do evento impediram
que um Darracq voltasse a centrar as atenções ao cruzar as estradas que ligam Coimbra a Castelo
Branco e à Guarda, num total de cerca de 440 km.
O Circuito das Beiras by Bridgestone / First Stop faz parte da história do automobilismo nacional, marcando a estreia das provas por etapas em Portugal. Passados 120 anos, o Clube Escape Livre com o
apoio das Câmaras Municipais de Coimbra, Castelo Branco e Guarda e o patrocínio da Bridgestone, First Stop e Litocar, realizou a segunda edição nos dias 15 a 17 de setembro.
Os trinta e um automóveis clássicos reunidos para este passeio cumpriram mais de 400 quilómetros ligando três capitais de distrito, Coimbra, Castelo Branco e Guarda e enfrentando a intempérie que se
abateu sobre o evento nas etapas que ligaram Castelo Branco à Guarda e a cidade mais alta a Coimbra.
Abandonada a vertente competitiva em estrada, o Circuito das Beiras by Bridgestone / First Stop serviu
aos participantes um “quizz” diário de conhecimento e observação e, ainda, um desafio colocado a todos
de vestirem a rigor roupa da época do seu veículo.
O conjunto de automóveis reunidos incluía verdadeiras preciosidades como o Darracq 12 HP Open Tourer
de 1921 ou o Berliet de 1926, ambos vindos expressamente para esta edição do evento do Clube Escape
Livre. O primeiro saído do Museu do Caramulo, o segundo do Museu de la Historia de la Automacion de
Salamanca.
Por outro lado, Pedro Villas Boas, nome grande do desporto automóvel nacional, e que o Clube Escape Livre aproveitou para homenagear, esteve presente com um fantástico MGA TC, encabeçando uma longa
lista de modelos da marca britânica. Representadas, também, a Ford, a Studebaker, a Hotchkiss, a Wolseley e as mais contemporâneas Mercedes, Citroen, Fiat, Renault e Datsun, juntando-se um exemplar
imaculado de um Triumph Dolomite Sprint e o Sunbeam Alpine vindo, também ele, do Museu de Salamanca.
A Praça da República, em Coimbra, foi o palco para o arranque deste Circuito das Beiras by Bridgestone / First Stop, onde esteve a baixar a bandeira o Presidente da Câmara Municipal. Até Castelo Branco, onde o Presidente da Câmara Municipal também recebeu a caravana para um desfile preparado pela CAABC, tempo para conhecer as ruínas de Conimbriga e almoçar na Sertã.
A tirada até à Guarda, acompanhada por muita chuva, passou pela Aldeia Histórica de Castelo Novo e pelo Fundão – onde o Alambique d’Ouro recebeu, principescamente, os participantes para o almoço e onde teve lugar uma prova de vinhos proporcionada pela Adega do Fundão – antes de chegarem ao Centro Histórico da Guarda. Aqui, juntou-se uma caravana de 30 automóveis clássicos de várias idades
que percorreram algumas artérias da cidade convergindo para o quarteirão da Câmara Municipal onde o Presidente e a vereadora do Desporto participaram no desfile. O regresso a Coimbra continuou pelas
estradas pisadas por Tavares de Melo na edição de 1902 e o grande final decorreu na Praça da Canção na
cidade dos Estudantes, celebrado com o Espumante da Adega de Castelo Rodrigo.
As duas últimas etapas foram feitas debaixo de muita chuva, mas nem a inclemência dos elementos demoveu os participantes de cumprir um itinerário elogiados por todos no final deste Circuito das Beiras by Bridgestone / First Stop.
Contas feitas a três dias de intensa atividade, a vitória foi partilhada por Tiago Patrício Gouveia/Tiago
Branco no espetacular Darracq de 1902 e por Manuel Simões/Graça Simões no bonito Citroen 11 BL.
Obtiveram a maior pontuação entre as equipas participantes, destacando-se a dupla do Citroen pelo facto de terem envergado, durante os três dias, roupa da época do carro nascido em 1947.
O terceiro classificado foi João Teixeira num MGB, seguido de António Dionísio (MG TF) em igualdade com José Manuel Pinto. O Top 5 foi fechado com o belíssimo Austin Healey 3000 de António Mota.
Nas diversas classes, o Darracq de Tiago Patrício Gouveia foi o melhor na Classe A (até 1904), Luís Lavin (Ford A) ganhou na Classe C (1919 a 1930) e António Fernandes Ribeiro (Wolesley 10/40) foi o melhor na
Classe D (1931 a 1945). O Citroen 11 BL de Manuel Simões venceu na classe E (1946 a 1960), enquanto
Luís da Cunha Matos (MGB) levou de vencida a Classe F (1961 a 1970). A Classe G foi a mais concorrida e a
vitória foi para o MGB de João Teixeira.
Todos os participantes receberam o Troféu SPAL alusivo ao evento e ainda foram presenteados com o
magnífico livro de José Barros Rodrigues.
Finalmente, o Troféu da Junta de Freguesia do Casteleiro – onde nasceu José Caetano Tavares de Melo – para eleger o carro mais bonito do evento, foi entregue, por votação de todos os participantes, ao
Darracq 12 HP Open Tourer de Tiago Patrício Gouveia e do Museu do Caramulo. Uma belíssima peça artística que vai embelezar a vitrina de troféus do museu.
A história da prova em livro
Como previsto, o arranque desta edição que celebrou os 120 anos da prova coincidiu com o lançamento do livro “O Circuito das Beiras e o Espírito Visionário de José Caetano Tavares de Melo”, da autoria do historiador José Barros Rodrigues. A obra com 240 páginas já está disponível nas livrarias.

