Templates by BIGtheme NET
Início » Tag Archives: proteção civil

Tag Archives: proteção civil

MORSA SATER22 um exercício em Fornos de Algodres

Decorreu no concelho de  Fornos de Algodres  uma edição do exercício de Busca e Salvamento em ambiente terrestre – MORSA SATER]
O MORSA SATER22 é um exercício internacional, que decorreu da cooperação entre Portugal e Espanha no âmbito de Busca e Salvamento (SAR) e que tem como objetivo treinar, reajustar e consolidar os procedimentos necessários à salvaguarda da vida humana.
No exercício participaram diversas entidades civis nacionais da estrutura auxiliar do serviço de Busca e Salvamento, nomeadamente ANEPC, INEM, GNR, Corporações de Bombeiros de Fornos de Algodres, Aguiar da Beira, Trancoso e Serviço Municipal de Proteção Civil.
Ao mesmo tempo realizou-se também um exercício equivalente com Resgate na Lagoa Comprida – Serra da Estrela. Um bom teste para a Proteção Civil desta região.
fotos:MFA

Vão surgir 100 novas Equipas de Intervenção Permanente no País

A Secretária de Estado da Administração Interna, Patrícia Gaspar, autorizou na passada sexta-feira, a celebração de protocolos para criar 100 novas Equipas de Intervenção Permanente (EIP).

A decisão consolida a aposta no reforço do modelo de resposta profissional permanente a riscos de proteção civil, que, entre outros elementos, integra as EIP.

As 100 novas EIP serão criadas em 73 municípios do continente, correspondendo a 13 primeiras equipas, 77 segundas equipas – criadas em Corpos de Bombeiros (CB) onde já existia uma EIP – e 10 terceiras equipas em CV com duas EIP e que dispõem de secções ou postos deslocalizados.

Todos os distritos do continente contarão com novas Equipas, destacando-se os distritos de Lisboa (16 novas EIP), Viseu (11), Leiria (9) e Coimbra, Setúbal e Viana do Castelo (8).

A seleção destas EIP foi baseada em critérios objetivos e verificáveis, estabelecidos pela Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil e apresentados à Liga dos Bombeiros Portugueses.

Com a criação destas 100 novas EIP, compostas por um total de 500 operacionais, elevar-se-á o total de equipas autorizadas para 662, quase quadruplicando o número de EIP criadas até 2016 (169).

Os protocolos, a celebrar entre a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), as Câmaras Municipais e as Associações Humanitárias de Bombeiros, visam melhorar a eficiência da Proteção Civil e as condições de prevenção e socorro face a acidentes e catástrofes, como inscrito no Programa do XXII Governo Constitucional.

As EIP são equipas formadas por cinco bombeiros profissionais, que se destinam ao cumprimento de missões no âmbito da Proteção Civil. Os bombeiros que integram estas equipas são caracterizados pela elevada especialização, com competências em valências diferenciadas para atuarem em diferentes cenários.

Com a entrada em vigor da Portaria n.º 322/2021, de 29 de dezembro, que regula a composição e o funcionamento das EIP, o Governo promove a diversidade de género, pelo que a constituição destas equipas deve prever, no mínimo, uma proporção de elementos de cada sexo não inferior a 20 %.

Até ao momento foram autorizadas 662 EIP (mais de 3.300 operacionais), das quais 491 desde 2017, permitindo a cobertura de todo o território nacional continental por equipas permanentes (à exceção de um município) e estando prevista a constituição de novas equipas no segundo semestre de 2022.

