Início » Tag Archives: reunião

Tag Archives: reunião

Ministra da Administração Interna reuniu com associações socioprofissionais da GNR e sindicatos da PSP

A Ministra da Administração Interna, Margarida Blasco, ouviu, em separado, as associações socioprofissionais da GNR, às 16h30 e, pelas 18h30, os sindicatos da PSP. Nas instalações do Ministério da Administração Interna, no Terreiro do Paço, foram recebidos elementos representantes das seguintes forças de segurança: APG/GNR; ANSG Associação Nacional de Sargentos da Guarda; ASPIG Associação Sócio Profissional Independente da Guarda; ANAG Associação Nacional Autónoma da Guarda; ANOG Associação Nacional de Oficiais da Guarda; Associação Sindical dos Profissionais da Polícia; Sindicato Independente dos Agentes de Polícia; Sindicato dos Profissionais de Polícia, Sindicato Nacional da Carreira de Chefes; Sindicato Nacional de Oficiais de Polícia; Sindicato Nacional da Polícia.

Durante estas primeiras reuniões foi apresentada a proposta de protocolo negocial e as respetivas matérias a negociar assumindo, deste logo, o compromisso de apresentação da proposta inicial por parte do Ministério da Administração Interna já nas próximas reuniões agendadas para dia 2 de maio.

Dar boa nota que estas reuniões decorreram com abertura de discussão, boa-fé e responsabilidade entre as partes.

Trancoso reuniu várias entidades do concelho em debate

O auditório do Pavilhão Multiusos, em Trancoso, acolheu uma reunião de trabalho onde foram abordados os seguintes temas, Programa Aldeia Segura – Pessoas Seguras, Operação Floresta Segura 2024, Vespa Velutina (vespa asiática), Animais Errantes e Toponímia e números de polícia.
Sob moderação do  Presidente do Município de Trancoso, Amílcar Salvador, a reunião contou, entre outros, com a presença de representantes das seguintes entidades: Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil, Guarda Nacional Republicana, Corporação dos Bombeiros Voluntários de Trancoso e de Vila Franca das Naves, Presidentes das Uniões e Juntas de Freguesia do Concelho, Oficiais de Segurança Locais e CTT.
Fonte:MT

Figueira de Castelo Rodrigo acolheu reunião do Conselho Intermunicipal da CIMBSE

Teve lugar , no Salão Nobre dos Paços do Concelho de Figueira de Castelo Rodrigo, a reunião do Conselho Intermunicipal da Comunidade Intermunicipal das Beiras e Serra da Estrela (CIMBSE) ,com a presença dos autarcas que compõem a mesma.
Esta foi uma reunião que esteve presente o Presidente do Turismo Centro de Portugal, Raul Almeida, onde apresentou o Plano Estratégico do Turismo Sustentável do Centro 2030.

fonte:MFCR

Porto acolheu reunião das Associações Distritais de Futebol

A Associação de Futebol da Guarda esteve representada pelo presidente da direção, Amadeu Poço, e pelo o vice-presidente, Paulo Menano, já a Associação Futebol de Viseu pelo presidente José Carlos Lopes.

A Comissão Coordenadora da Mesa do Plenário das Associações Distritais e Regionais de Futebol promoveu, no passado sábado , no Auditório da sede da Associação de Futebol do Porto, mais uma jornada de trabalho descentralizada em nome da atividade não profissional desenvolvida pelos clubes de futebol, futsal e futebol de praia.

Em jeito de balanço ao encontro institucional dedicado às 22 Associações Distritais e Regionais de Futebol (ADR), António José da Silva, Presidente da Comissão Coordenadora da Mesa do Plenário, não hesitou em salientar uma iniciativa de particular importância:

“As ADR congratularam-se com a implementação, por parte da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), de um apoio que vai permitir aos clubes amenizarem os custos com os seguros desportivos, os quais evidenciaram este ano aumentos muito significativos”.

