Início » Tag Archives: musica

Tag Archives: musica

Agenda Cultural da Guarda foi já apresentada

Teve lugar nesta manhã , a apresentação da Agenda Cultural da Guarda no TMG com toda a programação que irá acontecer nos primeiros três meses do ano, na Guarda. A publicação contém as sugestões culturais dos vários equipamentos culturais do Município: Teatro Municipal da Guarda; Biblioteca Municipal Eduardo Lourenço e Museu Regional da Guarda.

Destaque para os concertos dos The Gift (4 março), Syro (28 janeiro) e da banda original de Amy Winehouse (30 março) no TMG; para o Curso de Cerâmica de Carlos Pé Leve ( 4 e 5 fevereiro) e a apresentação do In Folio (26 janeiro) no Museu da Guarda; ou ainda o Lançamento do mais recente livro de Violante Saramago (19 janeiro) e de muitas outras iniciativas de promoção do livro e da leitura como os Sábados em Família, na Biblioteca Municipal ou o carnaval guardense com o seu programa GuardaFolia.

IPO de Coimbra recebe projeto inovador de promoção da Saúde através da Música

O IPO de Coimbra, a Direção Regional de Cultura do Centro e a Orquestra Sem Fronteiras assinaram nesta segunda-feira 12 de dezembro de 2022, um protocolo de parceria no âmbito do projeto artístico A MÚSICA NO LUGAR CERTO, projeto inovador que interliga a arte e a promoção da saúde, visibilizando o poder terapêutico da música.

Assinaram o protocolo Suzana Menezes, Diretora Regional de Cultura do Centro, Maria Margarida Torres de Ornelas, Presidente do Conselho de administração do IPO Coimbra, Martim Sousa Tavares, Maestro e Presidente da Direção da Orquestra Sem Fronteiras.

A arte é um meio privilegiado para comunicar e transmitir emoções. O estudo desenvolvido pelo Gabinete Regional da Organização Mundial de Saúde para a Europa indica que a inclusão das artes na prestação de cuidados de saúde tem demonstrado apoiar resultados clínicos positivos para os diversos intervenientes incluindo doentes, profissionais de saúde, famílias e a comunidade em geral. A investigação mostrou que a utilização de meios artísticos nos cuidados de saúde e nas comunidades pode ter uma variedade de benefícios para a saúde, uma vez que a fruição artística promove um bem-estar integrado individual e estimula o combate físico e emocional à doença.

Neste contexto, tendo por objetivo estimular o bem-estar físico e emocional dos utentes e equipas técnicas da unidade de cancro da mama do IPO Coimbra e promover benefícios terapêuticos através da arte, durante o primeiro semestre de 2023 e com a curadoria da Orquestra Sem Fronteiras, serão realizados seis concertos de música de câmara em espaços do serviço de cancro da mama do IPO Coimbra. Os concertos serão seguidos de momentos de mediação cultural estimulando a interação do público com o processo criativo e artístico.

Gouveia recebeu Músico Jimmy P. e apresentou o livro “Amar-te e Respeitar-te”

