Início » Tag Archives: segurança

Tag Archives: segurança

GNR lidera equipa multinacional para formar Forças de Segurança Ucranianas

Portugal, através da Guarda Nacional Republicana, vai destacar a partir de 15 de janeiro de 2024, 4 militares da GNR que vão integrar uma equipa especializada multinacional, sob a égide da Força de Gendarmerie Europeia (EUROGENDFOR), integrada na Missão de Assessoria da União Europeia à Ucrânia, com a missão de formar as forças de segurança ucranianas, proporcionando maior resiliência face aos desafios que o país enfrenta.

A Equipa, liderada por um Oficial da GNR, é composta por 4 elementos de Portugal (GNR), 2 elementos de França (Gendarmerie Nationale), 2 elementos de Espanha (Guardia Civil) e 2 elementos da Lituânia (Viešojo Saugumo Tarnyba).

Terá à sua responsabilidade formar mais de 150 elementos da Polícia e da Guarda Nacional da Ucrânia em Stability Policing – conceito de policiamento mais robusto e flexível, adequado para zonas de elevada instabilidade, afetadas por crises e conflitos, por forma a reforçar as suas capacidades de policiamento, através da implementação de módulos de formação que incluem as seguintes temáticas: o policiamento em áreas de conflito; a segurança e proteção de movimentos; intervenções táticas especiais; sensibilização para o risco de engenhos explosivos; investigação de crimes de guerra e colaboradores; cuidados médicos em ambiente tático; gestão de stress e mitigação de perturbações pós-traumáticas; comunicação e gestão de conflitos; bem como Direitos Humanos e questões de género.

A EUAM Ukraine é uma missão civil, não executiva, criada em 22 de julho de 2014, visando aconselhar os organismos de segurança do Estado ucraniano em matéria de segurança, polícia, sistema judicial, ação penal, luta contra a corrupção e direitos humanos. O seu objetivo global é apoiar a Ucrânia no desenvolvimento de serviços de segurança sustentáveis, responsáveis e eficazes que reforcem o Estado de Direito. Atendendo às circunstâncias atuais, a missão colocou a tónica na assistência fronteiriça, nomeadamente para apoiar os corredores solidários UE-Ucrânia, controlar a criminalidade internacional e auxiliar os serviços de segurança.

A EUROGENDFOR é uma iniciativa multinacional de Estados-Membros da União Europeia, com o objetivo de reforçar as capacidades internacionais de gestão de crises e contribuir para o desenvolvimento da Política Comum de Segurança e Defesa. Criada por Tratado em 2007, a EUROGENDFOR é um instrumento operacional, pré-organizado, robusto e rapidamente projetável, capaz de desempenhar todas as tarefas policiais num cenário de gestão de crises, atuando em ambientes não estabilizados, onde outras forças e serviços de segurança enfrentam sérias dificuldades no desempenho das suas funções. Ao integrar capacidades militares e policiais, as Forças do tipo Gendarmerie dispõem de uma panóplia de competências distintivas e versáteis para situações de gestão de crises, sendo o instrumento mais adequado para realizar tarefas de Stability Policing. A EUROGENDFOR já foi empregue em 16 missões e operações em todo o mundo.

Portugal, através da GNR, colheu o apoio de todos os Estados Membros e forças da EUROGENDFOR para liderar esta missão, face ao reconhecimento internacional da GNR na implementação do Stability Policing em cenários como Timor-Leste, Iraque, Bósnia e Herzegovina, Afeganistão ou Kosovo, bem como pelo histórico de participação da GNR na EUAM Ukraine, desde 2016.

É para a Guarda Nacional Republicana um enorme orgulho representar Portugal nesta missão, através da liderança desta equipa especializada multinacional, bem como da projeção dos militares portugueses que farão parte desta missão.

GNR-Operação de segurança – 84ª Volta a Portugal em bicicleta

Operação de segurança – 84ª Volta a Portugal em bicicleta

A Guarda Nacional Republicana (GNR), entre os dias 9 e 20 de agosto, garante a segurança da 84ª Volta a Portugal em bicicleta, com o empenhamento de militares da valência de trânsito e territorial, de todo o país.

