Início » Tag Archives: nelas

Tag Archives: nelas

Município de Nelas marcou presença no 41º Festival Nacional de Gastronomia de Santarém

A Câmara Municipal de Nelas está presente no 41º Festival Nacional de Gastronomia na Casa do Campino, em Santarém numa ação de promoção e divulgação do Concelho.
Sob o mote “colocar Portugal à mesa”, o Município de Nelas levou ao Festival mais antigo do país o que de melhor se produz no Concelho e na Região vitivinícola do Dão, divulgando assim as potencialidades enoturísticas e os principais eventos do Município, como a Feira do Vinho do Dão que assinala os seus 32 anos, em setembro do próximo ano.
Os participantes que visitaram o Stand da AMPV tiveram a oportunidade de provar vinhos dos doze produtores de vinho do Dão do Concelho de Nelas que se juntaram a esta iniciativa como Amora Brava, Caminhos Cruzados, Carlos Raposo Vinhos, Carvalhão Torto, Fidalgas de Santar, Quinta da Boiça, Quinta da Fata, Quinta das Mestras, Quinta do Mondego, Quinta do Sobral, Lusovini e Santar Vila Jardim.
Para acompanhar estes néctares do Dão, que foram alvo de rasgados elogios por aqueles que os degustaram, os visitantes deliciaram-se com queijos da Quinta da Estaca, de Vilar Seco, bastante apreciados também, difundindo desta forma os excelentes produtos endógenos que compõe uma boa mesa local e regional do Dão.
Houve ainda espaço para um Showcooking efetuado na Tenda Repsol – Espaço Teka, onde todos estes produtos foram apresentados e harmonizados, perante o olhar atento dos milhares de espectadores presentes no Festival Nacional de Gastronomia de Santarém, e que decorre até ao próximo dia 1 de novembro.
Fotos:MN

Nelas- Arranque da Universidade Sénior é já no sábado

Vai ter lugar no Cine Teatro de Nelas, o arranque de mais um ano letivo , assim o Município de Nelas promove no próximo sábado, dia 8 de outubro, a Sessão de Abertura da Universidade Sénior de Nelas , para assinalar o reinício de um novo ano letivo.
Os professores, alunos e restante população vão ficar a par do plano de atividades prevista para o novo ano letivo, bem como de todas as novidades reservadas para a população sénior do Concelho.
De realçar que, a Universidade Sénior de Nelas nasceu em 2014, apesar de só ter iniciado as disciplinas em 2 de Fevereiro de 2015, enquanto projeto promovido pela Câmara Municipal de Nelas, dando resposta à ânsia do saber contínuo, sentido e manifestado por um número significativo de munícipes. Tem sede na antiga Escola Primária Serra da Estrela, podendo também desenvolver as suas atividades noutros locais e equipamentos do Município.

Obras de requalificação da Av. João XXIII iniciam em Nelas

O Município de Nelas vai dar início na próxima segunda-feira, dia 3 de outubro, às obras de requalificação da Av. João XXIII, em Nelas, e espaços envolventes, com destaque para a intervenção nas infraestruturas existentes. A empreitada será realizada entre a Rotunda da Igreja e a antiga Escola Primária da Avenida, atualmente sede da Academia Municipal de Artes de Nelas.

A empreitada tem como objetivo principal em particular a requalificação das infraestruturas existentes, nomeadamente as redes de abastecimento de água, de drenagem de águas residuais domésticas e pluviais, infraestruturas elétricas e de telecomunicações, bem como a consequente organização urbanista e sustentada, através da promoção da mobilidade urbana e gestão do estacionamento automóvel. Não será, ainda, descurado o arranjo paisagístico, não só através da preservação de todas as árvores atualmente existentes, como também procedendo à plantação de novas, aumentando o número de lugares de estacionamento.

A pensar no bem-estar dos munícipes e de todos os visitantes, a intervenção irá criar condições de segurança e de conforto quer na circulação pedonal, quer na circulação automóvel, pelo que o projeto contempla vias pedonais com pelo menos 1,60 metros de largura e uma faixa rodoviária com 7 metros. Para contribuir para uma mobilidade mais inclusiva de utilizadores com mobilidade condicionada, para além da eliminação de alguns degraus existentes, algumas das passagens de peões de superfície, vulgo passadeiras, ficarão ao nível dos percursos pedonais, bem como a criação, ao longo da Avenida, de pequenas zonas de estadia, enquadradas com pequenas floreiras em aço-corten, que possibilitem o descanso e o disfrute da envolvente.

