Templates by BIGtheme NET
Início » Tag Archives: Guarda Nacional Republicana (Pagina 3)

Tag Archives: Guarda Nacional Republicana

GNR- Atividade operacional das últimas 12 horas

 

A Guarda Nacional Republicana, para além da sua atividade operacional diária, levou a efeito um conjunto de ações policiais, em todo o território nacional, entre as 20h00 de sexta-feira e as 08h00 de hoje, sábado. Estas ações visaram, não só, a prevenção e o combate à criminalidade e à sinistralidade rodoviária, como também a fiscalização de diversas matérias de âmbito contraordenacional, registando-se os seguintes dados operacionais:

 

  1. Detenções: 38 detidos em flagrante delito, destacando-se:
  • 21 por condução sob o efeito do álcool;
  • 14 por condução sem habilitação legal;
  • Dois por tráfico de estupefacientes;
  • Um por posse de arma proibida;

 

  1. Apreensões:
  • 20,6 doses de haxixe;
  • 3,88 doses de cannabis.

 

  1. Trânsito:

Fiscalização564 infrações detetadas, destacando-se:

  • 388 por excesso de velocidade;
  • 72 por condução com taxa de álcool no sangue superior ao permitido por lei;
  • 44 por uso indevido do telemóvel no exercício da condução;
  • 31 por falta de inspeção periódica obrigatória;
  • 15 por falta de seguro de responsabilidade civil obrigatório;
  • 13 por falta ou incorreta utilização do cinto de segurança e/ou sistema de retenção para crianças;
  • Três relacionadas com tacógrafos.

Sinistralidade46 acidentes registados, destacando-se:

  • Um morto;
  • Um ferido grave;
  • 16 feridos leves.

Operação “MOTO” 2020- GNR

 A Guarda Nacional Republicana, até 13 de julho, está a realizar ações de sensibilização e de fiscalização rodoviária na sua área de responsabilidade, no sentido de prevenir comportamentos de risco durante a condução de motociclos e ciclomotores nas vias com maior intensidade de tráfego.

O objetivo da operação é inverter a tendência de aumento da sinistralidade e de contribuir para um ambiente rodoviário mais seguro. Da análise da sinistralidade envolvendo veículos de duas rodas a motor, nos anos 2018 e 2019, resulta que 1123 pessoas ficaram gravemente afetadas ou perderam a vida.

Considerando que os condutores de veículos de duas rodas a motor constituem um grupo de risco pelo facto das consequências dos acidentes serem normalmente graves, tendo em conta a menor capacidade de proteção em caso de colisão ou despiste, a GNR tem desenvolvido um conjunto de atividades proactivas e dissuasoras da sinistralidade rodoviária, complementadas com ações de fiscalização, já que, em 2020, do total de vítimas mortais em acidentes de viação após o término do Estado de Emergência, cerca de 30% são de acidentes envolvendo este tipo de veículos.

Durante a operação serão empenhados militares dos Comandos Territoriais e da Unidade Nacional de Trânsito (UNT), que estarão especialmente atentos aos seguintes aspetos:

ü  Uso do capacete;

ü  Manobras perigosas;

ü  Excesso de velocidade;

ü  Não utilização de equipamentos de proteção;

ü  Estado dos pneus, sistemas de iluminação e matrícula;

ü  Condução sem habilitação legal;

ü  Condução sob o efeito do álcool e de substâncias psicotrópicas.

Os militares da Guarda irão ainda efetuar ações de sensibilização dirigidos aos condutores de motociclos e ciclomotores, aconselhando o seguinte:

ü  Uso do capacete, vestuário de proteção resistente e material retrorrefletor;

ü  A obrigação de circular sempre com os médios acesos, para ser visto;

ü  Não circular entre filas de veículos;

ü  Adequar a velocidade ao estado do piso e garantir as distâncias de segurança.

GNR- Projeto “Piscina Segura”

A Guarda Nacional Republicana tem em curso, desde o dia 1 de julho e até ao próximo dia 15 de setembro, o projeto “Piscina Segura”, que prevê a realização de ações de sensibilização à população, em todo o Território Nacional, no sentido de reforçar a consciencialização da sociedade para a problemática do afogamento de crianças e jovens, em piscinas privadas.

