Templates by BIGtheme NET
Início » Tag Archives: TMG

Tag Archives: TMG

Salvador Sobral e Fausto em novembro e António Zambujo em dezembro no TMG

Música, teatro e cinema marcam os dois últimos meses do ano na programação no Teatro Municipal da Guarda (TMG). Nesta última agenda, o TMG dá continuidade ao Síntese – Ciclo de Música Contemporânea da Guarda com outros dois concertos: dia 4 de novembro atua Nuno Aroso e dia 20 do mesmo mês, o grupo homónimo do ciclo que é também o organizador, Síntese – GMC.

Ainda na música, destaque para a reposição do concerto de Salvador Sobral que apresenta o álbum de originais “bpm” já no dia 5 de novembro;  para o espetáculo dos Criatura, numa revisita à memória popular com inspiração na música tradicional, no dia 13 de novembro e para o concerto de Fausto –  “Atrás dos Tempos Vêm Tempos” que sobe ao palco do Grande Auditório integrando as Comemorações do 822º Aniversário da Cidade da Guarda, a 27 de novembro. Já em dezembro, no dia 8, é reposto o concerto de António Zambujo e a Orquestra Filarmonia das Beiras, no âmbito do Eixo Cultural A25, parceria dos municípios da Guarda, Viseu e Aveiro. Destaque ainda para os The Lemon Lovers que apresentam o seu novo disco, no Café Concerto, a 15 de dezembro.

No teatro, “Hamlet Cancelado” de Vinícius Piedade sobe ao palco do Pequeno Auditório no dia 11 de novembro; “Através das Paredes” do TEatroensaio estará em cena nos dias 18 e 19 de novembro e “Ignis”, a nova criação do Aquilo Teatro, é apresentado nos dias 17 e 18 de dezembro.

O Cinema é destaque para as famílias nesta última agenda do ano com os filmes de animação – “O Dia Mais Curto” [Festival Curtas de Vila do Conde], no dia 11 de dezembro, numa iniciativa no âmbito da atividade “Famílias ao Teatro”, organizada pelo Cineclube da Guarda. Nesta agenda destaque ainda para os filmes do realizador italiano Michelangelo Antonioni; o TMG e o Cineclube da Guarda apresentam: “A Noite” dia 9 de novembro e “O Eclipse” no dia 23 de novembro. A programação do Cineclube da Guarda fica completa com o filme “Transe”da realizadora portuguesa Teresa Vilalaverde, no dia 7 de dezembro, sessão no âmbito do projeto de “Sensibilização em Tráfico de Seres Humanos”.

De referir ainda que no âmbito do CID – Centro Internacional de Dramaturgia, a funcionar no TMG, a estrutura cultural teatral Mala Voadora apresentará nos dias 13 e 14 de dezembro vários espetáculos e oficinas de formação, espetáculos e uma leitura teatral.

Estes são os destaques. Consulte toda a programação aqui:
http://conteudos.mun-guarda.pt/conteudos/PublishingImages/outros/Agenda_TMG_Nov_Dez_2021.pdf

TMG na Guarda volta a ter música

Imagem: Em julho e agosto há música ao ar livre no Teatro Municipal da GuardaA parte da música regressa ao Teatro Municipal da Guarda já na quarta-feira, dia 28 de julho com o Festival Sound Scape.

Assim como os fins de tarde, a partir das 19h30, vão ter concertos no palco da esplanada do Café Concerto do TMG. Soundscape traz à Guarda bandas e artistas portugueses como B Fachada, Portuguese Pedro, Belle Chase Hotel, Três Tristes Tigres, Chulada da Ponte Velha, Glockenwise, Pedro e os Lobos ou L-Blues. Para ver, ao Sunset a partir da próxima quarta-feira e até 7 de agosto! Aqui fica o menu musical. A entrada é livre.

 

PROGRAMA

28 julho – quarta | 19H30

B FACHADA

O cantautor B Fachada editou em 2020 um dos melhores discos de música portuguesa, ‘Rapazes e Raposas’, e conta já com mais de dez anos de uma notável e singular carreira musical (e uma discografia de mais de 15 títulos). Compositor, cantor e multi-instrumentista, B Fachada é um artista que se inspira na música popular portuguesa para a reinventar constantemente com arranjos harmónicos e construções melódicas surpreendentes. Ao longo dos anos, atuou ao vivo em diversos festivais de verão e em grandes salas como o CCB e a Casa da Música.

