Início » Tag Archives: Rede das Aldeias Históricas de Portugal

Tag Archives: Rede das Aldeias Históricas de Portugal

Aldeias Históricas de Portugal dão inspiração aos espanhóis

Um grupo de representantes de várias localidades históricas da província de Badajoz (Espanha) visitou as Aldeias Históricas de Portugal, com o objetivo de adquirir conhecimento sobre a sua abordagem de desenvolvimento territorial, de modo a criar uma rede de 12 Conjuntos Históricos na província de Badajoz.

Rede das Aldeias Históricas de Portugal tem sido cada vez mais procurada como exemplo de boas práticas, tanto no plano nacional como internacional. Depois de, em novembro de 2018, ter sido o primeiro destino em rede – a nível mundial –, a receber o certificado BIOSPHERE DESTINATION, em junho de 2019 acolheu o 1.º encontro de técnicos de turismo da CPLP – Comunidade de Países de Língua Portuguesa, que veio conhecer o projeto da Rede como exemplo de boas práticas na recuperação de património. Em janeiro de 2020, a Rede das Aldeias Históricas de Portugal tornou-se o primeiro território português a liderar a comunidade internacional de Destinos Turísticos Sustentáveis.

Esta semana, as Aldeias Históricas de Portugal receberam a visita de uma comitiva de representantes de várias localidades históricas da província de Badajoz (Espanha), cujo objetivo é conhecer a sua metodologia de trabalho, com vista a criar uma rede de 12 Conjuntos Históricos na Província de Badajoz, ao abrigo do projeto de Cooperação Transfronteiriça GLOBALTUR-EUROACE. Marcam presença, entre vários autarcas e deputados, o Deputado de Turismo de Província de Badajoz.

Nesta visita, a Rede das Aldeias Históricas de Portugal deu a conhecer, à Diputación de Badajoz, a sua estratégia de desenvolvimento territorial, onde se enquadram o vasto património histórico-cultural, a gastronomia, os vinhos, a natureza, os costumes e tradições, e a promoção de “um destino que são 12”, sem igual em todo o mundo, servindo assim de exemplo para os seus congéneres espanhóis.

Sobre a visita, Gonzalo de la Granja Villoslada, Consultor de Turismo do Ayuntamiento de Olivenza, comentou que “o projeto tem um atrativo social, económico e turístico muito interessante. É notório o potencial de todas as Aldeias Históricas que visitámos, assim como o envolvimento de projetos públicos e privados. É impressionante também o profissionalismo de todos os setores aliados ao turismo. A informação, para o turista, está desde logo acessível. Nota-se uma grande aposta a nível tecnológico. Agora, com o que aprendemos, vamos criar a base para o nosso projeto”.

Já Joaquina Hernández, Técnica Consultora da Magnus Nature, disse que “as Aldeias Históricas de Portugal, para nós, são um exemplo magnífico, fantástico, de trabalho em rede, que envolve o desenvolvimento turístico, da comunidade, das empresas, a sustentabilidade, e sobretudo a economia, em territórios despovoados. São modelos de sucesso. Nesta visita, aprendemos muito. As Aldeias Históricas de Portugal são especialistas a trabalhar em rede, algo que não é fácil, pois é preciso envolver municípios, comunidades e empresas. As Aldeias Históricas de Portugal mostram um imenso profissionalismo em todo o seu trabalho e provam que tudo é possível”.

María Soledad López, Técnica de Turismo da Diputación de Badajoz, explicou que “queremos criar uma rede com os 12 Conjuntos Históricos na Província de Badajoz, e para isso escolhemos o modelo de sucesso das Aldeias Históricas de Portugal para nos inspirarmos. As Aldeias Históricas de Portugal são uma referência no turismo rural, e um exemplo que queremos imitar”.

As Aldeias Históricas de Portugal são o primeiro destino em rede – à escala mundial –, e o primeiro destino nacional a receber a certificação BIOSPHERE DESTINATION.

A Grande Rota das Aldeias Históricas de Portugal (GR22) é a maior rota europeia para caminhadas com selo Leading Quality Trails – Best of Europe, entregue pela European Ramblers Association (Associação Europeia de Caminhada).

Aldeias Históricas de Portugal promovem destino turístico sustentável na FITUR

De 22 a 26 de janeiro, a Rede das Aldeias Históricas de Portugal marca presença na Feira Internacional de Turismo (FITUR), em Madrid. O objetivo é apresentar a mercados, profissionais e público geral “um destino que são 12”, com certificado BIOSPHERE DESTINATION, que se destaca pela comunhão com a natureza e contacto com a cultura e costumes locais.
Entre castelos e lendas, sabores e tradições únicas, natureza em estado puro e paisagens a perder de vista, as Aldeias Históricas de Portugal são “um destino que são 12” sem igual em todo o mundo. Um território ímpar, que promove experiências únicas e adequadas a famílias ou aventureiros, amantes de História, gastronomia e enoturismo, ou viajantes em busca de tranquilidade, que a Rede vai promover à 40.ª edição da Feira Internacional de Turismo (FITUR), que decorre de 22 a 26 de janeiro em Madrid.