Considerando a atual situação do país, em função da pandemia de COVID-19, é expectável que se assista ao aumento da procura de habitações para férias, muitas delas com piscina, exponenciando o risco de afogamento de crianças e jovens, se não forem tomadas as devidas precauções. De acordo com a Associação para a Promoção da Segurança Infantil, nos últimos 16 anos ocorreram 247 afogamentos com desfecho fatal em crianças e jovens, sendo as piscinas os planos de água com maior registo de afogamentos (30%), seguidas das praias (25%) e dos rios/ribeiras/lagoas (24%).

Nesse sentido, serão desenvolvidas diversas campanhas de sensibilização, através das Secções de Prevenção Criminal e Policiamento Comunitário (SPC), promovendo a colaboração entre entidades através de pontos de contacto.

A GNR aconselha:

  1. Mantenha sempre as crianças sob a vigilância permanente e efetiva de um adulto;
  2. Esteja sempre atento(a) a todos os movimentos, seja dentro de água ou na beira da piscina;
  3. Não deixe brinquedos na piscina, pois pode chamar a atenção das crianças e revelar-se numa distração fatal;
  4. Evite que as crianças corram à beira da piscina;
  5. Se tem piscina em casa, quando não estiver a ser utilizada, tape-a com uma tela, lona de proteção ou outro sistema de segurança;
  6. Ensine as crianças a nadar o mais cedo possível;
  7. Coloque sempre o auxiliar de flutuação nas crianças e certifique-se de que estas o mantêm devidamente colocado sempre que estejam perto ou dentro de água.

GNR fiscaliza para prevenir a COVID-19

A Guarda Nacional Republicana tem orientado os seus esforços para a prevenção da disseminação da COVID-19, tendo nos últimos dias verificado algumas situações de incumprimento às regras definidas e previstas para o combate à pandemia.

A GNR recorda que, com o regime contraordenacional que entrou  em vigor, os cidadãos que não cumpram as regras, incorrem na prática de uma contraordenação, que varia entre os 100 e os 500 euros, no caso de pessoas singulares, e entre os 1.000 e os 5.000 euros, no caso de pessoas coletivas.

Assim, alerta-se para o cumprimento das seguintes regras, cuja violação constituiu contraordenação:

  • Obrigatoriedade do uso de máscaras ou viseiras nos transportes públicos; em espaços e estabelecimentos comerciais e de prestação de serviços; edifícios públicos ou de uso público; nas escolas e creches ou salas de espetáculos;
  • Não realização de celebrações e eventos que impliquem a concentração de pessoas em número superior ao limite permitido.

Por outro lado, as situações que constituem crime de desobediência mantêm-se, como por exemplo, a obrigação do confinamento obrigatório. Por isso, entre outras situações, a Guarda irá efetuar o seguinte:

  • Determinar o encerramento de estabelecimentos e atividades que não se encontram autorizadas ou que não cumpram os requisitos de higiene e segurança;
  • Aconselhar a não concentração de pessoas na via pública e a dispersão das concentrações superiores ao número previsto.

Recorda-se que o não acatamento de uma ordem legítima do militar da Guarda para fazer cessar uma infração neste âmbito, constitui ainda a prática do crime de desobediência.

GNR- Atividade Operacional diária

A Guarda Nacional Republicana, para além da sua atividade operacional diária, levou a efeito um conjunto de ações policiais, em todo o território nacional, entre as 20h00 de sexta-feira e as 08h00 de hoje, sábado. Estas ações visaram, não só, a prevenção e o combate à criminalidade e à sinistralidade rodoviária, como também a fiscalização de diversas matérias de âmbito contraordenacional, registando-se os seguintes dados operacionais:

  1. Detenções: 36 detido sem flagrante delito, destacando-se:
  • 17 por condução sob o efeito do álcool;
  • Sete por condução sem habilitação legal;
  • Três por furto;
  • Três por resistência e coação;
  • Três por de tráfico de estupefacientes;
  • Um por posse de arma proibida;
  • Um por violência doméstica.