Sessões práticas de capacitação no fogo controlado-Queimas

Teve lugar no âmbito do projeto Life Landscape Fire,  uma sessão prática de capacitação e credenciação de Técnicos de Fogo Controlado e de Operacionais de Queima .
Esta ação de capacitação contou com a presença dos formandos do curso Técnico de Fogo Controlado (25 formandos – técnicos da CIM, técnicos dos municípios e elementos da UEPS (GNR)) estando também presentes alguns dos formandos do curso de Operacionais de Queima (formandos das corporações de Bombeiros Voluntários de Nelas, BV de Vale de Besteiros, BV de Santa Comba Dão, BV de Canas de Senhorim).
 A referida sessão realizou-se na localidade de Caparrosa e em Santiago de Besteiros (Município de Tondela) e teve como objetivo dotar os agentes de proteção civil do território de ferramentas que lhes permitam realizar planos de fogo controlado e executar técnicas de ignição para queima prescrita, bem como a posterior avaliação dos impactes da queima.
Fotos: CIVDL

Miguel Teixeira novo 2º Comandante Regional de Emergência e Proteção Civil do Centro

O bombeiro Pinhelense Miguel Teixeira foi nomeado 2º Comandante Regional de Emergência e Proteção Civil do Centro, recentemente.

O jovem bombeiro iniciou o seu percurso em 1992 no Bombeiros Pinhelenses, foi subindo e chegou a subchefe, na altura que passou a 2ºcomandante, mas eis que foi convidado para 2ºComandante Operacional Distrital da Guarda e agora vai exercer novas funções. Um homem sempre em ação e a subir gradualmente na carreira. Foi agora designado, João Rodrigues no cargo de segundo Comandante Operacional Distrital da Guarda, licenciado em Segurança Comunitária, é formador na Escola Nacional de Bombeiros e possui vasta experiência no exercício de funções de comando em corpo de bombeiros.

Proteção Civil preparada para desafios futuros

Durante a sessão comemorativa do Dia da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), Eduardo Cabrita destacou o trabalho realizado quer por aqueles que integram diretamente a ANEPC quer por todos os que fazem parte do sistema, deixando-lhes palavras de «profundo reconhecimento».

«Este sistema envolve todos aqueles que, nos corpos de bombeiros, nas forças e serviços de segurança, nas forças armadas, em instituições de variadíssimas áreas governativas, nas autarquias locais, são parceiros numa resposta a desafios múltiplos», disse Eduardo Cabrita.

«Se o desafio da resposta aos incêndios rurais é aquele que maior visibilidade, por vezes por razões trágicas, assume na resposta da Autoridade, eu queria aqui dar uma palavra muito especial àqueles que, em toda esta estrutura, em mais de uma centena de reuniões da subcomissão de proteção civil, responderam àquilo que é uma troca de preocupações e, sobretudo, de respostas operacionais que envolveram todos», acrescentou.

O Ministro considerou também que a experiência dos 14 anos da ANEPC, e o último em particular, tornou o País «mais resiliente, mais coeso e mais determinado», assegurando que a Proteção Civil estará pronta «para os desafios do futuro».

Comandante Nacional da ANEPC visitou Bombeiros de Nelas

O Quartel dos Bombeiros Voluntários de Nelas recebeu a visita do Comandante Nacional da ANEPC – Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil, André Macedo Fernandes, acompanhado pelo Comandante Regional do Centro, António Ribeiro, e do CDOS – Comandante Distrital de Operações e Socorro, Miguel Ângelo David,  que visitaram, por uma guarda de honra do Corpo de Bombeiros, pelo seu Comandante e Presidente da Federação Distrital de Bombeiros, Guilherme Almeida, pelo Presidente da Direção, Manuel Silva e restante Direção e pelo Presidente da Câmara Municipal de Nelas, Responsável da Proteção Civil Municipal.
O objetivo da visita, inserida no conjunto de outras a Corpos de Bombeiros dos distritos da região centro, teve em vista agradecer o trabalho desenvolvido pelos Bombeiros na resposta ás diferentes tipologias de ocorrência e á situação pandémica da Covid-19.
Em Nelas, o  Comandante Nacional teve oportunidade para visitar o Quartel e conhecer a realidade do Corpo de Bombeiros de Nelas, inteirando-se das suas capacidades operacionais e dificuldades.