O dirigente associativo, líder diretivo da AF Vila Real, reconheceu que “este apoio federativo, destinado aos escalões formativos no masculino, depois de semelhante iniciativa reservada ao feminino, assume-se como “mais um incentivo muito importante para os nossos clubes e para a continuidade do fomento das respetivas atividades, contribuindo para a tendência de crescimento do número de praticantes”.

António José da Silva realçou, igualmente, o facto de a FPF ter reajustado o apoio às ADR no âmbito das participações nos torneios interassociações, eventos que concentram, cada vez, mais atenções naquilo que é o desenvolvimento e projeção de talento dos jogadores jovens”.

Assuntos destacados pelo presidente da Comissão Coordenadora da Mesa do Plenário das ADR, que agradeceu “a forma calorosa como a Associação de Futebol do Porto, na pessoa do seu presidente José Manuel Neves, acolheu a realização do evento, proporcionando todas as condições necessárias para o efeito”. “Como presidente da AF Porto é um prazer receber-vos nesta casa”, afirmou o líder diretivo da associação de futebol portuense, numa saudação de boas-vindas aos dirigentes representantes das entidades congéneres.

No final do encontro, reforçando o contentamento institucional por receber mais uma reunião da Mesa do Plenário das Associações Distritais e Regionais de Futebol, José Manuel Neves não hesitou em reconhecer que “esta foi mais foi uma reunião produtiva resolvendo problemas que são comuns a todo o movimento associativo”, salientou.

“Como sempre, as portas da Associação de Futebol do Porto mantêm-se abertas para aquilo que entenderem como conveniente”, afirmou o presidente da instituição anfitriã da mais recente reunião plenária das ADR.

Por:AFG

Castelo Branco acolheu reunião das Associações Distritais

As Associações Distritais e Regionais de Futebol (ADR) reunidas, neste sábado (dia16), numa unidade hoteleira, nas Termas de Monfortinho, em Idanha-a-Nova, Castelo Branco, evidenciaram uma forte preocupação com o cenário de aumento exponencial de custos para os clubes e praticantes inerentes à atividade do futebol e do futsal no nosso país, nomeadamente nos patamares etários mais baixos. A Associação de Futebol da Guarda esteve representada pelo presidente da direção, Amadeu Poço, e pelo o vice-presidente, Paulo Menano, já a AF Viseu, esteve representada pelo seu presidente, José Carlos Lopes.

No âmbito da mais recente reunião da Mesa do Plenário, na qual foi aprovado por unanimidade um Voto de Louvor à Seleção Nacional de Futsal Sub 19, pela conquista do inédito título de Campeã da Europa, os dirigentes das ADR manifestaram, vivamente, naturais preocupações sobre uma realidade que pode vir a comprometer seriamente a evolução positiva do número de praticantes.

António José da Silva, Presidente da Comissão Coordenadora da Mesa do Plenário das ADR e líder diretivo da Associação de Futebol de Vila Real, assumiu que “perante o cenário de aumento generalizado do custo de vida, em que os preços de bens essenciais e serviços têm disparado, o incentivo, desenvolvimento e crescimento da prática desportiva através dos clubes do futebol e futsal podem estar seriamente comprometidos, sendo os aumentos consideráveis nos seguros desportivos um factor que motiva preocupação acrescida”, apontou.

“As ADR e os respetivos clubes, na sequência das dificuldades sentidas no período pandémico, deram um contributo determinante para aquilo que foi o registo recorde do número de praticantes filiados na Federação Portuguesa de Futebol na última época. Contudo, os aumentos incomportáveis que foram avançados pelas seguradoras deixam antever um forte revés na tendência positiva da prática desportiva, nomeadamente nos escalões formativos, que são, afinal, a base da pirâmide”, alertou o dirigente associativo.