O Teatro Cine de Gouveia recebeu o Espetáculo “Amar-te e Respeitar-te” com o músico Jimmy P., uma iniciativa direcionada aos alunos do ensino secundário do Agrupamento de Escolas de Gouveia e ao IG – Instituto de Gouveia.
No evento esteve presente Jorge Ferreira, Vice-Presidente da Câmara Municipal de Gouveia, que enfatizou o facto de se assinalar o Dia Municipal para a Igualdade, “celebrado através da apresentação deste projeto pedagógico, pretendendo o município alertar os jovens para os múltiplos comportamentos que levam à violência no namoro”.
Também Sandra Tavares, Coordenadora do CLDS4G no concelho de Gouveia, sublinhou a importância da temática da igualdade e de prevenção de situações de violência no namoro, dado que a relação de intimidade com outros jovens, se pretende saudável, igualitária, livre e não violenta.
Em palco, o músico e autor Jimmy P. apresentou o projeto pedagógico, de âmbito nacional, denominado “Amar-te e Respeitar-te”, referindo que o objetivo principal desta atividade é “capacitar e dotar os jovens com ferramentas de diagnóstico e de prevenção de comportamentos agressivos nas relações de namoro, dos próprios e /ou dos seus pares”.
Para Jimmy P. “a música, sobretudo o rap, que é o género que eu pratico, o género que vive da palavra, é super eficaz para fazer chegar uma mensagem e é um exercício de empatia”, referindo ainda que, “quando se vive uma situação abusiva, nunca é fácil partilhar isso com alguém, é um exercício de coragem gigante”.
Este projeto conta com várias vertentes: um livro com três histórias, uma peça de teatro e três temas inéditos do músico. O livro compreende três histórias ficcionadas sobre casos de violência no namoro, contadas para apresentar três realidades distintas: a realidade percecionada pela vítima masculina, com a história “Os homens não choram!”, a realidade percecionada pela vítima feminina, com o caso “Quanto mais me bates…”, e a realidade de uma relação de namoro vivida (não só, mas também) no mundo virtual, com a história “Todos os dias da nossa vida real e virtual!”.
Foi ainda possível assistir à performance musical de Jimmy P., com a interpretação dos temas “Ficar Bem”, “Quando dá errado” e “Como Tu”, bem como à apresentação de uma peça de teatro, que constituiu uma adaptação das histórias do livro.
O espetáculo terminou com uma atividade pedagógica, em que os jovens alunos puderam identificar situações consideradas abusivas e expressar a sua opinião relativamente à temática.
No final, todos os participantes receberam o livro “Amar-te e Respeitar-te” autografado pelo Jimmy P. e oferecido pelo CLDS4G e pelo Município de Gouveia.
O projeto “Amar-te e Respeitar-te”, desenvolvido pela Betweien, em coautoria com o músico Jimmy P., foi promovido pelo CLDS4G de Gouveia – Projeto InteGr4r e pelo Município de Gouveia e insere-se no âmbito do plano de atividades do CLDS com coordenação da Casa do Povo de Vila Nova de Tazem e execução do Grupo Aprender em Festa e do Plano Municipal para Igualdade do Município.
Fotos:MG

Artigo de Madalena Fonseca–Estilo musical, um estereótipo?

Normalmente, pelo estilo de música que uma pessoa consome, podemos associá-la a uma personalidade ou estereótipo, rotulando-a sem sabermos mais sobre a mesma.

É curioso como algo tão unificador e universal como a música, pode também conter uma carga tão crítica e rotuladora.

Todos nós, por influência do ambiente em que vivemos, e pela sensibilidade pessoal de cada um, dirigimo-nos mais para um ou outro estilo de música, que, por conseguinte, nos influenciará na forma como vemos o outro e como nos relacionamos com ele.

Apesar de a música poder ser estereotipada, não significa que um indivíduo siga esse modelo, será por isto, errado o julgamento através de uma arte que é apreciada por todos, de maneiras diferentes. Por exemplo, até uma pessoa mais “metaleira” pode também gostar de músicas românticas. Não é necessário apreciar e seguir apenas um estilo de música, podemos ouvir e desfrutar de tudo, pois é para isso que a música existe, para ouvir, partilhar e sentir essa liberdade de escolha e essa liberdade de expressão.

Madalena Fonseca

Mangualde continua a apostar no ensino especializado de música

O Município de Mangualde continua a apostar no ensino especializado de música através da dinamização do projeto “Promoção do Sucesso Educativo: Ensino da Música em Mangualde”. A autarquia promove pelo quinto ano consecutivo, em conjunto com o Conservatório Regional de Música de Viseu Azeredo Perdigão e o Agrupamento de Escolas de Mangualde, o ensino especializado de música, destinado a alunos dos 2.º, 3.º e 4.º anos do 1.º Ciclo.

