Templates by BIGtheme NET
Início » Tag Archives: sergio costa

Tag Archives: sergio costa

Conversa com Sérgio Costa -Candidato independente na Guarda

“Tenho o orgulho de ter contribuído para o seu desenvolvimento nestes últimos anos”

Depois do atual vereador da Câmara da Guarda, Sérgio Costa se demitir da concelhia e de militante do PSD, decidiu avançar como independente para a candidatura ao Município egitaniense, face a isso, fomos conversar com o novo candidato que nos traçou as suas novas metas.

Magazine Serrano (MS)Quais as razões que o levaram à demissão da concelhia do PSD e até mesmo sair de militante do partido e desta forma apresentar uma Candidatura à Câmara da Guarda?

Sérgio Costa (SC) – A Concelhia de que fui orgulhosamente Presidente, era formada pelo grupo de militantes com melhor preparação e que mais experiência detinha em organização política desde sempre na Guarda. Daí a esmagadora vitória que conseguimos na eleição. Fomos a votos e ganhamos com a confiança de quase 400 militantes, que representam a sensibilidade de milhares de pessoas de todo o Concelho da Guarda.

A Sociedade Guardense através de cartas abertas, de Empresários e Empreiteiros, de Presidentes de Junta, demonstraram a sua preocupação sobre a forma errática e cada vez mais desorientada com que a Câmara da Guarda está a ser governada.

Toda a minha vida política respeitei e segui os estatutos das organizações por onde passei.

Mas as cúpulas do PSD tinham outros objetivos.

Não respeitar a vontade expressa dos militantes da Guarda e, além disso, não respeitar o único órgão que tinha legitimidade para propor o candidato do PSD. A Concelhia da Guarda.

Algo vai mal na política quando são os dirigentes máximos que não respeitam os seus órgãos e os seus próprios Estatutos.

Os líderes têm a responsabilidade de zelar pelo cumprimento das regras da sua organização política, de estabelecer pontes e consensos. Quando isso não acontece os partidos ficam mais pobres e sem pessoas e apoiantes.

A decisão Distrital e Nacional sobre o candidato do PSD à Câmara da Guarda, não foi tomada por gentes da Guarda, mas sim por quem não conhece a realidade da Guarda.

Um dia estas elites vão ter de assumir as suas responsabilidades.

O processo de ataque ao poder autárquico na Guarda foi pensado há muitos meses. Quando me foram retirados os pelouros e quando vi a forma pouco institucional e pouco civilizada com que a Presidente da Assembleia Municipal era tratada, percebi o ataque despudorado ao poder por parte de alguém que não foi eleito para Presidente da Câmara, mas sim assumiu o cargo por substituição.

Não há nada nem ninguém que nos impeça de apresentar e defender as nossas ideias para a Guarda!!!

Nunca escondi que servir a Guarda foi sempre o meu anseio e será a Guarda que nos continuará a dar força na nossa ação política e de participação cívica.

Durante a minha vida pública e o exercício de cargos de eleição, sempre coloquei o meu Concelho e as suas Pessoas acima de quaisquer outros interesses. A Guarda foi sempre o principal desígnio e a razão primordial do nosso trabalho.

A política não é um jogo de partidos, nem uma questão que só a eles diz respeito.

Se temos uma ideia de desenvolvimento para o Concelho e projetos que possam melhorar a vida dos nossos conterrâneos, temos a obrigação moral e política de a colocar à discussão na praça pública e posterior votação pelos nossos Conterrâneos.

 

 MS – A Guarda é um grande desafio interessante para o futuro?

SC – Eu não diria apenas interessante, mas sim desafiante e muito promissor.

A Guarda é um território que tem todas as potencialidades para vingar no contexto Nacional e Ibérico. Basta dar condições aos Guardenses e criar condições aos que aqui querem investir para que o desenvolvimento floresça.

Tenho o orgulho de ter contribuído para o seu desenvolvimento nestes últimos anos.

A Guarda está numa encruzilhada! Num momento crítico da sua história!

A “bazuca” europeia será a derradeira oportunidade para salvar a Guarda do destino do despovoamento e da atrofia económica a que o interior foi sujeito nestes últimos anos.

Nos últimos anos conseguiram-se projetar, candidatar e realizar obras que trouxeram à Guarda dezenas de milhões de euros.

O Plano de Recuperação e Resiliência trará em média o dobro dos recursos financeiros provenientes da União Europeia que Portugal usufruiu no presente Quadro de Apoio Financeiro Plurianual.

Esta “bazuca” ou “vitamina” é o derradeiro instrumento que pode alavancar o desenvolvimento da Guarda. Serão cerca de 15 mil milhões de euros em resiliência e transição climática e digital para Portugal. O desafio que teremos forçosamente de vencer será a capacidade de os utilizar, ou seja, a capacidade de concretização de projetos e investimentos.

Mas não podemos ser redutores. A capacidade de fazer obra não se pode reduzir apenas ao betão, o mais importante é sermos capazes de realizar obra na educação, na área social, na economia, na área da saúde, na área da cultura, na área desportiva.

Mobilizando os Guardenses, as nossas Instituições e todas as Associações que estão presentes diariamente no terreno e conhecem a nossa realidade.

 

 

MS – Hoje todo o Concelho desenvolveu e muito potencial tem para o futuro?

Aumentar o emprego e fixar a juventude é uma das prioridades

 

SC – O desenvolvimento da Guarda ainda não é suficiente. A Guarda tem potencial para conseguir muito mais na sua afirmação Regional e Nacional.

Os Guardenses são gente com ambição e desejam muito mais para o seu Concelho.

A nossa fronteira é a única região da Comunidade Europeia que não é um local de maior desenvolvimento, pelo contrário, tem sido sinónimo de empobrecimento e despovoamento.

É fundamental criar e implementar uma estratégia comum de desenvolvimento de toda a Raia Ibérica.

A Guarda poderá ser o laboratório desta nova estratégia, porque temos mercado.

A Guarda tem de se afirmar cada vez mais no Mapa Ibérico e Europeu da Distribuição e Logística.

A Cidade da Guarda conta hoje com uma forte presença de grandes unidades industriais e de logística/ distribuição, vocacionadas para a exportação, sendo dos maiores empregadores privados da Região.

Se aproveitarmos a localização estratégica da Guarda em relação ao País, 200 km ao Porto, Leixões e Valladolid, 150 km a Aveiro e Salamanca, 350 km a Lisboa, Madrid e Vigo e 600 km a Valência, bem como a proximidade à A23, A25 e IP2 a Norte, tal como as Linhas Férreas da Beira Alta e da Beira Baixa e as ligações rodoferroviárias a Espanha, teremos dado um enorme passo.