Ler Mais »

Guarda- TMG recebe Festival de Jazz

Está de regresso o Festival Internacional Guarda in Jazz , após a paragem forçada pela pandemia em 2020.

Desta forma de  7 a 17 de julho o Teatro Municipal da Guarda vai ser palco para um programa artístico diversificado, como já vem sendo marca do festival.
Músicos de sete nacionalidades diferentes e praticantes de estéticas que vão do jazz mais clássico, à fusão com pop, eletrónica, rock, clássica, tradicional e músicas do mundo compõem este cartaz eclético.
Para ver e ouvir no TMG: Ricardo Ribeiro dia 7 no Grande Auditório; David Helbock  dia 8 no Pequeno Auditório; Hailey Tuck dia 9 no Pequeno Auditório; Mova Dreva dia 10 no Pequeno Auditório; Isabel Rato Quinteto, dia 15 no Pequeno Auditório; LBQ dia 16 no Café Concerto; e Antonio Faraò dia 17 no Pequeno Auditório.

Guarda in Jazz é um festival diferenciador nas tipologias de festivais de jazz nacionais.

PROGRAMA

7 – Quarta – Grande Auditório TMG
RICARDO RIBEIRO
RESPEITOSA MENTE

Considerada uma das melhores e mais versáteis vozes masculinas da sua geração do fado, Ricardo Ribeiro mostra, no entanto, ser um artista multifacetado, como bem comprova o seu último trabalho, “Respeitosa Mente”, com dois artistas de topo, como o pianista português de jazz João Paulo Esteves da Silva e o percussionista norte-americano Jarrod Cagwin. A voz carismática de Ricardo Ribeiro, as composições jazzísticas do piano de João Paulo Esteves da Silva e as percussões do mundo de Jarrod Cagwin conferem a este espetáculo uma qualidade musical invulgar.

Ricardo Ribeiro: Voz
João Paulo Esteve da Silva: Piano
Jarrod Cagwin: Percussões

—————-

8 – Quinta – Pequeno Auditório do TMG
DAVID HELBOCK
“RANDOM CONTROL”

O austríaco David Helbock, pianista, é vencedor por duas vezes do maior festival do mundo de jazz-piano-solo, o festival de Jazz de Montreux (Suíça), além de ter ganhado também o prémio da preferência do público. Os seus álbuns merecem menções honrosas e elogios da crítica internacional pela sua criatividade. Helbock idealiza e realiza projetos com riqueza de detalhes, pesquisa e elevado padrão artístico na interpretação. Realizou digressões de enorme sucesso nos EUA, Europa, Ásia, África, América Latina e Índia. O seu projeto em trio “Random Control” parte da linguagem do jazz para experimentações surpreendentes com instrumentos de brincar e beatbox.

David Helbock: Piano, eletrónica, toy piano, melódica, percussão.
Johannes Bär: Trompete, tuba, beatbox, didgeridoo, eletrónica, percussão.

—————-

 

 

9 – Sexta – Pequeno Auditório do TMG
HAILEY TUCK

Já elogiada pelos seus concertos ao vivo e com as melhores críticas nas aclamadas revistas, Nylon, People Magazine e Marie Claire, e com performances na televisão ao lado de Björk, The Breeders, Diva Mahal e Jools Holland, a texana Hailey Tuck tem a missão de virar o jazz de cabeça para baixo. Com uma voz doce e quente que é já comparada a uma mistura de Billie Holliday com Amy Winehouse, um look vintage e uma musicalidade entre o jazz vocal clássico, o cabaret e a pop, Hailey tem percorrido uma carreira de reconhecido sucesso artístico, de público e de crítica. Hailey Tuck apresenta-se com quatro músicos portugueses experientes em palco.