A operação tem como objetivo apoiar e garantir a segurança dos participantes durante as etapas, reforçando ainda o policiamento em todo o seu trajeto. Para garantir a segurança e a acompanhamento da prova foi constituído um Destacamento eventual, composto por 28 militares, que irão acompanhar continuamente um prólogo e 10 etapas, no percurso entre Viseu e Viana do Castelo.

A Volta a Portugal em Bicicleta, considerada a prova rainha do ciclismo português, vai ter a participação 133 ciclistas profissionais que irão competir:

Prólogo (09 de agosto): Viseu – Viseu;

·         1ª etapa (10 de agosto): Anadia – Ourém;

·         2ª etapa (11 de agosto): Abrantes – Vila Franca de Xira;

·         3ª etapa (12 de agosto): Sines – Loulé;

·         4ª etapa (13 de agosto): Estremoz – Castelo Branco;

·         5ª etapa (14 de agosto): Mação – Covilhã (Torre);

·         6ª etapa (15 de agosto): Penamacor – Guarda;

·         7ª etapa (17 de agosto): Torre de Moncorvo – Montalegre;

·         8ª etapa (18 de agosto): Boticas – Fafe;

·         9ª etapa (19 de agosto): Paredes – Mondim de Basto (Senhora da Graça);

·         10ª Contrarrelógio Individual (20 de agosto): Viana do Castelo – Viana do Castelo.

Os motociclistas da Guarda estarão dotados com o novo equipamento de proteção que lhes irá conferir um elevado nível de segurança, mitigando ao máximo a gravidade das consequências em caso de acidente. Com este equipamento de proteção, tecnologicamente evoluído, a Guarda afirma-se como precursora ativa na aplicação de tecnologia de ponta em prol da segurança física dos seus militares que desenvolvem a sua atividade em veículos de duas rodas a motor.

Guarda 21 recebeu Medalha de bronze no Folar Tradicional da Guarda (Recheado)

Aos poucos a empresa Guarda 21 tem-se afirmado no mercado, desde 2015, como uma referência na valorização dos produtos tradicionais e endógenos da região das Beiras e da Guarda em particular.
A juntar aos inúmeros prémios já angariados com doces e compotas, tanto a nível nacional como internacional, recentemente juntaram à medalha de ouro e à medalha Melhor entre os melhores, conseguida com a Bôla Parda Tradicional da Guarda no concurso nacional promovido pelo CNEMA,  a medalha de bronze no concurso nacional, também promovido pelo CNEMA, com o Folar Tradicional da Guarda, recheado com chouriça tradicional da Guarda.
Este prémio vem engrandecer sobremaneira a gastronomia regional da Guarda e a valorização dos saberes e sabores das nossas gentes, um património cultural que nos cumpre, a todos, proteger.

GNR Guarda-Celorico da Beira – Identificado por incêndio florestal

O Comando Territorial da Guarda, através do Núcleo de Proteção Ambiental (NPA) da Guarda, no dia 4 de março, identificou um homem de 49 anos, por suspeita de crime de incêndio florestal, no concelho de Celorico da Beira.

Na sequência de um alerta de incêndio florestal, os militares da Guarda deslocaram-se ao local, tendo apurado que na sua origem esteve uma queima de sobrantes devidamente autorizada, que se descontrolou devido à não adoção das medidas de segurança necessárias. O incêndio consumiu uma área de mato rasteiro e pinhal de aproximadamente 0,27 hectare, colocando em risco a mancha florestal envolvente.

No decorrer das diligências o autor da queima foi constituído arguido e os factos remetidos ao Tribunal Judicial de Celorico da Beira.

A proteção de pessoas e bens, no âmbito dos incêndios rurais, continua a assumir-se como uma das prioridades da GNR, sustentada numa atuação preventiva e num esforço de patrulhamento nas áreas florestais.

A GNR relembra que:

As queimas e queimadas são das principais causas de incêndios em Portugal;
A realização de queimadas, de queima de amontoados e de fogueiras é interdita sempre que se verifique um nível de perigo de incêndio rural «muito elevado» ou «máximo», estando dependente de autorização ou de comunicação prévia noutros períodos;
Para evitar acidentes siga as regras de segurança, esteja sempre acompanhado e leve consigo o telemóvel.