Informam-se todos os alunos, pais e encarregados de educação que as inscrições para o ano letivo 2022/2023 podem ser realizadas presencialmente até ao próximo dia 30 de setembro, na Biblioteca Municipal de Mangualde ou através do seguinte formulário: https://forms.gle/fQa89bzScKD6CuQF7.  O número de vagas é limitado a 15 alunos, sujeitos a provas de aptidão musical. De entre os instrumentos a lecionar existem vagas para: flauta transversal (2), saxofone (1), trompa (4), trompete (1), trombone (2), percussão (1), violino (3), violoncelo (1).

O projeto designado por “Promoção do Sucesso Educativo: Ensino da Música em Mangualde” enquadra-se na Promoção do Sucesso Educativo Viseu Dão Lafões, no âmbito do eixo/ linhas de intervenção “Aprendizagens formais, não formais e informais para o Sucesso Escolar”. Visa promover a formação e o desenvolvimento de jovens do concelho de Mangualde, proporcionando-lhes momentos de formação formal e informal, através de atividades artísticas não curriculares, na área do ensino especializado da música (estudo de um instrumento musical e prática instrumental em conjunto/orquestra), que lhes permitam desenvolver competências cognitivas de concentração, organização, perceção auditiva, memória e disciplina, entre outras, que estão associadas ao sucesso escolar. O projeto envolve o ensino dos instrumentos: flauta, saxofone, clarinete, trompete, trompa, trombone, percussão, violino, viola d`arco, e violoncelo. As aulas são ministradas por professores/músicos profissionais com formação superior musical e pedagógica especializada em cada um dos instrumentos.

Regresso em alta da Feira Farta

Teve lugar na manhã de sãbado,10 de setembro, a abertura da Feira Farta na Guarda com a presença do Presidente do Município da Guarda, Sérgio Costa , o Executivo Municipal e demais entidades.

Estão presentes as 43 freguesias com os seus produtos endógenos e artesanato,  a zona de restauração e o Espaço Criança, onde
estão a ser dinamizadas ações lúdico pedagógicas com o apoio do La Vie. no Largo do Mercado Municipal na Guarda.

Sérgio Costa referiu no seu discurso que:”Esta é talvez a feira mais genuína da Guarda e dos Guardenses, a Feira Farta, que é também a nossa Feira Franca.”

Salientou ainda “ser bom o regresso à normalidade e depois da pandemia voltar a ver esta tenda cheia de gente e de produtos, o Município  da Guarda lança o desafio às pastelarias, aos pasteleiros locais e às pessoas a título individual ou em grupo para criarem o bolo tradicional da região, a Bola Parda da Guarda, queremos incentivar a inovação, a criatividade e o sentido empreendedor para o reavivar deste nosso saboroso produto gastronómico.”

Vai surgir nos dois pisos superiores do Mercado Municipal uma Nova Área Empresarial da Guarda.

Depois seguiu-se a visita à Feira e Mercado Municipal.

AltaMente traz novo espetáculo e novos protagonistas chega a Gouveia

Criação artística apresentada em Gouveia, Mangualde, Fornos de Algodres e Nelas

A criatividade traz mais histórias e memórias ao Alto Mondego. O projeto AltaMente, coordenado pelos músicos Bitocas e Artur Fernandes, traz um novo espetáculo e novos protagonistas. As associações culturais e a comunidade voltam a subir ao palco, desta vez com participantes oriundos dos concelhos de Fornos de Algodres e Gouveia.

A estreia é já no próximo sábado, 10 de setembro, em Gouveia, na Praça do Tribunal, em Mangualde, a 18 de setembro, no Largo Dr. Couto, em Fornos de Algodres, a 24 de setembro, no Anfiteatro do Olival da Vinha e Nelas a 25 de setembro, na Praça do Município.

Todas as apresentações estão marcadas para as 21h30.