 

  1. Apreensões:
  • 2.580.000 doses de haxixe;
  • 2,4 doses de cannabis;
  • 0,6 doses de liamba;

 

  1. Trânsito:

Fiscalização603 infrações detetadas, destacando-se:

  • 278 por excesso de velocidade;
  • 41 por condução com taxa de álcool no sangue superior ao permitido por lei;
  • 34 por uso indevido do telemóvel no exercício da condução;
  • 24 por falta ou incorreta utilização do cinto de segurança e/ou sistema de retenção para crianças;
  • 17 por falta de inspeção periódica obrigatória;
  • 15 por falta de seguro de responsabilidade civil obrigatório;
  • 11 por excesso de carga;
  • Seis relacionadas com tacógrafos.

Sinistralidade: 39 acidentes registados, destacando-se:

  • 1 morto;
  • 2 feridos graves;
  • 17 feridos leves.

 

GNR comemorou o dia do Guarda-Florestal

 A Guarda Nacional Republicana comemorou o dia do Guarda-Florestal, adaptando este evento devido às restrições resultantes da pandemia COVID-19, garantindo a devida solenidade e dignidade de que são plenamente merecedores todos os elementos desta carreira profissional, reforçando a sua imagem institucional.

Os Guardas-Florestais foram integrados na Guarda Nacional Republicana no ano de 2006, sendo considerados Órgãos de Polícia Criminal (OPC), cujas funções e qualificações são uma mais-valia que tem acrescido a qualidade específica nas temáticas que visam a proteção do património florestal, da riqueza cinegética e piscícola. Constituem-se um recurso essencial para o cumprimento das missões que, por sua vez, foram transferidas para a GNR, nomeadamente, carreando o conhecimento consolidado e as técnicas sempre atualizadas de que são detentores, especialmente na investigação das causas de incêndios florestais, habilitação, essa, que acarreta um enorme impacto social e responsabilidade institucional.

Saliente-se que a ligação mais antiga que se conhece, como génese da missão da Guarda-Florestal, remonta a 1385, com a nomeação por D. João I do 1.º Monteiro-Mor do Reino (também chamado de couteiro-mor), uma vez que este era um Oficial da casa real encarregado de governar e dirigir as coutadas, as caçadas reais e as pessoas que nelas participavam.

A comemoração desta efeméride  incluiu uma exposição temporária alusiva ao Dia do Guarda-Florestal, patente no Museu da GNR, no Largo do Carmo – Lisboa, e que poderá ser visitada, até dia 30 de junho, de segunda a sábado, das 10:00 às 18:00 horas, com a última entrada às 17:30 horas, assim como a divulgação de um vídeo de homenagem à carreira de Guarda-Florestal, teve na página oficial de Facebook da GNR.

GNR-Atividade operacional semanal

A Guarda Nacional Republicana, para além da sua atividade operacional diária, levou a efeito um conjunto de operações, em todo o território nacional, entre os dias 15 e 21 de maio, que visaram a prevenção e combate à criminalidade violenta, fiscalização rodoviária, entre outras, registando-se os seguintes dados operacionais:

  1. Detenções251 detidos em flagrante delito, destacando-se:
  • 87 por condução sob o efeito do álcool;
  • 65 por condução sem habilitação legal;
  • 15 por tráfico de estupefacientes;
  • 14 por furto e roubo;
  • Nove por violência doméstica;
  • Sete por posse de arma proibida;
  • Três por posse ilegal de arma;
  • Três por ameaça e coação;
  • Dois por extorsão.
  1. Apreensões:
  • 711 doses de haxixe;
  • 444 doses de cocaína;
  • 50 doses de heroína;
  • 20 gramas de folhas de cannabis;
  • 41 doses de MDMA;
  • 283 munições de diversos calibres;
  • Oito armas de fogo;
  • 12 armas brancas;
  • 16 veículos;
  • 130 393 cigarros;
  • 3 720 quilos de bivalves;
  • 512 quilos de pescado;
  • 18 936  euros em numerário.
  1. Trânsito:

Fiscalização4 956 infrações detetadas, destacando-se:

  • 2 887 excessos de velocidade;
  • 440 relacionadas com anomalias nos sistemas de iluminação e sinalização;
  • 214 por uso indevido do telemóvel no exercício da condução;
  • 185 por falta de inspeção periódica obrigatória;
  • 179 por falta de seguro de responsabilidade civil;
  • 174 por falta ou incorreta utilização do cinto de segurança e/ou sistema de retenção para crianças;
  • 127 por condução com taxa de álcool no sangue superior ao permitido por lei;
  • 84 relacionadas com tacógrafos.