Conferência “Ensino Profissional o seu papel no desenvolvimento do território e do país”

A Escola Profissional do Fundão vai levar a efeito, a Conferência – Ensino Profissional, o seu papel no desenvolvimento do território e do país que contará com a presença do Ministro da Educação, Dr. João Costa.

A conferência terá lugar na próxima quarta-feira, dia 10 de maio, pelas 14h no anfiteatro da Escola Profissional do Fundão.

“Reciclar Mais” nova campanha da Resistrela

Sob o mote “Reciclar Mais”, a empresa responsável pela recolha, tratamento e valorização de resíduos sólidos urbanos em 14 municípios da região acaba de lançar uma campanha de sensibilização ambiental que apela à melhoria da gestão de resíduos feita pela população dos territórios abrangidos.
Financiada pela sociedade “Ponto Verde”, a campanha de sensibilização ambiental abrange os municípios de Almeida, Belmonte, Celorico da Beira, Covilhã, Figueira de Castelo Rodrigo, Fornos de Algodres, Fundão, Guarda, Manteigas, Meda, Penamacor, Pinhel, Sabugal e Trancoso e pretende “não apenas criar um sentido de responsabilidade para com o ambiente e ecossistemas, mas também para com os próprios cidadãos”, refere a empresa em comunicado.
De acordo com a “Resistrela” esta iniciativa via permitir desenvolver um conjunto de acções de sensibilização, contando com o apoio das juntas de freguesia e da comunidade escolar “para que se verifique uma integração de toda a comunidade”. As iniciativas vão contar com o envolvimento de técnicos da empresa “o que vai permitir esclarecer todas as questões e dúvidas que possam ocorrer sobre a correcta selecção e separação de resíduos, face a uma perspetiva de sustentabilidade, que inclui a reutilização”.
No âmbito desta campanha, a empresa lançou também um desfaio aos municípios “para que façam parte desta acção, enquanto promotores ambientais activos, através da exposição em outdoors e painéis espalhados pelas várias cidades da região”.

Rede Interior lança APP que quer ser o braço direito dos turistas na descoberta do território

Trata-se da Rede Interior e promete fazer de cada visita ao território uma experiência única. Com propostas turísticas e culturais em Belmonte, Covilhã, Fornos de Algodres, Fundão, Gouveia, Manteigas e Seia, a APP é mais uma iniciativa do projeto com o mesmo nome: Rede Interior – Arte e Cultura em Rede, promovido pela ASTA, em parceria com os 7 municípios que, nos últimos anos, foram palco por excelência de uma mão cheia de espetáculos.

 

 

 

 

 

 

Como explica a ASTA, a criação desta APP visa a “criação de conteúdos digitais universais acessíveis a todos os que visitam o território, proporcionando, assim, experiências marcantes e diferenciadoras”.

O Centro Interpretativo do Vale Galaciar do Zézere, em Manteigas, o Museu da Covilhã, o Museu dos Descobrimentos, em Belmonte, o Centro Interpretativo, em Fornos de Algodres, a Casa da Vivência Judaica, em Gouveia e o Museu do Brinquedo em Seia… a APP “Rede Interior” leva os turistas a 7 monumentos e desafia-os a vê-los com outros olhos. Os visitantes podem, assim, ficar a saber tudo sobre cada uma destas atrações turísticas identitárias, mas também mais sobre cada um destes concelhos, encontrando, ainda, uma mão cheia de outras curiosidades. Para tudo isto basta, apenas, um clique.