Hailey Tuck: Voz
João Monteiro: Baixo
Fábio Rodrigues: Bateria
Pedro Baião: Piano
João Carreiro: Guitarra

—————-

 

10 – Sábado – Pequenos Auditório do TMG
MOVA DREVA

Quarteto de ethno jazz que tem como ponto de partida a cultura folk Bielorussa, o coletivo Mova Dreva procura criar contos musicais baseados em canções quase desaparecidas: canções festivas, de chamamento da primavera e ciclos da natureza, cânticos de saudade e tristeza, de brincadeiras e casamentos, com arranjos jazzísticos. A ideia do projeto nasceu pela mão da pianista e cantautora Katerina L’dokova que investiga e recolhe música e costumes tradicionais do seu país natal. A partir deste conhecimento nasce uma identidade musical que junta à música tradicional influências do jazz, da música clássica, de estilos contemporâneos e de vanguarda.

Katerina L’dokova: Voz, piano e composição.
Diogo Duque: Trompete
André Sousa Machado: Bateria
Francesco Valente: Contrabaixo

—————-

 

15 – Quinta – Pequeno Auditório do TMG
ISABEL RATO QUINTETO

Isabel Rato é pianista, compositora, arranjadora e produtora na área do Jazz Português. Na sua música visita universos musicais que vão do jazz à música portuguesa. O conjunto de canções que estão presentes no último disco “Histórias do Céu e da Terra”, tem o seu foco principal na Língua Portuguesa e no Jazz. O disco foi considerado pela revista Jazz.pt como um dos melhores discos nacionais de Jazz de 2019. Isabel Rato tornou-se num dos nomes femininos mais destacados da nova geração de compositores portugueses na área do Jazz. Como líder do grupo tem formação e profundo interesse em várias áreas musicais. Sendo profundamente influenciada também pela música tradicional portuguesa e das músicas do mundo, Isabel Rato inspira-se para este disco e concerto em roupagens e sons das cores tradicionais.

Isabel Rato: Piano, composição e arranjos.
João David Almeida: Voz
João Capinha: Saxofone
João Custódio: Contrabaixo
Alexandre Alves: Bateria

—————-

Dia 16 – Sexta – Café Concerto do TMG
LISBON BERLIN QUARTET

Quarteto internacional liderado pelo guitarrista português Luís Lopes, o LBQ procura a fusão da improvisação jazz com a energia do rock. Recentemente este quarteto ganhou nova dimensão de texturas e harmonias com a entrada do pino elétrico Fender Rhodes de Rodrigo Pinheiro (RED Trio), instrumento que cria novas direções e fôlegos. Adição de valor para uma música que partindo de algumas ilações preciosas do jazz as aplica num discurso livre, para onde convergem o nervo, a distorção e ruminanço do rock e uma pulsação espiritual quase punk na entrega, a calcorrear novos caminhos nessas intersecções e planos de contacto, com escola nas costas mas em busca do agora.

Luís Lopes: Guitarra elétrica
Christian Lillinger: Bateria
Ingebrigt Håker-flaten: Contrabaixo
Rodrigo Pinheiro: Piano elétrico Fender Rhodes

—————-

Dia 17 – Sábado – Pequeno Auditório do TMG
ANTONIO FARAÒ TRIO

Concerto especial para o encerramento de ouro do Guarda in Jazz 2021. Antonio Faraò é um pianista italiano de jazz com larga carreira internacional desde o lançamento do seu disco de estreia em 1999. Colaborou com músico do calibre de Joe Lovano, Jack DeJohnette ou Bob Berg. Faraò é considerado pela crítica como um pianista de enorme e singular sensibilidade estética, de grande poder comunicacional e capacidade técnica. Especialmente para o Guarda in Jazz, faz-se acompanhar de dois grandes vultos do jazz português: o baterista Alexandre Frazão e o contrabaixista Nelson Cascais.

Antonio Faraò: Piano
Nelson Cascais: Contrabaixo
Alexandre Frazão: Bateria

—————-

Bilhete geral especial para todo o festival: 15euros
Espetáculos de Grande Auditório: 10 euros
Espetáculos de Pequeno Auditório: 5 euros
Espetáculos de Café Concerto: Entrada livre

Mais informação e bilhetes em: www.tmg.com.pt

TMG recebe concerto dos Resistência dia 30

Os Resistência, inicialmente programado concerto para o 25 de abril de 2020, mas com a pandemia, tudo ficou parado.

