Templates by BIGtheme NET
Início » Penalva do Castelo (Pagina 20)

Penalva do Castelo

Estado de Emergência renovado até 15 de abril

Foi aprovada nova renovação do estado de emergência, até 15 de abril, através de uma proposta pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa. Aprovação com votos a favor de PS, PSD, CDS-PP e PAN e da deputada não inscrita Cristina Rodrigues, a abstenção do BE e votos contra de PCP, PEV, Chega e a deputada não inscrita Joacine  Moreira. Eduardo Cabrita referiu que não haverá viagens turísticas de fora do País na próxima semana.

Diocese de Viseu avança com orientações para a Semana Santa

Pregamos Cristo Crucificado

diocese viseu

D.António Luciano, Bispo da Diocese de Viseu, apresenta as diretrizes para a Semana Santa que está a chegar.

A todas as pessoas de boa vontade:
1. Ser sujeito da própria história da fé ou construtor de um mundo novo e melhor é sempre uma profunda aspiração do homem e da sua realização no plano da salvação. Neste contexto o cristão é o homem da confiança e da esperança. Vivemos um tempo das igrejas vazias (Tomás Halík), e agora voltamos de novo à celebração comunitária e presencial da Eucaristia.
Afirmava Tomás Halík no Domingo de Ramos de 2020: “Não consigo afastar a ideia de que as igrejas vazias e fechadas nesta Páscoa são um sinal de alerta profético. Isso poderá acontecer em breve com a Igreja, se não passar por uma transformação profunda, pela morte e ressurreição, se não tiver coragem de deixar morrer muitas coisas, para que o novo possa surgir renovado para a vida” (O Tempo das Igrejas vazias, p. 73,74).
O Cristianismo e a Igreja nasceram da Páscoa de Jesus Cristo, acontecimento central e fundante da fé em Cristo, Crucificado e Ressuscitado.
Cristo entregou-se à morte na Cruz, assumindo no sofrimento e na morte a sua vitória. Esta foi a hora do Crucificado, em que glorificou o Pai e salvou a humanidade. A fé leva-nos sempre a buscar o próprio Deus, que no caminho quaresmal nos convida à conversão interior e à reconciliação com os irmãos. A Igreja, Mãe e Educadora na fé, deseja que todos os batizados façam este caminho pessoal e comunitário “de arrependimento dos seus pecados, pedindo a Deus o dom do perdão, com um coração sincero, e a procurar o dom da reconciliação com Deus e com os irmãos. O sinal da reconciliação faça crescer os cristãos na comunhão e na unidade. Queremos uma Igreja reconciliada e reconciliadora, que anuncia ao mundo de hoje o Evangelho da misericórdia” (Carta do Bispo de Viseu aos Sacerdotes, Diáconos e Consagrados, 19/03/2021).
Jesus, o Crucificado, é o nosso caminho para a Páscoa, a fortaleza da nossa fraqueza e a esperança da nossa ressurreição. Sabemos que “Deus ama o pecador, mas rejeita os seus pecados e acolhe-o, arrependido de braços abertos (cf. Lc 15, 20). Que todos, ao longo desta Quaresma, em tempo de pandemia, experimentemos a grandeza da conversão e da reconciliação, quer através do Sacramento da Reconciliação, quer através de um ato pessoal de arrependimento e de mudança interior para encontrar a vida nova.
2. A Quaresma, na reta final, convida-nos à celebração do Domingo de Ramos, pórtico da entrada triunfal de Jesus em Jerusalém e da celebração do Mistério da Sua Paixão e Morte, dom gratuito da salvação oferecido à humanidade.
O Mistério da Paixão e Morte de Nosso Senhor Jesus Cristo, que celebramos no Domingo de Ramos, é fundamental para a nossa fé cristã. Celebramos a entrada solene de Jesus em Jerusalém, como Rei e Senhor da história e da humanidade, montado numa jumentinha e aclamado pela multidão: “Bendito o que vem em nome do Senhor! Hossana nas alturas!”
A celebração e a bênção dos ramos realizam-se dentro das Igrejas, procurando cada um levar o seu ramo para ser benzido. Não devemos partilhar os ramos, por causa da pandemia. Como cristãos, abramos o nosso coração à contemplação de Jesus na Cruz, o Crucificado, que foi elevado para atrair a todos no caminho para a Páscoa. Como ensina São Paulo, os cristãos “pregamos Cristo Crucificado”, e esta é a missão de todos os batizados.
O peditório desta celebração, a Renúncia Quaresmal, este ano destina-se à Diocese de Pemba, Moçambique e a prover as necessidades da Diocese de Viseu. Em tempos de pobreza e vulnerabilidade sejamos generosos.
Coloque cada família uma cruz à entrada da sua casa.