Mas há mais. Para uma experiência única, quando visitar cada um dos locais, os turistas vão encontrar um QRcode que lhes permitirá, através da APP, aceder a um vídeo sobre os 7 monumentos e os 7 concelhos.

A APP quer também desafiar os turistas a circularem pelos 7 municípios da Rede Interior. Assim em cada monumento, o turista vai ficar a saber qual o monumento mais perto do local em que se encontra para visitar.

“A aplicação assume um caráter itinerante de visitação aos sete monumentos de cada Município, o que incentiva o turista (sobretudo famílias e grupos que realizam short-breaks) a permanecer no território mais do que um dia contribuindo para a aumento do número de dormidas na região”, resume a ASTA.

Gratuita e compatível com formatos Android e IOS, a APP descarrega-se em poucos minutos e é muito intuitiva. O aplicativo está preparado para turistas internacionais, tendo, assim, versão em inglês e espanhol. Realça-se, ainda, que os conteúdos multimédia têm legendas disponíveis, conseguindo-se, assim, uma linguagem plural e inclusiva. A APP contém, ainda, informação sobre o projeto e sobre a ASTA, mentora deste projeto.

Recorde-se que o projeto Rede Interior é cofinanciado pelo Centro2020, Portugal 2020 e União Europeia, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional, tendo como entidade líder executora a ASTA – Teatro e Outras Artes, e como entidades parceiras os municípios de Belmonte, Covilhã, Fornos de Algodres, Fundão, Gouveia, Manteigas e Seia.

Uma dezena de espetáculos da Rede de Artes Performativas

Rede de Artes Performativas desafia pessoas a saírem à rua e celebrarem cultura
10 espetáculos gratuitos a não perder na Beira Interior este verão

O desafio é simples: este verão, sair à rua e celebrar a vida e a arte com 10 espetáculos gratuitos. Trata-se da segunda edição da Rede de Artes Performativas, promovida pela ASTA nos concelhos de Belmonte, Covilhã, Fornos de Algodres, Fundão, Gouveia, Manteigas e Seia. Com a participação de companhias nacionais e internacionais esta iniciativa quer contribuir para criar uma forte dinâmica cultural no Interior do país, aproximando a cultura das pessoas e dando a conhecer o património histórico destes territórios a que os visita.

O festival arrancou em junho, mas há ainda muito para ver e sentir: 5 propostas culturais, num total de 10 espetáculos. Sempre ao ar livre, sempre gratuitos.

A próxima paragem será no Fundão que recebe no dia 5 agosto, no Largo do Calvário, às 22h30, o espetáculo “Por um Fio”, pelo grupo Erva Daninha. A 6 de agosto, o palco transfere-se para o Largo da Igreja que recebe, às 23h00, o espetáculo Raíz.

Manteigas recebe os espetáculos Por um Fio e Raíz, nos dias 12 e 13 de agosto, respetivamente. Ambos acontecem no Parque da Várzea, às 21h30.

Máquina de Encarnar, no dia 3 de setembro e Raíz no dia 4 de setembro, são as propostas culturais para Belmonte. As duas apresentações vão ocorrer no Castelo, a primeira às 21h30, e a segunda às 17h00.

Fornos de Algodres recebe o espetáculo Raíz no dia 16 de setembro, às 21h30, na Câmara Municipal e no dia seguinte, 17 de setembro, é apresentado Máquina de Encarnar, no Largo da Misericórdia, também, às 21h30.

O festival encerra em Seia, a 26 de setembro, com dois espetáculos: Erva Daninha apresenta E-NXada, às 14h30, na Escola Abranches Ferrão e La Gata Japonesa apresenta Los Viajes de Bowa, no Centro Escolar de São Romão.

Recorde-se que na segunda edição da Rede de Artes Performativas já passou pelos municípios da Covilhã e de Gouveia com os espetáculos Raíz e Fuera de Stock e Marilelas.

Recorde-se que, no total, o cartaz desta segunda edição contempla 14 espetáculos.

O Projeto Rede Interior tem como entidade líder executora a ASTA – Teatro e Outras Artes, e como entidades parceiras não executoras, os Municípios de Belmonte, Covilhã, Fornos de Algodres, Fundão, Gouveia, Manteigas e Seia. Projeto cofinanciado pelo Centro2020, Portugal 2020 e União Europeia, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.