“Entendemos que é essencial uniformizar os custos dos seguros desportivos”, salientou o dirigente lembrando, igualmente a “necessidade de se promover regulamentação legislativa sobre este âmbito”, num desafio que deverá ser partilhado pelo Estado, Federação e ADR.

Refira-se que os seguros desportivos foi um dos assuntos debatidos e que constaram da ordem de trabalhos da reunião plenária dedicada às 22 associações distritais e regionais de futebol, que desta vez teve como anfitriã a congénere albicastrense, à qual António Marques da Silva agradeceu pelo convite para a realização da jornada de trabalho, na qual ficou bem patente “a hospitalidade e colaboração na organização do evento institucional.

A reunião plenária das ADR foi igualmente saudada pelo Presidente da Câmara Municipal de Idanha-a-Nova, Armindo Jacinto, que fez questão de marcar presença na sessão de encerramento do encontro dirigindo palavras de reconhecimento aos dirigentes associativos pelo trabalho desenvolvido em nome do futebol não profissional do nosso país.

Para o Presidente da Associação de Futebol de Castelo Branco, Manuel Candeias, enaltecendo a significativa presença dos dirigentes das associações congéneres, a quem saudou, “o encontro onde foram discutidos assuntos de interesse comum foi muito produtivo, pelo que o balanço foi bastante positivo”.

Na qualidade de anfitrião, o dirigente da associação albicastrense realçou a importância da reunião plenária acontecer no distrito, cerca de dois meses após a organização do Torneio Lopes da Silva 2023, em conjunto com a AF Guarda. “São eventos que reforçam a promoção do futebol e que muito prestigiam a nossa região”, tal como foi a XII Gala da AF Castelo Branco, na qual foram entregues mais de 40 taças e troféus às várias personalidades – treinadores e atletas – que mais se distinguiram na época 2022/2023, numa grande festa celebrada na véspera do encontro de trabalho das ADR

Novas aprovações em Pinhel pelo executivo municipal

Na manhã desta quinta-feira, o Executivo Municipal de Pinhel reuniu e foi aprovada a delegação de competências do Município de Pinhel para a abertura de procedimento de contratação para fornecimento de energia elétrica (vários lotes) através de concurso público a desenvolver pela ENERAREA – Agência Regional de Energia e Ambiente do Interior.

Destaque ainda para a aprovação do relatório preliminar referente à decisão de contratar um empréstimo de médio e longo prazo destinado a suportar a componente nacional das obras em curso na cidade: Centro Intermodal com ponto de Interface entre Parque TIR e Mobilidade Pedonal de Pinhel, 2ª Fase da Reabilitação do Parque Municipal da Trincheira e Falcoaria.

Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) reage em comunicado

O Conselho Permanente da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) dedicou a sua reunião de hoje a dar seguimento ao processo de reflexão, discernimento e ações em curso, a partir da primeira reunião conjunta dos Bispos portugueses realizada após a apresentação do Relatório Final da Comissão Independente para o Estudo dos Abusos Sexuais da Igreja Católica em Portugal.

2. As vítimas de abusos sexuais na Igreja Católica em Portugal continuam a ser a nossa prioridade em todo este processo. Reafirmamos a nossa disponibilidade para acolher e escutar as vítimas que o desejarem e mantemos o firme compromisso de assumir as nossas responsabilidades e disponibilizar às vítimas todas as ajudas necessárias para o seu acompanhamento espiritual, psicológico e psiquiátrico, e outras formas de reparação do crime cometido.

3. Estamos a encetar contactos para a criação de um grupo responsável pelo acolhimento e acompanhamento das vítimas. Este grupo operativo, com carácter de autonomia, constituído por pessoas que garantam credibilidade e confiança perante as vítimas, será articulado com a Equipa de Coordenação Nacional e com as Comissões Diocesanas de Proteção de Menores e Adultos Vulneráveis.

