Templates by BIGtheme NET
Início » Tag Archives: saúde mental

Tag Archives: saúde mental

Saúde Mental em debate na Universidade Católica no Porto

UNUS Católica – Saúde Mental em tempos de pandemia é o tema do Encontro Anual das dioceses do Porto, Coimbra e Vila Real

Dioceses de Coimbra, Porto e Vila Real e Universidade Católica no Porto 

 Saúde Mental em tempos de pandemia é o tema do Encontro Anual de três Dioceses com a Universidade Católica no Porto​. UNUS Católica no Porto é o nome do encontro anual que se realiza há 4 anos com a participação dos padres da Diocese do Porto, tendo-se estendido em 2021 aos padres da Diocese de Vila Real e em 2022 contará também com os padres da Diocese de Coimbra. O encontro realiza-se a 20 de janeiro e este ano tem como tema “Saúde Mental em tempos de pandemia”. 

Durante uma manhã, académicos e párocos irão debater temas como a “Prestação de cuidados a idosos: Avaliação de necessidades de saúde mental no contexto da pandemia por Covid-19”; a “Saúde Mental em Crianças e Jovens Portugueses em Acolhimento Residencial”; a Hospitalidade para todos, a “CUP: Clínica Universitária de Psicologia da Católica no Porto”. De realçar que a 10 de outubro de 2021 o Papa Francisco assinalou o “Dia Mundial da Saúde Mental” de forma a lembrar o sofrimento das famílias e de todas as pessoas que sofrem com este problema.

Isabel Braga da Cruz, presidente da Católica no Porto, explica que “o encontro pretende contribuir com o conhecimento e atividades das suas diferentes Faculdades para fortalecer a reflexão e partilha sobre temáticas atuais que poderão auxiliar à atividade pastoral desenvolvida pela Igreja”. É um Encontro que permitirá “a representação da unidade que a Universidade quer ter com a mesma Igreja que todos servimos. Todos somos UM(A),” conclui.

UNUS | Católica no Porto ao encontro dos Padres das Dioceses de Coimbra, Porto e Vila Real realiza-se a 20 de janeiro, a partir das 10h30, em modelo híbrido. Na abertura estará Isabel Braga da Cruz, presidente da Católica no Porto, e o encerramento estará a cargo dos Bispos das Dioceses de Coimbra, Porto e Vila Real.

Guia de “Como lidar com a Ansiedade” apresentado pelo Município de Mangualde

A grande prioridade do Município de Mangualde tem a com a promoção de melhores condições de vida e responder às necessidades dos mangualdenses é a prioridade para a Câmara Municipal de Mangualde. Devido ao isolamento social, a saúde mental tem vindo a desenvolver um papel essencial na sociedade. Consciente das consequências que esta situação pandémica trará para o futuro, pondo em causa a saúde mental, o Gabinete de Psicologia do município elaborou um guia para apoiar e alertar para esta problemática, a ansiedade.

A saúde mental gerada pelos momentos que estamos a viver pode gerar ansiedade, pânico, medos, depressão e outras doenças associadas e poderão ter um agravamento nos próximos tempos. Devemos estar em alerta. O guia não dispensa uma consulta ao médico, ao psicólogo ou ao psiquiatra, mas pode alertar para determinados sintomas que as pessoas possam desconhecer e pode ser o primeiro passo para a ajuda. Para além disso, integrado no Plano de Apoio Municipal – Estamos juntos, damos a conhecer o nosso número de apoio psicológico do Município de Mangualde, a Drª Lúcia Amaral.” Afirma Maria José Coelho, vereadora da Câmara Municipal de Mangualde.

Pequenos gestos podem fazer a diferença, no guia disponibilizado no site do município, pode encontrar medidas de diagnostico e ajuda para esta fase mais complexa. Encare o futuro de forma positiva, procure realizar as coisas que mais gosta e cuide de si. Pode consultar o documento na integra através do site oficial do Município (https://www.cmmangualde.pt/utilizar-a-ansiedade-a-seu-favor).

Se sentir que os seus sintomas de ansiedade persistem não hesite em contactar a Linha de Apoio Psicológico do Município de Mangualde 969028411- Dra. Lúcia Amaral.

Artigo de Opinião- Hipnose Clínica um alelo da saúde mental em plena pandemia

 

A resposta comportamental do Ser Humano volve ao redor dos hábitos. E quando questionamos o outro: “Como está?” ou “Como vai?”; sempre escutamos a mesma resposta “Vai-se andando” ou “Vai-se empurrando”, uma explicação imposta pela máscara social que outrora era usada como mecanismo de defesa para não expor as próprias fraquezas.

Agora, e sem precedentes, a realidade despe a invisibilidade vestindo-se de um pedaço de pano em jeito de mordaça e, que apesar de salvaguardar um bem maior, vai cercando o nosso rosto, os nossos sonhos e, desejos numa constante lembrança de incerteza, silenciando o que nos vai na alma. O toque deixou a nossa rotina, assim como o sorriso que se tornou refém do jogo das escondidas, imposto pelas palavras confinamento e desconfinamento. Atualmente, só o olhar e as palavras servem de estibordo para afagar a liberdade e consolar a ânimo.

Esta marcha lenta e silenciosa de desânimo e de cansaço, poderá refletir no abismo da saúde mental. É necessário alertar, que não é vergonha procurar auxílio técnico e profissional para ajudar a diluir as maleitas do “eu” interior. É premente desenvolver a consciência social que o ser humano é apenas um ser sensível e como tal compreende naturalmente a diversos desafios emocionais.

É neste momento de cuidados redobrados que a Hipnose Clínica poderá servir como esteio na sustentação de uma saúde mental equilibrada.  A terapêutica assente na Hipnoterapia não só permite um estado relaxamento mental e físico, como leva a alterações das várias perceções como por exemplo: sensoriais, intelectuais, memória, atenção e inclusivamente emocionais. A vasta complementaridade de técnicas permite intervir em diversas áreas de perturbações nervosas e emocionais desde a Borderline, TADH, síndrome de pânico, depressão, Transtornos obsessivos compulsivos, perdas emocionais e perturbação do sono. O tratamento permite o acesso ao subconsciente, onde estão depositados os vários sentimentos, emoções, hábitos e memórias, os quais em estado vígil não é possível ajustar ou alterar.

Neste seguimento, a Hipnose Clínica uma válida alternativa a todas as terapias convencionais da saúde mental, pressupondo de igual forma o desenvolvimento do autoconhecimento e, por conseguinte, expandir a capacidade de interagir com o seu próprio eu interior de forma equilibrada e emocionalmente inteligente.

 

Sara Morais

Hipnoterapeuta