A cerca de 100 km de Salamanca, 200 km de Cáceres e 300 km de Madrid, as Aldeias Históricas de Portugal são um destino muito apelativo para o mercado espanhol – um dos motivos para a presença da Rede na FITUR. Mas tratando-se de uma das maiores feiras internacionais de turismo, espera-se a participação de mais de 10 mil empresas de 165 países e regiões, 150 mil profissionais e 110 mil visitantes de público geral. Deste modo, a aposta na FITUR, onde a Rede das Aldeias Históricas de Portugal estará presente com stand próprio com cerca de 30m2, no Pavilhão 4, está em linha com a estratégia de internacionalização do destino.

Apresentar um destino turístico sustentável é um dos objetivos. Distinguido com o certificado BIOSPHERE DESTINATION – o primeiro destino em rede, no mundo, e o primeiro a nível nacional a receber esta distinção –, a sustentabilidade, a preservação da natureza e dos costumes das comunidades locais são prioridades da Rede das Aldeias Históricas de Portugal.

Devido a esse compromisso, descobrir as Aldeias Históricas de Portugal a pé ou de bicicleta, numa lógica de locomoção suave, e em plena comunhão com a natureza, é um dos principais atrativos deste destino. E é muito fácil fazê-lo, graças à Grande Rota das Aldeias Históricas de Portugal (GR22), que liga as 12 Aldeias Históricas de Portugal num percurso circular de cerca de 600 km, com sinalética interpretativa, informativa e de orientação recentemente renovada.

De facto, a GR22 tornou-se recentemente a maior rota europeia com selo Leading Quality Trails, atribuído pela European Ramblers Association (Associação Europeia de Caminhada).

A GR22 é também um convite irresistível para os aventureiros em duas rodas: homologada e classificada como Grande Travessia a nível nacional, a GR22 dispõe ao longo da sua extensão de uma rede de Centros BTT e Bikotels que garantem serviços de apoio exigidos pelos amantes de bicicletas.

O imenso território das Aldeias Históricas de Portugal envolve, ainda, 15 percursos de pequena rota (PRs), homologados e associados às 12 aldeias.

A Rede das Aldeias Históricas de Portugal vai também apresentar, na FITUR, eventos como o “Ciclo 12 em Rede – Aldeias em Festa 2020”, que todos os anos leva animação e cultura às 12 Aldeias Históricas de Portugal, assim como a nova edição “The Castles Quest”, um desafio em duas rodas que leva os amantes de “bikepacking” à conquista das Aldeias Históricas de Portugal, que este ano acontece de 23 de setembro a 3 de outubro, com início na Aldeia Histórica de Castelo Novo.

Almeida recria as Bodas Reais de D. Maria I e D. Pedro de Bragança

“D. Maria, a Princesa, Vai Casar” é o tema do décimo primeiro e penúltimo evento do Ciclo “12 em Rede – Aldeias em Festa”, promovido pela Rede das Aldeias Históricas de Portugal, que chega à vila e Aldeia Histórica de Almeida nos dias 29 e 30 de novembro.

Uma festa que promete grandes emoções, graças a um programa que inclui bailes de época, workshops de construção de fantoches, gastronomia, música, visitas guiadas temáticas, e até subidas de balão de ar quente – para contemplar, em todo o seu esplendor, o magnífico desenho poligonal das fortificações da Aldeia Histórica de Almeida.

A Aldeia Histórica de Almeida recria, assim, as Bodas Reais de D. Maria I e D. Pedro de Bragança, quando a sua função militar e utilitária passou para segundo plano, transformando-se num palco de demonstração do espetacular jogo barroco, dramático, sonoro, efémero e luminoso. Uma festa que conhecemos apenas pelas páginas dos livros de História, e que ganha vida em dois dias de grande festa e animação.

Com um extenso e diversificado programa para todas as idades, com entrada gratuita, a Aldeia Histórica de Almeida convida habitantes e participantes a participar nos vários momentos da festa “D. Maria, a Princesa, Vai Casar”. Uma forma muito divertida de descobrir esta Aldeia Histórica e as suas origens, assim como os seus costumes e tradições.

Em suma, dois dias imperdíveis na Aldeia Histórica de Almeida, para que todos regressem a casa de coração cheio de momentos inesquecíveis!

Todas as atividades são gratuitas, mas algumas são de inscrição limitada e são sujeitas a marcação prévia, através do telefone 271 571 229, ou do telemóvel 939 612 622, ou ainda do e-mail museu.militar@cm-almeida.pt.

Este evento é promovido pela Associação de Desenvolvimento Turístico Aldeias Históricas de Portugal, numa organização do Município de Almeida. Uma iniciativa apoiada pelo Centro 2020, Portugal 2020 e União Europeia através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.

A festa só acaba em dezembro!

O ciclo “12 em rede | Aldeias em Festa 2019” só termina em dezembro! Depois de Almeida, a festa segue para Belmonte, de 27 a 30 de dezembro.

Fotos:Aldeias Históricas de Portugal