3. A Semana Santa inicia o mistério da nossa salvação. Por isso os sacerdotes, os diáconos, os consagrados e os leigos celebram a Missa Crismal, presidida pelo Bispo da Diocese, na manhã de Quinta-feira Santa, na qual os sacerdotes se reúnem em presbitério e celebram o jubileu da ordenação os que têm 25, 60 e 70 anos de sacerdócio. Todos juntos, renovam as promessas sacerdotais, e benzem-se os Óleos dos Catecúmenos e dos Enfermos, e faz-se a consagração do Santo Crisma.
O Tríduo Pascal inicia-se com a Eucaristia vespertina da Ceia do Senhor, de acordo com o ritual, e, este ano, sem a realização do gesto do lava-pés. Esta celebração evoca a Instituição da Eucaristia, onde Jesus no banquete se dá em alimento: “Ó Sagrado Banquete em que se recebe Cristo e se comemora a Sua Paixão, em que alma se enche de Cristo e nos é dado o penhor da futura glória”.
Jesus celebra a última ceia com os seus discípulos e entrega-lhes o Pão e o Vinho como alimento para fazerem sempre isto em sua memória. “A liberdade que Jesus nos dá, o mundo não a pode dar. Jesus é o caminho rumo à liberdade, a verdade que nos torna livres e a vida que liberta do medo, do pecado e da morte. Quando, juntos, celebramos a Eucaristia, a Ceia do Senhor, abrimo-nos nós mesmos, as nossa vidas, as nossa comunidades e todo o mundo a Cristo libertador” (Tomás Halík, Via Crucis, Paulinas, p. 6). A partilha desta Eucaristia é para ajudar os pobres, porque celebramos o Dia do Mandamento Novo do Amor.
A celebração de Sexta-Feira Santa faz memória da Paixão e Morte de Jesus. “No rito da adoração da Cruz, apenas o sacerdote fará o gesto habitual de adoração”.
Façamos em nossas casas um altar com Jesus Crucificado, diante do qual dediquemos um tempo de oração pessoal e familiar. Meditemos no mistério da cruz e do crucificado e escutemos a oração de Jesus: “Meu Deus, porque me abandonastes”. No abandono, na dor, no sofrimento, “Jesus entrega o seu espírito” ao Pai e experimenta o mistério da morte. “Mas Deus não está morto, não dorme. Nas noites escuras da ocultação de Deus, é preciso viver uma tríplice paciência: na fé, na esperança e no amor” (Tomás Halík, p. 10 e 11).
O peditório deste dia é para os Lugares Santos; sejamos generosos com os cristãos da Terra Santa.
O Sábado Santo é um dia de silêncio, de luto, de oração, de solidão e de repouso. Transformemos as perguntas e dúvidas em oração. “Deus não deixa que a pergunta do seu Filho fique sem resposta: a sua resposta é a luz da manhã de Páscoa” (Tomás Halík, p. 24).
A Vigília Pascal é a “Mãe de todas as Vigílias”. Realiza-se no interior da Igreja, e nela celebramos a vida nova, que em Cristo Ressuscitado foi oferecida à humanidade, vencendo o pecado e a morte. A bênção do lume novo, o cântico do Precónio Pascal, a escuta da Palavra de Deus, o cântico solene do Aleluia, o Evangelho da ressurreição, a oração, a bênção da água e a renovação solene das promessas do Batismo são momentos para celebrarmos o anúncio solene de Cristo Ressuscitado.
O Domingo da Ressurreição, Páscoa do Senhor, centro da espiritualidade cristã, celebra-se dentro da Igreja. Não se realiza a procissão da Ressurreição com Jesus na Eucaristia. Viva-se festivamente a Páscoa, tocando solenemente os sinos. Convido todos os cristãos a colocar uma cruz enfeitada na porta das suas casas ou janelas e a dar destaque ao estandarte de Cristo Ressuscitado.
Vivamos este dia no cumprimento das normas da DGS e das orientações da CEP, que proíbe “as procissões e outras expressões da piedade popular, como as “visitas pascais” e a “saída simbólica de cruzes, de modo a evitar riscos para a saúde pública” (CEP, 11 de março de 2021).
É preciso saber obedecer às orientações. Faço um apelo a todo o povo de Deus para que saiba ser responsável, evitando aglomerações de pessoas nos exteriores das igrejas.
Saibamos todos contribuir para as necessidades da Igreja e para a sustentação do clero, quer seja pela partilha da côngrua, quer pela oferta do folar. Que todos experimentem a Vida Nova em Cristo. Caminhemos juntos, com Cristo Ressuscitado, pelas estradas de Emaús, ao encontro dos irmãos.
Que a Senhora da Alegria e São José encham de gozo espiritual as nossas vidas, enfeitadas com a beleza das flores brancas da Páscoa.
“Desejo a todos Santas Festas de Páscoa em Cristo Ressuscitado. Aleluia! Aleluia!!