Agora com a reabertura do Teatro Municipal da Guarda (TMG) , surgem agora os primeiros concertos reagendados. vão atuar um ano depois. O concerto foi reagendado para sexta, dia 30 de abril, no Grande Auditório. Resistência é um grupo português do início da década de 1990 com músicos como Olavo Bilac, Pedro Ayres Magalhães, Pedro Jóia, Tim, Miguel Ângelo ou Fernando Cunha. Os temas da Resistência ganharam vida nova e uma alma genuína com a reinterpretação de canções clássicas como as dos Delfins, Xutos e Pontapés, António Va-riações, Heróis do Mar, Trovante, Zeca Afonso, Madredeus ou Jorge Palma.

TMG reabre com arte digital

A atividade presencial  no Teatro Municipal da Guarda (TMG) reinicia  a partir de 19 de abril, com a terceira fase de desconfinamento. Nesta primeira iniciativa que marcará esta reabertura será a uma exposição/instalação de arte digital designada aMostra_v.0.1 >>no luzente alcantil da magnitude >>> Poesia digital no TMG e que vai decorrer de 22 a 28 de abril. Esta mostra junta o trabalho de dez artistas locais, nacionais e internacionais e conta com a curadoria de VJ ManuHell e Pushkhy, ambos com raízes artísticas na Guarda.

Ao longo desses sete dias, a arte digital apresenta-se em formato inédito na cidade da Guarda, nas suas mais diversas abordagens e conta com obras de artistas com um vasto currículo e historial de presenças em festivais, Vídeo Mapping e performances. Esta exposição inclui obras dos portugueses David Negrão, Pedro Zaz e Desy Ysed, num registo diferente do habitual, @s brasileir@s Astronauta Mecanico e Caio Fazolin, a artista russa VJkET, a italiana Carlotta Premazzi, a sueca IAKDS e o duo franco-húngaro Manu Kaleido & Éri Viràg. Para além destes, a aMostra_v.0.1 acrescenta três outras instalações da autoria dos seus curadores, VJ ManuHell e Pushkhy, designadas ‘Dilema’, ‘Per se’ e ‘Pó Húmido’. Estas obras audiovisuais foram executadas no âmbito de uma recente residência artística no TMG, ao abrigo do programa INCENTIVARTE – Incubadora de projetos artísticos.

Trata-se de «uma iniciativa original, no âmbito da programação do TMG, que tem o mérito de trazer de novo às suas raízes, jovens artistas guardenses que se estão a afirmar no panorama internacional das artes digitais e visuais, provando que a nossa aposta na Cultura é o caminho certo para atrair e fixar talento e, com isso, estamos ainda a promover mais qualidade de vida e desenvolvimento na região», explica, a propósito da aMostra v.0.1, o presidente da Câmara Municipal da Guarda, Carlos Chaves Monteiro. Um projeto que se inscreve por isso na ambição de envolvimento e vitalidade criativa de jovens artistas da Guarda e região no âmbito do processo da Candidatura da Guarda a Capital Europeia da Cultura em 2027.

A aMostra_v.0.1 garante uma experiência sensorial totalmente distinta de outras exposições, desde logo por decorrer nos espaços não convencionais do teatro, através de um percurso predefinido e guiado pelo ator Valdemar Santos que interpreta Crates da Caverna. Em cada recanto, uma obra digital é desvendada como uma surpresa, com novas emoções.

TMG suspende programação até final de janeiro

Em comunicado o TMG, refere:Dando cumprimento às orientações para o combate à COVID-19 emanadas pelo renovado Estado de Emergência, o Município da Guarda vai suspender a restante programação do Teatro Municipal da Guarda (TMG) prevista a partir de 15 de janeiro e até ao final deste mês.

Solicita-se a quem comprou bilhete para os espetáculos agendados nesse período que contacte a bilheteira para que se efetue o respetivo reembolso. Devido à incerteza da evolução pandémica durante as próximas semanas, não é ainda possível prever a futura reabertura do TMG com programação regular.