Estamos numa posição privilegiada que nos coloca numa proximidade ímpar ao mercado Espanhol.

A Comunidade de Castilha e Leon e a sua Capital Salamanca representam um mercado potencial de 2,5 milhões de pessoas segundo os censos de 2014.

E não falando da Comunidade de Madrid que são mais de 6,5 milhões de pessoas a apenas 350 Km da Guarda. Um verdadeiro Mar de Gente à beira da Guarda.

É aqui que tem de haver a concretização e desenvolvimento de um plano nacional de Plataformas Logísticas/ Portos Secos, a começar pela cidade da Guarda. E já tivemos boas notícias sobre o Porto Seco da Guarda. Mas a Guarda merece mais.

No Turismo é fundamental criar um novo acesso à Serra da Estrela a partir de Videmonte, a estrada de acesso ao maciço central, passando a Guarda a ser uma nova porta para a Serra, ajudando a fortalecer o nosso tecido empresarial, potencializando mais investimento no nosso Mundo Rural, aproveitando todas as infraestruturas já existentes ou em construção como os Passadiços do Mondego, a Ecovia do Noéme e outras a construir no futuro, os percursos pedestres, as Praias Fluviais, a boa Gastronomia, o Património Cultural e Religioso, as belas Paisagens e Miradouros, entre outros.

A ampliação da Plataforma Logística e do Parque Industrial da Guarda, bem como a criação de Áreas de Localização Empresarial no nosso Mundo Rural, primordiais para a fixação de pessoas nas nossas Aldeias e Vila, combatendo desta forma o despovoamento a que temos vindo a assistir continuamente nos últimos 20 anos.

Criando muito mais emprego e mais qualificado.

A Concretização da 3ª fase da VICEG, investimento tão desejado há décadas, muito importante nas acessibilidades à Cidade, encurtando a distância entre vários pontos do Concelho, a A25 e a A23, tal como no processo de descarbonização da Cidade da Guarda.

 

MS – A nível de emprego e fixar a juventude são pontos que devem ser prioridade para o futuro?

SC – Aumentar o emprego e fixar a Juventude serão sempre pontos fundamentais da nossa ação e estarão sempre nas nossas prioridades. Mas a Guarda, as suas Empresas e Instituições, começam a sentir a necessidade de atrair mais jovens qualificados para preencher as suas necessidades de oferta de emprego.

Isso só se consegue tornando o nosso Concelho atrativo, criando condições para que a nossa qualidade de vida seja uma mais-valia na possível escolha que uma família faça na decisão de escolher o nosso Concelho para aqui se fixar.

Temos de conseguir inverter a sangria de pessoas das últimas décadas. O despovoamento que a Guarda tem sofrido, tal como outros Concelhos do Interior de Portugal é o nosso derradeiro combate e objetivo fundamental dos próximos anos.

Temos de analisar com atenção e cuidado os próximos Censos e atuar em conformidade.

MS – Esta candidatura pela Guarda de forma Independente terá uma equipa forte para mobilizar a comunidade?

SC – A Guarda conhece-nos! Sabe que a nossa voz esteve sempre presente na defesa intransigente das reais necessidades dos Guardenses.

Na nossa intervenção política sempre afirmámos que a Guarda estaria sempre em primeiro lugar!

Os nossos Concidadãos sabem que continuaremos a defender a Guarda até que a voz nos doa, colocando sempre as Pessoas em primeiro lugar. Trabalharemos com todos e para todos.

Temos uma equipa motivada que já deu provas que Pela Guarda não desiste por muitas dificuldades ou tentativas de calar a nossa voz!

A nossa equipa conhece a Guarda e saberá aproveitar os nossos recursos e irá potenciar ainda mais as nossas virtualidades.

As milhares de mensagens de apoio que recebemos quando anunciámos a criação da Plataforma de Cidadãos Independentes assim o comprovam.

 

MS – Que mensagem deixa a toda a Comunidade Egitaniense nesta altura?

SC – Que dizemos SIM à Guarda. Que necessitamos da ajuda de todos os Guardenses para elevar a Guarda ao patamar que merece. Queremos que os Guardenses participem neste projeto e o considerem como seu. Queremos agregar! Queremos somar!

Todos são importantes! Todos fazem falta à Guarda!

Sérgio Costa apresentou a sua equipa e o seu projeto

A tarde deste sábado foi de apresentação da equipa de Sérgio Costa e da sua equipa à Câmara Municipal da Guarda,assim José Valbom, é o seu Mandatário.

Desta forma, José Rodrigues é o Mandatário da Juventude, Luísa Santos, Mandatária Financeira. José António é o Diretor de Campanha.Depois, António Júlio Aguiar, é o candidato a Presidente da Junta de Freguesia da Guarda.

Já José Relva, é o candidato a Presidente da Assembleia Municipal. depois na lista à Câmara existem Mulheres e aos Homens que o acompanham na lista:

7º- Rosária Santos – Dirigente do Sector Social

6º- António Pereira – Estudante Universitário

5 º- Diana Cruz e Sousa – Médica

4º- Rui Melo – Engenheiro

3 – Amélia Fernandes – Professora – Educação e Ação Social

2 – Diana Monteiro – Gestora Bancária – Economia e Finanças

Depois Sérgio Costa, deixou assim o seu projeto se for eleito com a sua equipa:

Saúde

Muitas têm sido as notícias negativas ao longo da última semana em

torno do nosso Hospital, com acusações entre partidos políticos, entre

Gestores Hospitalares, com promessas e mais promessas, mas até agora

nada.

Na Saúde estamos cansados de ver fugir os serviços e os seus

profissionais quer para o litoral, quer emigrando para a europa.

De ver continuamente o Estado Central a retirar os serviços públicos do

nosso Concelho e até mesmo algumas competências deixando-nos,

Cidadãos Portugueses, entregues a nós próprios.

De sentir na pele a sensação de abandono que o Estado Português nos

provoca todos os dias.

De ver por um “canudo” a tão propalada coesão territorial.

Esse Estado que devia tratar todos por igual e que progressivamente

nos deixa desamparados perante a fatalidade de ser da Guarda e estar

longe de Lisboa ou do litoral.

Vivemos num país cada vez mais desigual! Vivemos cada vez mais num

país injusto! Ler Mais »

Pacto – Geração Economia Guarda 2040 sugerido por Sérgio Costa

Na tarde desta segunda -feira, teve lugar a conferência de imprensa da Plataforma de Cidadãos Independentes liderada por Sérgio Costa solicita que seja feito um pacto pela Guarda, que deixou as seguintes palavras:”As próximas Eleições Autárquicas são a oportunidade dos Guardenses fazerem ouvir a sua voz e a sua vontade na escolha da decisão do caminho que irão trilhar no desenvolvimento que anseiam para o seu Concelho.