O projeto, que surge no âmbito do procedimento concursal realizado pela Câmara com financiamento do Portugal 2020, pretende a requalificação do arruamento rasgado no inicio dos anos 50 do século XX e que hoje em dia opera como uma das principais artérias comerciais e sociais da Vila de Nelas, verificando um forte crescimento da construção urbana ao redor nos últimos anos.

Os trabalhos irão decorrer faseadamente, minimizando o impacto sobre a utilização da via e causando o mínimo de transtorno aos utilizadores, tendo um prazo de execução de nove meses.

Nelas acolheu Dia Mundial do Turismo

O Dia Mundial do Turismo foi celebrado esta terça-feira em Nelas, tem como função evidenciar a importância dessa atividade, que contribui para a conservação de espaços e monumentos históricos e para a ampliação de nossos horizontes culturais.

Neste sentido, o Município de Nelas promove a exposição “140 Anos da Companhia das Águas Medicinais da Felgueira” patente na Biblioteca Municipal de Nelas até ao dia 26 de novembro, de segunda-feira a sexta-feira das 09h00 às 18h00 e ao sábado das 14h30 às 18h00.

Depois de ser inaugurada no passado mês de agosto em pleno Balneário Termal das Caldas da Felgueira, a exposição segue o seu objetivo de itinerância. Esta iniciativa da Câmara Municipal de Nelas conta com o apoio das Juntas de Freguesia de Canas de Senhorim e de Nelas, Termas das Caldas da Felgueira e Associação Recreativa e Cultural das Caldas da Felgueira.

Sob o mote “Traços do Passado na Construção de uma Aldeia de Portugal”, esta exposição, desenvolvida pelos serviços municipais da Biblioteca, Arquivo e Património Cultural, é o resultado de um trabalho multidisciplinar, dinâmico e social: além de respeitar o correto tratamento histórico dos dados, envolveu a própria comunidade local no processo de recolha de informações orais e espólio fotográfico.

Traços do Passado na construção de uma Aldeia de Portugal é o mote para a exposição comemorativa dos 140 anos da Companhia das Águas Medicinais da Felgueira. Centrada na História das Termas, desvenda os principais acontecimentos que originaram a criação da Companhia e subsequente afirmação desta estância termal no contexto do Termalismo Nacional.

Esta exposição procura transmitir aos visitantes o passado singular das Termas e a sua beleza atual através da mostra das “Fotografias da Aldeia”, concurso de fotografia promovido em junho pela Câmara Municipal de Nelas.

Mangualde acolheu projeto intermunicipal “AltaMente”

Foi mais uma noite de domingo diferente com o Município de Mangualde a apresentar mais uma criação artística, no âmbito da Rede Cultural do Alto Mondego. O projeto intermunicipal “AltaMente” esteve no palco do Largo Dr. Couto. Depois do primeiro ciclo de espetáculos desenvolvidos em abril, com os participantes de Mangualde e Nelas, o projeto “AltaMente”, coordenado pelos músicos Bitocas e Artur Fernandes, trouxe um novo espetáculo com participantes de associações culturais, desta vez oriundos dos concelhos de Fornos de Algodres e Gouveia. O momento contou com a presença do Presidente da Câmara Municipal de Mangualde, Marco Almeida, e da Vereadora Maria José Coelho.

A partir da identidade e tradições dos quatro concelhos da Rede Cultural Alto Mondego, as coletividades foram desafiadas a cooperar, explorando novos caminhos artísticos e criaram uma história contada pelo som.  O resultado surpreendeu, numa criação musical completamente inovadora e com muito humor. Um verdadeiro “espetáculo – jogo” vivo e interativo em que o público foi convidado a emergir e a deixar-se levar pela música e pela história.

Este espetáculo integra o segundo ciclo de apresentações do “AltaMente” e estará em Fornos de Algodres no dia 24 de setembro, terminando em Nelas a 25 de setembro.

O projeto “Alto Mondego Rede Cultural” junta os Municípios de Nelas, Mangualde, Fornos de Algodres e Gouveia e é cofinanciado pelo Centro 2020, Portugal 2020 e União Europeia, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.

 

 

AltaMente traz novo espetáculo e novos protagonistas chega a Gouveia

Criação artística apresentada em Gouveia, Mangualde, Fornos de Algodres e Nelas

A criatividade traz mais histórias e memórias ao Alto Mondego. O projeto AltaMente, coordenado pelos músicos Bitocas e Artur Fernandes, traz um novo espetáculo e novos protagonistas. As associações culturais e a comunidade voltam a subir ao palco, desta vez com participantes oriundos dos concelhos de Fornos de Algodres e Gouveia.