A Guarda Nacional Republicana, através do Serviço da Proteção da Natureza e do Ambiente (SEPNA), tem como preocupação diária a proteção ambiental e dos animais. Para o efeito, poderá ser utilizada a Linha SOS Ambiente e Território (808 200 520) funcionando em permanência para a denúncia de infrações ou esclarecimento de dúvidas.

Prosegur Alarms deixa algumas considerações à comunidade.

Prosegur Alarms deixa algumas considerações à comunidade.

Sofrer um assalto em casa é sempre uma preocupação. Mas existem alguns mitos sobre segurança doméstica e a forma como os assaltantes agem que não correspondem à realidade, gerando um medo sem fundamento e criando preocupações desnecessárias.

Embora os especialistas recomendem sempre um bom sistema de segurança em casa, também há que esclarecer os mitos em torno dos assaltos. A Prosegur Alarms concentrou-se em alguns deles, para que se saiba distinguir entre o que é verdade e o que não é.

A maioria dos assaltos realiza-se aos fins-de-semana. – Como é mais comum passar mais tempo fora de casa aos fins-de-semana, há uma tendência para pensar que estes são também os dias em que os assaltantes têm mais probabilidades de realizar os seus assaltos. No entanto, de acordo com dados da Prosegur Alarms relativos a 2022, os dias da semana em que foram registados mais alertas de assalto nas casas portuguesas foram segunda e quarta-feira.

Os assaltantes só assaltam casas de luxo. – É comum pensar que os criminosos preferem roubar casas mais luxuosas, uma vez que se acredita que é aqui que poderão obter mais lucro. Mas a verdade é que não importa o tipo de habitação ou a área em que se encontra. Segundo dados da Prosegur Alarms, durante 2022, foram registados mais alertas de assaltos em moradias.

O verão é a estação de eleição dos assaltantes. – Embora muitos dos assaltos ocorram quando não há vizinhança ou durante o verão, quando as casas estão mais desprotegidas, os dados da Prosegur Alarms mostram que a estação em que ocorreu a maioria dos assaltos no ano passado foi no inverno, representando uma taxa de 36%.

Os alarmes são fáceis de desativar com inibidores de sinal e são deixados incomunicáveis. – Uma das chaves para garantir a segurança doméstica é ter um alarme que esteja ligado 24 horas por dia, 7 dias por semana, a uma Central Recetora de Alarmes. Mas é verdade que com um inibidor de sinal o sistema de segurança deixa de funcionar e deixa de comunicar com a Central Recetora de Alarmes? Para evitar estes casos, a Prosegur Alarms fornece aos seus clientes um sistema de segurança que possui dois canais de comunicação: a linha GPRS (sistema de comunicação móvel entre um alarme e a Central Recetora de Alarmes) e a linha IP (através do ADSL do cliente). Caso a linha GPRS seja inibida, o alarme continuará a funcionar corretamente, uma vez que o sinal de alarme será enviado através da linha IP, podendo enviar imagens para verificar o incidente e notificar a polícia se necessário.

Os assaltos são cometidos por pessoas desconhecidas. – Muitas vezes pensa-se que apenas estranhos são capazes de invadir as nossas casas. No entanto a Prosegur Alarms adverte que o uso crescente das redes sociais e o conteúdo publicado nas mesmas pode dar pistas às pessoas à nossa volta que não estamos em casa na altura e aproveitar para invadir a nossa privacidade.

Os assaltantes entram na casa pela porta da frente. – Esta afirmação é apenas parcialmente verdadeira. Apesar de muitos assaltantes utilizarem este método, outros entram nas casas através das janelas para que os vizinhos não os possam detetar. Assim, a Prosegur Alarms destaca a importância da integração de detetores magnéticos e de câmaras no sistema de segurança. Os detetores magnéticos são ativados quando uma janela ou porta é aberta e as câmaras são colocadas à entrada da casa para que detetem movimento.

GNR Guarda- Detenções em Foz côa e Seia por violência doméstica

O Comando Territorial da Guarda, através do Núcleo de Investigação e Apoio a Vítimas Específicas (NIAVE) da Guarda e do Posto Territorial de Seia, entre os dias 5 e 8 agosto, deteve três homens, com idades compreendidas entre os 43 e os 66 anos, por violência doméstica em três situações distintas, nos concelhos de Seia e de Vila Nova Foz Côa.