Bienal Art(e)facts apresenta exposição-roteiro pela Beira Interior

 

A exposição Supernatural Togetherness (“União Sobrenatural”) que percorre seis localidades do Fundão e da Guarda surge na Art(e)facts – Bienal do Conhecimento abre no dia 2 de julho , onde foram criados seis projetos inéditos por artistas, arquitetos e designers, em residências artísticas realizadas com artesãos locais.

Alcongosta, Janeiro de Cima, Telhado, Fundão, Famalicão da Serra e Gonçalo definem o roteiro da exposição coletiva que apresenta os projetos artísticos realizados, durante o mês de maio, no âmbito do programa de residências da edição inaugural de Art(e)facts. Como explica Andreia Garcia, Diretora Artística e Curadora da Bienal, o roteiro da exposição “espelha os vários diálogos e cenários que os acolheram, pelo que o convite à sua visita sugere que se atente aos lugares que detém a memória e à experiência da imersão e da permanência”.

As residências e a criação dos projetos juntaram seis artistas e coletivos, portugueses e estrangeiros, com artesãos que trabalham as artes tradicionais da cestaria de castanho e cestaria de vime, tecelagem e olaria. Além de valorizar o artesanato através da criação contemporânea, a Bienal Art(e)facts propôs aos participantes a aplicação da fabricação digital e dos recursos do FAB LAB Aldeias do Xisto à preservação do conhecimento e “saber fazer” das gentes da Beira Interior. Porque, como destaca a curadora, “com a globalização as áreas rurais tornaram-se periferias das cidades e verificamos agora que, com o envelhecimento da população, o legado dos saberes ancestrais encontra-se em perigo”.

A exposição estará patente até dia 9 setembro e os projetos poderão ser visitados em instalações nas oficinas de artesanato que acolheram as residências, em construções devolutas e espaços públicos nas várias localidades. Desde a Casa das Tecedeiras, na aldeia histórica de Janeiro de Cima, passando pela Casa do Barro do Telhado e oficinas em Famalicão da Serra e Gonçalo, onde se mantêm vivas artes ancestrais, até aos centros da vila de Alcongosta e da cidade do Fundão, a exposição proporciona um roteiro entre o passado e o futuro da região:

To weave a script (“Para tecer um roteiro”), Janeiro de Cima (Fundão)

Andrea Canepa & Vanessa Foster + Casa das Tecedeiras, com as artesãs Sónia Latado e Rosa Pereira

Enxertos Húmidos; Para o fim do conceito de Natureza, Telhado (Fundão)

Nuno Vicente + Casa do Barro, com a artesã Cátia Pires

The Baskets (“As Cestas”), Famalicão da Serra (Guarda)

Studio Lapatsch|Unger + Oficina Joaquim & Irene Venâncio

A união faz a força, Gonçalo (Guarda)

Fernanda Fragateiro + Oficina Alberto Carvalhinho

Construir em Cesta, Alcongosta (Fundão)

Diogo Rodrigues, Fernando Pimenta e João Oliveira + Oficina António & Lurdes Nunes dos Santos

O Octógono, Fundão

Colectivo Warehouse + FAB LAB Aldeias do Xisto, com os técnicos João Milheiro, Edgar Graça, Nuno Alves e Sérgio Forte

“Precisamos de imaginários que instiguem todas as gerações a pensar um planeta hoje mais habitável”, apela Andreia Garcia para enquadrar o tema da Bienal e da exposição – Supernatural Togetherness –, que propõe criar alianças entre espécies e gerações para salvar o futuro. “O imaginário dominante que resulta da poluição atmosférica, das alterações climáticas ou da pandemia COVID-19, imagina e concebe um mundo em que a natureza deve ser protegida da ação humana. No entanto, a condição humana não pode ser separada da natureza porque é uma parte intrínseca do mesmo metabolismo sócio-ecológico”, conclui a curadora.

 

Art(e)facts conjuga arte, artesanato e ecologia para motivar colaborações entre artistas e artesãos e constituir um património contemporâneo de obras artísticas que privilegiam a valorização do território e a reinterpretação dos saberes tradicionais de territórios da Beira Interior. O programa da Bienal, em curso entre fevereiro e setembro de 2021, envolveu uma convocatória internacional para os projetos que foram criados nas residências e são apresentados na exposição coletiva.

