Templates by BIGtheme NET
Início » Tag Archives: teatro

Tag Archives: teatro

A Fuga das Freiras regressa a Aguiar da Beira

Aguiar da Beira vai acolher no próximo dia 11 de setembro, pelas 21h30, no Largo dos Monumentos um teatro de rua grandioso, que conta com a participação dos grupos culturais locais, falamos da Fuga das Freiras.
A entrada é gratuita, mas condicionada à lotação do espaço. Reserve já, a partir de hoje, o seu bilhete na Biblioteca Municipal (232689101).

Teatro Musical “Só queria que me saísse… Dão” animou Penalva do Castelo

Dois dias dedicados à peça de Teatro Musical “Só queria que me saísse… Dão”, decorreu na vila de Penalva do Castelo, trata-se de um espetáculo produzido pelo Contracanto Associação Cultural com texto original de Sandra Leal e encenação de António Leal. Em palco estiveram cerca de 30 personagens, entre atores, cantores e músicos, sobressaindo a figura do “Barbosa”, interpretada pelo ator Pedro Pernas, que recria magistralmente o grande ator António Silva.

Por sua vez, o autarca Francisco Carvalho, enalteceu o belo trabalho produzido pela ContraCanto, nesta bela peça que animou todos os presentes.

A história acontece em plena Lisboa, no Pátio do Carrascão e transporta-nos para o imaginário dos clássicos do cinema português dos anos 30 /40, como Pátio das Cantigas ou a Canção de Lisboa, sendo recriadas cenas desses filmes como a célebre cena de Vasco Santana e o candeeiro. Ou a famosa frase” Evaristo tens cá disto”, aqui substituída por “Barbosa, tens cá gasosa”. A vida nos pátios alfacinhas, com as suas relações de vizinhança, as tabernas, as festas populares, servem de cenário e ambiente ao desenrolar das histórias, condimentadas com o fado, a canção popular, a que se juntam os temas da Broadway.
Barbosa é o único beirão no bairro, condição que ele tenta esconder aos turistas para os atrair para a sua casa de fados “Solar do Vinho” que representa o que de mais pitoresco Lisboa tem para oferecer. Entre cantigas e muitas histórias, os moradores do pátio não se esquecem de lembrar Barbosa das suas raízes beirãs e Barbosa perde as estribeiras de cada vez que um deles o provoca! Mas o destino tem hora marcada para fazer das suas e este ano, o arraial vai mudar para sempre o pátio. Tudo por conta do tal vinho do beirão Barbosa que, afinal, não é de Lisboa, nem carrascão, mas sim, vinho do Dão. E quando o vinho é Dão… até um pátio alfacinha quer ser beirão!
Foi com duas sessões, com lotação esgotada, que decorreu o teatro musical. Dada a elevada adesão, aqueles que não conseguiram obter bilhete, puderam assistir na zona envolvente.

Pinhel vai ter em julho “Noites Vivas”

As “Noites Vivas” são a novidade deste verão em que o Município de Pinhel aposta nas atividades de ar livre.
Tem como objetivo  levar os pinhelenses, e aqueles que  os visitam, a usufruir do espaço público e, em particular, dos espaços públicos que têm vindo a ser recuperados e valorizados.
Uma aposta para animar o Verão dos turistas e dos pinhelenses.
7 julho | 𝗧𝗲𝗮𝘁𝗿𝗼 𝗱𝗮𝘀 𝗕𝗲𝗶𝗿𝗮𝘀 – peça “𝗡𝗼𝘀𝗼𝗰ó𝗺𝗶𝗰𝗼”
Jardim 5 de Outubro
14 julho | 𝗔𝗹𝗳𝗿𝗲𝗱𝗼 𝗟𝗮𝗿𝗮𝗻𝗷𝗶𝗻𝗵𝗮 | música dos anos 60, 70 e 80
Praça Sacadura Cabral
21 julho | 𝗧𝗵𝗲 𝗨𝗻𝗱𝗲𝗿𝗰𝗼𝘃𝗲𝗿𝘀
Parque Urbano
28 julho | 𝗣𝗲𝗱𝗿𝗼𝘀𝘀𝗮𝘅 | clown e saxofone
Jardim 5 de Outubro
(𝘀𝗲𝗺𝗽𝗿𝗲 à𝘀 𝟮𝟭.𝟯𝟬𝗵)

ASTA acolhe parceiros internacionais do projeto HI-STORY TELLING

O projeto internacional HI-STORY TELLING (HST), financiado pela  União Europeia, através do programa Erasmus +, que tem como principal objetivo o desenvolvimento de uma metodologia que alie as potencialidades do teatro ao ensino de História.