Webinários formativos Profissionais Em Contextos Desafiantes – Estratégias para gerir e sobreviver a crises

Face a uma iniciativa conjunta da ANEPC e CIG – Ciclo de webinários formativos capacitam profissionais com estratégias para enfrentar e gerir crises, iniciaram os trabalhos com a participação da Secretária de Estado para a Cidadania e a Igualdade, Rosa Monteiro, e a Secretária de Estado da Administração Interna, Patrícia Gaspar,  na sessão de abertura do ciclo de webinários formativos Profissionais Em Contextos Desafiantes – Estratégias para gerir e sobreviver a crises, destinado à equipa da Comissão para a Cidadania e a Igualdade de Género, bem como às equipas especializadas da Rede Nacional de Apoio às Vítimas de Violência Domésticas e Rede Nacional de Apoio às Vítimas de Tráfico de Seres Humanos.

Este ciclo, que realiza-se ao longo do mês de março e conta com cerca de 400 profissionais inscritos, resulta de um trabalho conjunto entre a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) e a Comissão para a Cidadania e a Igualdade de Género (CIG), com o intuito de capacitar as/os profissionais com estratégias para enfrentar, gerir e sobreviver a crises, designadamente, para melhor responderem aos desafios extraordinários impostos pela pandemia Covid19.

O mote é cuidar das equipas, que estão na primeira linha de intervenção, para que estas cuidem eficazmente de quem precisa de apoio.

A Secretária de Estado da Administração Interna felicitou o trabalho “tão discreto mas tão relevante” que é feito pelos profissionais desta área e enalteceu a reflexão que está a ser feita no âmbito deste ciclo de webinários.

Patrícia Gaspar lembrou que as crises “acentuam as clivagens sociais e agudizam a situação dos mais vulneráveis” e sublinhou a que a pandemia tem colocado enormes desafios ao país, que levarão a que a “nova normalidade” seja uma realidade diferente da que já vivemos no passado, sendo garantido que estaremos perante um novo paradigma na gestão de crises e de emergências.

A pandemia é um fenómeno que entra numa tipologia de fenómenos a que designo de ´baixa frequência´ mas de ´alto impacto´, pela forma como alteram a nossa vida, pelo impacto que têm na sociedade e porque nos obrigam a repensar e a reinventar modelos de vida, causando uma autêntica rutura nos sistemas a que estamos habituados”, afirmou Patrícia Gaspar.

“Ocasiões como esta são fundamentais para pensarmos, todos juntos, como podemos reinventar a apoio às vítimas, para além de tudo o que já foi feito no último ano”, concluiu.

A Secretária de Estado para a Cidadania e a Igualdade, Rosa Monteiro, indica que “se o trabalho de apoio às vítimas, pelas equipas da Rede Nacional de Apoio às Vítimas de Violência Doméstica e Rede Nacional de Apoio às Vítimas de Trafico de Seres Humanos, já é um trabalho profundamente desgastante e intenso, em tempos de pandemia Covid19 as exigências têm sido excecionais. Assim, considerámos que era premente avançar com estas sessões de gestão de crise. Não nos conformamos, nem baixamos os braços no trabalho permanente de apoio às vítimas. Apoiamos quem apoia e cuidamos de quem cuida. Um ano depois, as equipas mantêm-se de portas abertas e com mais estratégias de acompanhamento”.

Aquisição de kit florestal de intervenção rápida pelo Município de Fornos de Algodres

Foi recentemente adquirido pelo Município de Fornos de Algodres, um kit florestal de intervenção rápida com capacidade para 500L de água . Desta forma , tem o objetivo de  reforçar a operacionalidade do Serviço Municipal de Proteção Civil .

Este Kit vem equipado com os seguintes materiais: MOTOBOMBA (Bomba de pistões/membrana | Pressão máx.40 bar | Motor Kohler CH440- 14cv); ROLLBAR TRASEIRO VIATURA; ESTRADO EM GRADE (FIXA EM CIMA);
ARMÁRIO COM PERSIANAS e DEPOSITO AÇO INOX AISI 316.