Livro dos 15 anos do TMG apresentado a 17 de dezembro

Integrado nas comemorações do 15º aniversário do Teatro Municipal da Guarda, o livro dos 15 anos do TMG documenta e relata o longo percurso de trabalho realizado nesta primeira década e meia de vida. Recorrendo essencialmente a fotografias de arquivo e informações úteis que revelam as múltiplas vertentes da atividade do TMG, esta edição pretende guardar a memória histórica da vida do Teatro.

No final da apresentação do livro, os músicos Rui Correia e Ricardo Torrão vão tocar temas clássicos do Blues-Rock

Cuca Roseta e Lena d’Água são destaques da Agenda TMG de novembro e dezembro

O Teatro Municipal da Guarda (TMG) apresenta a nova programação para os meses de novembro e dezembro com destaque para o espetáculo Amália por Cuca Roseta no 821º aniversário da cidade mais alta a 27 de novembro e o espetáculo de “Desalmadamente” de Lena d’Água a 18 de dezembro. Tal como na agenda anterior, há um menor número de atividades devido às contingências da COVID-19 por forma a cumprir todo o protocolo de higiene e segurança para público, artistas e trabalhadores, com base nas regras da DGS e por isso mantém-se as regras de lotação de 50% das salas, bem como todas as regras de distanciamento, higienização, etiqueta respiratória e uso obrigatório de máscara.

No que toca a esta nova programação, para além dos destaques já referidos, de realçar ainda em novembro a continuação do Síntese – Ciclo de Música Contemporânea da Guarda com o projeto de percussão ILLUD de Nuno Aroso a 19 de novembro e com o quarteto Collective Levemusic a 28 de novembro e ainda o “Concerto Para uma Árvore” e “7 Filmes Para um Mundo Novo” do músico Fernando Mota para ver e ouvir a 18 de novembro no Pequeno Auditório. Ainda em novembro, no dia 13, a companhia Ballet Teatro apresenta o espetáculo “10 – Paisagens, máquinas e animais” com direção e coregrafia de Né Barros.

Ainda em novembro em reposição da Agenda de abril vai estar o concerto dos First Breath After Coma no Grande Auditório, dia 21 de Novembro e também numa parceria com o CineClube da Guarda, a Celebração do Centenário do nascimento do realizador italiano Federico Fellini com a os filmes: Os inúteis a 24 de novembro; e A estrada, a 25 de novembro.

Já em dezembro, destaque para a estreia da nova produção do Teatro do Calafrio “O Asno de Ouro – Metamorfoses” com encenação de Luciano Amarelo, numa co produção com o TMG nos dias 10, 11 e 12. Em reposição estará a Estreia do documentário de António Lopes sobre cinema nas aldeias, intitulado “Cinema em movimento” a 15 de dezembro. Uma iniciativa assinala também as comemorações dos 15 anos do TMG que se assinalam em 2020. Também em reposição da agenda de abril: a Apresentação do Livro dos 15 Anos do TMG à qual se segue um concerto com Rui Correia e Ricardo Torrão no dia 17 de dezembro.

De sublinhar ainda o programa Incentivart que continua, nesta agenda com a Residência Artística em escultura do artista plástico Daniel Gamelas, entre 9 e 25 de novembro e com exposição posterior no Foyer do Grande Auditíorio e ainda a oficina de Fotografia: “Analógica 15” de Ana Couto e Miguel Silva a 14 de novembro no Famílias ao teatro e a exposição com o mesmo nome entre 17 de novembro e 22 de janeiro de 2021 no Café concerto do TMG; e com a residência artística e estreia da nova peça do Calafrio que já referimos. Recorde-se que o Projeto Incentivart é uma incubadora de projetos artísticos cujo objetivo é desafiar os artistas do concelho a desenvolver trabalhos nas mais variadas áreas artísticas como as artes plásticas, dança, música, teatro, literatura, fotografia.
Estes são apenas alguns dos destaques da Agenda.

1º Beira Interior Gourmet teve como vencedor Restaurante Colmeia (Guarda)

O Grande Auditório do TMG, na cidade da Guarda, acolheu a entrega de Prémios do 1º Concurso Beira Interior Gourmet, numa iniciativa da Comissão Vitivinícola Regional da Beira Interior (CVRBI), onde esteve presente, Pedro Machado, do Turismo Centro Portugal e demais autarcas convidados, Fernando Melo foi o Presidente do júri.