AF Viseu-Regresso das Competições no fim de semana de 8 e 9 de Maio

Em Comunicado a AF Viseu refere que:”em virtude dos constrangimentos provocados pela pandemia COVID-19, em que de entre os vários ocorridos até ao momento se destaca a paragem das competições desde Janeiro de 2020 por deliberação governamental, que originou elevada quantidade de jornadas e jogos por realizar, decidiu a Direção da Associação de Futebol de Viseu em sua reunião no passado dia 22, a título excecional, proceder à alteração dos formatos e respetivos regulamentos específicos que lhes dão suporte, das competições distritais de Futebol e Futsal no escalão Sénior.

Deste modo, e sem prejuízo do disposto no Regulamento de Provas Oficiais da AF Viseu da época 2020/21, e de acordo com o estipulado no seu artigo 128.04, que permite a alteração de formatos no decorrer da época desportiva, conjugado com o presente no Decreto-Lei 18-A/2020, de 23 de abril, que autorizou a proceder-se às alterações regulamentares necessárias para dar resposta a constrangimentos causados pela emergência de saúde pública relacionada com a pandemia COVID-19, vem esta Direção ao abrigo dos poderes que lhe são emanados pelo disposto no artigo 37 nº1 e nº2 alínea u) dos Estatutos da AF Viseu comunicar as decisões no Comunicado Oficial 102.

Regresso das Competições no fim de semana de 8 e 9 de Maio, em virtude de somente existir de momento a indicação do regresso das modalidades de médio risco (Futebol e Futsal) a partir de 19 de Abril, e desse modo permitir pelo menos 3 semanas de treinos em conjunto antes do 1º jogo da retoma.

Os treinos das modalidades de médio risco, só podem iniciar-se a 19 de Abril e sempre no estrito respeito das Orientações 036/2020 da DGS, a não ser que surjam nos próximos dias novas e melhores informações sobre esta questão.

Todos os Regulamentos específicos e suas devidas normas para cada uma das provas mencionadas em seguida serão publicados em breve.

Os clubes vão receber email nos próximos dias com o documento de aceitação ou não aceitação de participação nas provas mencionadas em seguida, bem como das Tabelas Classificativas (já anteriormente enviadas a todos). Os clubes vão ter até dia 5 de Abril de 2021 de responder oficialmente sobre se aceitam retomar a sua prática desportiva ou não nas várias provas nas quais se encontravam a participar.

Divisão de Honra da AF Viseu | Futebol

a)Conclusão imediata da 1ª Fase da Prova, com classificaçãohomologadadas equipas ordenadas em função dos critérios de coeficientes do nº de pontos conquistados/nº de jogos realizados.Em caso de empate aplicam-se os critérios de desempate previstos por coeficientes no R.P.O. Geral da AF Viseu.

b)Ausência de descidas de divisão e ausência de sanções disciplinares às equipas que pretendam por não continuar a competir em nenhum dos formatos a implementar.

c)Operacionalização de2ª Fase da Prova, de Modelo de inscrição Facultativo para apuramento de Campeão Distrital e como tal representante para o CP 2021/2021 e de apuramento do 2º representante para a Taça de Portugal 2021/2021, caso a FPF assim mantenha o disposto nos seus regulamentos da mesma.Esta fase é disputada por 8 equipas em 7 jornadas a uma volta.

As 8 equipas que em 1ª instância podem ter acesso a essa prova são as primeiras 8 Classificadas da Tabela Classificativa que anteriormente foi enviada a todos os clubes. Caso alguma das equipas opte por não participar é substituída sempre pela seguinte melhor classificada nessa tabela que assim o aceite.

d)Operacionalização de Modelo Facultativo de Taça da Divisão de Honra, para os clubes que não se qualificaram e inscreveram na 2ª Fase de Apuramento de representante para o CP. Modelo de taça a definir em função do número de equipas inscritas para a mesma e a divulgar em momento oportuno.

e)Operacionalização de Taça de Apuramento da 3ª Vaga da Taça de Portugal2021/2021 com jogo em campo neutro a uma só mão, entre o 3º Classificado do Apuramento de Campeão e oVencedor da Taça da Divisão de Honra.