É com a sua fundamental participação cívica através do voto que irão cuidar da sua Cidade, Vila e Aldeias. Será cada um deles o juiz do seu, e do nosso futuro.

Cabe aos Candidatos trabalhar com humildade para ganhar a confiança dos eleitores, com as suas propostas e com a sua capacidade de liderança.

Demonstrando a sua vocação consubstanciada na resolução dos problemas dos Guardenses. É chegada a hora de apresentar propostas aos Guardenses.

É chegada a hora de exprimir a nossa opinião e vontade através do nosso voto. Os Guardenses sabem o que querem dos Políticos que vão eleger para os representar: Competência, Trabalho e Decisão.

Todos estamos convocados, todos os Movimentos da Sociedade Civil, todos os Partidos, todas as Instituições, todas as Empresas, todos os Cidadãos.

A Guarda quer gente de pensamento independente de partidos, lobbies ou quaisquer outros interesses. Quer gente que defenda em primeiro e único lugar – A Guarda.

Ao ouvir os Guardenses, tenho constatado que a Guarda quer que os seus responsáveis Políticos se entendam. Que procurem causas comuns. Que
pratiquem o diálogo e a saudável arte do compromisso e da verdade.

A Guarda quer que os seus Políticos se comprometam a assumir a defesa da causa do seu bem comum.

Todos somos poucos e todos temos a obrigação de puxarmos para o mesmo lado, com o grande objetivo da criação de emprego para todos, do aumento da riqueza, do desenvolvimento económico da Guarda.

Os Guardenses querem respeito, valorização do seu território e a qualidade de vida que merecem como Portugueses.

Como Candidato de uma Plataforma Independente, lanço aqui um desafio a todos os Partidos, para atingir o objetivo comum do desenvolvimento da
Guarda. Façamos um Pacto pela Guarda.

Todos os Partidos serão bem-vindos para construir o que a Guarda merece. Tenhamos a coragem de nos unir pela Guarda! Trabalhemos a pensar na Guarda! Esforcemo-nos pelos Guardenses! Falemos a uma só voz, muito para além dos calendários eleitorais! A Economia e o Emprego da Guarda merecem! A Guarda tem de ser pensada com ousadia e projetada para o horizonte de 2040.

As medidas para melhorar a Economia e o Emprego merecem um pacto que permita que em matéria fiscal e apoio ao emprego haja estabilidade.

As medidas económicas e sociais devem ser atrativas e definidas por um período de tempo nunca inferior a 20 anos e estar incluídas em todos os
programas eleitorais dos Candidatos à Câmara Municipal da Guarda.

Deste modo os Guardenses, os Empresários e qualquer outro investidor saberá com o que conta em termos de impostos e apoios municipais para as próximas duas décadas.

A Guarda seria mais atrativa dando condições de estabilidade fiscal e social para que as famílias que aqui decidam viver, tenham emprego e perspetivas de futuro e não vejam os seus filhos migrar para longe.

Por outro lado, há investimentos âncora que todos os Políticos deveriam considerar como estruturantes e fundamentais para o desenvolvimento da
Guarda. E todos juntos seremos poucos a pugnar pela sua concretização”.

Pacto – Geração Economia Guarda 2040.

Deste modo, apresentou algumas medidas e projetos que considera de consenso e que devem ser a base para a discussão do futuro do desenvolvimento da Economia da Guarda.

● Aplicação da taxa mínima de IMI para todas as Empresas.

● Redução em 50 % do custo das taxas de licenciamento urbanístico e de todas as demais taxas administrativas para todas as Empresas.

● Redução em 50 % da taxa de derrama para todas as Empresas com domicílio Fiscal no Concelho da Guarda.

● Aposta na Plataforma Ferroviária da Guarda.
A Guarda tem de ter a ambição de ser a grande Plataforma Ferroviária, o Grande Porto Seco do Centro e Norte do País, fazendo aqui sediar
serviços e os centros logísticos de Empresas importadoras e exportadoras, Nacionais e Estrangeiras, que a partir daqui podem fazer escorar e receber as suas mercadorias para Portugal, para a Península Ibérica, para a Europa e para o Mundo.
As Empresas da Guarda e os seus Representantes Associativos devem ser chamados, devem ser ouvidos, devem ser integrados neste grande projeto que é fundamental para o desenvolvimento económico da Guarda para os próximos 50 anos.

● Duplicação da área da Plataforma Logística da Guarda.

● Duplicação do Parque Industrial da Guarda.

● Criação de Centros de Incubação Empresarial, para fixação da nova geração de Empresas Tecnológicas de última geração.

● Reorganização e duplicação do Parque Empresarial do Outeiro São Miguel, nas Freguesias de Arrifana e Pera do Moço.

● Reorganização e duplicação do Parque Empresarial de Vale de Estrela.

● Criação de novas Áreas de Localização Empresarial situadas no nosso mundo rural (Benespera, Famalicão, Gonçalo, Maçainhas, Panóias, Pega,
Porto da Carne, Trinta, Vila Fernando).

Estas propostas são o primeiro contributo e a base da discussão política das grandes opções para o investimento e para os Guardenses para os próximos 20 anos, segundo o candidato.

Sérgio Costa faz um resumo das suas intervenções na Reunião do Executivo

Aqui deixamos em comunicado, enviado pelo vereador do Município da Guarda, Sérgio Costa, todas as intervenções efetuadas na sessão da reunião de câmara do executivo egitaniense.

Obras bem planeadas

É com um grande sentimento de dever cumprido, com um grande orgulho pelo trabalho que foi bem planeado, que vejo em andamento diversas obras pela Cidade e nas nossas Aldeias, apesar de muitas outras terem sido canceladas.

Tenho mesmo de agradecer aos Técnicos do Município e a algumas Equipas de Projeto externas, pela boa colaboração e profissionalismo que sempre demonstraram, ao responderem às exigências e necessidades que lhes foram solicitadas e naturalmente a todo o meu Gabinete que Coordenou sempre a elaboração destes projetos, tal como o lançamento das Empreitadas.É afinal este um dos desígnios da Política, colocar ao serviço de todos o nosso saber bem fazer, para a melhoria das condições de vida daqueles que nos elegem.Devemos sempre fazer o melhor que sabemos, o melhor que estiver ao nosso alcance, pois quando passar o nosso tempo, ficará a memória da obra que deixamos.Mas não nos esqueçamos que muito há ainda para fazer.