 

GNR-Atividade operacional semanal

A Guarda Nacional Republicana, para além da sua atividade operacional diária, levou a efeito um conjunto de operações, em todo o território nacional, entre os dias 8 e 14 de maio. Estas ações visaram, não só, a prevenção e o combate à criminalidade e à sinistralidade rodoviária, como também a fiscalização de diversas matérias de âmbito contraordenacional, registando-se os seguintes dados operacionais:

1.    Detenções202 detidos em flagrante delito, destacando-se:

·      63 por condução sem habilitação legal;

·      51 por condução sob o efeito do álcool;

·      16 por tráfico de estupefacientes;

·      11 por furto;

·      Seis por violência doméstica;

·      Três por posse ilegal de armas;

·      Dois por posse de arma proibida;

·      Um por ameaça e coação;

·      Um por ofensa à integridade física simples;

·      Um por dano;

·      Um por caça ilegal.

2.    Apreensões:

·      1 323 doses de haxixe;

·      77 doses de cocaína;

·      56 doses de heroína;

·      26 armas de fogo;

·      15 armas brancas;

·      3 645 munições de diversos calibres;

·      50 000 cigarros;

·      1 800 quilos de pescado;

·      1 400 quilos de bivalves;

·      Cinco veículos;

·      3 745 euros em numerário.

3.    Trânsito:

Fiscalização3 767 infrações detetadas, destacando-se:

·      2 261 excessos de velocidade;

·      264 relacionadas com anomalias nos sistemas de iluminação e sinalização;

·      173 por uso indevido do telemóvel no exercício da condução;

·      167 por falta de inspeção periódica obrigatória;

·      149 por falta de seguro de responsabilidade civil;

·      135 por falta ou incorreta utilização do cinto de segurança e/ou sistema de retenção para crianças;

·      69 por condução com taxa de álcool no sangue superior ao permitido por lei;

·      47 relacionadas com tacógrafos.

GNR- Detidos por desobediência – COVID-19

A Guarda Nacional Republicana, para além da sua atividade operacional diária, desde a meia-noite de ontem e durante a vigência da declaração do Estado de Emergência, está a dar levar a efeito uma operação que visa o controlo, fiscalização e vigilância das medidas impostas. Desde que se iniciou a operação, até às 08h00 de hoje, registaram-se diversas ocorrências, das quais se destacam as seguintes:

O Comando Territorial de Aveiro, através do Posto Territorial de Ovar, deteve uma mulher de 53 anos, pela prática do crime de desobediência, no concelho de Ovar. Depois de ter sido acompanhada até ao limite da cerca sanitária, foi detida e notificada para ser presente no Tribunal Judicial de Ovar.

O Comando Territorial do Porto, através de militares do Posto Territorial de Lever, deteve em flagrante delito uma mulher de 40 anos, pelo crime de desobediência ao cumprimento do período de isolamento profilático COVID-19, no concelho de Vila Nova de Gaia. A detida, sem antecedentes criminais, foi constituída arguida e sujeita a Termo de Identidade e Residência, com obrigação de permanência no domicílio.

O Comando Territorial de Faro, através do Posto Territorial de Lagoa, deteve dois homens, de 21 anos, pelo crime de ofensa à integridade física qualificada, na cidade de Lagoa. Os dois homens encontravam-se em violação do dever geral de recolhimento imposto pelo Estado de Emergência em curso. Os detidos foram constituídos arguidos e sujeitos a Termo de Identidade e Residência.

O Comando Territorial de Leiria, através do Posto Territorial de Vieira de Leira, deteve um homem de 44 anos, pela prática do crime de desobediência, no concelho de Marinha Grande. O detido foi constituído arguido e sujeito a Termo de Identidade e Residência.

O Comando Territorial de Setúbal, através do Posto Territorial de Fernão Ferro, deteve dois homens de 29 e 38 anos, um deles pela prática do crimes de condução sob a influência do álcool e o outro por posse de arma ilegal, na freguesia de Fernão Ferro. Os dois homens encontravam-se em violação do dever geral de recolhimento imposto pelo Estado de Emergência em curso. Os detidos foram constituídos arguidos e sujeitos a Termo de Identidade e Residência.

O Comando Territorial de Viseu, através do Posto Territorial de Cinfães, deteve um homem de 49 anos, pela prática do crime de resistência e coação sobre funcionário, no concelho de Cinfães. O detido encontrava-se em violação do dever geral de recolhimento imposto pelo Estado de Emergência em curso.