1ªDivisão da AF Viseu | Futebol

a)Conclusão imediata da 1ª Fase da Prova, com classificação das equipas ordenadas em função dos critérios de coeficientes do nº de pontos conquistados/nº de jogos realizados.Em caso de empate aplicam-se os critérios de desempate previstos por coeficientes no R.P.O. Geral da AF Viseu.

b)Ausência de sanções disciplinares às equipas que pretendam por não continuar a competir em nenhum dos formatos a implementar.

c)Operacionalização de 2ª Fase da Prova, de Modelo de inscrição Facultativo para apuramento dos clubes que sobem à Divisão de Honra 2021/2022. Esta fase é disputada na Série Norte e na Série Sul por 8 equipas em 7 jornadas a uma volta. As 8 equipas em cada uma das séries que em 1ª instância podem ter acesso a essa prova são as primeiras 8 Classificadas da Tabela Classificativa que foi enviada anteriormente a todos os clubes. Caso alguma das equipas opte por não participar é substituída sempre pela seguinte melhor classificada nessa tabela que assim o aceite.

d)Calendarização de 3ª Fase para apuramento de Campeão da 1ª Divisão Distrital, a disputar entre o 1º Classificado da Série Norte e o 1º Classificado da Série Sul, em um único jogo em estádio neutro, mas que só tem efetividade se a 2ª Fase da Prova se concluir em tempo útil que ainda permita a realização deste jogo. Caso este jogo não tenha a possibilidade de se concretizar, não se apura esta Época Desportiva o Campeão da 1ª Divisão Distrital.

e)Operacionalização de Modelo Facultativo de Taça da 1ª Distrital, para os clubes que não se qualificaram e inscreveram na 2ª Fase de Subida. Modelo de taça a definir em função do número de equipas inscritas para a mesma e a divulgar em momento oportuno.

Taça Sub-21| Futebol

a)Clubes vão ter até dia 5 de Abril que responder via email com a entrega de Documento de Aceitação de continuação na prova mencionada. Esse documento será enviado nos próximos dias aos clubes em questão.

b)Caso todos os clubes aceitem continuar será a prova mantida e iniciar-se-á no dia 8 de Maio.

c)Caso existam desistências na participação, a prova poderá ter a necessidade de vir a ser alterada em função do que já estava anteriormente definido como formato da mesma.

d)Ausência de sanções disciplinares a quem até dia 5 de Abril comunicar que não quer continuar na prova na qual se tinha inscrito e que iria ter a sua 1ª jornada no passado mês de Janeiro de 2021.

FUTSAL

Indicações Comuns a todas as Provas de Futsal

a)Regresso das Competições só ocorrerá no fim de semana de 8 e 9 de Maio, em virtude de somente existir de momento a indicação do regresso das modalidades de médio risco (Futebol e Futsal) a partir de 19 de Abril, e desse modo permitir pelo menos 3 semanas de treinos em conjunto antes do 1º jogo da retoma.

b)Os treinos das modalidades de médio risco, só podem iniciar-se a 19 de Abril e sempre no estrito respeito das Orientações 036/2020 da DGS, a não ser que surjam nos próximos dias novas e melhores informações sobre esta questão.

c)Agendamento para espaço temporal próximo de reuniões com os clubes de cada prova que não se iniciou ou foi interrompida em Janeiro de 2021, para discutir o melhor formato e modelo que permita a Retoma Desportiva nas provas em questão, em função das escassas datas disponíveis de momento.

Taça Sub-21| Futsal

a)Clubes vão ter até dia 5 de Abril que responder via email com a entrega de Documento de Aceitação de continuação na prova mencionada. Esse documento será enviado nos próximos dias aos clubes em questão.

b)Caso todos os clubes aceitem continuar será a prova mantida e iniciar-se-á no dia 8 de Maio.

c)Caso existam desistências na participação, a prova poderá ter a necessidade de vir a ser alterada em função do que já estava anteriormente definido como formato da mesma.

d)Ausência de sanções disciplinares a quem até dia 5 de Abril comunicar que não quer continuar na prova na qual se tinha inscrito e que iria ter a sua 1ª jornada no passado mês de Janeiro de 2021.

