Início » Tag Archives: greve nacional

Tag Archives: greve nacional

FNAM em comunicado solidária com greve dos jornalistas

Em comunicado, a FNAM manifesta mais uma vez solidariedade para com os Jornalistas, em Greve Geral durante 24h, na sua luta contra os despedimentos, por melhores condições de trabalho e pela salvaguarda do jornalismo isento e de qualidade.

A Federação Nacional dos Médicos (FNAM) já tinha manifestado a sua solidariedade com os trabalhadores do Global Media Group, à data da greve e dos protestos de 10 de janeiro, e agora saudamos novamente os sindicatos do setor e os trabalhadores em greve.

Trata-se da primeira Greve Geral de jornalistas em 40 anos, o que revela o dramatismo da situação que se vive no mundo da comunicação social. Os jornalistas contestam os baixos salários, a precariedade, os despedimentos e as pressões editoriais.

A FNAM partilha da ideia de que “sem uma Comunicação Social forte, isenta e transparente seremos uma Democracia amputada e amordaçada”, e não esquecemos o papel que os jornalistas desempenham no esclarecimento da luta dos médicos e na defesa do SNS.

Greve de médicos e manifestações pela defesa do Serviço Nacional de Saúde

Com a greve para todos os médicos de dia 14 e 15 de novembro, na próxima terça e quarta-feira, e as manifestações do dia 14, terça-feira, às 09h00, no Porto (Hospital São João), em Coimbra (Hospital da Universidade de Coimbra) e em Lisboa (Hospital Santa Maria), os médicos mantêm a luta pela valorização e dignificação da sua profissão e pela defesa do Serviço Nacional de Saúde (SNS). Os médicos lutam também pelo direito da população a um SNS acessível, universal e de qualidade, pelo que convidamos toda a população e Comissões de Utentes a participar nas manifestações e a constituir, ao nosso lado, um movimento nacional de defesa do SNS.

Há 19 meses que a Federação Nacional de Médicos (FNAM) apresentou ao Ministério da Saúde (MS) as soluções para fixar médicos no SNS, que não aconteceu unicamente por falta de vontade política deste Governo, à semelhança dos seus antecessores.

Manuel Pizarro e António Costa continuam em plenitude de funções para evitar que o país fique sem Orçamento de Estado, pelo que têm obrigação, no tempo que lhes resta de governação, em chegar a um acordo com os médicos, no que respeita a sua atualização salarial, transversal, para todos os médicos, para que deixem de ser dos médicos mais mal pagos da Europa, e para que melhorem as suas condições de trabalho, sem perda de direitos que coloquem médicos e doentes em risco.

Faremos greve nos dias 14 e 15 de novembro e convocamos manifestações, abertas aos utentes e à população, no dia 14, às 09h00, nos três hospitais de fim de linha do Porto, Coimbra e Lisboa, para que o Ministério da Saúde escute quem conhece a realidade, retome as negociações de forma séria e competente, e avance com as medidas pelas quais os médicos e os utentes do SNS não podem continuar à espera.

Foto:DR

Greve Nacional no ICNF a 27 de outubro

O SinFAP – Sindicato Independente dos Trabalhadores da Floresta, Ambiente e Proteção
Civil, decretou uma Greve Nacional no ICNF – Instituto da Conservação da Natureza e
das Florestas I.P, abrangente a todos os trabalhadores deste organismo,
independentemente do seu vínculo contratual ou comissão de serviço, para o dia 27 de
Outubro de 2023.
São inúmeras as fundamentações para justificar esta ação:
● Abertura de concursos de progressão para todos os trabalhadores através da
avaliação do SIADAP;
● Abertura de Procedimento Concursal nas carreiras de assistente técnico,
vigilante da natureza, técnico superior, bombeiro sapador florestal e assistente
operacional;
● Efetuar o pagamento de trabalho suplementar e ajudas de custo em falta a todos
os trabalhadores;
● Aplicação de Isenção de Horário aos trabalhadores cujo grau de complexidade
assim o determine;
● Distribuição, a todos os trabalhadores, de fardamento e equipamentos de
proteção adequados ao exercício da sua função;
● Distribuição de meios de comunicação (telemóveis) por todos os trabalhadores
que prestem serviço externo, principalmente a quem desevolve atividades
inspetivas ou de fiscalização;
● Intervenção urgente nos edifícios e no parque automóvel, para garantir a
segurança e a saúde de todos;
● Distribuição de equipamentos, ferramentas e máquinas essenciais para que os
trabalhadores possam desenvolver as ações em que o ICNF é responsável;
● Medicina no Trabalho para todos os Trabalhadores;
● Pelo Diálogo com as associações representativas dos trabalhadores;
● Exigimos a demissão do Conselho Diretivo do ICNF.

O SinFAP solicitou ao Conselho Diretivo do ICNF uma reunião para que pudéssemos
expor as nossas reivindicações e apresentar soluções para repor a valorização
profissional a todos os Trabalhadores do ICNF, contudo, apesar de nossa insistência, não
foi possível chegarmos ao diálogo com esta instituição.
Trata-se de um organismo que não lida bem com a Democracia Pluralista, com a
Liberdade de escolha e de opinião. O Conselho Diretivo do ICNF opta por uma postura
antidemocrática como se o Instituto Público fosse o “seu reino”, ao não reunir com
todas as associações sindicais que representam os trabalhadores do ICNF.
Uma postura antidemocrática não pode ter lugar num organismo que é público, num
Estado de Direito Democrático como é Portugal. Essa postura aliada às tentativas de
intimidação e perseguição constantes aos Trabalhadores que lutam pelos seus direitos,
revelam bem que o Conselho Diretivo do ICNF não lê os códigos de conduta que aprova.
No dia 27 de outubro de 2023 pelas 10h00 em frente à Sede do ICNF, na Avenida da
República 16, em Lisboa, o SinFAP realizará uma Concentração de Trabalhadores e
Dirigentes, onde aprovará novas ações de luta nacional a desenvolver em todo o
organismo.
Pela Transparência, Democracia, Liberdade, a Greve Nacional irá realizar-se em TODO O
TERRITÓRIO NACIONAL, numa clara UNIÃO DOS TRABALHADORES, que lutam há vários
anos por coisas tão básicas como ter direito a um Equipamento de Proteção Individual,
sem terem de gastar do seu próprio bolso, para poder trabalhar em segurança.