A estreia é já no próximo sábado, 10 de setembro, em Gouveia, na Praça do Tribunal, em Mangualde, a 18 de setembro, no Largo Dr. Couto, em Fornos de Algodres, a 24 de setembro, no Anfiteatro do Olival da Vinha e Nelas a 25 de setembro, na Praça do Município.

Todas as apresentações estão marcadas para as 21h30.

Depois do primeiro ciclo de espetáculos ter percorrido os 4 municípios da rede em abril com elementos de Mangualde e Nelas, está a chegar um novo espetáculo inédito que resulta da capacitação que, desta feita decorreu em Fornos de Algodres e Gouveia.

A partir da identidade e vivências musicais dos participantes, estes foram desafiados a explorar novas e criativas abordagens artísticas e a criar uma história contada pelo som.

O resultado final promete surpreender, numa criação musical que vai nascer em tempo real. Um verdadeiro “espetáculo – jogo” vivo e interativo em que o público será convidado a emergir e a deixar-se levar pela música.

O projeto “Alto Mondego Rede Cultural” junta os Municípios de Nelas, Mangualde, Fornos de Algodres e Gouveia e é cofinanciado pelo Centro 2020, Portugal 2020 e União
Europeia, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.

 

Altamente Espetáculos cartaz

31ªFeira do Vinho do Dão em Nelas até domingo

Decorreu nesta tarde de sexta-feira, 2 de setembro, a Sessão Solene da 31ªFeira do Vinho do Dão , onde estiverem presentes a Secretária de Estado do Desenvolvimento Regional, Isabel Ferreira, o Presidente da Câmara Municipal de Nelas, Joaquim Amaral, o Presidente da Assembleia Municipal, José Albuquerque Vaz, o Presidente da Comissão Vitivinícola Regional do Dão, Arlindo Cunha, o Grão-Mestre da Confraria dos Enólogos do Dão, José Perdigão e demais entidades.

Assim, Joaquim Amaral, autarca de Nelas, referiu que:”Em boa hora regressámos, sejam bem-vindos”, começou por referir, acrescentando que este ano o certame conta com 45 produtores de vinho do Dão, os melhores Chefes para showcoockings ,produtos gastronómicos de excelência, animação com artistas de renome, artesanato, associaçõe, empresas da região e um leque de atividades diversificadas para toda a família, tudo isto possível graças a um esforço coletivo e apoios cruciais dos vários parceiros que tornaram este evento possível. Considera, ainda, a Feira do Vinho do Dão um dos “mais valiosos eixos estratégicos” e não esquece a dedicação de todos os produtores e agentes económicos ligados ao vinho, nomeadamente as “pessoas que se dedicam, todos os dias, à produção vitivinícola do Dão”. Por isso, e também devido à responsabilidade posicional que Nelas assume no mapa da Região, foi retomada a imagem “Coração do Dão” para esta 31ª edição com um novo modelo, para enaltecer as preciosas vinhas, o enoturismo, os produtos endógenos, o termalismo, entre outros, que tão bem caracterizam esta região”.

Já a Secretária de Estado, Isabel Ferreira, elogiou a longevidade deste evento, que se reflete na sua qualidade, e que tanto contribui para a coesão dos concelhos da Região Demarcada do Dão, fazendo referência à evolução que os territórios do interior têm tido e o percurso trilhado à volta de um produto endógeno: o Vinho do Dão. “Aproveitando todo o património genético, houve uma estratégia de marketing territorial que agregou o território e que é um mérito à volta da identidade territorial”,  acrescentando que, em equipa, se chega sempre mais longe. Ler Mais »

Nelas reutiliza águas residuais para abastecimento das indústrias do concelho

Em Nelas, de modo a retirar pressão sobre o sistema de consumo doméstico, de ajudar a resolver os problemas quantitativos de água na origem do subsistema de abastecimento de Fagilde e de diminuir o stress hídrico que estes consumidores introduzem no sistema de abastecimento do concelho.

Assim, o Município decidiu implementar de imediato, em articulação com as empresas, um projeto que visa simultaneamente colaborar na solução do abastecimento de água às indústrias do concelho que dela necessitam para o seu processo produtivo, através da sua reutilização.