“Biblioteca Municipal, uma Voz Amiga” em marcha em Penalva do Castelo

Está em marcha um projeto da Biblioteca Municipal de Penalva do Castelo, em colaboração com a Rede Social do município, durante este segundo período geral de confinamento, o projeto “Biblioteca Municipal, uma Voz Amiga”.

Trata-se de uma iniciativa de combate ao isolamento social em tempos de pandemia, que, através de uma chamada telefónica, permitirá a partilha de leituras (contos, poemas,…), de histórias e de memórias entre a Biblioteca Municipal e os que presentemente se encontram em situações de maior isolamento e a necessitar de uma voz amiga com quem conversar.

Este novo serviço municipal, livre e totalmente gratuito, está disponível a partir do contacto 965064126, de segunda a sexta-feira, entre as 10h00 e as 19h00.

Censos 2021 estão a chegar à sua caixa de correio

Os censos 2021 estão aí a chegar, por isso esteja atento que a partir do próximo dia 5 de abril irá receber na sua caixa do correio uma carta do Instituto Nacional de Estatística (INE) com os códigos necessários para poder responder aos CENSOS 2021 através da Internet. Caso tenha condições para o fazer, responda depois, a partir de 19 de abril e até 3 de maio em censos2021.ine.pt

Caso tenha dificuldades em ter acesso à internet, peça ajuda a um familiar, ou dirija-se à sua junta de freguesia, pode ainda aguardar pela visita de um recenseador ou ligar para a linha de apoio: 210 54 20 21.

Os Censos são a contagem e a caracterização da população e do parque habitacional que decorre de 10 em 10 anos. A informação censitária é determinante para o conhecimento do país. O INE conta com a sua colaboração. Responda pela Internet. A resposta é fácil, segura e rápida para toda a população.

“Amentar as almas” este ano vai ser online inserido no projeto “Cultura no Dão”

A tradição de “Amentar as almas” é uma das atividades que assinala o período de Páscoa. Este ano a ação é desenvolvida nos Municípios de Mangualde, Nelas e Penalva do Castelo, numa iniciativa em conjunto, no âmbito do projeto “Cultura no Dão” e será online.

A tradição do “Amentar das Almas” consiste em orações cantadas em louvor dos que já morreram.  Uma tradição secular, também conhecida como “encomendação das almas” que surgiu após a Igreja Católica ter assumido, no Concílio de Trento, a existência do Purgatório.

 Na década de 50 ainda era habitual, em muitas aldeias das Terras de Azurara e Tavares, fazer-se o “Amentar das almas”, tradição recuperada pelo Município de Mangualde em colaboração com Rancho Folclórico de Santo Amaro de Azurara.

                                               TRADIÇÃO EM LIVE STREAMING

Devido à situação pandémica, este ano a tradição será assinalada online. A iniciativa irá decorrer no dia 27 de março pelas 21h30, em direto do Facebook dos três Municípios, no Facebook do Município de Mangualde, Município de Nelas e do Município de Penalva do Castelo.  Contando com vários grupos musicais da região.

Nesta noite, serão ouvidos os cânticos às almas do Rancho Folclórico de Santo Amaro de Azurara, pertencente ao município de Mangualde, a Associação Filarmónica de Vilar Seco, pertencente ao Município de Nelas e o Grupo de Cantares Da Ínsua, pertencente ao Município de Penalva do Castelo.

A tradição é um pilar essencial para o Município de Mangualde.

AF Viseu- Interrupção de atividades até dia 1 de abril

Em comunicado, a Direção da AF Viseu informa que, dando prossecução às decisões e orientações resultantes do Decreto n.º 4-/2021, deliberou prorrogar a interrupção até dia 1 de abril de 2021, de todas as provas organizadas sob a jurisdição da AF Viseu.

Mais informa todos os clubes, que enquanto estiver em vigor o Decreto mencionado anteriormente, não são permitidas as atividades de treino e de competição a não ser aos clubes e atletas que se encontrem a disputar provas que sejam equiparadas a atividades profissionais de acordo com o mencionado no artigo 41º do decreto.

A Direção da AF Viseu refere que :continuará a monitorizar a situação, podendo rever as disposições presentes neste comunicado oficial, sempre em estrito respeito pelos decretos emanados pelo Governo Nacional e pelas orientações das autoridades de saúde competentes para esse efeito.