O projeto é liderado pela ASTA – Associação de Teatro e Outras Artes (Covilhã-Portugal), e conta com a parceria de outras duas organizações europeias: a Associazione Nuovi Linguaggi (Loreto-Itália),e Treinta Y Cuatro Emotional Performance (Sevilha-Espanha).

O projeto centra-se na importância da aprendizagem e ensino de História, e no reconhecimento do Teatro como uma poderosa ferramenta de educação. O HI-STORY TELLING propõe a utilização do teatro como meio para fomentar o interesse dos jovens, que frequentam o ensino secundário, nas disciplinas de História e Património Cultural. Serão desenvolvidas várias atividades e criados diversos conteúdos, com o objetivo de proporcionar ferramentas e materiais didáticos úteis a professores e formadores. O projeto visa ainda promover e sensibilizar os jovens para a cidadania ativa e para os valores europeus.

O projeto tem a duração de 18 meses e será implementado em Portugal (Covilhã), Espanha (Sevilha) e Itália (Loreto).

 Atividades previstas

– Produção de ferramentas e métodos para a aprendizagem não formal de História e Património Cultural.

– Produção de um espetáculo (peça de teatro).

– Produção de um documentário sobre o projeto.

– Criação de plataformas de disseminação e interação entre professores e formadores:    Site e redes sociais.

– Sessões de formações.

A ASTA acolherá na Covilhã, entre os dias 9 e 14 de maio, um workshop do projeto, que consistirá na discussão e experimentação prática das componentes teóricas e metodológicas em desenvolvimento.

RecilARTE é o novo projeto da ASTA

O novo projeto da ASTA dá pelo nome de recilARTE e vai juntar o Teatro, a Música, as Artes Plásticas e Lixo para criar arte, combater o insucesso escolar e educar para a reciclagem, reutilização e reaproveitamento de resíduos.

 O recilARTE é um projeto no âmbito do Programa Parcerias Para o Impacto desenvolvido pela Estrutura de Missão Portugal Inovação Social, é uma iniciativa de inovação e empreendedorismo social direcionada para a resolução de dois problemas sociais, a ausência de motivação e valorização da escola por parte dos adolescentes e a falta de uma cidadania ativa para a consciência social, em particular nas questões ligadas ao meio ambiente. O reciclARTE será desenvolvido alunos das escolas dos municípios da Covilhã (Agrupamento de Escolas do Teixoso), Fornos de Algodres (Agrupamento de Escolas de Fornos de Algodres) e Gouveia (Instituto de Gouveia).

Como forma de encontrar soluções para estes problemas sociais, o projeto reciclARTE prevê o desenvolvimento de um espaço dedicado à criação artística e ao desenvolvimento do potencial criativo, onde os jovens são convidados a usar as artes (o teatro, a música e as artes plásticas) como meio para desenvolver o seu interesse pela escola e uma maior consciência social sobre os problemas que os rodeiam, nomeadamente o problema da degradação do meio ambiente.  As ações previstas no projeto estimulam os jovens adolescentes que mais sofrem as consequências destes problemas sociais, para serem os principais agentes de mudança, tornando-os elementos ativos num processo de alteração de atitudes e de consciência social.

A equipa artística afeta ao projeto trabalhará diretamente com os na dinamização de um programa de fruição cultural e expressão artística. Começando com a realização de pequenas experiências de iniciação às artes, representando um complemento à oferta curricular das escolas.

O reciclARTE concretiza-se na conceção e desenvolvimento de vários resultados artísticos no âmbito das Artes Plásticas, Teatro e Música ao longo de dois anos. Com a temática do projeto sempre presente, são criados três espetáculos de teatro, três grupos de música que utilizam o lixo como instrumentos, 15 quadros, de grandes dimensões, utilizando resíduos e três vídeos documentais, um por área artística.