4. Reconhecemos o trabalho realizado pelos Bispos e Administradores diocesanos em relação aos suspeitos de abusos, nomeadamente quanto à identificação de situações ainda não esclarecidas, com a ajuda da ex-Comissão Independente e do Grupo de Investigação Histórica dos arquivos. Quando for entregue em finais de abril à Conferência dos Institutos Religiosos de Portugal (CIRP), a lista com os nomes dos alegados abusadores relativos aos Institutos de Vida Consagrada terá o devido seguimento por parte dos Superiores Maiores das congregações.

5. No decorrer da nossa reunião contámos com a presença online de alguns membros da ex-Comissão Independente para consolidar o trabalho conjunto que tem sido feito com as Dioceses e os Institutos de Vida Consagrada. Renovamos a nossa gratidão pelo trabalho que foi desenvolvido e que tem permitido cruzar informações entre os testemunhos das vítimas e os dados dos arquivos para determinar eventuais responsabilidades e o tipo de abusos cometidos, de modo a adotar as medidas necessárias.

6. As Diretrizes da Conferência Episcopal Portuguesa sobre o abuso de menores e adultos vulneráveis estão a ser revistas tendo em conta as sugestões e recomendações do Relatório Final, à luz do manual de procedimentos (Vademecum) da Santa Sé, revisto em junho de 2022, o qual define o tratamento destes casos e que é seguido por todos os responsáveis eclesiásticos.

7. A “tolerância zero” perante as situações de abusos é assumida pela Conferência Episcopal Portuguesa, respeitando a autonomia de cada Diocese que faz parte da identidade e da presença da Igreja Católica em cada país, também o nosso, onde queremos dar continuidade à missão evangelizadora da Igreja.

8. As Comissões Diocesanas de Proteção de Menores e Adultos Vulneráveis, criadas por determinação do Papa Francisco, estão já em processo de reestruturação e serão constituídas por leigos com competências profissionais necessárias à sua atuação. A par da Equipa de Coordenação Nacional destas comissões, estas são organismos da Igreja em Portugal cada vez mais capacitadas para o adequado tratamento da problemática dos abusos de menores, e com as quais continuamos a contar para implementar políticas de formação, prevenção e acompanhamento, contribuindo para um ambiente mais seguro nos espaços eclesiais.

9. A reações dos católicos e de outros membros da sociedade portuguesa às decisões tomadas na Assembleia Plenária extraordinária de 3 de março foram também alvo da nossa reflexão. Gostaríamos de agradecer e dizer que valorizamos o escrutínio público. Estamos totalmente disponíveis para caminhar com toda a sociedade na erradicação do drama dos abusos sobre menores, no apoio permanente às vítimas e no julgamento dos agressores. Lamentamos que, diante da complexidade do tema, nem sempre tenhamos comunicado as nossas intenções com clareza.

10. Acreditamos que estamos num ponto sem retorno e continuaremos a trabalhar, dando atenção aos muitos indicadores que estão presentes no Relatório Final. O caminho que a Igreja em Portugal está a percorrer, seguindo os passos de um processo que o Papa Francisco indicou para toda a Igreja e que tem por objetivo essencial proteger as vítimas e garantir a segurança e confiança nos ambientes da Igreja Católica, abre portas à esperança e ao compromisso para que comportamentos e atitudes do passado não se voltem a repetir. Entre outros gestos, mantemos o propósito de realizar um memorial e uma jornada nacional de oração pelas vítimas de “abusos sexuais, de poder e de consciência na Igreja” (Papa Francisco) no dia 20 de abril.