Reabertura de forma faseada das escolas, comércios e restantes atividades

Teve lugar nesta quinta-feira o Conselho de Ministros que aprovou o decreto que regulamenta o estado de emergência decretado pelo Presidente da República.
Vão ser introduzidas as seguintes alterações face ao regime atual:
  • retoma, a partir de 15 de março, das atividades educativas e letivas em regime presencial nos estabelecimentos de ensino públicos, particulares e cooperativos e do setor social e solidário, de educação pré-escolar e do 1.º ciclo do ensino básico, bem como das creches, creches familiares e amas;
  • retoma, a partir de 15 de março, das atividades, em regime presencial, de apoio à família e de enriquecimento curricular, bem como atividades prestadas em centros de atividades de tempos livres e centros de estudo e similares, apenas para as crianças e os alunos que retomam as atividades educativas e letivas;
  • a partir de dia 15 de março, possibilidade de reinício da atividade dos estabelecimentos de bens não essenciais que pretendam manter a respetiva atividade exclusivamente para efeitos de entrega ao domicílio ou disponibilização dos bens à porta do estabelecimento, ao postigo ou através de serviço de recolha de produtos adquiridos previamente através de meios de comunicação à distância (click and collect);
  • a partir de dia 15 de março, determina-se que as atividades de comércio a retalho não alimentar e de prestação de serviços em estabelecimentos em funcionamento encerram às 21:00h durante os dias úteis e às 13:00h aos sábados, domingos e feriados e as atividades de comércio de retalho alimentar encerram às 21:00 h durante os dias úteis e às 19:00 h aos sábados, domingos e feriados;
  • o regime de horário das farmácias é aplicável a estabelecimentos de vendas de medicamentos não sujeitos a receita médica;
  • a partir de dia 15 de março, permite-se, nos restaurantes e similares, a disponibilização de bebidas em take-away;
  • clarifica-se que a proibição de venda de bebidas alcoólicas nos estabelecimentos de comércio a retalho, incluindo supermercados e hipermercados e em take-away (a partir das 20:00 h) é aplicável até às 06:00 h;
  • a partir de dia 15 de março, permite-se o funcionamento, mediante marcação prévia, dos salões de cabeleireiro, barbeiros, institutos de beleza e estabelecimentos similares;
  • a partir de dia 15 de março, permite-se a abertura de estabelecimentos de comércio de livros e suportes musicais; comércio de automóveis e velocípedes; serviços de mediação imobiliária; parques, jardins, espaços verdes e espaços de lazer, assim como de bibliotecas e arquivos;
  • a partir de dia 15 de março, é levantada a proibição das deslocações para fora do território continental, efetuadas por qualquer via, designadamente rodoviária, ferroviária, aérea, fluvial ou marítima, por parte de cidadãos portugueses;
  • determina-se a proibição de circulação entre concelhos, a qual será aplicável no fim-de-semana de 20 e 21 de março, e diariamente a partir do dia 26 de março de 2021.
– Foi aprovada a resolução que estabelece uma estratégia gradual de levantamento de medidas de confinamento no âmbito do combate à pandemia da doença Covid-19 com quatro fases, com um período de 15 dias entre cada uma para que sejam avaliados os impactos das medidas na evolução da pandemia, bem como os níveis de incidência e crescimento.
Determina-se que o calendário previsto para as diferentes fases de desconfinamento pode ser alterado atendendo a determinados critérios epidemiológicos de definição de controle da pandemia e ainda considerando a existência de capacidade de resposta assistencial do Serviço Nacional de Saúde.
Estratégia de levantamento das medidas:
• Regras gerais
– teletrabalho sempre que possível
– horários de funcionamento dos estabelecimentos: 21h durante a semana; 13h aos fins-de-semana e feriados ou 19h para retalho alimentar
– proibição de circulação entre concelhos, a qual será aplicável diariamente entre 26/03 e 5/04 (Páscoa)
A partir de 15 março
– medidas definidas no decreto que regulamenta o estado de emergência decretado pelo Presidente da República
A partir de 5 abril
– 2.º e 3.º ciclo do ensino básico (e ATLs para as mesmas idades)
– equipamentos sociais na área da deficiência
– museus, monumentos, palácios, galerias de arte e similares
– lojas até 200 m2 com porta para a rua
– feiras e mercados não alimentares (decisão municipal)
– esplanadas (max 4 pessoas)
– atividade física e treino de desportos individuais até 4 pessoas e ginásios sem aulas de grupo
A partir de 19 abril
– ensino secundário e superior (e ATLs para as mesmas idades)
– cinemas, teatros, auditórios, salas de espetáculo
– lojas de cidadão com atendimento presencial por marcação
– todas as lojas e centros comerciais
– restaurantes, cafés e pastelarias (max 4 pessoas no interior ou 6 em esplanadas) até às 22h ou 13h ao fim-de-semana e feriados
– atividade física e treino de desportos individuais ao ar livre até 6 pessoas e ginásios sem aulas de grupo
– eventos exteriores com diminuição de lotação
– casamentos e batizados com 25% de lotação
• A partir de 3 maio
– restaurantes, cafés e pastelarias (max 6 pessoas no interior ou 10 em esplanadas) sem limite de horários
– atividade física e treino de desportos individuais e coletivos
– grandes eventos exteriores e eventos interiores com diminuição de lotação
– casamentos e batizados com 50% de lotação
– Foi aprovado o decreto-lei que estabelece medidas de apoio aos trabalhadores e empresas no âmbito da pandemia da doença Covid-19:
  • Reativação do apoio extraordinário à redução da atividade económica de trabalhador independente, empresário em nome individual ou membro de órgão estatutário dos setores do turismo, cultura, eventos e espetáculos, cuja atividade, não estando suspensa ou encerrada, está ainda assim em situação de comprovada paragem total da sua atividade ou da atividade do respetivo setor;
  • Alargamento do “lay-off simplificado” a empresas cuja atividade, não estando suspensa ou encerrada, foi significativamente afetada pela interrupção das cadeias de abastecimento globais, ou da suspensão ou cancelamento de encomendas, e ainda aos sócios-gerentes;
  • Prolongamento do apoio extraordinário à retoma progressiva até 30 de setembro de 2021, estabelecendo um regime especial de isenção e redução contributivas para empresas dos setores do turismo e da cultura;
  • Criação de um novo incentivo extraordinário à normalização da atividade empresarial, no montante de até duas Remunerações Mínimas Mensais Garantidas (RMMG), para trabalhadores que tenham sido abrangidos no primeiro trimestre de 2021 pelo “lay-off simplificado” ou pelo apoio extraordinário à retoma progressiva de atividade.
  • Reforço do apoio às microempresas com quebras de faturação, com a possibilidade de pagamento de mais 1 RMMG no terceiro trimestre de 2021.