A GNR recorda que as medidas de contenção e isolamento podem salvar vidas. O seu objetivo é atrasar o mais possível a propagação do vírus, mantendo os hospitais com capacidade de resposta. Por isso, apela-se à consciência cívica dos cidadãos para permanecer em recolhimento no seu domicílio.

Por: GNR DCRP

A GNR no combate ao COVID -19

Tal como todas as Instituições e todos os portugueses, a Guarda Nacional Republicana e os seus militares e civis sentiram-se, nas últimas  semanas, na obrigação de ajustar o seu funcionamento e as suas rotinas, a fim de manter uma capacidade de resposta condicente com as necessidades do País, neste período de pandemia como o que vivemos.

Mais do que o habitual policiamento de proximidade, os militares da GNR têm procurado potenciar as suas capacidades distintivas, características de uma força de segurança de natureza militar, no que diz respeito à segurança e vigilância do Território Nacional, monitorizando movimentos e controlando fronteiras, através de afetação diária de mais de 500 militares. Assim, tem sido implementado um reforço das cadeias logísticas em prol da autossuficiência do dispositivo operacional, bem como canalizadas todas as valências policiais no apoio à população, nomeadamente no suporte à primeira linha da saúde, na proteção de áreas e no apoio à população idosa, sobretudo a que vive sozinha e isolada. 

Destaca-se o apoio diferenciado que a Saúde Militar da Guarda, em concreto, o seu Centro Clínico, tem prestado aos militares no desempenho das suas tarefas policiais, designadamente no esclarecimento dos procedimentos a adotar no contacto com pessoas suspeitas de estarem infetadas com COVID-19; na distribuição de mais de 28 mil kits de Equipamento de Proteção Individual (EPI), e na criação de uma sala de situação que monitoriza e apoia, 24 horas por dia, os militares com sintomas de doença (COVID-19 ou outras), com o objetivo de garantir, a todo o tempo, uma maximização do nível de operacionalidade do efetivo da Guarda.

Na vertente operacional, para além da resolução das mais diversificadas ocorrências do dia-a-dia pelas patrulhas do dispositivo territorial numa presença permanente sob quaisquer condições meteorológicas, os militares da Guarda têm desenvolvido uma série de ações, através das diferentes valências policiais e especialidades, no sentido de contribuir para a resolução dos problemas que o país e a sua população enfrentam, destacando-se a realização diária de mais de 1.800 patrulhas, nas quais têm sido percorridos uma média diária superior a 120.000 Km.

Face ao que antecede, e no uso do largo espetro de competências atribuídas à GNR, a Unidade de Controlo Costeiro tem garantido a vigilância de portos e de todos os pontos de entrada no país por via marítima, tanto no continente, como nas ilhas. A Unidade de Ação Fiscal tem reforçado o controlo da fronteira terrestre, através de meios diferenciados, no que diz respeito a passagens não autorizadas. A Unidade de Emergência de Proteção e Socorro tem apoiado o dispositivo territorial e de trânsito, na monitorização de movimentos e no controlo de fronteiras, bem como participado na garantia de cerca sanitária. Além disso, mantém preparada a sua especialidade NRBQ (Nuclear, Radiológico, Biológico e Químico), de modo a proceder à descontaminação de materiais e espaços, sempre que lhe seja solicitado. Como último reduto, a Unidade de Intervenção, tem preposicionado os seus meios, no sentido de dar uma resposta à necessidade de uma imediata projeção e intervenção em qualquer ponto do país, seja para garantia da ordem pública, para efetuar escoltas de segurança ou proteção de pontos críticos.

Os militares da Guarda, com tranquilidade e serenidade, procurarão manter ininterruptamente a sua capacidade operacional, adaptando-se à nova realidade, e procurando ir ao encontro daa necessidades dos Portugueses. Infelizmente, e porque o vírus não escolhe profissões, idades ou géneros, contamos neste momento com dois militares infetados, três com suspeita de infeção, 57 em quarentena e 77 em avaliação.

Todos somos importantes para vencer este momento. Juntos vamos conseguir. Os Portugueses, a quem apelamos que fiquem em casa, podem continuar a contar com a sua Guarda!

Por:GNR