Numa primeira situação e no âmbito de uma investigação por violência doméstica, os militares da Guarda apuraram que o suspeito de 43 anos infligiu  maus-tratos psicológicos e físicos contra a vítima, uma mulher de 39 anos. Perante a gravidade dos factos e a escalada das ameaças, foi dado cumprimento a um mandado de detenção.

No segundo caso, foi possível apurar que o agressor de 66 anos exercia violência física e psicológica sobre a vítima, sua companheira de 63 anos. No seguimento de diligências de inquérito, a Guarda deu cumprimento a um mandado de detenção.

Na terceira situação e no seguimento de denúncia apresentada, os militares da Guarda deslocaram-se de imediato ao local e após diligências apuraram que o suspeito de 56 anos infligia maus-tratos à vítima, uma mulher de 57 anos, tendo sido dado cumprimento a um mandado de detenção fora de flagrante.

Os suspeitos de 43 e 56 anos foram presentes a primeiro interrogatório no Tribunal Judicial de Vila Nova de Foz Côa, onde lhes foi aplicada a medida de coação de proibição de contactar, por qualquer forma ou meio com as vítimas, bem como afastamento das mesmas, não podendo aproximarem-se num raio de 300 metros, com recurso a pulseira eletrónica.

Ao suspeito de 66 anos, após ter sido presente ao Tribunal Judicial de Seia, foi-lhe a aplicada a medida de coação, de obrigatoriedade de tratamento à dependência do álcool e de proibição de contactar, por qualquer forma ou meio com a vítima, bem como afastamento da mesma, não podendo aproximarem-se num raio de 500 metros, controlado por pulseira eletrónica.

A violência doméstica é crime público e denunciar é uma responsabilidade coletiva. Se precisar de ajuda ou tiver conhecimento de alguma situação de violência doméstica participe:

GNR Guarda – Figueira de Castelo Rodrigo – Pulseira eletrónica por violência doméstica

O Comando Territorial da Guarda, através do Posto Territorial de Figueira de Castelo Rodrigo, no dia 2 de agosto, deteve em flagrante um homem de 53 anos por violência doméstica, no concelho de Figueira de Castelo Rodrigo.

Após uma denúncia de violência doméstica, os militares da Guarda deslocaram-se rapidamente para o local onde visualizaram o suspeito a proferir ameaças de morte à vítima, sua companheira de 51 anos, motivo que levou à sua detenção em flagrante.

O detido foi presente no dia 3 de agosto a primeiro interrogatório no Tribunal Judicial de Figueira de Castelo Rodrigo, onde lhe foi aplicada a medida de coação de proibição de contactar, por qualquer forma ou meio, com a vítima, bem como afastamento da mesma, não podendo aproximar-se num raio de 500 metros, controlado com recurso a pulseira eletrónica.

A violência doméstica é crime público e denunciar é uma responsabilidade coletiva. Se precisar de ajuda ou tiver conhecimento de alguma situação de violência doméstica participe:

 

GNR Guarda -Celorico da Beira – Detido por posse de munições proibidas e explosivos

O Comando Territorial da Guarda, através do Núcleo de Investigação Criminal (NIC) da Guarda, no dia 28 de julho, deteve um homem de 60 anos por posse de munições proibidas e explosivos, no concelho de Celorico da Beira.

No seguimento de uma investigação por furtos, que decorria há cerca de dois meses, os militares da Guarda realizaram diligências policiais que permitiram identificar o suspeito. Na sequência da investigação, foi dado cumprimento a um mandado de busca domiciliária, tendo sido apreendido o seguinte material:

  • 1 500 gramas de pólvora 4 F’s;
  • 90 metros de cordão detonante 12g/m (explosivos);
  • 28 metros de cordão lento;
  • 13 stick’s de gelamonite (explosivos);
  • Quatro bombetas de foguete;
  • Diversas munições de variados calibres.

O detido, com antecedentes criminais por ilícitos da mesma natureza, é ainda suspeito de estar envolvido em cinco furtos qualificados ocorridos nos concelhos de Celorico da Beira e Guarda.