Vendas de Queijos com valorização DOP podem aumentar na fase da Páscoa

Produtores e Queijarias não baixam os braços e continuam a apostar na valorização de
alguns dos melhores queijos do país

Há um ano que pastores, produtores de leite, queijarias e distribuidores se mantêm resilientes para não deixar cair por terra a produção dos melhores Queijos com qualificação DOP na Região Centro do país. Manter todo o circuito produtivo do Queijo Serra da Estrela DOP, Queijo da Beira Baixa DOP e Queijo Rabaçal DOP em pleno
estado de emergência e confinamento geral não está a ser tarefa fácil. Mas, face à atual evolução da situação epidemiológica, o Setor está agora a depositar esperança na retoma, ainda que lenta, já a partir da Páscoa.

Na época natalícia, o stock do Queijo Serra da Estrela DOP foi sendo escoado e até superou as expectativas. Segundo a Estrelacoop nesta altura foram vendidas 86.240 unidades, o equivalente a cerca de 64.680 quilos. Em janeiro, as vendas abrandaram, mas com as atuais feiras online do queijo e a aposta cada vez maior nas plataformas
digitais de venda, é de esperar que a produção de Queijo Serra da Estrela DOP armazenada nos meses anteriores seja vendida gradualmente e também com a época da Páscoa. A Estrelacoop adianta que em 2020 foram produzidos menos 14% do Queijo Serra da Estrela DOP, comparativamente com 2019. Do queijo produzido, 6,7% não foi
vendido, ou seja, continua em conservação.

No caso dos Queijo Beira Baixa DOP, a Associação de Produtores de Queijo do distrito de Castelo Branco (APQDCB) auscultou os seus operadores e adianta que as vendas no Natal foram globalmente abaixo dos valores dos anos anteriores. Constatou-se ainda um decréscimo de vendas em 2020 na ordem de menos 14.2% face a 2019. No ano
passado foram vendidos 131.460 quilos, ao passo que em 2019 foram comercializados 153.209 quilos. Porém, é de esperar que esta retração tenha tendência a esbater-se à medida que os setores da restauração e da hotelaria comecem a retomar a atividade.