Não basta simplesmente passear pelas obras, tirando fotografias, fazendo show off. Alguns dirão que as obras são de todos, sendo de facto verdade esta afirmação, as obras são de todos os Guardenses, mesmo daqueles que aquando do seu planeamento muito mal falavam delas sob as costas desarmadas do seu criador, mas que agora se vangloriam e passeiam por todas elas. Ainda bem que assim é.

Para que todas estas obras fossem possíveis, foi necessário assegurar o seu financiamento, conseguido no final de 2018, a elaboração dos projetos, o lançamento das empreitadas e a sua adjudicação. Tudo isto feito em tempo útil, sempre na prossecução do cumprimento do Programa Eleitoral do PSD que foi sufragado pelos Guardenses.

É com um grande sentimento de dever cumprido que vejo em andamento a Requalificação do eixo viário entre a Av. Afonso Costa e a Alameda de Santo André, passando pela Av. Alexandre Herculano e pela Rua Soeiro Viegas, a Requalificação dos Edifícios Municipais do Torreão onde será criado um Condomínio Associativo, a Requalificação da Rua do Encontro e da Rua Tenente Valadim, a Requalificação do Espaço Público e Jardim da Rua Virgílio Ferreira entre o Bairro da Luz e a Póvoa do Mileu, a Requalificação dos 2 espaços Públicos e Jardins da Rua Cândido Dias Lopes na Guarda Gare e a Requalificação do Espaço Público Polivalente da Rua Pinto Peixoto no Bairro do Pinheiro.

Mas também se espera que se iniciem com urgência as obras há muito adjudicadas da Requalificação do Espaço Público Envolvente à Capela do Mileu e da Requalificação do Espaço Público Polivalente da Rua das Flores no Bairro das Lameirinhas.

Temos ainda de registar o início das obras de Requalificação dos Aglomerados Rurais da Freguesia da Guarda, como sendo no Carapito de São Salvador, na Cabreira e em breve nos Galegos e em Alfarazes, obras há muito reivindicadas pelas Populações e que são da mais elementar justiça, o mesmo será dizer em relação à repavimentação de 20 arruamentos da nossa Cidade (recordando que no mandato anterior foram repavimentados 70 arruamentos), todas estas obras adjudicadas há cerca de 1 ano.

Mas também devemos aqui bem registar as pavimentações e as obras de água e saneamento que têm vindo a ser executadas em muitas das nossas Aldeias desde há 3 anos, aproveitando em parte o financiamento assegurado pelo POSEUR e pelo POAT que apoiou neste caso as zonas afetadas pelos incêndios de 2017.

Muito há ainda para fazer, para fazer cumprir os compromissos assumidos com os Guardenses, mas como sempre, aqui estarei, sempre disponível para ajudar ao cumprimento dum programa eleitoral, com Confiança no Futuro.

Ecovias da Guarda

Assistimos no passado dia 1 de Outubro à visita da Sra. Secretária de Estado do Ambiente, visita essa que se iniciou com a inauguração da Requalificação das margens do Rio Noéme, onde se inclui a execução dos Trilhos do Noéme que se iniciam no miradouro hidrográfico de Vale de Estrela e terminam junto à Aldeia de Rochoso.

Esta visita foi o reconhecimento do bom trabalho executado.

A Ecovia do Noéme, num percurso de cerca de 30 kms ao longo das margens do rio com o mesmo nome, foi executada entre 2018 e 2019 com a prestimosa ajuda das 10 Juntas de Freguesia abrangidas, aproveitando de uma forma exemplar as verbas que o Fundo Ambiental colocou à disposição dos Municípios para a recuperação das linhas de água afetadas pelos incêndios de 2017.

Foi com um grande sentimento de dever cumprido que coordenei com os Técnicos do Município, com a Administração, com os 3 Diretores Regionais e com os Técnicos da APA – Agência Portuguesa do Ambiente, bem como com a Equipa Projetista chefiada pelo Prof. Pedro Teiga, toda esta intervenção marcante para o território das 10 Freguesias e para todo o Concelho da Guarda.

Foi mesmo considerado o melhor exemplo nacional no uso dos dinheiros públicos para a recuperação pós-incêndio e aproveitamento dessas sinergias para transformar a intervenção numa mais valia em termos de recuperação e atração para a convivência com os habitats naturais do Rio Noéme e das Aldeias mais próximas.

Mas com tudo isto, não nos esqueçamos que a Ecovia do Noéme necessita de reparações muito urgentes, pois sendo um percurso ribeirinho, estará sempre sujeito às intempéries, mas que é fundamental a sua manutenção que é aguardada há mais de 1 ano, para que todos possam usufruir de um bom passeio nas margens de um belo rio ainda selvagem e visitar as suas Aldeias limítrofes.

Muito há ainda para fazer, mas esta boa parceria e experiência pode e deve ser replicada, sempre em estreita articulação com as Juntas de Freguesia e com a APA, com a qual a aproximação que foi conseguida em 2018 e 2019 trará em breve mais projetos muito frutuosos para a Guarda.

O bom trabalho desenvolvido pelo Município da Guarda com esta intervenção deu também o mote e terá mesmo inspirado parte daquilo que será o Plano Estratégico Nacional de Reabilitação de Linhas de Água, que será na sua grande parte financiado pelos cerca de 15 mil milhões € que foram atribuídos a Portugal através do Plano de Recuperação e Resiliência.

É necessário implementar uma estratégia integrada de médio e longo prazo, envolvendo agentes privados e entidades públicas, que apresente vastos benefícios para a economia e sociedade Guardenses.

A criação das Ecovias da Guarda irá permitir a ativação de redes de agentes económicos, com o objetivo de maximizar o retorno dos investimentos a realizar, criando as condições para o aumento da prática desportiva e recreativa de forma ambientalmente responsável e economicamente viável.

Com a existência dos múltiplos percursos pedestres já sinalizados e a sinalizar, bem como os percursos de BTT que devem seguir o mesmo exemplo, com dificuldades variadas, podemos criar um novo cluster turístico na Guarda.

Concurso Transportes Urbanos da Guarda

Recebemos nos últimos dias uma comunicação de uma Empresa da Guarda concorrente “Encosta Tour”, denunciando algumas possíveis irregularidades no concurso que foi recentemente adjudicado por unanimidade nesta Câmara.