Para o efeito, adquiriu dois grupos de bombagem, e respetivas ligações, para instalação na ETAR III de Nelas, que garantem, com recurso ao transporte através de camiões cisterna, cerca de 1200 m3/dia de água residual tratada para as indústrias do concelho de Nelas. Para garantir o abastecimento contínuo, o Município de Nelas assegurou um reservatório de 61 m3 e ainda uma ETAR compacta de 62 m3 para abastecer, sem interrupções, os camiões com capacidade de 25 a 30 m3 que estão a transportar a água residual tratada. Os abastecimentos tiveram o seu início no mês de julho e intensificaram-se durante a semana passada, com a aplicação deste novo equipamento.

Através de uma aposta clara na reutilização de água residual, cujo tratamento é feito na ETAR de Nelas III*, as indústrias do Concelho conseguem, já este verão, uma melhor gestão dos recursos hídricos através de uma fonte alternativa mais sustentável, permitindo a manutenção de água no ambiente e a respetiva preservação para usos futuros, salvaguardando, simultaneamente, a utilização presente, em linha com os princípios da economia circular.

Além de outras medidas adotadas – como por exemplo, a suspensão das regas automáticas com água do abastecimento público por regas manuais com água não potável, uma maior vigilância sobre o sistema de distribuição de água ou a instalação de dois postos de recloragem, em Canas de Senhorim e Carvalhal Redondo, para melhorar e garantir o reforço da qualidade de água – com esta reserva criada para fins industriais e com o grau de qualidade da água residual tratada, será possível abastecer o tecido empresarial, minimizando os efeitos do período de seca atual e, sobretudo, salvaguardar o abastecimento à população do concelho de Nelas.

O executivo camarário pretende desta forma prevenir a escassez de água verificada em todo o território devido ao período de seca que atualmente o País atravessa, permitindo aumentar a resiliência dos sistemas, uma medida que está prevista no Programa de Ação para a Adaptação às Alterações Climáticas (P -3AC).

 

“Alto” chega a Gouveia e a Fornos de Algodres

Depois de enchentes em Nelas e Mangualde

Depois de duas enchentes em Nelas e Mangualde, “Alto” continua em digressão pelo Alto Mondego. Em Gouveia, “Alto” chega no dia 11 de agosto, às 22h00, no Parque da Ex. Bellino & Bellino e a Fornos de Algodres no dia 18 de agosto, às 22h00, no Largo da Estação de Camionagem. O musical, criado pela Contracanto- Associação Cultural e que tem feito as delícias de quem assiste, surge no âmbito do projeto Alto Mondego’ Rede Cultural e conta com 35 elementos da comunidade de Nelas, Mangualde, Gouveia e Fornos de Algodres.

“Alto” conta as histórias do quotidiano e do que une os 4 concelhos. Uma homenagem às tradições, costumes e ao que de mais autêntico têm em comum. Quem passar pelo Alto Mondego neste verão tem, assim, uma experiência única para viver.

O adro da Igreja vai ser o lugar de todos os encontros. Por lá vão trocar-se histórias, experiências cochichos e memórias. Pelo meio haverá desentendimentos e picardias, mas, no fim de contas, haverá algo que falará sempre mais alto: O sentimento comum que é o orgulho em pertencer ao Alto Mondego. Este é o mote para uma história que traz recordações e memórias e que traz a palco a identidade comum do território. “Criámos um espetáculo muito próximo da população que relata vários momentos do quotidiano. Vamos resgatar memórias, recordações e vivências dos nossos avós e fazer uma homenagem à terra que todos partilham”, explica Sandra Leal.

A comunidade vai fazer dela própria. Serão as pessoas da aldeia e vão participar ativamente na trama. “Terão um papel muito ativo do início ao fim, só assim faz sentido. É muito bom ver o seu empenho, a sua evolução e entrega, mas também os laços que críamos, juntos. Todos sentem-se parte de algo maior e isso é muito gratificante”, destaca Sandra Leal.

A criação teve também a preocupação de trazer para palco o melhor e o mais distintivo do território. Assim, o Queijo Serra da Estrela, o Vinho do Dão, a Lã, o Azeite e outros produtos endógenos do território também vão estar em destaque. Como explica a dramaturga, “estes produtos fazem parte do cartão de identidade comum, são uma referência nacional e projetam o território além-fronteiras”.

O projeto “Alto Mondego’ Rede Cultural” junta os municípios de Nelas, Mangualde, Fornos de Algodres e Gouveia e é cofinanciado pelo Centro 2020, Portugal 2020 e União Europeia, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.

Paço dos Cunhas homenageia o Verão

O Paço dos Cunhas, restaurante de cozinha de autor e um dos ícones da vila de Santar, no Dão, lançou uma carta para a estação quente que homenageia tradições e costumes ancestrais da região, reinventando sabores e privilegiando a excelência dos produtos locais.