Os obstáculos que a Fileira dos Queijos qualificados com DOP da Região Centro enfrenta são ainda muitos. Na região onde se produz um queijo único com características próprias determinadas pela flora da região de Sicó – o Queijo Rabaçal DOP – os produtores são escassos e, à APRORABAÇAL, reportam a fraca procura de um produto diferenciador.

O caminho é longo, mas há avanços na Fileira dos Queijos com DOP da Região Centro e os exemplos de superação e resistência em áreas como a Qualificação, Digitalização, Formação e Empreendedorismo deixam aberta esperança num cenário de recuperação.

QUEIJOS COM DOP – ESTRATÉGIA DE REJUVENESCIMENTO E INOVAÇÃO
EM TEMPOS DE PANDEMIA

Apesar das restrições vividas no atual contexto, o Programa de Valorização da Fileira do Queijo da Região Centro não abrandou e, em plena Pandemia, foram dinamizadas “ações integradas, disruptivas e de caráter inovador na Fileira do Queijo da Região Centro, com vista a dar um contributo fundamental para a valorização económica de
um importante recurso endógeno existente nesta Região: o Queijo com qualificação DOP”, concretiza Cláudia Domingues Soares, Presidente da Inovcluster, Associação do Cluster Agroindustrial do Centro.

Ao nível da qualificação e mesmo durante a crise pandémica, algumas queijarias das áreas geográficas de produção das DOP Beira Baixa e Serra da Estrela decidiram dar início ao processo de qualificação dos seus queijos. Na Beira Baixa por exemplo, em 2019, existiam 5 operadores a usar DOP, hoje são 7 os operadores autorizados e mais 4
estão em período de aprovação. Também na Serra da Estrela, em plena pandemia, surgiu uma nova Queijaria em Fornos de Algodres que está atualmente a produzir Queijo Serra da Estrela DOP.

A parceria do Programa de Valorização da Fileira do Queijo da Região Centro manteve firme a vontade de apoiar e impulsionar a fileira dando continuidade à dinamização de diversas iniciativas. É o caso da atribuição dos prémios Vale Pastor e Pastor+ no valor total de 355 mil euros para impulsionar a produção de leite nas 3 regiões DOP da região Centro;

A rota digital será lançada no site oficial do projeto (www.queijoscentrodeportugal.pt), dá a conhecer algumas das queijarias produtoras de queijo com DOP da Região Centro, os seus dados de contacto e localização;
Foram ainda concretizadas a ação formativa “Escola de Queijeiros”, para captação de novos atores na produção de Queijo com qualificação DOP em toda a Região, e ainda o Banco de Terras para pastores na área geográfica de produção do Queijo Serra da Estrela DOP com vista ao incremento da atividade a ajuda à fixação de população ao
território. Em curso, e com o mesmo objetivo, será também implementado o Banco de Terras nas áreas de produção do Queijo Beira Baixa DOP e Queijo Rabaçal DOP.

O Programa de Valorização da Fileira dos Queijos da Região Centro é um “Projeto cofinanciado pelo CENTRO 2020, Portugal 2020 e União Europeia através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional”.

Estratégia Nacional de Testes para SARS-CoV-2 atualizada pela DGS

Segundo a Direção-Geral da Saúde (DGS) houve uma atualização da Norma nº 019/2020 referente à Estratégia Nacional de Testes para SARS-CoV-2, respondendo à necessidade de continuar, de uma forma dinâmica, a adaptar as necessidades de testagem à situação epidemiológica da COVID-19.

Para além do alargamento na testagem, já previsto na versão anterior, houve que consolidar alguns contextos, particularmente no que se refere aos rastreios comunitários ou ocupacionais. Neste caso, a operacionalização é implementada de forma progressiva através de planos sectoriais, para melhor se adaptarem às necessidades de testagem.

Nos estabelecimentos de ensino e nos locais com maior risco de transmissão em meio laboral estes rastreios devem ser periódicos nos concelhos com incidência cumulativa a 14 dias superior a 120/100.000 habitantes. Para o efeito, devem ser utilizados testes rápidos de antigénio, podendo também ser considerada a amostra de saliva para a realização dos rastreios laboratoriais, utilizando-se, nesses casos, os testes moleculares.

Os testes em larga escala, integrados com outras medidas de Saúde Pública, são um elemento chave para limitar a propagação da COVID-19 e a DGS continua a alinhar as atualizações da estratégia nacional de testes com as necessidades decorrentes da evolução da pandemia a nível nacional e com as recomendações internacionais