Depois do primeiro ciclo de espetáculos ter percorrido os 4 municípios da rede em abril com elementos de Mangualde e Nelas, está a chegar um novo espetáculo inédito que resulta da capacitação que, desta feita decorreu em Fornos de Algodres e Gouveia.

A partir da identidade e vivências musicais dos participantes, estes foram desafiados a explorar novas e criativas abordagens artísticas e a criar uma história contada pelo som.

O resultado final promete surpreender, numa criação musical que vai nascer em tempo real. Um verdadeiro “espetáculo – jogo” vivo e interativo em que o público será convidado a emergir e a deixar-se levar pela música.

O projeto “Alto Mondego Rede Cultural” junta os Municípios de Nelas, Mangualde, Fornos de Algodres e Gouveia e é cofinanciado pelo Centro 2020, Portugal 2020 e União
Europeia, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.

 

Altamente Espetáculos cartaz

Bandas Filarmónicas assinam protocolo com Município de Mangualde

Em Mangualde , no Dia Nacional das Filarmónicas, foi assinado o protocolo de apoio às Bandas Filarmónicas do concelho de Mangualde, nomeadamente a Associação Filarmónica da Boa Educação de Vila Cova de Tavares, Associação Humanitária e Cultural de Abrunhosa-a-Velha, Sociedade Filarmónica Lobelhense e a Sociedade Filarmónica de Tibaldinho.
Assim , o Presidente da Câmara Municipal de Mangualde, Marco Almeida, rubricou o protocolo juntamente com os dirigentes das diversas bandas.
Para o autarca mangualdense, “as Bandas Filarmónicas do concelho são cruciais, não só ao nível musical e cultural, mas fundamentalmente como instituições que preservam e promovem a identidade local, reforçam a coesão social e possibilitam, principalmente aos jovens, uma fácil entrada no meio artístico musical. Por estas razões decidimos reforçar o apoio face aos anos anteriores. Não podemos perder este património cultural do concelho.”
Pena que em todos concelhos não se siga este exemplo mangualdense.

Concerto de Percussão com Guilherme Mendes em Aguiar da Beira

Está agendado para dia 3 de setembro, pelas 21h30 um concerto de percussão organizado pelo Município de Aguiar da Beira, este evento decorre no anfiteatro de Aguiar da Beira.

Com esta atividade o Município pretende oferecer ao público um agradável concerto ao ar livre, conduzido pelo artista Guilherme Mendes e com apontamentos literários de Teresa Barranha.

É um evento aberto a toda a população e a entrada é gratuita.

Artigo de Madalena Fonseca–Música – Uma conexão multicultural

A música conecta – e podemos relacioná-la com o momento a que os espanhóis chamam de “sobremesa”, a partilha mútua entre pessoas de que gostamos naquele momento presente (depois de uma refeição). O que interessa nesta relação é exatamente o momento e o ambiente criado, a música tem esse poder, consegue juntar um grupo de pessoas e colocá-las todas presentes naquela partilha. Nesse local, “não palpável”, somos todos iguais e fazemos todos parte daquele espaço, não existem rótulos ou julgamentos. A música tem assim esta magia sobre os humanos, por um lado alguém a produz, e do outro lado temos alguém a recebê-la, é uma relação de simbiose, onde precisamos uns dos outros para fazer sentido.

Existem músicas que todos conhecemos, assim como existem estilos e géneros muito diferentes para o nosso ouvido, mas que são compreensíveis e fáceis de interpretar, mesmo estando num idioma diferente e desconhecido, o que está aqui implicado é a musicalidade e o sentimento que a música transmite, apesar de que uma letra poderá dizer muito. Este pensamento poderia ajudar o ser humano a compreender que a música é universal, é uma linguagem que todos compreendem e sentem, e que junta pessoas com o mesmo propósito de viver o momento presente. Conseguimos imaginar nestes momentos o que poderia ser um mundo perfeito, onde humanos se relacionam numa perfeita partilha sem barreiras ou diferenças, um mundo multicultural, assim como é a música.

Madalena Fonseca