Deste modo, o Restaurante Colmeia, da Cidade Guarda, foi o grande vencedor deste primeiro concurso gastronómico Beira Interior Gourmet. Estiveram presentes 30 restaurantes de norte a sul da Beira Interior.

Deste modo, Rodolfo Queirós, presidente da CVR Beira Interior/ Rota dos Vinhos da Beira Interior considerou que este concurso foi um enorme sucesso para toda a Beira Interior. “Conseguimos aproximar os nossos produtores de vinhos da Beira Interior da restauração; criamos ainda um “Guia Gastronómico da Beira Interior” com uma enorme diversidade geográfica e eno-gastronómica que caracteriza a nossa Região.

Estamos já a trabalhar para a próxima edição do Beira Interior Gourmet, onde estarão seguramente estes restaurantes e muitos outros que já mostraram a vontade de se associarem a este projeto inserido no âmbito da Rota dos Vinhos da Beira Interior; um projeto de promoção territorial que junta os Vinhos da Beira Interior, a Gastronomia, a Restauração, a Hotelaria, os Turismos Rurais, os Municípios, etc. num agregar de vontades”!

Por sua vez, Pedro Machado ,Presidente do Turismo do Centro salientou a importância deste concurso para a coesão territorial e para o contributo que deu para ajudar a alavancar este sector num momento difícil como o que vivemos.

Comprometendo-se a ajudar a aumentar a notoriedade e notabilidade deste evento na próxima edição do Beira Interior Gourmet. Realçou ainda a importância na hora da escolha do destino turístico de fatores como a sustentabilidade ambiental, a pegada ecológica, os produtos endógenos e biológicos, ou seja, há hoje uma nova consciência para a procura de territórios como os da Beira Interior

Victor Amaral, Vice-Presidente do Município da Guarda salientou a importância deste projeto e deste posicionamento da região que “une as pontas” de um território que deve mobilizar toda a Beira Interior. Parabenizou todos os restaurantes e manifestou o apoio do município da Guarda a este projeto. Terminou salientado a importância de trabalharmos em rede afirmando que todos somos poucos para afirmar a Beira Interior

Para Fernando Melo, presidente do júri “foi determinante a disponibilidade das várias personalidades dos domínios da cozinha, hotelaria, Jornalismo, enologia e formação que ao longo dos vários dias de visita contribuíram com as suas críticas e opiniões”. Realçou também “a vontade de participar e melhorar a qualidade da sua oferta, por parte de todos os restaurantes, sem excepção”.

Assim a lista de prémios foi a seguinte:

Melhor Restaurante: Colmeia, Guarda

Melhor Carta de Vinhos (ex aequo): Nobre Vinhos e Tal, Guarda; Aquáriu’s, Guarda

Melhor Serviço de Vinhos (ex aequo):Entre Portas, Pinhel;Dsigual Wine House, Guarda

Melhor Harmonização Vinho e Comida: Casas do Coro, Marialva

Melhor Entrada: Taberna A Laranjinha, Covilhã

Melhor Prato: Encosta da Muralha, Castelo Branco

Melhor Sobremesa: Casa da Esquila, Guarda

Melhor Utilização de produtos Beira Interior: Alkimya, Covilhã

Melhor Espaço: Cova da Loba, Linhares da Beira

 

 

 

 

“A Alma do TMG em Redscale” em exposição

Está patente até 20 de novembro, no foyer do Grande Auditório do TMG, a exposição “A Alma do TMG em Redscale” do fotógrafo Miguel Silva.
Trata-se de uma encomenda do Teatro Municipal da Guarda ao Miguel Silva para assinalar o 15º aniversário do TMG e que deveria ter sido exibida em abril, ficando adiada devido à pandemia.
Nesta exposição, constam fotografias de todos os funcionários do TMG e do ICAA, trabalhadas através de uma técnica especial de montagem (Redscale) cujo resultado artístico final resulta na tonalidade plástica avermelhada.
Esta exposição pode ser apreciada durante o horário de funcionamento da bilheteira ou nas noites de espetáculos.