  Localizado numa propriedade senhorial do século XVII, na nobre vila de Santar, o restaurante Paço dos Cunhas é um ícone da cultura gastronómica da região Dão-Lafões, no distrito de Viseu. Fazendo jus à sua reputação de espaço de fine dining, o Chef Henrique Ferreira e a sua equipa desenharam uma carta para o verão que homenageia a cozinha beirã e as tradições de Santar, numa reinterpretação da cozinha tradicional portuguesa que resulta em pratos surpreendentes, onde o passado e o presente se cruzam de forma inesperada.

Quisemos homenagear as gentes e tradições de Santar, reinterpretando alguns dos clássicos da cozinha portuguesa, assim como do receituário regional, respeitando os produtos e ingredientes locais e próprios da estação, como é o caso do tomate coração de boi, o feijão verde, as nêsperas e mesmo as violetas, tão típicas nesta época. Mais do que apenas uma experiência enogastronómica, queremos que a visita ao Paço dos Cunhas seja uma viagem pelos sabores e pelas histórias guardadas ao longo do tempo nesta vila única”, afirma o Chef Henrique Ferreira, responsável pela cozinha deste emblemático espaço de gastronomia no coração do Dão.

A escolhas começam nas entradas, onde se destacam as homenagens a pratos tradicionais desta época, com reinvenções das estivais “Sardinhas Assadas com Pimentos”, dos “Peixinhos da Horta” ou da “Bifana no Pão”, tributos aos petiscos típicos dos convívios populares de verão.  No peixe, salta à vista a “Massa Fresca de Lingueirão à Bolhão Pato”, o “Arroz Caldoso de Polvo”, ou a “Caldeirada de Peixes da Nossa Costa”. O trabalho de reinvenção das receitas ancestrais está presente também na carne, onde se salientam pratos que revivem sabores antigos como o “Frango do Campo de Fricassé”, a “Barriga de Porco com Beterraba e Couve” ou o “Bife de Cebolada”.

As sobremesas respeitam o receituário português, contando histórias muito próprias, como o “Ananás, Violetas e Moscatel”, onde a fruta dos Açores é trabalhada com o moscatel e finalizada com um crocante de violetas, a relembrar as cores e aromas das ruas de Santar no verão; o “Creme Queimado de Nêspera e Chocolate”, com as nêsperas apanhadas no quintal; ou a “Rabanada de Sopa Dourada”, inspirada num clássico da doçaria portuguesa.

São muitas mais as opções, quer à carta, quer em três menus de degustação propostos pelo Chef: o menu “Origens” (27,50€, ou 36,50€ com harmonização), o menu “Santar” (35,00€, ou 50,00€) e o menu “Do Chef” (57,50€, ou 82,50€). Os menus de degustação têm a opção de harmonização com os melhores vinhos do portfolio da 1990 Premium Wines, das marcas Casa de Santar, Vinha dos Amores, Encontro ou Saturno, cuja seleção pode ser aconselhada pelo escanção e chefe de sala, André João.

Por último, uma referência à famosa “Broa de Milho” que é oferecida no início da refeição, amassada e cozida na cozinho do Paço dos Cunhas. Conta a história que, em tempos antigos, à massa que sobrava acrescentava-se canela e açúcar e faziam-se broas doces para as crianças no regresso da escola – a mesma “Broa Doce” que também está presente no cardápio, a acompanhar o café, assim como as “Farturas da Feira de S. Mateus” e as “Cavacas de Resende”, em versões aqui reinventadas.

 O Paço dos Cunhas é um dos nossos espaços de enoturismo mais carismáticos, onde aliamos o fine dining aos nossos vinhos de terroir, produzidos nas vinhas do Dão, da Bairrada e do Alentejo. A nova carta, elaborada pelos Chefs Henrique Ferreira e Alberto Correia, vem tornar as nossas experiências enogastronómicas ainda mais exclusivas e especiais”, refere Vítor Castanheira, CEO da 1990 Premium Wines, empresa detentora do Paço dos Cunhas.

A nova carta do restaurante Paço dos Cunhas estará disponível até ao próximo mês de outubro e as reservas podem ser feitas através do telefone 232 945 452 ou do email reservas.santar@1990.pt. O restaurante do Paço dos Cunhas abre de terça a quinta-feira para almoço, das 12h00 às 15h00; sextas e sábados, almoço e jantar, das 12h00 às 15h00 e das 19h00 às 22h00; e domingos para almoço, das 12h00 às 16h00.