Promovido pela ASTA, o projeto tem como investidores sociais os municípios da Covilhã, Fornos de Algodres e Gouveia e a empresa INCIPIT – produção de conteúdos, lda como investidor privado. São ainda parceiros do projeto a Resiestrela – Valorização e Tratamento de Resíduos Sólidos, S.A., o Cine Eco – Festival Internacional de Cinema Ambiental da Serra da Estrela, a Câmara Municipal de Seia, o Agrupamento de Escolas do Teixoso, o Agrupamento de Escolas de Fornos de Algodres, o Instituto de Gouveia – Escola Profissional, projeto EcoCidadania do Grupo Aprender em Festa, e a Escola Superior de Artes Aplicadas do Instituto Politécnico de Castelo Branco.

Foto:DR

Grupo de Teatro Escola Velha de Gouveia premiada com Estatuto de Utilidade Pública

O Governo Português atribuiu à Escola Velha, Grupo de Teatro de Gouveia recentemente com a  direção do Escola Velha, Grupo de Teatro de Gouveia, presidida por Carlos Bernardo, reagiu com satisfação à atribuição do estatuto de utilidade pública pelo Governo à Antena Livre de Gouveia.

Este estatuto foi atribuído pelas suas “relevantes atividades de interesse geral no âmbito da cultura”, foi hoje anunciado.

O despacho do secretário de Estado da Presidência do Conselho de Ministros, André Moz Caldas, publicado hoje em Diário da República, refere que a instituição que tem sede em Gouveia, no distrito da Guarda, vem desenvolvendo, desde 29 de setembro de 1999, “relevantes atividades de interesse geral no âmbito da cultura, através da encenação e organização de diversas iniciativas teatrais, nas suas mais variadas vertentes, bem como de outros projetos culturais, como exposições, música, publicações, etc.”.

“As suas ações envolvem habitualmente as populações locais. Tem dado especial ênfase à formação, tendo criado uma escola de atores. Coopera com diversas entidades, em especial com a administração local, na prossecução dos seus fins”, acrescenta o documento.

Sessão de esclarecimento sobre “Apoios da rede Europa Cinemas”

Decorre no próximo dia 1 de Setembro, pelas 15 horas, através da plataforma online Webex,  uma sessão de esclarecimento sobre os apoios da rede Europa Cinemas às salas de exibição cinematográfica.

Trata-se de uma iniciativa do Europa Criativa Portugal , em colaboração e com o apoio dos Centros Centro de Informação Europe Direct de Aveiro, Europe Direct Oeste e Lezíria do Tejo, Europe Direct Região Beira Interior e Europe Direct Região de Coimbra.

O Programa Europa Criativa MEDIA financia a rede Europa Cinemas para que esta possa apoiar financeiramente os seus membros, i.e. salas de exibição cinematográfica. Considerando que estão abertas as candidaturas a membros da Rede Europa Cinemas pretende-se informar sobre quais os requisitos e quais as possibilidades oferecidas pela Rede Europa Cinemas, quer às salas individualmente, quer a mini-redes de salas que apresentem candidatura em conjunto de forma a cumprirem os critérios de elegibilidade.

-Candidaturas abertas até: 15 de Setembro 2020
-Entidades elegíveis: salas de exibição cinematográfica e mini-redes de exibição cinematográfica (incluindo cineclubes, cine-teatros, auditórios municipais, etc)

Participação gratuita, sujeita a registo em https://forms.gle/4xFNF3sgGmY9m4CdA

 

Cineteatro Império de Mangualde vai ser regenerado

Depois da reunião da Câmara Municipal de Mangualde foi aprovado, o lançamento de concurso para o projeto de regeneração do Cineteatro Império de Mangualde.

A reabilitação do Cineteatro Império representa um investimento de 3,6 milhões de euros, comparticipados com fundos comunitários no valor de 2,6 milhões de euros, e insere-se no plano estratégico de desenvolvimento urbano do centro histórico de Mangualde.