Os factos foram remetidos para o Tribunal Judicial de Celorico da Beira, para aplicação das medida de coação.

GNR Guarda-Gouveia, Manteigas, Covilhã – Quatro detidos por tráfico de estupefacientes e posse de munições proibidas

O Comando Territorial da Guarda, através do Núcleo de Investigação Criminal (NIC) da Guarda, ontem, dia 2 de junho, deteve três homens por tráfico de estupefacientes e um homem por posse de munições proibidas, com idades compreendidas entre os 19 e 56 anos, nos concelhos de Gouveia, Manteigas e Covilhã.

No âmbito de uma investigação por crimes de tráfico de estupefacientes, que teve a duração de cerca de um ano, os militares da Guarda realizaram diligências policiais que culminaram com a identificação e detenção dos suspeitos. No seguimento da ação foi dado cumprimento a 12 mandados de busca, nove domiciliárias e três em veículos, onde foi possível apreender o seguinte material:

  • 34 doses de liamba;
  • 24,60 doses de haxixe;
  • 1,8 gramas de cogumelos alucinogénios;
  • Duas armas de caça;
  • 36 munições de calibre 9 mm;
  • Cinco cartuchos carregados com zagalotes (munição proibida);
  • Um cartucho carregado com bala (munição proibida);
  • Quatro balanças de precisão;
  • Oito telemóveis;
  • Vários objetos relacionados com o tráfico de estupefacientes.

Esta ação contou com o reforço de militares do Destacamento de Intervenção (DI) da Guarda, do Destacamento de Trânsito (DT) da Guarda, do Destacamento Territorial da Guarda, da Secção de Prevenção Criminal e Policiamento Comunitário (SPC) da Guarda, do Núcleo de Proteção Ambiental (NPA) da Guarda, do Postos Territoriais da Guarda, do Sabugal, de Celorico da Beira, Pinhel e de Manteigas, e da Estrutura de Investigação Criminal do Comando Territorial da Guarda.

 

Entrega dos dispositivos eletrónicos de teleassistência em Mangualde

O Município de Mangualde, representado pela Vereadora da Ação Social, Maria José Coelho, esteve presente na cerimónia de entrega dos dispositivos eletrónicos de teleassistência aos Municípios aderentes ao Programa E-Guard, que decorreu esta semana, nas instalações do Comando Territorial de Viseu. Este projeto inovador, decorre, na sequência da assinatura de protocolo de parceria com o Comando Distrital da Guarda Nacional Republicana (GNR) e consiste num sistema de teleassistência e monitorização que tem como objetivo proteger os munícipes em situação de dependência, isolamento e sem apoio familiar.

Maria José Coelho congratulou-se com a adesão ao programa, uma vez que o Município tinha já, há alguns anos, a pretensão de promover um projeto que garantisse a permanência em segurança dos idosos no conforto das suas casas, garantindo no seu domicílio um apoio adequado às suas limitações, ao mesmo tempo que desfrutam da proximidade e interação com a comunidade, com o objetivo de promover uma melhoria significativa da sua qualidade de vida, de saúde, segurança e autoestima”.

O Comando Territorial de Viseu afirma tratar-se de um projeto inovador que irá combater o isolamento e a capacitação da população sénior, através da criação de respostas integradas, sobretudo nas componentes fundamentais da saúde e segurança que visa apostar na proximidade ao cidadão e na cooperação e articulação institucional.

E-GUARD

O equipamento associado ao sistema “eGuard” trata-se de um objeto do tamanho de um comando de portão, com apenas um botão que, quando premido durante mais de 3 segundos aciona uma chamada SOS para a GNR.

Este dispositivo poderá ser utilizado caso o idoso presencie ou seja vítima de crime ou de uma situação de perigo ou, no caso, por exemplo, de doença súbita e/ou queda. O utente fica na posse de um equipamento, que pode usar ao pescoço, e que permite comunicar de forma bidirecional, definir um perímetro de segurança e alertar em caso de imobilidade. A sala de situação da GNR recebe os alertas e aciona os meios de socorro. Se os aparelhos se mantiverem inativos por mais de 12 horas, os militares tomam a iniciativa de contactar os idosos sinalizados.

Foto: Mun. Mangualde