São referidas algumas situações, como a abertura de uma conta conjunta solidária entre o Município da Guarda e a Empresa “TRN” com sede na zona de Lisboa sem aparente enquadramento legal, o não cumprimento da apresentação da documentação legal da forma correta e atempada perante o exigido no caderno de encargos, podendo desta forma vir a ser considerada uma adjudicação “viciada”.

A serem confirmadas tamanhas incongruências ou mesmo ilegalidades, podemos estar perante a necessidade de anulação imediata da intenção de adjudicação decidida neste órgão há algumas semanas atrás, pelo que solicito a clarificação urgente desta situação, a bem da Guarda, a bem da Câmara, a bem do erário público, a bem da transparência e legalidade da causa pública.

Período da Ordem do Dia

 Ponto 3. Acordo de Cooperação com a Junta de Freguesia de Alvendre

Perante a proposta de transferência do apoio concedido para outro projeto no âmbito do Acordo de Cooperação com a Junta de Freguesia de Alvendre, em que é solicitada a alteração do Acordo para a “Remodelação da Capela e Construção de Sanitários Públicos de Apoio à Capela e Largo das Festas”, em detrimento do apoio inicialmente previsto para a “Casa Mortuária de Alvendre”, manifesto o meu voto favorável.

Mas deixo o alerta que tendo sido aquele Acordo aprovado em Assembleia Municipal, poderá também esta alteração carecer da validação pelo mesmo órgão.

 

Ponto 5. Apoio para legalização do Complexo Desportivo de Casal de Cinza

É apresentada uma proposta de apoio de 6.457,50 € ao Grupo Cultural e Recreativo de Casal de Cinza, para elaboração do Projeto de legalização e elaboração das medidas de autoproteção do Complexo Desportivo de Casal de Cinza, manifestando desde já o meu voto favorável.

Contudo, não posso deixar de achar estranho que estando este mesmo projeto em elaboração dentro do Município há mais de 1 ano, o mesmo não tenha sido concluído, tendo agora o Município de despender desta verba.

Também terei de referir a necessidade da manutenção da equidade na atribuição deste tipo de verbas, na medida em que existem muitas outras Associações e mesmo Juntas de Freguesia com a necessidade de dar cumprimento às diretivas legais em matéria de medidas de autoproteção dos seus edifícios, devendo ter também a possibilidade de aceder de forma igual ao mesmo tipo de apoio.

Ponto 8.  Requalificação de caminho entre Ribeira dos Carinhos e Argomil

A requalificação deste caminho estava inicialmente prevista, juntamente com mais cerca de 50 estradas e caminhos por todo o Concelho no montante global de cerca de 2,5 milhões €, cujos procedimentos vieram a ser anulados por V. Exa. que alegou em Maio de 2020 não ter financiamento para fazer face ao seu custo.

É apresentada uma proposta para aprovação de Trabalhos Complementares no valor de cerca de 14.756,06€ sobre o valor inicial de 148.300,00 €, a aplicar na empreitada de pavimentação do caminho entre Ribeira dos Carinhos e Argomil, que terá o meu voto favorável.

Devemos, contudo aqui recordar que esta Empreitada nunca foi presente a esta Câmara, tendo sido aprovada apenas pelo Sr. Presidente nos termos das competências que lhe estão delegadas.

 

PSD -Sérgio Costa novo líder da Concelhia da Guarda

Teve lugar no sábado, dia 28 de junho, o escrutínio para eleger o novo líder da Comissão Política Concelhia do PSD da Guarda.
Deste modo, o novo líder venceu esta eleição com  239 votos contra 145 do candidato Julio Santos, que liderava a lista A.
Vai agora o novo líder preparar a concelhia para as Autarquias 21 e também esperar pela eleição do novo líder da Comissão política distrital.

PSD Guarda-Sérgio Costa candidato à Comissão Política da Concelhia da Guarda

“A Guarda acima de tudo”

Teve lugar na sede do PSD da Guarda a apresentação da Candidatura de Sérgio Costa, atual vereador do Município da Guarda, à comissão Política da Concelhia do PSD /Guarda.

Face a isso, já tinha anunciado, no passado dia 28 de fevereiro, essa ideia de se candidatar

no plenário de militantes então realizado.

Assim nesta manhã referiu que: “Informei o PSD da Guarda, no local próprio, da minha intenção.

Previamente ao plenário e, em primeiro lugar, informei o Presidente da Câmara da minha vontade em servir o PSD e a Guarda, como candidato a Presidente da Concelhia do PSD. Esta é a minha forma de estar na política.

A par da minha consciência, sou militante do PSD há 25 anos, estando assim obrigado à responsabilidade de não falhar na forma.

Estive, estou e estarei sempre presente pela Guarda e pelo PSD, em nome da Cidade que há 25 anos me adotou e eu fiz como minha.

Não escondo que foi sempre o meu maior anseio servir a Guarda, sabendo que tal desafio se unificava com a estratégia do Partido Social Democrata.

Primeiro a Guarda e só depois o PSD, é o lema.

É a Guarda que me continua a dar força na e durante a minha ação política.

Durante 40 anos, assistimos a uma Guarda que foi parando no tempo, sem ambição, sem perspetivas de futuro e sem alternância democrática.

O PS adormeceu o enorme potencial que o concelho da Guarda possui.

O PSD da Guarda nos últimos 7 anos mudou este paradigma. A Guarda transformou-se. A Guarda passou a ser uma referência nacional e surgiu finalmente como exemplo de excelência em Portugal.

Finalmente há obra feita na Guarda. Mas não só.

A Guarda tem projetos de futuro. Há estratégia de desenvolvimento na Guarda.

Por isso decidimos reunir esta Equipa, porque como militantes queremos continuar a trabalhar em prol da Guarda, da sua prosperidade e crescimento.

A Guarda não pode voltar atrás.

A nossa convicção mantém-se inabalável em relação ao desenvolvimento duma Cidade, dum Concelho, das Freguesias, Vila e Aldeias.

Os projetos em estudo ou lançados, as obras projetadas ou em execução, terão sempre o nosso empenho.

Em todas essas ações, continuaremos a dar o nosso melhor, na certeza de que os Guardenses devem lembrar que foi este projeto político ambicioso iniciado

em 2013 e reforçado em 2017, que devolveu o orgulho e autoestima à nossa Capital de Distrito e da Sub-Região Beiras e Serra da Estrela.

Tudo isso não pode ser interrompido, diria mesmo, não pode parar, quaisquer que sejam as circunstâncias políticas do momento. Mas a missão do PSD da Guarda não acaba por aqui.

E queremos deixar muito claro que, tal como ouvimos há quase 7 anos e nos marcou, nunca hesitaremos em colocar a Guarda acima de quaisquer interesses pessoais ou político-partidários.