Nos dias 9 e 10 de julho realiza-se o Fórum de Ideias, uma conferência internacional online de acesso livre, que convida a refletir sobre o tema e a aprendizagem adquirida durante a Bienal, particularmente nas residências. Além dos testemunhos de alguns dos artistas participantes, serão abordados por um painel de criadores e pensadores convidados outros casos de estudo, conhecimentos e práticas artísticas.

A Bienal Art(e)facts’21 Supernatural Togetherness é promovida pela Câmara Municipal do Fundão e pela Guarda 2027, é financiada por estas entidades, pela ADXTUR- Agência para o Desenvolvimento Turístico das Aldeias do Xisto e iNature (Estratégia de Eficiência Coletiva PROVERE iNature – Turismo Sustentável em Áreas Classificadas), e conta com o apoio das seis Juntas de Freguesia envolvidas no programa de residências.

IPG realiza estudos para criar sistemas de recolha de biorresíduos nos municípios da Cova da Beira

O Instituto Politécnico da Guarda – IPG foi escolhido pela Associação de Municípios da Cova da Beira para realizar estudos municipais que irão permitir o desenvolvimento de sistemas de recolha seletiva de biorresíduos: sobras de refeições, cascas de frutas e legumes, folhas e ervas do jardim. As versões preliminares dos estudos encontram-se disponíveis para consulta pública e para submissão de contributos que visem a melhoria dos documentos até julho. A iniciativa é financiada pelo Fundo Ambiental.

“O projeto visa identificar estratégias e soluções eficazes para que cada município possa assegurar a separação e a reciclagem dos biorresíduos”, afirma Joaquim Brigas, presidente do IPG. “Estamos empenhados em desenvolver projetos de investigação ambiental em parceria com empresas e municípios. Iniciativas como esta permitem melhorar a educação ambiental, sensibilizar para a economia circular e pôr o nosso conhecimento ao serviço da comunidade”.

Os biorresíduos representam 37% dos resíduos urbanos produzidos em Portugal. A diretiva do Parlamento Europeu e do Conselho sobre os resíduos obriga os Estados Membros a fazerem a recolha seletiva de biorresíduos ou a sua separação e reciclagem na origem, a partir de 1 de janeiro de 2024.

“Escolhemos o Politécnico da Guarda para desenvolver este projeto pela reconhecida qualidade científica, pelo mais baixo custo e pela longa relação de confiança que existe entre as duas instituições”, afirma José Manuel Biscaia, secretário-geral da Associação de Municípios da Cova da Beira. “Os estudos elaborados pelo IPG irão trazer grandes vantagens para o planeamento intermunicipal, permitindo uma visão integrada sobre os biorresíduos, bem como a definição de estratégias de atuação – ao nível de equipamentos e transportes – que beneficiem a região”.

A presidência do IPG nomeou Pedro Rodrigues, docente responsável pelo Laboratório de Monitorização e Investigação Ambiental do IPG, para coordenar este projeto. Almeida, Belmonte, Celorico da Beira, Covilhã, Fornos de Algodres, Figueira de Castelo Rodrigo, Fundão, Guarda, Manteigas, Mêda, Penamacor, Pinhel, Sabugal e Trancoso foram os municípios analisados para a elaboração dos estudos que irão permitir implementar eficazes sistemas de recolha de resíduos orgânicos.

“Este projeto faz parte da estratégia europeia para diminuir a deposição de resíduos sólidos em aterros sanitários”, afirma Pedro Rodrigues, docente do IPG. “Em termos ambientais iremos dar um salto qualitativo muito importante: os biorresíduos separados do lixo indiferenciado serão transformados em energia e/ou em composto orgânico para os solos. Para além destas vantagens ambientais, a reciclagem dos resíduos orgânicos irá permitir maior longevidade dos aterros sanitários”.

Projeto Atua teve sucesso

O ATUA! Projeto de Empreendedorismo nas Escolas da Região,  promovido no âmbito do Plano Integrado e Inovador de Combate ao Insucesso Escolar (PIICIE), foi concebido com o objetivo de “inspirar comunidades educativas para a ação enquanto agentes de mudança do seu território, incentivando o  desenvolvimento das competências empreendedoras, fomentando a criação de uma geração de problema solvers”. Para atingir este objetivo foram desenvolvidos dois programas pedagógicos, “A Aventura da Estrela e do Mondego” e “Cria o Teu Futuro”, que viram nas últimas semanas a realização dos eventos finais!