Nelas acolheu reunião com a Comissão Municipal de Gestão Integrada de Fogos Rurais (CMGIFR)

O Salão Nobre dos Paços do Concelho de Nelas acolheu uma reunião de trabalho da Comissão Municipal de Gestão Integrada de Fogos Rurais (CMGIFR), onde se procedeu à avaliação e balanço da época de incêndios florestais do ano que está a findar e, simultaneamente, à identificação das principais necessidades neste âmbito, nomeadamente Faixas de Gestão de Combustível, pontos de água, patrulhamento, manutenção e beneficiação de caminhos agrícolas/florestais e fogo controlado, de forma a que se possam garantir prontas e eficazes respostas no próximo ano de 2023, na segurança dos munícipes e bens, evitando ao máximo o flagelo dos incêndios.
A reunião foi presidida por Joaquim Amaral, Presidente da Câmara Municipal de Nelas, e estiveram presentes Pedro Pinto, 2º Comandante dos Bombeiros Voluntários de Canas de Senhorim, Filipe Guilherme, Comandante dos Bombeiros Voluntários de Nelas, Fernando Antunes, Comandante da Guarda Nacional Republicana, António Silva, Presidente da Junta de Freguesia de Senhorim, Nuno Pereira, Presidente da Junta de Freguesia de Canas de Senhorim e Rui Ventura, do Instituto de Conservação da Natureza e das Florestas.
Após ouvir os contributos e respetivas sugestões de melhoria dos elementos da Comissão, o Presidente da Câmara Municipal agradeceu a presença de todos e enalteceu a prontidão dos meios numa resposta eficaz e de sucesso na época de incêndios de 2022, nas operações de combate, vigilância e rescaldo, bem como dos homens que andam na linha da frente e na boa articulação entre as diversas entidades e a Proteção Civil.
Joaquim Amaral agendou também uma visita técnica aos caminhos e pontos de água nas freguesias com os participantes desta reunião, estendendo o convite a todos os Presidentes de Junta, para reconhecimento in loco da realidade e das principais necessidades.

Integração das diversas comunidades em Celorico da Beira

O Salão Nobre dos Paços do Município de Celorico da Beira acolheu uma reunião de trabalho com os elementos da rede social com responsabilidade na integração da população migrante, refugiada e comunidades ciganas e empresários locais que contou com a presença do Presidente da Câmara Municipal de Celorico da Beira, Carlos Ascensão, da Secretária de Estado da Igualdade e Migrações, Isabel Rodrigues e o Vogal do Alto Comissariado para as Migrações José Reis, entre outras entidades convidadas, como os presidentes das Juntas de Freguesias, Bombeiros Voluntários de Celorico da Beira, GNR, Centro Distrital da Segurança Social da Guarda, Aenebeira.

Na presente reunião foi feito um breve enquadramento do território (dando cumprimento ao assunto constante da ordem de trabalhos), foram também apresentados os instrumentos disponíveis para o acolhimento e integração de migrantes, refugiados, assim como das respostas para as comunidades ciganas e por fim a explanação relativamente às políticas nacionais para o acolhimento/integração das comunidades migrantes e a integração das comunidades ciganas, enquanto estratégia do Governo.

FNAM pede agendamento de reunião com o Ministério da Saúde dentro de 15 dias

A Federação Nacional dos Médicos (FNAM), reunida em Conselho Nacional no dia 24 de
setembro, mostrou apreensão com a mantida degradação das condições de trabalho dos
médicos no Serviço Nacional de Saúde (SNS) e com o inaceitável atraso que a nomeação
de uma nova equipa ministerial condiciona na sua resolução.
É urgente que se retome o processo negocial, com o objetivo de rever as grelhas salariais,
discutir novos regimes de trabalho e a valorização do trabalho em serviço de urgência, entre
outras matérias.
Foi já solicitada uma reunião à nova equipa ministerial, sendo opinião do Conselho Nacional
da FNAM que o prazo máximo aceitável para o seu agendamento é de 15 dias.
Foi igualmente aprovada uma moção que exige, entre outras medidas, a imediata revogação
do diploma que permite o exercício das funções de especialista em Medicina Geral e
Familiar por médicos sem especialidade.
Espera-se desta nova equipa ministerial uma demonstração de iniciativa política, que tem
faltado, para melhorar as condições de trabalho dos médicos, na defesa dos doentes e do
SNS.