Como afirmei no plenário de militantes, a nossa candidatura é uma candidatura de União, de agregação dos militantes, de comunhão com os autarcas eleitos e de respeito pelos cidadãos da Guarda.

Somos candidatos, porque ouvimos os anseios dos Militantes e respeitamos as suas opiniões políticas.

Somos Candidatos, porque os Militantes do PSD nos têm incentivado e nos têm dado a sua confiança para ser a sua voz no PSD da Guarda.

Somos Candidatos, porque respeitamos o passado do PSD e acreditamos no futuro do Concelho da Guarda.

Consideramos que só agregando os militantes, os autarcas eleitos e o cidadão comum, se podem construir os alicerces do desenvolvimento da Guarda.

É ouvindo a sociedade que se conhece a realidade da Guarda.

É reunindo todas as vontades em prol do bem comum que percorremos o caminho do progresso.

É a somar que se avança.

Fomos e seremos a referência da estabilidade do PSD tal como tem acontecido nas reuniões do executivo da câmara municipal, pois ao contrário de alguns,somos os primeiros a querer um PSD unido em torno dos projetos e das obras

estruturantes da Guarda.

Sempre apoiando a maioria do PSD, cumprindo o programa eleitoral que os guardenses votaram massivamente em 2017.

É o programa eleitoral que ajudamos a construir.

Não poderia ser de outra forma.

É essa a vontade de todos os que sentem a militância do PSD e nunca se afastaram ou abraçaram outros projetos políticos.

O nosso adversário principal foi e será sempre o Partido Socialista, que todos sabem não estar preparado para assumir a governação da Câmara Municipal da Guarda.

O PS não tem qualquer ideia ou projeto que traga desenvolvimento à Guarda.

Nem tão pouco possíveis candidatos ou líderes com qualquer apoio popular.

Temos assistido aliás, a um nervosismo crescente do PS conforme nos aproximamos da escolha dos seus protagonistas para as próximas eleições autárquicas na Guarda.

Basta olhar para a sucessiva desistência dos líderes de bancada do seu grupo parlamentar (em 3 anos de mandato, já vão no terceiro coordenador).

Quanto aos dois vereadores eleitos pelo PS, foram para lugar incerto e desconhecido, abandonando o seu lugar de eleitos sem que se soubesse a possibilidade ou existência de um qualquer desígnio maior.

O último vereador a assumir o seu cargo é tão somente o 5º da lista.

Sabemos o nervosismo e o temor que esta lista causa ao PS da Guarda e a outros pois, com a humildade que só o trabalho confere, temos o conhecimento profundo do nosso território e das suas gentes.

Conhecemos a realidade de todas as Freguesias e as suas necessidades reais, que podem significar a diferença no caminho do desenvolvimento sustentável.

Bastará saber quantos autarcas nos acompanham nesta candidatura e percebe-se a natural apreensão e temor do Partido Socialista.

Atrevo-me a afirmar que a nossa lista é a única e a que possui maior experiência autárquica a nível de Executivo Municipal, Assembleia Municipal, bem como na presidência efetiva de Freguesias.

A nossa lista é constituída por militantes do PSD da Guarda que conhecem as Gentes da Guarda e resolvem diariamente os problemas das suas Freguesias.

A nossa candidatura é à concelhia do PSD da Guarda. Não a outro qualquer órgão.

A nossa candidatura é pelo PSD da Guarda. Não é contra ninguém.

A lealdade da nossa candidatura é inquestionável. Pela nossa forma de atuar e estar na vida política e autárquica.

É feita de vontade, conhecimento e abrangência.

Saber ouvir a opinião de todos é primordial para alcançar os objetivos a que nos propomos.

Queremos continuar a ser a força política mais votada para a Câmara Municipal, para a Assembleia Municipal e para as Juntas de Freguesia.

A dinamização da Organização das Mulheres Social Democratas será um objetivo a alcançar, na prossecução duma Sociedade e dum Partido cada vez mais Equitativo e Paritário.

É fundamental pugnar pela fixação definitiva na Guarda da Universidade de Inverno organizada pelos ASD – Autarcas Social Democratas.

A criação de Núcleos de Militantes na Vila e Freguesias Rurais ajudar-nos-á a desenvolver ainda melhor o trabalho de proximidade às Populações, podendo estar assim ainda mais próximos do conhecimento das suas necessidades.

A integração da JSD em todas as iniciativas, apoiando todas as suas ações, num tempo em que é fundamental aproximar os Jovens da política, com transparência, com trabalho, com a sua cada vez maior valorização.

O Trabalho profícuo que os TSD têm vindo a desenvolver, é primordial no desenvolvimento de uma política cada vez mais próxima do mundo laboral.

Um enorme bem-haja a todas e a todos que aceitaram o desafio de integrar esta lista e a todos os proponentes que honrosamente nos dão o seu apoio, citando especialmente alguns nomes:

Prof. Fernando Carvalho Rodrigues

Prof. João Prata

Prof. Alfredo Freire

Sr. António Peres

Dr. Vitor Lavajo

Sr. Artur Seguro Pereira

Sr. António Antunes (TSD)

Sr. Luís Baía (TSD)

Sr. Tiago Gomes (JSD)

Sr. Miguel Bandarra (JSD)

Todos cabem na casa do PSD da Guarda.

Convido todos os Militantes a abraçarem esta candidatura e ajudar a que o PSD

da Guarda continue a ter a confiança dos Guardenses.

Respeitamos o Passado e Acreditamos no Futuro. Todos somos PSD”.

Este foi o discurso de apresentação de Sérgio Costa que refere que : A Guarda está acima de qualquer interesse partidário e respeita o passado e acredita no futuro.

Vereador Sérgio Costa apresentou as suas intervenções e resumo da reunião de câmara da Guarda

Em comunicado, o Vereador Sérgio Costa, fez um resumo das suas intervenções na Reunião da Câmara Municipal da Guarda.

 Começou por dar Votos de Louvor às Juntas de Freguesia do Concelho da Guarda, pelo excelente trabalho que tem vindo a ser feito pelas Juntas de Freguesia Rurais do nosso Concelho, na compra a expensas próprias e respetiva entrega de Equipamentos de Proteção Individual a todos os seus Fregueses, numa atitude de muita proatividade e proximidade a todos os Cidadãos.

Pela Campanha de Angariação de Fundos para a ULS Guarda para a compra de Ventiladores e de Equipamentos de Proteção Individual, apoiada por Empresas, Associações, pelas várias Instituições ligadas à Igreja Católica e por muitos Particulares.