Estes eventos foram momentos de grande entusiasmo e emoção para os quais, alunos e professores trabalharam cerca de 4 meses, encarando todos os desafios como oportunidades para empreender e surpreender. Todos os projetos e ideias desenvolvidas transmitiram os principais valores do Projeto, atingindo com sucesso os objetivos propostos, desde a ligação com o território, a criação de parcerias locais, o desenvolvimento de conceitos e projetos inovadores com preocupações locais e atuais. Foi de facto possível ver florescer competências empreendedoras contribuindo assim, para o crescimento da cultura empreendedora da Região!

O programa “Cria o teu futuro”, destinado ao Ensino Secundário (Regular/Profissional) culminou com o Concurso Supramunicipal de Ideias de Negócio “The Future Is You”, no passado dia 28 de maio. A grande Final Supramunicipal contou com o envolvimento de 48 alunos, orientados por 15 professores, que com igual determinação e afinco representaram os seus Municípios (Covilhã, Fundão, Gouveia, Guarda, Manteigas, Mêda, Sabugal, Seia e Trancoso), apresentando 20 incríveis ideias de negócio em formato vídeo-pitch. Estes vídeo-pitch foram avaliados por um Júri composto por Maria José Aguilar Madeira, (UBI-Universidade da Beira Interior), João Marques Gonçalves (Maken Project), e Sandra Maria Alvim (IAPMEI – Agência para a Competitividade e Inovação, I.P.).

O evento ficou marcado pelo reconhecimento da CIMBSE, das Direções de Escolas e respetivos 9 Municípios ali presentes, de todo o trabalho desenvolvido por alunos e professores, trabalhos que mostraram ser uma grande mais-valia para o futuro da Região! Foi também o momento da revelação dos vencedores do Concurso “The Future Is You”,  a ideia de negócio Liojic, promovido pelas alunas Margarida Carvalho, Mariana Justino e Beatriz Isidro do Agrupamento de Escolas do Fundão, orientadas pela Professora Maria João Baptista, atingiu o 1º lugar do pódio, seguindo-se “BikeParkEstrela”, ideia de negócio dos alunos Guilherme Marques, António Marques e André Almeida, orientada pela professora Ana Cristina Martins, da Instituto de Gouveia-Escola Profissional. Em 3º lugar ficou a ideia de negócio CFMR Moving Theatre, promovido pelas alunas Francisca Rodrigues, Marta Pereira e Rita Custóias, do Agrupamento de Escolas da Mêda, tendo sido orientadas pela professora Rosário Duarte. Também a todas as outras ideias, ficou também um claro reconhecimento de excelência pela qualidade e empenho demonstrado nas suas apresentações!

Segundo a professora Delfina Leal, do Sabugal “O envolvimento no Projeto ATUA!  criou novas perspetivas, novas aprendizagens e abriu novos horizontes numa área que não é muito abordada a nível curricular pelo que não poderia estar mais satisfeita com a participação dos alunos, pelo seu entusiasmo, motivação e vontade de fazer acontecer”.

O programa destinado ao 1º Ciclo “A Aventura da Estrela e do Mondego” também viu entre o dia 8 e o dia 14 de junho os eventos finais municipais. Estes também foram eventos online, transmitidos em direto na página do Projeto e partilhados por todos os Municípios, permitindo assim que a comunidade escolar e a comunidade local tivesse acesso às magnificas apresentações das 15 turmas envolvidas, as quais representam 291 alunos e 32 professores. Os alunos de Almeida, Covilhã, Fundão, Mêda e Seia mostram com grande entusiamos os vídeos que produziram para partilhar os seus projetos, peças de teatro ou jogos empreendedores que espelharam a sua descoberta pela Região e o verdadeiro espírito empreendedor desenvolvido.  

Ao longo de 5 dias de eventos, a Estrela e o Mondego, também marcaram presença e ficaram extremamente surpreendidos pela qualidade de todos os projetos apresentados! Todas as turmas agarram o desafio com tanta dedicação que foi possível envolver toda a comunidade educativa, desde os Professores titulares, professores das AEC’s, professores de apoio, pessoal não docente, pais e encarregados de educação, direções das escolas, o próprio Município e mais uns quantos parceiros que tornaram possível a concretização de projetos que foram muito mais além dos objetivos estabelecidos. Em todos os eventos, foi possível também contar com a presença de vários elementos das comunidades educativas, bem como, elementos dos Municípios, os quais partilharam palavras de grande apresso e reconhecimento pelo Projeto e pelo trabalho desenvolvido pelas escolas!