Assim, segundo refere o Município Fornense, “a Proteção Civil Municipal é tida como um eixo prioritário para o desenvolvimento do concelho, pelo que, o reforço da capacidade operacional dos diferentes agentes de proteção civil, onde se inclui, obviamente, o Serviço Municipal de Proteção Civil, foi, é e será sempre, uma forte aposta da Câmara Municipal de Fornos de Algodres“.

Frio vai manter-se até ao fim de semana

O frio veio para ficar, com as temperaturas a registar valores baixos e por vezes negativos em alguns locais, vai-se manter durante esta semana.

A Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) deixa várias recomendações para que se «proteja do frio». Ter «especial atenção aos aquecimentos com combustão», nomeadamente lareiras.

É importante garantir «uma adequada ventilação das habitações», quando não for possível evitar o uso de braseiras ou lareiras, mas também que se evite a utilização deste tipo de aparelhos de aquecimento enquanto se dorme.

Também ter em atenção a condução em locais onde se forme gelo na estrada, que podem causar acidentes graves, apelando a uma condução prudente e cautelosa. Por último neste campo das responsabilidades coletivas, a população deve estar atenta às informações da meteorologia e às indicações da Proteção Civil e Forças de Segurança.

Por sua vez,  «evite a exposição prolongada ao frio e às mudanças bruscas de temperatura», mantendo sempre o corpo quente e agasalhado, com múltiplas camadas de roupa e função da temperatura ambiente.

Também a prática de exercício físico no exterior deve inspirar muitos cuidados, já os grupos mais vulneráveis, nomeadamente crianças, idosos e outros com doenças crónicas, devem ter especial cuidado nesta época de tempo frio.

Outro dos conselhos passa por ter «especial atenção com a proteção em termos de vestuário por parte de trabalhadores que exerçam a sua atividade no exterior», evitando ainda «esforços excessivos resultantes dessa atividade».

A ANEPC recomenda também a proteção das extremidades do corpo, através de luvas, gorros e meias, bem como a utilização de calçado quente e antiderrapante. Para além disso, é também recomendável o consumo de sopas e bebidas quentes, evitando o álcool.

Aprovada a implementação dos cinco comandos regionais de emergência e proteção civil

Foi aprovado e publicado recentemente em Diário da República, e assinado pela secretária de Estado da Administração Interna, Patrícia Gaspar, define a forma de implementação dos cinco comandos regionais de emergência e proteção civil, designadamente a localização, identifica os espaços que lhes serão afetos e assegura o exercício dos cargos de comandante regional e segundo comandante regional.

Ainda este despacho estabelece as condições de instalação e funcionamento de cinco comandos regionais de emergência e proteção civil , passando a funcionar o novo modelo territorial do sistema de proteção civil.

A criação dos cinco comandos regionais de emergência e proteção civil estava prevista na nova lei orgânica da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), que entrou em vigor em abril de 2019.

Além dos cinco comandos regionais, a lei orgânica da ANEPC estabelece também a criação de 23 comandos sub-regionais de emergência e proteção civil em vez dos atuais comandos distritais de operações e socorro (CDOS), tendo ficado decidido que a entrada em funcionamentos destas duas estruturas seria de forma faseada, definida por despacho do membro do Governo responsável pela área da administração interna.

Fonte do Ministério da Administração Interna referiu à agência Lusa que este despacho entrou em vigor este sábado e até ao final do ano esta estrutura regional vai estar operacional e com os comandantes nomeados.

De acordo com o despacho, o Comando Regional do Norte vai ficar localizado em Vila Real, o Comando Regional do Centro fica em Viseu, o Comando Regional de Lisboa e Vale do Tejo em Almeirim, o Comando Regional do Alentejo em Évora e o Comando Regional do Algarve em Loulé.

“Agora a  instalação dos comandos sub-regionais de emergência e proteção civil é feita em data posterior, mantendo-se em funcionamento os comandos distritais de operações de socorro (CDOS)”, como refere o despacho.

Fonte:Bombeiros.pt