 Assim Elísio Oliveira, Presidente da Câmara Municipal de Mangualde, referiu depis desta reunião: Esta é uma decisão histórica, porque o Cineteatro Império representa um investimento de referência no concelho e visa dar resposta à atividade social e cultural, desde cinema, música, teatro, dança, entre outros, bem como à atividade municipal e à atividade das várias associações e instituições locais. O Cineteatro voltará a ser uma âncora no desenvolvimento cultural de todo o concelho”. Destacou ainda que “este é um espaço nobre da cidade, construído nos anos 40 por um reconhecido arquiteto, Francisco Keil do Amaral, cuja recuperação era uma ambição há muito desejada por este executivo e por toda a população mangualdense”.

Após esta aprovação, a autarquia pretende o mais breve possível lançar a obra a concurso público. O espaço será dotado de equipamentos de moderna tecnologia, sendo que à sala principal com capacidade de 340 lugares será acrescentada uma sala suplementar no piso superior para ensaios e demais eventos.

“Histórias que dão para ver” em Mangualde

Mangualde recebe o espetáculo de teatro “Histórias que dão para ver”, um projeto do Teatro de Montemuro, promovido pela Comunidade Intermunicipal Viseu Dão Lafões, e que pretende promover a região, as suas companhias, os municípios que acolhem os espetáculos e as pessoas. A peça estará em cena na Igreja da Misericórdia de Mangualde (nas salas contíguas à Igreja), nos dias 22 e 23 de março, pelas 21h30.

 Nesta produção unem-se as linguagens das várias estruturas que integram a Rede Cultural Viseu Dão Lafões e alia-se o património imaterial a edifícios de importância cultural, resultando em cada um dos municípios num espetáculo único, com características próprias e com forte envolvimento da comunidade. O espetáculo terá cinco histórias e um guia transportará o público entre elas. Para tal, o espetáculo contará com a participação de 14 mulheres, uma vez que, segundo o encenador do espetáculo, Paulo Duarte, “fala muito da igualdade e do tradicional e do moderno”.

 O espetáculo destina-se a maiores de 12 anos e tem entrada gratuita, no entanto obriga à reserva de bilhete, já que é limitado a 60 pessoas por sessão. Os bilhetes estão disponíveis na Biblioteca Municipal Dr. Alexandre Alves de Mangualde (Telefone: 232 619 889 / 232 617 172) e devem ser levantados até ao dia 20 de março.

 O texto é de João Luís Oliva, com encenação de Paulo Duarte, espaço cénico de Ana Brum, direção musical de Rui Sousa, produção do Teatro do Montemuro e conta com a participação da Rede Cultural Viseu Dão Lafões – ACERT, Binaural/Nodar, Cine Clube de Viseu, Teatro Viriato/Companhia Paulo Ribeiro.

“Oficina do Óscar – Projeto P.A.I.S.” em Nelas

A “Oficina do Óscar – Projeto P.A.I.S.” abriu as portas ao público mais pequenino, bebés dos 6 meses aos 3 anos, neste sábado, durante a tarde, na Biblioteca Municipal de Nelas, com lotação esgotada, onde apresentou uma nova sessão intitulada de “PapilÓscar”, um misto de histórias, sons e cores que surpreendem, capazes de transportar miúdos e graúdos, para um mundo de fantasia, num ambiente repleto de ternura e de cumplicidade familiar, dinamizado pelo Óscar e os seus amigos.

Baseado nos princípios da proximidade, interatividade e estímulo sensorial, o “PapilÓscar” explora o universo dos alimentos através da cor e textura dos vegetais e frutos, bem como dos sons de diversos utensílios de cozinha e sensações que provocam, conferindo-lhe um conceito inovador na sensibilização e promoção da adoção de hábitos alimentares saudáveis.

Pela “Oficina do Óscar” já passaram 640 alunos do 1º CEB dos Agrupamentos de Escolas de Canas de Senhorim e de Nelas, 53 famílias, 80 alunos do 2º ciclo da Escola EB 2.3 de Nelas e 353 seniores provenientes de diversos pontos do país no âmbito do Turismo Sénior do Inatel, que viveram momentos agradáveis e divertidos, com “as mãos na massa” para a preparação dos deliciosos Óscaritos e sumos naturais, que têm feito as delícias dos pequenos grandes Chefs de cozinha, e que vai ser testemunhada durante o corrente mês de março, até final do ano letivo, pelas crianças dos jardins de Infância do Concelho.