Fundação Belmiro de Azevedo e a todas as IPSS do Concelho

Num espírito de muita colaboração profícua, sempre presente desde a inauguração da sua última superfície comercial, à Fundação Belmiro de Azevedo (Grupo SONAE), pela oferta ao Município de 85 mil máscaras para distribuição por todas as IPSS do nosso Concelho, de forma a reforçar os EPI´s nestas Instituições, reduzindo assim o seu esforço financeiro e permitindo que outros investimentos possam ser feitos.

No Período Antes da Ordem do Dia

-Lamentar o facto de as Reuniões de Câmara não estarem a ser realizadas com a periodicidade normal, uma vez que temos garantidas todas as condições técnicas necessárias, podendo mesmo ser até presenciais, desde que cumpridas todas as normas emanadas pela DGS, tal como está a ser feito por grande parte dos Municípios da Região.

-Na última reunião de Câmara, lançou o desafio ao Sr. Presidente, no sentido de agendar para esta reunião a análise e votação das medidas de mitigação social e económica face à Pandemia Covid – 19 que haviam sido apresentadas por mim e pelos Partidos da Oposição. Constatei que nada constava sobre isso na ordem de trabalhos e solicitei a devida explicação, tendo o Sr. Presidente referido que não achou oportuno nem necessário.

 –Foi solicitada a apresentação por escrito neste Órgão Executivo do plano pós contingência para os Funcionários e para funcionamento dos diversos equipamentos do Município.

 –Foi pedido o ponto de situação do pagamento das indemnizações aos Proprietários que viram as suas viaturas danificadas, aquando da queda da árvore na Av. Cidade Salamanca no Inverno passado, tendo sido informado pelo Sr. Presidente que o Municipio declinou qualquer responsabilidade nas indemnizações.

Tendo verificado que existem muitos arruamentos espalhados por todo o Mundo Rural a necessitar de uma rápida intervenção de remendagem e de limpeza de bermas, deve o Município agilizar com a máxima urgência todas essas intervenções.

-Em Dezembro de 2018, fruto de um árduo trabalho técnico e de várias rondas negociais, foi com muito regozijo que vimos aprovado o financiamento através do PEDU – Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano da obra de Requalificação do eixo rodoviário entre a Av. Afonso Costa, Av. Alexandre Herculano, Rua Soeiro Viegas e Alameda de Santo André. Estando para breve o início da intervenção, urge despertar a atenção para que sejam minimizados os constrangimentos à População, face à grande extensão da obra em causa.

-Entre 2013 e 2017, foram repavimentados cerca de 70 arruamentos em toda a Cidade. O planeamento continuou a evoluir, com a prestimosa ajuda dos Técnicos do Município, e depois de 2 anos a aguardar a cabimentação necessária, eis que avançou no final de 2019 o concurso para a Repavimentação de mais 20 ruas na Cidade. Sendo mais um passo para a melhoria das condições de segurança rodoviária dos Guardenses, não podemos esquecer que existem ainda mais cerca de 50 ruas da nossa Cidade a necessitar a mesma intervenção.

-Foi apresentada pelo Senhor Presidente na ordem de trabalhos, a anulação de 8 procedimentos concursais, estimados em cerca de 2,5 milhões de € de intervenção na rede viária municipal.

Não me querendo imiscuir na gestão interna atual do Município, mostro a minha preocupação na anulação de todos estes procedimentos, que previa a pavimentação de dezenas de kms de estradas e caminhos municipais, bem necessários para a melhoria da segurança rodoviária e por conseguinte do bem-estar das populações.

Não posso deixar de salientar algumas dessas estradas e caminhos, que constam algumas delas do programa eleitoral do PSD sufragado em 2017 e outras como compromissos então assumidos:

            – Estrada Videmonte – Prados

            – Estrada Amoreiras do Mondego – Velosa

            – Estrada Pera do Moço –Sra. da Alagoa, entre outros

– Caminho da Regueira na Freguesia de Mizarela/ Pero Soares/ Vila Soeiro

            – Estrada Barracão – Gata

            – Estrada Maçainhas – Prados, Caminho Gulifar – Chãos, entre outros

            – Estrada Montes – Alto de Valdeiras

            – Estrada Almeidinha – Ribeira dos Carinhos

– Estrada Urgueira – Castro do Jarmelo

– Estrada Vila Mendo – Vila Fernando

            – Estrada Arrifana – João Bravo

            – Arruamentos nas Vendas da Vela na Freguesia da Vela, entre outros

– Caminho entre Carvalhal e Qta. dos Pisões na Freguesia de Codesseiro

– Caminho entre Gonçalveiros e Codesseiro

            – Caminho da Sobreira e entre João Antão e Ramela, entre outros

– Caminho entre Galegos, Quinta dos Coviais e a Plataforma Logística na Freguesia da Guarda

– Caminho entre o cemitério novo da Guarda, campo de tiro e Vale de Estrela

            – Estrada Vila Garcia – Carapito da Légua

            – Rua Principal de Casal de Cinza

– Caminho entre Pessolta e a Plataforma Logística na Freguesia de Casal de Cinza

– Caminho de Santa Bárbara na Freguesia de Gonçalbocas

            – Caminho da Felmica e Caminho do Ribeiro em Gonçalo, entre outros

– Estrada de ligação de Famalicão da Serra até ao cruzamento com a EN 18 – 1

– Caminho do Galrado, Caminho do Brejo na Freguesia de Valhelhas, entre outros

– Caminho Qta. do Porto – estrada acesso Qta. São Domingos na Freguesia de Benespera

– Estrada entre Fernão Joanes e o Parque da Sra. do Soito e a Pista de Motocross

            – Caminho de Alqueidosa na Freguesia de Corujeira/ Trinta

– Outras estradas e caminhos nas Freguesias de Alvendre, Avelãs de Ambom/ Rocamonde, Vila Franca do Deão, Avelãs da Ribeira, Vila Cortez do Mondego, Cavadoude, Aldeia Viçosa, Faia, Santana da Azinha, Adão, Marmeleiro, Pousade/ Albardo.

Guarda- Sérgio Costa reage em comunicado

Depois de lhe terem sido retirados os pelouros no Município da Guarda, Sérgio Costa, ex. Vice- Presidente da Guarda, enviou um comunicado, na impossibilidade de ter feito uma conferência de imprensa presencial mas, devido à situação excecional que a nossa região, o nosso País e o Mundo atravessam devido ao Covid-19, ficará para mais à frente.

Face a isso, neste comunicado , reage ao que se passou na última reunião do executivo guardense:”Em meados de 2013, já lá vão quase 7 anos, tive a honra de ser chamado a um grande desafio.

Fazer parte de um projeto novo e ambicioso para a Guarda.

Desde então, sacrifiquei a minha vida pessoal e até familiar em nome da Cidade que há 25 anos me adotou e eu fiz como minha.

Não escondo que a minha satisfação ainda foi maior, porque tal desafio se identificava também com a estratégia do Partido Social Democrata, onde milito há 24 anos.

Primeiro a Guarda e só depois o PSD, era o lema. Isso mesmo me dava força para a minha ação política.

Na semana passada fiquei a saber, não através de qualquer debate interno, mas por decisão unilateral de quem tem poderes legais para isso, que essa minha ação política devia ser interrompida na forma em que vinha a desenvolvê-la em prol da Guarda.

Mas cá continuarei com a mesma dedicação, competência e lealdade com a Guarda no desempenho das minhas funções e sempre a pugnar pelo projeto político iniciado em 2013 e reforçado em 2017.

A minha convicção mantém-se inabalável em relação ao desenvolvimento duma Cidade, dum Concelho e das suas Freguesias e Aldeias.

Os projetos em estudo ou lançados, as obras projetadas ou em execução, terão sempre o meu empenho.

Em todas essas ações, continuarei a dar o meu melhor, na certeza de que os Guardenses devem lembrar que foi este projeto político ambicioso que devolveu o orgulho e autoestima à nossa Capital de Distrito e da Sub-Região Beiras e Serra da Estrela.

Tudo isso não pode ser interrompido, diria mesmo, não pode parar, quaisquer que sejam as circunstâncias políticas do momento.

Ver nascer amanhã esse grande projeto estruturante que é os Passadiços do Mondego, a Pedovia/ Ciclovia da Cidade, a implementação do Projeto Guarda Cidade LED e da Rede de Fibra Ótica no Concelho, iniciar depois o Centro de Exposições Transfronteiriço que tem parte do seu financiamento assegurado pelos Fundos Comunitários, requalificar a Praça Velha ou lançar o Centro Tecnológico Professor Fernando Carvalho Rodrigues.

Mas concluir também a Revisão do Plano Diretor Municipal e a execução dos Planos de Investimento apresentados nas últimas Conferências da Guarda, onde se incluem os vários projetos de Reabilitação Urbana da Cidade através do Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano, as redes de abastecimento de água e saneamento das Aldeias do Concelho, a requalificação da rede viária da Cidade e das Freguesias, os Espaços Verdes e os demais Espaços Públicos a requalificar, bem como a reabilitação do Centro Histórico, num montante superior a 40 milhões de euros.

Olhar hoje para a Plataforma Logística com o Parque TIR que nos orgulha e projetá-lo para o futuro, o apoio técnico e político sempre próximo e discreto a toda a atividade do Mundo Empresarial, o desenvolvimento do Terminal Rodoferroviário, o Combate às Alterações Climáticas, sem esquecer o grande desafio de continuarmos a recuperação ambiental dos rios Diz e Noéme e a potencialização turística dos seus Trilhos.

Também sempre presente a Proteção Civil e Segurança de todos os Cidadãos e seus bens, a Defesa da Floresta, tal como o bem-estar animal com a requalificação e ampliação em curso do Centro de Recolha Oficial de Animais Errantes da Guarda (canil/ gatil).

Mas nunca, em circunstância alguma, abandonaremos a luta tantas vezes travada pela execução das Variantes da Sequeira e dos Galegos (constatando-se já a conclusão da variante do Barracão) e da requalificação dos Acessos à Estação de Caminhos de Ferro e ao Terminal Rodoferroviário, onde se inclui a Av. São Miguel e zona envolvente, tal como a Rua da Treija (cujos projetos estão prontos para lançamento da obra), asseguradas com os protocolos estabelecidos com a IP – Infraestruturas de Portugal, bem como a execução e o grande sonho que deve transformar-se em realidade, que é a Variante dos F ́s (ex Ti Joaquina), também com o projeto já finalizado e a aguardar o lançamento do concurso da empreitada.Em suma, nunca deixarei de estar onde sempre estive.

Solidário e empenhado numa Cidade mais atrativa e com as suas Freguesias e Aldeias mais bonitas e com mais qualidade de vida.

Foi sempre em nome de tudo isto que trabalhei como Vereador a tempo inteiro e mais recentemente também como Vice-Presidente da Câmara Municipal.

Foi um orgulho muito grande servir a Guarda nestas funções que agora me foram retiradas.

Mas isso não faz abalar as minhas convicções, nem tão pouco a minha determinação.

Na Democracia e no meu próprio Partido, aprendi há muito que se pode servir no Poder ou na Oposição.

Comigo nesta nova fase, nem de uma maneira nem de outra. Apenas e só em prol dos projetos, das obras e das ações que visem aqueles princípios que nortearam a ação política desde 2013 e sempre com espírito de missão. Essa minha missão também não acabou.

E quero deixar muito claro que, tal como ouvi há quase 7 anos e me marcou, nunca hesitarei em colocar a Guarda acima de quaisquer interesses pessoais ou político-partidários.

É esse princípio que norteará toda a política a partir de agora. Nunca o meu lugar de Vereador. Esse será instrumental para que possa continuar a trabalhar até ao limite das minhas forças naquilo que a todos deve unir, ou seja, a Guarda.

É essa a minha responsabilidade.Irei assumi-la sempre e sabemos que na Democracia é mesmo assim.

Os partidos políticos, os grupos de cidadãos e cada um de nós individualmente assume a responsabilidade das suas decisões e o Povo com a sua soberania e inteligência julga sempre bem.

Quero terminar com uma palavra de agradecimento a todos quantos me ajudaram neste caminho que percorri até aqui, na certeza de que há ainda muito caminho a percorrer pela nossa Cidade e pelas nossas Freguesias e Aldeias.

Uma palavra final que também é devida ao meu Partido.Simplesmente obrigado”.

Assim Sérgio Costa vai continuar a trabalhar em prol da Guarda, agora nas funções de vereador.

 

Guarda-Pelouros retirados a Sérgio Costa no Município da Guarda

Na tarde desta terça-feira, após uma reunião de emergência do executivo do Municipio da Guarda, o Presidente da Autarquia Carlos Chaves Monteiro retirou os pelouros ao seu Vice-Presidente Sérgio Costa, que coordenava até hoje as áreas do Urbanismo, Proteção Civil Municipal, Florestas e Higiene e Segurança Veterinária.

Assim falta saber as verdadeiras razões do facto, mas tudo aponta para a candidatura de Sérgio Costa à Concelhia do PSD da Guarda.